Carta de Filho que Morreu de Cancer

Cerca de 1442 carta de Filho que Morreu de Cancer

Cura
A fosfoamina e porque o câncer não tem cura

Nos últimos meses, uma polêmica veio à tona sobre uma substância que seria capaz de curar o câncer. Descoberta há cerca de 20 anos no Instituto de Química da Universidade de São Paulo, em São Carlos, a substância Fosfoetanolamina permitiria um tratamento muito mais seguro e barato para o câncer. Apesar de a discussão parecer ser técnica, o principal problema envolvendo a substância é político e econômico, envolvendo grandes interesses, como o da indústria farmacêutica.

Segundo os desenvolvedores, o remédio é sintetizado a partir de uma substância comum em xampus e ácido fosfórico, usado normalmente como conservante de alimentos. Devido a este processo, o custo de produção é extremamente barato e os pesquisadores envolvidos têm interesse de que, caso seja liberado para uso medicamentoso, seja de distribuição gratuita.

A USP chegou a criar um convênio com o Hospital Amaral Carvalho, em Jaú, para estudar os efeitos clínicos da substância, mas as pesquisas não ocorreram e o hospital passou a negar a existência do acordo para o estudo da fosfoetanolamina. O criador da substância, Gilberto Chierice, também chegou a se reunir com o diretor da Anvisa em 2010 para tratar de pesquisa clínica e o tratamento com a droga, mas após isto a agência também negou ter discutido o assunto.

Houve também uma tentativa de fazer as pesquisas necessárias através da Fundação Oswaldo Cruz, uma das mais renomadas da América Latina na área. O grupo de pesquisadores da USP não quis dar andamento com as pesquisas na fundação, no entanto, pois ela exigiu a transferência da patente para si, o que foi rejeitado, pois tinham medo que ela pudesse parar na mão de empresas, inclusive estrangeiras, que poderiam impedir a comercialização da substância ou cobrar muito caro dificultando o acesso da maioria da população a ela.

Além do boicote de instituições que poderiam realizar ou ajudar na realização das pesquisas para a aprovação do medicamento, assim que a droga começou a ganhar maior divulgação a Rede Globo também começou a fazer campanha contra o produto. Em uma reportagem feita com o médico Dráuzio Varella, dono de uma clínica de oncologia, os boicotes e a falta de testes clínicos são apontados quase como prova de que os pesquisadores envolvidos não são de confiança e, logo, a descoberta deles também não.

Agora, após a polêmica ter ganhado maior destaque, o Ministério da Saúde criou um grupo voltado para o estudo dos efeitos medicinais da Fosfoetanolamina, com a participação da Fundação Oswaldo Cruz e o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Apenas com as pesquisas clínicas se poderá ter maior conhecimento dos efeitos da droga, tanto positivos quanto reações colaterais e estabelecer com precisão a dosagem necessária para cada paciente.

Ainda que haja este grupo de pesquisa, é evidente que estas instituições não estão isentas da pressão da indústria farmacêutica e das clínicas que ganham milhões com o tratamento ineficaz do câncer, o que pode comprometer os resultados.

Se a substância realmente pode curar o câncer não é possível afirmar sem maiores estudos. Mas dado o número de pessoas que sofrem e morrem com a doença no Brasil e no mundo inteiro, o desenvolvimento da pesquisa e possivelmente de um medicamento, principalmente diante das várias evidências em favor da substância, seria uma obrigação das autoridades.

É evidente que a polêmica só existe porque há interesses poderosos, da indústria farmacêutica e outras, que desejam enterrar as pesquisas e impedir que haja uma cura tão simples para uma doença que eles vêem apenas como fonte de lucro. Esse caso é um dos mais exemplares de como o capitalismo, a sociedade baseada no lucro, constitui atualmente uma enorme barreira para o desenvolvimento da humanidade.

