Textos de Luto

Cerca de 115 textos de Luto

Deus costuma usar a solidão
Para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos
Compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio, quando quer
nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar
sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos
Compreender o valor do despertar.
Outras vezes usa a doença, quando quer
Nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo,
para nos ensinar a andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos
Compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer
Nos mostrar a importância da vida.

Paulo Coelho

Estremeço de prazer por entre a novidade de usar palavras que formam intenso matagal. Luto por conquistar mais profundamente a minha liberdade de sensações e pensamentos, sem nenhum sentido utilitário: sou sozinha, eu e minha liberdade.
É tamanha a liberdade que pode escandalizar um primitivo, mas sei que não te escandalizas com a plenitude que consigo e que é sem fronteiras perceptíveis.
Esta minha capacidade de viver o que é redondo e amplo - cerco-me por plantas carnívoras e animais legendários, tudo banhado pela tosca e esquerda luz de um sexo mítico.
Vou adiante de modo intuitivo e sem procurar uma idéia: sou orgânica. E não me indago sobre os meus motivos. Mergulho na quase dor de uma intensa alegria – e para me enfeitar nascem entre os meus cabelos folhas e ramagens.

Clarice Lispector

Estremeço de prazer por entre a novidade de usar palavras que formam intenso matagal. Luto por conquistar mais profundamente a minha liberdade de sensações e pensamentos, sem nenhum sentido utilitário: sou sozinha, eu e minha liberdade.
É tamanha a liberdade que pode escandalizar um primitivo, mas sei que não te escandalizas com a plenitude que consigo e que é sem fronteiras perceptíveis.
Esta minha capacidade de viver o que é redondo e amplo - cerco-me por plantas carnívoras e animais legendários, tudo banhado pela tosca e esquerda luz de um sexo mítico.
Vou adiante de modo intuitivo e sem procurar uma idéia: sou orgânica. E não me indago sobre os meus motivos. Mergulho na quase dor de uma intensa alegria – e para me enfeitar nascem entre os meus cabelos folhas e ramagens.

Clarice Lispector

A UMA PASSANTE

A rua, em torno, era ensurdecedora vaia.
Toda de luto, alta e sutil, dor majestosa,
Uma mulher passou, com sua mão vaidosa
Erguendo e balançando a barra alva da saia;

Pernas de estátua, era fidalga, ágil e fina.
Eu bebia, como um basbaque extravagante,
No tempestuoso céu do seu olhar distante,
A doçura que encanta e o prazer que assassina.

Brilho... e a noite depois! - Fugitiva beldade
De um olhar que me fez nascer segunda vez,
Não mais te hei de rever senão na eternidade?

Longe daqui! tarde demais! nunca talvez!
Pois não sabes de mim, não sei que fim levaste,
Tu que eu teria amado, ó tu que o adivinhaste!

Charles Baudelaire

"Os estágios da morte:

01)-Negação e Isolamento: "Isso não pode estar acontecendo."

02)-Cólera (Raiva): "Por que eu? Não é justo."

03)-Negociação: "Me deixe viver apenas até meus filhos crescerem."

04)-Depressão: "Estou tão triste. Por que me preocupar com qualquer coisa?"

05)-Aceitação: "Tudo vai acabar bem."

Elizabeth Kubler-Ross - Os Cinco Estágios do Luto

Eu quero saber quem inventou a dor
Eu quero saber quem inventou o luto
Eu quero saber se o mesmo não tinha gente
Gente que abraça, afaga, compartilha e brinca
Gente que protege, ama, se doa
Gente como a gente
Gente que nos fez gente
Eu só quero saber...
Quem foi essa gente que diz que sente?
Eu só quero saber, se vai existir o reencontro da minha gente em algum momento, isto meu bem, seria tangente.

Wana Karen Cristine B de Moraes

Aqui, na Terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.

Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza,
E também da pobreza, e da fome outra vez.
E pusemos em ti sei lá bem que desejo
De mais alto que nós, e melhor e mais puro.

No jornal, de olhos tensos, soletramos
As vertigens do espaço e maravilhas:
Oceanos salgados que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.

Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.

