Textos para Adolescentes

Cerca de 30 textos para Adolescentes

Quando criança,pensamos: Quando eu irei crescer?
Quando adolescentes,pensamos: Com quantas meninas vou ficar?
Quando jovens,pensamos: Que carro vou conseguir comprar?
Quando adultos, pensamos: Até onde vou conseguir chegar nesta empresa?
Quando velhos, pensamos:Até quando irei viver?
Quando morrermos,pensaremos: Porque eu não me pensei somente em ser Feliz?

Evandro Svdri

Hoje eu cresci;
Percebi que dramas adolescentes existem;
Que amigos, são poucos, mas quando os possuímos são praticamente irmãos;
Que as mães são chatas, porém na maioria das vezes estão certas;
Que a vida não é somente drogas e rock'n roll
Que o quê é rosa pra mim, é vermelho para alguém;
Que o ser humano só da valor quando perde e só se arrepende quando erra feio;
Que o homem precisa de algum tipo de adoração para ter esperança;
Que a união da nação requer uma tragédia;
Que a ignorância é altamente transmissível e pode te foder em alguns momentos;
Que a gente erra, conserta ou fode com tudo mais ainda;
Que a Coca-Cola light com suas calorias a menos nunca vai ser tão boa quanto a normal;
Que mulheres padronizadas e acéfalas são vendidas em qualquer esquina de motel barato, mas ainda sim existe quem as procurem;
Notei que muitas vezes um homem não vale um terço do quanto uma mulher chora e vice-versa;
Que ficar apenas falando não muda de fato as coisas, mas a SUA ideia pode contaminar a de alguém realmente influente com capacidade de mudar o mundo;
Aprender é um processo contínuo e inesperado, quando tu pensas que não há mais nada além de demonstrações do quão mentecapto realmente somos, vem algo e te surpreende.

Carolina Martinez

Quando os adultos dizem: ‘Os adolescentes se acham invencíveis’, com aquele sorriso malicioso e idiota estampado na cara, eles não sabem quanto estão certos. Não devemos perder a esperança, pois jamais seremos irremediavelmente feridos. Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos. Os adultos se esquecem disso quando envelhecem. Ficam com medo de perder e fracassar. Mas essa parte que é maior do que a soma das partes não tem começo e não tem fim, e, portanto, não pode falhar.

John Green

Ótimo!, Ela gritou. Quando eu decidi ter filhos, NÂO concordei em ser escrava de uma coleção de objetos pretos inanimados e de um bando de VICIADOS EM TECNOLOGIA que se recusam a fazer qualquer coisa além de olhar para uma tela e mexer os polegares, enquanto exigem que eu OS Sirva, como se fosse uma mistura de técnico de computador e recepcionista de hotel cinco estrelas. Quando eu ainda não tinha tido vocês, todo mundo dizia o tempo todo que ia mudar de ideia. E quer saber? Eu tive vocês. Criei vocês e MUDEI DE IDEIA.
Trecho do livro Bridget Jones Louca pelo garoto

Helen Fielding

Amor sólido

É comum ouvirmos a citação do belíssimo texto do capítulo 13 da primeira carta aos coríntios em cerimônias de casamento. Todavia, esse texto foi originalmente endereçado a uma igreja. Por isso, podemos dizer que esse escrito paulino carrega a referência sobre a necessidade de caminharmos amorosamente em qualquer tipo de relacionamento. Segundo o apóstolo, o caminho do amor é "sobremaneira excelente." (I Co 12. 31)

Contudo, esse caminho parece ter sido esquecido pelo ser humano contemporâneo. Vivemos em um mundo "capitalcêntrico" que nos julga num piscar de olhos pelo que temos e não pelo que somos. Afinal, a engrenagem de ouro que faz a sociedade funcionar é o consumo. Todos os anos somos convencidos de que o celular que possuímos já não serve, de que nossas roupas já estão fora de moda, de que nosso computador está obsoleto, e de que para fazer a engrenagem girar devemos consumir ainda mais. Entretanto, um grande problema causado por esse "modus vivendi" é que esse tipo de lógica migra para nossas relações e gera o que o sociólogo Zygmunt Bauman chamou de amor líquido. As pessoas vivem relacionamentos sem solidez e que não perduram pelo fato de, mesmo sem saber, estarem consumindo o outro.

