Texto sobre Dança

Cerca de 205 texto sobre Dança

Cabelos em trança, dança!
Lembrança, palpitação
Troca, destroca.
Volta, até terminar a canção.

Intrigas, brigas e orgulho ferido
Tantas outras tentativas e nenhum perigo
Tenta, re-tenta, é lenta a reconciliação

O tempo age
E quem se disse: "relaxe".
Agora aguenta mais não.

Flui o tempo, vai o vento
E arranha, escuridão
Sai a lua, vem o sol
mais um dia, decepção

E quem ainda agora foi embora
sofre de culpa
pede desculpas
E traz de volta a paz que merece o coração

ANNA

As andorinhas voltaram.
Amanheceu, olhei o céu, e elas vieram. O seu vôo formando uma dança na felicidade infinita do viver. A alegria de vê-las assim eufóricas, no cruzar incessante de asas e bicos, me fizeram lembrar de dar as boas vindas, como elas, ao novo dia e á vida que se inicia a cada acordar. Porque todos os dias é um renascer das esperanças e dos sonhos, como o esvoaçar das andorinhas a cada verão.

Paola Rhoden

Dai-me o prazer desta dança. Vamos bailar e seguir os mesmos passos, colar nossos corpos e flutuar em um só ritmo, ouvindo a canção que toca e fala dos segredos dos amores, enamorados, amantes, que rodopiam em um mundo de ilusão e fantasia.
Puxa-me pela mão e me carrega até onde a música e a dança
for capaz de nos levar !

Leônia Teixeira

E como o grito do silencio
A música na respiração
A dança dos pensamentos
A vibração da pele
O sorriso do brilho no olhar
Os desejos presos na garganta
O arrepio da alma
O toque do coração
A ponte que leva a imaginação a realidade
Junte e sinta tudo isso e então ...
Só então
entenderá .....

Gislene Moreira Tiago

Se perdeu a esperança
Chame uma moça e dança
Mas convide a esperança

Já com as duas dê alguns virotes

Percebeu que a esperança
Dança junto com a moça
Ela comanda a dança

Mas não vai durar a eternidade

Junte tudo que lhe faz mal
E ponha em um potinho
Um potinho pequenininho
Para se perder no mundo

E guarde só a esperança
Dentro daquela mesma dança
Com aquela bela moça

E dê mais alguns virotes

Beatriz Maiostri

Dança não é ballet, não é tango nem valsa. Dança não nasceu para ser dividida. Sempre veio da universalidade. Sempre quis juntar o que os outros separavam.
A dança é de todos e deve ser ADMIRADA e RESPEITADA independente do ritmo, do nome que é levada ou dos ''passos'' que a compõe.
''DANÇA É A EXPRESSÃO DA ALMA. NÃO DE UMA TÉCNICA!''

Thalita de Oliveira

Pisando na areia já não sinto os pés
Sinto apenas meu corpo tomado por alma
As ondas que teu dançar me traz
Hipnotizam-me e me trazem a paz

Meus pés já não tocam o chão
Já estamos os dois
Alma e corpo
Em seus braços clamando pelo teu seio

Alimente-me de luz
Mãe generosa de amor
Seque minhas lágrimas
Troque-as por água do teu mar

Me faça dançar em tua maré
Me ensine de que maré é feito meu amor
Teus olhos morenos de mar
Teu canto, meu canto, meu olhar

Me conte porque tenho o mesmo olhar
O teu olhar com encanto
Encanto da sereia
Venho a areia pra clamar

Ó minha mãe me leve pro teu reino
Pois só me entregando a ti
Posso me entregar a mim
Odoyá

Rafael Carvalho

-A convidada que se esconde atrás de um véu

Convidada mal vista na dança da vida
Conhecida sendo total desconhecida, és operária do destino.
Tu és quem proporciona um doce descanso
dos desgostos da vida.

Como um piano tocando uma harmoniosa melodia,
Concluo que as pausas são necessárias na vida.
as perdas nos ensinam grandes coisas...
Os olhos da alma não precisam de presença.

Somos um sopro de vida nas mãos do Criador,
a hora da chegada já traz a hora da despedida.
Muitas coisas mudam na vida, mas uma é sempre certa,
Nossos feitos ultrapassam a eternidade, seremos inesquecíveis a quem nos quer bem
Farol iluminando a escuridão desse momento.

A morte é o voo mais alto que alguém pode se dar ao luxo,
Não deve ser tão ruim se sentir livre da matéria...
Lá nesse lugar desconhecido, os sonhos transpassam o limite de tempo.
E tudo se torna calmo, para quem travou uma grande batalha.

O premio ao vencedor é a paz de espírito,
O deserto torna-se lugar de reflexão,
lagrimas são as palavras do coração, um sussurro da alma
Um mistério a se desvendar,

O véu cai a todos um dia,
A esperança não acaba por aqui, o limite é quebrado.
O que resta a quem fica é aprender a lidar,
Quando um se vai, dois chegam para ficar.