José Saramago - Os Poemas Possíveis

Luto deve ser algo que todos temos em comum, mas parece diferente em todos. Não é só pela morte que temos que sofrer. É pela vida. Pelas perdas. Pelas mudanças. E quando imaginamos porque algumas vezes é tão ruim, porque dói tanto... temos que nos lembrar que pode mudar instantaneamente. Quando dói tanto que não se pode respirar, é assim que você sobrevive. Lembrando-se que um dia, de alguma forma, impossivelmente, não se sentirá mais assim. Não vai doer tanto. O luto vem em seu próprio tempo para todos. À sua própria maneira. O melhor que podemos fazer, o melhor que qualquer um pode fazer, é tentar ser honesto. A parte ruim, a pior parte do luto, é que não se pode controlá-lo. O melhor que podemos fazer é tentar nos permitir senti-lo, quando ele vem. E deixar pra lá quando podemos. A pior parte é que no momento em que você acha que superou, começa tudo de novo. E sempre, toda vez, ele tira o seu fôlego. Há cinco estágios de luto. São diferentes em todos nós, mas sempre há cinco. Negação. Raiva. Barganha. Depressão. Aceitação.

Grey's Anatomy

Na vida nós temos muitas decepções, ficamos de luto e ficamos em festa, mas nós só temos certeza de uma coisa: Que um dia nós iremos embora desse mundo deixando coisas e pessoas para trás. Por isso e por outras coisas que vc nao deve desperdiçar as oportunidades e nem baixar a cabeça para as dificuldades porque só vc sabe o que vc passou todo esse tempo...

Junior Alves

Parece um sonho

Parece um sonho que ela tenha morrido!
diziam todos...Sua viva imagem,
tinha carne!... E ouvia-se, na aragem,
passar o frêmito do seu vestido...

E era como se ela houvesse partido
e logo fosse regressar de viagem...
- até que em nosso coração dorido
a Dor cravava o seu punhal selvagem!

Mas tua imagem, nosso amor, é agora
menos dos olhos, mais do coração.
Nossa saudade te sorri: não chora...

Mais perto estás de Deus, como um anjo querido.
E ao relembrar-te a gente diz, então:
Parece um sonho que ela tenha vivido!

Mario Quintana

A teoria nos ensina a viver o luto e até superá-lo, mas na prática tudo fica complicado e saudoso, sofremos, não há opções menos dolorosas, menos traumáticas, menos doídas, nos aprisionamos ao ente querido.
O caixão desceu, areias jogadas em cima, flores, aplausos, homenagens, cartas e desabafos, o melhor enterro fúnebre que posso pagar, mas não conseguimos deixar quem amamos partir.
As perdas são inevitáveis, é o destino certo de todo mundo, a ausência faz sofrer, fica um sentimento de vazio, uma sensação de perigo, os motivos não convencem e começamos a viver de lembranças boas, de apego ao passado, de dolorosas saudades, se já é difícil perder um jogo de tênis, dinheiro, celular, documentos, que dirá perder afetos, perder pessoas amadas, perder a triste experiência de não mais ter.
A morte é passagem, a morte é isso, a morte é aquilo, a morte está longe de ser conceituada, a ausência de vida, o amor que se foi, a esperança de cura que acabou, o luto traz força brotada de dentro, utilizamos a paciência, repousamos com choro e soluços, paralisamos a vontade de viver, a vida fica sem graça, o luto é obrigatório, mas ninguém nos ensinou, aprendemos na marra, deixamos de pertencer a vida do outro que se foi, ganhamos um anjo, uma estrela, um guia.
Luto = Lutar por recomeço

Arcise Câmara

Um vazio tão grande...
Que me parece mentira ser...
Essa dor que o tempo passa e ela me engana dizendo passar...
Ontem fechei meus olhos e por um pouco pensei ser mentira e lhe chamei...
Abri meus olhos e de novo os fechei,ai eu vi a realidade,fria e triste ,uma tristeza sem fim...
Vontade de gritar e sentir sua pele quente,seu sorriso vibrante...
POrque se cobrou tanto o ser " Perfeito?" Porque??
Jamais terei como explicar a dimensão da dor e do sofrer que sinto...
Ouço sua voz,lembro me do tom de sua voz naquele dia,sinto seu cheiro e muitas vezes prefiro mentir a mim mesma que estas a viajar..
Sapeca...Vc me faz falta demais!!

Você faz falta demais a nós!

MariahOl

R.I.P. Madiba!

O dia amanheceu em preto e branco
Luto por alguém que perseverou
Paz para aqueles que receberam
Da conquista a liberdade que raiou.

