Versos Caipiras

Cerca de 29 versos Caipiras

Os brasileiros são caipiras, desconhecem o outro lado, e, quando conhecem, encantam-se.

Fernando Henrique Cardoso

Trenzinho Caipira

Lá vai o trem com o menino
Lá vai a vida a rodar
Lá vai ciranda e destino
Cidade e noite a girar
Lá vai o trem sem destino
Pro dia novo encontrar
Correndo vai pela terra
Vai pela serra
Vai pelo mar
Cantando pela serra do luar
Correndo entre as estrelas a voar
No ar no ar no ar no ar no ar
Lá vai o trem com o menino
Lá vai a vida a rodar
Lá vai ciranda e destino
Cidade e noite a girar
Lá vai o trem sem destino
Pro dia novo encontrar
Correndo vai pela terra
Vai pela serra
Vai pelo mar
Cantando pela serra do luar
Correndo entre as estrelas a voar
No ar no ar no ar

Heitor Villa-Lobos

A ROÇA
Aqui na roça nóis si deita
sempre muito agarradinho
nóis si inrósca, si ajeita,
passa a noite coladinho
Nossa cama di madêra
é ondi nóis faiz o ninho
i passa a noiti intêra
trocanu nossos carinho
Nóis véve cum amô
Anqui na nossa paióça
cum as bença di nosso sinhô
cuidâno da nossa roça
Quanu di noite esfria
Nós ajunta us cubertô
i juntinho si inrudia
tocanu nosso calô
I ansim nós passa a vida
eu i minha companhêra
às veiz nóis inté qui briga
mais é coisa passagêra
Adespois vem a vontade
di dá uns beijo moiádo
i nu finzinho da tarde
nóis fica juntinho agarrado.

POEMAS CAIPIRA

Declaração aos amigos de uma forma caípira

Ces são o colírio do meu ôiu.
São o chiclete garrado na minha carça dins.
São a maionese do meu pão.
São o cisco no meu ôiu (o ôtro oiu - eu ten dois).
O limão da minha caipirinha.
O rechei do meu biscoito.
A masstumate do meu macarrão.
A pincumel do meu buteco.

Nossinhora!
Gosto dimais da conta docêis, uai.

Ces são tamém:
O videperfume da minha pintiadêra.
O dentifriço da minha iscovdidente.

Óiproceisvê,
Quem tem amigos assim, tem um tisôru!

Eu guárdêsse tisouro, com todo carin,
Do Lado Esquerdupeito !!!
Dentro do Meu Coração!!!

Paulo Master

Porteira


Por ela passam os sonhos de um caipira
Aquele que sai de sua terra
Para a cidade grande em busca da felicidade
Que trabalha de sol a sol
Esperando um dia voltar...

E na capital nascem seus filhos
Distantes da vida simples de seus pais
Assim vive o caipira
Saudoso e choroso pela lembrança de criança
Onde montava o cavalo...

Bebia água na fonte
Corria entre os pastos atrás dos vaga-lumes
Assim vivem todos aqueles que sobrevivem longe da terra natal
E só pensa em voltar...

E por sorte um dia ele volta
A alegria lhe salta os olhos
Ao ver os campos tão verdes
E frutas no pé...

Então ele passa pela porteira
Olha o mata-burro no chão
Nessa hora o caipira
Se sente feliz ao voltar a vida de peão...


Leticia Andrea Pessoa

Letícia Andrea Pessôa

UM CAIPIRA SORTÊRO E SANFONÊRO
(poeta Caipirinha)

Sinhá, eu num sei falá
Num tive iscola pra estudá
Nem cunsigo cum as letra
Esparramá pra iscrevê
Coisas bunitas pra ôcê

Sô um home trabaiadô sem dinhêro
Minhas riqueza posso te falá
É o fole da minha sanfona, sinhá
Com ela posso inté cantá

Tenho também uma viola
Que tamém aprendi no oiá e escurtá
Cun eles posso inté tentá
Uma vida nova nois começá

Mais sinhá, num quero uma arventura
Só ficá cum as luz da lua
Nem se aproveitá das escuridão
Pra ficá brincano cum as mão

Quero se casá cum vois micê
E seu home sempre sê em toda hora
E nas estrada vamo a vida levano
Puxano o fole e chorano a viola

Poeta Caipirinha

Soneto de um caipira urbano

Lua cheia na roça, fogão de lenha, uma franga a cozinhar,

Nós ali, juntinhos, sozinhos, na varanda deliciosamente a beijar,

Enquanto na cozinha uma velha panela não para de chiar,

imitando com perfeição o mesmo barulho das ondas do mar.


