Textos para Padrinhos de Casamento

Cerca de 205 textos para Padrinhos de Casamento

Casamento: Perdoando e Tolerando

Por John Piper

Colossenses 3:12-19:
“Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. 13 Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós; 14 acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição. 15 Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos. 16 Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração. 17 E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. 18 Esposas, sede submissas ao próprio marido, como convém no Senhor. 19 Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura.”
Você talvez se lembre que minha esposa, Noël, disse, "Nunca é demais repetir que o casamento é um modelo de Cristo e da igreja" (veja Efésios 5:31-32). Eu disse que concordava com ela por três razões. Vou mencionar duas. A primeira é porque afirmar isso tira o casamento da cena de um seriado de comédia e o eleva para o céu claro e radiante da glória de Deus onde deveria estar. E em segundo lugar, dizer que o casamento é um modelo de Cristo e da igreja coloca-o firmemente na base da graça, já que é desta maneira que Cristo tomou a igreja para ser sua noiva, somente pela graça. E é assim que ele mantém seu relacionamento com a igreja — somente pela graça.
Casamento: A Obra e a Vitrine de Deus
As primeiras duas mensagens foram feitas para apoiar essa primeira razão. Tentei mostrar que o casamento é a obra de Deus e a vitrine de Deus. Isso significa que sua glória é dele, por ele e para ele. O propósito do casamento humano é temporário. Mas ele aponta para algo eterno, isto é, Cristo e a igreja. E quando esta era se acabar, ele vai se dissolver na realidade superior para a qual ele aponta.
Jesus disse em Mateus 22:30: "Porque, na ressurreição, nem casam, nem se dão em casamento; são, porém, como os anjos no céu." É por isso que meu pai, Bill Piper, não vai ser um bígamo na ressurreição. Tanto minha mãe quanto minha madrasta morreram. Meu pai esteve casado durante trinta e seis anos com minha mãe e, após sua morte, esteve casado vinte e cinco anos com minha madrasta. Porém, na ressurreição, a sombra dá lugar à realidade. O casamento aponta para a glória de Cristo e da igreja. Mas na ressurreição, essa indicação some junto à perfeição dessa glória.
Casamento: Firmemente Baseado na Graça
Então o assunto semana passada foi que o casamento é baseado na graça, a experiência vertical de graça vinda de Cristo através de sua morte na cruz, e então essa mesma graça inclinada horizontalmente, do marido para a esposa e da esposa para o marido. Nós simplesmente ressaltamos essa estrutura comum do casamento cristão (e do casamento onde somente um dos parceiros é cristão) de Colossenses 2:13-14 e 3:13. Colossenses 2:13b-14 nos fala como Deus proveu uma base para o perdão de nossos pecados: "...perdoando todos os nossos delitos; tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz". A escrita de dívida que se acumula contra nós por causa de nosso pecado, Deus anulou quando a pregou na cruz — e claro que não são pregos e madeira que removem o pecado, mas sim as mãos e os pés perfurados do Filho de Deus que removem o pecado (veja Isaías 53:5-6).
Graça Inclinada para Fora
Então, aos nos mostrar a base do perdão de Deus na cruz, Paulo diz em Colossenses 3:13b: "Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós". Em outras palavras, tome a graça, o perdão e a justificação que você recebeu verticalmente através da morte de Cristo e incline-a horizontalmente para os outros. Especificamente, maridos para esposas e esposas para maridos. Eu fiz a seguinte pergunta perto do final: Porque a ênfase em perdoar e suportar ao invés, digamos, da ênfase no romance e no desfrutar de um ao outro? Eu dei três respostas:
1. Porque haverá conflito baseado no pecado, precisamos perdoar o que é pecado e tolerar o que é estranho, sendo que às vezes vocês nem irão concordar em qual é qual;
2. Porque o trabalho duro e custoso de perdoar e tolerar é o que torna possível o florescer dos afetos quando eles parecem ter morrido;
3. Porque Deus é glorificado quando duas pessoas muito diferentes e muito imperfeitas moldam uma vida de fidelidade na fornalha da aflição ao confiarem em Cristo.
Separação Redentora e Além
Então hoje, quero tratar mais a fundo a tolerância e o perdão. Já de início, digamos que eu estou ciente, terrivelmente ciente, de que existem pecados que cônjuges cometem uns contra os outros que levam perdoar e tolerar ao limite de quase ajudar no pecado, e que podem necessitar de uma separação redentora — eu escolho as palavras com cuidado: uma separação redentora. Eu penso em coisas como agressão, adultério, abuso infantil, violência pelo alcoolismo, vício em apostas ou roubo ou mentiras que trazem a família à ruína. Meu alvo hoje não é falar a respeito dessas coisas, isso vai chegar mais tarde quando eu entrar no tópico de separação e divórcio e novo casamento. Hoje eu estou tentando mostrar para vocês um padrão bíblico de tolerância e perdão que pode evitar que você chegue ao ponto da separação, quem sabe até mesmo resgatar alguns de vocês do limite da separação — talvez até mesmo restaurar alguns casamentos que o mundo chama de "divorciados". E eu oro para que isso também plante a semente nas crianças e nos solteiros que um dia poderão se casar, para que vocês possam construir seus casamentos nessa rocha de graça.
O Fundamento: A Pessoa e a Obra de Cristo
