Textos para Irmãos

Cerca de 227 textos para Irmãos

Perseveremos na esperança
Terça-Feira, 18 de Dezembro 2007



Cumpramos, portanto, irmãos meus, a vontade do Pai que nos chamou, para termos a vida, e cultivemos a virtude; abandonemos o vício, precursor de nossos crimes, e fujamos da impiedade e assim os males não mais nos agarrarão. Porque, se nos esforçarmos para viver bem, a paz nos acompanhará. Por esta razão, não podem encontrá-la os homens que, presos aos temores humanos, preferem o prazer presente à promessa futura. Ignoram quanto tormento traz consigo a volúpia deste mundo e que delícias encerram a promessa do futuro.

Quanto a nós, sirvamos a Deus com coração puro, e seremos justos. Se, porém, incrédulos diante das promessas de Deus, não O servirmos, seremos extremamente infelizes.

Irmãos meus, não sejamos indecisos, mas perseveremos na esperança e obteremos o prêmio. É fiel Aquele que prometeu dar a cada um segundo suas obras. Cumprindo a justiça diante de Deus, entraremos em seu Reino e receberemos o prometido "que ouvidos não ouviram, olhos não viram, nem jamais subiram ao coração do homem (cf. I Cor 2,9).

Peçamos ao Senhor, neste dia, a graça de jamais nos cansarmos de fazer o bem.


Jesus, eu confio em Vós!

Desconhecido

Luz e trevas, vida e morte, direito e esquerdo são irmãos entre si; são inseparáveis. Por isso, os bons não são bons, os maus não são maus, a vida não é vida e a morte não é morte.

Por esse motivo, tudo se dissolverá e retornará à sua origem, porém aqueles que são elevados acima deste mundo, são eternamente indissolúveis.

Nag Hammadi

HÁ AMIGOS MAIS CHEGADOS QUE IRMÃOS
O amigo ama em todo o tempo. E, amor não não é conivência. É melhor a ferida feita pelo amigo do que a bajulação do hipócrita. O amigo prefere o desconforto do confronto ao conforto da omissão. O amigo está ao seu lado mesmo quando todas as outras pessoas já se foram, pois há amigos mais chegados que irmãos.

Hernandes Dias Lopes

Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições. Pois vocês sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz perseverança. Que essa perseverança seja perfeita a fim de que vocês sejam maduros e corretos, não falhando em nada! Mas, se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, e Ele a dará porque é generoso e dá com bondade a todos.
Tiago 1.2-5

Bíblia Sagrada

Oração Divina

Oh,meu Deus!
Deus de Abraão;
Peço-te perdão
Pelos meus pecados
E de meus irmãos.

Oh,meu Pai!
Protejei-nos de tudo,
Da violência, da dor,
Das pragas do mundo.

Oh,Rei dos reis!
De ti tudo é sagrado;
Sagrados teus filhos;
Graças por sermos abençoados.

Oh,Jeová!
Deus onipresente;
Deixais-vos tuas bençãos
Aos enfermos,carentes.

Oh,meu Senhor!
De ti não duvido!
Rezo e agradeço-te
Por ter nos protegido.

Oh,Divino!
Que estás tão além;
Que ilumine-nos,
Agradecido.Amém.

Luca Jordão

Amizade!

Já tive amigos
De fé e irmãos camaradas
Amigos de ouro
De bronze e de prata
Amigos...como quem não quer nada
Amigos que do nada surgiram
Que vieram e se foram
Sem sequer dizer adeus
E sem marcas deixarem
Amigos que se despediram deixando saudades
E amigos que saudades não deixaram
Amigos separados pela distancia
Mas tão próximo do coração
Amigos que no peito guardei
Amigos que muito amei
E amigos que se fizeram por mim...amar
Que nesta nova viagem
Que se inicia em 2013
Possamos nós...dar continuidade
A nossa amizade,seja virtual ou não
Que tenhamos fé
Que tenhamos paz
Que amor tenhamos em nossos corações
Para assim podermos oferecer o melhor de nós.

__Eliani Borges__

Eliani Borges

Nós, latino-americanos

Somos todos irmãos
mas não porque tenhamos
a mesma mãe e o mesmo pai:
temos é o mesmo parceiro
que nos trai. Somos todos irmãos
não porque dividamos
o mesmo teto e a mesma mesa:
divisamos a mesma espada
sobre nossa cabeça.

