Textos para Pessoas Recalcadas

Cerca de 7986 textos para Pessoas Recalcadas

No momento em que duas pessoas se tornam amigas, elas de uma certa forma se isolam das demais. [....] A comunidade pode até repeli-las e suspeitar delas. Os líderes no geral fazem isso. Os diretores de escolas, os administradores de comunidades religiosas, os capitães de navios, podem sentir-se preocupados quando surgem amizades fortes entre pequenos grupos de seus agregados.

[....] O conceito que valoriza a coletividade acima do indivíduo necessariamente também desacredita a Amizade; ela é uma relação entre homens em seu mais alto nível de individualidade. Isola os homens do “conjunto” como a própria solidão poderia fazê-lo; e mais perigosamente ainda, pois os isola em grupos de dois ou três [....] Dizer, “Estes são meus amigos” é o mesmo que dizer, “Estes não são”.

Todo nome que dão a um círculo de amizade é quase sempre depreciativo. Na melhor das hipóteses chamam-no de “grupo”, “roda”, “gang” [....] Os que só conhecem pessoalmente a Afeição, o Companheirismo e Eros consideram os Amigos como “pedantes convencidos que se julgam bons demais para nós”. Esta é naturalmente a voz da inveja, mas ela sempre faz a acusação mais verdadeira...

[....] Sozinho, entre companheiros que não me compreendem, eu mantenho certos padrões e pontos de vista timidamente, um tanto envergonhado por admiti-los e um tanto duvidoso de que possam ser certos. Mas basta estar de volta aos meus Amigos e em meia hora, ou mesmo dez minutos, esses mesmos padrões e conceitos se tornam de novo indiscutíveis. A opinião desse pequeno circulo, enquanto estou nele, supera a de mil outras pessoas: à medida que a amizade se robustece, me sentirei assim, mesmo quando meus amigos estão distantes, pois todos queremos ser julgados por nossos iguais, por aqueles que são “segundo o nosso coração”.

Apenas estes conhecem na verdade nossos pensamentos e só eles julgam segundo padrões que reconhecemos. É deles o louvor que cobiçamos e a censura que tememos.

[....] É fácil ver, portanto, por que as autoridades não vêem com bons olhos a Amizade. Cada amizade verdadeira é uma espécie de secessão, e mesmo rebelião. Pode ser uma rebelião de pensadores sinceros contra erros aceitos ou de maníacos contra o bom senso aceito; de verdadeiros artistas contra a arte popular inferior, ou de charlatões contra o gosto civilizado; de homens bons contra a maldade social ou de homens maus contra a bondade. Qualquer que seja ela, não irá agradar os que estão Em Cima.

Os homens que possuem amigos fiéis são menos fáceis de manejar ou “alcançar”; mais difíceis de corrigir por parte das boas autoridades e de corromper por parte das más. Assim sendo, se nossos senhores [....] de maneira sutil [....] vierem a ter êxito em produzir um mundo em que todos são Companheiros e ninguém é Amigo, terão removido alguns perigos, e terão também tirado de nós aquilo que é quase nossa mais forte proteção contra a servidão absoluta.

Os perigos porém são perfeitamente reais. A Amizade (como os antigos descobriram) pode ser uma escola de virtude; mas também (como não perceberam) uma escola de vício. Ela é ambivalente. Torna melhores os homens bons e piores os maus.

Fica evidente que o elemento de divisão, de indiferença ou surdez (pelo menos em alguns assuntos) às vozes do mundo exterior, é comum a todas as amizades, sejam elas boas, más, ou simplesmente inócuas. Mesmo que a base comum da amizade não seja nada mais momentoso do que colecionar selos, o círculo correta e inevitavelmente ignora a opinião de milhões que a consideram como uma ocupação tola, e dos milhares que são apenas diletantes [....] Da mesma forma que sei que eu seria um intruso num círculo de golfistas, matemáticos ou motoristas, reivindico o mesmo direito de considerá-los intrusos no meu.

As pessoas que aborrecem umas às outras devem encontrar-se poucas vezes, as que interessam uma à outra, muitas vezes. O perigo está em que esta indiferença ou surdez à opinião externa, embora justificada e necessária, pode levar a uma indiferença ou surdez totais [....] A surdez parcial, nobre e necessária, encoraja a surdez total que é arrogante e desumana [....] A surdez parcial e justificável é baseada em certo tipo de superioridade - mesmo que se tratasse de um conhecimento superior a respeito de selos. O senso de superioridade vai então ligar-se à surdez total. O grupo irá desdenhar e ignorar os que se acham fora dele; tornando-se, com efeito, algo muito semelhante a uma classe. Um círculo social é uma aristocracia autonomeada.

[....] Numa boa Amizade cada membro se sente humilde em relação aos demais. Vê que eles são esplêndidos e se julga com sorte por estar entre os mesmos [....] Mas, infelizmente, esses eles, de um outro ponto de vista, são também nós. Assim, a transição da humildade individual para o orgulho corporativo é muito fácil [....] Já vimos isto sendo feito pelos “ veteranos” na escola falando na presença de um aluno novo, ou dois “permanentes” no Exército diante de um “temporário ”; tais pessoas se expressam com grande intimidade a fim de serem ouvidas. Todos os que não fazem parte do círculo precisam saber que não estão nele. A Amizade pode em análise final não ter base alguma, exceto o fato de ser exclusivista. Ao falar a um Estranho, cada membro tem prazer em mencionar os outros pelo primeiro nome ou por um apelido; não apesar de que, mas porque, o Estranho não saberá a quem se refere.

