Textos de Estrelas

Cerca de 924 textos de Estrelas

Simplesmente eu

Sou estrela solitária...
Entre tantas estrelas...
Sou o brilho de uma delas...
Que não ofusca, nem se apaga...

Sou raio de sol esquecido...
Outrora fogo...
Hoje um brilho esmaecido...

Sou efêmera...
Sou sensível...
Sou fraca...
Sou falível...
Sou eterna...

Nas minhas dores...
Sou um tanto de romantismo...
A poesia que restou...
Sou um tanto de melodia...
Que doeu no peito...
E a rima que não se achou...

Mas!...Assim sou eu!

Sou a onda que se quebra...
Mas volta com insistência...
Num recomeçar incessante...

Sou a espuma branca na areia...
Que se desmancha num instante...
Num eterno beijo ofegante...
Sou um coração por inteiro...

Que não se cansa...
Que crê no amor verdadeiro...
Sou aquela que luta...
Que ama e que quer...
Sou quem nunca desiste...

Sou simplesmente...
Uma mulher!!!

Tamiris

Sempre Em Mim

Quando o Sol tocar teus lábios,
Sinta meu beijo.
Eu estarei nele.
Quando o vento lamber teu corpo,
Sinta meu abraço.
Eu estarei nele.
Quando teus olhos voltarem-se para as estrelas,
Sinta meu amor.
Ele estará nelas.
E quando não houver Sol, vento ou estrelas,
Ainda assim, eu estarei com você,
Pois você estará sempre em mim.

Itras Ramde

Eu confio em ti;
Mesmo se as estrelas deixarem de brilhar,
Mesmo se secarem as águas do mar,
Mesmo se o sol não aquecer.
Eu confio em ti;
Mesmo se o meu coração não quiser amar,
Mesmo se a minha cabeça não pensar,
Mesmo se um sonho lindo morrer,
Eu confio em ti;
Mesmo se a chuva cair sem parar,
Mesmo se nuvens no céu não se formar,
Mesmo se o arco-iris não aparecer.
Tal vez...
Eu não sei,
porque tem que ser assim.
Mas sei...
Que tudo vai passar!!!

Mara Chan.

Precisa-se

De pessoas que tenham os pés na terra e a cabeça nas estrelas.

Capazes de sonhar, sem medo dos sonhos.

Tão idealistas que transformem seus sonhos em metas.

Pessoas tão práticas que sejam capazes de transformar suas metas em realidade.

Pessoas determinadas que nunca abram mão de construir seus destinos e arquitetar suas vidas.


Que não temam mudanças e saibam tirar proveito delas.

Que tornem seu trabalho objeto de prazer e uma porção substancial de realização pessoal.

Que percebam, na visão e na missão de suas vidas profissionais, de suas dedicações humanistas em prol da humanidade, um forte impulso para sua própria motivação.

Pessoas com dignidade, que se conduzam com coerência em seus discursos, seus atos, suas crenças e seus valores.


Precisa-se de pessoas que questionem, não pela simples contestação, mas pela necessidade íntima de só aplicar as melhores idéias.

Pessoas que mostrem sua face de parceiros legais. Sem se mostrarem superiores nem inferiores. Mas... iguais.

Precisa-se de pessoas ávidas por aprender e que se orgulhem de absorver o novo.

Pessoas de coragem para abrir caminhos, enfrentar desafios, criar soluções, correr riscos calculados. Sem medo de errar.


Precisa-se de pessoas que construam suas equipes e se integrem nelas.

Que não tomem para si o poder, mas saibam compartilhá-lo.

Pessoas que não se empolguem com seu próprio brilho. Mas com o brilho do resultado alcançado em conjunto.

Precisa-se de pessoas que enxerguem as árvores. Mas também prestem atenção na magia das florestas.

Que tenham percepção do todo e da parte.

Seres humanos justos, que inspirem confiança e demonstrem confiança nos parceiros.

Estimulando-os, energizando-os, sem receio que lhe façam sombra, mas sim se orgulhando deles.


Precisa-se de pessoas que criem em torno de si um ambiente de entusiasmo

De liberdade, de responsabilidade, de determinação,

De respeito e de amizade.

Precisa-se de seres racionais. Tão racionais que compreendam que sua realização pessoal está atrelada à vazão de suas emoções.


