Texto sobre Dança

Cerca de 270 texto sobre Dança

Danca Mariquinha

Dança, dança, Mariquinha
Para o povo apreciar
Essa boa mazurquinha
Que pra você vou cantar
Ouça, meu bem,
A sanfona tocar

Quitiribom, quitiribom,
Toca no baixo desse acordeom
Quitiribom, quitiribom,
Que mazurquinha
Que compasso bom

Quando pego na sanfona
A turma se levanta
E pede uma mazurca
Quando bato a mão no fole
Sei que a turma toda
Vai ficar maluca

Todo mundo se admira
Do fraseada que a sanfona diz
Quando acaba a contradança
O povo admirado ainda pede bis.

LUIS GONZAGA

- Quando eu me mostro
É como se eu tivesse dançando
Uma dança rídicula
Para pessoas rídiculas.
- Quando eu me mostro
Eu me mato aos poucos
Pois bem…
Eu também sou uma mulher rídicula
Com vontades rídiculas
Que morre de medo de se mostrar
De mostrar o seu frágil
O seu ponto fraco
Expor o seu rídiculo
Ao ponto de ser rídicula.
- Quando eu me mostro
Na verdade eu não queria me mostrar
Queria permanecer fechada
Como uma concha solitária
Que esconde a sua preciosa esmeralda rídicula.
- Quando eu me mostro
Eu me mato
Ao ponto de ser um ser rídiculo.

RebecaMelo.

Ela é preta, Ela é branca
È mulher e criança
Ela sorri e encanta, canta e dança
È mulher e guerreira não tem medo de cara feia
Chora e sangra é humana e Deusa
È filha, Mãe e Avó
Enfrenta secas e enchentes
É Filha Do Sol
Delicada e Operaria suporta a dupla jornada
a qual foi Destinada
Filha da terra, não foge a luta
Ela é negra, Ela é branca, Parda Nordestina!

Luy Davis

Pr voce dançaar , tem que aprender
o novo gingado, pr nunca esquecer
É uma dança muito louca pr nunca pará...
Lôlo-lô-lô-locomotiivaa (3x)
A mulherada gosta,os homens admira
No ritmo bem gostoso pr não perder a rima
Lôlo-lô-lô-locomotiivaa (3x)
Escuteei bem ai , que vou lhe falar
nessa parada muito louca voce vai se amarrar.
Lôlo-lô-lô-locomotiivaa (3x)
É o novo swingão do carnaval,
Voce não pará nem pr dar Tchau...
Lôlo-lô-lô-locomotiivaa (3x)
Que pena que acabou ,
Mas não se preocupe
Eu não vou dar Adeus ,
Vou dizeer : Lôlo-lô-lô-locomotiivaa (3x)

Hugo Napoleão

"edu, eduardaaaaa..
rimaa, com empadaaa..
vem cá, faz a dança louca,
deixe de ser mocáaaa
venha me amaaaar..
que perna grossa, é bem maior que uma corça
ai minha nossa! não da pra prosseguir.
eu quero um carro. sério!! Não tem Valerio
é só dizer que siim!!!
Menina eduarda, jura que vai dar pra mim.
rebola duda
ela não sabe la bamba
fica com mojelo e banca
remexe dona duda, ahh"

Musiquinha que ele fez pra mim' kkkkkkkkk

Glauber Paiva

Ela Vai Gemer

Olha só esta gatinha
Como dança sem parar ,
Provoca provoca
Provoca provoca
Provoca provoca
Provoca provoca ,

[Refrão]
E no baile só da ela
E o palco é seu lugar ,
Provoca provoca
provoca provoca
Provoca provoca
provoca provoca ,

Ela desce desce desce
desce desce até o chão
Com o dedinho na boca
Rebolando sem pará ,
Pra fechar com a gatinha
É preciso se mexer
Pegar na cintura dela
E fazer ela gemer ,
Provoca provoca
provoca provoca
Provoca provoca
provoca provoca .

joaquim gomes alves

Quem dança é maluco. Dançar é a arte de sorrir superando tudo o que existe internamente dentro da mente do bailarino e externamente eliminando perto dele tudo o que possa ser prejudicial para sua performance. Bailarino sente uma dor contante, um medo constante e uma busca pela perfeição que faz com que a tudo torne-se pequeno perto da vontade de estar no centro do palco para brilhar.
Sentir dor de contantes e inacabáveis ensaios, quando os pés já dançam sozinhos e o corpo somente acompanha, somente Bailarinos conseguem entender.
O mundo está recheado de bailarinos, assim como o céu de estrelas. No céu algumas estrelas e constelações conseguem destacar-se e emitir uma luz mais forte que chama mais a atenção de quem está olhando. É assim no mundo da dança, no meio de tantos bailarinos alguns tornam-se destaque, brilham mais, ganham mais espaço e chamam mais a atenção dos olhares.

