Textos Emocionantes

Cerca de 5 textos Emocionantes

A vida é como que feita de fotografias. Algumas vivas, coloridas, emocionantes, outras amareladas, envelhecidas, esquecidas num canto, numa gaveta, numa caixa. A gente a vê passar bem diante dos nossos olhos, e no fim das contas essa vida acaba se resumindo em Ex’s.
Ex-amigo, ex-colega, ex-escola, ex-namorado, ex-amor, ex-paixão, ex-motivo de tristeza, ex-marido… Tudo muda. A vida corre, o tempo passa, o mundo gira, e tudo vira ex. E a gente vai superando, a vai suportando, vai esquecendo, deixando pra lá. E quando vê, já era. Já passou, já mudou, já ficou diferente.
O que antes tinha uma importãncia enorme, vai se tornando tão insignificante, vai virando uma poeirazinha que a gente, se não varre pra fora, deixa embaixo do tapete. E às vezes, deixa lá embaixo só pra saber que tá ali. Nem importa mais tanto assim, mas a gente não quer se desprender de uma vez.
Daí um dia, a gente cresce, acorda, faz uma faxina. Despreza tudo aquilo que não nos faz bem, que não acrescenta, e quando vê, se livrou inclusive do tapete!
E deixa pra trás, sem mágoas, sem ressentimentos. O tempo passou, e o passado tem um lugar pra ficar, e que não é no presente! E tudo vira Ex. Me reinvento, mudo, vou deixando tudo virar ex. Ex-tudo. E se preciso, até Ex-eu.

Suênia Medeiros

Resolvi desamarrar as asas dos meus sonhos. Eles serão bem mais lindos, apaixonantes e emocionantes, voando por aí. Resolvi viver um dia de cada vez e com a maior intensidade que possa existir. Resolvi esperar as coisas em Deus, porque o meu tempo é bem diferente e muito mais apressado. Pra que tanta pressa, pra que viver tudo de uma só vez, se a vida de fato nos dá tempo suficiente para sermos felizes, para realizar todos os nossos sonhos e desejos e ainda continuar sonhando. Resolvi amar e optar pelo amor sempre na minha vida, independentemente do que os outros vão pensar de mim. Resolvi parar de dar atenção a quem não quer a minha ajuda. Resolvi não me apegar demais as pessoas, se elas não dão a miníma importância para o que você sente, pensa ou deseja. Resolvi viver viajando entre as nuvens, e respirar o ar que eu achar que devo respirar. Respirar o ar mais puro que existe, presente nos seus sonhos, nos seus ideais. Aprendi que tudo na vida tem o seu tempo, por isso não constumo mais andar de relógio. Pra que? Viva, sem contar quantos minutos você vem perdendo ou ganhando. Simplesmente viva!

Nathália Araújo

pensamentos inquietantes...
Momentos de pesar...
sentimentos emocionantes...
palavras a calar.
sinto dores na alma...
sinto-me desanimada...
sinto-me desprezada...
sinto-me desesperada.
desespero, angustia, tristeza?
pra quê sofrer, se calar?
calar sozinha, talvez madureza?
madureza... é saber amar!

Cecília de Sousa e Souza

RALF
Esta história não é como a de filmes emocionantes com cães e nem um best seller, é apenas uma lembrança do meu coração. Eu era uma criança com espírito curioso e um coração sempre disposto a amar tudo em minha volta, ainda sou. Em um fim de tarde encontrei um balde cheio de filhotes abandonados e lá estava ele pequeno, pretinho e peludo. Foi amor a primeira vista (risos), adotei um amigo novo e lhe dei o nome de Ralf, com o passar do tempo ele cresceu, era meu companheiro amigo de todas as horas. Mas Ralf tinha um espírito tão curioso quanto o meu, eu morava do lado de uma estrada onde passavam muitos caminhões e o Ralf sempre fugia e ia se aventurar na estrada. Tinha medo de que um dia ele fugisse e algum caminhão pudesse atropelá - lo e por mais que tentássemos prendê - lo, uma hora ele sempre conseguia escapar, então resolvi dar ao Ralf um novo lar, minha madrinha gostava muito dele, ele se tornou um companheiro pra ela, Ralf ganhou um novo nome, Titico, mas as vees eu chamava ele de Ralf e ele ainda lembrava nunca me esqueceu, sempre ia na minha madrinha e ele vinha todo feliz me encontrar, ele foi envelhecendo era um cachorro com manias e muito esperto. Ralf não gostava de ficar sozinho, mas minha tia ia trabalhar, ele tinha a companhia de uma outra cachorrinha que minha madrinha adotou a Bolinha, mas ele gostava mesmo é de ficar junto das pessoas, principalmente da minha madrinha. Um dia ela voltou do trabalho, chamou ele: Titico??!!! Quando ela foi vê - lo, ele estava morto. Talvez morreu de velhice, estava mesmo muito velhinho, mas eu acho mesmo que foi a saudade que o levou.

Aline Cristina de Andrade

Os caminhos são longos, as trilhas perigosas e emocionantes. É preciso deixar a vida nos alagar com suas dores, pois ela mesma vai se encarregar de limpar as cicatrizes. E quanto mais nos acharmos injustiçados e menos esperarmos, a vida vai fazer o inusitado. E é nesse momento que pessoas anjos cruzarão nossos caminhos para andar junto conosco por um aceitável tempo, despertando mais uma vez sorrisos, o prazer e a alegria.

Jhennifer Cavassola