Texto sobre Dança

Cerca de 207 texto sobre Dança

Aqui na Toca...

Aqui na Toca
a leoa rebola
ela dança, ela chora,
cheia de humor.

Aqui na Toca
tem verso e tem prosa
tempestade que assola
a mente do sonhador.

Aqui na Toca
eu mostro o sentido
do que tenho vivido
em minha história de amor.

Aqui na Toca
você é bem vindo
aperte o cinto
e sinta o calor.

Aqui na Toca
é fácil de ver
espelhado o meu ser
rasgado de dor.

Aqui na Toca
não importa o assunto
esse é o meu mundo
viciado em ardor.

(referência ao Blog: lioness-tocadaleoa.blogspot.com)

Angela Natel

SONHO COM UMA DANÇA
QUASE IMPOSSÍVEL

O meu corpo é a embalagem da minha alma e eu sou um presente fácil demais de ser desembrulhado. Se hoje eu tivesse que me dar pra alguém eu me daria inteiramente pra você. Junto você levaria também todo encanto do meu pensamento, o qual te desnuda a todo instante como se despetalasse uma flor cortada para as minhas mãos. A vida é esta valsa que toca neste grande baile onde te convido pra dançar. Às vezes ela se torna uma grande balada quase sempre agitada nos levando a mudar os passos da dança. Sem hesitação e disposto a ser seu par em qualquer ritmo do tempo, quero dançar e girar com você dia e noite numa mistura de sol e lua, capaz de fazer com que o mundo sempre adormeça e amanheça em paz sobre os nossos pés.

Paulo Del Ribeiro

Quanta cultura?
Quanta religião?
Quanto ritual?
Quanto animal?
Quanta dança?
Quanta música?
Quanta pintura?
Quanta poesia?
Quanta literatura?

Quanta...
quanto...
quantos...
perdemos
Em todas nações, orgulho
Em todas nações, preconceito
Em todas nações, vaidade
Em todas nações, falsidade
Em todas nações, ganância
Em todas nações, degeneração

Em todas nações, a mesma raça

Em todas nações,

ser humano.

Luan da Silva Leal

A ARTE EM SEU VALOR E GLAMOUR

Toda arte - seja música, canto, dança, pintura, literatura, teatro..., enfim: a "verdadeira" ARTE - tem um "que" de divino! Já parou para observar as pinturas de Van Gogh, Góia, Picasso, etc? E o que dizer de Michelângelo em A Capela Sistina? É pura magia que transcende a alma! impressiona, conectando-nos com a divindade interna de cada um. A músca clássica nos faz levitar e dá a impressão de que estamos saindo do corpo: se não estivermos preparados para ouvi-la, sentimos medo e se não formos corajosos, fugimos da música, fugimos do que é divino. O canto, em sua delicadeza, parece nos purificar a alma. A dança (clássica) parece nos retorcer o corpo, deixando-o em leveza e bem-estar. A literatura nos leva a um mundo fantástico e imaginário que jamais encontraremos em realidade. E a verdadeira "ARTE TEATRAL", em sua plena magia, é capaz de nos conectar coração, alma e mente, nos fazer viver as mais belas loucuras, os mais belos sentimentos, chorar todos os prantos e sorrir todos os risos, nos faz amar e ser amados, nos faz mentir em viver a mais plena felicidade quanto que a felicidade maior é viver o teatro em sua plenitude. É ver com a alma, pensar com o coração, sentir de todas as maneiras o seu encanto. Tudo isso porque é uma das formas como Deus se manifesta, da maneira mais efêmera.
Mas eis que entre a arte e seus operadores, para equilíbrio de todas as coisas, surge o "demônio" enciumado e, com falsas promessas, oferece o coquetel da perdição, um cálice contendo os piores ingredientes: o pior deles, o pai de todos os outros, é o egoismo, inflado pelo orgulho e a vaidade, pela inveja e a ambição.
Ainda bem que a atividade teatral não se pratica sem um líder, que é o diretor. E como todo bom líder, com espírito nato da liderança, nasceu para saber arrancar o melhor de cada um, buscar no íntimo dos seus dirigidos o que tem de mais magnífico dentro de si e fazer isso aflorar em divina magia, para a verdadeira beleza da mais efêmera das artes, que é o teatro. E assim embelezar mais e mais o nosso mundo.
Mas o "demônio', com sua típica malícia, foi ao diretor o primeiro a oferecer o coquetel da perdição. O qual, na prepotência típica dos diretores de arte, revelou que ele seria, se não o único, o primeiro a merecer todas as benesses do espetáculo. Afogou-se em profundo gole colocando em perigo a beleza harmônica que o "CRIADOR MAIOR" nos colocou à disposição.

