Votos Matrimoniais

Cerca de 105 frases e pensamentos: Votos Matrimoniais

Votos de submissão

Caso você queira posso passar seu terno, aquele que você não usa por estar amarrotado.
Costuro as suas meias para o longo inverno...
Use capa de chuva, não quero ter você molhado.
Se de noite fizer aquele tão esperado frio poderei cobrir-lhe com o meu corpo inteiro.
E verás como minha a minha pele de algodão macio, agora quente, será fresca quando janeiro.
Nos meses de outono eu varro a sua varanda, para deitarmos debaixo de todos os planetas.
O meu cheiro te acolherá com toques de lavanda - Em mim há outras mulheres e algumas ninfetas - Depois plantarei para ti margaridas da primavera e aí no meu corpo somente você e leves vestidos, para serem tirados pelo total desejo de quimera.
Os meus desejos irei ver nos teus olhos refletidos.
Mas quando for a hora de me calar e ir embora sei que, sofrendo, deixarei você longe de mim.
Não me envergonharia de pedir ao seu amor esmola, mas não quero que o meu verão resseque o seu jardim.
(Nem vou deixar - mesmo querendo - nehuma fotografia.
Só o frio, os planetas, as ninfetas e toda a minha poesia).

Fernanda Young

Promessas matrimoniais

Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento na igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre: "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?

- Promete saber ser amiga e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?

- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?

- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?

- Promete se deixar conhecer?

- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?

- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?

- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?

- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?

- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declara-os maduros

Martha Medeiros

Os homens casam porque estão seguros de que os laços matrimoniais não vão prendê-lo.

Júlio Camargo

Mesmo as pessoas felizes precisam reavaliar escolhas, confirmar sentimentos, renovar os votos. Apaixonar-se de novo pelo mesmo marido ou pela mesma mulher nem sempre dá conta disso. Eles já conhecem todos os nossos truques, sabem contra o que a gente briga, e no momento o que precisamos é de alguém virgem de nós, que permita a recriação de nós mesmos. Precisamos nos apaixonar para justamente corrigir o que fizemos de errado enquanto compartilhávamos a vida com nossos parceiros. Sem que isso signifique abrir mão deles.
Isso explica o fato de as pessoas sentirem necessidade de relações paralelas mesmo estando felizes com a oficial. Explica, mas não alivia. Como é complicado viver.

Martha Medeiros

A Verdade nao é determinada por maioria de votos.

Papa Bento XVI

O mau político é aquela pessoa que busca novos votos com a mesma velocidade em que perde os que já eram seus.

Ary Veira

Quem me conhece sabe que defendo relações matrimoniais (ou não matrimoniais) entre duas ou mais pessoas. Não sou contra a monogamia, mas defendo a diversidade de relacionamentos apoiados na convivência (ou na individualidade) onde o número de parceirxs não seja limitado nem determinado por alguém. E também sabem que apesar de questionar bastante alguns firmamentos ideológicos do movimento poliamoroso, ainda assim abraço esse tipo de relação.

Tenho alguns questionamentos como o de "até que ponto o relacionamento poliamoroso se difere da monogamia?", "Algumas relações, onde convivem 3 ou mais indivíduos, possuem as mesmas regras de conduta existentes nos relacionamentos mono?", "Quem são os dito Poliamorosos? E quem defende essa bandeira?" "Será que o Poliamor realmente se comporta como um movimento de desconstrução da dominação patriarcal, e da desconstrução da família “dita constitucional”?", “Até que momento o poliamor é caracterizado uma forma de amar não convencional?”

Um dos problemas centrais dessas relações (mono, poli, etc) é a fantasia da posse da outra pessoa. A ilusão, a ideia de propriedade do outro trará sem sombra de dúvidas a limitação, sujeição e/ou restrição das pessoas que compõem determinado liame, seja ele qual for.

Não significa que só pelo fato da pessoa se encontrar num relacionamento poliamoroso ela estará “livre para viver o seu amor”. Devemos ressaltar que vivemos o “nosso” amor, não o amor do outro. Se os sentimentos que constroem a relação forem fundados em ciúme, controle, angustia, rivalidade, inveja, não será nada dissemelhante às “filiações” monogâmicas. Pois se eu me sujeitar a um relacionamento poliamoroso, onde convivo com duas (ou mais) pessoas, de modo que a ambas serão estabelecidas regras que vão regular o comportamento de tais, veremos que são preceitos que coincidem com as relações padrões, onde uma pessoa deve ser “devotx” ao outrx.