Somos todos irmãos
não porque tenhamos
o mesmo braço, o mesmo sobrenome:
temos um mesmo trajeto
de sanha e fome. Somos todos irmãos
não porque seja o mesmo sangue
que no corpo levamos:
o que é o mesmo é o modo
como o derramamos.

Ferreira Gullar

AMIZADE

Existem vários tipos de amigos,
desde aqueles que são mais que irmãos
aos que viajam na maionese.

Mas na verdade a amizade é um tesouro
que só encontra aqueles que são verdadeiros.

Sem a amizade não conseguimos viver,
porque a amizade
faz parte de tudo o que sentimos e pensamos.
(Fernanda Oliveira 6ª E – Porto Seguro)

Valdeci Alves Nogueira

AMIGOS
Nao sei descreve-los
mas sei dizer como sao
Nao sei se sao irmaos
mas sei dizer que nos os amamos.
Nao sei se sao certinhos
mas sei que se andam comigo e porque sao completamente doidos
Nao sei se nao me querem por perto
mas sei dizer que se nao me quizessem por perto , nao os chamaria de AMIGOS.

Natalia Lemos

Amizade...
Amigos são simplesmente irmãos que o nosso coração escolhe e acolhe...
Amigo é irmão sem laço de sangue... Sem grau de parentesco, mas com grau de amor...
Amigo é aquele que mesmo que vá doer te fala a verdade, mas jamais te abandona...
Amigo te ama... Respeita-te...
Amigo são simplesmente pessoas que Deus põe no seu caminho como anjos... A zelar por você.
A distancia não separa uma amizade... Por que mesmo a distancia você sabe que pode contar...
Amigo é a pessoa que mesmo que seja tarde você quer ligar... Amigo sempre te diz que vai dar certo, não por que quer te consolar, mas por que confia que você pode fazer melhor...
Amigo te impulsiona... Diz-te que é vencedor... Amigo mesmo sempre esteve ao nosso lado...
Mesmo que não tenha percebido ele sempre esteve lá... Quietinho... Todas as vezes que você precisou... Ele estava lá... Mesmo que você não reconhecido o valor dele... Ele jamais deixou você desamparado...
Amigo é o verdadeiro significado de amor eterno...
Amigos que passaram por nossa vida. Se não permaneceram por que nunca foi amizade...
Amigo é aquele que é seu amigo... Quando não te sobra amigo algum...
Mas antes de esperar ter amigo... É bom mesmo ser amigo de alguém... Que valorizamos e sentimos bem...
Não espere amigos seja amigo também...

felicity Secret

AMAR... É SER FELIZ!
Amo!
A minha vida!
Aos meus filhos e...
Irmãos e tudo que me rodeia!
Onde encontro tanta beleza!

Ao sol que despontou...
A rosa que surgiu...
Ao lindo e imenso mar!
A lua que brilha lá no infinito...
E nos mostra que a vida é linda!

Amar... é ser feliz!
Desejando o bem somente!
Praticando boas ações...
Se possível tendo um amor!
Que nos trará maior fulgor!

Amar... é ser feliz!
E, desde que te encontrei...
Sinto-me feliz e em paz!
Quero anunciar aos quatro ventos...
Estou vivendo lindos momentos!

Amo! Canto! Sonho! sorrio...
E tu és o responsável por tudo!
Me deixas feliz o coração...
Me deste o mais lindo amor do mundo!
Agora, tenho nos lábios, sempre uma canção!

Desconhecido

Ninguém conseguiu viver sem amizade, sem calor humano de uma amizade. Nem todos os irmãos de sangue são amigos de verdade. Um bom amigo é sempre um bom irmão, através dos laços da afinidade.
O coração humano tem sede de paz, de amor e amizade.
No desconserto do mundo, uma certeza conforta, uma estrela cintila para quem ama nada é pequeno, nada é insignificante.
Tudo pesa tudo vale principalmente uma amizade.
A experiência existencial de um amor profundo juntamente com uma amizade, tem gosto de eternidade.