Valdemi Cavalcante Teixeira

A dança mais bonita guardei pra ti,
e então cortei-me o pé e não pude dançar,
as mãos que tateiam o caminho no chão
outrora seguravam o mundo, e eu me sentia rei,
porem hoje, quando trancafiado na minha solidão,
apenas o cheiro do mofo me é sensação,
então me diga, oh Deus, por que tem que ser tão difícil?
e por que tantas pedras no caminho pro mar?
as vezes penso que nunca irei chegar, porque chove e faz frio aqui,
e o azul dos meus lábios anuncia que enfim morri.

Helom Egidio

DANÇA DA CHUVA

E choveu...
E choveu...
Durante longos meses
Choveu e choveu.
Rios e mares encontraram-se num só curso.
E inundaram, e destruíram, e tudo invadiram.
E povos inteiros pereceram.
Mãos para os céus rogaram preces.
Profetas diziam que tudo estava escrito,
E agarrados às suas profecias, submergiam.
Boatos corriam que crianças com nadadeiras nasciam,
E que ricaços em transatlânticos partiam... para onde iriam?
:.
E... choveu, e... choveu...
:.
E, quem sobreviveu... com a intempérie aprendeu!
E reprojetaram, e reinventaram, e reciclaram, e tudo reconstruíram.
E da água comeram, da água beberam. E, quem diria?
A água já não mais temiam.!
................................................................
Até que... um dia...!
................................................................
A chuva cessou
E o sol novamente brilhou
E as águas retrocederam
E rios e mares aos seus cursos verteram
Profetas emergiam bradando eu já sabia!, e bisonhamente sorriam
Boatos corriam que das crianças as nadadeiras caíam
E que transatlânticos de luxo numa floresta jaziam
E o sol brilhou e brilhou...
E as casas voltaram a ser casas
As ruas voltaram a ser ruas
Os povoados voltaram a ser povoados
Barcos, obsoletos, dos telhados foram retirados
E o sol brilhou e brilhou por longos meses...
:.
Brilhou, brilhou...!
:.
E o rio secou
A colheita não vingou
E a fome imperou
Mãos para os céus rogaram preces
De onde tirar sustento, aplacar a sede?
E povos inteiros pereceram...
E, nas noites quentes da única estação que restou
Ouviam-se o chacoalhar de corpos suados
Ao tenso ritmo da dança da chuva...
:..........
12.12.2007

Wander Motta

Teu olhar faz a volta do meu coração,
Uma roda de dança e de doçura,
Auréola do tempo, berço noturno e seguro,
E se não sei mais o que tenho vivido
É porque teus olhos nem sempre me enxergaram.

Folhas do dia e musgo do rocio,
Caniços do vento, sorrisos perfumados,
Asas que cobrem o mundo de luz,
Barcos carregados de céu e mar,
Caçadores de ruídos e fontes de cores.

Aromas nascidos de uma ninhada de auroras
Que sempre jaz sobre a palha dos astros,
Como o dia depende da inocência
O mundo inteiro depende dos teus olhos puros
E o meu sangue todo flui nos olhares deles.


*

La courbe de tes yeux fait le tour de mon coeur,
Un rond de danse e de douceur
Auréole du temps, berceau nocturne et sûr,
E si je ne sais plus tout ce que j'ai vécu
C'est que tes yeux ne m'ont pas toujours vu.

Feiulles de jour e mousse de rosée,
Roseaux du vent, sourires parfumés,
Ailes couvrant le monde de lumière,
Bateaux chargés du ciel e de la mer,
Chasseurs de bruits et sources des coulers,

Parfums éclos d'une couvée d'aurores
Qui gît toujours sur la paille des astres,
Comme le jour dépend de l'innocence
Le monde entier dépend de tes yeux purs
E tout mon sang coule das leurs regards.