O insubstituível é mágico a sua maneira,
O fim é um recomeço a todos que assim crerem.
A mudança mais difícil é sempre a inevitável,
Todas as coisas desse mundo passam como o vento.

A vida é o que acontece quando o espetáculo termina.
como no teatro, atrás da cortina a verdade se revela,
e o ator torna-se passageiro no trem da vida.

Thais Duarte

A dança da vida

Lagarta em fase de metamorfose,
em busca de suas asas
Ela nunca sabe a hora certa,
vai ver que não existe...
Decide se esconder no casulo em busca de respostas.

O tempo senhor de todas as mudanças,
Encarregou-se da pequena lagarta...
cuidou, ensinou e amou nossa querida.
Lagarta/borboleta ainda tem medo do desconhecido,
muitas surpresas ele traz.

Tempo de novidades,
O tempo é passageiro na vida, pegou carona com a solidão.
No casulo ela vai se transformando, vida que segue seu curso.
a nova borboleta imagina o mundo lá fora
o que acontecerá em seguida?

A borboleta agora é capaz de voar,
sentir as flores...
o voo dela dá gosto de ver, liberdade dançante,
Sentindo cada vez mais alto ela vai.

Quem antes era ignorada, tornou-se objeto de desejo
nem todos entenderão seus movimentos graciosos.
A borboleta nunca entenderá o sentido da rejeição,
pois só se preocupa em olhar as flores, são as únicas que fazem sentido.
Bailando no vento a borboleta vai.

Agora tem sua própria lei,
as lições do casulo estarão sempre sem sua memória.
A linda borboleta agora é inspiração...
De inimiga se tornou companheira:
A inevitável mudança!

Thais Duarte

Dança da esperança

As vezes fico imaginando,
Assim pensando:
Quanto tempo,
Para o tempo passar?
O tic-tac do relógio,
Todos apressados,
Meio isolados!
A correria do dia-a-dia,
Sem pausa para harmonia,
A alegria, que contagia
Cheia de fantasias!
Na lembrança…
Sinto saudades da infância,
Sem militância,
Tudo era coisa de criança,
Não existia a arrogância,
E com muita dança,
Triunfava a esperança!

Camila Peres

"A mágica da nossa "dança" começou mesmo antes dos primeiros passos juntos.
Aquela troca de olhares, o sorriso de canto de boca, a facilidade em me pegar pela cintura, a minha facilidade em encostar meu corpo ao seu, em pegar o seu ritmo, em encaixar meu rosto em seu pescoço...
Na nossa dança, ele consegue fazer com que eu levite sem tirar meus pés do chão.
Também me embala na mais linda das melodias, sem que eu tenha medo de errar o passo. Com ele consegui achar meu "ritmo".
Para mim, ele é o melhor dançarino que existe.(embora diga que não sabe dançar).
Em nosso " salão", ele me conduz com a maestria de um professor e sem me importar se estou fazendo o passo certo,aceito o desafio e me sinto flutuar.
Para mim não há nada mais prazeroso que ter seu corpo colado ao meu, sua mão em minha cintura, sua disposição em me ensinar e a certeza de que o nosso "baile" está apenas começando. E a noite toda torna-se pouco tempo para a delícia e magia de estarmos (DANÇARMOS ) juntos.
E eu, cá comigo, só desejo me tornar uma boa DANÇARINA para ser sempre a parceira escolhida para sua dança."

Ticiana Padilha

Nossa dança

Não me importo que pises no meu pé durante a dança,
Talvez eu também pise no teu...
Só quero que quando eu te abraçar tu também me abraces,
Quando eu te beijar tu também me beijes,
Quando eu te amparar tu também me ampares...
Pois nossos passos podem ser imperfeitos,
Desde que o nosso desejo de dançar juntos não se acabe...

Andréa Wollenhaupt Petry

Eu sou a chuva que lança a areia....
no deserto do Saara....
Eu sou a sereia que dança....
destemida e encantada.....
Sou um barco à deriva ....
sem leme ao deus-dará.......
sou como a luz do amor que ...
não consegue brilhar.
sou a lua que se esconde entre...
as flores e os ramos....
e o jardim fica escuro....
de repente a sufocar ......
perco o rumo da ilusão...
e o caminho,é uma fogueira ardente.....
abrasadora,inflamada e sorrateira....
sou como um monge que ....
mata a sua sede na mais pura água da fonte....
vou procurar o amor e não vou parar.....
mesmo que o coração doa....
e dos meus olhos derramar uma lágrima....
só quando o coração parar de bater....
O pensamento mais nada for......
vou beber a água cristalina da fonte....
como uma sereia no fundo do mar.!!

isabelRibeiroFonseca

Doce menina dançante peregrina às vezes bailarina
Dança na lua e volta chorando para areia fina
Encanta-me em tuas sombras, me ilude com tuas rimas.
Domina-me com teu olhar depois me deixa na agonia

Suave como o vento, forte como o mar, nunca sei como te navegar.
Na confusão acha arte que, ela chama de vida.
Origami de emoções, minha caixa aberta, imperfeita por perfeição.
Desgraça você e minha maldição. Canta o canto da sereia, eu caio na sua teia.

