Texto sobre Dança

Cerca de 255 texto sobre Dança

A Alegria
A alegria que brilha e dança
Nas palavras e nos olhos, mas principalmente no coração
Pode algo cinza se tornar resplandecente ao toque quente que brilha intensamente?
Versos pobres que eu consigo formar com esforço, eles só refletem a casca
Não te entristeça meu nobre amor, cuidarei para que ninguém mais faça suas lagrimas salgarem a face, teus olhos são tão mais belos quando sorri
Sorria para aquele que brilha pra ti
Veja o que há de belo em seu resplendor, oh dia encantado, fazei que ele brilhe em sete cores quando encontrar o caminho que deseja
E quando tarde se for levando consigo o brilho que me aqueceu, não poderei ficar triste, apenas estarei ansioso pelo encontro de amanhã.

Daisy Bernacki

Convite.

Dança comigo eternamente nas nuvens e nas estrelas .
Que eu reservo um espaço na lua pra depois do jantar .
Viaja comigo os segredos do desconhecido, que eu nado o oceano se preciso ou ate mesmo atravesso o sertão só pra te encontrar.
pois levo comigo todas as flores nas mãos , um olhar de menino com o calor do sol no coraçao, a solidao que é um grande amigo e um sorriso distante , que faz parte de mim.
Dança comigo no ritmo dos ventos ,que por onde ele tocar nos levará ao amor.

Leovardo Ricardo.

Sonhei Que Dancei Com Você

Sim,

Foi só um sonho,

Mas com sentimento tão real.

A dança aconteceu
Em um lindo solário,
Você estava de terno,
Muito bem arrumado.

A música era lenta
E enfeitava aquela noite
O céu estrelado
E também com certeza
O canto de alguns pássaros.

E nos embalos daquela doce melodia
Repousei minha cabeça
Em teu ombro,
Assim pude sentir a intensidade
Daquele momento mais real
Do que a própria realidade.

Conforme dançávamos
Eu de olhos fechados
Sentia mais e mais a tua presença
Em meu mundo solitário.

Essa dança tornou
Meu corpo mais calmo,
Então pude sentir
O consolo dos teus braços.

Seria esse um devaneio
De uma moça solitária?
Ou apenas mera fantasia
De uma poetisa mal-amada?

Sinceramente não sei,
Sei apenas que gostei.

Em toda a minha vida
Essa foi a dança mais bonita,
Todos tinham que ver,
Sonhei que dancei com você!

Jamila Mafra

Dança com lombos

Ana tinha muitos amores.
A real causa disso não era a saída da escola aos 17. Muito menos as vendas de doce na beira da estrada. Ela nem tão bela era, porém aparecia com as marcas avermelhadas nos lombos e no psicológico - sempre os mesmos sintomas. Ana sofria pelos namorados.
Seu pai era colecionador de cintos. E eu pude sentir as dores de Ana, sinto até hoje.

Jonathan Messias de Freitas

Ela chega vaidosa e sorridente
Todo mundo logo sente seu perfume pelo ar
Ela dança com um swing diferente
Vai pra trás e vai pra frente, vai descendo devagar
Essa gata tem um jogo de cintura
É uma uva bem madura e a galera quer provar
Vagabundo tá na rua da amargura
Anda cheio de fissura mas sou eu que vou pegar
Só no sapatinho, ôh, ôh
Só no sapatinho, ôh, ôh
Só no sapatinho, ôh, ôh
Estão querendo disputar o meu espaço
Invadir o meu pedaço, mas não vou dar mole não
Já andaram rastreando o meu caminho
Pra saber se eu tô sozinho ou se tô nesse avião
Estão querendo me vencer pelo cansaço
Pra saber o que é que eu faço, mas quem fala é vacilão
Meu tempero, tem amor e tem carinho
Vou comendo bem quietinho, pra não dar indigestão
Só no sapatinho, ôh, ôh
Só no sapatinho, ôh, ôh
Só no sapatinho, ôh, ôh

Carlinhos

Dança do amor

... E ela dança...
Com seu corpo nu...
Na lua "cheia de amor”,
Para dar...
E pulsa em rodopios incontidos...
Sangue nas veias,
Paixão...
Emerge do fundo do mar com seus lábios rubros,
Agora sem véus...
O ventre incendeia em desejos,
Num incessante prazer, amar...
Beija, com boca salgada...
Beijos com gosto de mar.

EdnarAndrade

Um sorriso

A música, a dança do meu pensamento,
Viajando para além do espaço que alcanço;
Um papo com amigo, um sorriso...
Que fez hoje o meu sorriso sorrir...

Um dia pronunciando o fim.
Abro a janela, entra a luz;
Gal cantando “Folhetim”.
Olho pro nada de tudo

Que no fundo é assim:
Passageiro, ou até quando?
Mas, viver é bom;
Ruim é não saber viver.

