Textos sobre Infância

Cerca de 473 textos sobre Infância

A ALEGRIA

É esperança de fartança, é infância de criança, é
Fechadura de amargura, é espevitada energia, é
Facilidade pra felicidade, é liberdade de euforia, é
Folia de cosquinha, é guerra de travesseiro, é bola
De sorvete em casquinha, é beleza por natureza, é
Mesa cheinha de sobremesas, é tristeza bem presa,
É certeza de festa-surpresa, é luz de Jesus, é amor,
É ausência de dor, melancolia e apatia, é sintonia, é
Empatia, é astral de boa energia, é ter o que fazer, é
Aprender a se desculpar e perdoar, é sentir prazer, é
Achar um amor e merecer literalmente nele se perder!
Guria da Poesia Gaúcha

GuriaPoesia

"Recordo-me das lembranças ingênuas da infância e adolescência e não há dúvidas, foram as fases mais marcantes. Crescer, amadurecer e ter outras responsabilidades não é abandonar o que foi bom para tomar uma caminhada com pesos e perturbações. Dê à sua vida o toque leve de ser simples, brincar, sorrir e ser feliz."

-Aline Lopes

Aline Lopes - Pensamentos (Aline Lopes)

Minha infância tem gosto de pirulito de 5 cores Bolo de fubá da minha vó pique esconde na escola cata vento no jardim gostinho gostoso da terra molhada da chuva pegando a gente no final da tarde eu e meus amigos dividindo um tabletinho de chocolate pés descalços embaixo da arvore da minha casa historias de fantasmas na casa dos primos.
Minha infância teve gostos de jujubas de balas 7 belo de pirulitos com chiclete dentro teve gostos de sonhos perfeitos que ainda me deixam com cheiro de saudade

Júh Britto

Crônica de Minha Infância



Já fui casinha, fantasias e bonecas.

Mãe, jornalista, advogada e atriz.

Chocolates, biscoitos, chicletes...também patins, bicicleta e cicatriz.



Amiga, irmã, namoradinha e vilã.

Danada, sapeca, serelepe, também dissimulada e esperta.

Morria de medo de ser analfabeta.



Também já fui medo, choro e receio,

porém tudo superado com aulas, professoras, sobretudo amigos amáveis e recreios.



Desenhos, chaves, histórias?

branca de neve a bruxa e toda aquela armação...

ursinhos carinhosos, power rangers sempre atenta à programação.



Viagens, família e aventuras.

as férias de dezembro, nas casas das avós...

nada de ditadura.



Mas nem tudo eh perfeito,

já fui hospital, asma e internação,

médico, jaleco branco, total aversão.



As três da tarde como posso esquecer,

eu, papai, meu irmão e a TV...

de todos os compromissos esse era o mais gostoso

histórinhas, perguntas sem fim... e sempre um lanchinho delicioso.



As quatro da tarde um momento chatão.

mamãe, livros e cardenos.

meninos??? hora da lição,

enquanto isso nosso super- herói voltava pra mais um plantão.



Dos momentos mais felizes da vida,

impossivel não lembrar da infância bem vivida,

papai, mamae sempre sorrindo, Deus sempre presente,

familia super unida.



As cinco da tarde hora banho,

a minha amizade com Jackeline não tinha tamanho,

embora ela sempre alimentasse seu sonho estranho,

ser enfermeira somente de fanhos.



Aos 6 anos um sonho realizado,

finalmente havia ganhado um gato,

pula daqui pula dali e finalmente pulo em cima...

tadinho do gato, precocimente foi para o andar de cima.



Meu primeiro drama.





Jaciara Sousa

Jaciara Sousa dos Santos

Perdi um brinquedo que me acompanhou em minha infância... Mas ganhei a lembrança do amor de quem me presenteou! Perdi meus privilégios e fantasias de menino... Mas ganhei a
oportunidade de crescer e viver livremente! Perdí muita gente que amei e que me amou e que ainda amo…
Mas ganhei o carinho e o exemplo de suas vidas!
Perdí momentos únicos da vida porque chorava em vez de sorrir…
Mas descobri que para colher amor tem que plantá-lo!
Perdi muitas vezes e muitas coisas em minha vida.

