Crônicas sobre Futebol

Cerca de 147 cronicas Crônicas sobre Futebol

Sobre a Copa do Mundo de Futebol de 2014 realizada no Brasil.

Enquanto não nos conscientizarmos que numa vida EM SOCIEDADE o problema de um é PROBLEMA DE TODOS, não estaremos AINDA vivendo em sociedade!
Nossa alegria deveria ser vermos os 200 milhões de brasileiros servidos de SEGURANÇA, SAÚDE, EDUCAÇÃO, MORADIA, TRANSPORTES... uma NAÇÃO em que continuassem as diferenças sociais, pois que dificilmente serão extintas, mas que o MENOS FAVORECIDO TIVESSE O MÍNIMO PARA VIVER COM DIGNIDADE!!!!!!
Que a ALEGRIA DE TANTA GENTE fosse uma vida ABASTADA DE PAZ neste País tão rico!

Sid Trombini
Inserida por SidTrombini

Quando um cara decide deixar o futebol no domingo pra poder passar mais tempo com você de valor, quando um cara se afasta daquelas amizades bailadeiras, de valor a ele, quando o cara sai na chuva pra compra remédio pra você mesmo sem guarda chuva, de valor a ele, quando um cara deixa cartas e versos românticos como surpresas expressando seu carinho, de valor a ele, quando um cara te mima na sua tpm e sempre te traz doces sem pedir e aguenta seu mal humor, de valor a ele, quando o cara levanta no meio da noite todas as vezes pra levar alguma coisa que traga alivio as suas dores noturnas, de valor a ele,quando um cara derrama lagrimas na sua frente pra saber o quanto se importa, de valor a ele, quando um cara faz das tripas um coração pra te ver sorrir todos os dias,e é gentil, atencioso, carinhoso, amigo, amante e poem as suas necessidades nas frente da dele acredite, de valor, porque isso é amor. E se você não saber da valor a isso, eu tenho pena de você, porque se não esta pronta pra ser amada, então se conforme a passar a vida sozinha, e não sai magoando os outros por ai pelo medo de sua solidão egoísta, porque isso não se encontra em qualquer esquinas por ai, isso é como tirar o bilhete premiado, mais sorte que isso é ter todo esse amor retribuído. Infelizmente sincronia é a armadilha de dois corações que deveria se encontrar no dia, na hora, no momento certo e infelismente aquilo que deveria ser amor recíproco acaba apenas sendo um paixão fogo de palha por um lado e pelo outro um coração partido afogado em lagrimas.
Pior que isso vai ser quando você olhar todo aquele amor que você recusou e rejeito varias e varias vezes, e notar o quão lindo e valioso era aquele sentimento e então perceber que é tarde demais . Pior que se arrepender por algo que fez é se arrepender de algo que realmente não tentou. E enquanto você vive com esse seu orgulho egoísta esperando ele fazer algo pra querer voltar, ele estará lá procurando alguem pra amar, e decidindo todos os dias se te guarda em algum lugar no seu coração ou dentro de uma caixa como lembrança de algo que já se foi. Vivendo no mundo em que você criou.