Mas tudo vale, tudo vale muito
(Pesado no quanto vale).
Agora o Sol cai,
Caindo... Qual a canção suave...
Da Ave Maria... Fim de Tarde.

Eu imagino o silêncio vindo de uma floresta
Com folhas secas no chão, com passarinhos nos galhos.
E ao longe um humilde casebre...
Foi o papo que me deixou assim...
Poética e leve.

EdnarAndrade

A Raposa e o rei macaco

Os animais decidiram que o rei do grupo seria eleito por aquele que dançasse melhor. Depois de uma grande festa, onde todos participaram, o macaco recebeu a coroa.

Ciumenta, a raposa foi passear pelas redondezas. Ali descobriu uma armadilha intacta, com comida dentro. Mais do que depressa, pegou-a e a trouxe até o grupo:

- Achei este banquete, e me vi na obrigação de entregá-lo ao nosso rei, que terá prioridade sobre tudo.

Sem pensar muito, o macaco colocou a mão para pegar a comida, e ficou preso na armadilha.

- Você me traiu! – gritava ele.

- Como assim? Eu nem tentei pegar a comida! Mas pelo menos vimos que não estás preparado para o cargo; um animal inteligente jamais toma uma decisão sem antes pensar muito sobre todas as possibilidades e perigos envolvidos.

Paulo Coelho

O PLEBEU E A BAILARINA



Ele a chama de menina e diz ser ela, bailarina
que dança a vida colorida, revestida de esperança
que sua rima o domina e seu sorriso, lhe fascina
do Cupido, velho amigo, pega flecha e hábil lança

Pensa que a tudo alcança e sem conversa, a domina
versejando canta amor; na contradança, a dor
vai julgando com esmero a verdade que abomina
atrás da mascara sem cor, palavreia com primor

Propagando impropérios, logo vem pisando em cima
curta mente que não sente um passado tão recente
pobre tola apaixonada; equivocada dançarina

Busca sabedoria e vê que o sonho se perdeu
naquele coração de pedra que impetra hipocrisia
a heresia de um infante que só soube, ser plebeu

Siomara Reis Teixeira

Cansada, latente, arrogante e pouco vista
Dor de garganta sempre no final da dança
Mastigo meu odeio com rancor latente no coração
Constrangimento, míope, cega, como queira chamar
Tenho pressa que regressa no meu paladar a dor
Que batendo se mistura ao cansaço, visto - falado
Que se torna em mim uma montanha de elevador.

Ariela Venâncio

vem aqui
segura a minha mão
ouça a musica
dança comigo, agora
coloque as suas mãos
nos meus ombros
me aperte em teu corpo
feche os teus olhos
enquanto minha boca
procura o teu pescoço
deixa eu sussurar
palavras de amor
nos teus ouvidos
nao se apresse
o final não vira
a musica vai durar
até a eternidade
então, dança comigo
vem aqui

T NIKO

Sou criança, sou uma dança
Sou uma festa, uma lembrança
Sou amor que em tu existe
A incerteza que insiste
Sou a dor do seu viver
Sou amor em uma flor
Eu sou silencio, sou a paz
Sou a vós, do leva e trás
Sou poema, eu sou uma rima
Sou olhar de uma menina
Eu sou um louco, muito louco
Sou uma árvore, eu sou um toco
Eu sou o eu, apenas eu
Sou palavras, sou museu
Sou um pensamento meu.

Reff Carvalho

A DANÇA

Sopra o vento e as árvores balançam
Até parece comigo querer dançar
Com seus galhos envoltos em meu corpo
E suas raízes no chão à fincar

Gotas de chuva caem tornando o céu cinzento
Encobrem as estrelas: jogo de luz natural
Trazendo então uma sintonia
A cada toque na terra já arada

E começo a dançar em círculos
sentindo a folhagem tocar meu rosto
Molhando meu corpo já suado
Com a chuva forte que cai

Trovões e raios riscam o céu cinzento
E em círculos continuo dançando aquele som estonteante
Cada vez mais rápido giro e sinto as folhagens
Daquela bela árvore... que me convidou à dançar.

Cris Oliveira

A consciência se manifesta através da criação.

Este mundo em que vivemos

É a dança do criador.

.

Dançarinos aparecem e desaparecem

Num piscar de olhos, mas a dança vive.

Em muitas ocasiões, quando eu estou dançando,

Eu me sinto tocado por algo sagrado.

Nesses momentos, eu sinto meu espírito voar

E se tornar um, com tudo o que existe.

.

Eu me torno as estrelas e a lua.

Eu me torno o amante e o amado.

Eu me torno o vencedor e o vencido.

Eu me torno o mestre e o escravo.

Eu me torno o cantor e a canção.

Eu me torno o conhecedor e o conhecido.

.

Eu continuo a dançar e, em seguida,

É a eterna dança da criação.

