Textos para Reuniões de Pais

Cerca de 609 textos para Reuniões de Pais

De Filho Para Pais

Deixe seu filho comer chocolate sempre que quiser. Não o limite com coisas banais.
Elogie seus desenhos, mesmo que não entenda bem do que se trata. Não cause frustrações.
Não diga que seus heróis não existem. Não o irrite à toa.
Deixe-o pensar que o Papai Noel existe, até que ele mesmo descubra a verdade. Isso se chama: caminhar com os próprios pés.
Permita-o sonhar. Depois, a vida, no tempo certo, apresenta a realidade a ele.
Deixe-o tomar banho de chuva, mas depois o aqueça. É bom sentir-se livre.
Não conte a ele sobre política, até que ele saiba distinguir o certo do errado, o honesto do corrupto.
Não o compare com outras crianças, pois é assim que os primeiros sintomas de egoísmo ou inveja surgem. Deixe a competição de lado, pelo menos por enquanto.
Não pode suas iniciativas. Assim como uma planta, seu filho precisa crescer. Contrariar essa regra poderia inibir qualquer manifestação futura de criatividade ou desenvoltura.
Proporcione o hábito da leitura. Mas não o castigue se ele preferir mesmo brincar de pique-pega. São coisas da idade, depois passa.
Ensine-o a ter mais carinho com os animais. Mesmo que ele não pretenda ser veterinário, esse mesmo carinho será muito útil às pessoas ao redor.
Provoque a obediência de seu filho, porém diga “não” somente quando esta for a melhor alternativa. De qualquer jeito, ele obedecerá a um “não” ou a um “sim”.
Conceda o perdão, dê apoio, ofereça seu ombro, faça um cafuné.
Preserve a amizade. É ela que permitirá a você ter conhecimento de quase todos os segredos dele no futuro. Quase todos, porque você há de convir que há segredos dispensáveis ao seu conhecimento.
Jamais o ofenda em uma daquelas extensas lições de moral. Magoar não acrescenta sentimento à discussão.
Enfim, ame intensamente, não forneça carências. A vida não tapará os buracos que você deixar, a pior falta é sempre a sentimental.
E nunca se esqueça: a felicidade dele é a sua!

Aline M. Abdalah

Sim sou eu..
com um pouquinho dos meus amigos.. e muito dos meus pais..
com cicatrizes das doideiras que fiz, e com marcas do que não faria nunca mais.
Sim sou eu, com novas palavras a cada dia, com novos jeitos e uma personalidade.. mutavel-imutavel.
Sim sou eu, com sorrisos variados, abraços apertados.. saudades do que apenas ficou no passado.
Sim sou eu, que cai e sozinha levantei.. que pense...i que não havia mais forças, e achei..
Que sempre tenta evitar o "talvez".
Sim sou eu, que canta, toca, compoe .. inventa.. transforma, muda e é mudada..Mais que incrivelmente continuo sendo eu.
Sim sou eu.. só eu.. tão simplesmente Eu.
E as vezes, pensar que estou diferente.. vem apenas do modo de cada um me ver.. Pois sei que só me conhece de verdade, quem me olha e encherga além do que os olhos podem ver..
Pois por fora, eu tenho minhas fases, mais por dentro eu sempre vou contiuar sendo quem sou...
Não tenho medo das indagações, ou opniões, sobre quem fui, ou serei .. Se quer mesmo saber meu pensamento..
Bom, acho que se indagar, é um problema seu.
Mas se resolver me perguntar..
irei respirar fundo, e talvez balbuciar..
Sim, ainda sou eu!

Rayane Castro Calcabrini

Brasil

P'ra mim
és esse rio que te desflora
o povo
de um país desencantado,
povo que canta,
dança,
mas que chora
a terra,
seu país por Deus criado.
P'ra mim,
és Ipanema ensolarada,
és a verde Amazónia
agredida.
És Sampa
acordando de madrugada,
a esperança de mudar
não conseguida.
És a crosta gretada,
sertão sofrido.
És verdesul
nordeste
és a Baía
és Brasília,
futuro não cumprido,
sorriso
carnaval,
triste alegria.
És meu Cruzeiro do Sul
muito querido,
tu és o meu Brasil
minha Utopia.

