Textos sobre Carnaval

Cerca de 121 textos sobre Carnaval

Carnaval é realmente alegria...
Mas infelizmente os tempos mudaram, o trânsito nos agride, o stress é o mal do século, as doenças são invisíveis pra quem não as tem, a violência arromba nossas portas e todo cuidado é pouco.
Mas é carnaval...e por que não carnaval com responsabilidade?
Podemos sim, deixar a festa acabar, o barco correr e o dia raiar, mas não esquecer que amanhã tudo pode ou não voltar ao normal e seja você quem for, seja o Deus quiser. Mas a responsabilidade é sua.

Daiane Ataides

E o que temos para hoje?

Carnaval!

Para alguns, a desculpa esfarrapada para encher a cara, se vestir de mulher, e colocar a fantasia de palhaço que não deveriam tirar nunca.
Os mal-educados têm hoje o grande dia ou alguns dias para gritar pelas ruas, colocar o som altíssimo e destilar o ódio que sentem pela sua insignificância.
Os vagabundos, alguns dias a mais para receber sem trabalhar e emendar os dias em que fazem mal as coisas com dias que nem isso fazem.
O Brasil deveria repensar esse feriado. Não há o que festejar sendo o primeiro em quase tudo de ruim que existe a começar pelo analfabetismo de adultos, a mortalidade infantil e as taxas de violência encabeçadas pelo maior número de mortos pela violência antes dos trinta anos.

Brasil, esconde a tua cara!

Marinho Guzman

Carnaval no Guarujá.

O carnaval é uma festa pública originária da Grécia de meados de 600 a 520 a.C.
Por incrível que pareça, passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica em 520 d.C. como “adeus à carne” daí o nome “carne vale”.
O carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX.
A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro se inspirariam no carnaval parisiense para implantar suas novas festas carnavalescas.
De um tempo para cá, principalmente no Brasil, o carnaval é muito mais lembrado como Sodoma e Gomorra, pelos excessos sexuais e etílicos. E nem se fale de adeus à carne porque o que mais se vê são churrascos antes, durante e depois da festa, o que custa aos cofres públicos um dinheiro que não existe para contratar médicos, aparelhar hospitais e minorar o sofrimento da maioria daqueles foliões que gastam grande parte dos salários de muitos meses para aparecerem como pequenos pontos coloridos nos desfiles das escolas de samba.
O carnaval está mais para circo do que para festa, pelo tamanho da palhaçada que os administradores do dinheiro público fazem.
Há verbas de todos os tipos, com todos os nomes e sempre para os mesmos bolsos. Não se vê gente séria envolvida com essa palhaçada porque se era ou foi sério algum dia deixa de sê-lo quando alguém é homenageado, agraciado, paparicado ou qualquer outro nome que se dê a tamanha insuflação do ego.
Nos próximos dias vamos ler no Diário Oficial do Município o tamanho das verbas destinadas ao carnaval e os gastos com a montagem dos palanques. Os mesmos palanques usados para as campanhas eleitorais, os mesmos cabos eleitorais, os mesmos foliões com o dinheiro público.
E os hospitais? Bem isso é para nós, os palhaços de sempre!
Isso é fantástico!

Marinho Guzman

A Euforia acabou
O Carnaval já se foi
Por que continuas com esse sorriso no rosto?
Não percebes que esse tempo já passou?
Aceite, o Carnaval acabou.

Não te digas que não te avisei
Todos me criticaram porque não participei
Enquanto os blocos iam passando
Eu estava avisando
Que toda aquela Euforia um dia ia passar

Agora todos estão à reclamar
Pois, não encontram nada pra brindar
Se tivessem me escutado
Não estariam à chorar
Pois saberiam que o Carnaval ia acabar.

Olívia Tavares

.

Um Luau ???

Um Baile de Carnaval ??

Festa Junina , ao lado do Curral ???

Na Índia , no Taj Mahal ??

No Buteco do JUvenal ???

Quiça num show de Heavy Metal ???

Não importa o Local

E nem se vai ser o ideal

Mundo pósmoderno , sobrenatural

Um encontro virtual ???

Hoje coisa normal

Quem sabe um encontro trascendental

No campo astral

Sureal

Pode ser um encontro casual

Na porta do prédio , no Hall ...

Pode ser no elevador

Seja do jeito que for

Que ali floresça o amor ...

.

Cláudio 2008

.

Cláudio Andrade

`Passou o Carnaval,
e o Carnaval levou tudo.
Ouço o eco das cancoes
que cantei com você
que cantei pra você.
Fiquei vazia
vazia da sua influencia
vazia de quem eu era por você.
A ilusão
que para alguns dura dias
para mim durou meses, anos.
E como para todos chega a hora
acordei hoje de manha
olhei no espelho
vi mais eu do que você.
Não há desespero ou saudade,
não há lágrimas
(só se for pela minha demora em seguir em frente).
Não há arrependimentos.
Apenas estou livre.
Livre do Carnaval
em forma de delírio
que você foi pra mim.
Já posso te guardar
nos meus álbuns
sem medo de que você se torne um fantasma.
Já posso me preparar para os próximos
paetes misturados a serpentina e papel crepom.
Para me vestir de alegria
quando o novo Carnaval chegar a minha alma.

