Textos em Homenagem às Mães

Cerca de 1697 textos em Homenagem às Mães

Já faz um tempo que minha mãe e minha MÃE...durante esse tempo muita coisa aconteceu nem sei quantas x eu apanhei e nem me lembro de quantas bronca ela me deu .. Mais em fim agradeço por cada uma delas foi isto e mais todo o mundo que ela teve que carregar para mim hoje estar aqui ...
Mãe so temos uma so amamos uma d verdade so saímos de um ventre então valorize a mãe que tem pode ser a BRAVA , a CHATA , A CAUTELOSA...A CIUMENTA não importa que tipo e a sua mãe ela tem o maior carinho por nos filhos que muitas das x as desapontamos a deixamos magoadas Né mais agradeça todas as x que puder porque um dia como tudo na vida elas vão nos deixar ..e triste mais temos que fazer o momento feliz mais forte do que o triste elas merecem muito e não damos metade.....
Tenho um herói: Minha Mãe!
Tenho uma meta : Deixar ela sempre com orgulho.
Tenho um desejo: Ter ela sempre do meu lado ..
Nada supera a sabedoria de uma Mãe ,o amor de uma MÃE .

samukys

Ó, minha mãe, escuta a voz do meu coração e vem em meu socorro. Acode-me em meu pesar, minha mãe, porque estou muito amargurado. A angústia da dor que arde em meu
peito faz de mim um ser errante e desolado, cambaleando no submundo em busca de algum vestígio de calor humano.

Não desejo muito, nem mesmo palavras de consolo, pois bem sei que a serenidade de teu olhar é o suficiente para apascentar e abrandar meus padeceres e quaisquer
aflições de meu espírito quebrantado e derrotado.

Teu olhar silencioso diz-me tudo que quero e preciso ouvir.


Ó, minha mãe, sequestra-me deste mundo real tão complexo. Devolve-me a inocência da infância, ou mesmo a pré-infância, onde estarei em completa abstinência de todos os sentidos e racionalidade que fazem do homem um ser inteligente, porém tão incompreensível e estúpido.



Ah, minha mãe, nada como a metáfora dos sonhos, da realidade não real. Da dor que pulsa sem doer. Da inexistente existência, quando ainda nos encontramos no universo uterino, a salvo das intempéries e das decepções da vida real onde seremos inseridos inevitavelmente em meio a turbilhões de emoções e sensações.

Da doce realidade aos sonhos amargos.



O tempo, de aspecto catastrófico e diluvial, clareia e assume ares de primavera antecipada.

Oh, sinto o odor das flores! Minha mão pode até tocar o Infinito. O mar tenebroso, negro como a morte e em fúria tempestuosa, acalma-se com um sopro celestial, enquanto o vento revolto transforma-se em doce e agradável brisa oriental, sussurrando palavras de amor, paz e delírios etéreos sob o torpor da aurora boreal. Já não há mais o vazio do nada, o escuro calamitoso.

Oh, minha mãe, tua compreensão era o que acentuava a minha calma e acalentava o meu espírito perdido e sempre tão carente de um afago verdadeiro e sincero.


Revigoro-me em teus ensinamentos, nas tuas memórias eternas, que não estão sob o tempo, mas sobre ele. Sou fruto de teus ensinamentos (de tua justiça imparcial,
de tua transparência moral; de teu caráter verdadeiro e de teus conselhos justos, sempre em prol do bem, assim como em tua repulsa pelo mal).

Lá, teus mimos me enalteciam em inocente soberba. Teus beijos maternais anestesiavam minhas dores fingidas, sempre carentes de atenção e carinho.
Hoje, minha fé, oriunda de tua fé, reacende em meu coração a esperança por um mundo melhor.

Lembrando de teu sorriso pacato e discreto, sinto aplacar minha fúria de homem, sempre obstinado pela destruição. Minha compaixão, oriunda de tua compaixão, é o que apascenta minha desventurada saga humana na busca pela felicidade. Minha paz, originária de tua paz, é o que me faz esquecer as tragédias da vida, e perdoar aqueles que afrontam-me continuamente, noite e dia, buscando o meu mal, tentando provocar minha ira, numa vã tentativa de tirar minha razão através de uma reação brusca e irracional. Mas isso está fora de cogitação, sou um ser de caráter perene, imutável. Sou herdeiro da paz que emanava continuamente de teu olhar profundo e sofrido, minha mãe. E como ti, sofrido também sou. Sofrido por querer um mundo melhor, de pessoas justas e iguais, desprovidas do senso de superioridade ou inferioridade que corrompe os homens, ou da arrogância que nos conduz para as beiradas dos precipícios celestes, afastados dos santos caminhos de Deus, onde impera a justiça e a humildade.

