Tio para Sobrinha

Cerca de 70 frases e pensamentos: Tio para Sobrinha

Chamei minha mãe e meu tio para um passeio, pegamos o carro,
entramos no Buraco do Padre e tomamos o caminho do shopping.

Felipe Neto

Ei tio, tu vende o que aí? Ah é? Não, não. Não quero. Eu pensei que fosse dose de amor.

Murilo Melo

Eternas horas no sertão

Um convite, uma aventura, Já era tardezinha quando cheguei à casa do Tio João e Tia Maria. Um Casebre daqueles dos contos de fada, a beira de uma Mata às margens de um Rio lindo e maravilhoso que nascia em meio ao Sertão. Fui recebido logo na Porteira pelas belezuras de meus tios, casal abençoado, um abraço tipo aquele que a gente nunca esquece, me afagaram com carinho. Logo na porta da sala pude sentir o cheirinho de comida de tia Maria, era frango caipira que estava na panela a cozinhar. Minha fome era de leão, afinal a viagem tinha sido longa, e eu não via a hora de sentar a mesa para deliciar aquele frango que exalava um cheiro delicioso no ar. Na sala da casa, muitos quadros, Santos e flores. Tia Maria me levou até o quarto onde eu iria pernoitar muito simples mais aconchegante, somente naquele momento pude perceber que na casa não havia luz, ao lado de minha cama estava uma lamparina a qual seria a minha luz. Seguido me mostrou o banheiro que ficava do lado de fora da casa na varanda. Peguei minha tralha e a Lamparina e fui tomar um banho para tirar a poeira do corpo; o frio era de lascar e o chuveiro estava uma delicia, feito com serpentina água quente em abundância.
Já Cheiroso e limpo, pontualmente as 18:00 horas, momento em que eu estava papeando com meu tio na sala, Tia Maria gritou lá da cozinha: João traz o sobrinho pra jantar. Visão deslumbrante sobre a mesa, um franguinho caipira a moda da roça, banhado em um caldo madeira acompanhado de um arroz soltinho e feijão, tudo feito na hora e no fogão de lenha. De lambuja acompanhava uma abobora verde refogada e umas batatinhas do tipo cosidas e depois fritas. Nunca comi tão bem na minha vida. Logo seguido aquele jantar maravilhoso, Tia Maria serviu um cafezinho bem quentinho, feito com café colhido e moído na roça.
Depois o Tio João pegou o seu banquinho de madeira e a lamparina, o levou junto ao fogão de lenha, me convidando a fazer o mesmo. Logo Tia Maria se posicionou ao lado do Tio João, e iniciamos um bate papo maravilhoso. La pro meio da conversa Tio João me perguntou se eu acreditava em assombração, “ vixi pensei comigo, isso não vai prestar”; mas enfim como tudo é aventura dei continuidade a conversa sugestionada pelo Tio João, e respondi que não acreditava. Foi a pior coisa que eu fiz naquelas 24 horas que visitava e convivi com meus tios sertanejos. Tio João que tinha mania de falar alto e em bom tom, como uma metralhadora começou a contar-me história de arrepiar o cabelo, e todas eram confirmadas por Tia Maria(Não é mesmo Maria, dizia ele sempre), que de vez em quando dava uma bela gargalhada ao perceber que eu me sentia amedrontado com as historias do tio João.
Tia Maria por volta das oito e meia da noite disse ao tio : João larga de bobagem já e tarde vamos dormir que o menino esta cansado, e amanha a labuta é brava. Nesse momento fiquei desesperado, dormir tão cedo, será que eu iria conseguir; minha mente estava atordoada de tantas histórias horripilantes, de lobisomens, de mula sem cabeça, de bruxas do mato, enfim eu estava literalmente “cagando nas calças” sob o domínio do medo devido as historias do Tio João. Mas fazer o que ficar sozinho na cozinha a luz de lamparina é que eu não iria, corri pro quarto antes que o tio e tia se deitassem, e me enrolei de uma maneira na coberta deixando apenas minha boca para fora para que eu pudesse respirar, lógico com a lamparina acessa. Mas de maneira alguma eu consegui dormi, e pela fresta do cobertor eu podia perceber a luz trêmula da lamparina, horas eternas que nunca passavam e o sono que não vinha, e isso me assustava cada vez