Textos de Lição de Moral

Cerca de 377 textos de Lição de Moral

De repente você nota que tudo muda; e o que significava muito para você, se torna praticamente nada.
Aprende a conduzir seus sentimentos, valorizar suas vitórias, a se reerguer após suas quedas e derrotas. Em fim, você amadurece.
De repente, você nota que tudo muda; e o que significava tão pouco para você, agora se torna tudo, diante de sua maturidade adquirida.

Gabriel Moretti

Pessoas são livros que a gente encontra.
Tem livros que a gente quer ler, e tem livros que a gente não quer.
Tem livros que são confusos, e tem livros que são claros.
Tem livros que ensinam lições duras. Tem livros que são comédia.
Tem livros que são baseados em fatos. Tem livros que são baseados em sentimentos.
Tem livros que a gente perde... e às vezes não acha ninguém que devolva.
Tem livros que a gente desiste de ler no meio, e tem livros que a gente vai até o fim!
Tem livros que nos prendem e não queremos que acabe nunca mais.
Tem todos os tipos de livros!
Tem livros que são todos os tipos num só.
Como descobrir se um livro vale a pena?
É necessário vontade, tempo e paciência para ler toda a história.

Eveline S C Leite

O Tênis Vermelho

Um garoto caminhava pela rua a caminho do colégio. Procurava obsessivamente muros onde pudesse se esconder e observar as pessoas que passavam. O motivo era a vergonha que então sentia pelo tênis que estava usando e que comprara com sua mãe havia dois dias.

A cor do calçado era vermelha e o menino se encantou logo que o viu pela primeira vez. A mãe elogiou e disse que o tênis ficava ainda mais bonito em seus pés...

O primeiro dia de uso foi na escola. Para a tristeza do garoto, o tênis não agradou aos colegas, que logo começaram a zorra. O menino escutou todos rirem dele calado, pois não encontrava força para reagir. Apenas uma frase ficou em sua mente, como um eco infinito:

- Você é mesmo muito esquisito!

Na volta para casa, as lágrimas eram maiores que seus passos. Quando a mãe soube do ocorrido, lamentou a tristeza do filho e teve que lidar com a situação de não poder fazer algo, afinal carecia de dinheiro e o tênis foi comprado depois de muita economia.

No dia seguinte, o menino não teve outra escolha a não ser ir ao colégio com o tênis vermelho, e foi daí que a história começou a ser contada. Entre um muro e outro, foi interrompido por um senhor sentado na calçada que tinha barba e cabelo bem grandes e brancos. O senhor perguntou o que se passava e o garoto desabafou. Comovido, o senhor se lembrou do seu passado, quando todos os colegas fizeram piada do boneco de pelúcia que ele carregava escondido dentro da mochila. Mas o que ninguém sabia era que o boneco era a única lembrança deixada por sua falecida mãe, que tanto fazia falta...

Na época, sua tristeza foi consolada por um morador de rua que ficava em frente ao colégio, dizendo que "o mal do homem é criticar aquilo que ele não sabe o motivo da existência". Por isso, o senhor se achou na obrigação de dizer algumas palavras ao menino, na condição de morador de rua que se encontrava. Então ele pensou por um instante e citou o pensamento oriundo de sua reflexão:

- Todos nós somos um pouco estranhos. A normalidade não existe, a não ser na mente iludida dos ignorantes. A vida é mais que os risos da crueldade, que os risos da escuridão. Esses foram os risos que você ouviu, risos sem luz; sem verdade. Pergunte a si mesmo: eu sou estranho ou os outros é que são normais demais?

O garoto pensou e em seguida respondeu com segurança:

- Os dois.

A resposta foi validada pelo senhor:

- Exatamente. Os outros são normais demais porque não se conhecem, porque preferem ser um padrão social. Já você é estranho porque eu também sou e porque todos somos, porém só alguns sabem e entendem esse segredo. Parabéns pela sua estranheza que te faz sábio!

