Textos de Voltaire

Cerca de 6 textos de Voltaire

Um Homem grosseiro é facilmente reconhecido:
Não raciocina, portanto não duvida de nada,
Não nega, portanto não crê. Cultiva hábitos há muito nele arraigados e nada aceita, medroso, além daquilo que sejam as conveniências do que vai até a porta da frente da sua casa.
Não testemunha o seu tempo: Vive no tempo do que um dia conquistou; não deixa que ninguém o conheça, posto precisar defender-se com frequência e, dessa forma, fica livre para ofender os outros.
Um Homem rude é aquele que aprende com o que lê, mas prefere não aplicar o que a teoria lhe ensinou, medroso, nada aceita do mundo presente, porque julga que já traçara seu destino e o inesperado não lhe interessa memsmo que seja a sua própria felicidade.
Mas um homem infeliz é aquele que desconhecendo os caminhos da existência e as possibilidades que neles se escondem, julga que nada precisa mudar e que tudo está certo como está.
Feliz é o homem, certamente, que apesar de todas as adversidades, cruza sem medo a via do destino, toma na mão as rédias de sua própria vida, conduz o carro dos seus dias para onde seu coração e a sua inteligência lhe indicar.

Voltaire

Que ingenuidade, que pobreza de espírito, dizer que os animais são máquinas privadas de conhecimento e sentimento, que procedem sempre da mesma maneira, que nada aprendem, nada aperfeiçoam! Será porque falo que julgas que tenho sentimento, memória, idéias? Pois bem, calo-me. Vês-me entrar em casa aflito, procurar um papel com inquietude, abrir a escrivaninha, onde me lembra tê-lo guardado, encontrá-lo, lê-lo com alegria. Percebes que experimentei os sentimentos de aflição e prazer, que tenho memória e conhecimento.Vê com os mesmos olhos esse cão que perdeu o amo e procura-o por toda parte com ganidos dolorosos, entra em casa agitado, inquieto, desce e sobe e vai de aposento em aposento e enfim encontra no gabinete o ente amado, a quem manifesta sua alegria pela ternura dos ladridos, com saltos e carícias.Bárbaros agarram esse cão, que tão prodigiosamente vence o homem em amizade, pregam-no em cima de uma mesa e dissecam-no vivo para mostrarem-te suas veias mesentéricas. Descobres nele todos os mesmos órgãos de sentimentos de que te gabas. Responde-me maquinista, teria a natureza entrosado nesse animal todos os órgãos do sentimento sem objectivo algum? Terá nervos para ser insensível? Não inquines à natureza tão impertinente contradição.

Voltaire

Que ingenuidade, que pobreza de espírito, dizer que os animais são máquinas privadas de conhecimento e sentimento, que procedem sempre da mesma maneira, que nada aprendem, nada aperfeiçoam! (...) Bárbaros agarram esse cão que tão prodigiosamente vence o homem em amizade, pregam-no em cima de uma mesa e dissecam-no vivo para mostrarem-te suas veias mesentéricas. Descobres nele todos os mesmos órgãos de sentimentos de que te gabas. Responde-me maquinista, teria a natureza entrosado nesse animal todos os órgãos do sentimento sem objetivo algum? Terá nervos para ser insensível? Não inquires à natureza tão impertinente contradição.

Voltaire

Devemos julgar um homem mais pelas suas perguntas que pelas respostas.

É mais claro que o sol, que Deus criou a mulher para domar o homem.

Deus me defende dos amigos, que dos inimigos me defendo eu.


Se Deus não existisse, seria preciso inventá-lo.


Os homens erram, os grandes homens confessam que erraram.


Uma coletânea de pensamentos é uma farmácia moral onde se encontram remédios para todos os males.


Encontra-se oportunidade para fazer o mal cem vezes por dia e para fazer o bem uma vez por ano.

Os infinitamente pequenos têm um orgulho infinitamente grande.

Todo o homem é culpado do bem que não fez.



O orgulho dos pequenos consiste em falar sempre de si próprios; o dos grandes em nunca falar de si.