É na emoção que encontramos a razão de viver.

Precisa-se de gente que saiba administrar COISAS e liderar PESSOAS.

Precisa-se urgentemente de um novo ser.

Isaac Libermann

(...) Quando o sol sossegava e começava a querer fugir do que causou, vinham então as estrelas, tão espertas. Propunham brilhar-se todas e entreter os dois, fazê-los amolecer com o frio da noite e dizer bobagens quaisquer para esquecer o que se passava. não dava.

As estrelas deles vinham separadas, também. Por oceanos, terras, mares, rios, planetas, ventos, tudo. Era muito longe. Ele cá, ela lá. Doía de novo.

A noite propunha sacanagem e desgosto de estar só. Mas ao final só sobrava o segundo e a certeza de que era mesmo a maior sacanagem da história estarem sem poder se tocar, daquele jeito...

Aí pensavam em largar tudo, em largar trabalho, escola, família. Em se largar em nome do outro. E desistiam. Doía.

Enquanto um amanhecia, o outro adormecia e seguiram os dias com essa brincadeira de gato e rato que nunca se encontram. Ficavam assim, então: sobrevivendo a cada dia e esmorecendo a cada noite. Lutando contra o medo do mundo e o medo deles mesmos, por estarem em mundos tão diferentes por hora, agora, pra sempre, quem sabe? Não sabiam.

Tentavam acreditar numa mudança, num descaso do destino que insistiu em manter-lhes assim, um descuido que deixasse um deles passar, fugido. Tentavam fugir da verdade e se encontrar um no outro, mas se perdiam. Estavam perdidos. Nos dias quentes, nas noites longas, na espera fria. Só sei que doía.”

Rani Ghazzaoui

" As pessoas têm estrelas que não são as mesmas.
Para uns, que viajam, as estrelas são guias.
Para outros, elas não passam de pequenas luzes.
Para outros, os sábios, são problemas.
Para o meu negociante, eram ouro.
Mas todas essas estrelas se calam.
Tu porém, terás estrelas como ninguém...
Quero dizer: quando olhares o céu de noite,
(porque habitarei uma delas e estarei rindo),
então será como se todas as estrelas te rissem!
E tu terás estrelas que sabem sorrir!
Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido.
Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá).
Terás vontade de rir comigo.
E abrirá, às vezes, a janela à toa, por gosto... e teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu.
Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!"

Antonie de Saint-Exupéry

TODAVIA

Não creio, todavia,
Você está chegando a meu lado,
E a noite é um punhado
De estrelas e de alegria.

Apalpo, sinto o gosto,
Vejo seu rosto, seu passo largo,
Suas mãos e, no entanto,
Ainda não creio, todavia.

Seu regresso tem tanto
Que ver com você e comigo
Que por sorte lhe digo
E canto,
Ninguém pode substituí-lo
E as coisas mais triviais,
Se tornam fundamentais,
Porque você está chegando.

No entanto, todavia,
Chego a duvidar de minha sorte,
Porque tê-lo junto a mim
Às vezes me parece fantasia.

Mas você vem,
Com certeza,
E vem com seu olhar
E por isso sua chegada
Torna mágico o futuro.

E ainda que nem sempre
Eu tenha entendido
Minhas culpas e fracassos
Sei, para compensar,
Que, em seus braços,
O mundo tem sentido.

E se beijo a ousadia
E o mistério dos seus lábios,
Não há dúvida
De que o amarei mais
A cada dia,
Todavia.

(Tradução livre – Eduardo Andrade)

Mario Benedetti

"As Flores brotam, e morrem...

As estrelas Brilham, Mas um dia se

apagarão...

Tudo morre...

A terra,o Sol, a Via Láctea e até mesmo todo este universo não é exceção!

Comparado a isto,

a vida do homem é tão breve e fugidia quanto um piscar de um olho...

Neste curto Instante,

os homens nascem, Riem, choram,

Lutam, Sofrem,

Festejam, Lamentam,

odeiam pessoas e amam outras!

Tudo é transitório...

E em seguida,

Todos caem no sono eterno chamado morte..."