José Marques

Inocência

Descalços nas ruas andando
A ermo sem direção
Meninos sem pais, sem rumo
Futuro desta nação.

Sem sonhos nem ilusões
Buscam no lixo a comida
Matando a fome do corpo
Antes que a alma desista

Em meio ao caos total
De um país sem parâmetros
Meninas se prostituem
Em nome de todos os santos!

Mazé Carvalho

O que direi ao meu pai?
-Feliz dias dos pais?
-Tome pai comprei pro senhor?
-Te adoro?
-Te amo?
-Vc é o melhor pai do mundo?
...não!,direi a ele simplesmente o que poucos falam,
olharei dentro dos olhos dele e darei um grande sorriso.
Sorriso esse que nenhum de meus irmãos lhe deu um dia.

Daniel P .Santos

CARTA AOS PAIS


Meu irmão.

Evocamos as homenagens que lhe são tributadas, pela nobre missão que o Senhor da Vida lhe concedeu, na condição de pai na Terra, venho ao encontro de seu coração, a fim de que possamos, juntos, refletir acerca de alguns elementos que muitas vezes, são deixados lado, por variados motivos.

Você sabe que ser pai no mundo é honrosa oportunidade com que Deus brinda o homem, com que abençoa a masculinidade, homenageando a sua função co-criadora, ao lado da mulher que se fez mãe pelos vínculos carnais.

Assim, meu irmão-pai, torna-se necessária a sua atenção para os episódios mais estridentes que acontecem nos momentos que passam, na conjuntura social.


Ouve-se falar dos tormentos dos vícios, do tóxico em particular, solapando as energias jovens, começando a destroçar a criança, ainda nas primeiras experiências infantis, enleando até mesmo os seus filhos na volúpia viciosa, e tantas vezes você não se interessa e , por isso , nada vê.

É verdade que você se encontra preocupado com a manutenção doméstica. É valido que você se torne o eixo em torno do qual giram preocupações. É compreensível que esteja cansado, ao voltar dos sucessos cotidianos da profissão.

Porém papai, não deponha sobre os ombros da companheira-mãe a responsabilidade de, sozinha, conduzir o lar, educar a prole, acompanhar os passos dos pequenos e dos mocinhos, fazendo-se presente onde se torne preciso. Você pode e necessita, meu amigo, na condição de genitor, participar desse luminoso esforço, que é o de conduzir ao Criador as almas que lhe foram apresentadas na função de filhos.

Quantas vezes você tem mirado nos olhos dos seus filhos para sentir-lhes as realidades intimas, pelas “janelas da alma”?

Quantas vezes você tem renunciado a um lazer para que esteja com eles, nos compromissos escolares em que se faça importante a sua pessoa, numa ou noutra atividade social, a fim de que se sintam apoiados por sua presença a dar-lhes segurança?

Quantas vezes você tem dialogado com seus filhos, ouvindo-lhes as opiniões sobre a vida, as pessoas, os fatos cooperando no esclarecimento de equívocos e fazendo recolocações devidas, auxiliando-os a caminhar pelas vias do discernimento?

Quantas vezes visitou, você mesmo, os ambientes, os redutos, nos quais vivem e se agitam seus filhos, a fim de conhecer onde estão comumente, com quem estão e o que fazem, demonstrando interesse pelo acerto deles na vida?

Quantas vezes chamou-lhes a atenção, com carinho e energia, ao vê-los bandear-se para caminhos obscuros, induzidos pela propaganda tendenciosa do mal ou pelas opiniões de quem se lhe apresenta como liderança da moda?

Quantas vezes você conseguiu conversar, sem gritar; orientar, sem imposição descabida; corrigir, sem agressão, para que eles adquirissem o senso do equilíbrio das proporções e da tranqüila disciplina?

Pense, meu irmão, pense seriamente, desarmado emocionalmente, para verificar se não terá tido ou se não tem participação nos equívocos em que os filhos se lançam por ignorância ou desamparo, por falta de sua assistência...

Se, muito bem, que você ama seus filhos. Entretanto , o amor, sendo a virtude por excelência, deve ser vigilante e perspicaz, para que , em seu nome, a insensatez e assombra não se estabeleçam.


