Vc é Linda

Cerca de 7003 frases e pensamentos: Vc é Linda

Se eu puder fazer por ti o que ninguém jamais fez por mim, eu faço.

Anita Linda

Seu pai é um Leão, Sua mãe uma Flor, Seu irmão Meu cunhado e você éh meu amor'!

Linda Inês

"O amor e a paixão deviam trazer avisos bem visíveis dizendo: cuidado, pode causar estupidez."

Linda howard

Um dedo de prosa com Augusto dos Anjos

Ah, Augusto! Perfeita a tua dialética, lógico o teu pensar! Mas esqueceste de que a ingratidão, esse quinhão que recebemos ao longo de uma triste existência, se gloriou da minha mazela e trouxe consigo companhia para juntos festejarem o agonizar da minha última quimera. E qual pantera dos teus versos, os recebeu de braços abertos, para aplaudirem de perto o doloroso sepultar do bem que não me quis, do mal que me acompanhou até o último ato. De quando se apagaram as luzes da falsa glória de uma ribalta e sem aplausos e sem guarida, na utopia final, cerrei as negras cortinas do palco da minha ainda mais sombria vida. Quando mãos que julguei amigas, alçaram lenços brancos de fria e calma despedida e me lançaram ao abismo, ao precipício da indiferença, sem amor e sem ventura, sem ódio, sem crença! Esteve aqui presente para acompanhar o féretro do último idílio que me restou ,a senhora dona tristeza, que saltou de alegria sobre os restos mortais da minha fantasia. Na fria lápide por sobre o túmulo do meu sonho, a desesperança com mãos duras e frias solenemente o epitáfio escreveu: Aqui jazem teus anelos, teus anseios e tudo o que quiseste! O fracasso também veio com ares de vencedor e no velório do meu querer não chorou pela dor da minha alma! Veio também a mágoa, e atirou uma flor sobre o esquife onde repousava a esperança vã.... Ah, compareceu a desilusão para encher a minha taça, fazer um brinde à morte, e à sorte despediu! A inveja também veio vestida de bons amigos, dar os pêsames pela partida do bem eu que quis na vida. Fez-se presente a solidão, me aconchegou em seu peito e me fez companhia. O desencanto me enviou uma coroa de flores para enfeitar a campa onde enterrei amores findos.... A amargura dos meus dias, trouxe seu cálice de fel, fez-me sorver por inteiro a crueldade do meu destino . A traição se fez presente com seu beijo frio na gélida e pálida face da felicidade morta. A desventura apareceu e bailou com desenvoltura, na festa funesta do adeus dos meus sonhos.” Ficam aqui enterrados para sempre os teus desejos”, sentenciaram bocas, que um dia de beijos me cobriram ,balbuciaram lábios que escarraram sobre o cadáver frio de ilusões que se foram... E com pompa e circunstância, enterraram minha esperança em cova rasa, na terra miserável onde hoje apodrecem os ossos de alegrias que esperei, das venturas que morreram antes mesmo de nascerem, de bons presságios que outrora ansiei para o meu viver . Agora que todos tomaram seus lugares no palco dessa minha existência, no e escuro quarto das lembranças ,rola agora o meu pranto, escuta-se meus gemidos e meus lamentos. Pesa em meu ombros um fardo, fere-me a alma os espinhos, sangram-me os pés pedras que me lançaram falsos amigos ao longo desse triste, infindável e doloroso caminho. Aceito teu fósforo, amigo, acendo meu cigarro! E nas espirais de fumaça desenho vultos do escárnio. Sou fera e fera ferida, não pela terra, mas pelo hostil mundo, pela vida triste. A chaga, (essa em minha alma), nem aos vermes causa pena, nem mil jordões a curarão. As mãos de algozes de Cornélio, a mim apedrejaram, mas não se me abriram os céus. Aos que a minha boca beijaram, que não merecem sequer o meu escarro, mando também meus convidados ;Que lhes apresentem condolências pelo fim dos seus sonhos que um dia morrerão e seguirão em cortejo à sepultura dos desejos, onde estão agora os meus...Quanto à lama, essa já não me espera, pois repouso nela no poço obscuro do abissal inferno!