Quando Paulo chega a Colossenses 3:12, ele já estabeleceu um fundamento sólido na pessoa e na obra de Cristo na cruz. Isso é o fundamento do casamento e de toda a vida. As principais batalhas na vida e no casamento são batalhas para acreditar nesta pessoa e nesta obra. Isso é, realmente acreditar nisso: confiar, abraçar, estimar, valorizar, depositar confiança, respirar e moldar sua vida nisso. Então, quando Paulo chega a Colossenses 3:12, ele nos exorta com palavras que transbordam de uma realidade que desperta emoções e que é construída em Cristo e na sua obra salvadora.
Eleitos
Primeiramente, existem três descrições de você, o crente, que ele usa para nos ajudar a receber essa exortação. "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados...." Ele está nos dizendo que tipo de coração e de atitude nós devemos ter — vestindo-os como roupa. Mas antes, ele nos chama de eleitos, santos, amados. Nós somos os eleitos de Deus. Antes da fundação do mundo, Deus nos escolheu em Cristo. Você pode ouvir o quão precioso isso é para Paulo pelas suas palavras em Romanos 8:33: "Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus?" A resposta é que absolutamente ninguém pode fazer uma acusação duradoura contra o eleito de Deus. Paulo quer que sintamos a maravilha de sermos eleitos ao sermos invencivelmente amados. Se você resiste à verdade da eleição, você resiste a ser amado.
Santos
Então ele nos chama de santos, isto é, separados por Deus. Ele nos escolhe para um propósito — para sermos seu povo santo. Para sairmos do mundo e não sermos mais "comuns" ou impuros. Efésios 1:4, "...assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos...". 1ª Pedro 2:9, "Vós, porém, sois raça eleita,... nação santa...". Isso é primeiramente uma posição e um destino antes de ser um padrão ou um comportamento. É por isso que ele está nos dizendo que tipo de comportamento devemos "vestir". Ele sabe que não estamos praticamente lá ainda. Ele está dizendo para nos tornarmos santos na vida porque nós somos santos em Cristo. Se vista de acordo com quem você é. Vista a santidade.
Amados
Então ele nos chama de amados. "Eleitos de Deus, santos e amados." Deus, o criador do universo, escolheu você, separou você para ele e ama você. Ele é contigo e não contra ti. "Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:8). Isso é o começo de como maridos e esposas perdoam e toleram. Eles ficam admirados com esse fato. Maridos, se entreguem a ver e a saborear isso. Esposas, se entreguem a ver e a saborear isso. Vivam disso. Alegrem-se nisso. Obtenham sua esperança disso, que vocês são eleitos, separados e amados por Deus. Implorem ao Senhor para que isso se torne o seu respirar em suas vidas e em seus casamentos.
Condições Internas que Levam a Comportamentos Externos
Nessa base, agora, na base desta profunda e nova identidade centrada em Deus, é dito a vocês como se "revestir". Como um filho de Deus eleito, amado e santo se veste? Isso é, é dito a vocês que tipo de atitude e comportamento combinam e fluem de ser eleito, separado e amado por Deus através de Cristo.
Eu penso que existem três condições internas descritas que levam, por sua vez a três comportamentos externos. "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem."
De Profunda Compaixão a Bondade
Vamos separar em pares. Versículo 12: "Ternos afetos de misericórdia, de bondade." Literalmente: "entranhas de misericórdia e bondade." "Entranhas de misericórdia" é a condição interna, e "bondade" é o comportamento externo. Seja piedoso no seu mais íntimo ser, e então, desse bom solo brotará o fruto da bondade. Então maridos, criem suas raízes pela fé em Cristo através do evangelho até que você se torne uma pessoa mais piedosa. Esposas, criem suas raízes pela fé em Cristo através do evangelho até que você se torne uma pessoa mais piedosa. E então, a partir dessa suave misericórdia, tratem um ao outro com bondade. A batalha é contra a nossa própria pessoa interior que é impiedosa. Lute a batalha pela fé, através do evangelho, em oração. Seja surpreendido, quebrantado, edificado, contente e piedoso porque você é eleito, santo e amado.
De Humildade a Mansidão
O próximo par é "humildade, mansidão." Versículo 12: "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão . . . ." Literalmente: "modéstia, mansidão." Novamente, "modéstia" é a condição interna e "mansidão" é o comportamento externo. Pessoas com corações humildes, ao contrário de orgulhosos, vão agir mais mansamente em relação aos outros. A mansidão toma os outros acima de nós mesmos e nos leva a servi-los. Isso acontece quando o coração é modesto, ou humilde.
Então maridos, criem suas raízes pela fé em Cristo através do evangelho, até que vocês se tornem uma pessoa mais humilde e modesta. Esposas, criem suas raízes pela fé em Cristo através do evangelho, até que vocês se tornem uma pessoa mais humilde e modesta. E então, tratem um ao outro com mansidão que flui dessa humildade. A batalha é contra a nossa própria pessoa interior orgulhosa e egocêntrica. Lute a batalha pela fé, através do evangelho, em oração. Seja surpreendido, quebrantado, edificado e feito contente e piedoso porque você é eleito, santo e amado.
De Longanimidade a Paciência e Perdão
O próximo par não é um par. É uma condição interna seguida de tolerância e perdão. Versículo 12: "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade (paciência). Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem." Estou chamando então a "paciência" de condição interna, e a tolerância e perdão, de conduta ou comportamento externo.