Hoje, quando tantos filhos sofrem a carência da presença dos pais, Vigie-se para não trocar por presentes matérias a atenção que lhes deve, de modo a conquistá-los. Ainda que tenha coisas para dar, de-as, mas oferte-se a eles. Sorria com eles, corra com eles, ajude-os em pequenos serviços, em singelos deveres escolares. Ouça-lhes as historias simples do dia-a-dia, vividas com colegas e amigos. Dê valor às suas dificuldades, sem exageros prejudiciais, contudo. Pergunte-lhes, ao tornando-se, assim, amigo-confidente, para que seja aceito como conselho.

Mas, não se olvide de que todas as suas orientações, palavras e ensinos se esboroarão, ruirão por terra, se você apenas quiser ensinar, sem que viva, nobremente, os ensinos que ministra.

Reflita, pai querido, que seus rebentos lhe conduzirão a mensagem de vida aonde quer que forem, impregnados que estarão por tudo quanto lhes houver oferecido.

Não se esqueça, ainda, papai, que você não está a sós, com sua companheira, para o conduzimento dos filhos. Contam vocês com a assistência e com a participação dos nobres Emissários do Bem, que se fizerem seus Anjos Quardiães, e que têm interesse em recambiá-los a Deus, valendo-se da sua disposição de pai e mãe na Terra.

Não diga que se torna difícil a lide, por lhe faltar o burilamento da cultura escolar. Para orientarmo-nos pelo bem, pelo caminho correto, junto aos nossos afetos, não temos necessidade de diploma, mas, sim, de bom senso e maturidade, aliados a uma profunda confiança em Deus.

Repito-lhe que os Espíritos Avalistas da sua família acompanharão as suas lutas e dificuldades, limitações e empenhos , suprindo onde seja necessário, a fim que você consiga avançar , cooperando com o Criador de modo efetivo, e mais afetivo, alcandorando-se com os seus educadores bem formados.


Ao abraçá-los por sua coragem e por seu amor, junto aos filhos amados, auguramos-lhes verdadeiros progressos, na marcha para a real felicidade, após a sua missão devidamente atendida.

Vereda Familiar
J. Raul Teixeira

José Raul Teixeira

Meu País Desgraçado

Meu país desgraçado!...
E no entanto há Sol a cada canto
e não há Mar tão lindo noutro lado.
Nem há Céu mais alegre do que o nosso,
nem pássaros, nem águas ...

Meu país desgraçado!...
Por que fatal engano?
Que malévolos crimes
teus direitos de berço violaram?

Meu Povo
de cabeça pendida, mãos caídas,
de olhos sem fé
— busca, dentro de ti, fora de ti, aonde
a causa da miséria se te esconde.

E em nome dos direitos
que te deram a terra, o Sol, o Mar,
fere-a sem dó
com o lume do teu antigo olhar.

Alevanta-te, Povo!
Ah!, visses tu, nos olhos das mulheres,
a calada censura
que te reclama filhos mais robustos!

Meu Povo anémico e triste,
meu Pedro Sem sem forças, sem haveres!
— olha a censura muda das mulheres!
Vai-te de novo ao Mar!
Reganha tuas barcas, tuas forças
e o direito de amar e fecundar
as que só por Amor te não desprezam!

Sebastião da Gama

Filhos 
Oi Hique e Renata,  vcs são, uns filhos abençoados, que todos os pais gostariam de ter. Nós, somos os  pais abençoados pelos filhos que temos !!!!
Fico feliz ,por ter conseguido passar para vcs, aquilo que penso ser esencial para a preservação da espécie humana !!!!
O que é familia !!!!
Bjs!!!

Raimundo grossi

É sério mesmo que agora fazemos parte de uma geração que 'fiscaliza' o que os pais fazem na rua com os seus filhos?

Por favor, vocês são inteligentes: não estou falando de extremos, de maus tratos, abusos, violência. Estou falando de correção paterna/materna. Daquela chamada de atenção mais firme quando, depois de inúmeras tentativas verbais e ameaças de castigo, o seu filho não para de chorar (birra, melindre, mimo) ou se encontra jogado no chão de algum local público, esperneando: "Eu queeeeeeerooooooooo!!!"