De Capitale de la Douleur (Capital da Dor), 1926

Paul Éluard

Eu quero falar Dela e Dele. Quero escrever o que consigo enxergar quando vejo esses dois numa dança de corpos onde o amor é o maestro. Tudo que sai Dele faz um reboliço dentro Dela todas às vezes que deixa escapar suas vontades afoitas . Nada Dela é programado. Tudo vai acontecendo conforme o amor desmedido vai penetrando. Tudo dentro Dela espera que tudo dentro Dele venha com tudo. Dela só saem coisas que enchem um sentimento que vive estreando sua felicidade. Dele só chovem palavras que sabem melar um amor e seus seguidores. Desde o momento que o amor Dele ficou todo esparramado dentro Dela, a velocidade do coração dos dois só quer saber de sentir. Sempre acontecem varreduras dentro Dela e não é nem com vassoura que fica tudo limpo...

... é com o vento forte que vem Dele, que o amor Dela respira o mais puro oxigênio.

Eu te amo, ABSURDAMENTE !

~*Rebeca*~

-

Rebeca - Néctar da Flor

Apenas danço.

Instinto seria um bom motivo
Danço ao som do seu sorriso
Uma dança pagã aritmada
Entre as elipses de suas formas
Arrefecido e febril eu danço
Insanidade seria um bom motivo
Pra saltar os precipícios adiante
Tomar impulso e partir
Retirar as vendas em queda livre
E sentir prazer ao cair
Sobrevivência um justo motivo
Para estar nu diante dos inquisidores
Sorrir apenas, sem intenções pensadas,
Cantar porque é vital
Ou seria medo o tal motivo?
Da solidão ensimesmada e presente
De me abandonar diante do espelho
De me confundir com alguém que nem conheço
Um motivo triste seria a fome
Seria biológico e rígido demais
Apenas o cumprimento de um ciclo
Encerrando numa noite fria
Penso por que eu danço
Ao som do seu sorriso
Por que me queima essa febre
E na ignorância pura dos infantes
Alucinadamente e dopado eu danço
E faço do amor o meu maior motivo.

Vladimir Wingler

“Dançando na Curva”

Entramo-nos com a nossa dança
Impiedosa e circuncisa
Seres vivos entre aguas
Um bailar de incertezas

Vegetaçao de outono
Formigas no inverno
Garoa no verao
Tempestade sem lembrança

Passiveis de tudo
Alheios a todos
Cansados e estupefos

Andar com os diferentes
A favor da correnteza
Bater frente ao vento
Violar o sol

Ferir-se nas rosas
Semear no verao
Colher no inverno
Soprar invés de assoviar

Contrariando a ventania
Cantando no sol
Dançando na nuvem
Sapateando na areia

No em cordao de harpa
Laço em linha de remendo
Cobertor de dia
Lençóis a noite..

22/12/12

Luciana Pajor

CIGANA
Sidney Santos

Dança minha gitana
No sonho do baila comigo
Mostra beleza e gana
Deixa-me dançar contigo

Mulher sensualidade
Batidas dos pés e palma
Entoa o amor de verdade
Trazendo o reflexo d’alma

Baila ao som da guitarra
Solta teu lindo sorriso
Canta que é a vida é uma farra
É isso só que preciso