Erick Fernando
Inserida por ErickFernando

Quando surge o alvinegro imponente
Sou Santos Futebol Clube desde que me conheço por gente. Talvez isso explique meu espírito velho. Ou meu espírito velho explique o Santos, quem sabe? Só fui vê-lo campeão em 2002, aos doze anos de idade. Antes disso, ouvia a chacota e a humilhação dos meus amiguinhos da escola e do bairro com a obstinação dos iluminados, como se algo me dissesse que aquela dor teria um fim. Agora penso: deve ser a mesma obstinação que sente vibrar no peito os palmeirensezinhos de hoje.
É verdade que ganharam uma Copa do Brasil esses tempos, mas caindo meses depois, fica difícil. Não conheço a dor da queda - e nem faço questão - mas imagino algo aterrador, horrível; posto que o futebol é o último suspiro das tragédias gregas.
Foi o que falei ao meu amigo Victor, conhecido pela alcunha de Caboclo, assim que bateu em casa para tomar uma gelada. Mostrei-lhe este início de crônica que rabisquei em poucos minutos de intervalo e ele me disse que eu estava tentando copiar Nelson Rodrigues, ênfase para o 'tentando', que é o que mais dói. Contra-argumentei: - Todos copiam a todos. E segui com a digressão: Vinícius copiava Rimbaud; Drummond, Baudelaire. No começo do século passado todo romancista brasileiro queria ser Machado. Todos copiam. Tudo se é copiado, e desde sempre. Acontece que, antigamente, copiava-se os bons. Hoje se copia qualquer um. O poeta mais copiado da atualidade é o Paulo Leminski, Série C da poesia. Copiam até o comediante Gregório Duviviver, que não bate essa bola nem no varzeano. Se eu copio, concluí, pelo menos copio o melhor.
Assim como o Palmeiras, que ao invés das meias verdes, pôs as meias brancas, como que num pressentimento. Sabiam que o gol do alívio sairia dos pés que calçassem meias brancas. Copiando Paulo Coelho para provar que toda regra tem sua exceção: Maktub. E gol de Thiago Ribeiro. Gol no Parque Antártica. Comemora o mar verde em todos os cantos do Brasil. Nunca a torcida santista foi tão grande. Nunca a torcida palmeirense torceu para um time tão grande. Não restam dívidas, estamos quites, palestrinos.
Lembrei-me de Grafite, aquele centroavante que Dunga levou para a Copa de 2010 e que ficou marcado na formidável história do futebol brasileiro quando seus gols salvaram o Corinthians do rebaixamento no Paulistão de 2004. É verdade que o empate no Barradão também mantinha o Palmeiras na elite. O Gol - que heresia irei dizer - foi um detalhe. O grande lance foi os boleiros do Santos terem entrado para jogar, pois poderiam muito bem terem ido em clima de carnaval e aproveitado para ficar por Salvador mesmo.
Mas não tem jeito. O futebol é o esporte predileto do planeta terra, e de todos os outros planetas e seres que lá vivem. Se não fosse o gol do atacante santista ou a ponta dos dedos do goleiro Aranha, algum sopro divino no momento oportuno salvaria o Verdão. Não era a hora. Não novamente. É certo que o Palmeiras está no calvário de sua história, mas todo grande clube já precisou pagar seus pecados.
Quem sabe não melhora se, ano que vem, além das meias e calções, ponham também a camiseta branca? Não há combinação mais nobre na história do futebol. Mas, por gentileza, não deixem para a última rodada. Apesar de caridoso, às vezes o Santos joga de verde.

Thomaz Henrique Barbosa
Inserida por profvaler14

Hoje temos visto adolescentes e jovens que entendem mais de futebol do que sobre a Escritura. “Homens” que sabem mais sobre jogos e sobre acessórios de carros do que como tratar uma mulher e conduzir um relacionamento de maneira devida. Vemos então meninos que entendem mais de séries, filmes, automóveis, esportes, redes sociais, tecnologia, música, internet e qualquer outra coisa, do que como ser um homem segundo o coração de Deus.

http://willymenezes.blogspot.com.br/

Willy Menezes
Inserida por willymenezes

A BOLA

Na terra do futebol
Eu, sertanejo
Já não vejo o arrebol
E esqueço as mágoas
Causadas pela bola - sol
Quantos planos a gente bola
Mas rebola com a desolação
Nem carambola
Brota o azedo nesse meu sertão
A bola
Nos pés de um gabola só embola
Um exímio jogador
É o que faz o torcedor
Clamar gol, gol, gol...

Jonas Terra
Inserida por Jonasterra

Eu tbm acho que discutir religião, futebol ou política não seja dos assuntos mais agradáveis. Até pq, eu parto do princípio de que pessoas na minha idade já aprenderam, faz tempo, que respeitar a opinião alheia é fundamental pra viver em sociedade – rss! Mas como eu escrevo pra mim, então me dou o direito de expor as minhas opiniões.

