Abel Alves (Soberano): "QUE" O jeito que vejo não é...

"QUE"
O jeito que vejo não é o mesmo jeito que quero ser visto,
O que acontece é que não faço acontecer,
O medo é algo que domina o meu ser/ter.
Não tenho medo da morte, mas temo em perder.
Às vezes penso que nem sempre ganho,
Devido o meu modo de agir, mudo tudo...
...ao meu redor somente para não sentir o chão.
Escuto sons que não consigo ouvir,
Será que tenho coragem de arriscar?
Coragem não é a questão, e sim, que momento?!
Faço a revolução que não consegue expressar.
Acabo defendendo algo que não conheço.
Percebi ontem que existe alguma coisa escondida,
O que me pergunto é se consigo encontrar.
Sentir sua presença e ter que se conter,
Torna-me um animal domado em um espetáculo.

Abel Alves
26/10/2007

Inserida por AbelAlves