O relativo é tão subjetivo. O subjetivo é tão pouco objetivo, e ao mesmo tempo o objetivo me parece algo tão imperativo, enquanto o relativo é tão frágil.


Quantas dúvidas e questões permeiam a mente de alguém que está perdido em seu interior, numa deseseprada procura por um atalho que o liberte de seu próprio
labirinto existencial. Me sinto tão perdido. Não consigo me encontrar dentro do espaço-tempo.

Às vezes, nem sei quem sou, e me pego dizendo coisas que não penso, ou pensando coisas que nunca farei ou direi. Quem sou eu? Quem era eu? Onde estou, no passado ou no futuro? Existo de fato, ou sou uma mera alucinação cosmológica?







Absorvido por minhas próprias absorções complexas e estranhas, sou um ser estranho que não se reconhece. Ao espelho, sou pouco ou nada mais que uma alegoria, um enfeite qualquer sobre uma máscara de carne e osso, algo palpável, porém intransponível e inodoro, insípido, incolor, triste e amargo. E ao mesmo tempo, nada mais que um inofensivo reflexo de uma sombra confusa e inócua. Sem muita significância, pouco marcante e nenhum pouco destinada a marcar um ponto na História. Superestimado ou subestimado? Não sei dizer. Só sei que nada sei sobre mim mesmo. Pergunto-me, mas não obtenho nenhuma resposta, só um vazio tímido e sem qualquer argumentação.

Sou uma mente estranha que estranhamente tenta se adaptar a um estranho corpo, qual um corpo estranho invasor em busca de sua identidade numa existência confusa e aparentemente sem nenhum sentido e sentido nenhum.

Ontem eu era só um garoto cheio de convicções e nenhum temor dos imprevistos que sobrevém aos viventes. Hoje, sou um ser arredio, temeroso e inseguro. Como pode ser isso? Como se dá tamanho fator inesperado?

Ó, minha mãe, Procuro imitar-te, pois no teu saber cheio de bondade, sempre buscavas enxergar nos outros o que a maioria ignora: angústia, desalento, desesperança, carência, abandono, aflição, tristeza, solidão, fome (ah! A fome)... A maior dentre todas as dores. Mais cortante que o aço que
consome a vida e dilacera a carne; mais inebriante e blasfema que o absinto; mais infame e asfixiante que o próprio veneno; mais penetrante que o desespero do amor não correspondido. Mais mortal que a desilusão de uma paixão; mais triste que a solidão.

Fome, a dor que leva o santo ao crime e o pai à perdição.

Por detrás das grades, em todos os cantos do mundo, vejo rostos condenados ao limbo. Vítimas da fome que sucumbiram ao crime. Porque a fome, minha mãe,
transforma e destransforma o ser humano. A fome destrói, desumaniza e insensibiliza o coração dos homens. Ela transforma o que era no que não é mais. A fome suprime e humilha a dignidade do ser humano, tirando-lhe o que ainda resta de auto-estima e sufocando qualquer resquício de humanidade.

Vejo uma mãe viúva que pranteia em oculto silêncio, na intimidade inviolável de seu quarto escuro. Seu choro, minha mãe, inevitavelmente me conduz a uma pergunta áspera e revoltada: Qual o pai que não daria a própria vida para salvar a vida de seu filho? Que pai dá ao filho uma serpente enquanto o mesmo, faminto, implora por um pedaço de pão? Que homem não empresta sua última respiração ao filho desesperado a resfolegar por ar? Que homem não morre por dentro, minha mãe, vendo seu filho perecer sob o abraço cruel da fome?

O guerreiro tomba na batalha, o ser humano se ajoelha diante do amor, o amor se desvanece diante do ciume, e a vida cambaleia diante da morte.



Nyll Mergello X Nyll Mergello (2016)


Oh, minha mãe, tu sentias a dor do semelhante como se fosse tua própria dor. Choravas por aqueles que nem conseguiam mais chorar, calejados e amargurados
pelo peso da vida.

