Cronicas sobre Futebol

Cerca de 132 cronicas sobre Futebol

Mulher de verdade é aquela que não briga de você ir jogar um futebol ou até mesmo ir ao boteco com os amigos tomar uma cervejinha, aquela que está sempre disposta a te acompanhar quando você quer fazer uma viagem de ultima hora, quando você quer sair por aí sem destino.
Mulher de verdade é aquela que sente ciúmes,mas confia no seu taco
Que pros outros homens ela faz questão de mostrar que está ao seu lado, que não precisa brigar com todas as suas amiguinhas, pq ela se garante. Mulher de verdade é aquela que sabe o que conquista e confia em si mesma.
Que te faz carinho antes de dormir, fica junto, assiste filme, faz pipoca, faz brincadeiras de criança e sabe ser mulher madura. Sabe de todos os seus desejos e o que fazer para que você não tenha olhos para outra.

Mulher de verdade acima de tudo é aquela que compreende que ninguém é igual, que ninguém é perfeito, mas que o companheirismo está em primeiro lugar!

Cristiane Rodrigues

Enquanto ficamos aqui preocupados com a novela, e com o campeonato de futebol, carnaval na Sapucaí, etc... O Congresso arquiteta maquiavélicamente seus planos covardes...E aí eu me pergunto, como vão os nossos jovens? E percebo que alguns deles, apenas uns gatos pingados, estão nas ruas, lutando pra melhorar esse país de corruptos, sendo pisoteados, xingados e massacrados. E os outros, onde estão?? Ah os outros fazem parte, dos desempregados, exilados, drogados, alienados...E mais os outros, que estão na mesma panela, coniventes com a corrupção, no tráfico de drogas, e barganhando campanha de políticos corruptos!
E os mais velhos, os ditos homens maduros???
Ah esses somos" Nós"... Que já "desistimos" há muito tempo...Fazemos de conta que não é comigo, pois estou fazendo a minha parte...Dá-lhe hipocrisia!
Enquanto triste, e solitário , vive o idoso, já abandonado há tempos, por tratar-se de um inútil pra sociedade...
Somos parte desse todo sim, já sem sem força, sem coragem, e de muito hipócrita, e alienado. #VAMOSPENSARCOMCONSCIÊNCIA — com Alcione Alípio.

Alcione Alípio

Eu tbm acho que discutir religião, futebol ou política não seja dos assuntos mais agradáveis. Até pq, eu parto do princípio de que pessoas na minha idade já aprenderam, faz tempo, que respeitar a opinião alheia é fundamental pra viver em sociedade – rss! Mas como eu escrevo pra mim, então me dou o direito de expor as minhas opiniões.

Eu acho muito curioso que alguém se diga ATEU. Sério mesmo, pq mesmo não tendo resposta para todas as perguntas nesse mundo, eu realmente fico surpresa em ouvir que alguém seja ATEU. Mas, talvez, seja mesmo fácil ser um ATEÍSTA quando se tem saúde, quando se tem uma ótima profissão, um excelente emprego, um salário maravilhoso, casa própria, carro maneiro, contas pagas sem dificuldades, uma família que não dá problema... Acho que deva ser um tanto mais fácil mesmo. Mas a minha vontade é de juntar todos os que se dizem ATEUS e encher um “boeing” deles e quando passar das nuvens desligar o motor. Aí é que eu quero ver quem vai praticar o ateísmo. Quero encontrar um ATEU quando ele estiver com um filho entre a vida e a morte. Quero bater um papo com um ATEU quando ele estiver cara a cara com um fuzil. Quero conhecer um ATEU desempregado, cheio de dívidas durante anos. Bem, das duas uma: ou o ATEU vai se suicidar ou vai pedir arrego pra Deus, meu camarada! Não existe meio termo na guerra, no desespero, no caminho da morte... Ou é Deus, ou é Deus! E como esse texto é meu, digo e afirmo: pare de palhaçada, pq Deus é Deus, mesmo vc se dizendo ateu. E é graças a Ele que vc, senhor ateu, tem o fôlego da vida! ;)

Meg Lima

Um bilhão e meio para a reforma de um estádio de futebol nós temos. Um bilhão e meio para ajudar famílias carentes nós nem ao menos lembramos.
Um bilhão e meio para mostrar ao mundo que somos capazes de ser um país que tem um grande porte nós temos. Um bilhão e meio para pagar melhor o salário dos professores que tanto merecem nosso respeito nós simplesmente esquecemos.
Que país é esse onde famílias, educação, segurança são coisas despercebíveis para nossos governantes enquanto a grandiosidade dos grandes eventos, o futebol, os estádios são mais importantes do que o nosso próprio povo?

