Textos para uma Menina Corajosa

Cerca de 1265 textos para uma Menina Corajosa

É que eu amo demais...

Era uma vez a minha vida, sem graça e meio batidinha. Uma menina coadjuvante em sua própria história, os contos eram sempre os mesmos. Faltava ação, faltava paz, faltava; sobretudo amor. O que a falta de amor, não faz a uma mulher? (me denomino assim, porque a palavra ‘mulher’ exprime uma feminilidade incrível; entretanto sei bem que não passo de uma menina, e sinceramente não acho isso dispensável).

Uma mulher carente fica frágil, suscetível as maiores crises, com mania de implicância – tudo fora do lugar... Vaidade passa de um critério supérfluo á obsessão, com a rapidez com que a falta de amor destroça um coração saudável. Beleza sempre parece essencial para galgar um amor, principalmente nas horas que é de um amor que se sente falta. Tudo que está ausente é exatamente o necessário para o bendito amor aparecer.

Embora eu tivesse um amor, não era o amor- amor, entende? Eu ia levando uma relação morna SOZINHA há alguns anos. Assumo envergonhada: eu sofria de acomodação, eu me contentava em amar pela metade. (Isso é lamentável em todo seu feitio). Amar pela metade me fazia desprezível e era bem assim que eu enxergava a maioria das coisas lindas dessa vida, com desprezo.

Hesitei muitas vezes em ser feliz, em abandonar a estabilidade de uma vida amorosa medíocre, que me fazia medíocre. Imaginem só, a menina intensa em tudo que faz, amando pela metade, fracassando e achando isso natural. Fracassar é natural, mas achar que vai fracassar para sempre é um erro. Achar que o amor chegou ao topo, é outro erro, um erro de grandeza maior, inclusive. O amor nunca chega ao topo, o amor sempre pode crescer, pode crescer porque eu ainda acredito na melhora das pessoas. Mas eu era uma pessoa que não melhorava, por isso o amor não crescia. Eu queria mesmo era que o relacionamento acabasse sem minha intervenção. Calma aí, como eu seria protagonista de uma história que o destino tomava todas as decisões? Hein?

Por sorte, o destino se encarregou de me deixar BEM abusada, porque não é só o excesso que causa abuso, a falta também tem esse poder, até mesmo porque eu tinha excesso de falta. Justamente isso! Não importa, só sei que a felicidade fez ‘ding-dong’ na minha campainha e eu abri. Abri de alma lavada, de coração livre, querendo urgentemente amar, abri a porta e lá estava alguém muito especial. Ele me encontrou e eu o encontrei, sem meios e fins [esse encontro, nós dois, esse amor – essa era a música da época], e de repente tudo fazia mais sentido. Como a vida era linda naqueles tempos...! Eu tinha minha própria história de amor, tudo se encaixava perfeitamente.

MAS “todo grande amor só é bem grande, se for triste...” Nesse sentido, eu sofri, mas fui muito feliz, feliz como nunca havia sido até então (com alguém). Nesse encontro eu descobri o real sentido da palavra “perda”, soube como acontece o temido “ir atrás” e ainda reconheci o significado maior da expressão “CRESÇA!”. Enfrentei “olhares invejosos”, “intrigas”... “receios”. Eu abusei da coragem, fui covarde quando necessário e até me deixei ficar vulnerável – Não é exatamente isso que o amor exige? Eu fui com tudo e sem nenhum arrependimento.

E quando “crescer” tornou-se requisito essencial para o prolongamento daquele amor: Eu cresci! Cresci porque era necessário, mas tomei apreço e cheguei a um estágio superior, desproporcionalmente maior do que aquele romance exigia. Ficar junto é complicado, ou se está junto, ou não está (e felizmente, eu sou leal demais para estar junto sem estar). A essa altura de amadurecimento, eu não suportaria levar outro namoro sozinha, não depois de saber como o amor acontece, não com tantas lembranças boas na cabeça na iminência de virarem aversão. Sai sofrida, mas ocupando o papel de protagonista da minha própria história, a sensação de arrependimento podia acontecer, mas em razão do atrevimento, não mais por acomodação, isso por si só já me fazia alguém tão melhor.