CleaRF.

ta faltando você [Marchinha d carnaval]

tem mulatas no meu bloco sim senhor,
tem loirinhas dos olhos azuis,
tem morenas bronzeadas
com as pernas torneadas
com o sorriso encantador,

Refrão
as mulatas fazem todos delirar
oba,
as loirinhas tem um charme
especial oba,
as morenas bronzeadas
com as pernas torneadas
encantando os carnavais.

[repete a letra duas vezes]

joaquim alves

O batuque que sai do tamborim agita aquela menina.
A roda de samba pára para ver o seu carnaval inteiro passar.
Fora de época ou será o ano inteiro?
Desfile enlouquecedor de pernas, braços e sorrisos.
Sorrisos estampados no rosto, na barra da saia e nos pés.
Dança interior originada de uma bateria desconhecida para aqueles que não se deixar levar pelo sons que saem de si mesmo.

Paloma Garcez

" Carnaval "


Ela passou na minha vida
vazia
de boêmio e sentimental,
como passa num ano de tristeza
o relâmpago de alegria
do carnaval...

Seus braços me envolveram como serpentinas
frágeis, de papel,
e se romperam coo as serpentinas
que se arrebentam quando o vento sopra
e se soltam no céu....

Ela passou na minha vida, assim,
tal como passa na monotonia
de uma existência banal,
a furtiva beleza e a loucura de um dia
de carnaval !...

Nossa história, - o romance desse dia
sem ódio, sem despeito, sem rancor, sem ciúme,
nem podemos lembrar,

teve o destino irreal de toda fantasia
e a existência de um jato de lança-perfume
atravessando no ar...

O nome dela, não sei;
ela não sabe o meu, - que importa ? - não faz mal...
- Não fôssemos nós dois apenas fantasias
não fosse a nossa história apenas carnaval !...

j g araujo

O CARNAVAL

Assisto a pobre alma pelo relampejar da fantasia, tentativa frustada de preencher o vácuo individual.

Assisto o pobre habitantante da região em gigantesca agitação, refúgio interior do imenso conflito.

Assisto ainda muitas almas a se consumir pela a acanhada alegria surperficial, mas era de se esperar.

O indivíduo é imensamente simples ao tentar se descobrir em penachos e paetês, intensa demonstração de desgastado coração.

São os momentos temporais que fazem o momento afortunado, ou apenas originam a traiçoeira ilusão de alucinado prazer.

Existem os que se libertam ao amanhacer sem nada temer, mesmo sem esquecer a miséria de sua alma.

Necessito lembrar que existem apenas os que lamentam as suas misérias interiores a cada folia, alfinetando a falsa alegria, que as consomem a cada quarta-feira de cinzas.

Jorge Mello

A morte

A morte é o real
Nessa vida distraída
Onde tudo é carnaval
E o real é irreal

Não faz mal a morte
Porque minha cadeira cativa
Está me esperando ativa
Num lugar escolhido com sorte

Só deixo uma saudade
Que sempre me fez feliz
Amante , amiga ,irmã e mulher
Sempre comigo onde eu estiver

Saudades muitas também
De meus filhos , netos e familia
Fizeram eu entender com a idade
Que da vida ....esse é o único bem

Raimundo grossi

Há desejos que fazem carnaval em nossos pensamentos, querendo se tornar reais.
E na realidade há um pé que teima em não dar o primeiro passo.
E o pior, você vai dando razão a ele por achar que o tempo vai encorajá-lo a dar o segundo, quando na verdade o ponteiro do tempo pode dar voltas no mundo inteiro, e você continuará 'estático'.
Não importa se você vai dar o primeiro passo agora ou daqui a dez anos, a caminhada sempre será o caminho.

Então vamos lá... CALCE OS SAPATOS E MOVA-SE!!!

Aglaê Estrela

O que há de tão ruim o Brasileiro gostar de Carnaval?
Acredita-se que a ausência dele seria capaz até de nos incluir entre os países de "Primeiro Mundo", segundo alguns pensadores.
No entanto acredito que a ausência de Saúde pública e Educação de qualidade sejam mais pertinentes.
No Carnaval as pessoas se mostram realmente como são, sem vergonha e sem medo, e ás vezes sem limites, infelizmente.
Respeito todos que não gostam de Carnaval, mas não aceito a idéia de que o Carnaval faz com que nosso País seja menos desenvolvido.
O Brasileiro é um povo sofrido, Carnaval e Futebol são as duas mais importantes causas de alegria em massa e por isso tenha sido usada para outros fins.
Precisamos ter consciência apenas de que Carnaval duram quatro dias, uma Copa alguns dias a mais e Governantes, no mínimo, quatro anos, e que após os noventa minutos de cada jogo de futebol e a folia do carnaval precisamos olhar a frente e levar política mais a sério.