A tradução literal de paciência é "longanimidade" (do grego makrothumian). Ou seja, se tornar o tipo de pessoa que não tem um pavio curto, mas um comprido. Um pavio bem comprido. Ser uma pessoa paciente, demorada a se irar, pronta a escutar, demorada para falar (Tiago 1:19) . Essas três condições internas que mencionei se conectam e se afetam mutuamente. "Entranhas de misericórdia" (um coração de compaixão) e "modéstia" (humildade) levam a ser "longânimo" (paciente). Se você é pronto a se irar ao invés de ser longânimo, sua raiz provavelmente tem falta de misericórdia e de modéstia. Em outras palavras, ser eleito, santo e amado não quebrantou seu coração e não o abalou em seu egocentrismo e orgulho.'
Então maridos, criem suas raízes pela fé em Cristo até que vocês se tornem mais piedosos e mais humildes e, dessa maneira, mais pacientes. Esposas, criem suas raízes pela fé em Cristo até que vocês se tornem mais piedosas e mais humildes e, dessa maneira, mais pacientes. E então, tratem-se mutuamente com . . . o quê? Os outros dois foram pares: corações compassivos levando à conduta de bondade; humildade levando à conduta de mansidão; e agora, paciência (ou longanimidade) levando a quê?
Duas coisas: Tolerar e Perdoar
Duas coisas, não uma coisa: Primeiro, "suportando-vos uns aos outros" e então, segundo, "perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro." Suportando e perdoando. O que isso significa e como isso aparece no casamento? Primeiramente, um comentário sobre as duas palavras. "Suportar" ou tolerar: A palavra é literalmente "aguentar", aguentando um ao outro. Jesus usou em Lucas 9:41: "Gente má e sem fé! . . . Até quando terei de aguentá-los?" Paulo usa novamente em 1ª Coríntios 4:12: "Quando somos perseguidos, aguentamos. Então, tornem-se uma pessoa longânima e aguentem um ao outro. Suportar. "(O amor) tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba." (1ª Coríntios 13:7-8).
A outra palavra é perdoar. Existem ao menos duas palavras para perdoar no Novo Testamento. A que foi usada aqui (do grego charizomenoi) significa doar livremente ou graciosamente. A ideia não é de um pagamento exigente. Mas tratar aos outros melhor do que merecem. Então nesse sentido, você perdoa quando erram com você, e, portanto, eles ficam em dívida com você, sendo que a justica absoluta diz que que você tem o direito de exigir algum sofrimento deles em pagamento ao que eles causaram a você, e você não somente não exige o pagamento, mas você "distribui livremente" o bem pelo mal. Esse é o significado dessa palavra (charizomai). Seu proceder é perdoar — você não devolve o mal com o mal, mas você abençoa (1 Coríntios 4:12; 1 Tessalonicenses 5:15; Mateus 5:44; Lucas 6:27).
Nossa Esperança Está no Evangelho
Agora, o que eu acho muito útil é que Paulo reconhece que tanto o perdoar quanto o suportar são cruciais para a vida em conjunto, tanto em igreja quanto no casamento. O perdão diz: eu não vou tratar você mal por causa de seus pecados contra mim ou seus hábitos irritantes. E tolerância reconhece (normalmente para si mesmo), esses pecados contra mim e esses hábitos irritantes realmente me incomodam! Se não houvesse nada na outra pessoa que realmente nos incomodasse, não haveria necessidade para dizer "suportando uns aos outros."
Quando você se casa com alguém você não sabe como ele será daqui a trinta anos. Nossos antepassados não escreveram seus votos de casamento com suas cabeças na areia. Seus olhos estavam bem abertos para a realidade, "para ter e manter desse dia em diante, na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, para amar, honrar e cuidar, até que a morte nos separe, e em tudo isso eu prometo ser fiel." Você não sabe como essa pessoa vai ser no futuro: pode ser melhor do que você já sonhou, ou pior. Nossa esperança está baseada nisso: Nós somos eleitos, santos e amados. Deus é por nós, e todas as coisas irão cooperar para o bem daqueles que o amam.
A Pilha de Compostagem
E a respeito da pilha de compostagem? Imagine o seu casamento como um campo gramado. Você começa a andar por ele cheio de esperança e alegria. Você olha para o futuro e vê lindas flores e árvores e colinas onduladas. E essa beleza é o que vocês vêem um no outro. O seu relacionamento é o campo, as flores e as colinas. Mas em pouco tempo, você começa a pisar em estercos de vaca. Em algumas épocas do seu casamento eles parecem estar em todo lugar. Eles são especialmente predominantes ao cair a noite. São os pecados, defeitos, idiossincrasias, fraquezas e hábitos irritantes em você e em seu cônjuge. Você tenta perdoá-los e tolerá-los pela graça.
Mas eles têm uma maneira de dominar a relação. Pode até não ser verdade, mas parece que isso é tudo que é, esterco de vaca. Eu acho que a combinação de paciência e perdão leva à criação de uma pilha de compostagem. E aí você começa tirar o esterco com a pá. Vocês dois se olham e simplesmente admitem que há um monte de esterco. Mas você diz para o outro: Você sabe, há mais neste relacionamento do que só esterco. E estamos perdendo isso de vista porque continuamos dando atenção a esse esterco. Vamos jogá-lo todo na pilha de compostagem. Quando precisarmos, vamos lá cheirá-lo, nos sentir mal e lidar com isso da melhor maneira possível. E então, vamos nos afastar dessa pilha e botar nossos olhos no resto do campo. Vamos escolher alguns caminhos e colinas preferidas que sabemos que não estão cheias de esterco. E vamos ser gratos pela parte do campo que é doce.
Nossas mãos podem estar sujas. E nossas costas doem de fazer toda essa limpeza. Mas uma coisa nós sabemos: Não vamos montar nossa barraca na pilha de compostagem. Nós só vamos lá quando precisarmos. Este é o dom da graça que vamos dar um ao outro de novo e de novo e de novo, porque somos eleitos, santos e amados.
John Piper