[....] Podemos detectar assim o orgulho da Amizade em muitos círculos de amigos. Seria precipitado supor que o nosso possa estar livre desse perigo, pois, como é natural, exatamente nele é que seríamos mais lentos em reconhecer essa falha.

A amizade é até mesmo angelical, mas o homem precisa ser triplamente protegido pela humildade se quiser comer o pão dos anjos sem risco.

C.S.Lewis

Pessoas normais são felizes com vidas normais. Eu era diferente.
Eu sentia que existia mais na vida do que se arrastar em um dia depois do outro... Eu era
mais rigoroso que muitos dos meus amigos porque eu queria mais, eu exigia mais. Eu era
mais faminto por sucesso do que qualquer pessoa que conhecia.

Arnold Schwarzenegger

"Centenas de pessoas atravessam a nossa vida diariamente. Umas passam bem devagar e aproveitam o trajeto ao nosso lado, outras estão sempre correndo e não tem interesse em observar o caminho conosco, e têm aquelas que decidem fazer o mesmo percurso que a gente pelo simples prazer da nossa companhia.

As pessoas que fazem parte da última categoria sabem que nem sempre será prazeroso. Elas também reconhecem que muitas vezes o caminho será complicado. Em outras situações irão questionar qual a razão de agirmos de determinada forma enquanto caminhamos. Mas nunca, em hipótese nenhuma vão achar que o passeio foi em vão.

Amigo de verdade te leva a sério, te leva no riso, te leva no bico, mas te leva.

Te carrega pra vida toda!"

Fernanda Gaona

Fases

Pessoas vêm e vão em nossa vidas, longas vidas, pequenas vidas, muitos momentos, poucos momentos, grandes chances, poucas oportunidades, inúmeros desejos, poucas realizações, ou muitas conquistas, tristezas, alegrias, perdas, ganhos, infelicidades, felicidades, traições, amores, magoas, perdões, e AMIGOS.
Passamos por inúmeras fases em nossa vida toda, vivemos momentos jamais vividos. Vemos, ouvimos, fazemos , sentimos e inalamos. Pessoas, músicas, teatro, sabores e cheiros. Mordemos, brincamos, corremos, amadurecemos, escrevemos, lemos,nos apaixonamos, nos iludimos, nos aventuramos, crescemos, votamos, dirigimos, trabalhamos, conquistamos, ganhamos, amamos, formamos, damos, criamos, nos aposentamos, observamos e ensinamos. Vida vivida, contentamento contente.
O que me restará quando esse tempo acabar? Não finda, não cessa, não para. As horas a caso param de ser contadas? O relógio para no tempo? O mundo para de rodar? Tudo no seu percurso normal, o que me resta então? Entender o significado da vida será?
E finalmente entendo que o significado de viver = APRENDER.

“- Sigo aprendendo a viver, porque o viver é aprender.”

Maya Postigo

Quando as pessoas são especiais:
Elas contribuem p/ q td se torne especial!
E assim...
Td tem um sabor especial,
uma cor diferente...
Tendo,um jeito de ser que nao é comum...
O coraçao para ser especial
precisa levantar todo dia com um desejo
de modificar a si mesmo
e daí as coisas todas ao seu redor
vao tomando uma outra cor
um outro modo de ser...
A vida não é um fardo pesado
é um monte de algodão que a gente usa
para sentir-se macio e delicado
ou para secar as lágrimas que as vezes podem
teimar em cair...
Ah... meu sorriso
meu modo de ser
minhas atitudes perante a vida...
Nada pode ser mais nosso
do que uma consciencia tranquila
um olhar de carinho
ou fazer aquilo que o coraçao pede...
A vida é a maior escola
a melhor terapia...
O amigo que te ensina todo o tempo...
A vida é um dom...Uma dádiva
um desejo de querer sempre
que a alegria seja eterna
e a PAZ se esparrame
pelos veus da alma...
Bjs!