joel carvalho

IRMÃOS...
São presentes preciosos que o Senhor nos dá...
Para alegrar a nossa vida...
Colorir os nossos dias...
Irmãos...
São jóias que enfeitam o nosso caminhar...
Que nos estendem as mãos quando precisamos...
Sabem ouvir e compartilhar as nossas alegrias e tristezas,
Mesmo com o silêncio de sua presença...
Irmãos...
São anjos queridos que a gente não esquece,
Que se destacam numa multidão de "amigos do orkut"...
E sentimos vontade de mandar uma mensagem e um scrap...
E dizer: Olha, você é muito importante para mim!
Irmãos...
São pessoas que ocupam um lugar especial no nosso coração...
Um lugar cativo e eterno que nem o tempo consegue apagar!
Irmãos...
São pessoas que eu amo no amor de Cristo,
Pessoas queridas e preciosas para mim...
Assim como você, irmã ANA MARIA...
Que D'us te abençoe sempre!
Beijinhos!
HANNAH

hannah

irmãos e irmãs de planeta diferente ... somos todos neuróticos por formas cores e credo partculares,todo pensador que se preze "pensa" ele se diverte com a fluência da mente ele nao mente para sua mente muito menos brinca com o poder da mente que ao menos nao deixa o mesmo mentir ou omitir uma simples palavra que vira ser um texto a partir de uma letra ou um versso .
detergente não vai limpa seu coraçao mais limpa a besteira que voce faz depois de comer HAHAHA ingraçado pra um poeta que acorda nas manhãs de segunda com fome de trakinas(aquele tremendo mistério)...
ele,acorda move o primeiro dedo da mão esquerda, abre o olho direito suspira e então ele oficializa o bom dia do sol lhe vizitando pela janela basculante do seu quarto ,sonhos,metas,lutas e conquistas logo na manhã são só o fato de que o restante do seu dia sera inÚTIL se voce não por em pratica !
eu converso com minha amiga ela me fala umas coisas extéricas minha barriga fica dormente ou sera que e coisa da minha mente{?} mais eu sei que se eu pensei que fosse alguma forma de transmitir essa sensaçao seria por meio da mente ... como alguem pode ler o que não escreveu ? como alguem pode ser o que nunca pediu pra ser ? como um sinal>>(?)<< move o mundo? como o mundo se move ? o sol gira em torno da terra? ou o unviverso move-se em volta da lua ?
-espera essa eu sei responde!
ops... perdão pelo meu égo,não vou reponder
-mas,mas mais é que masi ism eiaja sja ahh ... ta vo responder .
-eu acho ela influenciadora
-e ela tem cor?
-não:mais conheci uma menina que põe cor
-voce sabe que quem esta lendo também esta julgando ?
-ok,também me julgo as vezes -esse é o preço por conhecer tao bem que nem sei mais aonde deixei meu celular...
-irônia ?
-sim
-pq?
-do que estamos falando ?
-de irônia !!!
-kkkkkkkkkkkkkkkkkk deu .
-aplausos pra esse desrespeitavél publico

jean marques(pupilaverde)

Estádios da CBF ou templos da FIFA
padrão Bispo é dogmatismo,cismo.

Só sei que os meus irmãos Africanos
na grande área sofre danos.

Mas na pequena área, ebola é quem domina
e no ataque Brasileiro o artilheiro crack fulmina
igual mina nos campos na Palestina.

Esse é o jogo onde o povo é jogado
sendo explorado,
por fascistas exploradores de fé,
apologistas.

A divisão de base é a desigualdade
na cidade sede do povo com sede.

No torneio sub-desenvolvido,
onde cartolas exploram paixões e
governantes exploram o gado desnutrido.

Diego Biggy Monthi

Usando as Armas de Deus – Efésios 6.10-13



Por João Calvino

“10 Finalmente, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.
11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do diabo.
12 Porque não temos que lutar contra a carne eo sangue, mas contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade nas regiões celestes
13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.” (Efésios 6.10-13)