MGT
Inserida por Tcheco

RIO DE JANEIRO, 9 de dezembro de 1977 – dez e meia da manhã. Quando – em decorrência de um câncer e apenas um dia antes de completar o seu quinquagésimo sétimo aniversário – a prodigiosa escritora Clarice Lispector partia do transitório universo dos humanos, para perpetuar sua existência através das preciosas letras que transbordavam da sua complexa alma feminina, os inúmeros apreciadores daquela intrépida força de natureza sensível e pulsante ficavam órfãos das suas epifânicas palavras, enquanto o mundo literário, embora enriquecido pelos imorredouros legados que permaneceriam em seus contos, crônicas e romances, ficaria incompleto por não mais partilhar – nem mesmo através das obras póstumas – das histórias inéditas que desvaneciam junto com ela. Entretanto, tempos depois da sua morte, inúmeras polêmicas concernentes a sua vida privada vieram ao conhecimento público. Sobretudo, após ter sido inaugurado, em Setembro de 1987, o Arquivo Clarice Lispector do Museu de Literatura Brasileira da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB/CL) – constituído por uma série de documentos pessoais da escritora – doados pelo seu filho, Paulo Gurgel Valente. E diante de cartões-postais, correspondências trocadas com amigos e parentes, trechos rabiscados de produções literárias, e outras tantas declarações escritas sobre fatos e acontecimentos, a confirmação de que entre agosto de 1959 a fevereiro de 1961, era ela quem assinava uma coluna no jornal Correio da Manhã sob o pseudônimo de Helen Palmer. Decerto, aquilo não seria um dos seus maiores segredos. Aliás, nem era algo tão ignoto assim. Muitos – principalmente os mais próximos – sabiam até mesmo que, no período de maio a outubro de 1952, a convite do cronista Rubem Braga ela havia usado a identidade falsa de Tereza Quadros para assinar uma coluna no tabloide Comício. Assim como já se conscientizavam também, que a partir de abril de 1960, a coluna intitulada Só para Mulheres, do Diário da Noite, era escrita por ela como Ghost Writer da modelo e atriz Ilka Soares. Mas, indubitavelmente, Clarice guardava algo bem mais adiante do que o seu lirismo introspectivo. Algo que fugiria da interpretação dos seus textos herméticos, e da revelação de seus Pseudos. Um mistério que a própria lógica desconheceria. Um enigma que persistiria afora daqueles seus oblíquos olhos melancólicos. Dizem, inclusive, que em Agosto de 1975, ela só teria aceitado participar do Primeiro Congresso Mundial de Bruxaria – em Bogotá, Colômbia – porque já estava completamente convencida de que aquela cíclica capacidade de renovação que lhe acompanhava, viria de algum poder supremo ao seu domínio, e bem mais intricado que os seus conflitos religiosos. Talvez seja mesmo verdade. Talvez não. Quem sabe descobriríamos mais a respeito, se nessa mesma ocasião – sob o pretexto de um súbito mal-estar – ela não tivesse, inexplicavelmente, desistido de ler o texto sobre magia que havia preparado para o instante da sua apresentação, e improvisado um Discurso Diferente. Queria ser enterrada no Cemitério São João Batista, mas – em deferência aos costumes judaicos relativos ao Shabat – só pode ser sepultada no dia 11, Domingo. Sabe-se hoje que o seu corpo repousa no túmulo 123 da fila G do Cemitério Comunal Israelita no bairro do Caju, Zona Norte do Rio de Janeiro. Coincidentemente, próximo ao local onde a sua personagem Macabéa gastava as horas vagas. No entanto, como todos os grandes extraordinários que fazem da vida um passeio de aprendizado, deduz-se que Clarice tenha mesmo levado consigo uma fração de ensinamentos irreveláveis. Possivelmente, os casos mais obscuros, tais como os episódios mais sigilosos, partiram pegados ao seu acervo incriado, e sem dúvida alguma, muita coisa envolta às suas sombras jamais seriam desvendados. Como por exemplo, o verdadeiro motivo que lhe incitou a adotar um daqueles pseudônimos. Sua existência foi insondável, e seus interesses tão antagônicos quanto vorazes: com ela, fé e ceticismo caminhavam ao lado do medo, e da angústia de viver. Sentia-se feliz por não chorar diante da tristeza, alegando que o choro a consolava. Era indiferente, mas humanista. Tediosa e intrigante; reservada e intimista; nativa e estrangeira; judia e cristã; lésbica e dona de casa; homem e mãe de família; bruxa e santa. Ucraniana, brasileira, nordestina e carioca. Autoridades asseguravam que ela era de direita, outras afirmavam que ela era comunista. Falava sete idiomas, porém sua nacionalidade era sempre questionada. Ao nascer, foi registrada com o nome de Chaya Pinkhasovna, e morreu como Clarice Lispector. Mas afinal de contas, por que a autora brasileira mais estudada em todo o mundo era conhecida pelo epíteto de A Grande Bruxa da Literatura Brasileira? Que espécie de vínculo Clarice teria estabelecido com o universo mágico da feitiçaria? Por que seu próprio amigo, o jornalista e escritor Otto Lara Resende advertia sempre alguns leitores: "Você deve tomar cuidado com Clarice. Não se trata apenas de literatura, mas de bruxaria”.
Certamente, ainda hoje, muitos desconheçam completamente, o estreito envolvimento que a escritora mantinha com práticas ligadas ao ocultismo, assim como o seu profundo interesse na magia cabalística. Para outros, inclusive, aquela sua participação em uma Convenção de Bruxas, seria apenas mais uma – entre as tantas invenções – que permeavam o imaginário fantasioso do seu nome. Inobstante, Clarice cultivava diferentes hábitos místicos. Principalmente, atrelados a crendices no poder de determinados números. Para ela, os números 5, 7 e 13, representavam um simbolismo mágico, uma espécie de identidade cármica. Durante o seu processo criativo, cafés, cigarros e a máquina de escrever sobre o colo, marcando sempre 7(sete) espaços entre cada parágrafo inicial. E, por diversas vezes, não hesitava em solicitar a amiga Olga Borelli para concluir os últimos parágrafos dos seus textos que, inevitavelmente, inteirassem as páginas de número 13. Ela própria escreveu: “O sete é o número do homem. A ferida mais profunda se cura em sete dias se o destruidor não estiver por perto [...] O número sete era meu número secreto e cabalístico”. Há sete notas com as quais podem ser compostas “todas as músicas que existem e que existirão”; e há uma recorrência de “adições teosóficas”, números que podem ser somados para revelar uma quantia mágica. O ano de 1978, por exemplo, tem um resultado final igual a sete: 1 + 9 + 7 + 8 = 25, e 2 + 5 = 7. “Eu vos afianço que 1978 será o verdadeiro ano cabalístico. Portanto, mandei lustrar os instantes do tempo, rebrilhar as estrelas, lavar a lua com leite, e o sol com ouro líquido. Cada ano que se inicia, começo eu a viver outra vida.” E, muito embora ela tenha morrido apenas algumas semanas antes de começar o então ano cabalístico, sem dúvida alguma, todos esses hábitos ritualísticos, esclareceram a verdadeira razão pela qual – aceitou com presteza e entusiasmo – o inusitado convite do então escritor e ocultista colombiano, Bruxo Simón, para participar – como palestrante/convidada – do Primeiro Congresso Mundial de Bruxaria organizado por ele. (Prefácio do livro: O Segredo de Clarice Lispector).

