Texto sobre Mim

Cerca de 201 texto sobre Mim

Médicos
Nos destinos de paz, no acontecimento da morte ou vida de guerra. No hoje do talvez seja o uniforme de honra de um soldado de cura. Contrario de um sonho profissional passado, é o recomendo de honra do poeta. A solidão branca, o sangue necessário da competência, os mortos desistidos, o recomeço após um tempo grande de paz vazia de um cidadão do soldado, a salvamento de crianças, as frases de bem estar e de despedida com parcialidade jornalística, pois nada na sala é pessoal, no quarto sentimento profissional e humano. Os corredores correndo para melhorar, curar, dar vida e salvar. Desejam com todos os plurais que a palavra não deseja; paz. Vinda por eles, pela a ciência, por milagres, por coadjuvantes, que seja aplicada. Que não retire dos médicos o destino insondável, a assistência que proporcionam a paz.
(Tiago Nogueira).

Tiago Nogueira (eu mesmo)

Fábrica
O vento vestido e vago! Diz quem grita no vazio que produz orvalho solitário. Quem passara quem caiu, não deixou nada a funcionar. A máquina movimenta um pouco de vaidade e abandono, veste as baratas em suas festas, sei que nem mesmo a corrente de meu sangue tornou como energia, funcionava a palpitar e a pouco para parar a única que vivia a me lembrar de estar.
Como dizem! Passa a criança que não percebeu que aquele acaso levou sua inocência, sorrio, olhou a fumaça logo no teto do céu e não da fábrica e disse: morte ao abandono; saudade do movimento interno, lamentos por quem fez desistir quem nem havia sentido, choro por quem não recomendou por quem não se machucou para deixar ali um pouco de sangue, para saber a produção, de outro.
Carro entregara os últimos doces de um namorado apaixonado para a moça que desejara experimentar a fama daquela fabricação, há tempos aconteceu, há anos amarga, esquecera. Ambição foi-se antes de tudo, não recebia, dava sua graça como um ser que pena na rua. Deixou as idéias, apagou-se a propaganda que fazia seus olhos. Alguém lembre! Resta ao pobre apenas ferrugem que deseja a morte na renovação.
(Tiago Nogueira).

Tiago Nogueira (eu mesmo)

Um pedaço de papel na mão. A caneta explode sujando todos os seus dedos. Dessa vez você não tem para onde fugir. O papel e a caneta não são nada, a sujeira também não demostra nada.
Na verdade seu coração se partiu junto a tudo!
Você tenta ler o que escreveu e percebe que esta indecifrável, porém se recorda dos dizeres... "Eu te amarei para sempre"...
Logo percebe também que o para sempre quebrou, explodiu, manchou seu papel... Juntamente quebrou, explodiu e manchou o seu coração!

Daniell Brandt- eu mesmo...

Incrível! Essa é a palavra certa para usar!

Olhares vagos são apenas olhares vagos... Pesamentos vagos são apenas pensamentos vagos... Amores vagos são apenas amores vagos!
Porém, por um instante tudo se contorce... o mundo vira de cabeça para baixo! Tudo que por dias, por meses e por anos, foram vagos de mais, acabam virando uma verdade absoluta! Um nada capas de virar tudo! ...... O mundo risca um traço, e você se pergunta se tudo isso seria uma curva irrisória, entretanto tudo leva a crer que não! Tudo pode estar baseado apenas no destino... Por mais que dure mais uma hora, um dia, um mês ou mais um ano!.... Fato é que no fim você percebera que estava tudo escrito e suas decisões nem sempre foram tão difíceis assim...

Daniell Brandt- eu mesmo...

Mundo sem cores!

Bummmm! Você acorda!
Afinal de contas porque você tinha que acordar justo hoje? Você se olha no espelho e percebe umas rugas que não existiam no dia passado... Percebe também os olhos inchados, porém não foram de choro... e sim de cansaço! Seu corpo não descansou como deveria! Sua cabeça não descansou como deveria!
Bummmm! Você então se lembra; Hoje, hoje é o dia que as coisas podem... na verdade; é o dia onde as coisas poderiam mudar, poderiam, isso mesmo, poderiam... Um milagre? é o que resta para você, é o que resta para mim, e o que resta para tantas pessoas, que como eu, dormem e acordam pensando em alguém, ou então pensando em si mesmas... Essas mesmas pessoas podem ou não ajoelhar ao lado da cama e pedir a Deus com toda fé vinda de seus corações que as coisas mudem, mudem apenas um pouco, na verdade nem tão pouco assim, apenas o suficiente, o suficiente para serem felizes... Para serem amadas... E são dessas pessoas que eu gosto, que pedem pouco, que fazem do muito apenas um pouco, que esquecem os holofotes da vida... e vivem a vida como ela realmente deveria ser vivida; em nome de uma nova vida!