v. 10 – “Finalmente”. Retomando suas exortações gerais, novamente ele ordena que eles sejam fortes, - para reunir coragem e vigor; pois há sempre muito a nos enfraquecer, e somos mal equipados para resistir. Mas quando a nossa fraqueza é considerada, uma exortação como esta não teria nenhum efeito, a não ser que o Senhor estivesse presente, e estendido a mão para prestar assistência, ou melhor, a menos que ele nos proveja todo o poder. Paulo, portanto, acrescenta, “no Senhor”. Como se ele tivesse dito: "'Você não tem o direito de replicar, que não têm capacidade; porque tudo o que eu preciso de você é, que seja forte no Senhor." Para explicar o seu significado mais plenamente, acrescenta, “na força do seu poder”, que tende muito a aumentar a nossa confiança, especialmente no que se revela uma assistência marcante pela qual Deus usualmente supre os crentes. Se o Senhor nos ajuda pela força do seu poder, não temos nenhuma razão para fugir ao combate. Mas isto será perguntado: Para qual propósito serviria ordenar aos efésios a serem fortes no grande poder do Senhor, para aquilo que eles não poderiam realizar por si mesmos? Eu respondo, há duas cláusulas aqui que devem ser consideradas. Ele os exorta a serem corajosos, mas ao mesmo tempo lhes lembra a pedirem a Deus um suprimento de suas próprias deficiências, e promessas que, em resposta às suas orações, o poder de Deus será exibido.
v. 11 – “Revesti-vos de toda a armadura”. Deus nos tem fornecido várias armas de defesa, desde que não recusemos indolentemente o que é oferecido. Mas estamos quase todos carregados com descuido e hesitação em usar a graça oferecida; como se um soldado, prestes a enfrentar o inimigo, devesse esquecer o seu capacete, e negligenciar o seu escudo. Para corrigir essa segurança, ou, pelo contrário, devemos dizer esta indolência, Paulo apresenta uma comparação da arte militar, e nos convida a colocar toda a armadura de Deus. Devemos estar preparados em todos os lados, de modo a não faltar nada. O Senhor nos oferece armas para repelir qualquer tipo de ataque. Resta a nós aplicar-nos ao seu uso, e não deixá-las penduradas na parede. Para acelerar a nossa vigilância, ele nos lembra que não devemos apenas entrar numa guerra aberta, mas que temos um inimigo astuto e insidioso para enfrentar, e daí a frase usada pelo apóstolo, “as artimanhas do diabo”.
v. 12 – “Porque não temos que lutar”. Para impressioná-los ainda mais profundamente com o seu perigo, ele aponta a natureza do Inimigo, que ele ilustra numa demonstração comparativa, “não contra a carne e o sangue”. O significado é que as nossas dificuldades são muito maiores do que se nós tivéssemos que lutar com os homens. Aqui, resistimos com a força humana, a espada se opõe à espada, o homem contende com o homem, a força se encontra com a força, e a habilidade com a habilidade; mas aqui o caso é amplamente diferente. Tudo equivale a isso, que nossos inimigos são tais que nenhum poder humano pode suportar. Por carne e sangue, o apóstolo denota homens, que são assim denominados, a fim de contrastá-los com assaltantes espirituais. Esta não é uma luta corporal.
Lembremo-nos disto quando o tratamento injurioso de outros nos provocar à vingança. Nossa disposição natural nos levaria a dirigir todos os nossos esforços contra os próprios homens; mas esse desejo tolo será impedido pela consideração de que os homens que nos incomodam não são nada mais do que dardos lançados pela mão de Satanás. Enquanto estamos empenhados em destruir esses dardos, colocamos a nós mesmos abertos para sermos feridos por todos os lados. Porque lutar contra a carne e o sangue não somente será inútil, mas altamente pernicioso. Devemos ir direto para o Inimigo, que nos ataca e fere na sua ocultação, - que mata antes que ele apareça.