Blandinne

A saudade, sentimento que impera entre as pessoas.
Sentimos saudades de centenas de coisas, seja da infância, do primeiro amor, do sorriso de um amigo, do primeiro beijjo.....da primeira vez....Sentimos saudades das pessoas que passaram em nossa vida seja por uma hora ou por dias.
Sentimos um saudosismo das pessoas que amamos e por algum motivo foi levada da nossa vida de uma forma tão brusca e inesperada que as lembranças sempre nos levam a imaginar como seria se elas estivessem conosco curtindo nossas vitórias e dando força para nossas perdas ou das pessoas que dizemos que odiamos, mas no fundo do fundo as amamos.
É pessoal a saudade é mesmo um sentimento único....Sempre que escuto uma musica lembro de algo, seja engraçado, critico, amoroso, triste ou magoado.
Sempre que vejo uma exposição sinto a arte e me lembro dos quadros que pintei na minha vida, das paisagens que me inclui e das cerimônias que um dia fingi ter vivido.
Sempre que leio uma poesia....me recordo dos livros que escrevi, das dores e amores que um dia perdi....me entrego de corpo e alma...me rasgo em pedaços cortando-me com essas lembranças e quando percebo estou de volta a vida mostrando que as lembranças sempre existiram.
Mas uma coisa é certa nossas lembranças sempre vêm como um filme....Quando passamos por aquele lugar especial.....Aquela rua onde passávamos dezenas de vezes, onde já brigamos e nos reconciliamos nossa mente reconstituí a cena, leva o pensamento longe, faz com que você flutue...vá de uma ponta a outra do mundo em questão de milésimos de segundos e você sente como se estivesse sendo alimentado...Alimentado de sonhos e acontecimentos.
A saudade é isso uma enxurrada de sentimentos, uma vontade louca de voltar no tempo e viver cada segundinho como se fosse eterno...Ter a situação de volta e errar novamente.... risosss....ou quem sabe fazer diferente!!!!!
É por isso que lhe digo meu amigo, viva o que tiver que viver como se fosse o último dia do mundo, fale o que tiver que falar como se sua voz fosse acabar e ame como não houvesse o amanhã para acordar....por que o que fica são as lembranças e a saudades do: EU VIVI !!!!

Mariana Nascimento

As vezes eu não sei o que quero da vida, e as vezes eu não sei o que esperar das pessoas.
Já tive planos e já pensei que seria o que hoje já não quero mais ser.
Me fizeram acreditar que amor pra valer eu ia sentir só uma vez na vida, e que as outras vezes iria ser um “gostar apaixonado”, e que esse gostar era coisa pequena, coisa sem valor.
Me fizeram acreditar que eu só iria ser feliz realmente quando encontrasse a minha alma gêmea, e que quando ela surgisse na minha vida meu coração iria bater mais rápido, minhas pernas tremer, meus olhos brilhar e meu coração se abrir sem medo.
Me fizeram acreditar que alguém iria me amar de verdade apenas uma vez, e se eu não valorizasse tal sentimento nunca mais iria encontrar algo semelhante.
Me fizeram acreditar que só existe uma fórmula para a felicidade, e que se eu escapasse dela estaria condenada a infelicidade.
Me fizeram acreditar que a gente não aprende gostar das pessoas, e que a insistência é a base do fracasso.
Me fizeram acreditar que a beleza exterior é uma carta de recomendação, e que esta abre tantas portas quanto a inteligência.
Me fizeram acreditar que a leitura ensina pessoas a questionarem sua propria infelicidade.
Me fizeram acreditar que os outros resolvem os problemas da minha mente.
Me fizeram acreditar que eu sigo um caminho já traçado e um destino já imposto, que as minhas próprias escolhas não fazem diferença quanto ao futuro incerto.
Me fizeram acreditar que os sonhos são bobagens, que o melhor a fazer é se deixar levar.
Me fizeram acreditar em todas as obviedades impostas, em todos os relacionamentos fracassados, em todas as mentes perturbadas, em toda a vida mal vivida.
Me fizeram acreditar que assim seria pra mim.
Ninguém contou que já nascemos inteiros, e que ninguém merece a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se tivermos em boa companhia só é mais agradável.
Ninguém contou que fórmulas para a felicidade dão errado e frustram as pessoas; sempre existem outras alternativas,
Ninguém contou que a gente aprende a gostar das pessoas com a convivência mútua, com a vontade das duas partes, e que ninguém nasce predestinado a amar outra pessoa.
Ninguém contou que beleza exterior é a curto prazo, que o que realmente importa são as vivências, as experiências, o aprendizado.
Ninguém contou que se resolvem os problemas com uma mente bem treinada para não se deixar abater, e não com remédios antidepressivos e estimulantes.
Ninguém contou que nós fazemos nossas escolhas e projetamos nosso futuro, e a decisão de caminhar por um caminho já trilhado é nossa.
Ninguém contou que tudo depende apenas de nós, que em um relacionamento sempre existem dois lados, que amamos o quanto somos capazes e somos felizes o quanto investimos nisso.

Rafaela Angela Cortina

Há pessoas muito importantes na nossa vida. Não nos lembramos bem como é que elas apareceram e, muitas vezes, nem sequer sabemos porque sairam, mas apesar de tudo é impossivel esquece-las e esquecer muitos momentos pelos quais passamos.

No entanto, em determinada altura precisamos de nos convencer que essas pessoas pertencem ao nosso passado e que não podem influenciar o nosso presente e muito menos condicionar o nosso futuro.

Esta é a teoria. Mas e a prática?É assim tão simples atirar as pessoas para trás das costas? Não, a pratica é bem mais complexa. Afinal como fazer para que uma pessoa importante para nós não influencie a nossa vida? Como lembrar alguem, sem o procurar em todas as pessoas que conhecemos? Como seguir em frente quando acreditamos que deixamos a felicidade para trás?

Podemos mesmo resumir todas aquelas pessoas que marcaram a nossa vida a simples recordações?

