Lion Antonio: De todos os homens nenhuma carga de...

De todos os homens nenhuma carga de entrelinhas na beira do abismo ceifará no auto desconcerto das dobras de meu macacão, aliás se tivesse cometido o breve engano de não mais ser, cessaria o rio de morte que escorre pela veias dos acometidos levianos da máquina de fazer loucuras do homem moderno entupido de idéias absurdas e ilusórias, quem muito busca nada encontra, quem busca ao Infinito se faz passar por entre as linhas dos dedos dos pés da pescadora Rena. Não precisa se esperto pra saber que o que eu quero te mostrar não está escrito, mais sim vivido na plenitude de minha loucura!

Inserida por pensaman