Até segurastes nos braços a jovem mulher alvejada pelo próprio marido crivado pela doença do ciume, e vistes a vida sucumbir em teu colo.

Quão lamentável aquele jovem que se foi prematuramente sem ao menos ter vivido plenamente a dádiva da vida. Tantos são os que se vão precocemente, muitos desses, por não ter recebido em tempo um lugar ao sol. Como entender o garoto de apenas dezesseis anos que se foi? Como aceitar a morte de alguém que ainda nem começou a viver?

Oh, minha mãe, morro por dentro quando encontro um irmão abandonado na sarjeta, sem forças para erguer-se do pó. E é tão fácil ficarmos condoídos e comiserados com o miserê à nossa volta. Mas não basta ter pena, e no entanto, como salvar o mundo? Mas se cada um de nós fizermos nossa parte, segundo tudo que me ensinastes, minha mãe, isto já não seria um pequeno passo para mudar o mundo? Não é de grão em grão que a galinha enche o papo? Da mesma forma, uma pessoa é o suficiente para incentivar outras nove pessoas, e outras nove pessoas seriam suficientes para alavancar a humanidade de outras nove pessoas, e assim por diante.

Mas as pessoas estão por demais preocupadas com seus próprios problemas. E ninguém está nem aí para as crianças jogadas nas calçadas da vida, em meio aos zumbis que infestam as cracolândias, contaminando as cidades e denunciando a falta de amor e o repúdio da sociedade hipócrita e desumanizada pelo materialismo.

Tive um sonho, coisa mais esquisita de se compreender e decifrar. Um caboclo desolado, magro e torrado de sol, a face cavérica voltada para o solo. Mãos nos
bolsos... Regressava ao lar após mais um dia de inútil procura, uma ocupação qualquer - qualquer coisa que viesse acrescentar um pingo de dignidade à sua
posição de pai de família dedicado e sempre presente. Era homem batalhador que não tinha medo de tempestades, sol causticante, suor ou calo nas mãos indiferentes. Mas sob a crise, se sentia tão impotente e indefeso como uma criança a dar seus primeiros passos.

Antes mesmo de chegar em casa, sua esposa, ansiosa, veio ao seu encontro.
- E aí, homem, tu conseguiu alguma coisa?
A voz embargada não quis sair, e um fio de lágrimas seguido por um silêncio que continha todos os argumentos do mundo, foi a resposta.
- Não há por que se desesperar, viu? Deus há de nos ajudar.
A esposa o abraçou, carinhosa e compreensiva, pois conhecia bem o seu homem. Sabia que não era macho de se entregar facilmente e de se fazer de coitado ou vítima da
vida. (Quando um macho chora, é porque a dor é profunda demais para se suportar.)
Não poderia haver no mundo homem mais trabalhador, direito e honesto.
- Venha, vamos pra dentro. Cada dia com suas próprias preocupações. Por hoje já deu.
Ao ver o pai, os filhos correram felizes para abraçá-lo ternamente. Mas o caboclo, antes mesmo de pisar o primeiro batente da porta, parou e lentamente dirigiu o
olhar rumo ao céu crepuscular. Pude ouvir seus pensamentos a conversar com Deus. "Pelo pouco que o senhor me deu, muito obrigado, meu pai. Por mais um dia, obrigado também. Pela maravilhosa família que o senhor meu deu como dádiva, eu não tenho palavras para agradecer. Amanhã será um novo dia, e a esperança não morre jamais. Minha fé está depositada em ti, Senhor. E em ti, sei que meu padecimento uma hora chegará ao fim."

E assim ele adentrou a casa para junto de sua adorada família.

Ó, minha mãe, apercebe-te do silêncio das madrugadas? Cada lar é um pequeno mundo, uma minúscula sociedade à parte, com suas regras e costumes.

Ah, as madrugadas... Testemunhas fiéis e incontestáveis de gritos abafados, pedidos de socorro sufocados, incestos eternizados pelo trauma, no seio familiar, lugar que deveria ser seguro, abrigo inviolável. Mas que em muitíssimos casos, não é bem assim. O perigo mora dentro de casa, e as vítimas são aqueles sob sua proteção.

Ah, as madrugadas. Testemunhas verdadeiras e sinceras de sofrimentos desesperados e de orações infrutíferas a clamar por um milagre. Mas milagres são milagres, e não acontecem facilmente, exceto em casos muito especiais, e estes não são bem o caso.