Sidney Poeta Dos Sonhos

DANÇA DAS CADEIRAS...
Manifestações estão na moda, todo ano quando começo a pensar que está na hora de trocar de celular, para algo mais eficiente e comunicativo, penso o quão desvalorizadas estão as coisas. Carros são feitos para simplesmente desmontarem em uma batida, outros são reinventados de tal modo que fica-se o nome, muda-se o carro.
Tudo transita tão rápido que fica difícil notar o que é permanente, talvez isso seja falta de visão e representação politica, ou fruto de uma educação inepta gerenciada por pessoas com a mente tão tacanha que pensam que cidadania significa “CULPA DO GOVERNO”, onde pedir é mais fácil que fazer, e reclamar é possível, pois pagamos nossos impostos e seu eu pago, eu posso cobrar.
Na TV o assunto principal é sexo e traição, porque Fulano separou da Cicrana por causa da Beltrana, também temos famosos excêntricos que manifestaram desejos por um periquito austríaco que canta ou algo do gênero. Tudo bem, temos cantores de rock que tem orgasmos com uma árvore. O que antes seria uma dieta certa para um leito de morte, hoje é a dieta habitual para manter o corpo em ordem.
O que hoje é super top, amanhã é apenas clin e desatualizado, a propaganda mostra um celular melhor, um aparelho revolucionário, uma panela elétrica que cozinha sozinha, basta ligar o despertador. Não buscamos adquirir e conhecer o que queremos por instinto, agimos por uma pulsão desordenada e consumista, que tomam a frente dos nossos interesses aventureiros e necessários.
Alguns são tão sociais e sociáveis, colocam tanta fé no governo e tem aquele ideal de cidadania que descrevi a cima, que veem noticiários soltando noticias desconexas sobre CPI’s, mas se preocupam e interessam com a nova progressiva sem formol. É uma pseudonotícia que demonstra o desejo do intimido, alguns profissionais dizem que está difícil agradar, que tudo já foi feito.
Acredito estar tudo tão fácil, não precisa nem ter o trabalho de reinventar o velho, apenas dê, não possuímos mais identidade social, confundimos necessidade com desejo, instinto com pulsão e apenas queremos mais. Se o loiro não me agrada, “pego” o moreno. Se a ruiva te chateia, para que perder tempo e pensar porque um dia você a quis, troque para a mulata e assim agimos, tanto com as coisas como com as pessoas. Desaprendermos a concertar e começamos a trocar. Depois fingimos.
Ser hipócrita hoje é moda, finja não sentir, finja não ligar, finja não se importar e consuma, dia após dia, troque, use e abuse e não olhe para as consequências, afinal tudo é descartável, quando for a sua vez de colher o que plantastes, não se preocupe, assim como todos, você encontrará um meio de sufocar e esconder as consequências físicas e principalmente psicológicas dessas facilidades.
Enquanto isso criaremos semianalfabetos, liberaremos a maconha, louvemos a semilegalidade do crack que não dá cadeia, daremos “vivas” a esta visão cínica e centrada do mundo no “prazer” e rezemos para que Deus guie nossos pensamentos para o que pediremos a seguir como direitos humanos.
No mais, continuamos fingindo não ver que nos tornamos uma versão decadente e triste da elite da Roma antiga, embalada a vácuo e totalmente industrializada, por sermos incapazes de viver um dia se quer, sem comunicação.
Ps; desconexo, mas pensado.

Camila Bill

A vida me deve uma dança.
O grande mistério me deve uma chave...
De um segredo qualquer.
Se o tempo pensou que me vencia
Encontrou um inimigo formidável.
Renasci do sorriso empalhado de Deus
Venho embebido de sorrisos e olhares de moças,
Que com ares tristonhos e esperanças vazias
Rompem espaços ideais.
E em minha ignorância trôpega,
Tal qual pedra figuro sólido no absurdo.

Thiago Mariano

E lá estava você, o tempo não levou o que há de mais precioso,
parecia como o ontem, uma dança em sintonia perfeita.
A chuva caia como uma luva, perfeita sobre a pele,
nossa amizade era como o guarda-chuva, união.
Novas histórias, novos sorrisos e abraços,
servem como para renovar o que temos de melhor.
Não importa onde estamos ou o que passamos
se amamos quem esta do nosso lado,
e quem esta do nosso lado esteja cada vez mais forte como a aurora.
As cores, os rostos, os sons alinhados a melodia do novo
redesenhados com a essência do antigo amanhecer,
desbravaria reinos, enfrentaria a fúria dos mares, mas já tenho meu tesouro.

Carol Kapila Gouveia

Bailarina aparece-me em sonhos
flutuando me mostra sua dança
vem dançar cá, na palma da mão
eu não sei como e se cansa
de trazer-me esta curta alegria
vem fazer rir meus olhos tristonhos
anuncia a chegada do dia
mais um dia a viver de saudade
eu queria poder te dizer
é tão linda esta nossa amizade
alivia a pena de existir
bailarina, porque tens que ir?
eu te espero outro dia surgir
passa a vida, não passa tua idade
vem menina, vem me fazer rir
hei te te esperar na noite que anteceda
o dia da hora de partir
pra um lugar que não tenha mais nada
nada além de um sorriso de fada

edson ricardo paiva

Sonho de Valsa

Dança comigo está noite?
Fica comigo está noite?
Dança comigo, me tome em seus braços... Me mostre o amor, me mostre o sol da meia noite. Quero um eclipse nesta noite em que meu coração encontrou o seu. Dança comigo?

Me faça flutuar no doce tom da sua voz a me guiar, me libertar daqui seja meu heroi? Não precisa de capa ou ser o mais forte , apenas desejo ser o seu elo mais forte e ao mesmo tempo o elo mais fraco de sua corrente de força...

Dança comigo está noite?

Me faça voar em seus braços, me deixe solta para voltar, me dê o que eu nunca achei em outros braços, me tira desta armadura , me deixe humana novamente, me deixe ser sua...