Mas voltemos a Paulo. Ele descreve nosso inimigo de modo tão formidável, não para nos oprimir com medo, mas para acelerar nossa diligência e zelo; pois não há um meio termo para ser observado. Quando o inimigo é negligenciado, ele faz o seu melhor para nos oprimir com preguiça, e depois nos desarmar pelo terror; de modo que, antes que a batalha comece, estejamos vencidos. Ao falar do poder do Inimigo, Paulo se empenha para nos manter mais alertas. Ele já tinha lhe chamado de diabo, mas agora emprega uma variedade de epítetos, para fazer o leitor entender que este não é um inimigo que pode ser desprezado de forma segura.
“Contra os principados, contra as potestades”. Ainda, seu objetivo em produzir alarme não é para nos encher de espanto, mas para nos estimular à cautela. Ele os chama κοσμοκράτορας, isto é, os príncipes do mundo; mas ele se explica mais plenamente, acrescentando – do mundo de trevas. O diabo reina no mundo, porque o mundo não é nada mais do que trevas. Daí segue-se que a corrupção do mundo dá lugar ao reino do diabo; porque ele não poderia residir em uma criatura pura e reta de Deus, senão em tudo que surge do pecado dos homens. Porque a escuridão, é quase desnecessário dizer, está destinada à incredulidade e à ignorância de Deus, com as consequências que elas carregam. Assim, por estar o mundo inteiro coberto com as trevas, o diabo é chamado de "o príncipe deste mundo." (João 14.30).
Por chamar isto a maldade, ele denota a malignidade e a crueldade do diabo, e, ao mesmo tempo, lembra-nos que o maior cuidado é necessário para impedi-lo de ganhar uma vantagem. Pela mesma razão, o epíteto “espirituais” é aplicado; porque, quando o inimigo está invisível, o nosso risco é maior. Há ênfase, também, na frase, nos lugares celestiais; porque a esfera elevada em que o ataque é feito nos dá maior problema e dificuldade.
Um argumento retirado desta passagem pelos maniqueístas, para apoiar a sua noção selvagem de dois princípios, é facilmente refutada. Eles supõem que o diabo é (ἀντίθεον), uma divindade antagonista, a quem o Deus justo não poderia subjugar sem grande esforço. Porque Paulo não atribui aos demônios um principado, do qual eles se apoderam, sem o consentimento, e que mantêm, apesar da oposição do Ser Divino, - senão um principado que, como a Escritura afirma em toda parte, Deus, em justo juízo, os colocou sobre os ímpios. A indagação não é o poder que eles têm em oposição a Deus, mas até onde eles deveriam excitar nossa vigilância, e nos manter em guarda. Também não é dado qualquer espaço aqui à crença, que o diabo tem formado e mantido para si mesmo, a região média do ar. Paulo não lhes atribui um território fixo, que eles podem chamar de seu, mas apenas dá a entender que eles estão envolvidos em hostilidades, e ocupam um posto elevado.
v. 13 – “Portanto, tomai”. Embora o nosso inimigo seja assim tão poderoso, Paulo não infere que devemos jogar fora nossas lanças, mas que devemos preparar as nossas mentes para a batalha. A promessa de vitória está, de fato, envolvida na exortação, “para que sejais capazes”. Se nós somente colocarmos toda a armadura de Deus e lutarmos bravamente até o fim, vamos certamente prevalecer. Em qualquer outra hipótese, seríamos desencorajados pelo número e variedade dos conflitos; e, portanto, ele acrescenta, “no dia mau”. Por esta expressão ele os desperta para a segurança, os convida a se prepararem para os conflitos difíceis, dolorosos e perigosos, e, ao mesmo tempo, os anima com a esperança de vitória; porque no meio dos maiores perigos eles estarão seguros. “E, havendo feito tudo”. Eles são, portanto, dirigidos a acalentar confiança através de todo o curso da vida. Não haverá perigo que não possa ser enfrentado com sucesso pelo poder de Deus; nem haverá qualquer pessoa que, com esta ajuda, lute contra Satanás, e falhe no dia da batalha.