Não foi um amor qualquer que o inspirou
Não foi uma bandeira partidária
Amor tamanho não foi em qualquer lugar que encontrou
Ação muito mais que solidária.

Em luto as vozes se unem entristecidas
Cantam vivas ao Madiba que partiu.
Não mais choram almas empobrecidas
Agora encorajadas pelo exemplo que se viu.

Paz deixada em cada coração
Tentativas de unir o inigualável
Uma luta a passar a toda geração
Que inicia no simples fato de ser amável.

O dia em preto e branco continua
Luto e paz que formam o seu legado
Olhar de amor que se espalha pela rua
Braço estendido a todo necessitado.

(em memória de Nelson Mandela, por ocasião de sua morte, em 05/12/2013)

Angela Natel

Queridos, segundo os estudioso o luto é um processo mental destinado à instalação de uma perda significativa na mente. Para Freud (1916), "O luto, de modo geral, é a reação à perda de um ente querido, à perda de alguma abstração que ocupou o lugar de um ente querido, como o país, a liberdade ou o ideal de alguém, e assim por diante”. “E segue dizendo que o luto normal é um processo longo e doloroso, que acaba por resolver-se por si só, quando o enlutado encontra objetos de substituição para o que foi perdido.”
No Novo Testamento encontramos passagem que até Jesus sofreu com a perda. Ao ver o tumulo de Lazaro “Jesus Chorou” João 11. 35. Significa que o ser humano tem as suas fragilidades, dotado de sentimentos, impontencialidades diante das perdas da vida. Alguns caso o se humano se enche de temor e se encasula como aconteceu com os discípulos após a morte do Mestre. João 20.26 “ ... Estando as portas trancadas, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco!” Só quem passa pelo o luto sabe a dor da perda.
Amados, vamos viver o luto de Tia Leinha e Matheus. O luto é necessário viver... Não podemos fugir dessa etapa da vida, pois faz parte do ciclo vital...

Jone Iglesias

Os dias ruins não são anunciados e raramente chegam com grandes tempestades, os acontecimentos sim, chegam como raios, parte-nos ao meio, quebram pilares, desestruturam mentes, ironicamente acontecem em dias belos e ensolarados.
Seu dia ruim pode ser um dia comum e bom para muitas outras pessoas, parece injusto e cruel, porém é a lógica divina, ilógica da maneira sarcástica como age na vida de cada indivíduo.
Se eu tivesse o poder de mudar o roteiro da vida, faria com que o nascimento fosse uma surpresa não anunciada e, a morte teria o aviso prévio de 9 meses como uma gravidez.
Insanidade, morbidez? Talvez, vejo que seria a última chance de vivermos 9 anos em 9 meses, sugando até o último gole de vida, lúcidos, testando limites, amando puramente. Para que quando chegasse o dia ruim, acalmasse o interior dos envoltos ao luto, com a certeza de que aquele corpo honrou a vida, vivendo=a como quis!

Lais Iemma

Passamos uma vida inteira construindo nossa fortaleza. Um 'eu' interior que seja capaz de suportar o mundo e tudo o que vem com ele. Com nossa fortaleza desejamos repelir tudo aquilo que venha a fazer o império de quem nós somos, desabar.
Porém, há uma coisa que não há fortaleza que impeça. Lentamente, porém avassaladora, como a água ao bater na pedra sucessivamente: Esta é a morte, e dela, nenhuma fortaleza escapa.

William Ferh

Triste com a notícia sobre a morte de uma família em Cotia pelo desespero de passar necessidades financeiras... Triste pela morte do baixista da banda que fez a trilha sonora de muita gente dessa mesma geração que eu cresci, o Champion do Charlie Brown Jr...
Triste por ver o que a falta de Deus, a fraqueza de espírito e o desespero pode fazer na vida das pessoas... Triste por saber que não são casos isolados, mas que isso acontece todos os dias, à todo momento e em todo lugar... Acredito que algumas pessoas perdem a esperança de dias melhores por causa da própria sociedade que está sempre disponível pra apontar e julgar, mas dificilmente nos deparamos com pessoas ao nosso lado pra apoiar, pra aconselhar, dizer palavras de fé, esperança e conforto, mostrar uma luz, oferecer ajuda seja financeira, espiritual, psicológica... E isso todos nós precisamos, e quem passa por dificuldades, quem sofre de depressão, quem sofre por ver o desespero e os problemas tomando as rédeas de sua vida, precisa mais ainda desses sentimentos bons, dessas pessoas de bem pra fazer a diferença. Hoje eu só peço a Deus que multiplique essas pessoas, para que possamos tentar evitar ver um irmão nosso ser vencido e assistir isso de braços cruzados. Lamentar não é ajudar!