Margarida Cunha

Pessoas que amamos, que são imortantes em nossa vida devem sempre ouvir de nós, em cada despedida, em cada "até logo", o quanto as amamos, o quanto são importantes pra nós.
Não perca preciosos segundo dizendo palavras repletas de mágoas, mais tarde você se arrependerá e seu tempo de se desculpaar poderá estar acabado.
Diga sempre um belo e gostoso "Eu te amo!" em cada despedida...Pois essa despedida poderá ser a última.
Você pode nunca mais ter chance alguma de dizer a pequena frase que vale por milhões: "Eu te amo!"

Matheus Bogo

Eu sou eu
Em todo o mundo,
Não há ninguém igual a mim.
Há pessoas,
Que têm alguns talentos iguais aos meus,
Mas a natureza de ninguém se compara a minha.
Por essa razão, tudo
Que sai de mim é meu de verdade
Porque eu sozinha fiz a escolha.
Sou dona de tudo o que diz respeito a mim.
Meu corpo, inclusive
Tudo o que ele faz;
Minha mente e inclusive todos os seus pensamentos e idéias;
Meus olhos, inclusive as imagens de tudo o que contemplam;
Meus sentimentos, seja quais forem
Raiva, alegria, frustração, amor, desengano, excitação;
Minha boca e todas as palavras que dela provêm;
Gentis, doces ou ásperas,
Próprias ou impróprias;
Minha voz, ruidosa ou suave;
E todas as minhas atitudes,
Com os outros ou comigo mesma.
Sou dona de minhas fantasias, meus sonhos, minhas esperanças,
Meus temores.
Sou dona de todos os meus triunfos e sucessos, de todos
Os meus fracassos e erros.
Porque sou dona de mim, sei o que se passa em meu íntimo.
Então, gosto de mim e sou afetuosa comigo em tudo que me diz respeito.
Desse modo, possibilito a mim trabalhar como um todo para o meu bem.
Sei que há em mim alguns aspectos que não conheço.
Mas enquanto eu for terna e
Afetuosa comigo mesma,
Poderei com coragem e esperança,
Procurar soluções para os enigmas e meios de descobrir mais sobre mim.
Seja como for que eu pareça e me comporte,
O que quer que diga e faça, pense e sinta em dado momento, tudo isso sou eu.
É autêntico e representa onde estou neste exato momento.
Quando mais tarde recordo como pareci e me comportei, o que disse e fiz e pensei e senti,
Talvez algumas partes revelem-se inadequadas...
Jogo fora o que não me serve, guardo o que foi aprovado e invento algo novo para substituir o que descartei.
Vejo, ouço, sinto, penso, falo e faço.
Tenho as ferramentas para sobreviver, para ficar perto dos outros, para ser criativa e compreender o mundo das pessoas e as coisas fora de mim. Sou dona de mim!!!

Virginia Satir

POR QUE AS PESSOAS GRITAM?


Você alguma vez imaginou
Por que as pessoas gritam
Quando com raiva e aflitas?
O coração se distanciou...
Do outro e as suas vistas
Jamais um no outro pousou.
Essa distância enigmatizou
Pontos cegos que imitam
Palavras grosseiras ditas
Sem pensar, a distância marcou
Com as marcas do desamor.
Para cobrir essa distância
Precisam, então, gritar
Para o outro escutar.
Mesmo se você brigar
Não deixe o seu coração
Jamais do outro se afastar.
Os enamorados cochicham
Porque os seus corações
Estão repletos de emoções.
De tão juntinhos que estão
Apenas um simples sussurro
Ou mesmo a respiração
Comunicam de montão.
Outros de tão juntinhos
Falam apenas com o olhar
Nessa linda comunicação
Que somente o coração
Pode ali interpretar.

Ninita Lucena

Houve uma época em que eu pensava que as pessoas deviam ter um gatilho na garganta: quando pronunciasse — eu te amo —, mentindo, o gatilho disparava e elas explodiam. Era uma defesa intolerante contra os levianos e que refletia sem dúvida uma enorme insegurança de seu inventor. Insegurança e inexperiência. Com o passar dos anos a idéia foi abandonada, a vida revelou-me sua complexidade, suas nuanças. Aprendi que não é tão fácil dizer eu te amo sem pelo menos achar que ama e, quando a pessoa mente, a outra percebe, e se não percebe é porque não quer perceber, isto é: quer acreditar na mentira. Claro, tem gente que quer ouvir essa expressão mesmo sabendo que é mentira. O mentiroso, nesses casos, não merece punição alguma.

Por aí já se vê como esse negócio de amor é complicado e de contornos imprecisos. Pode-se dizer, no entanto, que o amor é um sentimento radical — falo do amor-paixão — e é isso que aumenta a complicação. Como pode uma coisa ambígua e duvidosa ganhar a fúria das tempestades? Mas essa é a natureza do amor, comparável à do vento: fluido e arrasador. É como o vento, também às vezes doce, brando, claro, bailando alegre em torno de seu oculto núcleo de fogo.