Eu acho muito curioso que alguém se diga ATEU. Sério mesmo, pq mesmo não tendo resposta para todas as perguntas nesse mundo, eu realmente fico surpresa em ouvir que alguém seja ATEU. Mas, talvez, seja mesmo fácil ser um ATEÍSTA quando se tem saúde, quando se tem uma ótima profissão, um excelente emprego, um salário maravilhoso, casa própria, carro maneiro, contas pagas sem dificuldades, uma família que não dá problema... Acho que deva ser um tanto mais fácil mesmo. Mas a minha vontade é de juntar todos os que se dizem ATEUS e encher um “boeing” deles e quando passar das nuvens desligar o motor. Aí é que eu quero ver quem vai praticar o ateísmo. Quero encontrar um ATEU quando ele estiver com um filho entre a vida e a morte. Quero bater um papo com um ATEU quando ele estiver cara a cara com um fuzil. Quero conhecer um ATEU desempregado, cheio de dívidas durante anos. Bem, das duas uma: ou o ATEU vai se suicidar ou vai pedir arrego pra Deus, meu camarada! Não existe meio termo na guerra, no desespero, no caminho da morte... Ou é Deus, ou é Deus! E como esse texto é meu, digo e afirmo: pare de palhaçada, pq Deus é Deus, mesmo vc se dizendo ateu. E é graças a Ele que vc, senhor ateu, tem o fôlego da vida! ;)

Meg Lima
Inserida por megglima

UMA QUESTÃO DE RELIGIÃO
Marcial Salaverry

Assim como política, futebol, preferencias sexuais, a religião
sempre desperta controvérsias, e é um tema onde não cabe
discussões, por ser uma questão de fôro íntimo, e cada criatura
tem sua Fé e sua Crença, conforme diretriz de sua alma.
Cada religião tem seu templo, para onde se dirigem os fiéis
para seu encontro com o Ser Supremo, onde nem sempre
se vai com Fé autentica dentro de si...
Na verdade, só existe um templo que é autentico, e onde
o Ser Supremo quer ser encontrado, e este, exatamente,
é o coração, a alma de quem realmente tem Fé, seja qual for sua religião.
É onde todos devemos abrigar nosso amor ao SER SUPREMO...
Assim, é imperativo o respeito de todos por todos...

Marcial Salaverry

Marcial Salaverry
Inserida por Marcial1Salaverry

Futebol
Tem tudo a ver
Com um bonito estádio e gramado
E um jogador bem posicionado

Futebol
Tem tudo a ver
Com a alegria da torcida
Cantando sua cançao preferida

Futebol
Tem tudo a ver
Com a festa da criançada
Diante de uma bela jogada

Futebol
Tem tudo a ver
Com um "showzaço"
Quando o jogador faz um golaço

Futebol
Tem tudo ver
Com emoção ...
Quando o jogador faz um coração !

João Pedro e Thiago (2014)

Uma visão caótica sobre o Brasil e a copa do mundo, é que o futebol como uma das maiores formas de alienação, passou a ser de certa forma a cultura brasileira (o carnaval também, mas o futebol se tornou mais universal), pois, se observar o Brasil não possui uma cultura nacional, o que temos são culturas regionais, tomando da seguinte que se o que une um povo é sua cultura, então a única coisa que unem os brasileiros é o futebol, por tanto, assim conseguimos ver a pobreza do país em mais um sentido, sendo que nós nos apegamos em uma alienação que foi adotada como cultura, mostrando o quanto o senso comum brasileiro é tão vago como sua política, cultura e saber. A copa do mundo de forma capitalista e política pode até ser favorável ao Brasil em alguns pontos, mas não há como negar que há existências de outras prioridades na situação do país. Como segurança, saúde e educação.
Como já dizia meu velho pai: Cada povo tem o governo que merece!