mais. Minha imaginação só havia vagas paras as historias do Tio João, foi quando de repente a luz da lamparina como mágica , pimba apagou. Fiquei em ponto de gritar para que o Tio João ou a Tia Maria levantassem e ascendesse novamente a luz da lamparina do meu quarto. Mas pro tio e pra tia eu tinha fama de durão, resisti e fiquei ali me torturando, a hora nunca passava, foi quando começou o calor a tomar conta de mim embaixo daquelas cobertas, senti minha respiração ofegante, o ar já me faltava; mesmo assim eu resistia todo aquele sofrimento. O Tic TAC de um relógio ao longe, era a única coisa que eu ouvia, quando algo bateu na janela de meu quarto, nesse momento eu arranquei toda coberta da cabeça num susto, e num susto eu cobri novamente pois era somente escuridão, tudo que eu pude ver era um breu. O pânico tomou conta de mim, quando por volta da meia noite o galo cantou, e segundo o Tio João que na suas historias havia mencionado, que quando o galo cantasse meio fora de hora, ou seja por volta da meia noite era sinal de que os mortos estavam a perambular noite adentro. Foi a gota d”água , já todo molhado de tanto suar embaixo da coberta comecei a invocar todos os santos que eu conhecia, e as horas passavam lentamente e foi quando acabei por fim cochilando alguns minutos. E em meio a um pesadelo novamente estava eu acordado, em um quarto totalmente escuro e silencioso, desesperado para que o dia amanhecesse logo. Já pela madrugada adentro, quase morto de sono mas atormentado por pensamentos insanos, comecei a sentir uma enorme vontade de ir ao banheiro, e foi aumentando, aumentando; e eu lembrei que o banheiro da casa existia, mas estava do lado de fora na varanda. O que fazer agora pensei comigo, eu já não agüentava mais toda aquela situação, o desespero foi tomando conta de mim, a vontade de urinar era algo incontrolável, mas meu medo parecia maior; foi quando ouvi um rangido de porta, seguido passos que vinham em direção a cozinha e ao meu quarto. Em um gesto de puro heroismo dei um pulo e cai em pé ao lado da cama, foi quando vi uma luz passando pela porta de meu quarto, que alivio era o Tio João que estava indo ao banheiro. Eu sai em disparada atrás do Tio João, momento em que ele indagou: vai ao banheiro!, respondi prontamente sim, novamente ele indagou: se quiser pode ir na frente eu espero aqui, pegue a chave da cozinha que esta pendurada na porta e o banheiro e na varanda. É claro que ir sozinho La fora em meio a escuridão, a loira noiva morta viva que morreu na encruzilhada poderia estar me esperando, fui não, e com isso primeiro foi o Tio João que saiu com a lamparina na mão enquanto permaneci na cozinha, e ao ouvir o ranger da porta do banheiro se abrindo sai correndo pra fora e pulei dentro do banheiro, e o Tio João fez a cortesia em me aguardar com a lamparina na mão. Foi a mijada mais gostosa da minha vida.
Voltei pra cama mais conformado, ascendi a lamparina e ajeitei pra ela um lugarzinho especial para que não se apagasse novamente. Peguei no sono; sono que não demorou nada, foi quando escutei o Tio João conversando com Tia Maria, já estava na hora de levantar. Pensei comigo, mas que vida sem sossego leva essa gente. Permaneci na cama por mais algumas horas e acabei acordando com o cheiro de café, acompanhado de um aroma de bolão de milho. Não resisti e levantei-me, Tia Maria cumprimentou e disse: dormiu bem meu filho, respondi prontamente: como um anjo Tia Maria.
Tião já havia feito a ordenha do gado e estava na lavoura. Almocei , e voltei para a cidade. Com isso aprendi, que a vida simples da roça e um conto de fadas, de bruxas, um mundo de sonhos e de bons momentos. Viver essas fantasias me levou-me acreditar que até nos confins do sertão é preciso coragem e criatividade para sobreviver. Tio João e Tia Maria as coisas mais simples da vida são as mais extraordinárias, e só os sábios conseguem fazer com que a gente possa vê-las ou imaginá-las.
Nenê Policia...