Se quisermos fugir dessa liquidez, devemos relembrar as orientações de Paulo sobre o amor. Para ele "o amor não busca os próprios interesses", "tudo crê, tudo espera e tudo suporta". Por isso, o outro não é consumível e descartável, mas imprescindível. Como escreveu Erich Fromm em A arte de amar: "O amor imaturo diz: eu te amo porque preciso de ti. O amor maduro diz: preciso de ti porque eu te amo." Ou seja, nunca construiremos relações consistentes e maduras se ao primeiro sinal de insatisfação com o outro simplesmente o descartarmos.

Portanto, que "emanemo-nos amor", como diz uma canção popular e percebamos a importância de construir relacionamentos sólidos e profundos que perdurarão para a eternidade como nosso maior legado.

Pr. Marcio Cappelli - Ministro de Adolescentes e Jovens

Vazio


Você chegou quando eu mais precisava,

Brigas de adolescentes e regras impraticáveis,

Ansiava te buscar e me tornei tão vulnerável que quase não pude me reconhecer,

Apenas queria te ter por perto, sentir seu cheiro, sua boca, meu rosto sobre a sua pele, seus afagos constantes,

Só pensava e a única coisa que importava, era estar junto de ti, pois comparado a você, tudo é tão nada, abraços, beijos, carinhos, são sentimentos tão sem vida !

Sinto a dor de não criar perspectivas com outras pessoas, de não conseguir enxergar alguém que suprirá a sua falta, a dor de pensar que tenho você tão perto, mas não posso alcançá-lo...

Fugimos, corremos e sempre nos encontramos, sentimento forte que insiste em passar por cima de mim para ficar ao seu lado... Fraquejei, fui tola, tola porque para mim, os momentos bons superavam as expectativas... ilusão de que um dia algo mudaria,

Mas não podemos esperar mudanças nos outros, a única pessoa que podemos mudar, somos nós mesmos, assim, alheia a minha vontade, resolvi virar as costas e seguir em frente!

Heveline Marques

CAPS LOCK.

tal palavra já virou um jargão nas rodas adolescentes, desde que foi jogada de para quedas na mídia, essa tecla 'meramente' lembrada no nosso teclado, tomou uma força e popularidade significante. Mas o que seria caps lock?
Na tradução crua e nua, seria Capital Letters Lock (trava letras maiúsculas). Mas é óbvio que para nós, isso não tem nada a ver.

Uma pessoa que sempre viveu de acordo com todas as normas, sempre respeitou tudo e todos, que não fala palavrão, pode vir futuramente a se tornar uma pessoa caps lock.

mudamos de acordo com o rumo das nossas vidas, nossas ações nos atravessam como atitudes e voltam pra nós como efeitos, unicamente.
E se você obedecer a todas as regras, vai perder toda a diversão.
Deixe-se levar de vez em quando, espere menos das pessoas e acredite mais em você.

Já dizia o manual para o blogueiro iniciante. Pág 1 , linha 15, parágrafo 3º .
Ser sem noção as vezes, faz todo o sentido. E as pessoas gostam disso.