O amor é, portanto, na sua origem, liberação e aventura. Por definição, anti-burguês. O próprio da vida burguesa não é o amor, é o casamento, que é o amor institucionalizado, disciplinado, integrado na sociedade. O casamento é um contrato: duas pessoas se conhecem, se gostam, se sentem a traídas uma pela outra e decidem viver juntas. Isso poderia ser uma COisa simples, mas não é, pois há que se inserir na ordem social, definir direitos e deveres perante os homens e até perante Deus. Carimbado e abençoado, o novo casal inicia sua vida entre beijos e sorrisos. E risos e risinhos dos maledicentes. Por maior que tenha sido a paixão inicial, o impulso que os levou à pretoria ou ao altar (ou a ambos), a simples assinatura do contrato já muda tudo. Com o casamento o amor sai do marginalismo, da atmosfera romântica que o envolvia, para entrar nos trilhos da institucionalidade. Torna-se grave. Agora é construir um lar, gerar filhos, criá-los, educá-los até que, adultos, abandonem a casa para fazer sua própria vida. Ou seja: se corre tudo bem, corre tudo mal. Mas, não radicalizemos: há exceções — e dessas exceções vive a nossa irrenunciável esperança.

Conheci uma mulher que costumava dizer: não há amor que resista ao tanque de lavar (ou à máquina, mesmo), ao espanador e ao bife com fritas. Ela possivelmente exagerava, mas com razão, porque tinha uns olhos ávidos e brilhantes e um coração ansioso. Ouvia o vento rumorejar nas árvores do parque, à tarde incendiando as nuvens e imaginava quanta vida, quanta aventura estaria se desenrolando naquele momento nos bares, nos cafés, nos bairros distantes. À sua volta certamente não acontecia nada: as pessoas em suas respectivas casas estavam apenas morando, sofrendo uma vida igual à sua. Essa inquietação bovariana prepara o caminho da aventura, que nem sempre acontece. Mas dificilmente deixa de acontecer. Pode não acontecer a aventUra sonhada, o amor louco, o sonho que arrebata e funda o paraíso na terra. Acontece o vulgar adultério - o assim chamado -, que é quase sempre decepcionante, condenado, amargo e que se transforma numa espécie de vingança contra a mediocridade da vida. É como uma droga que se toma para curar a ansiedade e reajustar-se ao status quo. Estou curada, ela então se diz — e volta ao bife com fritas.

Mas às vezes não é assim. Às vezes o sonho vem, baixa das nuvens em fogo e pousa aos teus pés um candelabro cintilante. Dura uma tarde? Uma semana? Um mês? Pode durar um ano, dois até, desde que as dificuldades sejam de proporção suficiente para manter vivo o desafio e não tão duras que acovardem os amantes. Para isso, o fundamental é saber que tudo vai acabar. O verdadeiro amor é suicida. O amor, para atingir a ignição máxima, a entrega total, deve estar condenado: a consciência da precariedade da relação possibilita mergulhar nela de corpo e alma, vivê-la enquanto morre e morrê-la enquanto vive, como numa desvairada montanha-russa, até que, de repente, acaba. E é necessário que acabe como começou, de golpe, cortado rente na carne, entre soluços, querendo e não querendo que acabe, pois o espírito humano não comporta tanta realidade, como falou um poeta maior. E enxugados os olhos, aberta a janela, lá estão as mesmas nuvens rolando lentas e sem barulho pelo céu deserto de anjos. O alívio se confunde com o vazio, e você agora prefere morrer.

A barra é pesada. Quem conheceu o delírio dificilmente se habitua à antiga banalidade. Foi Gogol, no Inspetor Geral quem captou a decepção desse despertar. O falso inspetor mergulhara na fascinante impostura que lhe possibilitou uma vida de sonho: homenagens, bajulações, dinheiro e até o amor da mulher e da filha do prefeito. Eis senão quando chega o criado, trazendo-lhe o chapéu e o capote ordinário, signos da sua vida real, e lhe diz que está na hora de ir-se pois o verdadeiro inspetor está para chegar. Ele se assusta: mas então está tUdo acabado? Não era verdade o sonho? E assim é: a mais delirante paixão, terminada, deixa esse sabor de impostura na boca, como se a felicidade não pudesse ser verdade. E no entanto o foi, e tanto que é impossível continuar vivendo agora, sem ela, normalmente. Ou, como diz Chico Buarque: sofrendo normalmente.

Evaporado o fantasma, reaparece em sua banal realidade o guarda­roupa, a cômoda, a camisa usada na cadeira, os chinelos. E tUdo impregnado da ausência do sonho, que é agora uma agulha escondida em cada objeto, e te fere, inesperadamente, quando abres a gaveta, o livro. E te fere não porque ali esteja o sonho ainda, mas exatamente porque já não está: esteve. Sais para o trabalho, que é preciso esquecer, afundar no dia-a-dia, na rotina do dia, tolerar o passar das horas, a conversa burra, o cafezinho, as notícias do jornal. Edifícios, ruas, avenidas, lojas, cinema, aeroportos, ônibus, carrocinhas de sorvete: o mundo é um incomensurável amontoado de inutilidades. E de repente o táxi que te leva por uma rua onde a memória do sonho paira como um perfume. Que fazer? Desviar-se dessas ruas, ocultar os objetos ou, pelo contrário, expor-se a tudo, sofrer tudo de uma vez e habituar­se? Mais dia menos dia toda a lembrança se apaga e te surpreendes gargalhando, a vida vibrando outra vez, nova, na garganta, sem culpa nem desculpa. E chegas a pensar: quantas manhãs como esta perdi burramente! O amor é uma doença como outra qualquer.