Ah, as madrugas. Corações espremem-se de medo, em meio a gemidos de dor que nunca serão ouvidos pelos meros mortais, e nem julgados pela frágil justiça dos homens.

Vejo lágrimas nunca percebidas, disfarçadas sob uma cortina negra a balançar em mentes e corações abatidos. Nunca percebidas pelos meros homens mortais.

Mas, ouça, minha mãe, eles estão lá. Os anjos vigilantes, sempre atentos e incorruptíveis. Estás ouvindo, minha mãe? Escuta! Há sons de vida lá fora: pássaros cantando, chuva, cheiro de terra molhada, crianças a correr para lá e para cá, alvoroçadas pela felicidade de ser crianças...

Estás ouvindo? Não consegues ouvir o canto dos anjos? Mas eles estão presentes, sempre. Sente a pele arrepiando, os pelos ficando eriçados, o frio na espinha?
Então? É a presença deles, sempre curiosos de contemplar nossas fragilidades, desventuras, frustrações e encantos.

Somos humanos, e o que nos é feio, é para eles algo muito belo, pois são desprovidos de nossas tristezas e dissabores. E em sua imortal existência, admiram
até mesmo nossa morredoura passagem relâmpago por este vale encantado de alegrias, tristezas e lágrimas chamado vida. Tentam compreender nossa humanidade, mas não a entendem em sua plenitude e beleza. Nosso conceber, nascer, crescer, envelhecer e morrer lhes é algo extremamente belo e incompreensível. O que nos é algo muito aflitivo, é para eles como um sonho, enigmático e além de seu angélico e ilimitado entendimento. Nossa imperfeição os inebria, enlevando-os a um estado de êxtase que nunca conseguiríamos assimilar se viéssemos a aceitar sua existência além de nossa mera existência.

Oh, minha mãe, sinto a tragédia no futuro daquele garoto. Jogado às ruas e entregue aos vícios imundos que assolam as metrópoles e enlutam a mãe-pátria, com a morte precoce de seu futuro. Para muitos a morte vem como um alívio, uma paz sonhada, o fim da dor, um novo nascer. Talvez um renascer.

Mas a morte de um jovem, minha mãe, não é um novo nascer. É o fim lamentável de lindos sonhos que sequer chegaram a ser sonhados. Ah! Quanto talento jogado fora! Quanto desperdício de vida! Quanta dor!

Divago nos gritinhos alegres das crianças que brincam em meio à chuva que cai. De repente, minha mãe, algo me diz lá no interior do meu coração:
"Nem tudo está perdido".

É, minha mãe, enquanto existir a inocência de uma criança, suja de chão, a brincar sob uma chuva de verão e sem as regras e intolerância que permeiam e limitam a
felicidade dos homens, haverá sempre um pinguinho de esperança por um novo amanhã. Por um mundo melhor, menos injusto e mais igual para todos.

Quanto a ti, minha mãe, estás em segurança na memória justa e imparcial de Deus. Um dia, quem sabe, ainda nos veremos? Teu filho caçula também está sob os mesmos cuidados, sabia? Quem sabe um dia, hêin? Todos nós, juntos novamente... É. Quem sabe?

Mas por hora, descansa, minha mãe. Descansa. Dorme. Dorme em paz. E aguarda a tua recompensa, a tua sorte. Deus é justo, e em sua mente, nenhum justo jamais será esquecido. No tempo certo, tudo vai dar certo. Por isso, minha mãe, durma. Durma. Apenas durma. E aguarde. O tempo de Deus é diferente do tempo dos homens, assim como sua justiça é imune a falhas. Dorme. Dorme...


08/05/2016 (03;36 da manhã - Dia da s mães [em junho, 20 anos do falecimento de minha mãe, D. Maria do Socorro da Silva]).

Nyll Mergello

Minha mãe...
A senhora representa em minha vida o sol se eu fosse o planeta terra, pois é graças a ele que temos vida, existem trilhões e trilhões de planetas, mas se eles não possuem um sol que os aqueça na medida certa lá não existirá vida, e a senhora é o meu sol na medida certa, por isso tenho vida, Te amo!

Alexandre Magno Coelho

Mãe

Crepúsculo em chamas, o jardim enflorado,
Estrelas cintilantes, a chuva docilmente...
Tudo isto é belo, mãe,
Mas me entristeço sem a tua presença.