Identifique-se e se torne conhecido!
viva sua vida, em CAPS LOCK! ;D

Kayque Meneguelli

Foi mesmo estranho como tudo começou, a historia tola de dois adolescentes perdidos talvez seria uma grande historia de amor.. seria se ambos não estivessem perdendo seus tempos tentando negar o amor que sentem.. um desperdício de sentimentos...
Bela tarde, garota egocêntrica marca encontro com os amigos, no caminho passa por uma amiga e, inexplicavelmente abre mão do seu destino e fica por ali. Junto da garota havia um menino, menino estranho por sinal... mas, mentiria se não dissesse que foi atraída por aqueles olhinhos brilhantes.
Foram poucas as palavras trocadas até o primeiro beijo, que diga-se de passagem foi como em um filme, todos pararam para assistir o mocinho salvando a mocinha do bêbado. Para o segundo beijo bastou um pedido. Mais algumas palavras trocadas para que os dois vissem o quanto se pareciam, a noite acaba com o mocinho dizendo a mocinha ''você ficará comigo para sempre...'' e partiu.
Foi estranho realmente a necessidade que um havia criado do outro em tão pouco tempo.
Os dias foram passando e dia-a-dia o mocinho buscava ver a mocinha. Menina essa que tinha muita mágoa no coração. Não se permitia mais uma vez amar.. mas, era inevitável ser amada.
Foram a um show juntos, os ciumes e medo de perder, as musicas que falavam tudo o que sentiam, eram grandes evidências de que o amor já nascera.
Brigas na casa da mocinha marcam o início das maiores dores já sentidas por ela... mas toda essa dor deixaremos de lado, para que não ofusque nosso ''conto-de-fadas''.
Mesmo com todos os problemas seguiram juntos, eram uma dupla imbatível.
Com os problemas na família da mocinha, ela sofre. E quando se sente sozinha, ele estava bem ali do seu lado para a confortar.
Foram dias de amor. Ambos queriam parar no tempo para que nunca tivesse fim. Era como a realização de um sonho seguido de um pedido, aceito em um momento de total amor.
Viveram dias difíceis, a começar pelo fato de que pareciam casados. Mas apesar de todos os problemas sabiam que um sempre estaria ali para abraçar o outro. Eles estariam ali para sempre.
Mas os dias foram passando e a dor no peito da mocinha foi aumentando... ela já não sabia conciliar tudo aquilo. Perdida e cheia de dor, ela abre mão do sentimento que não assumira, mas sentira. E essa dor foi mais forte do que qualquer outra.
Ela teve que aprender a conviver com o fato de amar, ser amada e não poder ter.
Ontem tudo que ela queria era dar o beijo de boa noite nele, e, ele sonhar enquanto a abraça.
Mas hoje acabaram por se desencontrar, e o amor é só uma vaga lembrança em suas mentes... um desperdício de sentimentos. [2]

Thayane M.

As mulheres que me seduz,podem ser novinhas,adolescentes ou maduras.
As mulheres que me seduz tem que ser inteligente.
As mulheres que me seduz tem que ser amiga.
As mulheres que me seduz tem que ser humilde.
As mulheres que me seduz tem que ter uma boa alma.
As mulheres que me seduz tem que ser mas que um corpo bonito.
As mulheres que me seduz tem que ser verdadeiramente mulher,com garra pra enfrentar as boas e ruins coisas da vida.