ANTONIO CARLOS DE OLIVEIRA(NENE POLICIA)

Se carro de som impressionasse mulher o tio do carro da pamonha e do abacaxi de marataizes estariam bem na fita

Davi Goulart Martins

Vários pagando de exemplo, sendo que na verdade, realmente não é espelho à ninguém tio! Vai vendo... Todo mundo erra, mas persistir, continuar no erro é idiotice, ignorância, imbecilidade. Sem mais!

Guilherme Silva Rocha

A rima agora sai na inspiração tipo tio PAC não tem um respiração só inspiração o Rap é tipo crack mais só que um tracção 4 por4 ñ tem um tenção só atracção tndeu , quando vc ler essa rima não tente entende só sinta .

reinaldopenssador

O tio manel o seu burro está coxo
está coxo, mas ele tem de trabalhar.

Está velho coitado, tem de pedir a reforma
já pediu mas não lha deram, dizem que é muito novo.

Somos muito novos para a reforma...
mas velhos demais para trabalhar

Vamos os dois morrer à fome se não formos
trabalhar, nesta terra onde ninguém dá nada
"tiram-nos é tudo, tio manel."..!!!

IsabelMoraisRibeiro

Pra atrasa-lá tem mil, pra ajudar tem um. Mas isso não é desculpa não tio, pra mim isso não é novidade...! Mano, olha que fita: Você está vivo ainda... LEVANTA E FAÇA SEU MELHOR CHAPA OU MINA! Dá seu máximo ai pro mundão. Eu tô fazendo o meu melhor, quero ver você também...!!!

Guilherme Silva Rocha

Eu não estava ali, estava aqui com Tio ali,eu não sou louco, apenas te amei um pouco,eu não estou no mar estou aqui para te amar e eu não sou quem abusa apenas amo Guebuza.

Sitifane Faustino Erneio

Tio da injustiça; primo pela justiça porque acredito nos que a fazem.

Cláudio Mendes

eu nasci em janeiro de 95, no dia 12, meu nome é Nei em homenagem ao um tio meu, que faleceu, meu pai gostava muito dele, fora esse eu tenho mais um tio por parte de pai, e muitas tias, minha mãe não curtiu muito o nome, por parte de mãe eu tenho 1 tio e 1 tia , minha vó paterna é de minas, meu avô paterno também era, só que eu ele faleceu bem antes de eu nascer, ele era maquinista do maria fumaça, era como se chamavam os trens que cruzavam o brasil, meu pai já faleceu, acho que eu tinha 7 anos quando ele se foi, eu não fui no enterro dele por medo, até hoje eu me culpo, morei um tempo com o meu avô materno, que é do pernambuco e minha avó, que é da paraíba, foram bons anos, minha mãe sempre batalhou bastante pra tomar conta de mim e das minhas duas irmãs, eu tenho um irmão por parte de pai, só que eu não o conheço, já tentei procurar mas desisti, minha irmã mais velha tem dois filhos, saiu de casa com 16 anos, foi umas das épocas mais tristes da minha vida, mas eu gosto dos meu sobrinhos, são um casal, minha irmã do meio não é minha irmã por parte de pai, então a gente nunca se deu tão bem quanto eu e minha irmã mais velha, eu sempre fui um mlk muito tímido, sempre me achei feio, e todo mundo me zuava no fundamental, quando eu entrei na adolescência conheci um pouco de musica, eu sempre fui mais inteligente que a maioria da minha idade, e responsável também, perdi o bv com 7 anos, só fui beijar de verdade com 11, me apaixonei com 13, por uma menina que eu amo até hoje, dai minha teoria de que o amor é eterno, aprendi muito com essas decepção amorosa, comecei a passar o rodo em todas as meninas, me arrependi de ficar com uma ou duas, me engajei no rap, comecei a encontrar sentido nas coisas, comecei a ser solitário, ter um monte de amigos mas me sentir sozinho, sou assim até hoje, encontrei uma amiga falsa, nunca perdoei, nunca perdoo, machuquei alguns corações, hoje doí bem mais em mim, encontrei em meio ao abismo um amigo que me apoiou, o lucas jesus, se não eu não faria mais rap, no inicio do ano, o cigarrinho me chamou pra formar o sópedradacrew, chamei o jesus pra colar, fizemos algumas musicas e um show, to com algumas menias em vista, mas não quero sofrer nem fazer sofrer, por isso estou só.

Neisantos

Quem seríamos nós sem o amor ? Amor de mãe/pai , de avó/ avô, de tia/tio , de amiga/amigo , de namorado/namorada, noivo/noiva, marido/esposa , e etc ... E principalmente o amor de Deus ! O que seríamos sem o de Deus ? Sem ele não somos nada, sem o amor então ... E o que seríamos sem o amor próprio ? O amor é uma das coisas mais importantes e mais essenciais do mundo. Mas infelizmente falta muito amor no mundo , não tem amor o suficiente , mas nada que os habitantes possam melhorar , é só todos quererem que o mundo vai longe ...