Teus versos tão lindos, declamavas feliz.
E, eu a ouvir, minha alma cantava, rejubilante
por ter você ainda por perto...

Teus hinos triunfantes, sorrisos esperançosos...
Nada mais te importava, só as coisas do Rei...
Oh mãe de vestes em glória, aguardas o arrebatamento.

Mas... que crepúsculo, que estrelas, que jardim,
será tão belo quanto o teu olhar,
O teu afago em mim, deitado no teu colo?

Franqueaste a porta da saudade,
Deixaste uma brecha que não se preenche jamais,
Assim, aguardamos o encontro, um dia na glória!

Romilda Gomes

Pessoa normal: amor de mãe é o maior do universo.
Biólogo Evolutivo: com um investimento parental enorme do óvulo a gestação, amamentação e criação, não é de se espantar que a seleção natural tenha configurado laços bioquímicos tão fortes, na forma de sentimentos, que auxiliassem no zelo pela prole.

Heury Ferr

Dia das mães
Belo dia, simbologia
Da força e da ternura
Da dedicação e bravura
Do querer o bem, não para si,
Mas para os seus
Do desapego do eu
Do projetar futuros imaginados belos
Do sonhar com doutores
E sucessos para os seus.
Mãe é vida que eterniza
Os lampejares da consciência
De quem mantém a crença
Nessa heroína, Mãe.

koppe

Hoje é dia das mães,
que hipocrisia e ingratidão,
dias das mães são todos os dias,
do inverno ao verão.
Mãe é o abecedário
e não me digam o contrário.
Amor.
Beleza.
Compaixão.
Dedicação.
Esforço.
Fascinante.
Gentileza.
Honestidade.
Integridade.
Jóia.
Linda.
Nostalgia.
Maravilhosa.
Obstinada.
Poderosa.
Querida.
Rainha.
Sorriso.
Ternura.
Única.
Valente.
Xodó.
Zelosa.
Eu insisto, não falamos mais nisso, mãe é caprichosa, nasceu a mistura de verso e prosa!

Sergio Fornasari

Dia das Mães Sem Mãe...adoro ver meus amigos publicando mensagens e fotos para e com suas mamães nas redes sociais, adoro ver no bairro onde moro a movimentação de carros e pessoas para um almoço carinhoso com as mães, essas que verdadeiramente foram e são mães...quando penso no significado dessa palavra, penso em cuidado, carinho, proteção, companheirismo, amizade, cumplicidade, acho que devem ser todos esses sentimentos que as pessoas sentem ou deveriam sentir ao lembrarem de suas mães...mas, também penso em quem não teve mãe, não de quem a perdeu por circunstâncias normais da vida, mas de quem só teve mãe mesmo na certidão de nascimento, como eu (que por opção menos danosa, resolvi rejeitar a minha depois de muitas rejeições)...será que há muitas pessoas nessa situação? Que complicado pensar como filho (a) sobre isso? As pessoas entendem esse sentimento vazio ou acreditam que com uma análise, espiritualidade tudo se resolveria? Às vezes me sinto um pouco E.T. no meio de tantas pessoas comuns, digo comuns no sentido positivo...rs...Ser mãe me completou muito, é verdade, mas quando penso nas vezes que precisei de colo, compartilhar segredos, angústias e até vitórias, nos momentos difíceis que passei sem ter uma palavra de conforto, uma força que só as mães podem dar, o vazio continuava, pois ser mãe completamente me parece ser uma via de mão dupla, você recebe de sua mãe e dá aos seus filhos, não???? Como aprender dar afeto de mãe se nunca recebeu? Ah, mas tem muitas mães que aparecem em nossas vidas sim, a avó, a mãe de uma grande amiga, a sogra, até a irmã mais velha, no meu caso a minha irmã gêmea (1 minuto) mais velha que também fizeram com excelência esse papel, e foi de grande significado em muitos momentos, mas ainda faltava algo, alguém, e o vazio parece que continua.
Nessa hora é que abraçar minhas filhas me faz sentir uma pessoa melhor. Ter a certeza de que ser mãe completa no meu caso é apenas uma via de mão única, é poder usufruir de tudo que elas possam me dar com muito mais gratidão e amor! Graças a Deus pela oportunidade! Desculpem pelo desabafo, mas essa foi a única mensagem de Dias das Mães que consegui compartilhar...Desejo a todos os amigos com mãe ou sem mãe um Feliz Dia seja ele comemorado da forma que for.