E é verdade. Uma doença ou pelo menos uma anormalidade. Como pode acontecer que, subitamente, num mundo cheio de pessoas, alguém meta na cabeça que só existe fulano ou fulana, que é impossível viver sem essa pessoa? E reparando bem, tirando o rosto que era lindo, o corpo não era lá essas coisas... Na cama era regular, mas no papo um saco, e mentia, dizia tolices, e pensar que quase morro!...

Isso dizes agora, comendo um bife com fritas diante do espetáculo vesperal dos cúmulos e nimbos. Em paz com a vida. Ou não.

Ferreira Gullar

Agradecimentos

Obrigado professor,
pela persistência,
pela vontade de querer nos fazer pessoas melhores,
pela transmissão do conhecimento,
pela dedicação,
pelo desempenho,
pelo profissionalismo,
pelo diferente,
pela mudança,
pelo puxões de orelha,
pelo divertimento,
pela educação,
pelo respeito,
pelo moderno,
pela competência,
pela capacidade,
pela as tentativas incansáveis de nos fazer refletir,
por nos fazer ouvir e entender estrelas,
por tudo,
por ter sido realmente PROFESSOR.
Com sua excelência,
conseguiu nos fazer descobrir um mundo novo,
fantástico, espetacular,
tirar as pedras do caminho, e continuar a retirá-las,
conseguiu nos fazer criar, recriar, começar, recomeçar,
seus ensinamentos ficarão para sempre guardados,
considero-o MESTRE,
MESTRE do saber, da busca incessantemente pelo conhecimento,
Nunca me esquecerei de suas parábolas,
de seus pensamentos,
de suas manifestações diante do que pensavam ser imutável,
de seu prazer pela mudança,
de seus poemas, tal como TIMIDEZ,
de suas piadas,
de sua garra,
de sua vontade incessante de ser
e cada vez mais querendo ser PROFESSOR.
Tu és e sempre será o grande maestro,
da música saber, aprender, apreender.
Tu és exemplo de determinação,
de coragem,
de luta,
de vontade férrea,
de vontade indomável,
Vossa Excelência,
nos diz em todos os poemas
- Quando estiver no PARAÍSO, não se esqueça de mim!
Eu agora direi:
- Porque buscas o PARAÍSO se ele se encontra na pessoa que tu és, no seu coração, no seu interior, nos seus atos. O PARAÍSO se encontra dentro de cada um de nós, só basta termos sensibilidade para entender.
A PASÁRGADA de Bandeira,
A Terra das Palmeiras de Gonçalves Dias,
O Último Andar de Cecília Meireles,
A Mudança, o Amor, o vôo de Lispector,
O som das Estrelas de Olavo Bilac,
A Tarde Azul de Drummond,
O Cimento da poesia de Vinicius Morais,
Os Lírios do Campo, as Aves de Érico Veríssimo,
O Olhar de Isaac Newton,
A Peça de Teatro de Chaplin,
A Luz de Victor Hugo,
A Riqueza de Kant,
É seu PARAÍSO.

- Ó! PROFESSOR Candido tu és Mestre na arte em que atua. A Língua Portuguesa é sua espada. Só seu nome fala por ti, brilhante, inocente é também seu significado. Gostaria de mais coisas escrever, entretanto parece que as palavras fogem, mais fogem tão rápido, parecem efêmeras, fogem do Norte para o SUL, da Direita para a Esquerda. E então terei que dizer um adeus, um adeus de um começo e de um fim.

Tu e o corpo dessa escola que constituem os grandes artistas me destes a asa necessária para que eu voasse para longe, tão longe que nem os maiores intelectuais verão, e agora, farei uso desse acessório que mais parece essencial, voarei, voarei para meu destino, mas não me esquecerei dos ensinamentos tidos aqui. Que servirão por toda minha vida.

E como em todas as aulas, tínhamos um pensamento para refletir, terminarei com um pensamento:

“Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós”. (Clarice Lispector)

Parabéns, Ó grande, excelente, mestre Candido!

Jefferson da Silva Divino

Os impostores e seus títulos.

Não gosto de pessoas oportunistas, as que tentam nos engabelar e, demonstram o que na verdade nunca foram; entretanto, ocultam uma realidade bem diferente. Não gosto de pessoas que se auto-intitulam, não dou a mínima importância aos títulos. O que conta e soma para mim, é o caráter. Prefiro um relacionamento seja ele de amizade, afetivo ou profissional, baseado na sinceridade. Não dou valor aos rótulos, prefiro viver uma dura realidade, que a doce ilusão de uma farsa. Não sou exigente, sou gente e, desejo assim ser tratada, com respeito e dignidade. Sou leal, humana, compreensiva e muito gentil, mas não suporto e, repugno a hipocrisia. Os rótulos enfeitam as embalagens, todavia não condizem ao conteúdo, com as pessoas ocorre o mesmo. Prefiro viver a intensidade de um relacionamento sem ostentação e mentiras, que uma presunção infundada. Mais me vale a qualidade mesmo que pouca, que a quantidade sem serventia.