Eu admito, não é uma cena agradável de se ver. Mas acredite: para o pai e a mãe envolvidos é muito pior.

E aí, o que a sociedade espera que eu faça? Ah! Ela quer que eu literalmente FAÇA, é isso? Ela quer que eu ceda a vontade daquela criança, ainda que não seja algo apropriado para o momento (ou apropriado nunca - cada um com o seu motivo, sua realidade)?

Então você, pai e mãe amoroso, que ama seu filho a ponto de dar a vida por ele e quer que essa criança se torne um cidadão de bem, alguém que saiba o que é LIMITE, vai chamar a atenção do seu filho (ainda que seja em um local mais reservado, por exemplo, um banheiro) e encontra alguma criatura que, ao presenciar a cena por 1 minuto, sem saber do que se trata (aliás, precisa?), sem ao menos saber quem você é, te julga, te condena, te ameaça com o olhar... é isso mesmo, sociedade?

E olha que não estou falando de palmadas, estou falando de segurar o braço e falar firme olhando nos olhos!!

Aliás, eu respeito quem ache desnecessário usar palmadas. Mas eu penso diferente e de igual modo gostaria de ser respeitada. Levei palmadas dos meus pais e isso não me tornou uma pessoa infeliz, depressiva, mal sucedida, cheia de traumas. Pelo contrário, acho que eu apanhei pouco. Isso teria evitado uma série de burradas que eu fiz e faço.

POR FAVOR, SOCIEDADE: CUIDEM DAS SUAS VIDAS.
Ou comecem a pagar minhas contas.

Tainah Ferreira

Aleatoriamente
no país do futebol
Eu fora da ordem
Em outra posição
Dentro da desordem
No banco de reserva
do progresso da nação

A ordem é organizada
O progresso é prometido
De olhos vendados
nosso verde é vendido
A aleatória ordem é mantida
eles ganhando e nós perdido

A ordem é produção
O progresso é ilusão
Nos deram a escola
Não nos deram educação
Nos deram uma escolha
Não nos deram opção
Eles vivendo em cinco estrelas
Nós sobrevivendo em um porão

matam nossa fome (para nos calar )
Matam nossa sede (Apenas pra sedar )
Oque não precisa (passa a precisar)
Fecham a cortina (para nos roubar )
Eles lutam contra eles
Mas não vão se dedurar
Uma valsa ensaiada por cobras
(onde a sobra vai dançar)

Junior Fortini

Só Para Refletir

Quando os pais, professores e até mesmo vizinhos, das gerações passadas corrigiam e disciplinavam as crianças e os jovens, havia o mesmo nível de vícios, homicídios, furtos, violência, adultérios, rebeldias, desrespeito, insolência, e tudo o mais que nos faz mal e agride?
Terá sido uma boa opção, a título de se dar liberdade e amor, abrir mão da boa educação, e consentir com quase todo tipo de comportamento inconveniente na nossa sociedade?
Ninguém tem o direito de reclamar do fruto que está colhendo da má semente que plantou.

Silvio Dutra

Jesus Pregando ao Longo do País – Mateus 9.35-38

“35 E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino, e curando toda sorte de doenças e enfermidades.
36 Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque andavam desgarradas e errantes, como ovelhas que não têm pastor.
37 Então disse a seus discípulos: Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos.
38 Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.” (Mt 9.35-38)