Porém junto a este “perder” hoje tento o valor de “ganhar”.
Porque sempre podemos lutar pelo que amamos e porque sempre há tempo para recomeçar! Não importa em que momento da vida cansastes.

Mais importante é que sempre é possível e necessário recomeçar. Recomeçar é dar-se uma nova chance, é renovar as esperanças na vida e, mais ainda, acreditar em ti mesmo! Sofrestes muito neste período?... Foi aprendizagem.

Chorastes muito?...
Foi limpeza da alma.
Odiastes?...
Foi para poder perdoar.
Sentistes solidão em alguns momentos? ...
Foi porque fechastes a porta.
Pensastes que tudo estava perdido?...
Foi simplesmente o início de tua melhora.
Sentes solidão?...
Se olhares ao redor verás muita gente esperando teu sorriso para aproximar-se mais de ti!

RECOMEÇAR.

Hoje é um excelente dia para iniciar um novo projeto de vida.
Onde queres chegar?
Olha para o alto, sonha alto, deseja o melhor, anseia o bem e o bom, pois a vida nos traz o que desejamos!
Pensando pequeno; o pequeno virá.
Se pensamos firmemente o melhor, o positivo e lutamos por alcança-lo; o melhor virá para nossa vida!
Hoje é o dia da grande limpeza mental.

Tira tudo que te prende ao passado e que te machuca.
Joga fora toda a impureza, limpa teu coração, prepara-te para uma nova vida, e para um novo amor se estás só; nós somos apaixonados, somos capazes de amar muitas vezes, porque somos a manifestação do amor! A vida te chama, te convidando para uma nova aventura, outra viagem, um novo desafio.

Desconheço o autor...

O QUE FIZERAM DA INFÂNCIA?

Fico observando essa nova geração e me perguntando o que foi feito da infância, passa criança e o que consigo ver são pequenos “adultos” alienados com coisas da moda, marcas, conversam entre si como se fossem “pessoas grandes”.
Sabe que na minha infância e olha que não faz tanto tempo assim ainda corríamos uns atrás dos outros brincando de pique- esconde, amarelinha, bandeirinha, pique-pega ate de roda brincávamos, hoje as crianças sabem o que é Internet, jogo de rede, onde você mata, rouba no próprio jogo que dizem ser infantil você escolhe ser assassino ou policia, ah você pode do nada entrar no shopping e atirar em todos, ou furtar um carro e sair com ele atropelando pessoas, fico perplexa com a maneira de diversão dessa nova geração, na minha época éramos mais ingênuos, mais humanos.
O que mais me preocupa é quando paro e começo a refletir em que tipo de adultos estamos formando, num futuro não muito distante teremos adultos que pensam que tudo lhe é licito, hoje já temos visto isso quando adultos estressados com o nada, revoltados sabe Deus com o que, simplesmente sacam armas e atiram por coisas supérfluas tão medíocres quanto a própria atitude.
Rogo a Deus todos os dias que voltemos à ingenuidade às brincadeiras de roda, nos tornemos seres pueris capazes de respeitarmos ao próximo.

barbara

..Infância ... tempo em que não existe malicia ,
sofrimento , ou maldade
onde tudo é azul ou cor de rosa ...
Enta um aprendemos da maneira mais difícil ,
o significado de todos esses sentimentos,
Crescemos ... mas ainda ah uma esperança ...
um sentimento chamado saudade ,
Nos faz recordar ...
roubando de nossos lábios um sorriso acanhado e
por um instantes
voltamos a saber como é bom ser criança.

Meryhelen Campregher

Menino da fita azul
Nas tardes de minha infância
Meus sonhos se misturavam aos seus
Minha vida começando, sua vida se encerrando

Homem do anel prateado
Como dói o tempo passando
E nós dois nos esquecendo
Ando pensando e lembrando o que não vivemos

Sofrendo com sua ausência
Idealizando uma realidade inexistente
Amo-te cada dia mais incondicionalmente
Alimentando-me de ilusões.

