Violência Infantil

Cerca de 16 frases e pensamentos: Violência Infantil

Você vê mais violência em um desenho do Tom & Jerry do que em um show meu. Crianças assistem um rato ter seu cérebro esmagado todos os dias na TV.

Ozzy Osbourne

Ensinar religião a uma criança talvez seja a maior das violências que se pode cometer a um ser indefeso e sem discernimento.

Francisco

Violência gera mais violência, então tenha consciência.
Abuso infantil, maus tratos a animais, como o ser humano pode ser capaz?.

Lucas-LP

E ainda, as crianças q escapam dessas e outras violencias ainda q na alma, crescem e hj sao adultos q se culpam e se culpam e muitas vezes repetem, mesmo q sem querer consigo mesmo, com outras pessoas e as vezes com seus filhos essa mesma crueldade.. o q é pior.

Preciso é se render a graça salvadora e redentora de Cristo Jesus e ao seu amor q tem poder p nos ajudar e curar profundamente.

Belkis Braz

Não compre produtos de países cujos povos negligenciam a violência contra mulheres e crianças.

Marislei Espíndula Brasileiro

A violência da sociedade contra o público infantil é de verás infantilizada.

Marcos Costa

Quanto mais cedo a criança se envolve com a violência, mais cedo ela perde a inocência.

Roger BeatJesus

Violência contra criança não faz bem .
O mal se fará presente na sua adulteração.

Jeremias Edson Cardoso.

Entre muitas coisas que me deixa triste... E ver o nosso País, em tão grassa violência. Nossos jovens, morrendo de forma tão cruel. Brasil Triste.

JMDES

Tudo o que a violência faz é ensinar à criança que a força física é um método aceitável de obter o que se quer

Lionel Shriver - do livro "Precisamos falar sobre o Kevin"

As chances de uma criança se tornar um adulto revoltado é proporcional a violência que ela é exposta ainda pequena.

Felipe Guedes

Violência intrafamiliar é aquela na qual as práticas de violação dos direitos inerentes a crianças e adolescentes dão-se no ambiente doméstico, de modo a configurar uma violência e quebra dos vínculos afetivos ao qual o ambiente doméstico pressupõe.

Antônio Elpidio Fagundes

A escola sempre foi um refúgio contra a violência para crianças e adolescentes. Hoje, ironicamente, a violência esta na escola

Douglas Rodrigues da Silva

De noite, o estampido seco dos tiros
o grito de desespero
os corpos dos jovens caídos no chão.
De manhã, o silêncio profundo
o medo
a apreensão.
Vocês viram algo?
Ninguém viu nada não moço!
Ninguém viu nada não.

J.W.Papa

Quanto vale a vida


Dos autores da rixa iniciada
e a peleja travada mano a mano, tete a tete
da faca burocraticamente cravada nas costas
em um embate imbecil - por quase nada -
A banalidade como baliza das ações cotidianas.
O que se vê por aqui é o desamor
o ódio que salta dos olhos em um brilho amedrontador
a lâmina de aço da faca fria, que fia a carne
o sangue quente que corre por entre os dedos do agressor
e a raiva contida em seu agir desmedido.
Depois, o choro inconsolável da mãe
os gritos desesperados por socorro
a perplexidade na face incrédula do pai
e a reza que vela o corpo morto, caído no asfalto.
Pele negra, minguando solitária à espera do rabecão
expondo as vísceras de um desumano sistema
que finge não ver o que acontece na(s) periferia(s).
Será? Seremos sempre assim?
Bárbaros, brutais, cruéis...
Afinal de contas, quanto vale a vida?
Vinte reais ou menos - troco do mínimo salário que nos é pago
Um relógio de pulso fabricado no Paraguai
Duas pedras de crack!
Quanto vale a sua vida? Será só isso mesmo!

J.W.Papa

Dor inédita


Estou a procura de uma dor inédita
Uma dor que não doa durante a noite
que não doa tão aguda no coração
e se doer, que seja breve
que se encerre antes mesmo de o sol nascer.

Estou em busca de uma dor que não doa tanta
e que também não provoque tanto lamento
procuro uma dor inédita, ainda não descoberta
que talvez tenha mesmo de ser inventada
tão incerta quanto a sua procura
uma dor que não provoque tontura
e se a vertigem for um de seus preceitos
que se possam pintar constelações inteiras
bem diante dos olhos rotos, tomados por sua maldade.

Procuro uma dor de verdade
não essas dorzinhas da cidade
aquelas bruscas do campo, que provocam feridas na alma
procuro uma dor inédita, dessas que só se vê em filme de horror
diante de tanto pavor sigo sem chão
chorando com a mãe que enterra seu filho adolescente
vítima das mazelas da periferia das grandes cidades.

Procuro uma dor de mãe, a beira da cova de seu filho
chorando rios de lágrimas, estraçalhada por dentro
de tanto lamento e dor comum que há por aqui
pela falta de zelo dos políticos e dos governos
por tantos enterros e perdas
por todo esse descaso com os jovens
que são condenados a morte antes mesmo de nascerem.

Procuro a cura ou um remédio qualquer
que nos livre da fúria desses imbecis
que não se doem ou sentem dor qualquer
por tanta barbárie e falta de senso
que não se lamentam ou percebem um lamento sequer
de tanta dor comum existente por aqui.

Será que de tão cegos não percebem?
Chega de lamentar por tão pouco
chega de dores comuns
se só nos resta sentir dor
então chega de dores fajutas
ficaremos só com as dores inéditas.

J.W.Papa