Texto sobre Carater

Cerca de 254 texto sobre Carater

“Da vida ganhei o caráter”

Aprendi em certos tempos escutar sem muito falar, também ganhei de contrapeso o momento de esperar.

A ausência e alguns defeitos deixaram cegos e desamparados meus momentos de razão, ademais sentiram desprezo, certo estou na minha canção.

Ontem cedo topei o espelho, vi uma criança pestanejar, a noitinha tive receio, mas cuidadoso peguei-me às turras a lhe olhar;um espanto pois não era o mesmo fagueiro,vi um homem a me encarar.

O castigo não mais tenho, vejo-me agora a ensinar,antes imaturo em devaneio,tento agora equilibrar,meus momentos de anseio podem de fato esperar.

A virtude sei que tenho, não aquelas cardeais, temperança, justiça, fortaleça e prudência um grãozinho vão me dar;tenho a força e sou sereno,valentia sei que há,fé em um dia de esperança a caridade vou ganhar.

Tenho orgulho do que vejo, sou o único a me inspirar, senti na pele um olhar faceiro, os dias passam sorrateiros, a vida bateu sem dó e a contento deixando ao chão no atoleiro alguém incerto e não guerreiro; fazendo-me homem ao levantar.

Marques Bueno

Caráter

"O caráter determina como uma pessoa usa a sua inteligência". Um homem vai agir nas oportunidades que se apresentam e reagir às circunstâncias de acordo com seu caráter, que é moldado por seus valores. Por isso, é muito importante que uma pessoa defina conscientemente seus princípios, valores e convicções, pois disso depende a sua vida.

Francis Iacona

Na vida de um ser humano, as mudanças psicológicas, de hábitos e de caráter são difíceis e via de regra muito lentas. No ranking das coisas mais difíceis de se mudar na vida de um ser humano, o orgulho ocupa uma das primeiras posições! O ser humano que consegue dominar e quebrar o seu orgulho (altivez, soberba) se torna um grande e admirável ser humano!
"e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes." (Bíblia, 1 Pedro 5.5, b)
"A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda." Provérbios 16.18

Mauricioadv7

Eu protesto!

Num mundo onde "marketing pessoal"
É mais importante do que o caráter de alguém
Onde aparência é fundamental
E a cor da pele e a forma do corpo também

Não encontro espaço para ser o que sou
Porque não suporto artificialidade
Eu sou gente de verdade
Não sou um estereótipo que a mídia propagou

Não sou de mandar recado
Sou de refletir e partir para a ação
Contra a injustiça eu não me calo
Não quero ser mais uma na multidão

Nessa multidão inerte que tudo deixa passar
Que não protesta, que não se mexe e que só sabe esperar...
Esperar que a situação mude sem que se faça alguma coisa
E ficar de pernas pro ar, levando a vida numa boa

Num mundo onde etiquetas têm grande valor
Num mundo onde reina indiferença e desamor
Num mundo onde tudo é cobiça e vaidade
E onde uma mentira, repetida, vira verdade

Só que eu existo, posso estar na margem, mas não sou resto
Podem me ignorar, me excluir, mas ouvirão o meu protesto

Eu protesto contra a ganância
Eu protesto contra a indiferença
Eu protesto contra a ignorância
Eu protesto contra a carência

Eu protesto contra a artificialidade
Eu protesto contra a desigualdade
Eu protesto contra o desamor
Eu protesto contra a total falta de valor

De valor à vida
De valor às pessoas
De valor às criações divinas
De valor ao amor, que tudo perdoa

Eu protesto contra a dureza dos corações
Eu protesto contra a cegueira espiritual
Eu protesto contra as insensatas realizações
De pessoas que desprezam o bem e praticam o mal

Eu protesto e sigo a protestar
Nenhuma mão opressora pode me abalar
Pois eu conheço Aquele que me fortalece
Saibam que, de nenhum(a) filho(a), Ele se esquece

O Deus Altíssimo não faz acepção
Do príncipe ao mendigo
Do grande ao pequenino
Ele ama sem impor condição

Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

A Vida Reta

É em razão do caráter prático da fé, quanto ao cumprimento das ordenanças de Deus, que se afirma na mesma Bíblia que o nosso culto é racional, ou seja, a fé possui também este caráter prático de ser comprovada através do fato de darmos crédito aos mandamentos de Deus, para os praticarmos.
Demonstramos então que cremos verdadeiramente em Deus, quando Lhe obedecemos praticando tudo o que nos tem ordenado na Bíblia, para esta presente dispensação do Espírito Santo, ou da graça.
É assim que se revela que somos de fato pessoas de fé. Pelo testemunho prático de nossas vidas pelo que pode ser observado pelos outros no nosso modo de proceder, ou seja, no nosso comportamento.
Daí o apóstolo Tiago ter afirmado o seguinte:

“17 Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma.
18 Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.”