Anita García

SAUDADE...

Palavra que traz em si um sinônimo de tristeza, dor, solidão...
Pode ser da infância, da adolescência, da juventude...
Pode ser de alguém que embarcou no trem da morte e que jamais voltará...
Pode ser de alguém que passou por nossas vidas e mudou de endereço, foi para longe, muito longe...
Ou então de alguém que deixou sua marca, seja como um amigo ou um amor perdido, que foi tão importante deixando apenas o vazio de sua ausência.
Como é triste esse sentimento!
Como dói o vazio, a tristeza de saber que algo que foi tão bom, uma época tão feliz, passou, se foi e algumas vezes para sempre!
Tudo o que é bom, um dia se acaba, se vai e nem sempre volta, mas isso faz parte da vida, sofrer faz parte da vida, sentir saudade faz parte da vida...
O que alivia essa dor, é saber que, só sente saudade aquele que um dia foi feliz, mesmo que tenha sido por um momento.

Simone Brantes

Deus permita que eu envelheça com ternura..
Que eu continue a lembrar dos meus tempos de infância,
de quanto fui feliz na minha mocidade,
quando eu não andava, mas flutuava,
dançando pela vida...em pura alegria.
Ah!!! quantas saudades eu sinto !
Tudo quero guardar na lembrança
da criança e mocinha que fui!
As brincadeiras divertidas onde não havia maldade,
era somente felicidade!
Até em tempos de dificuldades de tudo se achava graça.
Deus permita que eu viva minha velhice
mesmo com todas as dificuldades
pois essas,costumo tirar de letra,
assim com a vida aprendi...
Não quero esquecer de quem comigo esteve
em todas as horas
e dos meus filhos e netos.
Já consigo me ver velhinha
com uma bengalinha, a saracotear por aí.
Feliz como sempre,
ao lado dos que me são importantes .
Contando minhas histórias
e rindo dos instantes
em que eu dançava na rua.

Irma Jardim

Me lembro de uma colina
Que eu via na minha infância
Nunca fui lá
Só via de longe
Aquela paisagem tão mansa
Poderia desejar
muita coisa nesta vida
Mas se eu pudesse fazer um pedido
Queria hoje romper a distância
Que o tempo cruel demarcou
E estar lá agora com minha amada
Sentar-me com ela
E olhar o mundo ao longe
Fazer fogueirinha
declamar para ela poesia
Erguê-la lá no Céu
Somente com palavras
Convencê-la de que a amo
Olhá-la sorrindo
Perceber o quanto é lindo
o seu sorriso contrastando
o Sol que finda mais um dia
À noite olhar estrelas
As que estão no firmamento
E mais aquelas que subiriam
Em movimentos lentos
Ao despregar-se da fogueira
Deitar-me ao lado dela
Fazer planos...
Passaram-se tantos anos
O Sol se pôs muitas vezes
Fizemos coisas complicadas
estando juntos
Mas esta coisa delicada e pura
Não
Passa-se a vida
E a gente deixa escapar
a oportunidade de realizar
os sonhos mais singelos
Que foi deixando pra depois
e quando a gente vê
Passou-se quase tudo
E a gente pensa na colina
distante no tempo e no espaço
O amor, este permanece
A colina
Acho que não existe mais
Esquece!

EdsonRicardoPaiva

Saudade

Saudade da minha infância
Quando aniversário era bolo, brigadeiro, todos os avós e os dois bisos.
Daquele tempo que eram as fadas e eu brincando na inocência
E de lembrança tinha muitos risos.

Mas tudo o que é bom dura pouco...
E quando se cresce até as coisas boas passam muito rápido.
Aí comento, trabalho, viajo na minha mente como um louco
Muitas vezes deixando sem querer alguém ferido.