E porque mundo sem cor? Ou mundo sem cores? como você preferir... Porque dentro de você, você mesmo sabe que vai ter que atravessar uma parede, uma parede que nela constara uma porta, porta essa que depois de atravessada fara você esquecer tudo... Quão colorido é seu mundo dentro da sua casa né? é! O meu também... Mas como é triste o mundo fora dela! .......

Um dia, quem sabe um dia, me restarão lembranças, apenas isso... Lembranças! Lembranças da dor, da magoa, do amor, da tristeza e da felicidade... E se chegar esse dia, significa que eu morri....... Todos sentem, nem que chorem sozinhos, ou que chorem por dentro... Todos sentem... Sentem Amor, Dor, Tristeza e Felicidade!
E do fundo do meu coração eu espero continuar sentindo... Tomara que eu consiga sentir isso para sempre, que eu carregue magoa para sempre, sendo assim eu saberia de uma coisa; eu amei nessa vida; eu amei alguém nessa vida; eu me amei nessa vida... detalhe; sempre estarei pronto para fazer tudo de novo!!!

O que você faria em nome do amor e da felicidade? ..........

Daniell S. BrandT...

E você sempre seguira, vivera, e morrera sendo comum apenas nos olhos de quem não te ama!!!

Daniell S. BrandT...

@Boa noite, Bom dia... Foda-se!

Daniell Brandt- eu mesmo...

Deixa falar!

Uns podem falar, ou pensar que sou feminista de mais com esses pensamentos... Que pensamentos? esses mesmos! Esses que as vezes você lê! Sobre amor, sobre felicidade, saudade e etc... Porém me julgo alguém autentico, eu, eu mesmo sabe? Sem imitação; verdadeiro. E sim sou mesmo! Deixo falar... Deixo falar por mim mesmo... Quem sabe deixo falar pela minha vida. Não fico me reprimindo ou algo do tipo! Apenas falo, sinto, quero, querem, falam, sentem... Não falam. Sofrem calados! Grande vitoria! Queria ser assim; não sou! Escrevo! Gosto! Gosto mesmo... Perca de tempo? Para você quem sabe... Para mim não! Verdade, fato, vida... Sou assim! Um fato! Um eu, um eu mesmo!

Daniell Brandt- eu mesmo...

Não. Apenas é louco aquele que sabe as loucuras de um louco.
Quem sabe ela nem seja assim louca, ou pior, quem sabe, ela seja assim bem louca.
E pelas incoerência dos coerentes apenas os loucos se entendem. Para entender um louco traga outro e lhes de cinco minutos de proza que perceberão que são da mesma família. Família?
O louco, quem sabe, duvide da própria duvida, e a duvida por fim duvidara dele.
Por mim, imagine você, que para um louco apenas a loucura lhe cabe, sendo que a palavra loucura nem signifique o significado em si, mas sim algo muito maior, um sonho? uma fantasia? UMA LOUCURA?
Sendo que além do fim essa loucura significara uma outra loucura muito maior que essa, e realmente no fim, aquele fim... Saberás que por falar loucura nem querias que assim se chama-se, e sim, não? Querias dizer em troca de loucura o verdadeiro significado do mesmo.
Um dia um outro louco te lera, te entendera, e dirá, agora sim por fim, o verdadeiro nome da louca.

E que sejas louca; assim, saberei de quem viestes. Sendo que caberá aos loucos te entender... Seguindo assim a família dos loucos! ...............

Daniell Brandt- eu mesmo...

Aquela rua escura!