A esperança é um alimento da nossa alma, ao qual se mistura sempre o veneno do medo.


Uma discussão prolongada significa que ambas as partes estão erradas.

Todas as riquezas do mundo não valem um bom amigo.


A leitura engrandece a alma.


Como é duro odiar os que se gostaria de amar.


O melhor governo é aquele em que há o menor número de homens inúteis.

O estudo da metafísica consiste em procurar, num quarto escuro, um gato preto que não está lá.


Deus é um comediante a atuar para uma plateia assustada de mais para rir.


É melhor correr o risco de salvar um homem culpado do que condenar um inocente.

O mais competente não discute, domina a sua ciência e cala-se.


Ama a verdade, mas perdoa o erro.


O trabalho poupa-nos de três grandes males: tédio, vício e necessidade.


Aprender várias línguas é questão de um ou dois anos; ser eloquente na sua própria exige a metade de uma vida.

Voltaire idéias

A pintura é poesia sem palavras.
Voltaire
Os espelhos são usados para ver o rosto; a arte para ver a alma.
George Bernard Shaw
Não existe meio mais seguro para fugir do mundo do que a arte, e não há forma mais segura de se unir a ele do que a arte.
Johann Goethe
A lei suprema da arte é a representação do belo.
Leonardo da Vinci
A arte é um resumo da natureza feito pela imaginação.
Eça de Queiroz
O objetivo mais alto do artista consiste em exprimir na fisionomia e nos movimentos do corpo as paixões da alma.
Leonardo da Vinci
É na arte que o homem se ultrapassa definitivamente.
Simone de Beauvoir
A arte é um dos meios que une os homens.
Leon Tolstoi

Voltaire

A Liberdade dos Que Odeiam a Deus

Voltaire, de tanto que odiava a religião, especialmente pelo seu caráter de impor limites ao homem quanto à prática do que é definido na Bíblia como pecado, proclamou, juntamente com muitos outros de igual pensamento, uma liberdade, que viria a fazer parte do slogan de liberdade, igualdade e fraternidade da Revolução Francesa.
Nenhum Deus, nenhuma restrição... o homem é soberano, é livre para fazer o que quiser. Deve dar plenas asas ao exercício da sua vontade, sem se preocupar com qualquer tipo de juízo divino sobre seus pensamentos, palavras e ações.
Hoje em dia, o que temos visto na maior parte das sociedades em todo o mundo, é um retorno a esta forma de pensar dos iluministas, e não é de se admirar porque muito do que tem sido ditado como forma de comportamento é protagonizado pelos modernos illuminatis.
Agora. Há algo de novo nisto, mesmo quando foi defendido pelos primeiros iluministas a partir de meados do século XVIII?
Obviamente que não!
Isto foi proposto no céu por aquele que viria a se transformar em Satanás, o diabo, no que foi seguido por muitos anjos que se transformaram em demônios.
Depois ele viria a oferecer esta libertação de Deus e de toda forma de virtude, para a prática de uma suposta liberdade para praticar tudo o que é pecaminoso, e por conseguinte reprovado por Deus e pelas Escrituras ao primeiro casal, quando este se encontrava no estado de inocência no Éden.
É daí que decorre o ódio daqueles que desprezam a Deus, ao Cristianismo, a Jesus e aos Seus mandamentos.
Porque enquanto vigorar na sociedade uma moral e costumes baseados na cultura judaico-cristã, eles não estarão plenamente à vontade para praticar aquela liberdade para pecar que Satanás e os demônios tanto apreciam, e cujo final é a morte espiritual eterna em razão do juízo de Deus sobre tal forma de viver.
Ele não nos deu a vida como um dom para ser gasto na contramão da Sua vontade e caráter.
Por isso todos terão que Lhe prestar contas do uso que fizeram da liberdade que receberam para pensar, falar e agir. Se para o bem ou para o mal. Se para a piedade ou para a impiedade. Se para a justiça ou para a injustiça. Se para o amor ou para o ódio. Se para a santidade ou para a iniquidade.

Silvio Dutra