Verônica Trevisan

DIA DAS MÃES

E se hoje eu amo a vida,
Foi porque você me deu a minha.
Se na Terra alguém é majestade,
É você, minha rainha.

Se tudo que tenho e sou,
Deus e você me fizeram possível.
Não há automotor que gire,
Se não houver combustível
Foi a sua ótica que me capacitou
Para eu fazer o impossível.

Na escola da vida, és consciência
Em ser o primeiro livro lido para o filho.
Na biblioteca és o ultimo a ser posto de lado,
Aquele que clareia os empecilhos.

E tu me fizeste homem...
E preferi ser homem assim.
Tentar ser o homem que tu queres com todo empenho
Mas mantenho um pouco de feminino em mim
É pra conservar a necessidade que tenho
De te mãe, até depois do fim mim.

Amaria meu primeiro amor sem comparação
Amaria a mulher que tivesse como ninguém!
Mas te amaria e te daria meu amor por muito mais tempo
Como nenhuma outra pessoa tem.

Por que me amou pequeno, até crescer.
Me fez viver, e acreditou em mim.
Na enfermidade, me esperou curar,
Na ausência, preferiu esperar minha volta até o fim
Amar desse tamanho, nada pra mim é estranho
Só mãe ama assim

E você está mim e eu em você
Ninguém te tira dos mundos meus
Eu costumo dizer, na Terra só você
É representante legal de Deus!

E mesmo em choro você sorria.
Secou minhas lágrimas, e não abalava a alegria.
De tudo o que fiz de bom, pus um pouco de te para adoçar.
O mais doce nome que chamo: “NEGA minha”
Mulher que amo. Minha deusa, minha rainha.
Suas lágrimas que doem sou eu que seco. Sou eu quem vai te vigiar.

Wilian Neri

Todas as mães!
Nesse domingo materno
Queria desejar a todas elas
Um Feliz Dia das Mães!
E na figura delas,
À Mãe Natureza, que nos provém, nos alimenta, nos cura e nos alerta, pedindo clemência!
À Pátria Mãe, mãe gentil, nosso chão, nossa vida, que pede justiça, paz, e respeito!
À Vida Mãe, espaço de tempo entre a concepção e a morte, que pede atenção e prudência!
Temos tanto em comum...
Menos egoísmo!
Mais zelo e carinho com elas!

Márcia Signor Rodrigues - 2016

Poema em homenagem ao dia das mães

Defeito de mãe
Mãe, tenho algo a lhe dizer
Como um anjo lindo você
Você veio me aparecer

Me deu amor, carinho
E cuidou de mim direitinho.

Viva sua vida alegremente,
As lembranças vivem na mente,
Mas você vai ficar no meu coração
Eternamente.

Um único defeito,
Que me entristece plenamente,
Deus não te fez eterna,
Mas será sempre eterna no meu coração,
E na minha mente...

Samara Pereira dos Santos

HOMENAGEM AO DIA DAS MÃES

Ser Mãe...
A mais divina das dádivas que uma Mulher
poderia receber do ser supremo...
Somos tão Frágeis! mas ao mesmo tempo tão Fortes!
Somos capazes de fazer qualquer coisa
para defender nossas crias.
Sofremos por eles e sorrimos ao vê-los sorrir.
Mãe, palavra tão pequena mas
com um significado tão grande.
Parabéns a todas as Mamães
Parabéns a todas, mesmo que as suas mães
não estejam presentes fisicamente,
como a minha não está mais
O que mais conta é a presença que fica
em nossos corações.
PARABÉNS PELO NOSSO DIA!

Kamille Wolf

Poema em Homenagem do dia das mães

Mãe a nossa história é longa
Mas eu resumi em simples versos.
Coisas que eu poderia dizer em uma extensa e longa carta
Resumi em pequenos versos.

Rosas são vermelhas
Violetas são azuis
Mãe quando você nasceu
Acendeu uma luz.
Batalhas e batalhas
Você irá vencer
Quero envelhecer e encerrá-las com você!

Se um dia estiver triste lembre-se
Que estarei feliz pelo simples
Fato de você existir.

Mãe a flor de meu jardim
Mãe a flor da minha via
Vou-lhe regar todo dia
Para que não lhe falte alegria.

