Textos de Boca

Cerca de 824 textos de Boca

O coração acelera quando sinto o teu perfume se aproximando... Minha boca resseca, esperando que a tua boca una-se a minha...
Mate a minha sede de você... Seja a minha asa que logo serei o seu coração... Mastigo-lhe para sentir o gosto de gravo e canela de um doce coração;
Olho-te e desejo-lhe... Despindo os teus constrangimentos e forrando com a ousadia de amar;

Julio Aukay

Um trago um vício... Claro em teu corpo nu... Em tua boca sedenta de paixão, teus olhos manda que eu umedeça a sua boca... E até mesmo o teu corpo;
Permita-me adentrar em teus fluidos acariciar a tua nuca para que nunca mais se sinta só;
Sinta o contentamento que desatina sem dor de amor... Por favor, abraça-me para que eu me sinta um vencedor;

Julio Aukay

Cala a boca menino!
Me escute por favor!
Pare de espernear, de dar birras.
Olha para mim e confia.
A dor que sentes, é dos espinhos que te ferem a carne,
espinhos que te mandei não ir buscar no espinheiro.
Teu choro me constrange; enternece;
me dilacera a alma.
Bem que merecias castigo pela tua rebeldia,
mas meu amor é tão grande que quero abraçar-te,
ter-te em meu aconchego,
mas para isso, te preciso extrair primeiro os espinhos,
antes que eles te firam de morte.
Não posso te deixar correr para longe como queres,
vou te segurar, ainda que com força,
tirar espinho por espinho.
Sei que isso dói, mas é sublime expressão de amor.
Aproveita e me ouve, por apenas um instante.
Abre bem teu ouvido,
esteja atento ao que vou lhe falar mais uma vez:
“Eu é que sei que pensamentos tenho a seu respeito; pensamentos de paz, e não de mal, para te dar o fim que desejas.”

A aflição de um Pai
Por Samuel Amorim
Jeremias 29:11
Em 03 de outubro de 2013

Samuel Amorim Oliveira

molhei adocicadamente minha boca
por entre lábios delicados e finos
desenhados meticulosamente de carmim.
havia ali um gosto de chuva, daquelas que molham a terra
&
exalam este agridoce teratológico
disseminando um infinito olfativo das enxurradas libidinosas.
por entre línguas, salivas e caninos, restava um aluvião
... de cheiros, aromas e confusão.
sobrevivo... é uma simples tempestade que lava a alma e deixa seu encanto entre destinos opostos.
recebo todos os venenos deste corpo insólito
desta boca que me abarca e exaspera todos meus poros
inundando minhas veias
acalmando os compassos das artérias.
resta deste eu, apenas um olhar sublimado
sobre todo este seu eterno encanto.
roberto auad

Roberto Auad

Imagino os teus sorrisos sorrateiros e me sinto despojado pelo seu querer e teus lábios e tua boca que insistem me mastigarem...
Vontade e querer de te invadir pelas intimidades que me intensifica por entre suas entranhas instigando-me salientemente;
Sonho em acariciar os teus seios... A tua pele sem o mínimo de pudor no qual te satisfaça como uma mulher completa... Cúmplices e amantes... Beijos ardentes que nos faça o melhor;

Julio Aukay

MOMENTO

...cada beijo representa uma vontade,
no desejo do encontro
boca a boca.
Até molhar os seus lábios
e matar a saudade
no vai e vem que você quer.

Arrepio flor da pele,
frio enganoso.
Que esconde e não erre
o desejo.

Num abraço caloroso.
Epiderme.
Umidade entre coxas,
numa mulher.

Que se ativa
na saliva,
língua e pescoço.
Mata a sede
ao tatear a sua nuca.

Percorrendo e explorando
eu vou desde,
no tudo que percebo
ao tudo que você quer.