Marcus Deminco
Inserida por marcusdeminco

Guardar sentimentos,rancor, mágoa ou ódio pode causar câncer? Mito ou e verdade?
Verdade! senti isso na pele... hoje não guardo nada, me libertei desses sentimentos destrutivos! só lembrando, tem muita gente por ai com síndrome do coitadinho(A), isso também é um sentimento destrutivo ta.. só para lembrar.

Edvaina
Inserida por Edvaina

O paciente de câncer tem sua vida marcada de 3 formas...
1º. PELA PRÓPRIA DOENÇA: Só sabe o que é um Câncer que tem. Seus familiares podem até sofrer mas, nunca saberão as condições limitantes da própria doença e a cada tratamento... UM NOVO NASCIMENTO!...
2º. É marcado pela MARGINALIZAÇÃO SOCIAL: Quem desconhece a doença se julga possível de ser contaminado. E como consequência de um educação medieval, ele segrega e marginaliza a pessoa doente. Algumas pessoas por entender que o câncer é contagioso, tem atitudes desrespeitosa, estúpida e é ignorante em sua postura de insanidade (Este sim é um verdadeiro doente e vítima de um dos maiores Câncer de todos os tempos... O CÂNCER DO PRECONCEITO!...
3º. E por último, a vítima de câncer é MARCADA PELO DESCASO POLÍTICO: Toda liderança OBTUSA e INSENSÍVEL, ignora, execra, excluí e trata com descaso os seus cidadãos. Para alguns pacientes que dispõe de reserva pecuniária ou conhecimento, tentam a busca por mais alguns anos de vida... Para quem não tem, tornam-se cidadãos sem pátria... Ignorados pelo próprio sistema!
Em alguns casos, lhes negam o DIREITO CONSTITUCIONAL de serem cuidados em seus próprios Municípios e DECRETAM A MORTE DOS SEUS ELEITORES, fazendo pouco caso de suas dores.
... Que Deus nos livre e nos proteja de sermos vitimizados por esta METÁSTASE, que assola a MENTE DE MUITOS GESTORES PÚBLICO!