Pão e circo já chega!

Francisco Hallison Freire

Foda-se o futebol
Quero igualdade, justiça e liberdade
Foda-se se você é mongol
Nós somos o gigante, somente unidos vamos a diante
Pela própria natureza, somos bravos, somos fortes
Somos a mistura das raças, a união em um brado retumbante.

Nada nos comprará, não se esqueça
Somente a justiça nos libertará, somos uma democracia
Nossos antepassados lutaram por isso
Pelo fim do regime militar em 1985, eu sempre ouço
Não é à toa que somos o tal impávido colosso
O grito de Ordem e Progresso vai ecoar
Somos a massa, não vamos nos abalar

Aprendi com System of a Down
Que a televisão e os computadores hipnotizam o povo
Em sua maioria ofuscada, lutam sempre para ter um pão com ovo
Agora me diz, presidenta Dilma Rousseff
Como vamos ter Paz no futuro e glória no passado
Se formos alienados?


Viva a igualdade, viva a revolução!

Matheus Zucco

Ontem, fui feliz!

Sentado no banco
de um campo de futebol
contemplei as estrelas,

de mäos dadas
caminhei a beira mar,
deitei-me na areia da praia,

debaixo de uma mafureira,
vivi beijos de novela,
aqueles de tirar o fólego,

Por ela,
inventei viagem
pra conhecer
onde eu,
ja conheci,

e vezes sem conta,
vi a meia noite
regressando a casa
depois de um jato
de felicidade,

Mas a distância foi cruel,
arrancou-me
a metáde da felicidade,

dilacerando em pedaços
este meu nobre,
mas agora,
pobre coraçäo,

que entäo vive
feito catavento,
seguindo o vento,

sem saber
quando vai
mudar de direcçäo

ai, coitada!
coitada das cebernaútas,
que veem em mim,
alguém pra sonhar junto

Pois näo sabem
que em mim
näo mais vive o coraçäo

que mora nele
um vazio medonho,
um
vazio de afugentar
aos que o descobrem,

Pois coraçäo
ja forá,
pela distäncia,
dilacerado em pedaços

e pedaços ninguem abraça.

Domingos Mariano

Quando um cara decide deixar o futebol no domingo pra poder passar mais tempo com você de valor, quando um cara se afasta daquelas amizades bailadeiras, de valor a ele, quando o cara sai na chuva pra compra remédio pra você mesmo sem guarda chuva, de valor a ele, quando um cara deixa cartas e versos românticos como surpresas expressando seu carinho, de valor a ele, quando um cara te mima na sua tpm e sempre te traz doces sem pedir e aguenta seu mal humor, de valor a ele, quando o cara levanta no meio da noite todas as vezes pra levar alguma coisa que traga alivio as suas dores noturnas, de valor a ele,quando um cara derrama lagrimas na sua frente pra saber o quanto se importa, de valor a ele, quando um cara faz das tripas um coração pra te ver sorrir todos os dias,e é gentil, atencioso, carinhoso, amigo, amante e poem as suas necessidades nas frente da dele acredite, de valor, porque isso é amor. E se você não saber da valor a isso, eu tenho pena de você, porque se não esta pronta pra ser amada, então se conforme a passar a vida sozinha, e não sai magoando os outros por ai pelo medo de sua solidão egoísta, porque isso não se encontra em qualquer esquinas por ai, isso é como tirar o bilhete premiado, mais sorte que isso é ter todo esse amor retribuído. Infelizmente sincronia é a armadilha de dois corações que deveria se encontrar no dia, na hora, no momento certo e infelismente aquilo que deveria ser amor recíproco acaba apenas sendo um paixão fogo de palha por um lado e pelo outro um coração partido afogado em lagrimas.
Pior que isso vai ser quando você olhar todo aquele amor que você recusou e rejeito varias e varias vezes, e notar o quão lindo e valioso era aquele sentimento e então perceber que é tarde demais . Pior que se arrepender por algo que fez é se arrepender de algo que realmente não tentou. E enquanto você vive com esse seu orgulho egoísta esperando ele fazer algo pra querer voltar, ele estará lá procurando alguem pra amar, e decidindo todos os dias se te guarda em algum lugar no seu coração ou dentro de uma caixa como lembrança de algo que já se foi. Vivendo no mundo em que você criou.