Ellen Paradela

A LIÇÃO DE MARNO

Aos doze anos de idade fui com minha mãe visitar o tio Marno, ao qual dedicava muita afeição.
Marno era destes, que no segundo ano primário abandonou a escola, achando que a professora só o fazia perder tempo. Ao falecer em 1988, conhecia pelo menos oito idiomas, falava quatro e era consultor de mecânica, física, música, pintura e quase todo o conhecimento humano possível para uma só cabeça captar.
Naquela visita, íamos conhecer a máquina que ele inventara, para uma indústria de velas. Ela era alimentada com os ingredientes num extremo; no meio entrava água para a refrigeração e as velas saiam prontas na outra ponta, com extrema rapidez.
Elogiei a invenção e o Marno me disse que tivera pouco tempo para fazê-la e por isto não pudera concluir a etapa de empacotamento automático. Era demais para um adolescente! Não resisti e exclamei: "Tio, queria ser como você e inventar as coisas. Como você faz?"
Em sua inesgotável paciência ele me explicou: "É fácil, você começa com uma idéia simples, como por exemplo: - De que se compõe uma vela? Após saber seus ingredientes, e como fundi-los, sua primeira reação será a de inventar uma forma, que lhe dará a modelagem da vela, com um cordão no centro como pavio. Seu passo seguinte será tentar fazer a forma resfriar, para solidificar os componentes fundidos. Se o produto final estiver bom, você certamente quererá fazer várias velas de uma só vez. Próximo passo? Idealizar uma forma que faça mais velas. Depois um processo de resfriamento mais rápido. Melhorando a idéia, você irá descobrir um processo integrado de fundir os componentes e a forma de interligar os diversos processos. Aos poucos, amadurece-se o projeto, acrescentando-lhe melhores idéias Daí se parte para as consultas aos manuais técnicos, aos cálculos e eis você com a sua máquina, talvez melhor que a minha".
Contra argumentei: "Parece fácil, mas requer muito estudo antes se tentar fazer uma coisa destas, não?"
A resposta: " O estudo é uma conseqüência da busca ao aperfeiçoamento e por isto mesmo, fácil de ser dirigido no sentido certo. O maior problema que você terá que enfrentar é o medo, que quase sempre nos impede de tentarmos achar alguma solução, para os nossos problemas.
Entendi, mas levei alguns anos, para compreender o que ele realmente me ensinara.
Na faculdade de medicina, fui obrigado a usar esta técnica, mas creio, que apenas uma parte dos professores da escola, sabiam que estavam ensinando o método científico, com suas etapas e conclusões. Faziam suas aulas intuitivamente, sem despertar nos alunos, o raciocínio mais óbvio que se podia concluir: “Ser médico é aplicar constantemente um método, o mesmo, que se aplica para encontrarmos a solução de qualquer problema, que possamos achar”.
Este óbvio “Marniano" vem nos mostrar uma porção de contradições que, se quisermos, poderemos identificar em nosso dia a dia. Na educação, por exemplo, somos levados a estudar, sem entendermos que não estamos sendo castigados e que isto é tão bom, como brincar, por exemplo.
Não tornaram o nosso objetivo claro. Ficamos boiando à deriva, até‚ que algum salva-vidas surja e nos coloque numa profissão, onde nem sempre o objetivo é claro, salutar, ou realizador.
Com medo de errarmos, sermos reprovados e marginalizados, muitas vezes sequer tentamos, para não termos que assumir nossos “fracassos”. Comemos do pasto ralo, com medo de não gostarmos de brioches.
Viramos "comportados cidadãos", exemplos da comunidade! E a nossa criatividade? A inibimos cada dia mais, para não assumirmos responsabilidades. "Hoje se compra quase tudo pronto, para que esquentarmos a cabeça?", este ‚ o nosso lema.
Em todos os ramos de negócios, esta regra não é exceção. Via de regra prefere-se comprar pronto fora, do que estimular pessoas a uma troca de idéias, para achar uma solução. O medo ronda a decisão.
Se somos capazes, por exemplo, de fazer uma máquina que fabrique duzentas velas por dia, que fantasma poderá nos assustar, se hoje quisermos fazer dois milhões? Na prática, um assusta: o medo de crescer e se tornar vulnerável.
Isto tem um nome: insegurança. Tem a ver com a falta de crescimento interno. Tem a ver com os diversos "cuidado menino, não se arrisque, não vá errar", que tanto levaram a crer no perigo sempre eminente e levou ao ser muito cauteloso. Tão cautelosos a ponto de parar e ser esmagado pelos caminhantes em avanços e recuos; estes a imensa e esmagadora maioria tentando acertar e acertam.
O Marno estava certo: "fazer é fácil; difícil ‚é crermos que somos capazes de fazê-lo".
Vejo profissionais com elevado potencial, se transformarem em "vaquinhas de presépio", a troco de salários minguados, para sentirem-se seguros. Pelo menos até‚ que seus "donos" descubram sua ineficiência para evoluir.
Conversei estes dias com um empresário, que me disse ser concordante com um pensador que lera há algum tempo e que dizia que, procurar demais confunde. Novamente o medo se torna estampado. A procura‚ o meio de se conseguir um aperfeiçoamento, nem é tentado.
Tenho certeza de que se formos capazes de entendermos que todo o conhecimento humano, só foi obtido, depois de várias tentativas de erros, veremos que errar é a forma mais comum de aprendizado.
Quem conhece esta verdade insofismável, pode se considerar muitos anos à frente, de noventa por cento da população. No mínimo!
Quem a coloca em prática, tem uma chance enorme de acertar, pois eliminou a possibilidade de errar, por estar por estar certo de que o erro não é limitante, mas oportunidade para rever e crescer.