O senhor então foi embora e levou junto a angústia do menino, que estranhou o sorriso que ficara em seu rosto...

tiago oliveira

Pessoas

Enquanto existem pessoas reclamando da própria vida, existem outras que lutam por ela. Enquanto existem pessoas que jogam comida na rua, existem outras que procuram nas ruas e lixos. Existem pessoas que perderam a vontade de amar e ser felizes, enquanto outras pessoas procuram encontrar essa vontade. Existem pessoas que fazem sofrimento as outras, enquanto existem pessoas que querem parar de sofrer. Existem pessoas que mentem umas para as outras, enquanto existem aquelas que procuram a verdade. Existem pessoas que não possuem religião, enquanto existem aquelas que vão em busca de Deus. Existem pessoas que não liga para as outras, enquanto existem aquelas pessoas que estão sempre presentes. Existem pessoas que fumam e bebem, enquanto existem aquelas que lutam pelo vício.

É, essas são as pessoas.

Leonardo Castro

Não transforme sua vida em um deserto por ninguém... você vai passar por momentos intensos de miragens. você vai se iludir ao ver uma água fresca, vai encher as mãos para toma-la, vai sentir o escorrer pelo seu corpo, refrescar-se temporariamente, ela vai parecer ser tudo na sua vida, vai deseja-la mais que tudo, até que de repente... quando for beber daquela tão desejada água encheras sua boca de areia quente de um sol ardente. E era tudo miragem acreditadas pela sua imensa vontade...

lição: a partir do momento que você diminui-se por alguém, deixa de viver sua vida por outra pessoa, você tende e "pede" para ser iludido. Viva com amor e sabedoria, viva com sonhos e objetivos, viva com vontades e ideias, viva com consciência e atitude... viva com equilíbrio.

Juliana Michel Bueno

A rainha

Conta-se a lenda de uma rainha que viveu num país além-mar há muitos séculos. Sempre coberta de jóias e adornos preciosos que enfeitavam sua vestimenta valiosa, ela não media esforços para atormentar seus servos em prol do aumento da produtividade para saciar seus desejos de ostentar ainda mais a riqueza, ser admirada por todos e tornar-se um exemplo, embora o povo sequer conhecesse o sabor do pão que, em enormes recipientes, eram jogados no lixo todos os dias daquele castelo em que a rainha vivia e de onde raramente saía.

- Nada de útil esse povo pode oferecer-me além do ouro e da seda - dizia ela - para que possa ser dado o tratamento que eu, majestade, mereço. Muitos têm que sofrer para que poucos, como eu, desfrutem do prazer de viver. Essa é a lei! Tenho tudo que preciso: jóias, sedas e um mundo de facilidade e felicidade por isso.

Certa noite, enquanto todos dormiam, um de seus servos bateu à porta de seu aposento e deixou uma carta que dizia:

"Vossa majestade, por favor, com todo seu conhecimento e poder, peço que dê ao povo o que é do povo." Surpresa, a rainha ordenou que os servos trabalhassem mais uma hora por dia e aumentou os impostos da população.

Aproximadamente quinze dias depois, novamente outra carta fora deixada com os mesmos dizeres. A rainha, dessa vez, dobrou a sanção imposta aos servos e ao povo. Assim, passaram-se dois meses; cartas seguidas do aumento de horas e impostos, até que um dia a rainha subitamente sentiu-se mal, sendo constatado por médicos que não resistiria muitos dias devido à sua gravíssima condição.

Em seu leito, reuniu os servos e perguntou quem, durante aqueles dias, deixara cartas solicitando para dar ao povo o que é do povo, bem como o que deveria ser dado. Um dos servos tomou a dianteira do grupo e disse:

"Majestade, sempre acreditei que o que torna um homem rico e um exemplo de vida é o seu trabalho honesto, o reconhecimento de seu esforço e a dedicação com amor àqueles que o cercam. As jóias, os tecidos, nada disso levaremos em nossa trajetória. Gostaria apenas que vossa majestade desse ao povo o que é do povo: respeito enquanto ser humano, admiração enquanto trabalhador e amor como um irmão, pois somente isso nos faz crescer e nos tornarmos admirados, além de ser tudo o que realmente precisamos na vida para alcançarmos a felicidade".

Então, a rainha quase sem forças entregou a ele sua coroa dizendo em tom baixo de voz: "Irmão, vos faço meu sucessor, pois demonstrastes que dentro de ti reina os mais nobres sentimentos! Não fui digna da coroa, mas és digno desse povo!"

Com um delicado desejo de sucesso fechou os olhos e adormeceu para a eternidade.