John Piper

Oscar Wilde disse: _"O casamento é o fim do romance e o começo da história."

A vida...vem com sonhos!!
Nós devemos escolher,
aqueles que mais se adaptam ao nosso querer.
Sonhos perfumados, são sempre intensos!!
E quando o tocamos...
Trazemos todos os aromas da vida...
E com eles construímos a maior sociedade do mundo...
Aquela que nos dará a nossa identidade.
Apoio e força para seguirmos adiante.
O casamento!
Esse é um sonho inesquecível...
O começo de uma história bordada de sonhos e esperanças!

Dayse Sene

Reencontra-la me fez lembrar de antigamente.. dos sonhos que tinha... do nosso futuro casamento.. da nossa futura família... do nosso futuro.
Hoje ao revê-la matei a saudade que tinha, e dei vida a sua imagem que antes estava perdida em mim.
Recordei quão bom era estar perto de você e quão distante estou daqueles sonhos...
Incrível como tudo continua igual:
Seu sorriso, sua voz, seu olhar..
nossa amizade, nossa sincronia
minha esperança, meu amor...

Reencontrei, pois, meu anjo, minha chama, meu amor platônico ..
Você: Aquela que um dia foi a mãe dos meus filhos.

Roberto Oliveira

CASAMENTO E UNIÃO
"NÃO CONTE NOS DEDOS OS SEUS ANOS DE CASAMENTO OU DE UNIÃO. ACUMULE-OS NA CONTABILIDADE DO SEU CORAÇÃO, FAÇA O BALANÇO E VEJA O SALDO DO GRANDE BENEFÍCIO QUE LHE PROPORCIONOU: A FAMÍLIA. COM FILHOS, UNINDO-SE A OUTRAS FAMÍLIAS, COM NORAS E GENROS,FORMANDO NOVAS FAMÍLIAS: OS NETOS.É A PERPETUAÇÃO VIVA DA NOSSA EXISTÊNCIA, ESCRITA NO LIVRO DA NOSSA HISTÓRIA E QUE NEM MESMO O TEMPO CONSEGUE APAGAR". autor: Márcio Souza (EU)

Márcio Souza

CASAMENTO PRA MIM NÃO PASSA DE LIXO...SOU CONTRA....TOTALMENTE A VOTOS ETERNOS...A JURAS DE AMOR PERANTE A PADRES...JUÍZES...O QUE SEJA.
O VERDADEIRO AMOR TA LONGE DE PAPEIS, ASSINATURAS E TERCEIROS....ELE TA DENTRO DE VOCÊ E DA SUA PARCEIRA...DENTRO DO RESPEITO..DO COMPANHEIRISMO E DO AMOR ETERNO....ESSA É A VERDADEIRA ALIANÇA..A ALIANÇA DO CORAÇÃO...E NÃO ALGUNS QUILATES DE OURO E ILUSÃO....PALAVRAS SÃO PALAVRAS...AÇÕES SÃO NOBRES.

Talibã T13

Ame-a Mais e Ame-a Menos

Para Karsten Luke Piper
Por Ocasião de Seu Casamento com
Rochelle Ann Orvis
29 de Maio de 1995