Viviane S. Jorge

Oração Fúnebre

Esse vazio é tão grande que escuto o ecoar de minha tristeza
A angústia quase insana faz com que não veja mais belezas
Esse luto que vivencio tenta afrontar minha coragem
De lembranças tão bonitas se desenha minha saudade

Nessa soturna melodia, nesse deserto em que me encontro
Vejo que a sensação de eternidade foi quem embriagou a sanidade
Doei tudo o que tinha nas chamas da afeição mais sincera
Fiquei tão frágil, fui vitima fácil e encontro-me perdido na miséria!

A morte está sempre presente assim como o renascimento
Mortes de pessoas que seguem vivas, realidades mortas...
Não sou dono de nada! O controle é ilusório!
Render-se ao destino e aceitar a certidão de óbito!

Espero dinamismo dessa vida..
Ó Tristeza tão longa... Ó efêmera Felicidade...
Dessa ferida tão dolorida espero uma cicatriz de maturidade!

Fabio Sarrico

A morte é agressiva em todas as suas esferas. Seja no acidente que ninguém esperava, seja no ventre da mãe, seja no paciente terminal, seja no cidadão com morte cerebral declarada, seja no inconsequente que vivia brincando com a vida, seja no idoso de quase 100 anos. Não interessa. Ela assola, nos deixa devastados, impotentes, perplexos, nos faz tremer e temer. Afinal quando vai chegar nosso dia? Ou pior: quando vai chegar o dia daqueles que amamos?

Estar em um velório é algo curioso. O morto não é só aquele que está dentro do caixão, imóvel. Morrem também várias pessoas ao redor. Sim, elas respiram, andam, falam, seus corações ainda batem. Mas uma parte... aliás, me arrisco a dizer: uma GRANDE PARTE é enterrada junto com o ente querido. Os sonhos, as risadas, os planos, os abraços, a voz, o aconchego, a alegria. Vai tudo embora. Sorte a nossa que nos restam as lembranças boas, ainda que em certos momentos evitamos até lembrar. Machuca demais.

Sei que nossa esperança é renovada em Jesus. Sei que estamos aqui de passagem, sei que existe um céu e uma vida eterna de alegrias para aqueles que acreditam na salvação em Cristo. Mas sou de carne, osso e emoções. Enquanto estiver aqui na Terra vou sofrer, vou chorar, vou sentir, vou inconformar com a morte.

Sempre que alguém que eu amo morre, uma parte de mim vai junto. E ainda que o tempo passe e novos amores surjam, esse pedaço nunca volta, nunca regenera. Ele se vai pra sempre.

E por enquanto é assim que eu vou vivendo.
Com meus buracos, com meus remendos, com minhas falhas.

Tainah Ferreira

Luto

Há aquele dia ruim que se acorda triste e pensativo sobre nossas ironias e às ironias da vida. E cada vez mais nos questionamos sobre o que somos de fato enquanto seres humanos pensantes e atuantes na busca de ser ou não algo melhor... Mas do que vale toda essa força motriz quando a própria condição humana nos limita como ser humano? O fato de envelhecermos nos aproxima cada vez mais de uma certeza incerta de existir ou de acabar uma existência, principalmente quando vemos um corpo já sem vida. E o mais interessante é que um cadáver não parece um ser humano, porque ironicamente é um ser sem vida, e, viver humano seria gozar dessa condição em todas nossas limitações em vida por ter vida, desafiando nossa criação. Ademais, quando se sabe que alguém que fez ou faz parte de sua vida morre, morre com ela uma parte de nossa história, e se ver uma parte de nossa vida em um corpo sem calor, levando consigo um passado e deixando a dor para aquele que se limita em vida.
E catastroficamente uma parte de nós, de nossos amigos da época de escola, da fantástica adolescência, das partilhas em família, se vão junto com o falecimento deste alguém que perdemos. Então percebemos que perdemos não apenas uma pessoa, mas sim uma parte nossa, pois morre com aquele que se foi as alegrias guardadas, que sempre estarão presas memória.

Leivânio Rodrigues