Depois da cura dos dois cegos e do mundo endemoninhado, em Cafarnaum, Jesus saiu por todas as cidades e aldeias de Israel, tanto ensinando nas sinagogas, quanto pregando o evangelho e curando todo tipo de doenças e enfermidades, e se compadecia das multidões, vendo-as como ovelhas desgarradas e errantes, por serem ovelhas que não tinham pastor que as apascentassem.
Os líderes religiosos de Israel sempre haviam explorado o rebanho do Senhor, em vez de apascentá-lo com a verdade. Nunca tiveram um sincero cuidado com as ovelhas, antes as deixaram desgarradas, longe do redil.
Então, veio nosso Senhor, o bom Pastor, em busca destas ovelhas desgarradas, que não se encontram somente em Israel, mas em todas as partes do mundo, estas últimas, Ele disse que as reuniria depois, no mesmo rebanho, pelo ministério do Espírito Santo, depois que Ele morresse, ressuscitasse, e subisse aos céus em glória.
O rebanho do Senhor não é massa de manobra nas mãos dos lideres religiosos, para usarem as ovelhas para atenderem aos seus próprios interesses e projetos, que apesar de chamarem de religiosos, na verdade não passam de projetos políticos que visam à própria glória pessoal, ainda que seja dita em nome de Cristo, porque isto é muito sutil, e permanece imperceptível aos olhos espirituais daquele que não anda em sincera humildade e piedade com nosso Senhor.
Os escribas, os fariseus, os sacerdotes de Israel, não tinham qualquer cuidado ou interesse, segundo Deus, pelas ovelhas do Seu pasto.
Então, Jesus não confiaria a nenhum deles, na condição em que se encontravam, o cuidado de apascentarem o Seu rebanho, senão àqueles que estavam sendo chamados pelo Pai, para tal propósito.
Todavia, o Senhor revelou que esta chamada de líderes autênticos é realizada por Deus, atendendo ao clamor da Igreja, para que levante tais obreiros aprovados para a Sua seara, porque por maior que seja a quantidade de tais obreiros, sempre será pequena em relação às necessidades da grande seara que é o mundo.
Não é fácil o trabalho de cuidar e encaminhar na verdade os que vão se convertendo ao Senhor. Além de ser um trabalho difícil, em sua própria natureza, tem também esta dificuldade da necessidade de se atender não a poucos, mas a muitos, porque são muitos os eleitos do Senhor em toda a terra.
Por isso Jesus comparou este trabalho ao que é realizado na colheita num campo, porque é sempre muito maior a quantidade daquilo que se colhe, do que a dos colhedores.

Silvio Dutra

Pais

Eles nos criaram, eles aceitaram Deus, cuidou de nós, nos deu amor, trocou nossas fraudas, e sempre nos protegeu...
A bebe, virou criança, sapeca e extrovertida, a criança virou moça, esperta e alegre, mais essa moça, esta crescendo , esta trocando as sapatilhas pelo salto, a mochila pela bolsa...a mocinha não será mais mocinha, ela esta na metamorfose da vida.
As coisas virarão ao avesso, novos amigos, novas conquistas, novas paixões, mais eles sempre estarão com ela, talvez ela não os veja mais, mais eles estarão lá, sobrando no seu ouvido, como um sussurro...
Mais agora, a mocinha, quer curti, ela quer sair, ela quer diverti, mais ela não quer afastar, daqueles que mais a ajudou, mais , sim, ela vai fazer isso tudo, mais jamais deixará seus pais de lado, eles não estarão atras de nada, nem á frente, eles estarão acima de quase tudo, mais abaixo de Deus.
Ela não quer perder seu tempo, ela quer continuar dizendo todos os dias que ama-os, ela quer fazer eles rir, ela quer deixar eles orgulhosos, ela quer deixar de sair com as amigas, só pra ficar com eles, mais sabe porque? Porque ela escuta Renato Russo, e é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanha...
Talvez seja daqui a anos, ou daqui alguns meses, talvez seja daqui semanas, ou dias, até mesmo horas, ou minutos, Deus escreveu a vida deles, do inicio ao fim, as horas estão marcadas, e se forem, é porque sua hora venceu, então ela não quer esperar as horas passarem sentada, ela quer viver, mais viver junto a eles, viver junto de quem deixou de curti a vida, para ensina-la a viver a dela, então ela viu que deve muito a eles.
Cedo ou tarde eles irão, mais que seja tarde, que seja bem tarde, porque ela quer ensinar aos seus netinhos, a falar para seus bisavós- eu te amo- pois pessoas sensacionais, merecem muito amor.
Ela quer agradece-los, ela quer ama-los, ela quer respeita-los, mais ela não quer perder tempo, pois cada segundo ao lado deles é um pequeno passo a felicidade eterna;

Daniella Souza

AOS PAIS E FILHOS DE SANTA MARIA

"Que as falhas humanas se convertam em honrarias no Céu, ao receber tantos novos anjos de uma única vez"

Os filhos nascem com asas
Pra com elas voar um dia
E que voem de suas casas
Com a graça de Santa Maria

Crianças que ingerem alegria
Se alimentam de pura emoção
Que possam, Santa Maria,
Viver pautando a razão!