Henrique Rodrigues de Oliveira

“Pronunciar seu nome foi como amargar a boca e envenenar o coração”
Mais um passo e eu caí em um pesadelo que eu nem mesma acreditei, quando não mais vi seu olhar frio, seu temperamento confuso. Eu acreditava em todas as coisas que vinha de você, até você mostrar quem realmente você era.
É difícil olhar pra trás e ver o quanto eu me sentia feliz em ter sua amizade a apesar de tudo, agora eu fecho meus olhos e abro freneticamente pra ver se isso é mesmo real, eu sei que é, mas uma parte de mim não acredita.
Onde eu estive chorando, das vezes que eu pensei em você, isso só virou lembranças que quero esquecer, realmente hoje eu vejo não vale a pena, tudo foi um mero erro meu em acreditar que você era diferente, mas era pior que as outras pessoas, cínica, fria, baixa, calculista.
Acho que sinto mais raiva de mim do que de ti, por ter me deixado levar por seu sorriso falso amarelo, seu papel ridículo de vitima, enquanto eu mal sabia que você que provocou sua própria dor, você fez da sua vida um cenário sujo, triste, e infeliz, e agora, que você deixou sua mascará cair, você não terá outra chance de ter alguém leal do seu lado como eu estive todos esses anos.

Gerlany Simioni

Quero sentir o doce veneno de sua boca sucumbir cada lábio meu.
O fervor de seu aroma ordenar e des-disciplinar a cor de cada fração de meu sistema, como um calmante regenera estrutura a um quase suicida...
Como uma câmera-de-ar sufoca o pulmão indefeso e confuso. Quero um novo comando, sem comandante ou com vários fugaz. Um pôr-do-sol sem brilho, é o meu corpo sem o seu timbre por perto.
Nós poderíamos, com todas as suas partes que me assombram e todas as suas más-perspectivas.
Aboliríamos esse meu comportamento sem metas, e faríamos arder um novo romance em minhas entranhas adormecidas. Um beijo, apenas um, e eu me rendo.

Rafaella Kristinne

Aonde você quer chegar?
Com o traseiro sentado na poltrona
E a boca aberta para o ar!
Se você não lê o que eu escrevo,
Nem me revela o que tem a falar!
Aonde você quer chegar?
No cume alvo do Himalaia,
Ou nas fossas sombrias do mar?
Se há um rio caudaloso a ser cruzado,
Mas não há ponte nem você sabe nadar.
Aonde você quer chegar?
Sem um livro para ler do seu lado,
Sem uma mão amiga a lhe consolar.
Se os seus amores estão distantes,
E as pessoas do lado esqueceu de amar.
Aonde você quer chegar?
Se o vento lhe leva como uma folha,
E a sorte não lhe resolveu bafejar.
Se a vida é uma estrada de sonhos,
E lhe falta a coragem de caminhar.
Aonde você quer chegar?
Se você não estende a mão amiga,
E a alheia miséria lhe faz gargalhar.
Se você se esconde da tempestade,
E se ufana quando começa a clarear.
Aonde você quer chegar?
Se não engana sequer a si mesmo,
A quem mais você pensa enganar?
Se a um passo encontra o abismo,
E o paraíso é tão difícil encontrar!
Aonde você quer chegar?
Se a vida não foi o sonho de criança,
E o tempo não lhe permite mais voltar.
Se não conseguiu melhorar o mundo,
Ao menos a si mesmo procure mudar!

Eliton Meneses

Muitas pessoas acham que conhecem o Amor. Muitas delas falam de Amor da boca pra fora... e a maioria confundi o Amor.
É algo que não sabemos explicar, tão pouco decifrar... Para o Amor não existe barreiras nem fronteiras que os impeça de estar juntos. Ele simplesmente acontece da forma mais inesperada e do jeito mais surpreendente! Te faz sorrir, vibrar, ter calafrios... Ele te faz sentir-se livre, mas ao mesmo tempo segura ha uma pessoa, cujo você não tem vontade de desprender-se.
O Amor vem composto de diversos outros sentimentos, nas quais sem eles... deixa de ser Amor.. O Respeito, a Confiança, o Companheirismo, a Amizade e acima de TUDO a Sinceridade.
O Amor não te faz sofrer, não te machuca nem com as mãos, muito menos com as palavras. Ele te olha nos olhos e te pede calma, te abraça e te pede compreensão.
Te faz saber, que você nunca estará sozinho nas dificuldades da vida, terá sempre alguém ao seu lado te dando forças.
O Amor te faz enxergar o mundo de uma forma melhor e diferente.. te faz sentir aquele friozinho na barriga, mesmo depois de anos... E a única lágrima que te faz escorrer pelo rosto, é a lágrima da saudade.
Muitas pessoas confundem o Amor com sentimento de "posse", quando o Amor não te faz pensar que um dia ele irá acabar... Afinal, o Amor verdeiro não pensa no fim, apenas vivem juntos todos os dias, como se fosse o último!