E se saudade é a dor da ausência de algo bom,
quero deixá-lá no ambom,
Atear fogo para consumi-la e livrar-me de uma vez
Das coisas que me fazem remoer o bom que deixei por estupidez.

Bruna Romero

Esses dias eu me percebi pensando na minha infância, meu primeiro amor. Nunca fui de me apaixonar, nunca liguei para isso, sempre preferi brincar e ver TV.
Mas um dia Paula entrou na minha vida. Éramos colega de igreja e de escola, nossa amizade era pura e inocente. Eu fazia poemas, escrevia historias de amor onde eu era o príncipe encantado salvando ela de um poderoso dragão, e depois dava um longo beijo apaixonado. Mas claro guardava tudo para mim em uma velha caixa aqui em casa.
Já se foi o tempo que o rapaz fazia lindas serenatas, escrevia poemas e passava dez vezes na frente da casa da pretendida, essa atitude era vista com bons olhos. Hoje em dia se um rapaz escreve poemas e faz serenata é taxado como veado, emo, retardado e outros adjetivos animalescos, se o menino passa duas vezes na frente da casa da menina o pai já chama a Rota porque é pervertido.
Eu gostava muito dela, ficar perto dela, sentir seu perfume tocar na sua mão, eu queria sempre fazer dupla com ela, em trabalho de grupo ela sempre era a primeira a ser escolhida, pode se dizer que ela era membro efetivo e definitivo do grupo, nos meus aniversários era a primeira pessoa a ser chamada. No aniversário dela eu ia mais cedo para ajudar e ficar mais tempo com ela, ela nem percebia minha intenção, continuava achando que era apenas uma amizade, que bobinha.
Então um dia fizemos uma viagem para a praia, na viagem ia minha família, a família dela, e mais uma família que era dona da chácara onde hospedamos. Eu estava decidido em me declarar para ela, mostrar meus poemas e minhas historias, até pensei em comprar um buque, mas desisti, afinal, só tinha 13 anos, e nunca fui de ter mesada, então resolvi ir com a cara e a coragem, mas sem flores.
Em uma manhã, na chácara, vi que Paula estava sentada em uma cadeira de frente para o mar, respirei fundo.
- Paula! Preciso te contar uma coisa muito importante... – Disse sentando na cadeira do lado.
- Oi, que bom que você apareceu, eu queria mesmo falar com você, tenho uma coisa para te contar, ai estou com vergonha, posso contar antes?
- Claro fique à vontade – Nesta hora pensei “ela sente o mesmo por mim, ela vai se declarar, vamos nos casar, viva, sou o cara mais feliz do mundo.
- Então... Sabe o seu primo? – disse ela enrolando o cabelo
- Sei... O que tem ele? – Perguntei já desconfiado
- Pois é, não sei como dizer, mas sou apaixonada por ele, desde a primeira vez que a gente se viu, sou doida por ele, amo ele demais, quero casar com ele, ter filhos...
- Ah que legal – Disse interrompendo e com a cara mais decepcionada que um garoto de 13 anos conseguia fazer
- E você o que queria me contar? – Disse ela ignorando minha cara.
- Ah nada, ia dizer que vi na televisão um dia que devemos passar protetor solar, porque o índice de câncer de pele aumentou – Disse disfarçando.
- Ah brigado pela informação seu fofo – Disse ela beijando minha bochecha – Você é “meu melhor amigo”!
Meus poemas de amor se tornaram poemas de tristeza e arrependimento, minhas historias românticas caíram nas graças do realismo, meu corcel se tornou uma mula manca e o poderoso dragão se tornou apenas um calango, e a minha princesa se tornou uma sapa.

Caio Geraldini Ferreira

Na infância estamos submetidos a valores e crenças que não são necessariamente nossos. E, consequentemente tendemos levá-los com nossa formação de caráter.
Sua identidade...Você quem realmente a criou? Ou criaram-a para você?
Quantas coisas faziam sentido? Quantas hoje não fazem mais?
Quantos sonhos você alimentava? Quantos hoje alimentam você?
Será que não é hora de jogar fora o que não serve e resgatar o que é útil?
Ou você prefere continuar com uma ideia fútil?
Se você quer mudar, a hora é agora! Não deixe para depois!
E lembre-se: a sua história é você quem cria! Assim como os seus próprios limites.
Aonde você quer chegar?
QUESTIONE-SE!