Em seus olhos hajam brilhos
Nada ofuscando seus medos
Verdade entre pais e filhos
E não nos guardem segredos

Que a vida transcorra imune
Que tenham salvo-condutos
Se lhes couber infortúnio
Santa Maria: Fazei-nos adultos

Perdestes o filho vosso
Que esperavas era partir
Perdoe, se perdendo os nossos
Não consigamos agir

Serão eternas crianças
Aos olhos de mãe e pai
Se nos faltar esperanças
Santa Maria: Por nós rogai

Se perda maior for possível
Livrai-nos Deus do algoz
Mas nessa tragédia terrível
Santa Maria: Rogaremos por vós!

MOZART BOAVENTURA SOBRINHO

JARDIM CONTAMINADO

Enquanto nos quatro cantos de nosso país faltam profissionais como, professores,médicos, engenheiros e etc...
Políticos e líderes religiosos mau intencionados proliferam-se como ervas daninhas, roubando nossas riquezas, nossa auto estima e acima de tudo........nossas esperanças!!!

Orlando Salustiano Júnior (LANDINHO)

Até Quando Vamos Suportar a Violência em Nosso País?...

Eis a questão?...

A coisa está tão grave, que ficamos com medo até de sair de casa, já notaram isso?...

Pois bem, aqui em Castelo, ES, também não é diferente! As últimas notícias não são muito animadoras: 1 - Alguém fora baleado na última Sexta-feira no Bairro Exposição; 2 - No Sábado, assaltaram na parte da manhã, a mão armada um despach...ante perto do Detran-ES, levando um cordão de ouro do mesmo; 3 - À tarde, assaltaram a mão armada o Supermercado do Juarez na Esplanada e o Bar do Amarelinho, tendo os bandidos enfrentado a Polícia Militar, efetuando vários disparos de arma de fogo, botando em perigo os comerciantes, funcionários, clientes e as pessoas que por ali passavam. E eu pergunto: "Até Quando Vamos Suportar a Violência em Nosso País?..."

Eis a questão?...

Se puderem me ajudar, aceito comentários e sugestões, pois, a coisa está grave e não podemos ficar aqui de braços cruzados, esperando que o pior aconteça.

Digamos todos não à violência!!! Lutemos pela paz e pela tranquilidade de todos nós brasileiros, que aqui nascemos e amamos a Nossa Pátria Querida!

Abraços fraternos.

Luiz Maria Borges dos Reis

De tempos em tempos

Passam dias, anos e décadas após qualquer fato que assombre o país com tamanha irresponsabilidade e tudo que se ouve e lê são as mesmas respostas de anos e anos atrás. E aqui não se refere apenas á um item isolado, pode ser avião, boate, circo ou ônibus e até mesmo construções, o Brasil é um país de irresponsáveis e o jeitinho brasileiro mata sim pessoas. Talvez fosse o momento de abrirmos mão desta tão aclamada e difundida pratica para sermos, mais responsáveis com nossa própria família.
É necessário pararmos de adquirir vantagem a qualquer custo, sobre qualquer pessoa, para apenas ver lucros, cifras, se não o fizermos, os números que continuaremos a contar será o de corpos. O principal fato disto acontecer é que o país não é único, não caminha na mesma direção, muitas vezes vemos e lemos que as diferenças regionais, são mais importantes que o bem comum. É muito mais fácil ficarmos rindo de sotaques, costumes e tragédias que estão em outras partes, ao invés de todos exigirmos melhorias e isso é mais comum e temeroso do que possamos imaginar.
O povo tem que compreender que independente de regiões ou cidades todos fazemos parte de uma sociedade e a tragédia está esperando para acontecer em qualquer lugar, não escolhe cor ou religião. Somo sim um país mais ou menos, com pessoas mais ou menos, que se conforma com situações mais ou menos resolvidas e com políticos mais ou menos honestos. Precisamos dar um passo à frente, necessitamos nos vestir de orgulho de sermos brasileiros, de coragem, acreditar que nossas exigências, nossas atitudes contribuem para fazer do Brasil um país melhor e mais honesto.
Não se pode admitir tantos erros, tantas falhas na lei, tanta corrupção, somos uma sociedade em construção, estamos certamente entrando em outro patamar e por isso não podemos mais aceitar tamanha irresponsabilidade de nossa parte e de nossos governantes.
Há esperança existe, nas pessoas e no amanhã melhor e em meio a tantas lagrimas que se derramam a cada nova tragédia que choca, nasce com elas uma forte corrente de humanidade, ainda temos por direito, nos sentirmos humano em um mundo que aos poucos se torna tão frio e mecânico.
O amanhã é uma incerteza, não sabemos se tudo será realmente melhorado, se novas tragédias serão evitadas, mas quando nos unimos para fazermos o melhor, para exigirmos uma país melhor, esta certeza se torna por certos momentos, um pouco menos obscura.