Erick Fernando

Vitinho Morais deseja ser jogador profissional
Ele manda muito bem no futebol
O garoto é humilde e legal
Joga bola até debaixo do sol

Vitinho saiu de sua cidade no interior
Deixou o vale do Jequitinhonha
Peço a Deus que abençoe este sonhador
Vitinho Morais almeja chegar a fama

Vitinho deseja ajudar as pessoas
Inclusive a sua família
O cara é gente boa
Apreciem minhas rimas

O brother Vitinho tem habilidades
Faz sempre embaixadinhas
Tem inúmeras qualidades
Dedico a Vitinho esta poesia

Tenho fé que assistirei o crack na televisão
Dando lindos dribles e fazendo belas jogadas
Jesus Cristo está contigo campeão
Nunca esteve sozinho neste estrada

Quero ver grandes golaços
Balance as redes de verdade
Conquiste seu espaço
Alcance a felicidade.

Sidney Alves das Virgens

A História de uma conquista :Tri Campeonato de Futebol em 1970

Durante os treinamentos
deste time sem igual
até os próprios brasileiros
dele só falavam mal.

Diziam que era fraco,
que não sabia jogar,
que nas quartas de final
ele não iria ficar

Mas com todo otimismo
nosso time foi lutar
e venceu a Tcheco-Eslováquia
com magnífico placar.

Mas ainda sem confiança
neste time varonil,
todo o povo brasileiro
temia pelo Brasil.

Porque com a Inglaterra
o Brasil ia jogar
e era quase certeza,
dele desclassificar.

Os times entraram em campo
e o jogo começou,
a peleja estava quente
e a Inglaterra se queimou.

Deste momento em diante
surge o Brasil como um mito
e todos os jornalistas
o apontam como favorito.


É a confiança que volta
na alegria de nossa gente,
é o nosso time jogando
mandando bola pra frente.


E mais uma partida
foi o Brasil disputar,
jogou com a Romênia
e conseguiu acertar.


A seleção classificou-se
e nas quartas foi jogar .
Foi quatro a dois meus amigos
em um brilhante placar.


BRASIL, BRASIL, MINHA GENTE!
Cuidado com o Uruguai
porque ele está espalhando
que desta o Brasil não sai.

Saiu sim, com a vitória
e agora é a quente:
Vai jogar com a Itália
e jogar bola pra frente.


E o Brasil foi em frente
para a taça disputar
e conseguiu seu intento
fazendo o mundo parar.

Parou pra ver o Brasil
com a taça erguida na mão:
Brasil de Carlos Alberto
Jair ,Pelé e Tostão.

Brasil de Brito e Piazza,
querido país menino!
Meu Brasil de Clodoaldo,
Everaldo e Rivelino.


Brasil de Marco Antonio,
de Félix nossa barreira.
De Gerson, o grande craque
da seleção brasileira.

Enfim Brasil de Zagalo,
o Zagalo eficiente
que preparou nossos homens
pra jogar bola pra frente.


Alegria minha gente,
Jules Rimet veio aqui;
porque o Brasil venceu
e nós ganhamos o TRI.

Antonia Neusa de Oliveira (aneusapoesias)