É o encontro da musica perfeita , então dança comigo está noite?

Me tira esses laços de menina e me deixa crescer e ser mulher, solte as correntes da solidão, abra a prisão ... Acredite em nós, me leve para nosso lar...

Mas dance comigo está noite em que minha alma encontrou o seu lar, seu pedacinho de paraíso, chamado Você.

Nunca busquei a perfeição e foi justamente no imperfeito que encontrei a perfeição, você é o meu eclipse , minha estrela, meu universo...


Você me achou , me libertou, me guiou ... Agora dance comigo está noite?

Eu vejo estrela em cada passo dessa valsa que tem o nome VIDA, nossa Vida!

felicity Secret

O TEMPO E A DANÇA DA VIDA
Autora: Profª Lourdes Duarte

O tempo é como um barquinho que desliza sobre as horas
Empurrado pelas ondas pra lá e pra cá
Com as velas conduzidas pelo vento, tomam nova direção
Rumo a felicidade, que muitas vezes parece em vão.

A vida é como uma roda viva a girar em círculo a a deriva
Só pra mostrar que independente da volta
O caminho sempre começa e termina
E leva para além do horizonte o que tiver de levar, toda hora.

É possível ver e sentir quando se caminha na estrada da existência
De mãos dadas com a poesia, tendo um olhar demorado sobre tudo,
Olhar como se fosse à primeira vez de um dia belo que surge
Mantendo viva a esperança como uma chama incandescente que dura.

Sempre existem mil motivos para apreciar a vida
Até mesmo quando nos recusamos
A acompanhar a dança da vida
O que é de ficar, fica - passe o tempo que passar
Fica o cheiro, vão-se as mágoas, vão-se as dores e ficam as marcas.

E na dança da vida, por mais que resistimos
Ela nos tira pra dançar, nos envolve com um ritmo novo,
E nos ajuda a atravessar o grande mar de dificuldades,
E como premiação vem a felicidade .
Prof lourdes Duarte

Prof Lourdes Duarte

Porque eu danço?
eu danço porque minhas veias pulsam a dança...
eu danço porque meu corpo grita querendo dançar...
quando não sei o que dizer minha dança fala por si só.
amo dançar, a dança tem sua linguagem própria.
não preciso falar nem pensar!
somente sentir cada movimento de meu corpo
da ponta do pé a o fiozinho de cabelo
a dança toma conta de mim
é como se eu tivesse flutuando,
ou viajando no balanço do amor.
cada paço, cada movimento é único.
É uma onda de sentimentos,
algo incrível e inexplicável!
só quem dança sabe como é.
Em fim danço porque a dança está dentro de mim!!!

Jana Alves

Meu corpo pulsa dança
Quando ouço uma músicas meu corpo já começa se mexer:
minha alma, meu corpo, meu coração.......
Tudo dentro de mim pulsa dança!!!
Não sei viver sem dançar,
somente sou feliz quando danço!
Quem não entende quem dança
pode me chamar de loca,
mas não me importo,
o que quero é dançar
pois é de dança que eu vivo
e para sempre quero viver!!!!

Jana Alves

A dança da lua romântica

Quando for o peito do amor entre a dança sensual e voluptuosa,
Como a valsa do fulgor apaixonado em lua cheia...
Dos meus passos lúcidos para amar a donzela
Que era tão ardente e sedutor como o Tango,
Do gosto argentino em boa-noite do beijo.
Quase estás louca, perfeita e ardorosa...
Em que os teus cabelos molhados vêem tanto carinho,
Eis-me a minha mão nos teus lábios vermelhos pelas paixões
Em que eu quero seduzir os teus delírios sem medo,
Querias vê-los tanto como se fosse o desejo
Ainda é o coração bem-amado e perfeito.
Quando o nosso olhar sentir tanta distância.
Ó meus olhares turvos e amorosos!
Quem vê tanta beleza sobre o meu rosto do menino?...
E os nossos abraços são tão carinhosos...
Tens sentimento e volúpia, pela languidez
Unindo-se pelos amores como se torna a bela mulher
Mas que vives em beleza feminina, querida...
Por isso eu ouvi a tua voz famosa e vivi todas as mulheres,
Sabe que eu virei Don Juan como poeta e escritor,
Como posso dançar em teu corpo da inspiração
Ai que poesia do luar noturno e forte!...
Vem dançar comigo pelos movimentos.

Lucas Munhoz