Maria Zenith Andrade Brandão
Inserida por MariaZenith

Eu , luto contra o câncer .
Olá amigas , eu vivo a causa
desta superação.
Um ato de amar-se,é não
desistir de viver,
voltar a sorrir.
Mesmo em meio a esta tempestade
não deixemos o EU FEMININO
sucumbir .
Não permitiremos que esta doença
nos tire a esperança.
Já que possamos gerar uma
vida em nós,
porque não tentar?
Porque deixar de acreditar?
E na escolha do bem-me-quer,
escolho a vida,
sou lutadora aguerrida,
prefiro seguir em frente
à deixar de ser mulher.

Irma Jardim
Inserida por IrmaJardim

Câncer da Alma

"Ingratudine"

Ingrata atitude que corrói o ser que a recebe.
Atitude maléfica que desconstrói o ser que a oferta.

Resultado da pouca memória, a "Ingratidão", reelabora-se nos vãos da mente daqueles que insanamente não veem a realidade de forma uníssona, resultado do nosso próprio comportamento.

Ao reconforto da alma daquele que a recebe, sobra somente a consciência julgadora da "retidão". Aquela é nossa verdadeira e única julgadora; e, se na retidão, não precisamos nos cobrar; mesmo diante, quase sempre, da "Não Grata Ação" daqueles de quem esperamos por um momento.

Cecília Lemos
Inserida por cecilialemos

Câncer

Este mensagem tem o título "Câncer", talvez na cabeça de alguém vem o pensamento sobre horrível doença que destrói qual quer um ser vivo...
Pois exactamente assim que me sinto - com uma doença grave que me corrói por dentro sem ninguém perceber disso.
Eu faço parte das pessoas que passam a vida a pensar, observando detalhadamente a sua volta, sou capaz de ouvir a queda de uma folha da árvore no meio da multidão, sentir o mundo dos sentimentos de uma forma um pouco estranha…o mundo o qual para alguns passa despercebido, pois estão demasiadamente preocupados com as aparências externas. Fazendo apontamentos na cabeça das leituras que passam pela minha mão, ate escrevendo livros sem canetas, sem teclados…mas que fala pouco, expressa nem sempre o que sente... sim, sou sensível – deixo as lágrimas escorrer na minha fase tentando os esconder, me esconder atrás de uma personalidade que muitos vêem em mim mas poucos conhecem quem eu sou.
Há tempos que a minha vida parou, mal se quer alimento o corpo e durmo quando caio no sono mas alma contínua permanecer sem o sinal da vida. Quantas noites já vi virar num belo dia sem graça, vazio e tão silencioso...quantas noites tentei procurar UM abraço, aquele jeito de adormecer segura...quantas noites o único abraço que encontro é abraçando a mim mesma fortemente para segurar o grito que vem da alma e nem sempre consigo, acabando de perder a luta com a força do próprio corpo.

AliceMel
Inserida por AliceMel

Fazer o auto exame e não esquecer: CÂNCER TEM CURA!
Trata-se de mais uma doença como tantas outras, pelo fato de sempre ter sido associada a morte surge o medo generalizado até do nome... precisamos rever estes conceitos, a MEDICINA evoluiu muito nos últimos anos, o tratamento existe e vem demonstrando que EXISTE VIDA APÓS A DOENÇA!
QUANTO ANTES COMEÇAR O TRATAMENTO, MAIS RÁPIDO E MAIORES AS CHANCES DE CURA!
Nos últimos 02 anos presenciei VÁRIAS mulheres que venceram o medo, venceram a doença e estão contando suas histórias!
Dezembro 2013

Sid Trombini
Inserida por SidTrombini

câncer social
infame desastre
valores frieza
lugar de enganos
palavrões sem destino
abrupto audaz
lagrimas cativas
tempo sem glamour
ter dó questão absurda
divertido, poço sem fim.
todos mortos...
o amor frio,
sentimento enfatizado
dores mais dores
seja o esquecimento
um bom valor.
esbarrões obscuros...
asma solidão,
sentidos pois todos
são vestígios de ácaros
e fungos na depressão
amargura simplicidade
dos quais o meus sejam seus
foragidos por qualquer lugar,
momentaneamente a gravidez
obtusa e até singular
oposição cruel virtude.