O Deus que amamos, e em
Quem temos vivido, e quem tem sido
Nossa Rocha nestes vinte e dois bons anos
Com você, agora nos propõe, com doces lágrimas,
Deixá-lo ir: “Deixará o homem
Seu pai e sua mãe, apegar-se-á
Então à sua mulher, e será
Uma livre e desembaraçada carne.”
Esta é a palavra de Deus hoje,
E estamos contentes em obedecer.
Pois Deus lhe deu uma noiva
Que responde a cada oração que clamamos
Por mais de vinte anos, nosso clamor
Por você, antes que soubéssemos o nome dela.
Agora, você pede que eu escreva
Um poema — algo arriscado, à luz
Do que você sabe: que estou mais para
O pregador do que para o poeta ou
O artista. Estou honrado por
Sua bravura, portanto obedeço.
Não reclamo dessas doces limitações
De pares de rimas e linhas metrificadas.
Preparando-se para o Casamento
São velhos amigos. Eles gostam quando
Lhes peço que me ajudem mais uma vez
A dar forma aos sentimentos
E mantê-los duráveis e calorosos.
Então nos encontramos recentemente,
E fizemos um dilúvio de amor e louvor
E conselho do coração de um pai
Fluir das orlas da arte.
Eis aqui uma porção da corrente,
Filho meu: um sermão poema. Seu tema:
Uma dupla regra do amor que choca;
Uma doutrina em um paradoxo:
Se, agora, quer abençoar sua esposa,
Então a ame mais e ame-a menos.
Se nos anos por vir, por alguma
Estranha providência de Deus, você venha
A ter as riquezas deste século,
E, sem dor, caminhar a passos largos
Ao lado de sua esposa, certifique-se com sua vida
De amá-la, ame-a mais do que a riqueza.
E se sua vida está entrelaçada em
Uma centena de amizades, e teceres
Um tecido de festa a partir de todos
Os doces afetos, grandes e pequenos,
Certifique-se, não importando o quanto rasgue,
De amá-la, ame-a mais do que os amigos.
O Objetivo Inigualável: O Casamento Vivido
para a Glória de Deus
E se chegar um ponto quando você
Estiver cansado, e a misericórdia sussurrar: “Faça
Um favor a si mesmo. Venha, seja livre;
Abrace os confortos aqui comigo.”
Saiba disto! Sua esposa vale mais do que essas coisas.
Então ame-a, ame-a mais do que a tranquilidade.
E quando seu leito nupcial é puro,
E não há o mais leve encanto
De luxúria por ninguém que não seja sua esposa,
E tudo é êxtase na vida,
Um segredo tudo isso protege:
Vá amá-la, ame-a mais que o sexo.
E se seu gosto se tornar refinado,
E for movido pelo que a mente
Do homem pode criar, e fascinado por
Sua destreza, lembre-se que o porquê
De toda essa obra está no coração;
Então ame-a, ame-a mais do que a arte.
E se sua for algum dia
A destreza que todos os críticos concordam
Ser digna de grande estima,
E as vendas excedam seus sonhos mais loucos,
Cuidado com os perigos de um nome.
E ame-a, ame-a mais do que a fama.
E se, para sua surpresa, não minha,
Deus lhe chamar por algum estranho desígnio
Preparando-se para o Casamento
Para arriscar sua vida por alguma grande causa,
Não deixe que o medo nem o amor lhe parem,
E quando enfrentar o portão da morte,
Então ame-a, ame-a mais que o fôlego.
Sim, ame-a, ame-a, mais que a vida;
Ah, ame a mulher chamada de sua esposa.
Vá amá-la com o melhor que você tem na terra.
Mas, além disso, não se aventure. Mas, para que
Seu amor não se torne a ilusão de um tolo,
Certifique-se de amá-la menos do que a Deus.
Não é sábio ou gentil chamar
Um ídolo por doces nomes, e cair,
Como em humildade, diante
De uma imagem do seu Deus. Adore
Acima de sua mais amada na terra
O único Deus que concede a ela valor.
E ela saberá em segundo lugar
Que seu grande amor também é graça
E que seus grandes afetos agora
Estão fluindo livremente de um voto
Debaixo dessas promessas, feito primeiro
Por Deus a você. Nem desaparecerão
Por serem enraizadas junto às correntes
Da Alegria Celestial, que você estima
E ama mais do que o fôlego e a vida,
Que você possa dar isto à sua esposa
O maior presente que você dá a sua esposa
É amar a Deus acima da vida dela.
E então, o convido a santificar:
Ame-a mais amando-a menos.

Extraído do livro de John Piper, intitulado Preparando-se para o Casamento.

John Piper

Intimidade Sexual e os Direitos sobre o Corpo do Cônjuge no Casamento

Por John Piper
1 Coríntios 7:3–5: “O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher ao marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Não vos negueis um ao outro, senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração e depois vos ajuntardes outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.”
Este é um conselho paradoxal para casais, e eu acho que Paulo sabe disso. Isto não dá a qualquer dos cônjuges o direito de exigir certos atos sexuais do outro, que ele ou ela não queira dar. É mais complexo do que isso. Siga o pensamento comigo.
O que é contraditório e delicado sobre esse texto é que, logicamente, não funciona. O que ele faz é chamar o casal para um profundo esforço para agradar o outro, sem decidir quem vai acabar recebendo o maior prazer, especialmente porque cada pessoa receberá prazer em não pedir que a outra faça o que a outra acha desagradável.
Aqui está o que eu quero dizer. Se o corpo dela é dele e o dele é dela e cada um tem autoridade sobre o corpo do outro, então ele tem autoridade para pedir-lhe que faça algo que ele acharia prazeroso, e ela tem o poder sobre o corpo dele para pedir-lhe que aumente seu prazer em não pedir que ela o faça.
Impasse:
Isso é vida real. Eu tenho lidado com isso no meu próprio casamento, e eu tenho visto em muitos casais. Logicamente, o texto leva a um impasse. E eu acho que Paulo sabia disso. Ele estava levando-os para além da lógica nesta questão.
Isto é uma analogia a Romanos 12:10, onde Paulo nos diz: "preferindo-vos em honra uns aos outros." Eu vou tentar honrá-lo e você tentará honrar-me, e quem terá o maior prazer de honrar o outro mais? É uma dança misteriosa do amor na comunidade cristã, à medida que abandonamos nossos direitos e demandas, e procuramos superar um ao outro não no que podemos obter, mas no que podemos dar.
Da mesma forma no casamento. Estamos buscando, principalmente, agradar ao outro. Ela quer agradá-lo, e por isso está propensa a dar o que ele deseja. Ele quer agradá-la, e por isso está propenso a não exigir o que ela acha desagradável dar. E vice-versa.
Eis aqui uma forma em que o paradoxo é quebrado.
A liderança do marido é definida por Paulo não principalmente como para exigir seus direitos, mas sim para dar a sua vida pelo bem de sua esposa (Efésios 5:25). Portanto, a conclusão predominante do paradoxo sexual é que o marido gentilmente e com ternura assume a liderança na tentativa de maximizar o prazer de sua esposa, levando seus anseios profundamente em conta, ao invés de pressioná-la à adaptar-se aos dele.
A aplicação prática de 1 Coríntios 7:3-5 não é resolvida pela lógica ou revezando a dominância masculina e a submissão feminina. É resolvida no mistério do amor que descobre mesmo aqui, quando nosso prazer físico é mais proeminente do que em qualquer outro lugar, "Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber" (Atos 20:35). Há uma santa, humilde e abnegada competição para fazer o outro feliz ao máximo. O impasse lógico é quebrado pelo milagre da graça: Com Deus todas as coisas são possíveis.
Vivendo o mistério do amor com você,
Pastor John

