Valsa para uma Menininha

Cerca de 150 frases e pensamentos: Valsa para uma Menininha

PEDIR EM AMIZADE

Uma vez uma menininha de uns oito anos se aproximou de mim e disse: "eu queria pedir tua filha em amizade". Ela já andava rondando a casa, pois havia percebido a presença de uma criança da idade dela e estava louca para brincar, mas achei de uma singeleza ela "pedir" para ser amiga da minha filha, como se pedia em namoro duzentos anos atrás.

Crianças têm esse hábito. Lembro que, no tempo do colégio, às vezes alguma menina se aproximava e pedia: posso ser tua amiga? Geralmente era alguém desenturmado, que não conhecia outra maneira de criar laços a não ser solicitando formalmente. Raramente dava certo, pois amizade é uma coisa que se constrói devagarinho, depois de muitas emoções vivenciadas em conjunto...

Mas se fosse fácil, se bastasse pedir, eu saberia pra quem. Bateria no ombro do Guga e do Fernando Meligeni e com a cara-de-pau que Deus me deu, perguntaria: posso ser amiga de vocês? Aquele sorrisão que o Meligeni deu ao terminar o último jogo da Copa Davis vale mais do que qualquer atestado de idoneidade. Esses guris são muito gente boa. Eu não suporto videokê, mas com eles eu passaria horas cantando o repertório do Só Pra Contrariar e iria me divertir feito uma pagodeira nata.

Para a Marília Gabriela, eu pediria de joelhos: deixa, deixa eu ser sua amiga. A gente passaria tardes falando sobre tudo e sobre todos, seríamos duas entrevistadoras e duas entrevistadas, duas verborrágicas, duas mulheres tentando entender o mundo.

Para o Nelson Motta e a Constanza Pascolato, eu pediria com delicadeza: posso ser amiga da dupla? Tanto faz se no Rio ou em Nova York, se é para falar de música ou de moda, ouvir gospell ou jazz, tenho certeza que a elegância e o sorriso mandariam na conversa.

Eu gosto de pessoas inteligentes que enxergam o mundo com humor. Não precisa ser famoso. Tem muitas pessoas em quem eu bato o olho e penso: deve ser legal ser amiga dele. É gente que não carrega o mundo nas costas, que fala olhando nos olhos, que não se leva tão a sério, que é franca na hora do sim e na hora do não. É difícil sacar as qualidades de uma pessoa sem antes conhecê-la, mas intuição existe pra isso. Tenho vários amigos que enriquecem minha vida e se encaixam no meu conceito de "pessoas especiais", mas meu coração é espaçoso e está em condições de receber novos inquilinos: Pedro Bial, se você quiser, ainda tem lugar.

Martha Medeiros

Cansei de gritar e resolvi latir

Como é horrível ser um animal. Um animal menininha. Usar vestidos, fazer as unhas, pintar os lábios, andar pisando leve. Por dentro, esse animal com fome, desesperado, selvagem, irracional.

Que bom dia que nada, cara. Que boa noite, que muito obrigada. Por que você não vem me amansar? Rasga o vestido da menininha, rasga.

Mata essa fome que eu estou de engolir seu ego, de te deixar perdido, de acabar com essa sua panca, essa sua distância.

Que se dane o esmalte falso das minhas unhas, eu que já guardei restos de células mortas da sua pele. Tira essa cor inventada da minha boca, esse tom estúpido de flor artificial. Faça ela ficar cheia de sangue vivo, entreaberta entre um grito e um riso. Tira esse meu andar leve e ereto, me entorta, me coloca do jeito que você gosta.

Que bom dia que nada, eu vou latir no seu ouvido se você achar que tem o poder de me magoar. Para que ferir meu coração se você pode ferir o meu útero? Para que dominar minha cabeça se você pode dominar o mundo pequeno e errado que eu inventei?