“amor é coisa de ir, mas também é coisa de voltar...” Eu fui! Dessa vez não vieram carências, nem crises, nem manias de implicância, veio reconhecimento, uma coisa que eu buscava há muito. É difícil olhar no espelho e não saber quem é você, porque “ser você” se confunde com “estar com alguém” – Eu era Nina, mais do que nunca, sem traumas e concussões, totalmente em paz com a pessoa que eu havia me tornado. Não falo de “bola cheia”, nem de “auto-estima dando piruetas no céu”, falo de autoconhecimento. Eu que conheci o amor querendo “urgentemente amar”, porque temia que meu coração secasse (que tola!). Percebi que amor nunca vai me faltar... Se faltar, antes que meu coração seque, eu já morri sufocada. Amar, para mim, é algo embutido, indissolúvel.

Eu amo naturalmente, tal qual respirar... Amo a minha nova forma de encarar o amor. O amor me modifica e eu modifico a forma como ele opera na minha vida. Dessa vez, imagino tudo muito livre, tudo com muita calma. Nada mais de desesperadamente tomar posse, não sou mais a mesma de alguns seis meses atrás, essa nova Nina aprendeu que amar é coisa séria, que sentimento prende mais que qualquer outra coisa e que transparência conquista.

Se antes, deixar o destino agir por conta própria me fez perder tempo e me afastou do tão sonhado cargo de protagonista. Hoje, novamente, deixo que ele tome conta de mim, não que eu não saiba para aonde ir e não interfira incisivamente, mas é que ele tem sido tão meu amigo, tão parceiro – digo: agimos em conjunto. Na MINHA história tem Nina, tem destino, floresta, seres encantados, fada madrinha, bruxa má (ECA!), esquilinhos do castelo, cisnes e príncipe. Ta, falta o felizes para sempre, eu sei... Mas quer saber? Eu tenho amor, 19 anos e uma vida inteira pela frente. “Felizes para Sempre” é um Adeus, é a última página do livro sendo lida, é a última cena da novela. Vou amar interminavelmente, estou amando e logo logo não serei a mesma.

[ESPERAAA] Fiz uma ligação: Se amar me transforma e eu amo sempre, é justamente por isso que eu não costumo ser constante. E a galera falando em bipolaridade... “É que eu amo demais, gente”... “É que eu amo demais...”

Nina Nunes

Menina Boa

Garota bonitinha, que anda bem vestida
se faz de timida,mais é extrovestida
tem um gênio forte, mais é gente boa
quando passa no parque todos gritam QUE MENINA BOA!

Ela adora rebolar, e adora cor de rosa
quando chega a noite, recebe ligações
todo dia um baton diferente e uma rosa
atende, e diz que não quer compromisso

Ela é boa demais, boa demais
será que tenho chances? que garota legal!
é a menina dos meus sonhos, a garota ideal
Ela é demais, ela é boa demais (refrão)

Quando sai de casa, com seu perfume doce
todos olham e comentam : que garota boa!
Sua boca é vermelhinha, mal imagino como deve ser doce!

(refrão) 2x

Vilani Sousa

Pseudônimo Mariana

Menina, careces o teu futuro,
calculando do teu passado
Anseie teus próximos caminhos,
mas faça indicando tudo que lhe foi dado
Regue-se todos os dias como flor,
resguardando o cheiro doce do teu jardim
Lance a semente com a intenção,
prepare-se, frutos ou flores virão
A saber, ouvir, mas não mais a calar,
essa voz madura é agora sim, um anjo a falar

Rogério Jr.

Pequena Grande Mulher.

Minha pequena menina morena,
sorriso que encantou.
Olhos, meus olhos a brilhar,
navegar no teu corpo ou simples copo de mar.

Será paixão ou afeição,
tempo, tempo vai provar.
Mas sei que tudo és verdadeiro.
sem mais, sem tudo,
só sei que é meu mundo.

Sonho num abraço sem te abraçar,
um beijo nos lábios ao puxar.
Um sonho, o nosso sonho terminado ao acordar.

