Trabalhador

Cerca de 98 frases e pensamentos: Trabalhador

Poema do sacrifício


Trabalhador como ainda sou
sem ter que fazer na solidão
só faço o que manda a precisão
e por isso e mais
colho o barro na ribeira
procuro madeira na mata
garimpo a pedra disforme
repuxo o couro esticado
recolho o vidro e o bronze
preparo a fornalha e o cinzel
encho a bacia de água
recorto e ponteio pedaços
bato e amasso o inteiro
moldo e faço acabamento
depois coloco na luz do sol
debaixo reflito na lua
depois lavo na água corrente
depois olho e me alegro
depois digo enfim
que tudo na vida é trabalhoso
e não vale mais que doistões.

Rangel Alves da Costa

267. Não deve o trabalhador que trabalha na terra, não colhendo, comer da plantação.

Preceitos Proibitivos (Não faça)

268. Não deve um trabalhador que trabalha na terra, colhendo, comer em demasia, ou guardar para mais tarde, das plantações.

Preceitos Proibitivos (Não faça)

Se você não ver seu trabalho como sua vida,é sinal que você é um trabalhador morto.

Henry Nascimento

O maior castigo para o homem honesto e trabalhador é o desemprego.
Isso faz com que sua dignidade, seu respeito e sua credibilidade virem pó!

Eduardo Aques

“Quando o trabalhador de D’EUS está pronto o trabalho sempre chega.”

Crystiane Bagatelli

XXVIII Trabalhador cadê vossos direitos?

Oh,triste lugar da desinformação!

Brasil teus filhos são leigos

Uma grã vergonha para Nação.

Leandro Bahiah

Mais vale um trabalhador descansando, do que um vagabundo trabalhando.

Bruno F. Brizolla

Assim como um trabalhador exausto
Anseia pelo leito de descanso
Anseio por aninhar-me em teu colo
E descansar no teu amor.

Fabricio Canalis

Redação do Trabalhador no ENEM

“A educação é fundamental, é a chave para que o Brasil se torne de fato um país desenvolvido” (ROUSSEFF, Dilma. 2010). Ideia atraente em palavras e, disto, decorre a falsificação da realidade, bem como o seu mau-uso nesta mesma realidade.
Falando em realidade, nos atentemos a ela. Sábado e domingo, fiscalizando o Enem, deparei-me com o seguinte paradoxo: o trabalhador quer mudar de vida através da educação (nada mais bonito de se constatar). Entretanto, como mudará de vida através dela – da educação - se no dia anterior trabalhou o dia ou a noite inteira e, naqueles dois dias, estava diante de uma prova de 90 questões por dia (além da redação no domingo)?
Com a licença de uma amiga a qual comentei isto, reproduzirei parte de nossas trocas de ideias. Ao comentar o caso, ela me disse que “a pessoa tem que estar focada, mas não tem como desistir. A superação é maior do que a realidade permite, a pessoa tem que se superar pra depois não se arrepender”. Pois bem, “focada”, o “foco do indivíduo”, “a força de vontade”. Isto é o que o Capitalismo auxiliado pelo pensamento Liberal faz alguns pensarem, pensar que só depende da pessoa e, desta maneira, se consegue, heroísmo e dotado de grande força de vontade, se não consegue, preguiçoso e sem falta de vontade própria, não se superou, fracassado. A amiga também disse da negociação entre trabalhador e patrão. Como haver negociação favorável ao trabalhador se o mesmo se encontra em desigualdade. Como esperar conciliação se há interesses divergentes? O governo não deve esperar negociação, ou melhor, não deve esperar “a falsificação de uma falsa negociação”, uma falsa conciliação. Meu pai é empresário, e pelo que lhe conheço, sei que liberaria – até orgulhosamente – seu funcionário caso ele pedisse folga no dia anterior à prova para “preparar-se melhor”. Porém, e se um dia lhe ocorrer de não “conciliar” o seu interesse com o de seu trabalhador? E se o seu trabalhador não tiver audácia – sim, pois para alguns empresários, tal pedido seria encarado assim – de pedir-lhe a liberação? Não há conciliação de interesses entre patrões e empregados. Não há conciliação entre capital e trabalho. Não se deve esperar a boa vontade do empresário. Desta boa vontade, o “inferno” está cheio. O governo, que se propõe ao lado do trabalhador, deve, de fato, defender seus interesses.
Fracassados? Voltando a realidade daqueles dois dias, percebi que as duas senhoras que declararam ser trabalhadoras – uma, inclusive, trabalhando à noite inteira numa cozinha porque não atendida pelo patrão quando pediu uma “folga” – não estavam em mínimas condições físicas e psicológicas de fazer a prova. Sentadas na cadeira, lutavam pra manter os olhos abertos e fixos nas questões. No insucesso, uma delas entregou-se aos cochilos por várias vezes e a outra suspirava fundo, andava um pouco no corredor, ia ao banheiro, lavava o rosto – inclusive, me perguntando se, em algum lugar, conseguiria café, o que respondi em poucas (e dolorosas) palavras, como me foi incumbido, que não tinha conhecimento uma vez que era a primeira vez trabalhando ali.
O que constatei observando as duas senhoras é que não, estas duas senhoras e mais milhares de outros trabalhadores não são fracassados, já são vencedores somente ao se proporem mudar socialmente pela educação, não podendo ser culpabilizados pelas condições que não lhes eram favoráveis, como foram a mim quando fiz a prova, descansado, sem ter trabalhado no dia anterior ou em quaisquer outros dias, ou seja, minhas condições - e a de vários “concorrentes” das duas senhoras naquele dia - era de preparo físico e psicológico, além de, é claro, teórico. (Estou aqui falando somente da preparação física – e, até certo ponto, psicológica - do trabalhador que é o imediato do exame. A preparação em outro sentido, qual seja nos conteúdos, é algo mais complexo pra caber neste pequeno texto, mas igualmente importante.)
Além disso, constatei também que não se pode restringir algo que se propõe – e deve ser de fato – universal: o acesso à educação. Não falo da igualmente ridícula “concorrência em igualdade de condições”. No acesso à educação que se pretende universal, não há concorrência, caso contrário e obviamente, não é universal. Falo, pelo menos neste pequeno texto e mais imediatamente, de um caso dentre as diversas condições desfavoráveis ao trabalhador no acesso à educação, condições estas, falsificadas por frases de efeito, ideais e raras histórias de “superação pessoal”.
Mais uma vez, voltando à realidade, a trabalhadora que tentou ficar acordada o tempo todo, por fim e vencida pelo cansaço, desiste de terminar a prova, desiste no meio de sua redação. Frustrada e cabisbaixa, desenha, cochila, desenha, cochila, desenha, coch... E o governo, que se diz preocupado tanto com a educação - encarando-a como indispensável pr’uma mudança social - quanto com os trabalhadores – haja vista que o Partido dos TRABALHADORES está à sua frente – nada faz nesta lamentável situação. Contraditório, não?