Eu que me faço de bem resolvida, por dentro são palpitações, são vozes de incentivo ao ataque, é calcinha de moça marcada por tanto desejo. Eu que um dia vou ter que ser mãe, que um dia vou ter que aprender a escrever. Eu que preciso ser levada a sério, preciso perceber que sou sozinha, preciso cuidar de mim. Eu que agora me atraso mais um pouco, sendo apenas instintiva.

Olhando você e só querendo correr de quatro até sua canela e morder toda a lógica dessa frieza.
Querendo te enfiar dentro de mim para preencher o vazio de ser incompleta.
Para sempre a vida me deve, e eu devo tanto a ela.
Querendo calar as batidas do meu coração ansioso com nosso atrito desesperado por minutos de paz.

Para sempre o silêncio, de quem não pode pedir, mas morre de desejo, de quem acaba de conseguir, mas morre de culpa.

Olhe para mim, me dá ração que eu estou morrendo. Olhe para mim, me deseje de novo porque eu estou murchando. Ou apenas venha me distrair, apenas esqueça todos esses poemas falsos.

Esqueça todas essas justificativas sofridas para uma simples vontade de deitar com você de novo.

Tati Bernardi

"Perfeição é coisa de menininha tocadora de piano."

Nelson Rodrigues

A menininha mimada nunca foi fresquinha,
Atravessa qualquer parada, aprendeu a se virar sozinha.
Sozinha, assim, nem tanto.
Ela não vive sem amor, paixão, encanto...
Tem dessas que viram patricinhas, outras guerreiras de primeira linha.
A bonequinha de porcelana revestiu-se de aço,
Aprendeu a andar a ponta dos pés para depois andar nas pedras sem sapatos.
Mãos de princesa e alma de Joana Darc...
Dedilhar piano nunca foi seu forte,
Diga isso aos seus pais, eles tiveram sorte!
Cansou de ser Rapunzel na torre coberta de flores,
Cansou de esperar pelo príncipe encantado,
Deixou de acreditar em amores...
Bobos da côrte enfeitiçados.
Mas chorou por um monte desses, que depois se mostram sapos.
Príncipe mesmo só um...Não exatamente príncipe.
Homem pra ela tem que ser plebeu, guerreiro, constante.
Daqueles que não saem fora por nenhum instante, seja qual for!
Chorou e ainda chora...
Porque espera que mude o mundo...
Liberdade é a palavra certa...
Igualdade é o que espera.
Livre das barreiras que o preconceito revela,
Não gosta de muros, nunca gostou.
Não precisa de armas para tentar revolucionar.
Não gosta de flores, senão em seus botões, vivos e suntuosos.
Ramalhetes são desperdícios...
Homens infiéis que os mandam para encobrir defeitos, mais ainda!
Deixou de ver a vida como um filme, cansou de esperar do nada!
A luta é a melhor maneira de se sentir amada, armada!
Mas ainda ama o som do mar,
Música alta, baladas constantes...
Para quê drogas, se a vida é tão mais inebriante?
A menininha dos laçinhos cor de rosa...
Vestidinhos rendados...
Sapatinhos de cristal...
Mulher... pra ser exato...
Laços rosas nas caixas de presente,
Vestidos, ainda sim, mas em croquis e moldes,
Pq desenhar ainda é seu ponto forte!
Sapatinhos de cristal???
O que eu falei sobre andar nas pedras???
Sua nobreza não vem de impérios
Corre em suas minhas veias!!!
Faz parte da alma...

Ana Beatriz Figueiredo Mota

A VALSA

Tu, ontem,
Na dança
Que cansa,
Voavas
Co'as faces
Em rosas
Formosas
De vivo,
Lascivo
Carmim;
Na valsa
Tão falsa,
Corrias,
Fugias,
Ardente,
Contente,
Tranqüila,
Serena,
Sem pena
De mim!

Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas...
— Eu vi!...

Valsavas:
— Teus belos
Cabelos,
Já soltos,
Revoltos,
Saltavam,
Voavam,
Brincavam
No colo
Que é meu;
E os olhos
Escuros
Tão puros,
Os olhos
Perjuros
Volvias,
Tremias,
Sorrias,
P'ra outro
Não eu!

Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas...
— Eu vi!...

Meu Deus!
Eras bela
Donzela,
Valsando,
Sorrindo,
Fugindo,
Qual silfo
Risonho
Que em sonho
Nos vem!
Mas esse
Sorriso
Tão liso
Que tinhas
Nos lábios
De rosa,
Formosa,
Tu davas,
Mandavas
A quem ?!

Quem dera
Que sintas
As dores
De arnores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas,..
— Eu vi!...

Calado,
Sózinho,
Mesquinho,
Em zelos
Ardendo,
Eu vi-te
Correndo
Tão falsa
Na valsa
Veloz!
Eu triste
Vi tudo!

Mas mudo
Não tive
Nas galas
Das salas,
Nem falas,
Nem cantos,
Nem prantos,
Nem voz!

Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!

Quem dera
Que sintas!...
— Não negues
Não mintas...
— Eu vi!

Na valsa
Cansaste;
Ficaste
Prostrada,
Turbada!
Pensavas,
Cismavas,
E estavas
Tão pálida
Então;
Qual pálida
Rosa
Mimosa
No vale
Do vento
Cruento
Batida,
Caída
Sem vida.
No chão!

Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
— Não negues,
Não mintas...
Eu vi!

Casimiro de Abreu

Enquanto o tempo acelera
e pede pressa,
eu me recuso, faço hora,
vou na valsa...
a Vida é tão Rara

Lenine

Sou
Pra mamãe: A mocinha!
Pro papai: A menininha!
Pra vovó: A inocente!
Pros primos: A insuportável
Pros amigos: A doida!
Pros desconhecidos: A metida!
Pros inimigos: Ela!
Pros admiradores: A linda!
Pros carinhosos: A princesa!
Pros incompreensíveis: A chata!
Pra mim: Apenas uma pequena menina com sonhos de uma grande mulher tentando ser feliz no seu mundinho com seu jeitinho de ser...

Paloma

As pessoas vão olhar para mim e dizer: Onde está aquela menininha doce e apaixonada? Bom, ela está aqui, mas só aparece pra quem merece.

Amanda Rodrigues

A valsa é a primeira dança do mundo; pelo menos é a única dança em que há poesia.

Machado de Assis

Batatinha quando nasce espalha a rama pelo chão.
menininha quando dorme põe a mão no coração.
Sou pequenininha do tamanho de um botão,
carrego papai no bolso e mamãe no coração
O bolso furou e o papai caiu no chão.
Mamãe que é mais querida ficou no coração.

Fernando Pessoa

- Você é uma menininha.
- Perto de você eu consigo ser e você não sabe o prazer que isso me dá.
- Se sentir menina?
- Estar com um homem, eu só andei com moleques nos últimos anos !

Tati Bernardi

"Depois, o calendário mudou de página, agradeci. Aprendi que, cada pessoa que dança valsa no baile da minha vida, é um mestre que escreve, a giz, na folha da minha eternidade. Eu não culpo as pessoas que preferiram mudar de vagão. Eu as liberto de qualquer acusação. A vida é feita de escolhas e de laços, não de amarras nem de nós."

Cris Carvalho

Anny Versário

Anny Versário era uma menininha
Que morava em um planeta bem diferente,
Um planeta de nome engraçado e meio bobo.....
Seu planeta se chamava: Planeta BOLO

Sempre com roupas coloridas,
usava um vestidinho com broches de pirulito e
botões de bala de caramelo,
e um chapéu em formato de cone amarelo.

Nas ruas feitas de chocolate,
com calçadas de marshmellow....
Ela vivia a correr e a brincar
e quando a noite chegava,
as velinhas ascendiam para iluminar..........

E por todos os lugares,
Ela vivia a cantar,
A sua música preferida:
“Parabéns para você,
nesta data querida,
muitas felicidades,
muitos anos de vida......”

Fernando Finatti

A minha maneira de ser romântica...
horas portando-me como uma menininha manhosa, horas como uma mulher fatal...

Polly Barros

Decifra-me...