Leila Mustafa
Inserida por leila2009

2016 EM RESUMO

2016
Ano do Ouro olímpico no Futebol
Ano de um governo que findou
Ano de crise inoportuna
Ano de um verde sonho que nos emocionou
2016
Ano novamente musical
Ano de projetos inovadores
Ano novamente poético
Ano em que revi amigos e amores
2016
Ano que alguns se foram
Ano que outros reapareceram
Ano que outros voltaram
Ano que outros mais em nossas vidas vieram
2016
Ano do despertar da força
Ano do desgoverno que acabou
Ano da despedida de um Príncipe do Pop
Ano de um Camaleão que seu legado do Rock, deixou

Fabio George Oliveira
Inserida por Fabao73

Assunto complexo

Estava observando algumas pessoas, numa roda de amigos conversando sobre futebol, política e religião e ninguém se entendia. Quando o assunto era futebol todos falavam que o seu time era o melhor, desmoralizando sempre que possível a conquista alheia, esquecendo que a paixão pelas cores é algo muito forte;

Quando o assunto era política, alguns concordavam que o político até poderia roubar, desde que fizesse algo de bom para a classe mais necessitada, “os pobres”, mas a grande maioria concordava que essa classe não merece o menor respeito, infelizmente;

Quando o assunto chegou à religião tudo ficou mais complexo, as pessoas discutiram dizendo que as suas eram sempre melhores do que a dos outros. No final ninguém acabou tendo razão neste assunto tão simples, mas complexo na cabeça humana. A maioria não sabia que a igreja que Deus quer, deve ser santa viva e poderosa e não deve ser coisificada como tudo neste mundo e deve ser entendida pelo plano espiritual e não embasada no comportamento humano:

Quando falamos de igreja santa, não falamos de uma igreja santarrona, mas separada, porque Deus é santo. Daí, entende-se que falamos de uma igreja sem compromisso com o mundo; uma igreja imaculada e sem rugas. Ser santa é ser pura, sem mistura, sem sincretismo religioso, é ter vestes brancas e boas obras, é ser especial e zelosa; purificada com o fogo do Espírito Santo, a menina dos olhos de Deus, onde ninguém pode tocar.

Quando falamos em ser igreja viva, afirmamos ser uma igreja que a morte não pode tocá-la, ela é eterna. Uma igreja que caminha para o alvo que é Jesus e respira o fôlego do Senhor. Uma igreja que não teme passar por lutas e sabe que permanecerá viva em Cristo.

Quando falamos que ela é igreja poderosa, isso tem origem no general de guerra, o próprio Deus. Ela é poderosa por encarar o exército do inimigo, pois sabe que Deus vai à sua frente. Ela é poderosa por não ficar apenas na defensiva e por não temer a morte. Ela prega em tempo e fora de tempo e quando ora as portas das prisões são abertas, porque as suas armas são espirituais. Ela é guiada totalmente pelo Espírito Santo de Deus. Essa é a minha religião.

Djalma CMF
Inserida por 81024673

A arte e os caneludos

No ano de 1970, quando éramos noventa milhões em ação, o futebol do Brasil era mais respeitado. Nas três copas que antecederam a essa tivemos o menino das pernas tortas, que tinha por costume chamar as suas fáceis presas de João. Nesta época todos no planeta nos temiam por termos em campo o rei do futebol e um futebol conhecido como “Futebol Arte”. Era fácil achar craque em qualquer clube, até os pequenos clubes tinham os seus. A camisa dez era temida até entre os peladeiros, pois qualquer boleiro que se metesse a besta em vesti-la teria que mostrar qualidade para isso. O tempo passou e alguns homens que não foram brilhantes no campo quando eram jogadores, e outros que nunca jogaram bola, nem futebol de botão, tomaram o comando do futebol quase de assalto. Passaram a dar palestras e transformaram o futebol num quebra cabeça sem fim. Depois disso tudo mudou, deixamos de ter dois excelentes zagueiros e passamos a ter três, um seria considerado líbero, o que na prática não acaba se configurando pela falta de qualidade dos escolhidos, pois a função de líbero não é para qualquer um. Os laterais viraram alas, agora atacam como doidos e se defendem pessimamente, verdadeiros caronas. A cabeça de área era uma função exercida com brilhantismo por belíssimos jogadores na sua maioria, agora foi substituída por dois brutamontes que só sabem desarmar as jogadas dos adversários, e na maioria das vezes na base das faltas. Os jogadores do meio campo chamados de meia direita e meia esquerda formam riscados do mapa, criaram o meia de ligação, um só homem responsável pela criação, daí a dificuldade de se conseguir um homem de talento até para atuar na seleção, e por fim, sepultaram os pontas esquerda e direta, criando a figura do atacante, quando tem dois, diz que um dos atacantes funciona fixo na área enquanto o outro pelo lado do campo. Eles transformaram de forma cruel o antigo talento numa correria quase louca, jogadores viraram atletas. Daí fica fácil entender à posição intermediária da seleção brasileira no ranking atual da FIFA.