Celso Roberto Nadilo
Inserida por hellmouse666

OUTUBRO ROSA - Luta contra o Câncer de Mama

A campanha OUTUBRO ROSA tem por objetivo esclarecer todas as pessoas, principalmente as mulheres, sobre a importância da realização de exames periódicos, como o autoexame e a mamografia, para procurar detectar o Câncer de Mama, que é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres. Quanto mais cedo for detectado o câncer, mais probabilidade existe para a cura.
O laço de cor rosa, usado na campanha, simboliza internacionalmente a luta contra o Câncer de Mama e estimula a participação da população.

Marcos Alves de Andrade

O homem que me ensinou viver
(À Darcy Ribeiro)

As dores físicas do seu câncer,
os prazeres proporcionados por tantas mulheres,
a sua vontade de consertar o Brasil,
A paixão pela política, pelos estudantes, pelos índios
E essa intensidade e a vontade de viver,
Fez de Ama®, Goza® e Sofre® , Darcy,
suas marcas registradas.

==

Eletro-selvagens

Pra que telefone? Ninguém liga pra dizer que me ama.
Pra que televisão? Ela não faz virar fantasias meus medos.
Pra que liquidificador? Ele não tritura os meus mais íntimos sofrimentos.
Pra que aspirador? Ele não aspira minhas tristezas.
Pra que fogão? Ela não queima o que tenho pra queimar.
Pra que geladeira? Ela não congela dor.

Pra que...

Charles Canela
Inserida por charlescanela

Amigo Câncer

Amigo Câncer, você entrou em minha vida sem pedir licença.
Hoje te agradeço Amigo, por me fazer enxerga o obviou...
Não vivi nada! Desprezei quem me valorizava, expulsei os verdadeiros amigos que queriam está ao meu lado....
Ô Amigo Câncer, você me ensinou que nada é por acaso...
Obrigado por abrir os meus olhos e por me fazer ver que todos que rejeitei, desprezei, não deixaram de me apoiar em momento algum...
Digo que vivi pouco querendo hoje desfruta aquilo que deixei de sonhar!
Hoje valorizo cada momento, pois nunca sei qual será o ultimo...
É no fim da vida que aprendi a valorizar os gestos de carinho, atenção e amizade, pois vejo pessoas com Humanidade Divina de vida vindo me visitar sem antes terem me visto...
O valor que eu não dava a minha família, dedico os meus ultimo suspiros de vida a eles, pois eles tem sido o meu alicerce para me manter por alguns meses de pé...
Passo por processo ao qual não desejo para ninguém, o tratamento é muito doloroso, tudo isso por causa do meu Amigo Câncer...
Todo dia vejo um amigo indo se encontra com o descanso eterno, e a única coisa que fica são as lembranças em minha memória e o seu leito, onde outro irar deita. Quem sabe se esse tem a graça do Amigo Câncer te deixar?
Luto contra o meu deitar pois ainda quero mas um dia a minha família encontra...
O meu maior medo é um dia me deitar para repousar e não mas levantar.
E pensar que nem aproveitei as oportunidades que a vida me proporcionou, antes do meu Amigo câncer vim me visitar.

Diego Garitano
Inserida por DiegoGaritano

Enquanto pessoas morrem de cancer, aids entre outras coisas..
Enquanto crianças são abandonadas e abortadas...
Enquanto há fome por diversos lugares da terra...
Enquanto animais sofrem crueldades...
Enquanto mães perdem seus filhos para as drogas...
... TEM GENTE QUE SÓ SE IMPORTA EM CAUSA DOR... E SE DIVERTE
ACHANDO O MAXIMO SEUS MOTIVOS FUTEIS E BANAIS.
(Aut: Sandra Lima)

Sandra Lima produtora
Inserida por sl44

Os primeiros sinais do câncer infantil
Existem diferentes sinais pelos quais podem supor que uma criança sofra de algum câncer. A detecção de alguma alteração pode estar localizada no pescoço ou no abdômen das crianças. Ainda que haja diferentes tipos de câncer, pelo menos 85% de todos os cânceres infantis apresentam sintomas parecidos. Podemos destacar alguns:
– Anemia acompanhada de sangramentos e excesso de hematomas (manchas roxas).
– Dores de cabeça acompanhadas de alterações do sono ou do comportamento e conduta.
– Febres prolongadas e sem causa aparente.
– Dor de cabeça persistente, acompanhada de vômitos noturnos.
– Inchaço e massa abdominal anormal.
– Fadiga, perda de peso, palidez.
– Gânglios linfáticos inflamados.
– Infecções frequentes.