Pablo Gabriel Ribeiro Danielli

Aonde esta nosso Jiminy Cricket?

O Brasil é um país de conto de fadas, absolutamente irreal e fantasioso, aonde todos vivem em um eterno faz de contas. Aonde a televisão faz de conta que passa alguma coisa útil, aonde as pessoas fazem de conta que se importa com alguma coisa e aonde os políticos fazem de conta que falam e se importam com a verdade.
Mas se fosse para adaptar esta realidade brasileira há alguma história, provavelmente seria sobre um certo Pinóquio, aonde ele sendo um projeto de gente para suprir as necessidades e solidão de um velho, foi criado. E como em um passe de magicas, ganhou vida, uma consciência com o nome de Jiminy Cricket, popular grilo falante, sim para os que não sabiam, era inicialmente apenas um eufemismo para a expressão Jesus Cristo! Uma certa ironia da pessoa que concebeu o desenho, em colocar o nome da consciência, a pessoa que veio ao mundo para moralizar nossa já antiga e ultrapassada falta de caráter.
Mas até mesmo nesse ponto não podemos deixar de fazer comparações, tanto a população de forma geral quanto os políticos, tem um pouco de Pinóquio, nascemos muitas vezes ao acaso, assim como o personagem e descobrimos que pequenas mentiras teoricamente podem não fazer “mal”. Assim como os políticos que na sua maioria surgem sem saber de onde, e ao assumir o governo descobrem que “pequenas” mentiras nunca serão descobertas, com a diferença de que seus narizes não irão crescer.
Ai está, posta na mesa as cartas e os personagens, inevitavelmente temos que nos perguntar, onde está nosso Jiminy? A onde está nossa baleia? O quão sozinho e egoísta podemos ser aponto de incorporamos um Gepeto? Assim como os personagens, vivemos em uma época individualista, com certa melancolia e muitas mentiras, jogo de interesses, apenas visando o próprio interesse.
A diferença básica é que o conto Pinóquio, é apenas um conto, que quando criado já envolvia certos valores, há muitos e muitos anos atrás, o que é preocupante é que tais valores depois de tanto tempo passado, continuam a faltar. Precisamos nos envolver mais, pois assim como os vilões da história, temos os nossos em sua grande maioria no planalto, fantasiando nossas cabeças com falsas ironias, e nos perguntamos, aonde esta nossa consciência, nosso Jiminy, nosso grilo falante, para fazermos o que é correto, para não deixarmos simplesmente tudo como está, pois embora o conto do livro tenha um final, nossas vidas são reais e continuam.