Nem sempre o Poliamor revelará “liberdade”. Existem várias definições para liberdade, mas para o termo que estou usando, ela se definirá numa perspectiva física, algo para além da dominação, e para bem além do existencialismo.

Acredito cegamente no "relacionamento livre". Amo quem eu quero amar, na hora em que eu quiser amar, no lugar em que eu quiser amar (obviamente, tudo com o consentimento de ambas as partes). Acredito que o Relacionamento Livre é sinônimo de Empoderar-se. Algo para além de preceitos morais e éticos impostos por outro(s) indivíduo(s), o(s) qual(is) delimitará minhas práticas amorosas. A única regra do amor livre é amar livremente, você é x únicx detentor(a) da sua liberdade, ou seja, da sua liberdade de amar. Ressaltando também que o espaço que é dado às pessoas que fazem parte desse ciclo amoroso é sem sombra de dúvidas sinal de amor.

Ser adepto ao relacionamento livre não indica descaso, nem indiferença pela outra parte, muito pelo contrário, é o oposto disso, o que é priorizado nessa relação é primeiramente a amizade.

Todos os tipos de relacionamentos são constituídos por pessoas, e essas carregam consigo suas particularidades. A crítica feia acima não se dirige única e exclusivamente à práticas sexuais, mas se direciona a relações pessoais e sociais. Viva o amor livre, viva livre seu amor. Desconstrua os machismos, as ditaduras, os estereótipos, as padronizações firmadas nas ligações afetivas! O amor não precisa ser limitado, nem padronizado, mas precisa ser vivido com uma vivacidade viva! É preciso despolitizar o amor, e torna-lo algo menos formal. “Devemos não somente nos defender, mas também nos afirmar, e nos afirmar não somente enquanto identidades, mas enquanto força criativa.”

Marcelle Silva

É chegado o Natal e os meus votos são que todos os leitores sejam iluminados da mesma forma como são os olhos de DEUS. E que todos os meus amigos sejam contemplados com a glória de DEUS recebendo muita saúde, amor e paz.

Que este ano que se aproxima possa ser de muitas bênçãos, que a prosperidade habite em cada lar e que muitas conquistas e realizações sejam alcançadas por cada leitor dessa mensagem.
Agradeço a todos que passaram por aqui e me deixaram mensagens durante este ano. Mensagens que me fizeram sorrir e meditar, sobretudo acreditar que vale apena viver, prosseguir em frente sem olhar para trás.

Que todos possam tirar como lição as perdas, as decepções, os desgostos e por fim as derrotas. Que cada um desses itens seja motivo e vontade de crescer, vencer e aprender que sem DEUS nada somos.
Enfim, que o amor de DEUS esteja com todos neste Natal e Ano Novo cheio de esperança e paz! H.A.A

Hélio Aparecido de Assunção

Favor acrescentarem nos votos: "Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, na DIVERSÃO e na ROTINA"

Tainah Ferreira

Não se escolhe um líder por votos.

Fábio Ibrahim El Khoury

Queria acreditar na democracia... Mais trocamos nossos votos por migalhas que caem das mesas dos lordes.

Cleyton Alen

Deveríamos pesar os votos, não contá-los.

Von Schiller

Votos do noivo: Danilo Souza Santos

Lembro do nosso primeiro encontro
Lembro do nosso primeiro trocas de olhares
Lembro do nosso primeiro abraço e do nosso primeiro beijo
Hoje não estamos somente nós casado, mais também estamos renovando o nosso voto desde do nosso primeiro encontro 1 ano atrás.
Apesar de todas as dificuldades que enfrentamos
o amor que sentimos um pelo o outro
é a confiança que temos nesse Deus
que nos uniu é muito maior que qualquer
coisa que possa surgir para tentar tirar a certeza
que temos em nosso coração.
Pois eu já tinha toda certeza que este dia ai chegar e hoje estamos aqui ao lado de nossos familiares de nossos amigos, para começamos uma nova e linda história de amor.
Pois você pode têm a maior certeza do mundo, que não existe a menor possibilidade de eu não te amar. Não existe a menor possibilidade de eu não te fazer feliz. Porque eu nasci pra te amar”. Janaina você
saiba que sempre,
nunca, nada vai me fazer esquecer
o valor que você tem em minha vida
e por tudo isso e muito mais,
nunca espere de mim outra coisa
se não o amor que eu sinto e tenho por você.

danillosouzaoficial

"Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa."

Joseph Stalin

Para onde foram aqueles votos ?
"Na alegria e na tristeza,até que a morte nos separe."