Enfim, nosso fim não será aqui,
chegado, bem longe de mim.
O amor é lindo, sei,
a vida é outrora sorrindo à toa.

Dentro de si, olhe,
veras que estou, dentro de ti, sim.


Minha pequena grande mulher.
Guarde todo seu mundo em meu mundo.

Sinta me com excitação,
com suas mãos,
sem medo, com desejo.

Com amor, sem dor,
sinta amor, serei amor.

Seu e meu ou simplesmente nosso amor,
por que é isso que sente,
dentro e fora, imensidão.

A ilusão se tem mas perderá essa razão,
ao encontra meu pobre coração.
Estamos longe, perto talvez,
viveremos o agora,
na hora, sem partir.

Se cuide, acuda
sem despedida
Abraçar teus olhos
Será a partida.

M. Nobre

Eu serei sempre essa menina de sorriso fácil e coração bobo...
Que ama intensamente... Que às vezes é impaciente, mas que é persistente,
autêntica e sincera ( às vezes até demais... huahuahuuh) ...
Que sonha, sonha, sonha... Que é perfeccionista, e que não vive sem música...
Que ama a essência, pois rótulos e máscaras não lhe satisfaz...
Essa menina maluca que fala sozinha, que é amiga da lua, do sol, das estrelas,
das flores e do vento... Essa menina mulher de jeitinho tímido, e que detesta solidão... Que ama conversar, mas que fala pouco, porque se comunica mesmo é com o sorriso e com o olhar... E por isso muitas vezes e incompreendida e se torna complexa para muitos, pois esses não conseguem enxergar além de seus olhos e não vêem sua alma... Serei sempre assim, apaixonada pelas artes, pelos livros, pelo aprendizado, pelas pessoas e principalmente pela vida... Viver simplesmente me fascina!

Mailla Souza

Menina má que chora escondida assopra as feridas e segue de cabeça erguida. Talvez uma pedra bruta cheia de certezas absolutas.
Infantil imatura aprende com a vida, às vezes tão dura.
São elas, mulheres meninas que viram a mesa, o jogo e que não se deixam levar, elas preferem se arriscar.

Que mulher adulta, madura, bem resolvida não tem um alter ego assim?
Enquanto os saltos, muito altos, estalam pelo chão escondem assim o tiquetaquear de um leve coração, ora rebelde, ora cheio de amor.

Tatiane Éfer

A guria que amava o Rio Grande do Sul

Era uma vez um a menina que se chamava Maria Clara ela tinha 10 anos e com essa idade já amava o seu estado, o Rio Grande do Sul.
A guria era apaixonada pelo sul dizia que era maragata e que seu lenço vermelho no peito sempre avia de estar ali.
Dizia que era colorada e que não era china, pois só ia à esquina para buscar cacetinhos. E que também qualquer coisa pra ela era tri, e ela sempre ia sastear depois do almoço.
Ba tchê a guria tinha medo de borracho pois sempre avia uma peleia depois.E que era uma prenda sempre elegante e que nunca ,nuca mesmo iria deixar o seu estado e não era a toa que a menina chorava sempre quando seu pai vistia a fatiota e sua mãe o seu vestido de prenda para ir ao bailão e ela não podia ir junto.
Mas sua vó dava sempre um jeito gaúcho de alegrar a guria dizendo:
-Calma minha flor amanhã tu vais ao CTG e vai dançar tão bonito quanto o canto dos sabias na floreta.E aliaz como anda aquele piá que você achava bonito??!
A prenda se destraia e conversava com a vó,sobre o colégio e os amigos e sobre veranear no final do ano.
Sua vó sempre pedia um pedaço do Chico sapateado e do chote carreirinho que achava lindo de ver a neta bailar pelo salão.
E quando ela terminava a velha chinoca caia em prantos e dava sempre uns pila para a menina, que sempre feliz ia comprar um sacolé que adorava.
Tchê, no outro dia a guria ia dançar no CTG tão bonita, de vestido, meia calsa, sapato, laquê e flor no cabelo. Passava pela rua arrancando olhares e cumprimentando os brigadianos como sempre fazia pela manhã, comendo bergamota e cuidando para não sujar o lindo vestido.
Chegando ao galpão ia cumprimentar o cancheiro do churrasco e pedir pra caprichar na sua costela, pois depois da apresentação ela e sua família iriam ficar pra almoçar.
Bom, gente essa é a vida da guria gaúcha que ama a sua tradição como a Maria Clara que com 10 anos sabe aproveitar o que tem de bom no sul e deixar o que estraga esse lindo estado cada vez mais em baixa no Brasil.
Um grande abraço pra ti cupicha e viva o Rio Grande do Sul, pois:” Deus é gaúcho
De espora e mango foi maragato ou foi chimango querência amada meu céu de anil este Rio Grande gigante mais uma estrela brilhante na bandeira do Brasil.”.