30/10/2013

Sâmara Santana Câmara

Eu tenho as melhores e mais engraçadas das companhias. Tenho amigas de infância, cresceram ao meu lado e mesmo que estão brigando comigo por mais uma vez eu chegar alegremente alcoolizada da balada ou por qualquer idiotice que eu tenha feito, elas permanecem aqui, ao meu lado. Somos tão diferentes, mas tão unidas. Somos irmãs.

- Ana Santos

Umavidaentreparenteses.blogspot.com.br

Envelhecer, é reviver a infância de um modo diferente. De uma maneira mais sabia, onde não se aprende a andar de bicicleta, mas sim, onde se ensina outro a deixar as rodinhas. Mostrando as cicatrizes que a curva a frente lhe deixou, e ao mesmo tempo, mostrando o caminho do bosque em que passou. Onde hoje as flores murcharam, mas sua fragrância se tornou eterna e imortal para tua alma.
Feliz é aquele que mostra rugas ao rosto e um profundo sorriso nos lábios, de satisfação e agradecimento, pelo simples fato, de ter chegado até aqui.

Alessandra Froes

Hoje passei pelas ruas de minha infância…
Senti o cheiro que perfuma a rua até hoje…
A Dama da Noite ainda está lá…
Deixando a rua com o ar de primavera…
A lembrança do perfume e dos risos…
Do aroma das brincadeiras e da alegria de ser criança…
Porém, hoje não havia mais ninguém na rua…
Não ouvi os sorrisos soltos,
Não vi olhos brilhantes das crianças livres…
Não havia nada!!!!
Ninguém estava lá…
Só a Dama da Noite ainda está por lá…
Ela ainda está no mesmo lugar…
A noite está perfeita..
A lua canta a canção de ficar pela rua,
Dançando ao sereno,
Mas ninguém estava lá para o cantar a canção de serenar..
Revi as casas…
Revivi a minha infãncia…
Depois, guardei meu sorriso,
Mas não calei meu canto…
Voltei de lá solfejando a minha infânia,
Com a alma renovada pelo perfume que só existe lá….

Vivi Dick

Pense num dia com gosto de infância
Sem muita importância procure lembrar
Você por certo vai sentir saudades
Fechando os olhos verá
Doces meninas dançando ao luar
Outras canções de amor
Mil violinos e um cheiro de flores no ar

Você ainda pode sonhar
Você ainda pode sonhar
Você ainda pode sonhar

Feche seus olhos bem profundamente
Não queira acordar procure dormir
Faça uma força você não está velho demais
Prá voltar e sorrir
Passe voando por cima do mar
Para a ilha rever
Vá saltitando sorrindo a todos que vê

Você ainda pode sonhar

Desconhecido

Sonhos


É como a infância...
feliz e desprovida.
Inerte, inercia
Como um pássaro,
Livre...
Descompromisso com omundo
compromisso com riso.
Alegria de ver um amigo, risos
Sol, chuva, ventos, sorrisos.
Infinito ser
Não pensa;
Brinca.
Semblantes do entardecer
Sonhos...
Risos...
Vida...
Brincadeiras...
Sorrisos...
Sonhos...Sonhos
Rios de risos por fim!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Milton Passos

Uma época da minha infância dizia que queria ser veterinária, depois de um tempo sonhava em ser a garota do tempo
Agora cá estou eu querendo ser mais alguma coisa que não sou. Ah, hoje em dia não sou nem veterinária e nem a garota do tempo.
Quem eu sou? Talvez eu porderia responder-lhe essa essa pergunta, mas não acho bom falar sobre mim.
Poderemos falar sobre o tempo, que tal?

Isabela Vieira