Cristina Deutsch

Algumas pessoas nos encantam
sem pedir a menor permissão.
Aparecem assim de repente,
roubando a cena, e muita das
vezes o filme inteiro.
Preenchem o espaço, iluminam os
cantos, fazem brotar sorrisos,
trazem inspirações.
Invadem nosso mundo
e nossos corações.
São pessoas que realmente tornam a
vida mais bela...
♥ ♥ ♥♥ ♥ ♥♥ ♥ ♥♥ ♥ ♥♥ ♥ ♥♥ ♥ ♥♥ ♥ ♥♥

bruno

Eu amo tanto você nem sei como eu consigo suportar a dor de não te ter por perto.
A dor de pessoas que não sabem e que não entendem o que é o amor, e tenho certeza de quando souberem entenderam o amor que sinto por ti, uma das dores mais cruéis que os seres humanos podem sentir, é uma dor que não tem explicação, e também nem sabemos direito de onde ela vem, mas quando aparece nos deixa felizes mas também tristes...Essa dor têm o nome de SAUDADE.

Priscila Magalhães Martins

Coisas de Deus

Deus ainda fala com as pessoas?

Um jovem foi para o estudo da Bíblia numa noite de Quarta-feira.

O pastor dividiu entre ouvir a Deus e obedecer a palavra do Senhor.

O jovem não pode deixar de querer saber se "Deus ainda fala com as pessoas?".

Após a pregação ele saiu para um café com os amigos e eles discutiram a mensagem.

De formas diversas eles falaram como Deus tinha conduzido suas vidas de maneiras diferentes.

Era aproximadamente 10 horas quando o jovem começou a dirigir-se para casa.

Sentado no seu carro, ele começou a pedir " Deus! Se ainda falas com as pessoas, fale comigo. Eu irei ouvi-lo. Farei tudo para obedecê-lo".

Enquanto dirigia pela rua principal da cidade, ele teve um pensamento muito estranho: "Pare e compre um galão de leite". Ele balançou a cabeça e falou alto "Deus é o Senhor? ". Ele não obteve resposta e continuou dirigindo-se para casa.

Porém, novamente, surgiu o pensamento "compre um galão de leite".

O jovem pensou em Samuel e como ele não reconheceu a voz de Deus, e como Samuel correu para Eli. "Muito bem, Deus! No caso de ser o Senhor, eu comprarei o leite". Isso não parece ser um teste de obediência muito difícil. Ele poderia também usar o leite. O jovem parou, comprou o leite e reiniciou o caminho de casa.

Quando ele passava pela sétima rua, novamente ele sentiu um pedido "Vire naquela rua". Isso é loucura, pensou e, passou direto pelo retorno.

Novamente ele sentiu que deveria ter virado na sétima rua. No retorno seguinte, ele virou e dirigiu-se pela sétima rua. Meio brincalhão, ele falou alto "Muito bem, Deus. Eu farei". Ele passou por algumas quadras quando de repente sentiu que devia parar. Ele Brecou e olhou em volta. Era uma área misto de comércio e residência. Não era a melhor área, mas também não era a pior da vizinhança.

Os estabelecimentos estavam fechados e a maioria das casas estavam escuras, como se as pessoas já tivessem ido dormir, exceto uma do outro lado que estava acesa.

Novamente, ele sentiu algo, "Vá e dê o leite para as pessoas que estão naquela casa do outro lado da rua". O jovem olhou a casa. Ele começou a abrir a porta, mas voltou a sentar-se. "Senhor, isso é loucura. Como posso ir para uma casa estranha no meio da noite?".

Mais uma vez, ele sentiu que deveria ir e dar o leite.

Finalmente, ele abriu a porta, "Muito Bem, Deus, se é o Senhor, eu irei e entregarei o leite àquelas pessoas. Se o Senhor quer que eu pareça uma pessoa louca, muito bem. Eu quero ser obediente.

Acho que isso vai contar para alguma coisa, contudo, se eles não responderem imediatamente, eu vou embora daqui".

Ele atravessou a rua e tocou a campainha. Ele pôde ouvir uma barulho vindo de dentro, parecido com o choro de uma criança. A voz de um homem soou alto:

"Quem está aí? O que você quer?". A porta abriu-se antes que o Jovem pudesse fugir. Em pé, estava um homem vestido de jeans e camiseta.

Ele tinha um olhar estranho e não parecia feliz em ver um desconhecido em pé na sua soleira.

"O que é? ". O jovem entregou-lhe o galão de leite. "Comprei isto para vocês". O homem pegou o leite e correu para dentro falando alto.

Depois, uma mulher passou pelo corredor carregando o leite e foi para a cozinha. O homem seguia-a segurando no braços uma criança que chorava.