AUTORAVICTÓRIA LAZZAROTTO BOFF (pityboff)

~ A menina que vive na realidade de um mundo cheio de fantasias. Que sabe viver cada momento untensamente.. aquela que deixou de acreditar em contos de fadas, mas que ainda acredita em um final feliz. Uma menina que ama com medo de se arrepender, mas que acredita que é melhor se arrepender de ter vivido do que ter deixado passar o grande amor da sua vida!


- Diferente de você e de qualquer um, sou aquela que você nunca será.

Flávia's Collection

Nasce a Florzinha "O nosso" bebê.
Linda menina, linda Renascida, estrelinha da sorte, que veio iluminar a vida do meu amor completando nossa família juntamente com a minha Luz Divina, minha vidinha, minha menina, a minha Coroada.
Agora nem minha, nem sua... Mas "NOSSAS"!!!
Nossas vidas, nossas estrelas, nossas florzinhas, nossas estrelinhas da sorte, nossos bebês.
Não importa o que passou, o que nos separou, mas sim o que nos completa mais uma vez que tão grande é este nosso amor.
Quero poder um dia dizer deste amor que tive e que tenho. Que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure. E que dure para todo o nosso sempre...
Porque te amo!!!
Assim como a minha filha sempre foi sua. A sua filha agora é minha.
Juntas são nossas!!!
Amo vocês três, minhas Vidas!!!

Karinha

(...) Afinal, sempre tinha sido assim. Diante dos supostos perigos noturnos ela tinha, desde menina, desenvolvido fortalezas internas. Sua vida real, na época, era tão ruim que ela não temia sombras ocultas no escuro.
Sempre enfrentou com desassombro os fantasmas que povoavam a infância. Aprendeu cedo a achar aquilo tudo mentira, pura mentira. Aprendeu cedo a achar que nada podia ser pior do que a própria vida real e as próprias pessoas.

Marilene Felinto

Menina Mulher

Pouco mais de dezoito anos
recém completados
Fruta fresca
sem ao menos ter sido tocada
Matéria-prima perfeita
Avidez e pureza
e volúpia de menina;
e fogo de mulher...
Fogo que esquenta;
esbanjas carências reprimidas
Inflama como a chama;
aqueces...
alimentas...
satisfazes...
és meninas delicada e suave
teus pensamentos
sonhos descontrolados
traduz em palavras e atos a beleza da mulher
Mulher delicada, meiga, serena, mas... decidida
Mulher com corpo e alma dotados de formas perfeitas
Formas lindas cheias de pureza
Transpiras singeleza.
és perfeita obra de arte dos teus pais
genética viva da obra divina.
és flor jovem...
meninas linda...
virgem mulher!
(Fouquet, maio 2010)

Marcelo Fouquet Rosembrock

Menina cresceu

Sentimento de dor, aperto na alma, menina que sofre porque já virou moça, e não é mais criança. Bonecas no lixo, livros na cama, inocência de criança a deixou foi embora. Sapatinhos de bonequinha agora são plataforma; unhas pequenas que viviam borradas, agora são unhas vermelhas, que arranham na cama. Aqueles olhos pequenos, que não enxergavam tudo, deram passagem aos que só olham pró-futuro.
Responsabilidade a perturba, de tal forma que ela senta na calçada e chora, chora.