Traduzido pelo Pr Silvio Dutra.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Comentário dos livros do Velho Testamento:
http://livrosbiblia.blogspot.com.br/

Comentário do Novo Testamento:
http://livrono.blogspot.com.br/

Mensagens:
http://retornoevangelho.blogspot.com.br/

Escatologia (tempo do fim):
http://aguardandovj.blogspot.com.br/

Calvino

Diariamente, vivo sobre pressão, pais põe pressão, tios, avós, amigos, colegas de classe, irmãos, todos.
Tudo o que faço não é suficiente, tentei ser médico para agradar a minha mãe, tentei ser delegado para agradar ao meu padrasto, tentei ser advogado para agradar a minha tia, assim sucessivamente. No fim das contas não agradei ninguém, muito menos a mim.

Frustrante

Comentário de Filipenses 3.13,14



Por João Calvino

Flp 3:13 Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão,
Flp 3:14 prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

“Eu não julgo havê-lo alcançado”. Ele não coloca em causa aqui a certeza da sua salvação, como se ele ainda estivesse em suspense, mas repete o que havia dito antes - que ele ainda visava a um progresso maior, porque ele ainda não tinha atingido o fim da sua vocação. Ele mostra isso imediatamente depois, dizendo que ele estava intentando apenas uma coisa, deixando de fora tudo o mais. Agora, ele compara a nossa vida a uma pista de corridas, e os limites que Deus traçou para nós, para percorrê-la. Porque, assim como nada aproveitaria ao corredor ter deixado o ponto de partida, a menos que ele fosse para a frente para o alvo, por isso devemos também prosseguir o curso da nossa vocação até a morte, e não devemos parar até que tenhamos obtido o que buscamos. Mais ainda, como o caminho está marcado para o corredor, para que ele não venha a se cansar sem qualquer propósito vagando nesta ou naquela direção, então há também um objetivo diante de nós, para o qual devemos dirigir o nosso curso sem desvios; e Deus não nos permite vagar descuidadamente. Em terceiro lugar, como se requer do corredor que esteja livre de impedimentos, e não parar o seu curso por conta de qualquer obstáculo, assim devemos tomar cuidado para que não apliquemos a nossa mente ou coração a tudo o que possa desviar a atenção, senão que devemos, pelo contrário, empenhar o nosso esforço, livres de qualquer distração, de modo que possamos aplicar toda a inclinação da nossa mente exclusivamente ao chamado de Deus. Estas três coisas Paulo apresenta, numa só similitude. Quando ele diz que ele faz uma coisa, e esquece todas as coisas que estão para trás, dá a entender a sua assiduidade, e exclui tudo que possa distrair. Quando ele diz que ele se apressa para o alvo, ele dá a entender que ele não está se desviando do caminho.
“Esquecendo-me das coisas que para trás ficam”. Ele alude aos corredores, que não voltam seus olhares para o lado em qualquer direção, para que não afrouxem a velocidade do seu curso, e, mais especialmente, não olham para trás para ver quanto terreno já avançaram, mas se apressam à frente incessantemente em direção à meta, Assim, Paulo nos ensina, que ele não pensava no que ele foi, ou no que ele fez, senão simplesmente corria para a frente em direção ao objetivo determinado, e que, também, com tal ardor, que ele corria para a frente, por assim dizer, com os braços estendidos. Porque uma metáfora dessa natureza está implícita no particípio que ele emprega.
Caso houvesse qualquer observação, por meio de oposição, que a lembrança de nossa vida passada é de uso para nos mover, tanto porque os favores que já nos foram conferidos nos dão o incentivo para entreter a esperança, e porque somos admoestados pelos nossos pecados a alterar o nosso curso de vida, eu respondo, que os pensamentos dessa natureza não desviam a nossa visão do que está diante de nós para o que está atrás, mas sim ajudam a nossa visão, para que possamos discernir mais claramente o objetivo. Paulo, no entanto, condena aqui como olhar para trás, aquilo quer destrói ou danifica o entusiasmo. Assim, por exemplo, qualquer um deveria persuadir a si mesmo que ele tem feito suficiente progresso, reconhecendo que tem feito o bastante, ele se tornará indolente, e se sentirá inclinado a entregar o bastão para os outros; ou, se alguém olhar para trás com um sentimento de pesar pela situação que ele tem abandonado, ele pode não se aplicar com toda a inclinação de sua mente àquilo em que está envolvido. Tal seria a natureza dos pensamentos da mente de Paulo para que ele voltasse atrás, se ele não seguisse com seriedade a vocação de Cristo. Como, no entanto, não foi feito menção aqui de esforço e perseverança, para que ninguém imagine que a salvação consiste nessas coisas, ou mesmo atribuída à industriosidade humana que vem de outra parte, com a visão de apontar a causa de todas essas coisas, ele acrescenta - em Cristo Jesus.

Traduzido e adaptado por Silvio Dutra.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Comentário dos livros do Velho Testamento:
http://livrosbiblia.blogspot.com.br/

Comentário do Novo Testamento:
http://livrono.blogspot.com.br/

Mensagens:
http://retornoevangelho.blogspot.com.br/

Escatologia (tempo do fim):
http://aguardandovj.blogspot.com.br/

Calvino

Comentário de Filipenses 4.8



Por João Calvino

“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.” (Filipenses 4.8)