Priscila Sousa

Convite.

Dança comigo eternamente nas nuvens e nas estrelas .
Que eu reservo um espaço na lua pra depois do jantar .
Viaja comigo os segredos do desconhecido, que eu nado o oceano se preciso ou ate mesmo atravesso o sertão só pra te encontrar.
pois levo comigo todas as flores nas mãos , um olhar de menino com o calor do sol no coraçao, a solidao que é um grande amigo e um sorriso distante , que faz parte de mim.
Dança comigo no ritmo dos ventos ,que por onde ele tocar nos levará ao amor.

Leovardo Ricardo.

Sonhei Que Dancei Com Você

Sim,

Foi só um sonho,

Mas com sentimento tão real.

A dança aconteceu
Em um lindo solário,
Você estava de terno,
Muito bem arrumado.

A música era lenta
E enfeitava aquela noite
O céu estrelado
E também com certeza
O canto de alguns pássaros.

E nos embalos daquela doce melodia
Repousei minha cabeça
Em teu ombro,
Assim pude sentir a intensidade
Daquele momento mais real
Do que a própria realidade.

Conforme dançávamos
Eu de olhos fechados
Sentia mais e mais a tua presença
Em meu mundo solitário.

Essa dança tornou
Meu corpo mais calmo,
Então pude sentir
O consolo dos teus braços.

Seria esse um devaneio
De uma moça solitária?
Ou apenas mera fantasia
De uma poetisa mal-amada?

Sinceramente não sei,
Sei apenas que gostei.

Em toda a minha vida
Essa foi a dança mais bonita,
Todos tinham que ver,
Sonhei que dancei com você!

Jamila Mafra

Apenas danço.

Instinto seria um bom motivo
Danço ao som do seu sorriso
Uma dança pagã aritmada
Entre as elipses de suas formas
Arrefecido e febril eu danço
Insanidade seria um bom motivo
Pra saltar os precipícios adiante
Tomar impulso e partir
Retirar as vendas em queda livre
E sentir prazer ao cair
Sobrevivência um justo motivo
Para estar nu diante dos inquisidores
Sorrir apenas, sem intenções pensadas,
Cantar porque é vital
Ou seria medo o tal motivo?
Da solidão ensimesmada e presente
De me abandonar diante do espelho
De me confundir com alguém que nem conheço
Um motivo triste seria a fome
Seria biológico e rígido demais
Apenas o cumprimento de um ciclo
Encerrando numa noite fria
Penso por que eu danço
Ao som do seu sorriso
Por que me queima essa febre
E na ignorância pura dos infantes
Alucinadamente e dopado eu danço
E faço do amor o meu maior motivo.

Vladimir Wingler

“Dançando na Curva”

Entramo-nos com a nossa dança
Impiedosa e circuncisa
Seres vivos entre aguas
Um bailar de incertezas

Vegetaçao de outono
Formigas no inverno
Garoa no verao
Tempestade sem lembrança

Passiveis de tudo
Alheios a todos
Cansados e estupefos

Andar com os diferentes
A favor da correnteza
Bater frente ao vento
Violar o sol

Ferir-se nas rosas
Semear no verao
Colher no inverno
Soprar invés de assoviar

Contrariando a ventania
Cantando no sol
Dançando na nuvem
Sapateando na areia

No em cordao de harpa
Laço em linha de remendo
Cobertor de dia
Lençóis a noite..

22/12/12

Luciana Pajor

CIGANA
Sidney Santos

Dança minha gitana
No sonho do baila comigo
Mostra beleza e gana
Deixa-me dançar contigo

Mulher sensualidade
Batidas dos pés e palma
Entoa o amor de verdade
Trazendo o reflexo d’alma

Baila ao som da guitarra
Solta teu lindo sorriso
Canta que é a vida é uma farra
É isso só que preciso

Sidney Poeta Dos Sonhos

Sou o sorriso do palhaço a alegria da criança a euforia da primeira dança.
Sou o acidente que sobrevivi, o amor que vivi o amigo que perdi.
Sou feito do desespero do momento, da caricia na hora certa e da alegria de um aumento.
Sou um pedaço de todos que por mim passaram, dos que me entristeceram e dos que me alegraram.
Sou o primeiro beijo que eu roubei, sou o machucado que curei, sou a frase engasgada que não falei.
Sou feito de amigos, metade mocinho, metade bandido.
Sou o gol que fez meu time campeão, sou as páginas do livro que mudaram minha vida, sou a notícia que quase me matou do coração.
Sou a saudade que tenho da infância, sou a falta que sinto de casa, sou metade paciência, metade intolerância.
Sou aquele amor perdido, sou o amor encontrado, sou tudo aquilo que deu certo e um pouco mais do que deu de errado.
Sou cada lagrima que derrubei, cada sorriso que eu dei e cada abraço apertado que eu ganhei.
Sou um pedaço da razão e 80% da emoção, sou toda a saudade, bondade e sonhos que ainda vive em meu coração.