Caliana Matias

Retrospectiva

Menina sentada, calada, hipnotizada com o passado que vem em sua cabeça.
Fica lembrando das inúmeras façanhas cometidas e as muitas deixadas de fazer, em suas conquistas e em suas derrotas, em seus amores e desamores, na infância que há pouco passou e na juventude que está por viver, nas palavras ditas e nas magoas sentidas.
Menina que não se arrepende de nada feito e sim dos não feitos. Abortos pretendidos e deixados de lado. Hoje tem 3 filhos que ainda dão muito trabalho.
Menina com atitudes imaturas, maduras, sanadas. Cabelo desbotado, corpo gasto, mas bem aproveitado, seus olhos já estão cansados prontos para serem fechados, mas não há tristeza e sim alegria e a sensação de tarefa cumprida.
Menina que não é tão nova como gostaria, porém não é tão velha quanto a estrada, por onde passou e ainda passa sua vida. Uma menina que
não é tão menininha e sim uma senhora que em sua cadeira de balanço faz a retrospectiva da sua vida.

Caliana Matias

Ingrata

Te amei logo que te ví.
Minha bela menina.
Linda flor de rara beleza.
Hoje não vivo sem ti.
Minha zangada menina.
Teus afetos são incertezas.

Dentro da minha alma há uma ferida.
Magoada pelo desejo.
Que não sara, nem mata.
Mas que deixa minha vida sofrida.
Chora pelos teus beijos.
Menina mimada e ingrata.

Ricarlosmelo

Menina Doce, com Gesto de mulher, sentimentos de adolescente, grande como uma adulta...

Apreciar a Beleza de uma criança, não é só dizer que ela fala fofinho, é mostrar que tudo o que diz vem de dentro do coração, coisa que as vezes as pessoas mais próximas desprezam...

Te Olhar com os olhos do Fundo do coração, esses sim, irei te olhar como uma igual, respeito, por que foram esses olhos que Deus me deu para que eu Pudesse enxergar!

Eu Não tô nem ai pra o que o povo me diz, por que o Deus dono de todas as coisas reserva algo pra mim fantástico, que nenhum ser Humano Jamais foi capaz de sentir Verdadeiramente: O AMOR!

Ame não apenas a você, mas sirva o Deus que permite que o seu Amor permaneça em Você, por que sem ele Nós não somos Nada Além de Barro!

Alana de Matos Gama

Apresentando uma menina


Existia uma menina, e o nome dela era Filipa. Ela tinha lá os seus dezesseis anos de idade, quando começou a perceber os pequenos detalhes - e assim, as melhores partes - da vida.

Ela gostava de ouvir música - especialmente as que tocavam dentro da sua cabeça -, de caminhar pela cidade, de morar num prédio de frente para o rio, de tomar banho de chuva, de fica olhando o céu e sentir o vento na pele, de sentir a maresia, de observar alguns bichos, de amar sem medo, se fazer bons amigos, do som de uns instrumentos - os melhores para ela eram a gaita, o violão e o sax - e, principalmente, entre todas as coisas, ela adorava reparar bem nos olhos e no sorriso das pessoas.

Essa menina via vez ou outra, um brilho tão forte nos olhos das pessoas, que ficava hipnotizada. E pelos sorrisos que irradiavam alegria, ela ficava apaixonada.
Só havia uma coisa que a incomodava: o sorriso de que ela mais gostava não queria mais sorrir para ela. O que havia acontecido, afinal? Para ela, tudo sempre foi tão verdadeiro... Cada preocupação, cada abraço, cada sorriso distribuído, cada beijo dado - e recebido -, cada palavra, cada gesto, cada conversa, cada instante. E agora, o que ela faria sem o seu sorriso preferido? Deveria correr atrás dele, abrir o seu coração, falar o que sentia... mas a coragem não chegou. E sem ela, o tal sorriso se foi perdido.

Mas Filipa espera que não o tenha perdido para sempre; ainda resta um pedaço nela - talvez o seu coração - que ainda o espera. Que ainda o aguarda, e conta os dias, as horas, os minutos e os segundos, para que o vazio que ela sente seja preenchido novamente.