Linda Lacerda

A difícil arte de ser quem sou!




Não é fácil ser quem sou... Não trilho pela vida em caminhos planos, em brancas nuvens, mas também não passarei em branco... Não deixarei vazia a parte que me coube neste mundo... Vou retocando este croqui que nunca chega à arte final, mas espero que ao fim, eu possa entregá-lo se não perfeito, mas acabado, um projeto do qual a vida me encarregou e que é meu dever fazê-lo da melhor forma possível... Quase nada recebi como subsidio para chegar até aqui... Quando me trouxeram nada me deram além de uma planta desenhada pelo destino, que nunca representou o que sonhei um dia ser, a qual no compasso do tempo fui modificando, nada encontrei senão um terreno vazio e inóspito esperando por mim, no qual afixaram uma placa cujas inscrições eram: “Esta será você... Esforça-te e seja alguém"... Tive que fazer do material bruto matéria prima para iniciar o que hoje sou... Claro que trago calos e calos na alma pelas muitas vezes que tive que me reerguer sozinha, lutando contra tudo que tentou me desmanchar... Não é fácil construir-se sem ter tido moldes, terreno propício e estrutura... Pouca ajuda tenho do destino e o tempo só torna mais feia e sem brilho a minha pintura íntima... Tenho que correr atrás de novas cores que não o preto e branco que a vida me entregou, trazendo novas tonalidades para dentro de mim, dando pinceladas aqui e ali para disfarçar defeitos, colorir meu interior... Neste meu árduo trabalho de arquiteta de "ser”, muitas vezes quando pensei estar construindo pontes, estava levantando muros, fazendo paredes onde deveria ter feito portas, esquecendo-me em muitos momentos de abrir janelas por onde entrasse a alegria de viver, fincando esteios sem alicerce, construindo na areia e não na rocha e por isso tremendo na base a cada vento fraco que passou por mim...Muitas vezes, na ânsia de ser grande, construí labirintos e me perdi em mim mesma ,vagando por corredores infinitos, perdendo o prumo, e o rumo e sem conseguir me encontrar...E não raras vezes, ao invés de quartos arejados, teci casulos por anos a fio, esperando asas que quando vieram já me encontraram sem forças para voar, mas nem por isso rastejei, nem por isso perdi o nível... Alguns me olham e me julgam pronta... Longe disso... Às vezes quando quase me sinto assim, temporais me assolam, rajadas de vento me açoitam, ondas vêm e destroem o meu cansativo trabalho de uma vida inteira, levando para longe o que estava ao alcance das minhas mãos... Pequenas coisas atingem o meu lado mais frágil, onde por razões óbvias não coloquei escoras, não me protegi e lá vou eu de novo, começar da estaca zero onde pensei que havia posto um ponto final... E assim sigo reformando-me reconstruindo-me, colocando remendos em rachaduras que as essas mesmas intempéries fizeram... Portanto, não me julguem pelo meu exterior... Quem vier a me conhecer por dentro poderá se surpreender com matizes na minha alma, com lugares secretos e aprazíveis que fiz como refúgio para quem necessita achegar-se... Verá que por trás da minha aparência simples há uma fortaleza medieval. E por nessa construção ter sido mestra e não ajudante, tive a chance de conhecer cada parte de mim, tenho consciência de todos os meus defeitos... Conheço cada palmo desse chão onde usei o prumo da sensatez para aplainar, conheço cada centímetro dessa casa chamada alma e coração, onde habitam meus sonhos, minhas desilusões, meus anseios, minhas alegrias... Sei do que necessito para vir a ser aquilo que serei: Essa obra chamada "EU", a impossível arte de ser quem gostaria, a difícil arte de ser quem sou!

Linda Lacerda

O único absoluto é o relativo.