John Piper

É necessário que se entenda que não busco um casamento. E isso não é uma frase de uma pessoa rasa que não sabe o que quer ou que nega seu desejo íntimo num ato desesperado. Se quisesse um casamento, já tinha me casado.
Pedidos? Tive aos montes e o mais engraçado, ainda tenho. Mesmo assim, desse meu jeito "espalhafatoso" de ser. Nunca precisei fingir, para conquistar um BOM homem, eles simplesmente surgem e ressurgem o tempo todo, mas não preciso de um HOMEM para me sentir feliz ou popular, sei fazer isso sozinha. Homens são a extensão da minha felicidade e não os motivos delas.

Camila Bill

Algumas tantas vezes fui/sou questionado sobre casamento...

Desde muito novo, vejo amigos, colegas, pessoas casando e prometendo fidelidade eterna, felicidade para sempre e depois de alguns anos eu vejo traições, separações, pessoas totalmente desnorteadas que viveram em função do outro. Pessoas infelizes e condicionadas a um título de ESTOU CASADO/CASADA.

A maioria chega ao fim de uma forma trágica. Parece um filme de terror amador. Daí, correm para as baladas, ‘encher a cara’, ‘pegar’ qualquer um/uma para dizer que está bem. Tsc.

Sinceramente, não quero isso pra mim. Nunca idealizei isso apenas para satisfazer família e sociedade.

Prefiro uma vida eterna de solteiro a uma prisão onde eu veja a vida passar num profundo tédio.

Prepare sua vida pessoal, profissional, esteja bem consigo mesmo. Não tente sanar uma carência, apenas perceba quando chegar a hora. E isso não tem nada a ver com idade.

E também, não venha com essas reflexões de pessoa certa ou errada e signos e essa palhaçada toda. Não vá procurar cartomante ou gurus. Não vá cair nessas armadinhas. Vai quebrar a cara. Rs! Já vi muita mulher me falando que ia casar comigo em tal ano porque procurou essas “coisas”. Penso neste momento: É hora de correr! Homens não gostam de mulheres inseguras. ¬¬"

Não tente se enganar! Casamento tem que ser pra sempre. Tem que suportar os defeitos do outro, aceitar e esperar as mudanças necessárias. Mas lembre de tentar fazer isso antes para depois não dizer que não sabia. Observe tudo com razão e emoção em equilíbrio. Chorar depois não vai adiantar.

Você vai saber o momento certo porque vai se sentir preparado para viver uma vida onde ceder será o ponto chave. Ceder será natural e não uma obrigação. E isso vai acontecer simplesmente quando houver sincronicidade.

Valmir Mizio

ORAÇÃO PARA O CASAMENTO

Meu casamento é uma benção.
Não há mal que possa separar um amor que Deus traçou.
Os céus fizeram festa quando nos unimos, porque somos hoje, uma família.
Deus vai tomando conta do meu interior e do(a) minha esposo(a).
Nos faz compreensivos no dia a dia, cuidadoso um com o outro.
Permanece em nós com o teu amor e nos dê amparo para seguir perante as dificuldades.
Sabedoria é o que te pedimos para sermos fiéis nos atos e pensamentos.
Nos ensina a perdoar e sermos honestos com os sentimentos.
Restaura Senhor Jesus.
Amém!

Vitor Ávila

Talvez essa tivesse sido uma das principais razões do casamento não ter dado certo. Não há mulher que suporte a ideia de ser menos importante, para um homem do que seu trabalho. Ele trabalhava demais, adorava viajar, seu prazer consistia em estar longe de casa e da família, para ele só importava o dinheiro e o luxo, isso tudo era sinônimo de amor na cabeça dele.
Ele voltou aqui depois, sem que eu pedisse e iluminou a minha vida. Ele tem sido a pessoa que espero ter como amigo. E eu jamais desejaria que nada de ruim acontecesse com ele, sempre quis ele próximo, mesmo distante. Não há dinheiro no mundo que pague um convivência harmoniosa, unida e feliz. Por isso, se você acha que vale a pena trabalhar um pouco menos e ceder um pouco mais, faça isso, mas lembre-se renuncie de corpo e alma não como peso ou passando por cima de si mesmo.
Sempre que ando de avião e ouço aquela famosa ladainha "no caso de despressurização, máscaras caírão sobre sua cabeça, e passageiros com criança devem colocar a máscara primeiro em si e depois na criança" aprendi que devo pensar em mim antes de qualquer outra coisa.
Gosto do casamento acho até que ele merece uma oportunidade, mas não posso depositar a vida nas mãos dele. Eu preciso cuidar de mim, do meu futuro antes de mais nada, acho que já sofri demais, já passei por maus bocados, e sapos difíceis de engolir. Posso sim te dar uma chance, afinal fiquei dias acordadas com seu cheiro no nariz, o cheiro que trazia à memória os momentos felizes e despreocupados. Um outro fator importante, eu acho que você aprecia muito mais a minha companhia que eu a sua, agora é cara pra mim e coroa pra você. Preciso repensar minha vida sem amarguras ou remorsos. Acreditei em você desde o primeiro instante, acreditei na sua boa vontade, honestidade e até na sua ingenuidade. Percebi que nunca me enganei. Quero seguir adiante procurando tirar proveito do aprendizado. Teria economizado lágrimas se pressentisse seu arrependimento, por muitas vezes fiquei em ponto de ebulição, extremamente nervosa, andando de um lado para o outro e quase subindo pelas paredes Precisei de amparo psicológico e agora que me encontro completamente curada eu me confundo com os seus encantos.