Shaka de virgem

Deixe-me sonhar,
quero estar tão alto quanto as estrelas,
Deixe-me ouvir,
o que o universo tem a me dizer,
Deixe-me enxergar,
as belezas que ainda não ví,
Deixe-me mostrar,
que ainda posso te fazer feliz,
Deixe-me tocar,
as notas do seu coração,
Deixe-me viajar,
mas saiba que ainda tenho um dos pés no chão,
Deixe-me cair,
eu tenho um pára-quedas e ele tem o seu nome,
Deixe-me aterrizar,
nos seus braços e te beijar,
Deixe-me sentir,
que ainda posso te amar,
Deixe-me imaginar,
ultrapassar as barreiras da realidade,
Deixe-me viver,
fazer com que esse momento seja eterno.

Renato Lima Rubio (Renatus)

Busque-me nas estrelas, me encontre no mar,
leve-me ao paraíso no breve isntante do olhar.
Se possível me olhe de novo pra meu corpo falar
minha voz será macia, tal qual sereia a cantar
meus olhos te tocarão, como música no ar,
Serei verso e prosa de um poema e recitarei
ao pé do teu ouvido, pra ninguém mais escutar.
Sou feita de sonhos e só você me faz sonhar !

Leônia Teixeira

Seguindo estrelas

Fico acordado noites inteiras
Os dias parecem não ter mais fim
E a esfinge da espera
Olhos de pedra sem pena de mim
Faz tanto frio, faz tanto tempo
Que no meu mundo algo se perdeu
Te mando beijos
Em outdoors pela avenida
Você sempre tão distraída
Passa e não vê, e não vê

Paralamas do Sucesso

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
Estrelas incertas, que as águas dormentes
Do mar vão ferir;

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Têm meiga expressão,
Mais doce que a brisa, — mais doce que o nauta
De noite cantando, — mais doce que a frauta
Quebrando a solidão,

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
São meigos infantes, gentis, engraçados
Brincando a sorrir.

São meigos infantes, brincando, saltando
Em jogo infantil,
Inquietos, travessos; — causando tormento,
Com beijos nos pagam a dor de um momento,
Com modo gentil.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Às vezes luzindo, serenos, tranquilos,
Às vezes vulcão!

Às vezes, oh! sim, derramam tão fraco,
Tão frouxo brilhar,
Que a mim me parece que o ar lhes falece,
E os olhos tão meigos, que o pranto humedece
Me fazem chorar.

Assim lindo infante, que dorme tranquilo,
Desperta a chorar;
E mudo e sisudo, cismando mil coisas,
Não pensa — a pensar.

Nas almas tão puras da virgem, do infante,
Às vezes do céu
Cai doce harmonia duma Harpa celeste,
Um vago desejo; e a mente se veste
De pranto co'um véu.

Quer sejam saudades, quer sejam desejos
Da pátria melhor;
Eu amo seus olhos que choram em causa
Um pranto sem dor.

Eu amo seus olhos tão negros, tão puros,
De vivo fulgor;
Seus olhos que exprimem tão doce harmonia,
Que falam de amores com tanta poesia,
Com tanto pudor.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Eu amo esses olhos que falam de amores
Com tanta paixão.

Gonçalves Dias

DEUS


Eu lhe digo que estou em todas s flores, todos os arco-íris, todas as estrelas do céu, e em tudo, em todos os planetas que giram em torno de todos os astros.

Eu sou o sussurro do vento, o calor de seu sol, a incrível individulidade e a extraordinária perfeicão de todos os flocos de neve.

Eu sou majestade no voo alto das águias e a inocencia da corca no campo; a coragem dos leões e a sabedoria dos antigos.