Lágrimas corriam pela face do homem e, ele começou a falar, meio soluçando "Nós oramos. Tínhamos muitos contas para pagar este mês e o nosso dinheiro havia acabado.

Não tínhamos mais leite para o nosso bebê. Apenas orei e pedi a Deus que me mostrasse uma maneira de conseguir leite". Sua esposa gritou lá da cozinha:

"Pedi a Deus para mandar um anjo com um pouco... Você é um anjo?

* jovem pegou a sua carteira e tirou todo dinheiro que havia nela e colocou-o na mão do homem.

Ele voltou-se e foi para o carro, enquanto as lágrimas corriam pela sua face. Ele experimentou que Deus ainda responde os pedidos.
Agora, um simples teste para você: Se você acredita em instintos verdadeiros, mande esta mensagem para todos os seus amigos.
Você tem 24h por dia, gasta com muitas coisas.

Quanto tempo você leva para parar um pouquinho e ouvir Deus?

Ouça DEUS

Muitas pessoas passaram por mim, dia após dia.
Mas somente algumas dessas pessoas, ficarão para sempre em minha memória.
Essas pessoas são ditas amigas, e as levarei para sempre em meu coração,
às vezes pelo simples fato de terem
cruzado meu caminho,às vezes pelo simples fato de terem dito uma única palavra de conforto quando eu precisei.
Às vezes por ter me dado um minuto de sua atenção,e me ouvido falar de minhas angústias, medos, vitórias, derrotas...
Isso é ser amigo: é ouvir, é confiar, é amar.
E amigos de verdade,
ficam para sempre em nossos corações,
assim como as pegadas na alma, que são indestrutíveis...

José Francisco -

Em todo meu passado fui uma menina arrogante, uma menina que não tinha sentimentos pelas pessoas, uma menina que não se importava o que elas estavam passando ou sentindo, muitas vezes brincava com os seus sentimentos, sempre achei isso o maximo, pois sabia que dessa forma eu não iria sofrer por ninguém.

Não sabendo que o sofrimento vinha logo adiante, quando eu descobrisse que não ter coração é o maior sofrimento do mundo causado por nós mesmo, sofrimento causado por outra pessoa é bem menor a dor, ela é substituída pelo pensamentos: " Não somos iguais, somos humanos e erramos " .

Hoje procuro sempre ter amigos, procuro saber como eles estão, procuro sempre dizer o quanto os amo. Hoje tenho a facilidade de ser conquistadas por elas, mas tenho facilidade de gostar delas e não de ser IDIOTA por elas.

Sou muito grata as pessoas que me ajudaram a mudar. Uma das coisas mais importantes que elas me ensinaram foi a SINCERIDADE, procuro ser bem sincera com as pessoas, às vezes acho que por ser tão sincera estou perdendo umas amizades. Mas sera que eu to perdendo a amizade delas ou elas estão perdendo a minha que é verdadeira?! Quem perde é elas, não é se gabando, mas pessoas sinceras e verdadeiras como eu é difícil de encontrar, elas deveriam se sentir honradas em encontrar uma pessoa como eu.

Sei que tenho palavras fortes que doem, mas dói pra aqueles que estão sendo tomadas com o significado delas, pessoas inteligentes procuram mudar, aprender que erramos e que podemos com os erros nos tornar uma pessoa melhor, me ignorando é o caminho mais fácil, mas tenha certeza que não é o melhor e nem o certo.

Ane Elisabete

EU SOU UMA GAROTA
MUITO SIMPLES DE ENTENDER
GOSTO DE VIVER LIVREMENTE
ESTAR AO LADO DE PESSOAS ALEGRES
QUE ME FAÇAM SENTIR BEM.
ODEIO SER IGNORADA
E NÃO SUPORTO QUANDO
EXIGEM UM DETERMINADO COMPORTAMENTO MEU
ME IMPEDINDO DE AGIR NATURALMENTE.
NÃO SOU UMA BONECA PRA SER MANIPULADA
NEM TÃO POUCO SOU TÃO FRÁGIL
PRA ME IMPEDIREM DE FAZER MINHAS PROPRIAS ESCOLHAS
E DEPOIS VIR COM UM PAPO, DE QUE "QUEREM ME PROTEGER"
NÃO PENSE QUE SOU PERFEITA
POIS ISSO REALMENTE NÃO SOU
MAS ANTES DAS CRITICAS
VENHA APRESENTAR-ME ALGUÊM QUE SEJA.
SE CASO, AO SEUS OLHOS NÃO SOU UMA PESSOA REPLETA DE QUALIDADES, DESCONFIO QUE SEJA PQ VÇ NÃO É BOM O BASTANTE QUANDO ESTÁ AO MEU LADO
A PONTO DE PODER EXTRAIR DE MIM O MELHOR QUE EXISTE...

SOU O REFLEXO DE COMO VÇ ME TRATA
E SE NÃO SOU UMA PESSOA BACANA PRA VÇ
É PQ VÇ QUE NÃO É BOM O BASTANTE
PRA MIM!!!
PORQUE SE FOSSE MEU MAIOR DESEJO SERIA BUSCAR A PERFEIÇÃO QUANDO ESTOU CONTIGO!!!!!

Ana Alves