Marcelle Figueiredo

Quando eu abrir a boca
Abrirei as portas com boca.
Mesmo morando no porão,
Mesmo esquecido no meu canto.
Eu cantarei.
Convencendo, mas sem convéns.
Direi o que ninguém conseguiu me dizer.
Dizeres de alguém que já se convenceu.
Eu cantarei.
Quando eu abrir os olhos,
Eu sonharei.
Sem música popular,
Eu vou me poupar dessa fadiga.
Quem me instiga contará metais.
Quem me investiga, esse não saberá.

Aldo Teixeira

Pedi ao Papai Noel:
-que me lembre de usar mais os meus ouvidos do que a minha boca
pois ouvindo os meus amigos posso fazer algo. Falando serão apenas palavras!
-que me dê firmeza no meu andar
pois sei que se exercitar os meus passos estarei mais forte e não me deixarei cair, mas se cair terei forças suficientes pra levantar!
-que me dê uma saúde impecável
para que eu possa trabalhar dia-a-dia e vencer pelo meu próprio esforço!
-que a minha casa seja firme
pois sei que se provações vierem, lá será a minha fortaleza e o meu refúgio!!!
Por fim pedi muito paz, beleza, dinheiro, amor e talento pro meus inimigos, pois assim talvez quem sabe eles sosseguem e vivam a vida deles felizes como eu sou!!!

Claudia Homem

cale a boca de quem falou que você não e capaz de fazer tudo que você sonha
derrube com dignidade aqueles que te humilharam
fuja das pessoas em que você sabe o risco
não mude por uma simples popularidade seja você mesmo
resumindo lute por tudo e deixe a mala de coisas ruins na estrada da vida e traga a mala das coisas boas.

Éricles vieira

Quando olhei em tua boca não pude negar a melodia escondida que me aproximavam mais e mais de você.
É demais olhar em volta e sentir aproximação, seja nos olhos ou em qualquer outra parte de nossos corpos.
É natural querer gritar quando vemos coisas que nunca vimos.
"Minha pequena não seja tão esquiva, nós vamos viver para sempre só que em nuvens diferentes."

Eu realmente não ligo para as tempestades, elas são pequenas demais para me acalmar.

Ricardo Teixeira.

desejou que tivesse saído de sua boca. agora, a preocupação se encontrava em não mais frequentar os mesmos lugares, em não mais ligar todos os dias dividindo cotidianidades, em não mais ser tão dependente por motivos óbvios, construídos por amor.
mas, o amor acabou.
tentando ser verdadeira consigo sabia que deveria virar página, ou mesmo escrever um outro livro. seria melhor pra todos! sentimentos e relações confusas machucam muito mais do que qualquer outro caco de vidro nos olhos! tenta não mais existir em concomitância a uma história. mais do que isso será companhia forçada. fecha as portas. ficar sozinha com os lençóis e travesseiros.
olhou para o alto. nunca pensou que chegaria nesse ponto... é uma pena.
faz uma lista:
- não mais dividir seus dias!
martelando frases soltas na sua cabeça.
cadê as paixões? cadê os arrebatamentos? cadê o grande silêncio?
machucados indolores, incolores. profundos.

(inspirado numa passagem do diário de 2010)

Maurileni Moreira

RAZÕES

A vida é tão bela
Os negros
Os brancos
De cor amarela

Os prantos da cara
A boca calada
O sol que não brilha
Pois as nuvens são metidas!

A torneira se abre
A água viaja
Nos canos da vida
Como nós! Coitada

O pássaro grita
Leva pedrada
Do menino travesso
Que não tem mais parada

A Terra se diverte girando
O rio se diverte molhando
Maria se diverte cantando
E eu, o que vem na cabeça, saio contando!

O que vem é o que penso
O que quero
O que faço

Por isso preciso de espaço
Onde coubera tanta idéia?
Mas sempre tem essa sorte azarada
Que não larga do meu pé!


Não viva só por viver
Não faça só por fazer
Não ame só por amar
E não se julgue só por sonhar!

A bússola da vida
Indica sempre a direção certa
Agora...
Segui-la ou não
É você quem sabe
E esse motivo
É você que traz!