Stephanie Sandra dos Santos Carneiro

TODOS OS DIAS, DIA DAS MÃES

Mãe, bastante sofrida
Mãe, que lição de vida
Que belo presente Deus me deu
Honro a sorte de ser filho teu
Querida mãe, que felicidade
Teu coração é uma cidade
Como não ser contigo feliz
Voce é a mãe que eu sempre quis
Se acaso eu ando errado
Você me mostra o caminho
Está sempre ao meu lado
Seus conselhos são Divinos
Mãe, neste sagrado dia
Como é bom poder beijar
À quem me trouxe à vida
À quem o Amor Maior me dá
O caminho que vai, volta
Mais uma lição que Deus nos dá
És, agora, minha filha
É a minha vez de te cuidar
Parabéns, minha mãezinha!
Parabéns pelo seu Dia!
És, do mundo, a melhor Mãe
Não só hoje, todos os dias
Já cansaste de ouvir
Mas não canso de dizer:
Com carinho e gratidão.

Neylor Magalhães

Dia das Mães

Mãe! É aquela pessoa que me faz feliz!
Mesmo que me dê broncas, me faz sorrir!
Seja de sangue ou não, está no meu coração!
Corro para seus braços quando preciso de ajuda!
Nos momentos difíceis é minha amiga e me escuta!
Seja ruiva ou morena, dê muito carinho ou não...
Mãezinha querida eu te amo de montão!
Para todas mães do mundo!
Nós te amamos muito!
Feliz dia das mães todos os dias!

Giovana de Carvalho Florencio

Dueto Dia das Mães

O porquê das Mães?
Por que Deus permite que as mães vão embora?
Mãe não tem limite, mãe não tem hora.
Por que minha mãe não tem coroa?
Rainha verdadeira não precisa disso.
Por que Deus se lembra de levá-la um dia?
Porque sabe que seus filhos estão em boa companhia.
Se um dia o sol parar de brilhar,
E o sol nunca mais aparecer é sinal que consegui te esquecer
Mas se isso não acontecer é sinal que ainda amo você.

Carlos Erineu Rakowski Neto e Vinicius Moreira De Andrade

DIA DAS MÃES

Me recuso a postar uma foto de minha mãe, me recuso a concordar que apenas hoje seja o dia que devo fazer isso por ela, me recuso a ser capacho de um sistema que me dita o que fazer, me recuso a engolir o que me empurram garganta abaixo. Minha Mãe não tem um dia, ela tem uma vida, tem uma história, tem uma saga e não será com presentes embrulhados em papel brilhante e amarrados em fitinhas coloridas que eu irei demostrar a ela o que sinto. Prefiro mostrar a ela que a vida que ela me propiciou é usada com dignidade, assim como foi a dela. Exemplo do que foi a sua.

Janicelio

Domingo é dia das mães. Não espere o domingo para amar sua mãe ou presenteá-la. Ame-a todos os dias, com todas as forças do seu coração. Faça mimos, demonstre seu amor, abrace, beije, ame, ame e ame de novo e de novo!
Um dia, segundo a lei da vida, Deus irá chamá-la para morar com ele e aí você não terá mais a sua mãe para abraçar, beijar, amar, levar broncas. Então, fique livre de remorsos e d'aquela frase "EU PODERIA TER FEITO MAIS", faça hoje, ame hoje e, quando ela se for, terá apenas a certeza de que a amou enquanto existiu e que um ser tão iluminado, um anjo de Deus, deixa apenas a saudade de uma linda história de amor. Assim é vida quando segue seu curso normal...

Helenice Augusta da Cunha

Feliz dia das mães!
Valorize sua mãe, ame ela, abrace, beije ela, e diga sempre o quanto você a ama, pois mãe é única, seu amor é verdadeiro, e por onde você for ela vai sempre pensar em você, por mais que você cresça ela quer sempre te proteger, pois você será sempre o pequeno (a) dela!
Amor de mãe temos que saber dar valor pois ela passa por muitas dificuldades para te ver crescer e então te ver Feliz!
Então simplesmente digo: Te Amo Mãe!

Tarcísio Custódio

Poema do dia das mães

Preciso de você mãe!
Mãe sei que ser mãe é difícil
Cuidar, dar carinho, dar todo o amor do mundo

Ver agente crescer, estudar, trabalhando e ver
que o seu tempo não foi em vão
E sentir orgulho por isso eu te amo
porque você sempre vai estar no
meu coração. Te amo muito!

Nicole Oliveira