Neale Donald Walsch

- Tu és como as estrelas, posso amá-las mas não posso tocá-las nem tê-las. @BernardiCitou
- Pisa que ele gruda, gruda que ele pisa. Entenderam?
- Foi muito lindo te ver pela primeira vez e pensar, sem palavras: eu quero.
- E eu quis fazer de mim algo tão claro quanto um rio sem profundidade.
- Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz.
- Pensamentos, como cabelos, também acordam despenteados.
- Tenho aprendido coisas com ele. Nada muito sensacional, coisas simples, pequenas alegrias.
- Aprende. Aprende que dói menos.
- Nunca antes uma coisa nem ninguém me doeu tanto como eu mesmo me dôo agora.
- Estou sem tempo para odiar quem me odeia. Estou ocupadíssimo amando quem me ama.
- E me dá uma saudade irracional de você. Assim, do nada.
- É engraçado e ridículo quando a gente começa a gostar de alguém e acha que tudo o que o outro faz é um sinal ou uma pista.
- Nada é eterno. O café esfria, o cigarro apaga, o tempo passa, as pessoas mudam.
- E se é verdade que o tempo não volta, também deveria ser verdade que os amigos não se perdem.
- Pô, acorda menina. Dá a volta por cima. Seja forte. Seja você.
- Cuide, cultive, queira o bem… o resto vem!
- Querido coração, apaixone-se quando estiver pronto, não quando estiver solitário.
- Relaxa, respira… se irritar é bom pra quem?

Caio Fernando de Abreu

Noite

Não durmo cedo
Adoro ver a noite
As estrelas bem longe piscar

Quando olho para o céu
Pareço estar bem distante
Me sinto leve...pareço voar

Já é madrugada
Estou acordada
Sentindo a leve brisa em meu rosto

Gosto do dia mais prefiro a noite
Olhar o céu brilhante
E a maravilhosa lua distante

Porque é tão bela a lua
Parece até mesmo uma jóia rara
Quando fecho os olhos pareço toca-la...

Isadora Cristina Jacob Moreira

Vem olhar as estrelas comigo

Imannuel Kant definiu o belo como o que agrada universalmente sem depender de um interesse ou de um conceito. Platão definia o belo como a idéia perfeita, que daria forma as coisas perfeitas, uma manifestação da alma, não da sensibilidade. E Aristóteles relacionava o belo à justa medida, simetria, proporção, harmonia. - Eu defino o belo como nós dois.

Discordando da teoria de Kant, não agradamos a todos. Distorcendo um pouco a teoria de Aristóteles, podemos ver uma certa simetria entre nós, uma harmonia, sintonia. E engrandecendo mera parte da teoria de Platão, ‘belo é o que nos faz bem’, e o que nos faz bem vem da alma, dando formas perfeitas - o meu belo é você.
Não importa o modelo do seu carro, nem a marca das suas roupas. Não importa com quem você anda, nem de quem você é inimigo. Não importa se você anda com o cabelo desarrumado e de havaianas. O que importa é que você me faz feliz.
Se eu estivesse em um desfile de moda, vestindo roupas Dolce Gabbana e bebendo champanhe da melhor qualidade, e você parasse na frente da ocasião de bicicleta, chinelo Havaianas, bermudão e regata, e me chamasse pra fugir com você, juro que não pensaria duas vezes e subiria na pedaleira da bicicleta sem um pingo de vergonha, sem medo de rasgar minhas roupas ou sapato, na dúvida que a sandália incomodasse eu a daria ao mendigo da esquina, e deixaria você me levar a onde quisesse.
Eu moraria em baixo da ponte com você, só pra ver a lua e as estrelas à noite, que são tão lindas quanto as suas palavras e a sua voz.
Podíamos construir uma casa na árvore e vivermos com as nossas livres e eternas almas de crianças. Acordar todos os dias e sentir o cheiro de floresta.
Podíamos morar no lugar mais úmido do mundo só pra sentir o cheiro de terra molhada ao acordarmos.
Podíamos correr na maratona de São Silvestre, só pra você me pegar no colo no meio do caminho e levar pra qualquer outro lugar onde pudéssemos ficar sozinhos.
Podíamos pular de paraquedas enquanto eu escrevia meu nome de caneta na sua mão, e você escrevia o seu na minha.
Podíamos roubar uma moto, ou um carro, ou um ônibus... por que não um avião?!
Podíamos comprar uma cama elástica, uma geladeira que sai gelo na porta, um cachorro, uma cadela, um peixe, uma barraca para irmos acampar... Por que não?!
Podíamos conhecer o mundo juntos, sentindo o vento em nossos cabelos, vendo o sol nascer todas as manhãs e agradecer todos os dias por isso. Podíamos correr perigos, quase morrermos, quase matarmos... e tudo isso por amor!

Bonito é o que nos faz bem, são as coisas simples que nos fazem felizes, e você me faz bem demais. Vamos ser livres, vem ver as estrelas comigo!!!