ABRACC - Associação Brasileira de Ajuda à Criança com Câncer ( Fight Against Children's Cancer)
Inserida por abracc

Existem diferentes sinais pelos quais podem supor que uma criança sofra de algum câncer. A detecção de alguma alteração pode estar localizada no pescoço ou no abdômen das crianças. Ainda que haja diferentes tipos de câncer, pelo menos 85% de todos os cânceres infantis apresentam sintomas parecidos. Podemos destacar alguns:
– Anemia acompanhada de sangramentos e excesso de hematomas (manchas roxas).
– Dores de cabeça acompanhadas de alterações do sono ou do comportamento e conduta.

ABRACC ASSOCIAÇÃO BRA. AJUDA À CRIANÇA COM CÂNCER ( Fight Against Children's Cancer)
Inserida por abracc

Oração a São Peregrino Laziosi
(protetor contra o câncer e úlceras)

Oh São Peregrino, que se converteu e ingressou na Ordem dos Servos de Maria; que padeceste, durante muito tempo, correndo risco de morrer, acometido por um grave câncer na perna, a qual seria amputada; que rezou aos pés da Cruz, rogando pela sua própria cura; que teve a visão de Jesus descendo da cruz e tocando a sua perna enferma; que obteve o milagre, ficando totalmente curado, sem necessidade de amputação; interceda junto a Jesus para tocar e curar minha enfermidade (... a enfermidade de .....). Oh São Peregrino, declaro minha fé absoluta em Jesus Cristo, a quem rogo ouvir nossas preces e conceder o milagre da cura que tanto procuramos. Amém.

Marcos Alves de Andrade

" DIVERSIDADES MUNDIAIS"


Você sabia que o preconceito é pior que o câncer ?
O câncer é uma doença que não tem cura mais pode ser controlado com medicamentos e a pessoa viver feliz.
O preconceito é uma doença incurável e sem medicamentos, pois faz parte das doenças classificadas como " Doenças da Alma" ..

Ter preconceito por quem é negro é achar que os negros não são filhos de Deus, é achar que os negros são inferiores e mau sabem essas pessoas que irão para o mesmo lugar que os negros irão, para debaixo da terra se achar quem enterre. Não se dão conta também do privilégio que os negros tem de viver mais e a menor possibilidade de ter um câncer de pele.

Ter preconceito de quem é gay é não imaginar que você mesmo poderia ser gay ou em um futuro bem próximo ter um filho gay. Sabe qual a vantagem de quem é gay ? São os melhores amigos que uma pessoa pode ter..

Se os negros e os gays são mais perfeitos do que um branco ou um heterossexual porque dizem que são criação de satanás ? O pai da perfeição é Deus, então criatura acorda pra vida e deixa de ser imbecil.

Se você é negro tenha orgulho de ser negro, tenha orgulho de ser diferente no meio de tantas pessoas iguais.
Se você é gay não tenha medo de dizer ou assumir que é gay, isso não é doença, quem é doente é quem diz que é doença..

Sabe o que mais ? SEJA FELIZ E MATE OS OUTROS DE INVEJA.