As menininhas do futebol
Passando hoje, pela escola antiga escola onde estudei, me deparei com uma cena. No lugar onde eu jogava futebol com meus amigos, havia um time de meninas - entre 10 e 11 anos - não de meninos. Somente no outro lado da quadra que separa os dois campos, havia dois times de meninos, num número bem menor.
No meu tempo, poucas meninas jogavam e quando jogavam, eram duas ou três que sempre eram as últimas a serem escolhidas, por jogarem menos. As que jogavam, eram chamadas de "menininhos". Se jogavam bem, era dito que jogava que nem macho. Difícil os meninos se apaixonarem por elas. Já as que começavam jogar logo depois, jogavam para ficar perto dos "namoradinhos", assim chamados. Não pelo prazer do esporte, mas sim pela companhia.
A maioria das meninas praticava os jogos de “menininhas”. Dentre eles: vôlei, etc. Iam pintar, desenhar, brincar de boneca na hora do recreio. Última coisa a ser pensada era enfrentar os pais, os professores, os meninos, e ir se meter nos esportes “deles”.
Acontece que agora todos podem pensar longe, sonhar, ler, brincar, sem sair de casa – se informar, principalmente. As meninas estão enfrentando o que foi imposto sobre suas mães. O esporte é só um reflexo. Isso me deixa feliz, não por ser homem, mas por ser humano, sendo nós todos habitantes do mesmo lugar e com os mesmos direitos e deveres. O respeito e a consciência da dimensão de si próprio, deve se obrigatório desde a infância. Isso me deixa com olhos felizes.
É, meu querido amigo das cavernas, agora as mulheres sabem o tamanho que tem.

Kevin Martins

O Iludido
Com o tempo virei uma pessoa desacreditada, futebol não faz mais sentido, pq é irrelevante o resultado, em nada afetará minha vida e não preciso da felicidade momentânea do "meu" time pra me sentir feliz, isso também vale para os outros esportes, claro que praticar é divertido, agora torcer, pra mim não faz mais sentido. Deixei de dar importância ao que os outros pensam sobre mim, afinal o que eles pensam em nada muda minha pessoa e continuo exatamente como estou. Deixei de dar importância a algumas coisas supérfluas, afinal um pedaço de merda coberta de ouro, por dentro continua sendo o mesmo pedaço de merda, mesmo que brilhe por fora. O que vale é o seu interior. Desacreditei da política, sei que devem haver pessoas dignas nesse meio, mas por causa da sombra da corrupção os mesmo não conseguem fazer nada, a não ser que devam favores para os corruptos e quando se derem conta, estão no meio da sujeira também. Com mais frequência pessoas me conquistaram com gestos simples. Fui iludido por sorrisos, me compraram com abraços, e acreditem, até fiz parte duma quadrilha e recebi propina em forma de carinho e atenção. Quão bobo me tornei....

Professor Mário Célio

No campo e na vida
“A queda do viaduto em Belo Horizonte é algo muito mais grave que a queda da Seleção!”
“Não é normal cair um viaduto de $500 milhões!”
“A vida é um combate que aos fracos abate, aos fortes aos bravos só pode exaltar” (Gonçalves Dias)