Oswaldo Jesus Rodrigues da Motta

Rosa

A vida sempre nos reserva surpresas, sejam boas ou ruins. Entendemos que as ruins - por assim julgarmos - nos fazem aprender e melhorarmos. Porém, como seres imperfeitos e materialistas que somos, temos o costume de nos compararmos com os que acreditamos serem mais felizes. Será mesmo?

Outro dia estava conversando com um rapaz com pouco mais de duas décadas de vida. Ele contava-me que tinha uma definição de felicidade que até o presente momento eu desconhecia, pois sempre ouvi dizerem, de uma forma ou de outra, que felicidade era sinônimo de bens materiais. Já intrigado, questionei-o qual era sua definição e como ele chegara àquela conclusão. Ele contou-me sua história até então:

"Olha, senhor, nasci sob alto risco, ficando por dias rodeado de cachorros e gatos de rua. Fui abandonado pela genitora com semanas de vida e com poucos meses fui colocado à prova com uma pneumonia dupla. Plantada essa rosa tive todas as doenças infantis posteriormente. Uma roseira se fez! Na dureza do dia-a-dia fui aprendendo com o que ouvia e, principalmente, sentia, daqueles que rodeavam-me. Após alguns anos fui submetido à uma cirurgia. Recuperação um pouco conturbada, todavia mais uma rosa plantada. Sem deixar-me abater e sorrindo sempre, consegui chegar ao último ano da etapa chamada colégio. No meio do ano, uma apendicite supurada ocasionando abscesso de parede posterior poderia fazer-me desistir. Entretanto, este termo não consta no meu dicionário de vida. Outra rosa, após meses, fora plantada. Segui em frente. Aprovado no vestibular em curso escolhido apenas para ver nascer o sorriso daquela que criou-me juntamente com meu pai, novamente o destino insistiu em fazer-me desistir, levando-a a poucos meses da formatura após cinco anos de faculdade. Ainda sim, jamais desisti do que sempre me fez afirmar que sou feliz...simplesmente ajudar aos outros com o pouco que aprendi e possuo, desejando ajudar muito mais, ainda que insistam em dizer, dia após dia, que não será possível e que o dinheiro é tudo na vida. Mas, por quê essa dúvida? Quem é você?"

Impressionado, resolvi fazer mais uma pergunta antes de responder a essas que ele havia me feito:

- "Mas por quê a cada superação você diz que plantou uma rosa?"

- "É simples. Cada vez que deixamos a tristeza aproximar-se estamos perdendo a possibilidade de fazer um sorriso nascer no rosto de alguém e o valor de um sorriso sincero é inestimável. Por mais que eu sofra por dentro, por mais que seja doloroso, sempre terei um sorriso e uma palavra de força e coragem para ofertar, além de fazer o máximo para ajudar. A rosa, como símbolo de afeição, delicadeza e beleza ocasiona imensa alegria e um estado de espírito maravilhoso. O senhor já ofertou uma rosa a alguém hoje?"

Sem jeito, respondi as suas questões anteriores:

- "Não importa mais a razão da dúvida. Antigamente eu atendia por Ganância, mas a partir de hoje pode me chamar de Rosa.

Oswaldo Jesus Rodrigues da Motta

Eu só peço a Deus...
Que os dias sejam doces,
Que meus olhos vejam além das aparências,
Que meu coração vibre pelo que vale a pena,
Que o sorriso seja meu companheiro constante,
Que eu nunca perca a fé nas pessoas,
e que, se alguma lágrima cair que seja de alegria ou que sirva de lição.

Elizandra Arboit

Quem não te procura, não sente sua falta,
Quem não sente sua falta, não te ama.
O destino determina quem entra na sua vida, mas você decide quem fica nela.
A verdade doi só uma vez. A mentira doi cada vez que você lembra. Então, valorize quem valoriza você e não trate como prioridade quem te trata como opção.

adelino seneta

(...) Deitada na cama, vendo a vida passar, lembrando do passado, do amor acabado. Aquilo me matava por dentro. Como uma mentira pode acabar com um amor de infância? Meu coração ainda bate por você. Quando te vejo perco o rumo, as pernas tremem. Eu até poderia dizer que não consigo viver sem você, mas seria inútil. Você não vai voltar, mesmo querendo. Apesar dos apesares. Você ainda me ama. Eu sei, seus olhos não conseguem negar.
Alguns dias se passaram e vem a surpresa. Uma surpresa que estava dentro de mim, que se mexia, chutava. Era um amor tão grande, que eu nem sabia explicar. Eu renasci quando ela nasceu. Quero que saiba que o nosso amor ainda está vivo e se chama Valentina. E é a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Eu escrevo essa carta só para te lembrar que nosso amor jamais morrerá. Pois nela, está cada momento bom que vivemos. Juntos. Eu ainda te amo e estou te esperando.