Evelin Almeida

CHEGA DE SONHOS E ILUSÃO
QUERO UM MUNDO REAL
SEM FANTASIA E SEM CARNAVAL
CAMINHAR LENTAMENTE
OUVIR BATER MEU CORAÇÃO
COM UMA ALMA PACIENTE
TER UMA NOVA DIREÇÃO
ESQUECER O QUE PASSOU
DEIXAR TUDO PARA TRAZ
FAZER RETO O MEU CAMINHO
ARRANCAR TODOS ESPINHOS
PRA NÃO MAIS CRESCER
BUSCAR A PAZ PRO MEU INTERIOR
MERGULHAR EM NOBRES SENTIMENTOS
VIVER O AMOR...

Dirce Dias

Domingo de Carnaval

acordo querendo mais um dia de alegria, descomplicado. Quem sabe as vezes colocar minha mascara de papangú e tentar ser algo que quero tanto ser... mas vou adiante, bem adiante, pego um pouco da ressaca do sábado de Carnaval e coloco no meu dia. evjo que ainda não aproveitei quase nada do meu período de carnal. carnaval? qual? quando?

Vou ser difernete... só por hoje.... serei um papangú

Sinézio Albuquerque

No domingo de carnaval ela estava tão feliz.
Era tanta felicidade que não cabia dentro dela.
Seu rosto lindo brilhava mais que o sol ao meio dia.
A lua escondeu-se envergonhada.
E ela refulgia absoluta na avenida.
Nos pés a herança de um passado remotamente possível
De descendência negra.
Não sei de onde vem esse swing, essa coisa de bamba
De roda de samba, de amor ao carnaval.
Só sei que ela cintilava, faiscava, esbanjava
Toda sua beleza e simpatia na avenida.
Nesse momento meu coração abriu-se
E de uma vez por todas entendi
Que o samba é algo que corre em suas veias.
E que é impossível ignorar.
Não é justo com tamanha paixão.
Há quanto foi contida?
E agora num lampejo do destino
Desaguou numa avalanche incontrolável de felicidade.
Congratulo-me por tê-la deixado desfilar.
E juro, que se soubesse disso antes
já teria tomado uma providencia.
Agora queria saber mais coisas que a faça feliz assim.
Se houvesse, se eu soubesse juro que daria a ela.
Só pra ver esse rosto tão envolto em terno esplendor
Magicamente transformado em pura alegria.
Se soubesse, juro que faria o que fosse preciso
Para vê-la assim novamente
No dia a dia, por todo o sempre.
Amém!

Fabricio Canalis

Engana-se quem pensa que o carnaval
é a festa das máscaras e fantasias.
Na verdade é justamente em seus dias
que as verdadeiras faces, ocultadas pela covardia,
são expostas com todos os seus instintos,
excessos, anomalias morais e anseios inconfessos,
mostrando ao mundo a essência pervertida
de quem ao longo do ano regressa ao seu casulo
e adota uma identidade disfarçada!

Reinaldo Ribeiro - O Poeta do Amor

É Carnaval...



É carnaval!?

Caem as máscaras

Emergem os sonhos

Cessa a agonia...



Vejo pierrots e Colombinas...

Experimento a embriagues

Das utopias.



Encontro-me num mundo

De palhaços e Arlequins...



O céu tocou a terra

E os anjos fizeram-se arautos da

Sobriedade...



Caio por terra. Meus olhos turvam, meus

músculos retesam-se.

De repente, num lampejo de

Razão estou de volta

A realidade;

Esvaio-me em prantos e penso:

Ano que vem tem mais!

Fabio Guedes

Que inveja de quem vê o ano começando apenas agora depois de esperar pelo carnaval em folia, Que inveja!
Meu ano começou com os fogos em Copacabana, entro quase no terceiro mês deste que corre mais que o Barrichello...
Já estamos em Março! Ás águas perigosas vão fechar o verão...
E que ano!
De lutas, de muita prece diante da enfermidade...
Meu ano não começa agora, atenções ao que é importante sim, para muitos...
Quem sabe não é hora de ver o povo do Acre, embaixo d’água?
Vamos ver quem vai ser campeão, sim...
Nós ou a Dengue?
Adoro festas, carnaval, mas eis o meu desabafo!
Eu já quase na páscoa depois de passar por muitas tempestades, onde recorri a minha fé e de alguns amigos que como eu não presenteado com esta imensa festa de três meses...
E já que começou o ano, que tal ir ao Inca e doar sangue, em gente que tal?
Tem gente lá que o ano começou com o meu...
Ainda bem que terminou o carnaval!

Crissol

O amor é carnaval.
É pulo de alegria, gritos de euforia.
É animação, excitação e empolgação.
O amor nos deixa elétricos.

O amor é carnaval.
São dias tranquilos e calmos.
A cidade deserta, a reclusão em um mundo só seu.
O amor nos relaxa.

O amor é carnaval.
É acidente autosentimentalístico.
É exagero, mistura entre extremos.
O amor nos liberta.

Sarah Bezerra