Arcise Câmara

Na realidade, foi um casamento muito mais de conveniência do que qualquer outra coisa. Foi a união da carência com a falta de ar, de espaço para crescer e do não suportar o ambiente da casa dos pais. Não era essa a meta de vida de qualquer casal, casaram-se com o primeiro homem/mulher gentil que apareceu, era mais ou menos óbvio que não ia durar muito, e foi exatamente isso que aconteceu. Divorciaram-se a 6 anos. Um queria o couro do outro no avesso. Tenho coisas mais agradáveis pra pensar... Nunca daria certo os dois trabalhando juntos, estando juntos sempre, de dia e de noite. Sempre tive notícias que na maioria das vezes não dava certo, depois de um tempo acabava o amor e a empresa. Não é nada fácil destruir um castelo de sonhos. A inteligência nem sempre consegue filtrar as informações e o que era um simples conselho era interpretado como crítica destrutiva. Tinham prantos convulsivos, sem nenhuma razão definida, era apenas uma descarga de adrenalina que inundara seus corpos, tudo sem controle, tudo fora dos eixos. Respirava-se fundo, tentaram por várias vezes abstrair o que os tornavam infelizes, sem sucesso algum, eles corriam em direção contrária ao seu casamento. O medo, o pavor e a impotência perante ao divórcio estendiam tais momentos por mais alguns meses. Como poderia o amor vencer tanto ódio, tanta cegura e tamanha teimosia? Como fazê-los entender e enxergar o óbvio? Como poderia amar um ao outro com tanta emoção negativa? No entanto, havia carinho, eram um casal quente, sensual, cheios de bom humor e sonhadores, eram capazes de oferecer rosas e presentes sem nenhum motivo aparente, só o de agradar e fazer feliz o amado, só pelo prazer de ver feliz o outro. O casamento não é ausência de liberdade, era preciso que aquele casal entendesse a parte bela do casamento. não era preciso seguir preceitos religiosos para direcionar comportamentos, era preciso apenas aceitar o diferente, respeitar opiniões perceber a distinção dos direitos iguais.
Ambos reconheceram a derrota, a falta de ideias e o radicalismo que afundou o casamento. Faltou o meio termo, o altruísmo, faltou o amor em toda sua essência.

Arcise Câmara

Na realidade, foi um casamento muito mais de conveniência do que qualquer outra coisa. Foi a união da carência com a falta de ar, de espaço para crescer e do não suportar o ambiente da casa dos pais. Não era essa a meta de vida de qualquer casal, casaram-se com o primeiro homem/mulher gentil que apareceu, era mais ou menos óbvio que não ia durar muito, e foi exatamente isso que aconteceu. Divorciaram-se a 6 anos. Um queria o couro do outro no avesso. Tenho coisas mais agradáveis pra pensar... Nunca daria certo os dois trabalhando juntos, estando juntos sempre, de dia e de noite. Sempre tive notícias que na maioria das vezes não dava certo, depois de um tempo acabava o amor e a empresa. Não é nada fácil destruir um castelo de sonhos. A inteligência nem sempre consegue filtrar as informações e o que era um simples conselho era interpretado como crítica destrutiva. Tinham prantos convulsivos, sem nenhuma razão definida, era apenas uma descarga de adrenalina que inundara seus corpos, tudo sem controle, tudo fora dos eixos. Respirava-se fundo, tentaram por várias vezes abstrair o que os tornavam infelizes, sem sucesso algum, eles corriam em direção contrária ao seu casamento. O medo, o pavor e a impotência perante ao divórcio estendiam tais momentos por mais alguns meses. Como poderia o amor vencer tanto ódio, tanta cegura e tamanha teimosia? Como fazê-los entender e enxergar o óbvio? Como poderia amar um ao outro com tanta emoção negativa? No entanto, havia carinho, eram um casal quente, sensual, cheios de bom humor e sonhadores, eram capazes de oferecer rosas e presentes sem nenhum motivo aparente, só o de agradar e fazer feliz o amado, só pelo prazer de ver feliz o outro. O casamento não é ausência de liberdade, era preciso que aquele casal entendesse a parte bela do casamento. não era preciso seguir preceitos religiosos para direcionar comportamentos, era preciso apenas aceitar o diferente, respeitar opiniões perceber a distinção dos direitos iguais.
Ambos reconheceram a derrota, a falta de ideias e o radicalismo que afundou o casamento. Faltou o meio termo, o altruísmo, faltou o amor em toda sua essência.
Posted 2 days ago by Srta.Arcise

Arcise Câmara

Cheios de contentamento
Estamos, Senhor amado,
Porque é o casamento
Um Teu bom mandado.

Aos noivos dá proteção,
Concedendo o Teu amor,
Para eles em união,
Viverem p'ra Teu louvor.