Nosso amor se chama Valentina - Ketlin Alves part. Luana Alves

Aprenda:
- Der valor para aqueles que lhe valorizam intensamente.
- Der valor aos bem materiais, ele não lhe farar ter quaisquer sentimentos.
- Valorize os Animais.
- Valorize seus Estudos.
- Persista, Insista, Mais não esqueça! as únicas coisas que valem apena são: Seus verdadeiros amigos, sua família, seu emprego, seu estudo, os animais, e todos que lhe valorizam.
- Valorize-se!!!
-Não insista, não persista nas pessoas. O tempo trara para te, a melhor hora de fazer esse pleito.
o Nocaute machuca mais não lhe Derruba!

Ruan J'Hasiel

O tempo é mesmo fantástico...
Na infância usamos fraudas e as únicas necessidades é alimentação, proteção e afeto, o maior tempo passamos brincando, fazemos amigos de todas as classes e raças sem precisar dar nada em troca, são momentos preciosos pois é nessa inocência que podemos construir irmãos para uma vida.
Chega um tempo em que a liberdade se transforma no maior desejo, mas ninguém avisa que para possui-lá o preço é alto, e que para conquista-lá é necessário abdica-lá também. Ficamos adultos e passamos o maior tempo trabalhando e estudando para garantir a nossa própria sobrevivência e daqueles que um dia já garantiu a nossa também.
O tempo passa depressa e feliz daquele que o amor chega sem pedir licença e consegue uma morada, como toda árvore bem plantada bons frutos iram surgir, daí pra frente aquela liberdade que você tanto desejava se transforma na vontade de construir raízes para jamais de lá sair.
Chega o tempo em que as bagagens já estão grandes demais e o nosso desejo é desfazer as malas, chega o momento em que sabemos quem realmente sempre nos quis bem, pois é na nossa inutilidade que as pessoas somem, ou vêm.
Já não temos mais nada a oferecer, só o jeito de ser e viver, desejo que todos tenham alguém de quem possa ouvir um "Eu te amo". O que aprendemos com os anos? Que o importante é vivê-los, não tê-los.

Jordânia Figueiredo

Jesus, O Filho de Deus, é o Protagonista da minha história. Sem Ele, eu não saberia, nem quem sou, nem de onde vim, nem para onde vou.
Com Ele, tudo faz sentido, tudo é um aprendizado, uma lição. Ele deseja, que eu esteja preparada para ir morar com Ele, quando vier me buscar. Enquanto, O aguardo, medito nas Suas Palavras e ensinamentos que estão na Bíblia Sagrada. Glória ao Seu Nome Santo, para sempre! Amém!

Simone Boneberg

Julgar ou amar?

Ultimante o que mais vemos nessa vida são pessoas que elegeram a si mesmos juízes da vida.
Porém, a sabedoria da vida diz:- Quem muito julga é porque tem algo a esconder e quando se julga alguém o mais sujo não é o julgado e sim quem julga,pois se você reparar em sua mão verás que tens cinco dedos e destes dedos que apontas e julga alguém quatro deles estão pra você.
Isto significa que quem tem que fazer uma profunda reflexão sobre si mesmo e mudar é o que julga.O certo ainda é certo,o errado ainda é errado.
Portanto,a vida conclui:-Se algo de errado aconteceu,não é pra nos sentirmos melhores e mais santo do que este ou aquele,mas para pegarmos como lição pra nós,somos todos seres humanos...
Se este errou,se a pessoa que julga não se cuidar, quem garante que o mesmo que aconteceu com quem julgas ,você não fará igual e pode ser que até pior,pois o que diz:- Dessa água jamais beberei é da mesma que se bebe.
E quem julga não tem tempo de cumprir com sua missão e vira decepção,não tem tempo de amar,pense bem.... pense com carinho,pense nisso!