Marcio Funghi de Salles Barbosa

Tio Nelson, já faz um tempo que o senhor se foi, mas sempre que lembro daquele seu jeito simples e humilde de viver, as lágrimas teimam em cair do meu rosto!

Don Rafa

Que na vida nada tenhas,mais que tenhas algo que ninguem pode tirar de ti.O saber e a Humildade.

MariahOl

Já me apaixonei mais que o Macaulay Culkin em o meu 1º amor
Ja sonhei em ser rico tanto quanto Tio Patinhas
Minha mente já penso em fumar mais bazeados que o Bob Marley naquele clipe Little birds com Gilberto Gil
Já tentei em pegar ondas perfeitas que nem o Kelly Slater.
Já peguei mais no saco que o Michael Jackson dançando Bille Jean
Já pensei eum usar uma begala = ao do Dr: House
Até já tentei ser mais limpo que o Monk Um detetive diferente.
e já pedi muitas coisas a Deus... e de todas essa viajens..... PERCEBI QU QUE EU POSSO SONHAR muitas coisas... Mas apenas serei capaz de tonar real apenas o que eu quero realmente. e o que eu quero é que nunca acabe o amor entre a gente!

Haddysson Fernandes

A arte de cutucar
Ele cutuca aqui
Ela cutuca de lá
Tio dedo cutuca daqui
Ele vem dali te cutucar
Ela vem de mansinho,
Sem você perceber
E bota o dedinho lá
E todo mundo se cutucar
E assim se cutucando
Vamos todos interagindo
Nesse toque virtual
Mostrado a todo mundo,
Que somos iguais
Com uma tecla apenas
Chamo sua atenção
Que mesmo vivendo distante
Está presente em meu coração!
Essa é uma forma inteligente
Dos anônimos se contactar
Dependendo das cutucadas
Sabemos da importância,
Que o contatado nos dá
Inventaram até um Sambinha
Para ambiente animar
Ti cutuco num cutuco
Tico tico no fubá
E samba do crioulo doido
Se você não cutucar
Se anônimo já era
Tão anônimo vai ficar!
brithowisckys

Poeta Brithowisckys

amor de vó,amor de mãe,amor de pai.Amor de irmão,amor de tio,amor de amigo,amor de amor...amor verdadeiro.

Leticia Baez

Tio Paulinho

Fiz um poema para demonstrar,
Toda a tristeza que desce como lágrimas em meu olhar.
Mas infelizmente poemas eu não sei fazer,
Mas não venha achando que eu vou te esquecer.

Sua alegria e sua concentração,
Faz-me sentir uma dor maior em meu coração.
Não queria que isso tivesse acontecido,
Você é mais que um tio, um pai, um amigo.

Agora terei que me calar,
E deixar que a vida volte a continuar.
Nesse momento não tem como não chorar,
Mas o que deixastes para nós nunca vai acabar.

Seu nome é Paulo. Mais conhecido como tio Paulinho,
A força que me deu faz continuar insistindo.
Espero que quem ler esse poema não esqueça,
Você sempre estará aqui para que eu não enfraqueça.

Leonardo Santos Medeiros