Faz da vida um espetáculo, gosta de estar no palco.
Luta contra a dor do mundo que te rejeitou.
Mas como mais profunda gargalhada esconde majestade a lagrima que te deixa adornada.


Um dia como sol, um dia como lua, não se contenta em ser só uma!
Viaja para longe com medo de se machucar, mas brinca na fogueira que pode te queimar.
Bagunceira imperatriz e bobo da corte, fala a verdade e depois desdiz.
E do nada vem e fala adeus... E não vai
E assim você é enigma origami profunda e algo mais...

Danilo Carvalho

A Vida é uma Dança de Puro Entusiasmo Interagindo com sabedoria equilibrando as duas forças complementares: Yin princípio passivo noturno luminoso frio com Yang ativo diurno radiante quente. Entre elas, surge todo movimento e mutação onde na Dança do reconhecimento das duas forças em tudo que existe. Todos…! Deuses Santos Entidades e Grandes Líderes cantam com muito entusiasmo!

— DEUS É PAI E MÃE!

RiSoLuArtE

Será que a minha vida dança em um tanto para me conquistar, sem revelar os sentimentos por mim que tanto busco em outra vida?
Sigo curtindo o meu caminho só sem desviar de meus objetivos primários, que pelas minhas virtudes fora sinceras;
Vida minha! Não me engane para que eu não caia do lado mais fraco nem fique a beira da calçada, entendendo migalhas;

Julio Aukay

Quem quer, dança direito.


Ainda veja as cores
Ainda há tantas dores
E flores, por vir

Ainda há um espinho
Neste longo caminho
De amores a provir

Este foi só mais um pedaço
Da história do espaço
Deste enorme salão

A dança é bonita
Por mais que aflita
Não deixe a canção

Que se o segundo dançarino
Foi um péssimo guiador
Ainda há um campesino
Para regar-lhe como flor

Caia nesta área ampla
Só não deixe de dançar
Mal sabe quem deixou-lhe cair
Que foi só teu começar

Foco! Penso assim:
Se não vou, o tempo vem
Se não fez, irá também
Que a dança não pode parar

Se doer, é cicatriz
Que da dor faz-se o giz
Para o quadro negro ter o que riscar

Ah, não aceito quem rega e não quer plantar
Não aceito quem metade faz, só para tapear
Já treinei meu giro, vou é para festança!
Diga aquele ali, que a vida faz fiança

Que sei:
Quem quer faz o passo
Transforma nó em laço
Nem espera seu dizer

Quem não quer arruma um dito
Assim, sem jeito, bem finito
De transparecer

Quem sabe faz agora
Transforma o tempo em hora
Propícia para ser

Quem não sabe, espera
E se não faz, tempo acelera
E este vira renascer

Fica ali achando que o choro é largo
Que o riso é pouco, que o rio não seca
E eu aqui escrevendo e rindo
Que quem pouco faz, vira minha hipoteca

Vanessa Brunt

Mais uma dança sem par
Mais uma noite sem luar
Mais uma taça sem vinho
Mais uma cantada sem noção
Mais uma cara de solidão
Sou eu aqui

Mais um dia
Mais um vazio
Mais um frio
Mais um pesar
Mais um dó
Mais um pó
Sou eu ao acordar.

Mais é preciso vencer
Mais a vida tem a oferecer
Mais feliz quero ser
Mais caminhos a percorrer
Mais vezes me apaixonar.
Mais tentar do que empacar
Mais conquistas receber
Sou eu querendo viver!!

Quívia Bispo

.


Cidades pequenas,
vidas pequenas
- Se você dança com o diabo,
o diabo não muda:
Ele muda você! - De súbito olhamos no
espelho
e nos damos conta
que muito tempo passou enquanto
comentávamos o futebol,
a novela,
os problemas da vizinhança...
E o que realmente importava ficou
esquecido, adormecido.
Mas a vida é assim mesmo:
acabamos por viver no limite
do que nos é possível.
Acredito mesmo que devamos
ser assim para que
possamos conseguir alguma cousa de real
e de concreto nesses
tempos de isopor.


.

Raniere Gonçalves

Vejo o vento rugir no bater das janelas,
Na dança das árvores,
No temor dos mares,
Ao partir aquarelas.

Vejo um vento em cor
Que balança os cabelos
E carrega nuvens.
Que brinca em cataventos
E que brinca com a dor.

Sabe-se vento sem dó
Todo aquele que se assume vento
E arranca da vida
O que devia ficar.

Josué Altino