O criador e criação fundem-se em uma plenitude de alegria.

.

Eu continuo a dançar e dançar... E dançar,

Até que haja apenas... A dança...


(Michael Jackson) livro - 'Dancing the Dream'

AmorMonica Holst Jackson

Nada. Hoje. Soou.
Se quer a lágrima rolou. Eu não deixei.
Eu proibi o som. Eu proibi a dança. Eu proibi a lágrima.
Eu proibi também a fala.
Me calei assim como calei a tudo.
Obliterar a vontade e muitas vezes vilipendiar a si.
Me mantive à distância. E até o espelho apaguei.
Hoje o vento soprou fraco, por isso, não quis erguer as velas.
Não pus o barco na margem.
Fiz de conta que não vi.
Fiz de conta que passou.
Fiz de conta que nem doeu.

Wclledja Araujo

- Quando eu me mostro
É como se eu tivesse dançando
Uma dança rídicula
Para pessoas rídiculas.
- Quando eu me mostro
Eu me mato aos poucos
Pois bem…
Eu também sou uma mulher rídicula
Com vontades rídiculas
Que morre de medo de se mostrar
De mostrar o seu frágil
O seu ponto fraco
Expor o seu rídiculo
Ao ponto de ser rídicula.
- Quando eu me mostro
Na verdade eu não queria me mostrar
Queria permanecer fechada
Como uma concha solitária
Que esconde a sua preciosa esmeralda rídicula.
- Quando eu me mostro
Eu me mato
Ao ponto de ser um ser rídiculo.

RebecaMelo.

Apenas danço.

Instinto seria um bom motivo
Danço ao som do seu sorriso
Uma dança pagã aritmada
Entre as elipses de suas formas
Arrefecido e febril eu danço
Insanidade seria um bom motivo
Pra saltar os precipícios adiante
Tomar impulso e partir
Retirar as vendas em queda livre
E sentir prazer ao cair
Sobrevivência um justo motivo
Para estar nu diante dos inquisidores
Sorrir apenas, sem intenções pensadas,
Cantar porque é vital
Ou seria medo o tal motivo?
Da solidão ensimesmada e presente
De me abandonar diante do espelho
De me confundir com alguém que nem conheço
Um motivo triste seria a fome
Seria biológico e rígido demais
Apenas o cumprimento de um ciclo
Encerrando numa noite fria
Penso por que eu danço
Ao som do seu sorriso
Por que me queima essa febre
E na ignorância pura dos infantes
Alucinadamente e dopado eu danço
E faço do amor o meu maior motivo.

Vladimir Wingler

“Dançando na Curva”

Entramo-nos com a nossa dança
Impiedosa e circuncisa
Seres vivos entre aguas
Um bailar de incertezas

Vegetaçao de outono
Formigas no inverno
Garoa no verao
Tempestade sem lembrança

Passiveis de tudo
Alheios a todos
Cansados e estupefos

Andar com os diferentes
A favor da correnteza
Bater frente ao vento
Violar o sol

Ferir-se nas rosas
Semear no verao
Colher no inverno
Soprar invés de assoviar

Contrariando a ventania
Cantando no sol
Dançando na nuvem
Sapateando na areia

No em cordao de harpa
Laço em linha de remendo
Cobertor de dia
Lençóis a noite..

22/12/12

Luciana Pajor

CIGANA
Sidney Santos

Dança minha gitana
No sonho do baila comigo
Mostra beleza e gana
Deixa-me dançar contigo

Mulher sensualidade
Batidas dos pés e palma
Entoa o amor de verdade
Trazendo o reflexo d’alma

Baila ao som da guitarra
Solta teu lindo sorriso
Canta que é a vida é uma farra
É isso só que preciso

Sidney Poeta Dos Sonhos

Sou o sorriso do palhaço a alegria da criança a euforia da primeira dança.
Sou o acidente que sobrevivi, o amor que vivi o amigo que perdi.
Sou feito do desespero do momento, da caricia na hora certa e da alegria de um aumento.
Sou um pedaço de todos que por mim passaram, dos que me entristeceram e dos que me alegraram.
Sou o primeiro beijo que eu roubei, sou o machucado que curei, sou a frase engasgada que não falei.
Sou feito de amigos, metade mocinho, metade bandido.
Sou o gol que fez meu time campeão, sou as páginas do livro que mudaram minha vida, sou a notícia que quase me matou do coração.
Sou a saudade que tenho da infância, sou a falta que sinto de casa, sou metade paciência, metade intolerância.
Sou aquele amor perdido, sou o amor encontrado, sou tudo aquilo que deu certo e um pouco mais do que deu de errado.
Sou cada lagrima que derrubei, cada sorriso que eu dei e cada abraço apertado que eu ganhei.
Sou um pedaço da razão e 80% da emoção, sou toda a saudade, bondade e sonhos que ainda vive em meu coração.

Felipe Santos