FRANCIEL LOPES
Inserida por FrancyelLopes

Divisões, um câncer na igreja de hoje!
Em tempos de ferrenhas competições aonde a igreja tem se dividido em facções, surge um clamor, um grito, um toque de shophar que faça o povo entender que ainda que sejamos tribos, juntos somos Israel de Deus. Na torre de Babel, o próprio Deus e Pai, deixa claro que quem fala a mesma língua, é invencível. Isto se refere a união. A falta de comunhão e a busca em acreditar que a visão ministerial que eu ando é certa e as demais são erradas, tem sido um câncer no meio da noiva do Cordeiro.
Analisando 2º Cr 2:3,8 quando a glória do senhor invadiu o templo levantado por Salomão TODO O POVO curvou se adorando ao senhor com o Rosto em Terra. Em meio a sacerdotes e levitas, enquanto Davi louvava pelo ministério de ambos, sem divisão, mas exaltando a Deus pela vida deles, a Bíblia diz que Israel estava em pé!
Observando outra passagem Bíblica, veja nas palavras Paulinas a situação da igreja em Corinto: “Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais? Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o Senhor deu a cada um? Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.” (1 Coríntios 3:4-6).
Claramente havia uma rivalidade dentro da Igreja, alguns se diziam “partidários” de Paulo, outros de Apolo e a lição de Paulo serve para todos nós, como igreja do Senhor, que ninguém é nada, ninguém tem nada que do céu não lhe tenha sido concedido. Observe o texto que segue ao puxão de orelhas de Paulo aos coríntios: “Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho.” (1 Coríntios 3:7-8). Nem o que planta e nem o que colhe, todo o mérito é do Senhor e não da placa ou da denominação.
Precisamos COOPERAR mais, COMPETIR menos. Reis cooperaram com reis, terra com terra, cidadão com cidadão. Não importa sua denominação, caminhamos juntos no mesmo propósito a busca pela glória de Deus e para o crescimento não da igreja aonde eu congrego mas do Reino do Pai!
1 Coríntios 1.10 – “Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, seja inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer”

Wagner Aramian
Inserida por wagneraramian

CÂNCER
Gostaria de lamentar da vida também... Como um fato comum...mas, não sei se seria justo.
Tive longos meses batalhando contra um câncer. Muito doente, tinha hemorragias todos os dias e estava grávida. Precisei muito de força... Mas não tive os meu queridos amigos ao meu lado e não os condeno por isso. Ouvi a médica dizer ao meu pai no telefone que eu estava morrendo. Sim, quando você não está preparado pra guerras que você simplesmente não compreende, é difícil mover a luta. Diziam que eu não poderia ter aquele filho. Que ele não teria saúde, entre outras coisas intragáveis.
Ah, me espanto com minha própria lembrança. Minha alma estava no escuro, pois a vida já não me trazia sentindo de amar. Havia quatro paredes dentro de mim e sobre mim. Meu filho, era Deus no meu corpo, manifestando esperaça no meio de tanta dor e abandono. Até eu mesma me abandonei, me odiei, acreditei em cada ranger de dor da minha carne. Mas, a única coisa que eu não podia abandonar, era o meu filho. Queria que tudo me ocorresse, mas que nada atingisse a ele. Eu pedia pra Deus que eu fosse atingida, mesmo questionando a minha fé, meu merecimento... Acordava e dormia fazendo preces para que o meu filho ficasse bem, e fosse muito amado por todos, nunca pedia algo pra mim, eu só queria poder olhar o rosto do meu bebê.
Polpando vocês de detalhes intragáveis ...Quero que saibam que Deus não foi bom comigo. Ele foi maravilhoso o tempo todo... O câncer regrediu e desapareceu após o abraço que Deus me deu... o nascimento de Benjamim. Lido com a realidade de forma clara, estou aprendendo a viver em um corpo, mente e espírito que muitas vezes se contradizem, mas estou tranquila, pois quem elabora minhas lições é maior que tudo isso!
Deus me deu um tempo da vida para amar... e este é o meu maior motivo pra querer amar verdadeiramente as pessoas desconhecidas ou não, afinal o amor é cego.

"O coração tem razões que a própria razão desconhece."
A cada dia esta frase compartilha novos sentidos em mim.

Mirla Cecilia
Inserida por MirlaSantos

Em Dois mil e a cura do Câncer
Eu quero estar vivo
E presenciar, nem que fosse por alguns segundos
Dessa "nova vida"

Queria ver a discriminação
Queria ver se ainda existia a fraude de político imundo
Queria ver se ainda existia machismo,
O capitalismo do Homem
Construindo prédios e mais prédios (como sempre)

No mundo que talvez, seja tão moderno, quanto imaginamos...
Tão moderno, que vá ao ponto
de ter uma tecnologia de ponta, que,
talvez, acabasse até com o HIV...

Ah... por alguns segundos vi-me além,
Pude sentir a fama,
Mas que pena que podendo presenciar isso
Seja apenas o meu Holograma

Khristian Ferraz Bernardo
Inserida por KhristianFerraz13