Neilton Silva Nogueira

O resgate da cidadania


Resgatar o conceito de cidadania nas crianças e adolescentes brasileiros é um desafio e, por isso mesmo, o principal objetivo do programa Mutirão da Cidadania - lançado pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. O objetivo é trazer à tona o sentimento de nação, de civismo, de solidariedade, de união e de amor aos valores dignificantes que têm sido cada vez menos apreendidos pelas novas gerações. O Mutirão será composto por diversas ações que visam ampliar nos estudantes da rede estadual de ensino a compreensão sobre questões essenciais à sua formação pessoal e profissional. A ética, a nobreza de caráter, o espírito de equipe, o respeito ao próximo e às suas diferenças de gênero, raça, credo e classe social, a preservação do meio ambiente - a começar pelo cuidado e valorização do espaço da própria escola -, o incentivo ao voluntariado e os estudos dos símbolos nacionais constituem as bases principais do programa. Uma das medidas que adotadas para a conquista desses objetivos é o hasteamento da Bandeira e a execução do Hino Nacional nas unidades de ensino, todas as segundas-feiras. A idéia é estimular a criação de espaços voltados ao resgate de valores ligados à vivência da cidadania, ao mesmo tempo em que a utilização da linguagem musical é otimizada como forma de expressão, comunicação e convivência. O programa será desenvolvido por meio de parcerias com as secretarias da Justiça, da Cultura, do Meio Ambiente e da Juventude, Esporte e Lazer, além de instituições como a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Procon e o Faça Parte. Juntas, essas entidades trabalharão a consciência cidadã dos alunos, incentivando a participação ativa dos jovens tanto na escola quanto na comunidade. Elas fornecerão orientações sobre a formação e administração de grêmios estudantis, a realização da coleta seletiva de lixo nas escolas - ressaltando a importância dessa ação para o ecossistema -, a criação de Bandas da Juventude nos estabelecimentos de ensino, a conscientização dos direitos e deveres do consumidor e o estímulo ao voluntariado, que se constituirá em exercício efetivo de solidariedade. Acreditamos que a prática dessas ações será fundamental para a formação de cidadãos críticos que possam ocupar, definitivamente, um lugar de destaque nos cenários político, econômico, social e cultural do Brasil. Vivemos numa sociedade mutante, diversa e repleta de peculiaridades. Independentemente disso, o mundo todo atravessa um período de mudanças radicais que alteram o comportamento das pessoas provocando fenômenos sem precedentes na história da humanidade. Basta lembrarmos o quanto a família se modificou adquirindo novos modelos de estruturação - o que não quer dizer que está mais presente na vida das crianças e jovens. Ao contrário, paralelo às mudanças na estrutura familiar, o mercado de trabalho tem exigido cada vez mais de todos, tornando o tempo que os pais dedicam aos filhos mais escasso quantitativa e qualitativamente. A carência afetiva é a porta de entrada para o recebimento de influências negativas do meio e da mídia - essas últimas por meio da exposição exagerada à televisão e ao computador, sem nenhum critério seletivo. O resultado desse processo é evidente quando observamos a inversão de valores fundamentais à vida em sociedade, favorecendo o consumismo exacerbado, o culto exagerado ao corpo, da superficialidade das relações e a ascensão acelerada da violência e das drogas. Com isso, o papel da escola hoje é muito mais amplo e complexo do que há algumas décadas. Cabe a ela não só ensinar, mas auxiliar a formar o cidadão. Outro fator importante de mudança está na universalização do ensino, que trouxe aos bancos escolares pessoas extremamente diferentes, muitas vezes provenientes de famílias desestruturadas e/ou com situação econômica precária. Essas crianças, até há pouco tempo excluídas do ambiente educacional, necessitam de cuidados e atenções redobradas dos professores. Com a política da escola pública para todos, a rede oficial precisou reestruturar a proposta pedagógica para acolher os mais variados perfis estudantis. Nesse sentido, O Mutirão de Cidadania é uma ferramenta mais do que importante para garantir aos alunos uma formação mais adequada aos desafios impostos pelo século XXI. Machado de Assis, o grande mestre da literatura brasileira, nos forneceu um alento para as adversidades quando disse: "Defeitos não fazem mal, quando há vontade e poder de os corrigir." Se depender de nossa vontade e de nosso esforço, a educação conseguirá, sim, cumprir sua função: ser a bússola para mostrar um norte, um caminho seguro em direção ao futuro.


Publicado no Diário do Grande ABC

Gabriel Chalita

A arte o Tempo e o Vento

Quando nós éramos crianças, queríamos ser adolescentes
Quando éramos adolescentes, queríamos ser adulto
Quando somos adultos, queremos ser o que deixávamos de ser
Por medo de perder não conseguíamos vencer
Depois de alguns anos, temos pouca ou muita idade
Vivendo momentos de mais e outros de menos felicidade
O tempo sempre nos ensina, que precisamos viver a própria vida

Todos seguem caminhos diferentes
Talvez se encontremos lá na frente
Não podemos deixar de sonhar
Ter esperança, quando quiser mudar
Ontem já se passou, e hoje ainda não sei quem sou
O amanhã só Deus sabe, qual será a nova arte
A missão dos artistas é representar a vida
Para que todos possam ser, ler, ver, ouvir e sentir