Sabe aquela rua escura? Aquela mesmo... Onde seus pés caminham rápidos de mais, porém parece que você nunca sai do lugar. É exatamente dessa rua que estou falando!
Você anda por ela todos os dias. Caminha sobre o causamento lentamente. As vezes sente algumas pedras se locomoverem com o pisar dos pés...
Tem algo estranho nela... Sei lá, uma brisa, um cheiro, um gosto, um olhar... Parece que a rua está em você como você esta para ela.. Porém, logo você percebe que a rua não é sua, ela não te pertence. Pertence a alguém e esse alguém não é você!
Sim, você paga os impostos para usufruir dela, mas é a unica coisa que você pode fazer; usufruir... Você não pode leva-la para casa. Por mais que você queira fazer isso; você não pode!
Por você, você ficaria o dia todo reparando-a: o modo como o vento faz as folhas passarem por entre as causadas, o modo como a sujeira acaba deixando um ar de vida, o modo como uma pré saudade já anunciada deixa seus olhos lacrimejando!
E essa unica rua futuramente gerara outras ruas...
Futuramente também, você pode decidir não passar mais por ela, pode tomar outro caminho, outra rua.
Porém, entretanto, talvez, um dia algo o faça passar entre ela, ou perto dela. Esse "algo" o fara lembrar; lembrar da saudade e do modo como você foi feliz, apenas passando naquela rua... Ao percorrer o percusso você perguntara a Deus; "Porque o Senhor não me empresta essa rua até o meu silencio eterno?"
E ele calara seu coração dizendo; "Essa rua não lhe pertence, você é apenas um passante. Um passante transformador!"

Saudades da minha rua. Saudades da mulher da minha vida...

Daniell Brandt- eu mesmo...

Queria dar Adeus, não fiz!
Queria ter Amado menos, não fiz!
Queria ter me perdoado mais, não fiz!
Queria ser assim como os outros, não sou, não fiz!

Amei de mais, amei muito... Amei errado! Amei errado?
Amo de mais, amo muito... Amo errado! Amo errado?

Coração que começa partido morre partido? Sim? Não? Talvez? Foda-se

Daniell Brandt- eu mesmo...

Tenho um amigo chamado morte!

Tenho um amigo ao meu lado esquerdo que se chama morte. Ele não aparece muito para mim, nem para você! ... Na verdade você também tem esse amigo! Todos temos...
A morte nunca poderia ser uma amizade, porém é! É ela que leva seu corpo para o descanso eterno, para uma nova batalha, ou para o país das maravilhas. Você decide. Acredite no que quiser...
Mas se um dia quiser pedir a Deus algo para seu amigo, ou para si mesmo, peça que a morte o a companhe sempre, que ela esteja ali sempre, porém apanas para olhar... Não de motivos para ela sorrir, não de motivos para ela te levar. Pise os pés na rua com mais segurança, ponha o sinto, beba menos, fume menos, descanse mais, ria mais, sorria mais, viva mais!

E ao fim ponha seus amigos, aquele amigos de verdade, ao seu lado direito, ali sua mão pode se estender com muito mais facilidade! ...

Daniell Brandt- eu mesmo...

Pelo nosso Senhor Pai, começaremos com o pé direito.
Pela nossa Senhora Mãe, seguiremos com o pé esquerdo.
Pela força do Espírito, correremos com os pés no chão.
Pela graça do Filho, caminharemos devagar.

E pela força do Pai, do Filho e do Espírito Santo... Viveremos em nome da Mãe.
Amém.

Daniell Brandt- eu mesmo...

Não erre quando a unica que você pode fazer é acertar. Não abandone seus sonhos, siga pelo caminho correto; sim, o caminho correto é a dificuldade, são as perguntas... Não cometa os erros que outros já cometeram, não desista de si, de ti, de você. Não desista de ser feliz! ... Quando algumas perguntas atordoarem sua cabeça, não pare, não espere. Para o tempo não há tempo!
Unica pessoa que pode fazer algo diferente por você, é você mesmo. Não existe ele, ela, eles, elas. É TUDO COM VOCÊ! Não erre para descobrir que errou, e não acerte para descobrir que acertou. Apenas siga, comemore seus acertos, aprenda com seus erro, e por fim viva, viva feliz, sem medo.

Não desista de seus sonhos pelo simples motivo de achar que está errado.

Não erre como eu. O tempo não volta atras para concertar as coisas!

Daniell Brandt- eu mesmo...

Folhas caem em um dia de sol, como num dia de chuva!
Folhas caem numa tempestade, como num dia sem ventos!
Folhas caem perto de você, como podem cair a quilômetros de distancia e nem fazer diferença.

Simplesmente porque folhas caem! Se renovam! Mudam!

Pessoas crescem, amadurecem, mudam, mudam mais um pouco, mudam de novo, e se for preciso de novo... envelhecem, ensinam, morrem, saudade...

Daniell Brandt- eu mesmo...