“Finalmente”. O que se segue consiste em exortações gerais que dizem respeito a toda a vida. Em primeiro lugar, ele recomenda a verdade, que nada mais é do que a integridade de uma boa consciência, com os seus frutos; em segundo lugar, o que é respeitável, ou santidade, porque τὸ σεμνόν denota uma excelência que consiste no fato de andarmos de modo digno da nossa vocação (Efésios 4.1) mantendo uma distância de tudo o que é profano: em terceiro lugar, a justiça, que tem a ver com a relação mútua da humanidade - que não injuriemos ou defraudemos a qualquer um; e, em quarto lugar, a pureza, que denota a castidade em todas as esferas da vida. Paulo, no entanto, não reconhece todas essas coisas como suficientes, se não fizermos, ao mesmo tempo, esforço para nos tornarmos agradáveis a todos, na medida em que podemos fazê-lo legalmente no Senhor, e ter em conta também o nosso bom nome. Pois é dessa forma que eu entendo as palavras -
“Se há algum louvor”, ou seja, algo louvável, pois em meio a tal corrupção dos costumes há tão grande perversidade nos julgamentos dos homens que o elogio é muitas vezes dado ao que é censurável, e não é permitido para os cristãos sequer desejar o verdadeiro louvor entre os homens, na medida em que eles são em outro lugar proibidos a se gloriarem, a não ser somente em Deus (1 Coríntios 1.31). Paulo, portanto, não lhes recomenda tentarem ganhar aplausos ou elogios por ações virtuosas, nem mesmo a regularem suas vidas de acordo com os julgamentos das pessoas, mas simplesmente significa que eles deveriam se dedicar à realização de boas obras, as quais merecem elogios, que os ímpios, e aqueles que são inimigos do evangelho, enquanto ridicularizam os cristãos e lançam opróbrio sobre eles, sejam, no entanto, constrangidos a elogiar sua conduta.

Traduzido e adaptado por Silvio Dutra.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Comentário dos livros do Velho Testamento:
http://livrosbiblia.blogspot.com.br/

Comentário do Novo Testamento:
http://livrono.blogspot.com.br/

Mensagens:
http://retornoevangelho.blogspot.com.br/

Escatologia (tempo do fim):
http://aguardandovj.blogspot.com.br/

Calvino

Como Fazer o Bem a Todos



Por João Calvino

“Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos.” (I Tessalonicenses 5.14)

“Admoesteis os desobedientes”. É uma doutrina comum - que o bem-estar de nossos irmãos deva ser objeto de nossa preocupação. Isto é feito através do ensino, admoestação, correção e despertamento; mas, como as disposições dos homens são diferentes, não é sem razão que o apóstolo ordena que os crentes se acomodem a essa variedade. Ele ordena, portanto, que os indisciplinados sejam admoestados, ou seja, aqueles que vivem dissolutamente. O termo admoestação, também, é empregado para significar a reprovação acentuada, que é necessária para trazê-los de volta para o caminho certo, pois eles são merecedores de maior severidade, e eles não podem ser levados ao arrependimento por qualquer outro expediente.
“Ampareis os fracos”. Outro sistema de conduta deve ser seguido aqui, pois eles precisam de consolo. Os fracos também devem ser assistidos. Por fracos de coração, porém, ele quer dizer, aqueles que têm o coração quebrantado e aflito. Ele consequentemente lhes favorece, e os fracos, que de alguma forma, agem tal como os que são insubmissos, devem ser restringidos com algum grau de severidade. Por outro lado, ele ordena que o rebelde deve ser admoestado severamente, a fim de que os fracos possam ser tratados com bondade e humanidade, e que os de coração fraco possam receber consolo. Por isso, é sem propósito que aqueles que são obstinados e intratáveis sejam suavemente acariciados, na medida em que os remédios devem ser adaptados às doenças.
Ele recomenda, no entanto, paciência para com todos, porque a severidade deve ser temperada com algum grau de indulgência, mesmo ao lidar com os rebeldes. Esta paciência, no entanto, é, propriamente falada, em contraste com um sentimento de desinteresse, porque para nada somos mais propensos para nos sentirmos cansados do que quando nos propusemos a curar as fraquezas dos nossos irmãos. O homem que tem uma e outra vez consolado uma pessoa que está com o coração enfraquecido, se ele é chamado a fazer a mesma coisa uma terceira vez, vai sentir, eu sei, não somente cansaço, mas até mesmo indignação, que não permitirá que ele persevere no cumprimento do seu dever. Assim, se por admoestar ou repreender, não conseguimos alcançar imediatamente o bem que pretendemos fazer, perdemos toda a esperança de sucesso no futuro. Paulo tinha em vista colocar um freio na impaciência desta natureza, recomendando-nos a moderação para com todos.

Traduzido e adaptado por Silvio Dutra.

Calvino