Djalma CMF
Inserida por 81024673

Dizem "Política, futebol e religião não se discute."
Que importa que time alguém torça? Religião que professe? Diferente a política, porque a ignorância de milhões leva ao poder político tralhas, corruptos, manipuladores, ditadores, egoístas e corporações!
Política discute-se sim!

Lucy Felix
Inserida por Lucyfelix

Luto no futebol mundial

No dia 29 de Novembro
Deus fez uma escalação
Mas ele não queria um time qualquer
Ele queria uma seleção

Anjos que se vestiam de verde
Que mostraram que podem subir na vida
Até por que né
A seleção por Deus escolhida

O mundo todo parou
Rezaram, imploraram e pediram
Mas ninguém acreditava
Que aqueles jovens campeões partiram

Luto no futebol mundial
Era um time grande
De uma cidade pequena
Mas tinha o seu potencial

E a cada lágrima de dor
Um gesto de amor
Até o time rival disse
Chapecoense é o vencedor.

Pablo Calmon
Inserida por PabloCalmon

As menininhas do futebol
Passando hoje, pela escola antiga escola onde estudei, me deparei com uma cena. No lugar onde eu jogava futebol com meus amigos, havia um time de meninas - entre 10 e 11 anos - não de meninos. Somente no outro lado da quadra que separa os dois campos, havia dois times de meninos, num número bem menor.
No meu tempo, poucas meninas jogavam e quando jogavam, eram duas ou três que sempre eram as últimas a serem escolhidas, por jogarem menos. As que jogavam, eram chamadas de "menininhos". Se jogavam bem, era dito que jogava que nem macho. Difícil os meninos se apaixonarem por elas. Já as que começavam jogar logo depois, jogavam para ficar perto dos "namoradinhos", assim chamados. Não pelo prazer do esporte, mas sim pela companhia.
A maioria das meninas praticava os jogos de “menininhas”. Dentre eles: vôlei, etc. Iam pintar, desenhar, brincar de boneca na hora do recreio. Última coisa a ser pensada era enfrentar os pais, os professores, os meninos, e ir se meter nos esportes “deles”.
Acontece que agora todos podem pensar longe, sonhar, ler, brincar, sem sair de casa – se informar, principalmente. As meninas estão enfrentando o que foi imposto sobre suas mães. O esporte é só um reflexo. Isso me deixa feliz, não por ser homem, mas por ser humano, sendo nós todos habitantes do mesmo lugar e com os mesmos direitos e deveres. O respeito e a consciência da dimensão de si próprio, deve se obrigatório desde a infância. Isso me deixa com olhos felizes.
É, meu querido amigo das cavernas, agora as mulheres sabem o tamanho que tem.