Faze viverem guardados
Na Tua santa doutrina
E só andarem guiados
Por Tua mão divina.

Confirma esta aliança,
Nós Te pedimos ainda,
Enchendo-os da esperança
Da Tua santa vinda.

Danillo Souza Santos

Casamento não é brincadeira, não é conto de fadas e não se resume a um dia de festas. Casamento é uma escolha realizada por duas pessoas, que se amam e estão dispostas a aceitar o compromisso de se cuidar, se amar, se tolerar e respeitar.
Não existe magia no casamento, não existe princesa ou principe, então não se iluda com essa idéia...
Na vida real existem apenas pessoas comuns, com virtudes e defeitos, a procura de alguém que possa aceita-las como são, sem a ilusão de querer encontrar perfeição!

Júlia Gomix

Tenho um coração à moda antiga

Acredito no amor, no casamento, na fidelidade e principalmente na lealdade, para mim lealdade vale mais que fidelidade, ser leal é ser verdadeiro à essência, aos princípios, ao outro.
Quero casar, construir família, ter minha filha e uma família feliz, não estou tento alucinações surreais, estou disposta a mudar, se for preciso e a lutar se for necessário, desde que não me sinta lutando sozinha, desde que não me sinta mudando para agradar, para prender, para ser aceita ou amada.
Sou romântica, choro por bobagens e às vezes choro por tudo, ando com um conflito interno quanto a casar de novo na igreja, fazer votos. Já casei, já fiz votos eternos não cumpridos, mesmo com a declaração de nulidade referendada pela igreja católica, não me sinto preparada para casar na igreja, de véu, grinalda e votos. Nunca prometi amor às minhas amigas e as amo assim mesmo, nunca prometi lealdade e fidelidade aos próximos e me sinto fiel e leal e já prometi amor eterno a quem não conhecia intimamente, a quem não me fazia me sentir eu mesma. Está tudo tão relativo na minha cabeça, não me culpo, não me sinto apressada a decidir, sou mutante, hoje posso não me ver casando ou fazendo votos, ou colocando sobrenome de marido acrescentado ao meu sobrenome e amanhã tudo pode ser diferente, tudo pode ter um quê a mais, um desejo a mais, uma vontade a mais.

Arcise Câmara

CASAMENTO

"...e serão ambos uma só carne..."

Para ambos serem um é preciso amor;
amor não pode ser só de palavra - sacrifício.

Sacrifício de negação e entrega;
negação da vida e entrega à morte - do eu pelo ser amado.

Amor-negação-entrega-sacrifício-morte;
isso é ser ambos um - senão seja um só e sozinho!

Saulo Gurgel de Lima

Há alguns anos atrás era totalmente contrário a casamentos, porque se casamento vc bom não precisava de testemunhas, registrar em cartórios, jurar perante Deus...etc. Mudou quando senti o gosto da coisa. Uma pessoa ao seu lado que não importa o seu estado emocional ou financeiro sempre estará lá. Pois é, o casamento é bom. Triste daquele que nunca experimentou dormir ao lado de alguém que vc sabe
que no outro dia vai estar lá, tão linda quanto antes de deitar ou ouvir deste alguém "oi" simples, mas que soa no ouvido como uma história ou quando vc coloca alguma coisa num certo lugar e quando vc se volta não esta mais, faz parte. Não sou a favor de escrever coisas no facebook relacionadas a minha vida, nem sou fã, mas que eu sei que a pessoa certa vai ler isso e de alguma forma ela vai entender. Na minha imaginação isso nunca será apagado, como eu disse sobre a história, a história é essa...oi.

LeonardoX2012

Por que insistes nesse casamento doente que está lhe matando aos poucos? Qual o seu medo?

De sentir fracassada? Ficar sem dinheiro? Orgulho ferido? Não ter de novo comodidades materiais e não poder mais usufruir de regalias?

Regalias sem amor? Regalias sem a alma participar?

E a possibilidade de um novo amar? E a real chance de encontrar um homem ou uma mulher que lhe reerga?

Charles Canela

Ninguém jamais foi a um casamento, ninguém jamais esteve lá senão o próprio casal. E eu não falo da cerimônia, daquele evento efêmero onde as pessoas se beijam e se abraçam. Onde todos os convidados se acotovelam, cochicham e resmungam alguma coisa. Não é dessa festa tradicional (em que a noiva se fantasia de fada virgem e o noivo se apresenta mais desengonçado que um pinguim de geladeira) que falo... Afinal, isso não é casamento, muito diferente disso, desse glamour florido, casamento é tudo o que vem logo depois.
Sem querer enrolar muito quem se deu ao trabalho de ler até aqui, penso que ninguém – nem mesmo os padrinhos – esteve por lá quando as luzes se apagaram, quer por motivos ‘sacanas’ ou pelo simples fato do casal não ter grana para pagar a conta de luz.
Ninguém jamais conseguiu contar as lágrimas de um choro abafado no travesseiro, ninguém jamais viu a rotina atravessar os dias ou a dúvida varar a madrugada. Não havia ninguém ouvindo as batidas do coração da mulher quando se sentia segura, e nem para se lembrar do sorriso bobo do homem quando ele se sentia abraçado sem que fosse tocado.
Eu poderia tentar escrever várias laudas a respeito daquilo que ninguém viu, ouviu e nem pode imaginar... Mas eu também nunca fui a um casamento de verdade, ninguém jamais esteve lá.

Francis Cirino