Linda Stang

Amo voce,de um geito que não sei esplicar.Louco,lindo,meigo arazador só sei que é amor...

Sindy Linda

"A vida é como andar de bicicleta. É impossível manter o seu equilíbrio quando ela está parada."

Linda Brakeall

Vidas Paralelas

Criei um mundo pra ficar contigo
Nele coexisto, ausência de dores
Nele sou o que sou, sigo e me dispo
De todos os pudores, revelando minhas cores.

Vidas paralelas, escolha errante
Estar com você é tocar o infinito
Paixão misteriosa, nau delirante
Atravessando o tempo, beirando o abismo.

Ao olhar o mar, te vejo longínquo
A saudade aperta, não reconheço e brinco
O cotidiano emerge, ouço o silente sino.

A tarde cai, me transporto e te cogito
Desejo tênue, sonho leve, quase agito
É nesse mundo que te encontro e te habilito.

Linda Edwards

Luz e Sombra...

Enxergo-me claro e escuro, luz e sombra
No turbilhão de emoções que desabrocha
O crepúsculo da vida me toma e arrasta
Na plenitude que me envolve e me devassa.

Sou obra em construção, careço de tinta
Sou tela abstrata, espelho tantos mundos
Sou pássaro curioso, emoção faminta
Sou menina girando no carrossel da vida.

Me descubro em múltiplas facetas
Questiono meus ídolos e minha rua estreita
Na pura desordem encontro a rota perfeita
Na dualidade do ser, minh´alma se aleita.

Não há que entender, tudo é mistério
A vida me presenteia, afaga meu ego
Ando em chão de estrelas, ao éden me entrego
Sou toda energia, meu vôo é incerto!

Linda Edwards

Desejo...

Meu desejo pela vida...
Tão grande que não cabe em mim
Tão forte que me amedronta
Tão sedutor qual cor de carmim.

Desejo saborear cada momento
Ousar e sonhar o impossível
Viver cada paixão sem lamento
Num todo saber imprevisível.

Desejo tocar tudo intensamente
Tantos planos ainda surgem em minha mente
Andar pelo mundo, semear novas sementes
Curtir a liberdade, viver apaixonadamente.

Desejo eternizar o meu presente
O amanhã é futuro longínquo e silente
O tempo se faz relativo e intermitente
Navegar no universo, deixar-se levar pela corrente!

Linda Edwards

Universo de Nós Dois

Paira no ar um cheiro de pele
Juras secretas são desvendadas
Vem a centelha e o fogo se espalha
Perde-se o medo e soltam-se as amarras.

O toque acende e o desejo se instala
O brilho dos olhos reflete na sala
Emoção sutil, ternura que embala
Sensibilidade latente no fio da navalha.

Uma aura de amor circunda a coxia
Música de fundo, dança e poesia
Olhares furtivos em pura magia.

Desejos sussurrados, instintos em folia
Corpos entrelaçados, calor, energia
Sentimento ilhado na fantasia.

Linda Edwards

Crepúsculo II

A tarde cai serena e fagueira
Fechando as janelas do dia
Cedendo espaço à lua e às estrelas
Que ousam clarear as sombras da boemia.

A luz vai mudando de cor
Mil tons se transformam em harmonia
Há um quê de melancolia e torpor
Nessa dança entre a noite e o dia.

O sol se põe e os amores se aguçam
Lânguidos olhares acendem e atiçam
Os corações amantes que logo se agitam.

Descobrem-se os véus e vem a penumbra
O clima de sedução envolve e deslumbra
A noite é criança e a folia é fecunda!

Linda Edwards

Infinito...

Acalento o desejo de um dia...
Voar mundo afora sem destino
Provando e sentindo o dia-a-dia
Dos andarilhos e dos peregrinos.

Acalento o desejo de um dia...
Navegar por mares nunca dantes
Ouvindo histórias de coxia
Bebendo a sangria dos amantes.