Kevin Martins
Inserida por kevinmartins6

O Iludido
Com o tempo virei uma pessoa desacreditada, futebol não faz mais sentido, pq é irrelevante o resultado, em nada afetará minha vida e não preciso da felicidade momentânea do "meu" time pra me sentir feliz, isso também vale para os outros esportes, claro que praticar é divertido, agora torcer, pra mim não faz mais sentido. Deixei de dar importância ao que os outros pensam sobre mim, afinal o que eles pensam em nada muda minha pessoa e continuo exatamente como estou. Deixei de dar importância a algumas coisas supérfluas, afinal um pedaço de merda coberta de ouro, por dentro continua sendo o mesmo pedaço de merda, mesmo que brilhe por fora. O que vale é o seu interior. Desacreditei da política, sei que devem haver pessoas dignas nesse meio, mas por causa da sombra da corrupção os mesmo não conseguem fazer nada, a não ser que devam favores para os corruptos e quando se derem conta, estão no meio da sujeira também. Com mais frequência pessoas me conquistaram com gestos simples. Fui iludido por sorrisos, me compraram com abraços, e acreditem, até fiz parte duma quadrilha e recebi propina em forma de carinho e atenção. Quão bobo me tornei....

Professor Mário Célio
Inserida por professormariocelio

ORAÇÃO FORTE PARA QUEM AMA FUTEBOL DE RUA
Que Deus oferte o nascer de milhões de clássicos de golzinhos de rua pelo mundo!
Que Deus oferte proteção a cada menino correr atrás da mãe bola.
Que Deus oferte a blindagem contra os narco traficantes que buscam adotar os atletas dos campos de asfalto.
Que Deus empodere resistência a cada trave feita de chinelas de dedos contra os carros que tentam derruba las enquanto o classico rola nas vielas, ruas e avenidas do mundo.
Que Deus oferte as farmácias do mundo muito Merthiolate e Band-aid para ajudar nas contusões das tampas dos dedões de nossos pequenos.
Que Deus oferte proteção a mãe bola contra os cachorros destruidores de bola dos vizinhos pernas de paus.
Que Deus oferte paciência para os meninos dos times de fora que esperam para jogar.
Que Deus oferte resistência a mãe bola que aguenta o rolar na lama asfaltica quente.
Que Deus oferte proteção as solas dos pés dos meninos desprovidos de um par de ténis surrado.
Que Deus oferte energia as mães dos meninos que gritam para os pequenos irem a escola.
Que Deus oferte vida longa ao time com camisa e ao sem camisa, pois esse é o maior clássico do futebol mundial.
Que Deus oferte belas amizades, risadas, alegria, paz e união aos seres humanos que jogam e jogarão golzinho de rua!
Vida longa a mãe bola, pois aqui vive um sonhador que ama futebol.
Namaste e bora lá, pois a mãe bola quer ecoar vida pelo mundo!

Sullivan o Sonhador
Inserida por SullivanoSonhador

Vitinho Morais deseja ser jogador profissional
Ele manda muito bem no futebol
O garoto é humilde e legal
Joga bola até debaixo do sol

Vitinho saiu de sua cidade no interior
Deixou o vale do Jequitinhonha
Peço a Deus que abençoe este sonhador
Vitinho Morais almeja chegar a fama

Vitinho deseja ajudar as pessoas
Inclusive a sua família
O cara é gente boa
Apreciem minhas rimas

O brother Vitinho tem habilidades
Faz sempre embaixadinhas
Tem inúmeras qualidades
Dedico a Vitinho esta poesia

Tenho fé que assistirei o crack na televisão
Dando lindos dribles e fazendo belas jogadas
Jesus Cristo está contigo campeão
Nunca esteve sozinho neste estrada

Quero ver grandes golaços
Balance as redes de verdade
Conquiste seu espaço
Alcance a felicidade.

Sidney Alves das Virgens
Inserida por SidneyAlves

Certos elementos se casam e a vida deles continua, pescaria com amigos, futebol com amigos e churrasco com amigos etc...
E certas mulheres ficam em casa cuidando dos filhos, mas aí tudo que é bom tem o seu final. Chega a velhice e o babaca não servindo para mais nada, fica só em casa enchendo o saco da mulher. Então o otário fica perturbando a mulher quando ela está no facebook. Coitadinho! Tão inocente.