Gabriella Beth Invitti

com vc aprendi tantas coisas
aprendi admirar as estrelas
a sentir o calor do sol tocando minha pele
aprendi a sentir o toque da brisa do vento em meu rosto
aprendi a sorrir acima dde tudo
pois com vc aprendi que o amor
e o sentimento que nos da vida
coragem ,esperança de ser feliz
quero que saiba que hoje
quando olho as estrelas
vejo seus olhos a brilhar pra mim
quando sinto o sol tocar minha pele
e como se vc me abraça-se
e quando a brisa toca meu rosto
e como se vc estivesse me beijando
e arrepiando minha alma...
Te amo

Bruna Trenelly

É estranho olhar para as estrelas e ve-las brilhando como seus olhos...As vezes penso que te esqueci mas quando chega a noite que olho para o luar, vejo seu rosto estampado na lua a brilhar... Nunca pensei que um amor tão maltratado tivesse tanta atenção assim,talvez seja por isso que você nem olha pra mim,saibas que a gente so colhemos o que plantamos!!!Eu planto amor,mas so estou colhendo rancor,voce que plantou rancor está colhendo o meu amor...Eu tenho tento tanto entender a vida mas quanto mais eu tento,mais eu me complico,Plantei amor e so colhi rancor!
Agora quero saber o que o destino vai fazer comigo!!!

Alyne Amorim

Na encruzilhada silenciosa do destino,
quando as estrelas se multiplicaram,
duas sombras errantes se encontraram.
A primeira falou:
-Nasci de um beijo de luz, sou força, vida,
alma e esplendor....
Trago em mim toda a sede do desejo,
Toda a ânsia do Universo.
Eu sou o Amor!
O Mundo sinto enxágüe em meus pés!
Sou delírio, loucura...
E tu, quem és?
A segunda:
-Eu nasci de uma lágrima.
Sou flama do teu incêndio que devora.
Vivo dos olhos tristes de quem ama,
para os olhos nevoentos de quem chora.
Dizem que vim ao mundo para ser boa,
para dar do meu sangue a quem queira.
Sou a Saudade, a tua companheira,
que punge, que consola e que perdoa...

Na encruzilhada silenciosa do Destino,
as duas sombras comovidas se abraçaram,
e, desde então, o Amor e a Saudade
nunca mais se separaram.

Zelisa Camargo

Ausência

Cresci em mim sua ausência
Indago as estrelas
E ao vento pergunto por onde você andara
Afinal há tempos não sinto o seu perfume que vem com o vento
E já não consigo ver o brilho dos seus olhos quando fecho os meus para te encontrar
O vento desta tarde é frio
Queria sentir o quente envolver de seus braços
E sua voz rouca sussurrando em meus ouvidos
Como lábios de um anjo cantando salmos
Minha mente faz com que eu caminhe por lugares que desconheço
Desesperadamente a sua procura
E, no entanto eu sei que existe um caminho seguro.
Onde ao amanhecer eu beijarei o seu rosto molhado pelo sereno da manhã.
Tua lembrança paira em cada entardecer,
Na beleza das flores, no canto dos pássaros,
Na lagrima de saudade que rola em meu rosto.
talvez haja um lugar onde eu ainda possa ser feliz
Onde a lua não seja assim tão pálida
e o brilho das estrelas tão fosco
Meus passos se perdem na trajetória louca da saudade
que me deixa com um nó na garganta
E com essa enorme sensação da tua ausência.
Meu silencio é repleto de gritos
que sufocam a minha alma gritos que não soam,
as vezes quando chove lembro de nós dançando na chuva
Sua lembrança esta em cada gota que cai deste céu cinza.
Não sei, se você lembra de mim,
mas lembro de nossos corpos emaranhados.
Do perfume de seus cabelos,
do doce sabor dos seus beijos
teu olhar tranqüilo, teu lábio molhado,
Estou a tua espera, mas sinto que não vira.
Afinal amor é padecer na solidão
É torna-se um sendo dois corpos olhando para o futuro
Mas deste amor não me lembro
Só sinto essa tristeza gelada
que congela e maltrata o coração.
Eu te procuro num mergulho mudo em meu ser
E sei que o vento ira me levar até você
Meus olhos podem não te ver mais minha alma e sente.

Wellington Marques