E pouco a pouco ir, desvendando os mistérios do tempo
Tempo, que suave como o vento, vai passando, várias fases
Começando um drama de outono, depois um romance de primavera
Seguindo para uma triste tragédia em noites frias de inferno
Até virar uma comédia musical em dias quentes de verão

Todos podem fazer parte de alguma arte, perceber o tempo, sentir o vento.
Que juntos vão nós levando, para onde quisermos ir e a vida permitir
A dramaturgia e as musicas, mostram histórias vivenciadas
Para tentarmos compreender, quem somos e seremos ou deixaremos de ser

Roberto Fabricio

Hoje em dia é comum você vê ou conhecer pessoas, principalmente adolescentes, que se cortam. Daí eu me pergunto o porquê disso e muita das vezes parei pra pensar e procurar entender.

Uma das minhas linhas de pensamentos foi a de que esses adolescentes queriam ser importantes pra alguém e fazendo isso eles pensavam que conseguiam atrair de certa forma a atenção das pessoas para si.
Outra linha de pensamento foi a de que eles queriam “compensar” a dor de uma decepção, frustração, tristeza... Mas como? Provocando outra dor? Acredito que esse não é um meio viável.
Meu outro pensamento foi o de que esses adolescentes simplesmente queriam chocar as pessoas.
Mas independente disso, os cortes deixam marcas e o mais preocupante: essa maneira de lidar com os problemas pode se tornar um vício e um dia se esses adolescentes quiserem parar, não vão conseguir. Li uma frase certa vez que dizia o seguinte: "Vício é o que sempre estamos fazendo pela última vez". E é assim que acontece. “Não, só vou fazer isso essa vez.” Mas todos sabem que não é a ultima.
O que precisamos entender é que essas decepções, frustrações e tristezas vão permanecer na nossa vida (como na vida de todo ser humano) até o dia da nossa morte e nós devemos lidar com isso diariamente. Decepções vão existir, tristezas vão aparecer, frustrações vão surgir e não devemos nos entregar, mas sim “enfrentar de cara” por mais difícil que isso seja.
Como você quer que alguém te ame, se importe com você se nem ao menos você faz isso por si mesmo?

Jeozadaque Martins

Quando nascemos, somos o sonho de alguem,
Quando adolescentes, queremos fazer parte dos nossos sonhos,
Quando adultos, somos escravos das nossas obrigações e dos sonhos não realizados,
Quando velhos, nos tornamos o pesadelo daqueles que são obrigados a cuidar de nós,
Quando morremos, seremos esquecidos nas lembranças de quem sonhou com a gente, de quem tornou-se nossos sonhos, mais por alguns momentos seremos o alivio dos pesadelos daquele que por alguma obrigação cuidou de nós.
Nascemos para morrer e morremos para ser esquecidos.

Diego Ap. Stos. Oliver. Mello (Don Crazy)

A boa educação na vida de nossas crianças, adolescentes e jovens, possibilita estas riquezas, que no fim de tudo, nós é que acabamos ganhando.

Com efeito, a História que passaremos a contar anos após anos, será a de cada um dos nossos formandos, e não a de nossas crianças, dolescentes e jovens mortos na criminalidade por causa do descaso e negligência do Governo Brasileiro nas suas esferas Municipal, Estadual e Federal., porque, se esse descaso continuar, não adianta jogar a culpa nas vítimas acima citadas ou em seus pais.

Gil Nunes

Adolescentes de 14 anos estão beijando várias pessoas e achando isso normal.
Aos 15 anos começando a tomar bebidas alcoolicas e já não querem mais saber de estudar.
Aos 16 anos ja iniciam sua vida sexual, sem responsabilidade alguma.
Aos 17 ao invés de está se preparando para o vestibular muitos estão nas ruas, fazendo coisas ilicitas.. Meninas ficando grávidas, abortando.. e achando isso a coisa mais normal do mundo.!
Essas coisas são decepcionantes e vergonhosas. Desculpa, eu não quero ser mais uma, e sinceramente nunca vou me adaptar as regras de uma sociedade como essa.