Preenchido por um velho sorriso, parcialmente perdido.

Aline Mariz

É, doce menina,
Tá tudo estranho,
Parece até obra do destino...
Não te ter aqui comigo...
Deve ser algum castigo...

Se eu pudesse,
Eu apenas gostaria de fazer você sorrir,
Se você realmente quisesse,
Ficar comigo mais um pouco.

Nossos sentimentos,
São uma estranha mistura,
Entre o som do seu violino,
E os versos das minhas poesias.

Um sentimento cheio de alegria,
Uma relação muito pura,
Sei lá... É algo muito lindo,
E muito bem-vindo.

Eu digo a você, July,
Nosso amor ainda é incrível,
Nem demos chance pra que desse certo...
E eu ainda o mantenho por perto...
Foi tão rápido e tão louco,
Tão... Sei lá...
Descrever é impossível.

Eu queria poder te tocar de novo,
Eu queria poder te chamar de meu amor,
Eu queria poder te deixar corada...
Eu daria qualquer coisa,
Pra poder fazer isso.

Quando acordo com você, July,
Esses são os dias em que eu ainda posso me sentir vivo,
Em que eu mal posso esperar pra sair lá fora,
E talvez esbarrar com você, por aí...
A gente vai ter que se reencontrar alguma hora.

Apesar dos buracos em minha memóra,
Eu consigo guardar coisas importantes,
E por isso eu mantenho você, July, na minha memória,
Pra que você me visite nos meus sonhos.

Romances inacabados atrapalham tudo,
Sei lá, é tudo tão complicado,
E eu tenho medo de você ter se apaixonado,
Por outro cara qualquer.

July, eu prometo a você,
Eu vou casar com você.
Eu acredito nisso,
Eu espero que isso aconteça...
Até lá beba os versos que componho,
São todos só pra você.

Veja como eu suspiro,
Não consigo viver tranquilo,
Não sem ter você...
E eu desejo, dar a você,
Pelo menos um ultimo beijo.

Porque você me destrata,
Você me conquista,
É sempre amor a primeira vista.

Eu te manterei presa na minha mente,
Mesmo que nossas vidas não sejam uma só,
Mesmo que tomemos caminhos diferentes,
Vou me lembrar em você constantemente.

Até nós nos encontrarmos novamente,
Até nós... Até que nós tenhamos outra chance,
Até que você seja minha July,
Eu sei que é muito complicado,
Mas eu nunca quis nada muito fácil.

É ódio, é amor,
É algo realmente muito forte.
Me faz bem,
Me faz pensar no futuro,
E me sentir seguro...
Tive muita sorte,
Quando conheci você.

Mas até lá,
Vou ter lembranças pra me inspirar,
Seus olhos deslumbrantes,
Seus sorriso sem jeito,
Seu beijo perfeito...

Eu roubei seu amor,
Eu sei que roubei,
Eu sou assim,
Não tenho limites,
Mas vocês me fez ser assim.

Queia saber tocar violão,
Pra te fazer uma canção,
Queria saber francês,
Pra me declarar na língua do amor...

Um dia quem sabe eu aprenda?
E conte pros nossos filhos,
Que seu pai é um vagabundo,
Mas a mãe deles é uma boa pessoa,
E que quase conseguiu,
Fazer o pai deles tomar rumo.

Por voê eu não bebo, eu não fumo,
Agora me dê um pouco de carinho,
Cative meu coração,
E nosso amor vai beirar a perfeição.

Hey July, July, July,
Você é meu nascimento,
Você é minha vida,
Você é minha morte.
Esperei até agora por esse sentimento,
E não vou desistir tão fácil.

Vou de ter...
Agora ou depois...
Não me importa muito...
O importante...
É o amor entre nós dois.

Bruno M. Tôp

Menina...