Tanto para o campo de futebol, como para a vida, precisamos estar preparados.
Não há como conseguirmos uma vitória, em qualquer campeonato, sem preparação, sem concentração, sem garra.
Disse, há alguns dias, que a vida é feita de “jogo duro”. Parece que os jogadores da seleção brasileira perceberam isso hoje, 08 de julho, ao enfrentarem uma Alemanha organizada, concentrada, há anos, para a Copa do Brasil.
Pasmem! Foram 08 (oito) anos juntos, preparando-se para a Copa do Brasil.
Foram oito anos de seriedade em relação ao esporte, à competição, não em relação ao que a vitória pode render em termos de dinheiro e de notoriedade.
Bom será se o aprendizado for o resultado desta percepção, deste “sofrer na pele” a diferença entre a fantasia e a realidade.
Nosso país acordará mais consciente no dia 09 de julho, dia em que se comemora uma das mais importantes revoluções em nosso país, a Revolução Constitucionalista de 1.932, uma revolução que foi feita, exatamente, para voltar as coisas aos seus devidos lugares.
Estará ainda incrédulo, atônito, mas estará mais consciente. Terá, então, a oportunidade histórica de “Cair na Real”, de perceber que “a vida é um eterno combate, que aos fracos abate”, e aceitará, então, que não fizemos por vencer.
Se retrocedermos um pouco, veremos que em nenhum momento a Seleção Brasileira levou a sério este Mundial. Em nenhum momento as opiniões dos torcedores e da imprensa foram respeitadas.
Baladas, visitas de familiares, visitas de vizinhos, oba-oba, samba, esta era a tônica da preparação dos nossos jogadores do “tudo pode”, enquanto as outras seleções treinavam, suavam a camisa, se concentravam para os jogos e estudavam (e muito!) os adversários.
Poucas horas depois de desembarcar no Brasil a Holanda já estava treinando na praia, já estava concentrada nas responsabilidades que tinha perante seu público!
É fundamental que o Brasil caia na real!
É imperioso que nós, brasileiros, paremos um pouco para repensar nosso país, repensar nossos hábitos, repensar nossa filosofia de vida, enfim.
É muito importante que percebamos que não se pode construir um país sério baseado na fantasia.
Não gostamos de levar nada a sério! Achamos bonito e engraçado quando ouvimos falar que o Brasil é o “país do jeitinho”.
Não podemos!
O fato de “Deus ser brasileiro” não nos isenta de nossas responsabilidades, ao contrário, nos torna mais responsáveis ainda! Nossa vida, nossa existência, nossa origem divina não nos permite levar as coisas no “jeitinho”.
Há que se ter seriedade com as coisas públicas! Há que se ter seriedade nos estudos, no trabalho, nos relacionamentos, e em tudo o mais que fazemos. Até nas brincadeiras, nos jogos de carta, e inclusive nos esportes.
Não podemos achar que é normal ficar sem água, ter buracos nas estradas, vivermos na insegurança, não termos hospitais adequados, não termos atendimento médico de qualidade, não termos uma administração pública preocupada com o bem público, não conhecermos o planejamento de nossa cidade, de nosso estado, de nosso país.
Isto não é normal!
Não é normal cair um viaduto de $500milhões (quinhentos milhões)!
A corrupção não é algo que está ligado ao humano. Não é normal, e não podemos aceitar!
Como queremos passar em um concurso público sem estudar? Como queremos “ir levando” um curso universitário, ou qualquer outro, e ter um bom resultado ao final?
Como aprenderemos a ler e escrever sem leitura?
Como podemos ser músicos sem estudo e sem prática?
Como podemos ter resultados em nossas empresas sem seriedade e trabalho duro?
E como podemos vencer uma COPA DO MUNDO sem preparação e seriedade?
Este texto é um convite à reflexão, de verdade! Um convite ao debate, ao repensar, à consciência.
Não estamos perdendo somente nos campos de futebol. Todos nossos índices são piores que os da Alemanha e dos países afins.
Na educação, na produtividade, no desenvolvimento tecnológico, no investimento em pesquisas e desenvolvimento, entre outros.
Queridos leitores, a queda do viaduto em Belo Horizonte é algo muito mais grave que a queda da Seleção!
O desastre estava anunciado e cantado em verso e prosa.
O Brasil acordará, neste Nove de Julho, mais maduro, mais preparado para a vida, mais preparado para as mudanças que o Mundo moderno exige.
Bem mais preparado para se tornar em um País Real!

Poeta Sidarta da Silva Martins

Driblou, bateu,
É Gol?
Não, não é gol!
Apenas bateu

Aliás, não bateu,
Estão batendo
Mas quem Bate?!
E quem apanha?!

Na realidade, bate o fraco
Apanha o forte
Quem é fraco?
Quem é forte?

Quem pensa ser Fraco é forte
Quem pensa ser Forte é fraco
O grande que pensa ser forte
Realmente é o fraco

O pequeno que pensa ser fraco
Não é fraco não
Pois é mais que milhão
Pense nisso multidão

Uma única sugestão
Sendo fraco ou forte
Pequeno ou grande
Vence a UNIÃO

Captou MULTIDÃO??

Marcelo B. Moretti

ESTÁDIO AO INVÉS DE ESCOLA (NÃO QUERO ISSO)
MAL AO INVÉS DO BEM (NÃO QUERO ISSO)