Alane Heloisa

“Deus quer restaurar a ação do sobrenatural e a glória entre os adolescentes e jovens. E isto vai nos abrir as portas pra alcançarmos pessoas em todo o mundo que estão morrendo, perdidas e sem salvação.”

Vamos adorar ao único Rei, ao único digno! Vamos criar um ambiente que atraia o Céu aqui para a Terra.

Deyson Veloso

Engana-se quem pensa que só os adolescentes de hoje são precoces em relação a um monte de coisas. A coisa apenas passou de muito ruim pra pior ainda.
Quando eu era adolescente os demais da minha idade já namoravam, as meninas já engravidavam aos 12, as roupas já eram microscópicas... enquanto isso eu escrevia poemas sobre meus amores platônicos e brincava de amarelinha.

Luciene Nascimento

ABRACC está profundamente com a decisão de transformar a vida de crianças e adolescentes com câncer. Isso significa que a melhoria da saúde por meio do atendimento às necessidades básicas da família cadastrada é nossa principal base. Esta é a força que move a organização na certeza de que está no caminho para a humanização, solidariedade, busca da cura e acesso aos direitos. Defende a ética, a transparência, honestidade e o respeito aos pacientes e seus familiares. É ações como esta que contribui para mudar a realidade de vida desses pacientes. Entraremos em contato através da central de doações. Desde já agradecemos a sua contribuição.
·

ABRACC ASSOCIAÇÃO BRA. AJUDA CRIANÇA COM CÂNCER

A sociedade tem o péssimo hábito de julgar adolescentes que engravidam e se tornam mães muito novas. Eu sinceramente não entendo essa mania de apontar o dedo na cara e ditar o que é certo e o que é errado. Não entendo mesmo. Ninguém ta livre de ter um filho sem estar preparada, ninguém sabe do futuro, e mesmo assim todos botam a boca no mundo para fazer piadinhas com a menina de 12 anos que está grávida; para julgar a garota que com 15 anos é mãe solteira. Acho ridículo esses julgamentos precipitados, essa mania podre de falar mal de tudo o que vocês acham não estar certo. Vocês só vêem o que querem, não tentam enxergar o outro lado da história, olhar as coisas de outra maneira. Ninguém vê a força que essas meninas tem, ou vocês acham que ser mãe e enfrentar a sociedade é fácil? Não, não é. E mesmo assim elas levam essa gravidez adiante. Ninguém vê que geralmente essas mães são pobres e por medo de enfrentar os pais poderiam interromper a gestação ou dar o seu filho à adoção, e mesmo assim elas não desistem de ter o bebê e criam ele honestamente com amor; o que para mim é muito mais importante do que bens materiais. Com tantas mulheres por aí, que com condições financeiras de criarem seus filhos continuam optando pelo aborto vocês vem julgar logo quem não tem idade, ou até mesmo recursos e mesmo assim opta pela vida do filho? Eu particularmente admiro a garra dessas meninas. Parabéns à você que tão nova se tornou mulher e assumiu as conseqüências de seus atos. Parabéns à você que passa por cima da hipocrisia das pessoas e nunca pensou em interromper a gestação. Parabéns à você, pela sua força, pela sua coragem e pela sua maturidade. Parabéns, porque tem gente com o dobro da sua idade que ainda não aprendeu a calar e a respeitar o próximo.

Amanda Sanches

Tá tudo tão rápido que as pessoas não olham mais para o céu, que as adolescentes não rabiscam mais as carteiras da escola com os nomes dos seus namorados, que o mundo não aceita mais as rebeldias como manifestações da juventude, que a lua não mais empolga os amantes. Tá tudo tão rápido que as ondas do mar não são mais capazes de quebrar o silencio, pois não há mais silencio.

Tiara Sousa