Uma menina que acredita na beleza dos sonhos e na força para realizá-los.
Acredita que, para sermos felizes, basta querermos.
Sabe que todo sentimento é passageiro : A felicidade, a dor.
Mas também sabe que, se ela for forte, a felicidade reinará por mais tempo que o mal poderia reinar.
Quem conhece sabe o quanto é encantadora, doce, meiga, sincera.
Também sabe de seus defeitos que ela insiste em dizer que tem, afinal, todos somos falhos, por isso somos humanos.
Para ela, basta uma frase para fazê-la seguir:
"Quem diz que sonhar é coisa de criança, não sabe que as crianças é que formam o futuro".

Sarah B.

Hey girl, you're beautiful, he said Ei menina, você é linda, disse ele
But it turned out wrong again Mas algo saiu errado novamente
He didn't mean to make you sad Ele não quis dizer para fazer você triste
Didn't know what you carry on your back Não sei o que você carrega em suas costas
All the stones you painted Todas as pedras que você pintou
with the colors of your sorrow com as cores da sua tristeza
the black in your soul o negro em sua alma
It'll never fade Isso nunca vai desaparecer
You better deal with it É melhor lidar com ele
Don't walk away Não vá embora

It's a hard life É uma vida dura
To be a tough girl Para ser uma menina resistente
But deep within Mas no fundo
You've not been here Vc não esteve aqui

Jennyfer Jennyfer
It's a dirty kinda love Este é um tipo sujo de um amor
Jennyfer Jennyfer
You don't need it anymore Você não precisa mais disso
Jennyfer Jennyfer
Let your heart have a rest Deixe seu coração ter um descanso
It's been broken so many times before Tem sido quebrado tantas vezes

I'm here for you, he said Eu estou aqui para você, ele disse
But he couldn't carry all your fears Mas ele não podia levar todos os seus medos
He didn't mean to let you down Ele não quis deixar você para baixo
But he couldn't stay to dry your tears Mas ele não podia ficar para secar suas lágrimas
All the friends who judge you Todos os amigos que você julgar
When the world is getting dark Quando o mundo está ficando escuro
In the longest hour Na maior hora
It's all fake, you better run girl É tudo falso, é melhor correr menina
Or you will break Ou você vai quebrar

And It's a hard life E esta é uma vida dura
To be a tough girl Para ser uma menina resistente
But deep within Mas no fundo
You've not been here Você não esteve aqui

Jennyfer Jennyfer
It's a dirty kinda love Este é um tipo sujo de um amor
Jennyfer Jennyfer
You don't need it anymore Você não precisa mais disso
Jennyfer Jennyfer
Let your heart have a rest Deixe seu coração ter um descanso
It's been broken so many times before Tem sido quebrado tantas vezes

Your heart is too sad Seu coração está muito triste
It's a long lost dream coming back É um longo sonho perdido voltando
No one to fear Ninguém a temer
No one could bring you down this time Ninguém pode derrubá-la neste momento

Jennyfer Jennyfer
It's a dirty kinda love Este é um tipo sujo de um amor
It won't break your heart Não vai quebrar seu coração
Just tear you apart É apenas lagrimas em pedaços
It's a dirty dirty dirty kinda love Este é um tipo sujo sujo sujo de um amor

It's a dirty kinda love Este é um tipo sujo de amor
Jennyfer Jennyfer
You don't need it anymore Você não precisa mais disso
Jennyfer Jennyfer
Let your heart have a rest Deixe seu coração ter um descanso
It's been broken so many times before Tem sido quebrado tantas vezes

It's a dirty kinda love Este é um tipo sujo de um amor
Jennyfer Jennyfer
You don't need it anymore você nao precisa mais disso
Jennyfer Jennyfer
Let your heart have a rest Deixe seu coração ter um descanso
It's been broken so many times before Tem sido quebrado tantas vezes
so many times before por tantas vezes

Jeninhaa Rodrigues

Menina mulher

Onde está você

Doce menina mulher

Que me fizeste amar

Onde está o sorriso

Que me conquistou

Onde está o olhar
Que me encantou

Onde está o abraço

Que me fez sonhar
Onde está a doce menina

Que me fez feliz

Onde está a menina mulher

Que me fez Poeta!

Ricardo Cardoso