Sérgio Cancioneiro
Inserida por sergiocancioneiro

A canhota para destros

Um gol perdido pelo capricho da perna destra pode ser um desastre cômico, mesmo para aqueles que possuem total concentração no pé direito. Driblar com a perna direita, trazendo pra dentro, arriscando um arremate com a mesma pode não parecer, mas é inviável - salvo por exceções. Mesmo assim o momento nos força a acreditar que é chutando de canhota que as coisas se complicam. E o risco de, numa situação dessas, bater com a destra, é uma “trivela inversa” - sei que o termo produz uma imagem desengonçada - que, pelo desequilíbrio induzido pelo curso livre da bola, após uma matada ou percurso indefinido, não chega a ser chute mascado ou espirrado, e vou comparar com uma desculpa da sinuca: faltou giz no taco. Como diria um conhecido narrador esportivo em seu comentário: "que beleza!"

Jogar com as duas pernas pode parecer um paradoxo. O jogador cresceu chutando com aquela perna direita, com a qual se sentiu mais à vontade para bater no gol, driblar, tomar a bola do adversário, fazer um passe. Criou uma perna viciada e, em momentos, descontrolada e alienada, egoísta; e com uma personalidade forte mas, nem por isso, livre do castigo da desatenção, que leva ao erro. Porque, ao passar do tempo é como se não lhe fosse permitido atuar com as duas, ou então, uma proeza para os craques (como muito se fala, para não dizer para poucos), ou mesmo que não sejam considerados craques, para pessoas que nasceram com uma habilidade especial, um dom: ser ambidestro. Criou-se um mito em torno do ambidestro, na proporção “8 ou 80”, que permeia o imaginário futebolístico. Por isso, esquece-se com frequência da natureza da perna esquerda; ela é preterida, mas pode ser tão surpreendentemente extraordinária e potente na mesma medida, que pode até apresentar um resultado superior ao comumente obtido pela destra. Fato que faz com que nem mesmo o autor do chute acredite no feito.

Embora nos apeguemos à simetria, ou seja, uma perna “igual” à outra, - pelo menos aparente, poupe-me da necessidade dos detalhes - de forma oposta, não há como negar que possuem mentalidades diferentes (ou pelo menos é a hipótese que sugiro - estranhas uma à outra). Quem nunca experimentou escrever com a mão esquerda, ou até mesmo, viu-se forçado a isso por alguma circunstância do destino ou do acaso? Em um primeiro momento é uma sensação desconfortante, comparável a andar em um ambiente escuro, desconhecido. Parece tudo ao contrário, se desenvolve para o outro lado, a caligrafia por mais que se tente com esmero, não se compara à escrita destra - atente que meu ponto de vista é o de um destro. Portanto, praticar a escrita com a mão esquerda é algo que se faz quando não se tem o que fazer (em situações muito isoladas, e é uma prática que ao passar do tempo é deixada de lado na medida em que o sujeito amadurece). E, em situações que exigem alta concentração, praticidade, agilidade e excelência, não é a esquerda que entra em ação, é a destra. E a perna canhota, partindo desta análise subjetiva dos membros superiores, pelo histórico do jogador de estar habituado a bater de direita, passa despercebida, esquecida. É como se o jogador, em seu imaginário, acreditasse que não há opção, se não bater de direita. Para o destro nato, bater de canhota não chega a ser considerada nem como última alternativa na maioria dos casos.

Por fim, a favor da canhota, há de se ressaltar o seguinte: imprevisibilidade. Aquele que ousa chutar com as duas pernas, entendendo a maneira como os pés buscam estratégias para bater na bola, torna difícil a reação do adversário quando esse exerce marcação, que tende, inconscientemente, a focá-la prevendo o chute com uma das pernas (a destra). Você já ouviu aquele ditado: Ele não sabia que era impossível, foi lá e fez. Pois, transpondo para o nosso texto, num “insight” futebolístico (me permito escrever): ele não sabia que era possível bater de canhota, foi lá e (não só bateu) fez um golaço.

Robinson Klaesius
Inserida por Klaesius