Marcela Falcão

Me pego em votos de silencio para um dia possibilitar a entrada de felicidade .

Rafael Alves

Sobre Cumprimento de Votos – Números 30

Este capítulo 30º de Números revela o caráter obrigatório do cumprimento dos votos feitos ao Senhor, e define as exceções em que estes votos poderiam ser cancelados; sendo o consequente descumprimento perdoado por Deus:
- Voto feito por uma mulher que ainda vivesse às expensas de seu pai, que fosse anulado pelo mesmo.
- Voto feito por mulher que se casou com um voto em andamento, e que foi anulado pelo marido quando este chegou ao seu conhecimento.
- Voto de mulher casada que fosse anulado pelo marido.
Nestes casos, o silêncio ou aprovação do pai ou do marido, em relação ao voto feito pela filha ou esposa, respectivamente, confirmaria a validação do voto, e este teria que ser cumprido pela mulher que o fizera.
As viúvas e repudiadas, que tivessem retornado à casa de seus pais, poderiam votar livremente sem que alguém pudesse cancelar os seus votos.
O castigo de Ananias e Safira foi decorrente da quebra de um voto feito a Deus numa oferta que foi inspirada pelo Espírito Santo.
Como o voto é voluntário estava no poder deles não fazerem o voto na presença de Deus, e dos apóstolos, e assim não teriam sofrido qualquer castigo (At 5.4), conforme lhes fora dito pelo apóstolo.
Em Ec 5.4-6 nós lemos o seguinte:
“Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. O que votares, paga-o. Melhor é que não votes do que votares e não pagares. Não consintas que a tua boca faça pecar a tua carne, nem digas na presença do anjo que foi erro; por que razão se iraria Deus contra a tua voz, e destruiria a obra das tuas mãos?”
A Palavra ensina que ainda que o voto tenha sido feito como dito irrefletido dos lábios, Deus o levará a sério e requererá o seu cumprimento.
Por este princípio o Senhor nos ensina a sermos responsáveis perante Ele, e a não sermos descuidados quando nos dirigimos a Ele.
Em outras palavras: com Deus não se brinca e não se deve brincar.
Aprendemos também desta lei relativa aos votos que para Deus uma filha na casa de seu pai está efetivamente submissa à vontade dele, assim como uma mulher em relação ao seu marido, pois, não se cogita, dito pela própria boca de Deus; se seriam acertadas ou não as razões do pai ou do marido para cancelar os votos de sua filha ou esposa, respectivamente.
O Senhor valida e reconhece o governo do pai sobre a filha, e do marido sobre a esposa, conforme Ele mesmo o estabeleceu.
A lei dos votos não ensina que estes deveriam ser expressamente aprovados pelo pai ou pelo marido para que pudessem ser feitos, mas que em não havendo uma concordância expressa da parte deles, depois de terem tomado conhecimento do mesmo, este voto fica automaticamente cancelado diante de Deus, e a pessoa que o fez estaria desobrigada quanto ao seu cumprimento.



“1 Depois disse Moisés aos cabeças das tribos dos filhos de Israel: Isto é o que o Senhor ordenou:
2 Quando um homem fizer voto ao Senhor, ou jurar, ligando-se com obrigação, não violará a sua palavra; segundo tudo o que sair da sua boca fará.
3 Também quando uma mulher, na sua mocidade, estando ainda na casa de seu pai, fizer voto ao Senhor, e com obrigação se ligar,
4 e seu pai souber do seu voto e da obrigação com que se ligou, e se calar para com ela, então todos os seus votos serão válidos, e toda a obrigação com que se ligou será válida.
5 Mas se seu pai lho vedar no dia em que o souber, todos os seus votos e as suas obrigações, com que se tiver ligado, deixarão de ser válidos; e o Senhor lhe perdoará, porquanto seu pai lhos vedou.
6 Se ela se casar enquanto ainda estiverem sobre ela os seus votos ou o dito irrefletido dos seus lábios, com que se tiver obrigado,
7 e seu marido o souber e se calar para com ela no dia em que o souber, os votos dela serão válidos; e as obrigações com que se ligou serão válidas.
8 Mas se seu marido lho vedar no dia em que o souber, anulará o voto que estiver sobre ela, como também o dito irrefletido dos seus lábios, com que se tiver obrigado; e o senhor lhe perdoará.
9 No tocante ao voto de uma viúva ou de uma repudiada, tudo com que se obrigar ser-lhe-á válido.
10 Se ela, porém, fez voto na casa de seu marido, ou se obrigou com juramento,
11 e seu marido o soube e se calou para com ela, não lho vedando, todos os seus votos serão válidos; e toda a obrigação com que se ligou será válida.
12 Se, porém, seu marido de todo lhos anulou no dia em que os soube, deixará de ser válido tudo quanto saiu dos lábios dela, quer no tocante aos seus votos, quer no tocante àquilo a que se obrigou; seu marido lhos anulou; e o senhor lhe perdoará.
13 Todo voto, e todo juramento de obrigação, que ela tiver feito para afligir a alma, seu marido pode confirmá-lo, ou pode anulá-lo.
14 Se, porém, seu marido, de dia em dia, se calar inteiramente para com ela, confirma todos os votos e todas as obrigações que estiverem sobre ela; ele lhos confirmou, porquanto se calou para com ela no dia em que os soube.
15 Mas se de todo lhos anular depois de os ter sabido, ele levará sobre si a iniquidade dela.
16 Esses são os estatutos que o Senhor ordenou a Moisés, entre o marido e sua mulher, entre o pai e sua filha, na sua mocidade, em casa de seu pai.” (Nm 30.1-16).