Lucian Rodrigues Cardoso

Para cada trabalhador que a delinquência assedia, há duzentos preguiçosos que ela já seduziu!

Reinaldo Ribeiro - O Poeta do Amor

Hoje é dia 1 de maio, dia do trabalhador, meus sinceros parabens
-Mas me pergunto o que será que se tem pra comemorar ?
Vejo empresas explorando seus funcionarios
patrões humilhando seus empregados
um salário miseravel que mal da pra pagar alimentação
transportes coletivos sucateados, metros super lotados.
O brasil é um dos paises que mas tem datas comemorativas no calendario
muitas dessas datas são inuteis, só servem pros nosso parlamentares pegar nosso dinheiro
e tirar seus dias de folga em mansões e lugares paradisiacos.
Esse é o nosso pais, o pais da desordem.

Talibanvtds

FESTA DO TRABALHADOR

Quando recebeu o convite pelo correio eletrônico interno, nem leu.
Não iria. Nunca gostou das “festas da firma”.
Antes aproveitaria o feriado e faria um programa mais a seu estilo.
Achava muito estranho que no “Day after”, destas festas, sempre aparecia alguém, cabisbaixo, vindo dos recursos humano demitido e com a informação que a cerveja era para todos consumirem.
Só mudou de ideia quando os amigos mostraram a ele que aquela seria uma festa diferente.
Haveria um duelo imperdível. Uma atração muito especial. Quando, voltou ao convite para, de fato ler, confirmou presença na hora.
A chance de fazer uma grande descoberta se abriu ali, bem diante de seus olhos. Oportunidade imperdível pensou.
Dali pra frente foi um dos grandes entusiastas na divulgação do evento e ajudou a torná-lo o maior de todos.
Quando estacionou seu carro a duas quadras do local, por ter sido a única vaga que encontrou, sentiu que os objetivos de mobilização estavam amplamente atendidos.
Ao abrir a porta ouviu aquele barulho típico das grandes junções, dos grandes shows, dos grandes eventos. A música com volume exageradamente alto só aumentava esta certeza.
Adentrando o recinto acabou ficando mais ao fundo. Gostava de observar tudo. A música realmente era interessante e a iluminação apropriada tornava o ambiente festivo. Sem contar aquela algazarra típica. Ninguém entendia nada, contudo todos falavam ao mesmo tempo.
Como de costume, chegou o horário marcado e nada de começar. É incrível como sempre atrasa. Finalmente ás vinte duas hora e dezoito minutos a luz do salão foi diminuindo até apagar por completo. Apenas um canhão iluminava o palco. Rigorosamente vestido entra o apresentador.
Figura conhecida da mídia nacional contratado para o evento.
Após os tradicionais senhoras e senhores e vocês são os melhores do mundo e outros puxa-saquismos, anuncia a atração esperada para noite.
A minha direita, com toda a sua vivência e experiência Senhor Trabalho. Senhor work, brincou. O sujeito entra todo mascarado, em uma das mãos uma CLT na outra, processos trabalhistas, patrocínio abundante nos calções. A grande maioria de centrais sindicais. Músculos reluzentes. Aparentando agilidade, faz alguns movimentos no palco e recebe aplausos e gritos histéricos de algumas jovens mais saidinhas.
A minha esquerda... A dengosa. A imprevisível. A indesejada, Senhora Preguiça.
Ela entra lentamente sobre fortes vaias e assobios de desaprovação.
Ele ali firme em seu propósito de fazer a grande descoberta.
Ao final do embate, que mais pareceu um massacre se aproximou do Senhor trabalho para tentar seu objetivo. E conseguiu. Num descuido da segurança aproximou-se e perguntou:
-Senhor trabalho, quem é teu pai, quem te inventou?