Pablo Gabriel Ribeiro Danielli

A identidade de um país

O Brasil é um país defasado culturalmente, vivemos apenas de passado, um breve passado, nos dias atuais somos um aglomerado sem qualquer expressão artística. Um país com tais dimensões e com tantas pessoas deveria não ser apenas o celeiro de alimentos do mundo, mas ser também um armazém de ideias para todos, deveríamos respirar arte e cultura, as ruas deveriam estar cheias de manifestações e pessoas mostrando seus talentos.
Embora tenhamos alguns artistas de destaque e quando falo isso não me refiro na musica, o que falta é reconhecer e lapidar novos talentos e isto nos leva ao ensino, que não por culpa dos professores que lá estão, operando diariamente pequenos milagres com o pouco que tem em mão. Sim, pela falta de estrutura de nossas escolas, pela falta de investimento real na educação, deveríamos ter adotado o ensino integral, dois turnos, não apenas de aulas básicas, mas inserir além do conteúdo programado, aulas de artes, filosofia, sociologia, entre outras tantas atividades culturais e esportivas para moldar o caráter dos alunos, preparar para a vida, torna-los melhores cidadãos.
O dever de um governante é lutar para que o povo que o elegeu seja livre para pensar, agir e falar, não ficar dependente de uma ou duas pessoas, deve desenvolver seres pensantes e pedantes. Mas embora sejam apresentados teorias e argumentos para tais fatos, tudo passa pela escola, do ensino fundamental ao superior, devemos pensar na educação não como algo altamente lucrável,mas como uma oportunidade de criar novos talentos, moldar uma identidade forte para o Brasil.
E todo esse descaso reflete no nosso presente, e vai interferir no nosso futuro, não se pode se surpreender o sucesso de produtos considerados absolutamente banais, pois está se criando uma sociedade extremamente banal, na forma de agir, pensar e falar.
Coloco em desafio para a mente, de uma forma rápida, buscar na memória quantos artistas plásticos, pintores, escritores, coreógrafos entre tantas outras formas de arte, cultura podemos nos lembrar de prontamente, não me refiro aos consagrados de décadas atrás, mas os dos dias de hoje.
Somos uma nação sem cultura, somos pessoas programadas para não desenvolver pensamentos e não procurar se envolver com tais formas inteligentes de vida. Os poucos que se destacam nos dias de hoje, deveriam ser proclamados heróis da resistência, pois viver da arte nos dias de hoje ao menos nesse país chamado Brasil é um ato de bravura, de esperança e dedicação. Embora nossos governantes teimem em dizer que não.

Pablo Gabriel Ribeiro Danielli

Brasil o país do faz de conta

Existem poucas coisas que o brasileiro se importa, e muitas com as quais ele não faz questão de lembrar, educação, saúde e segurança são assuntos que não passam pela cabeça de 80% das pessoas, isso para não ser exagerado. Politica 90%, talvez mais, mas o fato preponderante é que o país é um conto de fadas, aonde o futebol é nosso príncipe encantado e a copa vem nos salvar de todos os problemas e vilões que até hoje atormentam o belo e indefesso povo brasileiro.
Mas a princesa indefesa não esta ajudando seu príncipe encantado a lhe salvar, pois tamanha é a paixão pelo futebol, que este amor acabou deixando cego das verdadeiras razões que levam para os caminhos tortuosos da vida. O Brasil é uma princesa assanhada que na verdade testa os limites da FIFA, testas o bom senso com as obras publicas, e gasta dinheiro para se embelezar para o resto do reino.
Mas o conto de fadas da vida real é um pouco mais complicado que isso, o príncipe cansou da enrolação da mocinha, pois se a única paixão do país é o futebol e até nisso damos aulas de incompetência o que dirá o restante dos outros reinos? Que lógico, a relação está em crise e não haverá casamento, pois ninguém quer um parceiro que não saiba fazer o mínimo que lhe é devido.
O Brasil é um país que somente se importa se falam bem de sua imagem, é uma princesa que vive de fofocas, não de responsabilidades, o governo não gosta de assumi-las, dá muito trabalho ser justo, correto e incorruptível, e nesse empurra de responsabilidades para saber quem deve cuidar dos serviços do castelo, o príncipe no cavalo branco da sintomas de que se arrependeu e quer o divorcio.
Assim a copa corre o risco de ser um fiasco não só parcial, mas total, sem obras de essenciais para as cidades, sem cuidar da população, logo chegam as más línguas as bruxas malvadas e as fofoqueiras de plantão (Ricardo Teixeira, Jérôme Valcke), largando “injurias” aos ventos para abalar este “nobre” casamento. Conta à história que quando a sua realeza está em crise, o reino está por uma rebelião, no caso deste reino, resta saber se ela será pelo seu povo ou a mando de outros, já que o príncipe se cansou da princesa gastadeira.

Pablo Gabriel Ribeiro Danielli