Silvio Dutra

Se déssemos um voto de confiança ao amor o mundo não haveria guerra, mas damos vários votos de confiança a curtição, onde a felicidade é passageira e nunca será eterna

Lucca Penedo

Votos.
A estação chuvosa terminou.
A poça secou.
O verão ressurgiu.
O ipê esta para florir.
Tudo passa e novamente o ano acabou.
Ainda me lembro do começo deste.
Fiz planos, tracei metas, sonhei.
Ao longo dos meses
vi o longínquo se tornar obvio
e o obvio se tornar longínquo.
Passei por muitas situações,
algumas boas, outras nem tanto.
Mas tenho a plena certeza de que elas moldaram
minha história
Ao longo de doze meses amei ,
ri, chorei ,sorri, odiei , senti medo, senti angustia,
senti felicidade.
E através destes sentimentos consegui crescer.
Agora, com o nascimento de outro ano,
o ciclo se reiniciará.
Não sei ao certo o que esperar do futuro.
Começo este ano com um friozinho na barriga
e com a esperança que ele seja melhor
do que o ano anterior.
Agora posso contar somente com a ajuda do destino
que há muito tempo vem me impulsionando.
Mas o ciclo é antigo e nunca conseguirei quebrá-lo.
Tenho que me acostumar e dar graças
por fazer parte dele.
Tenho que celebrar este ano que está nascendo,
pois é uma dádiva de Deus em minha vida.
Então estou preparada para o que vier,
conseguirei enfrentar este ano
assim como enfrentei o anterior.
Certamente irei traçar novos planos, inventar novas metas e criar novos sonhos.
Pois esta é a arte de viver.
Isto é o que me impulsiona.
Isto é o que me faz viver.
Isto não é o fim, é somente a continuação do ontem.
Que 2013 venha para concretizar os sonhos
e que 2012 possa descansar na memória,
perdido ao meio de boas lembranças.
São os meus sinceros votos para a humanidade,
que embora muitas vezes ande por linhas tortas
é capaz de andar por linhas retas.
Que se inicie um novo ciclo,
que a beleza da vida possa ser vista por todos.
Estes são os votos de uma pessoa que sempre acredita
que o amor regenera.
Estes são os sinceros votos
de quem não tem medo de viver.
Escritora.
Autora do livro de poesias Vida.
Editora Zerocriativa.

Michelle Zanin

Lindo né ? Papai Noel, luzes, decorações, anúncios, votos de FELIZ NATAL e que o menino JESUS ilumine, e que deseja isso e aquilo, etc etc etc. Bonito é, mas, esqueceram do REAL SENTIDO da data, do que realmente significa. No meu ver, hoje quando se fala em NATAL, as primeiras coisas que vêem na cabeça da maioria das pessoas é COMPRAS, PRESENTES, COMIDA E BEBIDA, sem mais. Cade a ESSÊNCIA ?, foi-se, o CAPITALISMO devorou. Algumas famílias passam o ano todo sem trocar se quer uma simples MENSAGEM, e quando chega fim do ano é uma coisa linda, uma troca de "valores", vivem próximos e ao mesmo tempo "ilhados". Não me assusto, e sei que é disso pra pior, não só no NATAL, mas em várias datas que acontecem no decorrer do ano, cada vez mais estamos ficando menos humanos !

Jarbas