Calma e educadamente ele respondeu. Uma pena que barulheira do ambiente não possibilitou entender a resposta.
Uma pena.
É muito azar.

Moacir LuÌs Araldi

No céu vi brilho uma estrela que brilha.
Sol do trabalhador.
Homem,

Sofredor que levanta antes do amanhecer.
Pois o machado é seu instrumento musical.
Enfada seu microfone.
Ela canta está canção todos os dias.
Quando chega o final da semana não tem o pão.
Nas mãos os calos dos seus instrumento musical.
Ainda vive alegre,
Nesse sertão.

Adriano Oliveira

Algumas coisas nesta vida que eu não entendo como: no dia do Trabalhador ninguem trabalha, Agente trabalha tanto para pouco lucro...

Entre outras duvidas

Raul Lafayett

Devaneios do trabalhador dedicado

Dou um tapa em quem denegrir a imagem do senhor
Sem o senhor não teria emprego, minha família estaria na miséria
Não sei o que seria!
Eu agradeço a compaixão do senhor
O meu deus, não me imagino sem a ajuda do Sr patrão de cada dia
Sem ele, para ajudar não comeria
Sem ele para me proteger não teria teto nem telhado
Não teria restos para engrossar o caldo
Sou grato eternamente pelo suor de cada dia
O senhor me proporcionou a leitura, a luxúria do copo de vinho
Deu- me anos a mais de vida... Tenho 25
Em tempos de escravidão, seria avô de senzala
Uma vida farta dessa e alguns jogam fora, que pena
Prefiro trabalhar de sol a sol a me aventurar pela vida
Fartura pra que? Pra mim está muito bom!
Faço até bico nos dias de folga, uma horinha extra
Lá... Na vila dos pássaros escuros
Eu chamo assim, outros chamam de lixão
Vê se pode? Povo grosseiro é assim mesmo!
Bem, aqui na vila tem de tudo, até lanche de rico. Reclamar de que?
Comemos vegetais, cereais, até iogurte eu já comi por aqui.
Bom demais da conta, sô!

João Vitor Rocha

Trabalhar arduamente, isto é, ser um grande trabalhador, é o caminho mais fácil e rápido para alcançar-se a riqueza... e o cemitério!

Rogério Silvério de Farias

Pode um preguiçoso trabalhar, assim como pode um trabalhador descansar. Afinal as aparências das coisas não expressam a realidade.

Francis Cirino

A dignidade do trabalho...
E o salário do trabalhador? O salário é um direito.. Não basta ter salário, é importante ter salário justo e só será quando a remuneração possibilitar fundar e manter dignamente uma família e assegurar seu futuro. É bom lembrar que as necessidades de uma família não se limitam à alimentação, devem abranger toda a vida: a educação, a saúde, a moradia e até o lazer. Numa palavra: tudo aquilo que cria um ambiente familiar sereno para a felicidade de todos.
Então... Valorizemos o trabalho e o realizemos com amor, cumprindo nossos deveres. Seja também um alerta para a importância da organização dos trabalhadores na luta pelos seus direitos e por fim, um apelo a quantos detêm o poder, para que saibam que a construção da justiça passa pelo valor ético e humano do trabalho.

Maria Zenith Andrade Brandão

Que o sol se ponha docemente
Que o trabalhador descanse o suficiente
Que nossa noite seja serena
Que a paz permaneça plena...

BOA NOITE BONS AMIGOS!

mel ((*_*))

Melania Ludwig