Felipe Santos

Chove em Porto Alegre

Dia de chuva, nuvens de chumbo,
A dança dos guarda-chuvas na rua.
As pessoas caminhando apressadas,
Sem querer se molhar...
Cuidado a poça menina,
Das árvores caem pingos,
E ainda por cima,
O descuidado motorista do ônibus que passa,
Encharcando os desavisados pedestres...

Vou colocar botas de chuva vermelhas,
E usar uma sombrinha laranja,
Para alegrar um pouco este dia...

Andréa Wollenhaupt Petry

NOTURNO

A saudade
inspira essa noite.

Véu nebuloso da noite,
que envolve a dança fria:
Mão na palma da minha,
ouvido ao som do teu respiro.

És distante,meu amor.
Mas és tu neste noturno,
a estrela maior.

Tão solitário.
Eu só.
A canção que te aproxima
curva meu dorso crú.

Acendestes as luzes desta noite...

És distante,meu amor.
Mas és tu neste noturno,
a estrela maior.

És meu neste noturno.
Eu tua por deslumbro,
feito anéis de Saturno
a nos casar.

Patrícia Vicensotti

No teto você dança uma canção distraída, adormece pelas quatro pontas do quarto, faz das cortinas edredom.

Tenho medo de entrar na sua casa, ficar tonta, não saber acompanhar seus passos, girar de cima até o chão.

Te procuro então por aqui em tantos textos, rabisco diariamente umas quatrocentos imagens nossas através de palavras.

Ainda me esforço para emendar o cansado órgão com versos pesados e retalhos do que restou da sua quase despedida.

NaNa Caê

A Dança


No baile da solidão a canção é fria, a alma prova a agonia, os dias são de nostalgia, mais ainda assim nasce
a poesia.

Já o baile da vida vez ou outra tropeçamos, caimos, levantamos abraçamos, sonhamos, acordamos.

O aconchego demora a dor devora, a alma implora para a saudade o reviver das imagens, dos bons momentos, do amor etéreo que faz a vida mágica.

Cerram-se as cortinas, adormece a bailarina. Voltamos para a dura sina, solidão em cada esquina, a total ausência de afeto rotina.

Ana Stoppa

SAUDADONA


Que saudade da dança dos guarda chuvas,

da companhia insistente e das gotas inexistentes,
sonhos e realidade inundando nossas mentes.
Que saudade do preenchimento de todos os espaços,
da simples vontade de estar par e passo,
por onde a vida fosse nos levar.
Que saudade da descoberta certa das nossas incertezas,
dos pensamentos e de toda nossa prestreza
na procura de nossas respostas.
Saudade de absolutamente TUDO!
Das paredes, dos olhares, pães e sobremesas,
dos cigarros e nossas conversas diante de uma mesa,
que ainda nos separava.
Hoje nos separa a distancia, a vontade e o tempo...
nos separa até mesmo o ar, as quadras e o vento...
sem gotas, sem presença e sem compasso...
SAUDADE UNICA E EXCLUSIVA...
Simplesmente de você no meu espaço!

Daniela Maurano

Gosto de toda forma de expressão
Poética, em prosa, crônicas
Escrita, falada, cantada...em dança
Há gente eloquente
Há gente timida
Há textos que nos arramcam emoções, suspiros d'alma
Outros, acanhados, mal rabiscados,
Mas ainda mostram o coração de quem os desenha
Não são fundamentais as rimas, nem tão importante o conhecimento linguístico
A essência está no próprio ser
Em permitir transbordar a emoção
Na capacidade de transformar sentimentos em arte
Mas não deve ser vulgar, que seja ousado
Que seja ardente, que seja nú,
Mas nunca vulgar
E é essa linha tênue que separa a sensualidade do tosco
A beleza do ordinário
Que todo poeta, mesmo que ainda não saiba sê-lo
Deve cuidar para não ultrapassar...

Janaina Cavallin

A dança do amor
Dança que partilhei tantas vezes com possíveis amores
Míseras recompensas, sensações mecânicas
Em muitas vezes era melhor ter ficado só
Tento abafar a verdade com a distância
Mas a realidade é que tempos depois
Amores se reencontram
Bailam a sublime dança
Ninguém consegue ser assim
Comprovam o que já se sabia
Nossos corpos falam entre si
Conhecem o caminho com perfeita sintonia

Gino Sanches