Essa é a razão
A razão de existir
Os dias
Os meses
Os anos
Que mesmo tão longos
Correm sem saber pra onde ir!

Leonardo Gazzoni

INSTANTE DE PARAÍSO

Quando sentir o coração bater mais forte,
boca seca, vaga-lumes nos olhos,
borboletas no estômago e faltar lhe
o ar, se entregue.
Deixe-se levar pelo momento.
Que seja no colo, num beijo num amasso na lábia,
mas lave a alma.
Afinal, não é todo dia que alguém nos toma
para voar num instante de paraíso.

Marcos Marques

O Momento

Só por um instante quero me perder em teus olhos e me reencontrar em tua boca
Só hoje quero ser menos eu e muito mais você
Pois eu te amo e tenho passado as últimas noites em claro fazendo nada além de pensar em nós dois
Na esperança de que você entre por aquela porta e me arranque dessa prisão
Prisão de medos...
Venha para perto de mim
Permita o encontro de nossos mundos, o encaixe de nossas almas,
Permita um conto de fadas.

Elieser Gonçalves

"O nome dele era Bento e quando o vi, senti a ironia da boca molhada e pele convidativa me atraindo para mais perto. Queria poder ter contado o número de imãs que puxaram o corpo dele deixando-o mais próximo do meu. Minha pele alva entrara em contraste com o aroma canela que seus poros exalavam. Ah Bento, como dizer não para esse sorriso que tanto brinca no canto da sua boca? Como controlar essa insanidade que me toma quando rasgo tuas roupas? Um verão era pouco, assim como um sábado qualquer. E eu o tinha no lugar que quisesse, contudo nunca o suficiente. Eu gostava de desenhar a curva dos braços dele com a ponta dos dedos, gostava quando ele puxava meu corpo para si, como se os nossos batimentos só se regulassem ao encaixe dos nossos corpos. Que mentira, a taquicardia era certeira no mesmo efeito de uma bala calibre 32 quando as pernas dele deslizavam nas minhas e nossas espessuras se seduziam. Seduzir era o modo como os olhos verdes de Bento moldavam o meu rosto, captando qualquer pequeno detalhe, decorando cada sinal. Ele gostava de cochilar ao som de The White Stripes com a cabeça encostada em minha costela, gostava que mexesse no meu cabelo. Que anjo, o anjo Bento. Seria reconhecido fácil como um arcanjo se chegasse aos céus com o vapor pós-banho passando silenciosamente por sua epiderme. Todavia seus olhos brilhavam como quem dá um ataque rasteiro assim que o cetim vermelho sangue escorregava por minhas curvas. Por Deus, como eu o queria pra mim. Vê-lo não importava onde sempre fazia minhas pernas balançarem. Com o tempo, Bento virara sinônimo de faísca e um dos males da combustão espontânea. Com o tempo eu já não conseguia passar mais de um dia sem ouvir a voz cava dele cantarolando desafinado no banheiro de minha casa. Ele era um furacão e a cada encontro eu ia mais a fundo. Grande erro.
E ele se fora. E num instante o céu não tinha mais cor. Eu nunca compreendi o porquê, como também nunca me perguntei por que ao cair da chuva alguém chora na janela. Não tinha a resposta disto até aquela tarde de setembro de 92. Bento fora intenso como o mar e passageiro como um vento frio, vento este que me gelava a espinha e me arrastava para terras desconhecidas a cada toque. Descobri que Bento nunca poderia fazer milagres se só sabia realizar truques. Ele me conhecia por poetiza e gostava quando eu o dominava como dama da noite. - “Nossa, menina, tu encaixas todas as tuas desgraças em poesia. Se não fosse tão bonito, seria triste.” - Ele sempre dizia isso e, olha só, acabou virando uma delas."

O silêncio da presença dele ecoou pelos corredores e os rastros foram levados pelo vento.

Amanda Seguezzi

- Titulo: Fumante

Inicia nas mãos seu amor ao fogo
na boca a imagem da morte
fenecem-lhe o dia-a-dia as vivas forças

Na temporalidade, internas piramides
tornam-se negras cavernas
a sufocar-lhe plena vivencia

Pulsa o relógio
em fumegantes espirais
e, subitamente na tarde,
o tique-taque para.

Marta Monteiro André