Acalento o desejo de um dia...
Habitar em praias oníricas
Ouvindo as ondas bravias
Soando qual músicas líricas.

Acalento o desejo de um dia...
Viver livre, plena e tranquila
Retratando o infinito...
Saboreando o néctar da vida!

Linda Edwards

Amor sem Futuro...

Nossa história não prevê futuro
O presente é tudo o que temos
E vivemo-lo tão intensamente
Que até transpusemos o tempo.

Nosso amor é aqui e agora
Sem pensar no lá e então
É tão forte que me apavora
É tão frágil e sem ambição.

Nossa paixão transpôs o limite
Do racional e do permissivo
É cega, não atende, insiste
É mola do amor impulsivo.

Nosso encontro é arrebatador
Como as ondas do mar agitado
Vem, quebrando os tabus com ardor
Vai, deixando o coração apertado.

Mas como diz o poeta Quintana
Coisas inatingíveis...por que não querê-las?
O amor invade, me leva ao nirvana
Para quê futuro...o presente é minha teia!

Linda Edwards

Tua Falta

Sinto falta de você...
do teu beijo apaixonado
do teu gosto de fruta madura
do teu corpo quente e dourado
do teu olhar cheio de doçura.

Sinto falta de você...
da tua forma de me olhar
da tua mão a me acariciar
da tua comida a me encantar
da tua voz a me incendiar.

Sinto falta de você...
do teu amor a me querer
do teu olhar de desejo
do teu calor a me aquecer
do teu galope matreiro.

Sinto falta de você...
da tua mansa suavidade
da tua forma de me cortejar
da tua doce sensibilidade
do teu jeito de me amar!

Linda Edwards

Encontro Esperado...

Quando penso em te encontrar
Me sinto borboleta nascida
Batendo asas, querendo chegar
No teu casulo, emoção atrevida.

Esse momento esperado
Me faz voar, pássaro sonhador
Sentir o galope apaixonado
Do cavalo alado, viril e sedutor.

Pensamento leve, livre e arrebatador
Sentimento errante, quase assustador
Momento mágico, sonho abrasador.

A espera é cruel, tempo usurpador
Vôo buscando com total despudor
O amor desnudo, fiel e perturbador!

Linda Edwards

Turbilhão

Pensamentos mil assolam minha mente
Ora de alegria, euforia da entrega
Ora de tristeza, mutilação latente.

Um turbilhão de sensações se faz presente
Invadindo e devastando a relva novamente
Ameaçando e questionando a beleza do poente.

Mas o crepúsculo se faz tão lindo e reluzente
Me aquece o peito e me diz docemente
Que o amor se instalou tenebrosamente.

É tempo da colheita, brotou da semente
Saborear os frutos, beber a seiva quente
Acalmar o coração...o tempo é leniente!

Linda Edwards

Minhas Dúvidas...

Tantas vezes me questiono
O que fazer com esse amor
Que me inunda de felicidade
E me encurrala de modo assustador.

Tantas vezes me surpreendo
Sonhando esse amor impossível
Buscando o horizonte perdido
Pra me encontrar no infinito.

Tantas vezes me assusto e luto
Contra essa dúbia realidade
Com esse presente do destino
Que roubou minha tranquilidade.

Tantas dúvidas ainda me assaltam
Tantos medos passeiam em mim
Sou nau errante desgovernada
Nesse universo paralelo e sem fim.

Linda Edwards

Celebração...

Quero celebrar o tempo que passamos juntos
E guardar com carinho as nossas lembranças
Quantos momentos lindos de amor vivemos
Quantas viagens ao infinito fizemos.

Quero festejar tua estada na minha vida
E as mudanças que você causou em mim
Adoro a pessoa que sou quando estou com você
Adoro pensar que nossa história não tem fim.

Saber que estás feliz acalma o meu coração
O que houve entre nós pra sempre vai existir
Mas agora é preciso te deixar partir
Singrar outros rios, ver outro olhar, construir!

Linda Edwards