Lua cheia na roça, noite clara, espetáculo da natureza.

Uma sensação de paz de espírito e de um sonho realizar.

No vaivém da rede a balançar um abraço com firmeza e

a crença de que aquele momento pudesse se eternizar.


Lua cheia na roça, noite linda, induzindo ao céu, olhar.

Um carinho, um abraço, mais um beijo...

Tudo lá.


Depois, o ombro amigo, um cigarro de palha a pitar,

Uma piada da cidade e um frango caipira para revigorar.


Ah, como é gostoso, na lua cheia da roça, sonhar e
amar!

Charles Canela

Na minha casinha de rebôco
abraço a vida, sem medo da solidão
reconstruo a minha estória caipira
contando "causos",
pois sou o cheiro desse chão!

Robson Ruas

Devaneios de Um Caipira

Ah de haver o tempo
Tempo necessário
Necessário para viver

Viver meu sonho
Sonho simples em ser

Ser o homem que me dou feito

Feito no barro
No rio, atrás da casa "humilde" de meus pais

Ah de haver o tempo
Tempo necessário
Necessário para viver

Aquela dor, suave e imensa de criança

O sonho, em novamente ser criança
Não qualquer criança. Mas, aquela criança, que ainda sou.

Ivan Madeira

E que nunca me falte
a boa música, gente divertida, o som do violão,
a moda caipira juntando a família,
o cafuné pra dormir e tentadores desafios.

Josane Hodniki

Minha família é daquela que se junta no final de semana
Toca moda caipira, faz churrasco e bebe cerveja
Tem gente que conta piada, outros que contam “causo”
Cachaça boa não falta pra quem chega
E caldo forte no fogão é pra “arribá” quem parte

Josane Hodniki

Mago jovem e sem barba?
Que fada feia... E não tem varinha de condão!
Bruxa boazinha?
Caipira bonitão!

Nem toda patricinha é metida
E nem toda metida é antipática.
Nem todo caçula é mimado.
Nem toda irmã mais velha é chata.

Nem toda pessoa do interior já andou à cavalo na vida
E há quem diga que muito chocolate não faz mal.
Tem pitbul que não é bravo.
E tem gente que não gosta de praia, mesmo morando no litoral!

Nem toda goiaba tem bichinhos.
Nem todo Natal tem presentinhos.
O papai também tem medos.
A mamãe também tem segredos.

Nem toda prova de matemática é difícil.
Os dias de férias, nem sempre são todos de sol.
Nem todo dia de chuva é sem graça.
Posso me divertir na praça ou também dentro de casa.

Não há uma fórmula pra tudo
Não há para tudo uma regra.
Cada pessoa é o que é.
Não importa se é branca, negra ou amarela.

Thaís Falleiros

Governador-caipira

E os eleitores resolveram votar naquele homem que veio lá do interior, humilde, simples, sotaque caipira. Um dia, um puxa-saco, desse de pálacio, chega bem perto, surpreende o governador-caipira vendo televisão. Faz sua média:
- E aí, governador, firme?
- Firme não. Novela

Desconhecido

Se para ser algo ou alguém
eu achar necessário passar
por cima de outro algo, alguém
prefiro continuar ninguém.
prefiro viver sempre aquém.
mas nunca em silêncio, amém.

Tiago Cadena

Café

o café acordou
o homem que
acordou o filho
que voltou a dormir...

o café, forte...
é vida pós morte
pra nós, enfim...
talvez haja sorte.

o homem tomou o café.
o homem foi ca fé

Tiago Cadena

O criado mudo

a cria do criado mudo
crê que vai acabar o mundo
crê que estamos imundos
a cria do criado mudo
queria porque queria
ser o que não seria
fazendo o que o outro faria
vivendo o um outro vivia.
aposto que todos sabem
quem é e quem servia.

Tiago Cadena

Nasci no "Dia do Rock" - hoje dia 13 de Julho, mas, adoro uma violinha caipira de 10 cordas. Abraços violeirísticos.

Luiz Maria Borges dos Reis

Caipira que foi salvo por Jesus não capina mais nas trevas, não calça as botas do diabo e, muito menos, tira o chapéu para seus escravos na roça, porque virou gente grande.

Helgir Girodo