Um dia sou uma ‘‘menininha” que sonha
Entretanto, tem medo de acordar
E encarar a realidade...
No outro, sou incontestavelmente
Uma mulher sem medos.

Um dia sou como um forte vendaval
Que por onde passa
Deixa marcas...
No outro, sou como uma leve brisa
Branda e inofensiva.

Um dia sei exatamente o que sou
E no outro fico confusa
Em relação ao meu ser...
Fico perdida
Sem saber o que fazer ou até mesmo pensar.

Posso ser uma ‘‘menininha”
Ou uma linda mulher...
Um vendaval ou uma leve brisa
No entanto, se quer saber quem sou
Então decifra-me.

Jhennifer Karoline May

Quando o reporter perguntou a menininha, vítima do terremoto no Haiti o que ela mais desejava e ela respondeu : "Quero voltar para o colégio" . É que o cheiro da morte não mata o perfume da esperança, que não morre nunca.

José Sarney Folha de São Paulo 22012010

É a menininha cresceu e não quer mais perder tempo com pessoas como você.Eu só quero ser feliz e como pessoa determinada que sou fique certo que o que tiver de fazer pra encontrar a felicidade eu vou fazer.Mais não precisa ter medo você não faz parte dos meus planos.

Thayna Amanda

A menininha que a partir de hoje será corajosa em todas as situações...
Perdendo, assim, o medo de enfretar a vida...
a alegria, a tristeza, o ódio, o amor...
Perdendo o medo e ganhando a coragem para seguir em frente...
com um único objetivo:
Ser Feliz!!!

PeQuEnUxA

Mais de 7 bilhões de pessoas no mundo, e meus amigos conseguem ser os mais idiotas !

Menininha Estranha "Eu"

Aquela Valsa.

Fiquei com a xícara de chá na mão e o olhar fixo naquela foto de nós, e eu, tão desantento e tolo, não pressenti que você queria pra sempre aqueles anos dourados que vivemos e que foram registrados pela minha máquina que hoje é ultrapassada. Infelizmente também não pressenti aquele ciúme ou as gotas de orgulho que pingavam lentamente e dividiam a água do óleo me fazendo distanciar de você. Mas me fiz de desinteressado, fingido e descolado. Fui cego, mudo e frio sendo que por dentro meu corpo corroia a ideia e a insegurança de tudo aquilo acabar, e acabou. Hoje, depois da sua morte, observo nossas fotos e revivo momentos na minha cabeça só pra sentir de novo sua presença ao me olhar dormindo no sofá de casa, porque percebo que não queria ter soltado sua mão quando você precisou. Mas eu soltei. Precisei soltar pois eu não era homem pra você, eu era a mistura de sensações de quando se está no pico de uma montanha-russa: queria sentir a queda, mas tinha medo (e os outros brinquedos do parque me fascinavam). Já você era a própria montanha-russa, a relação era toda levada por você, até mesmo a manutenção. Ano-luz você estava a frente de mim, e como sou grato de um dia saber que por algum tempo você se dedicou a tentar fazer de mim não mais um jovem, mas um homem. Admito que as coisas que te magoaram também me fizeram chorar depois e eu, que achava que era tão insensível, precisei trocar todas minhas roupas, porque seu cheiro estava impregnado nelas pelos abraços que você me dava sem eu merecer. E o silêncio de casa ainda me faz lembrar quando você falava sem parar, por mais que eu não prestasse atenção, ou quando cantava com desafinação me rendendo boas risadas que agora se convertem em vazio. Sabe, não sei descrever ao certo se o que sinto é arrependimento ou ódio de mim mesmo por não ter dito aquelas palavras no seu ouvido, ou não ter te levado nas viagens em que fiz sozinho, por que hoje eu tenho muito pra falar, mas você não está mais aqui. Toma conta de mim um vazio e uma inveja da onde você está agora. Mas em algum lugar saiba vou eternamente amar o carinho que você tinha por mim. E aquela valsa que você me pediu e eu não dancei, eu dancei hoje por você.

Dan Valenciano