Deborah Karvalho

Os piores pesadelos são aqueles que a gente passa de olhos abertos. E ainda vem alguém que não entende nada, pensa que sabe alguma coisa da sua vida, mas na verdade não sabe de nada, não conhece as suas lutas diárias, o que voce fez, o que voce faz, o porque da sua decisão, o que voce passa, e ainda por cima te julga, te critica sem saber, sem ao menos tentar te compreender, como se voce fosse o vilão da história. O que importa pra eles é o que eles acham, a opinião deles é a certa sobre voce, enquanto a sua verdade fica oculta, como se voce estivesse vivendo um tempo de draminha sem realidade agindo na covardia e falsidade, quando na verdade só voce sabe que tudo isso não é ficção.

- Nabas

Nabas

“Parar no tempo da vida focado em projetos que não deram certo é desperdiçar energia em um ciclo que não se renova.
As vezes, temos que reconhecer que a persistência não tem mais lugar e tudo o que nos resta é aprender a lição e seguir em frente a procura de novos horizontes se livrando do peso do que não cabe em nosso futuro.”

Silvana Lance

Chega sempre a hora em que não basta pensar, não basta juntar. Chega um tempo que agir é a única opção. O resultado esta sempre no risco de 50% de felicidade e sucesso ou 50% de lamento e fracasso. Mas é preciso agir.
No final, seja a escolha vista como fracasso ou vista como sucesso, o que precisamos é aprender uma lição. Amarga ou doce, precisamos aprender uma lição.

Eduardo Colamego

Constante aprendizado

Tenho andado por aí
Aprendido ali e aqui
Que perder nem sempre é triste
Que felicidade não existe.

Sou levada a concluir
A cada passo que dou
Que preciso diminuir
Em tudo aquilo que sou.

Surpresas podem acontecer
Mas não posso esperar
Que elas me salvem de todo poder
Que contra mim se levantar.

Não sou forte como pensava
Nem esperta de todo
Vivo procurando onde estava
Prá repartir o meu bolo.

Aprendo, erro, desejo
Tanto em tão pouco tempo
Em cada face eu me vejo
Viajando contra o vento.

Angela Natel

Quem perdeu ou quem ganhou, talvez isso já nem importa mais.
O fato é que, a pureza foi quebrada e o riso intimidou-se.
O "para sempre" foi rasgado pelo orgulho e o brilho ofuscou-se pela estrada.
O "isso" ou "aquilo" já não justifica mais nada... mas que sirva de lição para a próxima jornada.

Humberto Oliveira

Diferente.
Essa palavra sempre me perseguiu.
A medida que crescia todo mundo dizia: "- Essa menina é diferente!"
Eu nem bem entendia o que isso queria dizer, mas isso era só o começo das minhas excentricidades.
Todos, incluindo meus pais, me olhavam daquele jeito.
Fui descobrindo que não era o sujeito do predicado - eu era sujeito de outro mundo.
Um mundo que era meu e de mais ninguém.
Meus poemas, meus desenhos, minhas atividades, minha música, meu gosto gastronômico, minhas opiniões.
Para alguns eu era "hiperativa" demais, para outros lenta demais.
Nunca me dei bem com esse negócio de medidas. Nunca soube o ponto certo. Sempre transbordei.
Sempre fui dada aos exageros, sempre fui entregue as minhas curiosidades e minha particularidade. Sempre gostei de provar grandes emoções e sentimentos.
Nunca chorei pouco, nunca ri pouco (normalmente faço os dois ao mesmo tempo dependendo da situação), nunca sonhei pequeno.
O óbvio para mim nunca é o suficiente.
Sou um poço de extravagância.
O Tempo professor está me ensinando uma coisa, uma matemática simples (talvez a única matemática que eu realmente consiga entender), para que as pessoas não passem pela minha vida sem provar a melhor medida de mim, eu coloco minha excentricidade nas coisas simples e pequenas e distribuo segundo o Amor me pede.
Pois aquilo que diferente é difícil de achar. Tudo que é difícil de achar, se torna raro. E tudo que é raro, vale muito.

Angélica Monção Lima