CONTRA O FUTEBOL ? NÃO, TAMBÉM QUERO JOGAR.
MAIS DE MIL SÓ NA PENEIRA UM QUE VAI FICAR
ISSO É CRUEL DEMAIS 999 CASOS QUE O FUTEBOL NÃO VAI DEIXAR O SEU LEGADO.
EXPERIÊNCIA NO CURRÍCULO PULO DRIBLE E CHUTE DEZ EM COMPANHEIRISMO E ATITUDE
MAIS LÁ NO SEU ZÉ NÃO ESTÁ CONTRATANDO JOGADOR NÉ
COMO É QUE FICA ESSA CRIANÇA NO MUNDÃO NÉ
E ELE CORRE PRA ESCOLA, NÃO TEM FECHOU E ELE CORRE PARA O CURSO, NÃO TÊM FECHOU.
MAIS AINDA TINHA VAGA, O PAI E A MÃE NÃO LEVOU
CARA ASSIM FICA DIFÍCIL DE TENTAR SER DOUTOR
E ESSA É SÓ UMA FARPELA DAS PORTAS QUE FECHAM A ELA
UM PRÍNCIPE SEM CAVALO E A FESTA SEM CINDERELA
NUM PAIS ONDE A SAÚDE E EDUCAÇÃO SÃO ULTIMO LUGAR
TE INCENTIVAM A JOGAR AO INVÉS DE ESTUDAR.

Shack Mate

Amor Futebolístico.

E nesse jogo do amor
Você sempre irá ganhar de mim
Talvez por que eu não queira jogar
Ou talvez porque eu adore me render aos seus dribles.

Só sei que na verdade nesse jogo do amor nunca se perde
Sempre se empata, sempre acaba no um a um
Ou alguém cede à vitória
Só pra ter o prazer de ver o outro feliz.

Ninguém ao certo sabe o porquê disso
Apenas segue as regras do jogo
E talvez essas regras não sejam tão justas quanto parecem
E talvez nem os jogadores sejam tão amistosos.

Mas vale a pena sofrer uma falta por amor
Por que no final das contas o juiz sempre apita a falta
Falta que é feita na grande área chamada coração
Tudo sempre acaba em pênalti.

Bruno Beranger

Hj passou na tv
"Violência entre torcidas.. ódio... brigas... pancadarias"
N se assuste com isso é normal hj se ver
O ser humano virando bicho e o bicho deixando de ser.
Na verdade nunca o foi
N se pode afirmar só prq n se vê.
O bicho homem q diz q pensa
Mata por causa de uma preferência
A cor de uma roupa é a sentença
Q te tira a inocência
De aqui poder viver.
O q chamas de selvagem
Q n pensam.. só reagem
Mas só matam p comer.
Me ponho a refletir
Na real forma de existir
Quem é o bicho aqui?

Paulo Arcanjo

Estou de LUTO sim!!!
Estou sentindo vergonha do meu país, me sinto uma péssima anfitriã, pois não temos aqui nenhum serviço de qualidade para oferecer (gratuitamente) aos irmãos gringos. Afinal, não tem nem para nós... Se eles quiserem coisa boa, vão ter que ter grana pra bancar! Ser bom anfitrião assim é fácil, não?
Dane-se a Copa! Não tenho motivos pra gritar gol, se é que vai ter gol...
Gosto de futebol e tenho orgulho do meu país - geograficamente falando - porque politicamente falando eu tenho é NOJO!
E por respeito ao meu povo sofrido (onde eu me encaixo, porém independente disso), não vou gritar gol, não vou vestir verde e amarelo, e nem tampouco gastar um real a mais para contribuir com esse circo onde os "palhaços" somos nós!
Patriotismo pra mim está muito além de pular numa arquibancada com cara pintada. E engana-se quem pensa que protesto começa nas urnas... Nas verdade ele termina lá, pois o começo dele é deixando de se importar com o que não tem importância, pra ter tempo de dar valor ao que realmente vale.
Sejam bem-vindos, gringos! Mas nos desculpem o transtorno... Estamos em reforma para melhor atendê-los!

Ket Antonio

Há brasileiros morrendo na construção de estádios, para que empresários bem sucedidos recebam dinheiro, gerado pelos que pagarão para ver jogos de futebol, na Copa do Mundo.

Que bom se a família desses brasileiros mortos recebessem uma comissão gerada pelos que vão gastar dinheiro na Copa!

José Guimarães

A canhota para destros

Um gol perdido pelo capricho da perna destra pode ser um desastre cômico, mesmo para aqueles que possuem total concentração no pé direito. Driblar com a perna direita, trazendo pra dentro, arriscando um arremate com a mesma pode não parecer, mas é inviável - salvo por exceções. Mesmo assim o momento nos força a acreditar que é chutando de canhota que as coisas se complicam. E o risco de, numa situação dessas, bater com a destra, é uma “trivela inversa” - sei que o termo produz uma imagem desengonçada - que, pelo desequilíbrio induzido pelo curso livre da bola, após uma matada ou percurso indefinido, não chega a ser chute mascado ou espirrado, e vou comparar com uma desculpa da sinuca: faltou giz no taco. Como diria um conhecido narrador esportivo em seu comentário: "que beleza!"