O fim quem sabe seja o começo.
Um novo começo, quem sabe até seja o começo para um novo fim. Quem sou eu para julgar algo. Quem sou eu para decretar começos ou fins de alguma coisa? Por mais que um dia digamos; começou, ou que digamos; é o fim. Isso não fara diferença alguma, porque não existe tempo, uma amizade pode começar com um simples oi, certo? quem sabe seja mesmo, porém, entretanto, ela pode ter começado mesmo a algum tempo atras, com um passar de olhos rápidos, que você nem ao menos se lembra, ou então nem faz questão de se lembrar.
Sendo assim, quem sabe um dia, um dia, o fim ou o adeus sejam ditos, praticamente igual a morte, mas igual a ela, quem somos nos para decretarmos algo que nem sabemos?

Quem somos? onde começa? onde é o fim?

Daniell Brandt- eu mesmo...

Eu nunca quis um fim.

Já estava escrito que esse momento chegaria.
Fizemos coisas que nunca deveríamos fazer; nos amamos, nos amamos tanto, que o "tanto" virou improprio para nos dois.
Você não sabe o que fazer, e nem eu...
Estamos perdidos em um mundo de perdidos.
Você acompanhada, porém sozinha...
Eu sozinho; sempre sozinho!
Tenho saudades, tantas saudades que me pergunto; porque? Porque você? Porque eu? Eu só queria ser amado.
E por fim, acho que você só queria um amor, tanto amor... "para sempre"...

Daniell Brandt- eu mesmo...

O sonho acabou...

Seus passos
viraram marcas em um deserto sem fim
seus passos se transformaram; me mudaram.
Você deixou marcas e partiu...
Tão rapidamente
quanto chegou...
Me perdi em um mundo de ilusões
Onde agora para mim; só bastaria o teu perdão...

E mesmo sabendo que não te terei mais
só queria que você soubesse;
Você deixou marcas que não irão se apagar jamais...

Obrigada!...

Daniell Brandt- eu mesmo...

Feliz dia das mães!

Ela se vestiu de branco.
Nunca esqueci seu cheiro...
Me deu muitos banhos,
e me arrumou por muitas vezes
eu mau sabia onde estava,
porém ela me cuidou,
me ensinou, me mostrou, sem forçar nada...
eu só queria ser,
o que sou exatamente hoje.
Uma pessoa autentica... verdadeiro!
Obrigada mãe!!!

Feliz dia das mãe...

Daniell Brandt- eu mesmo...

Se tudo mudar...

mudam-se as causas
mudam-se as coisas
muda-se o mundo
mudam-se as importâncias
muda-se o amor
muda-se o sentido
muda-se por dentro
muda-se por fora
muda-se por mudar
muda-se por si mesmo
muda-se por necessidade...
muda-se tanto
muda-se muito
muda-se porque a vida é uma eterna mudança!

Mude!

Daniell Brandt- eu mesmo...

Porque você me tira tanto do serio?
Meu corpo ferve. Tudo fica mais rápido. O coração bate rápido, as mãos tremem rápido, e o suor escorre rapidamente.
Eu realmente queria saber o que tem em você que me deixa assim?
E porque tamanha nescidade de saber?
Porque de ti não tenho nada, tenho pouco, tenho pouco para completar minha tamanha necessidade...
Só queria saber o que você tem; para tentar encontrar alguma pessoa parecida com você, ou que me lembre você... Sei que é impossível.
E quem sabe esteja ai o grande problema, quem sabe minha vida não faça mais sentido. E são tantos; quem sabes, que quem sabe nem seja bom eu expô-los aqui... Não acabaria com minha vontade.

Daniell Brandt- eu mesmo...

No canto dos seus olhos...

No canto dos seus olhos uma tristeza profunda anuncia o fim de um começo breve.
Ia chegar essa hora.
Agente sabia que iriamos passar por isso.
O tempo, quem sabe, foi injusto com nos dois. Quem sabe seja injusto com tantas pessoas. Na verdade, o tempo passou muito rápido ao seu lado, e muito lento longe de você.
E agora como ficamos?
Sera que o tempo vai me consumir? Ou vai passar tão lentamente, quando a unica coisa que me resta é saudade?
Eu realmente queria saber explicar o amor, porém não sei.

A ciência explica tudo... Só não consegue explicar o amor, ou o que ele é capaz de fazer com as pessoas, ou o que ele poderá fazer comigo? Ou o que ele poderá fazer com você?

Se um dia não amares, ou não fores amada como deverias, ou achas que deverias... Você sabe que aqui o amor é a unica coisa que me resta, enquanto o tempo me consome.

Não me deixe passar, não deixe esse amor passar!
As coisas não voltam a acontecer e o amor não volta a aparecer tão facilmente quanto as pessoas pensam, na verdade, elas podem nunca mais sentir o mesmo!

Daniell Brandt- eu mesmo...