Jogar com as duas pernas pode parecer um paradoxo. O jogador cresceu chutando com aquela perna direita, com a qual se sentiu mais à vontade para bater no gol, driblar, tomar a bola do adversário, fazer um passe. Criou uma perna viciada e, em momentos, descontrolada e alienada, egoísta; e com uma personalidade forte mas, nem por isso, livre do castigo da desatenção, que leva ao erro. Porque, ao passar do tempo é como se não lhe fosse permitido atuar com as duas, ou então, uma proeza para os craques (como muito se fala, para não dizer para poucos), ou mesmo que não sejam considerados craques, para pessoas que nasceram com uma habilidade especial, um dom: ser ambidestro. Criou-se um mito em torno do ambidestro, na proporção “8 ou 80”, que permeia o imaginário futebolístico. Por isso, esquece-se com frequência da natureza da perna esquerda; ela é preterida, mas pode ser tão surpreendentemente extraordinária e potente na mesma medida, que pode até apresentar um resultado superior ao comumente obtido pela destra. Fato que faz com que nem mesmo o autor do chute acredite no feito.

Embora nos apeguemos à simetria, ou seja, uma perna “igual” à outra, - pelo menos aparente, poupe-me da necessidade dos detalhes - de forma oposta, não há como negar que possuem mentalidades diferentes (ou pelo menos é a hipótese que sugiro - estranhas uma à outra). Quem nunca experimentou escrever com a mão esquerda, ou até mesmo, viu-se forçado a isso por alguma circunstância do destino ou do acaso? Em um primeiro momento é uma sensação desconfortante, comparável a andar em um ambiente escuro, desconhecido. Parece tudo ao contrário, se desenvolve para o outro lado, a caligrafia por mais que se tente com esmero, não se compara à escrita destra - atente que meu ponto de vista é o de um destro. Portanto, praticar a escrita com a mão esquerda é algo que se faz quando não se tem o que fazer (em situações muito isoladas, e é uma prática que ao passar do tempo é deixada de lado na medida em que o sujeito amadurece). E, em situações que exigem alta concentração, praticidade, agilidade e excelência, não é a esquerda que entra em ação, é a destra. E a perna canhota, partindo desta análise subjetiva dos membros superiores, pelo histórico do jogador de estar habituado a bater de direita, passa despercebida, esquecida. É como se o jogador, em seu imaginário, acreditasse que não há opção, se não bater de direita. Para o destro nato, bater de canhota não chega a ser considerada nem como última alternativa na maioria dos casos.

Por fim, a favor da canhota, há de se ressaltar o seguinte: imprevisibilidade. Aquele que ousa chutar com as duas pernas, entendendo a maneira como os pés buscam estratégias para bater na bola, torna difícil a reação do adversário quando esse exerce marcação, que tende, inconscientemente, a focá-la prevendo o chute com uma das pernas (a destra). Você já ouviu aquele ditado: Ele não sabia que era impossível, foi lá e fez. Pois, transpondo para o nosso texto, num “insight” futebolístico (me permito escrever): ele não sabia que era possível bater de canhota, foi lá e (não só bateu) fez um golaço.

Robinson Klaesius

Eu sei que eu nao sei mas sei ,que tbm sei, o que apenas eu sei, que acabo eu imaginando que de tudo que eu penso ser ,acaba sendo o que eu ja sei e nao o que eu acho que sei ...mas depois disso tudo eu sinto que eu conclui que eu apenas acho que eu sei ,mas sabendo disso apenas qero saber se eu nesse mundo sei que se perder tu nao serei mais eu e tu e sim quem tenta entender o eu que so pensa em tu dessa forma tu e eu nao seriamos mais eu e tu e nossa união seria sim "et"...
pois "et" nao e desse mundo ...isso sim explicaria o que eu sinto por tu ... esse sentimento nao e desse mundo e mais além ...amo te tua linda

Talesdik