E também de o apóstolo Paulo ter afirmado que aquele que não cuida dos seus familiares tem negado a fé e é pior do que o infiel, porque muitos não cristãos assumem responsabilidades no compromisso que têm em relação a seus esposos e filhos, cuidando deles e vivendo para eles, coisa esta, que muitos cristãos não fazem por serem negligentes e desobedientes.
Como posso afirmar que tenho fé em Deus e não provejo o sustento de minha esposa, e não cuido dos interesses dela muito mais do que os meus próprios interesses, e vivendo para agradá-la, e não a mim mesmo, e amando-a e respeitando-a, tratando-a sem aspereza, conforme Deus exige dos maridos em Sua Palavra?
Como posso afirmar que tenho fé em Deus e não trago os meus filhos em sujeição em obediência a Cristo, e não governo o meu lar vivendo para eles, e provendo o seu sustento, educando-os na justiça e na verdade, e em todos os caminhos de Deus?
O mesmo tipo de raciocínio se aplica às esposas e aos filhos, nos deveres que lhes são ordenados, respectivamente, na Palavra de Deus.
A prática destas ordenanças e deveres é para ser aprendida durante toda a nossa jornada terrena, e o Senhor nos chama a fazer progressos cada vez maiores em tal aprendizado e prática.
A vida cristã é portanto algo muito difícil, e diríamos até mesmo impossível de ser vivida se não nos for concedida graça da parte de Deus para tal fim.
E esta graça será achada somente por um caminhar em humildade perante o Senhor, reconhecendo que não poderemos chegar a ser esposos, pais e filhos exemplares, caso não sejamos ajudados e capacitados por Deus, para tal objetivo.
Todavia, Ele não nos ajudará e capacitará caso não nos movamos a orarmos e a sermos praticantes da Sua Palavra.
Por isso Deus não quer que sejamos meros ouvintes da Palavra, mas verdadeiros praticantes, sabendo que este aprendizado é para toda a vida, e que exigirá portanto de nós, paciência e perseverança, à medida que vamos sendo tornados cada vez mais responsáveis, operosos, amáveis, dedicados e habilitados a fazermos renúncias e sacrifícios por amor aos nossos familiares e ao nosso próximo.
Assim, importa reter cada nível maior de graça que tivermos alcançado e não nos darmos por satisfeitos com o nível que tivermos atingido, por sabermos que há níveis muito mais elevados de perfeição para serem alcançados e praticados, conforme é da vontade de Deus para todos os Seus filhos, que sejamos perfeitos assim como Ele é perfeito.
A nossa imperfeição nunca será portanto, aceita por Deus, como uma desculpa para os nossos fracassos.
Nem tampouco o excesso de confiança carnal de estarmos fazendo o que é certo poderá ser de algum auxílio, ao contrário, será mais um dos motivos do nosso fracasso.
Não é portanto, de se admirar que até mesmo pastores estão sujeitos a fracassarem como esposos ou pais, quando não praticam os preceitos de Deus relativos ao modo como devemos caminhar em Cristo, particularmente nos deveres ordenados na Bíblia para os esposos e os pais.
Nem mesmo a aplicação da disciplina dos quartéis em nossos lares nos trará um viver vitorioso, mas nos submetermos aos mandamentos de Deus.
Somente um viver em retidão, segundo a direção do Espírito Santo, mediante prática da justiça evangélica revelada na Bíblia, poderá nos conduzir a recebermos da parte de Deus, harmonia, alegria e paz verdadeiros para os nossos relacionamentos.
Esta é a razão de a Bíblia afirmar que devemos nos empenhar em buscar e alcançar a paz em nossos relacionamentos, apartando-se do mal e praticando o que é bom (I Pe 3.11), porque este é o único modo de vermos dias felizes e acharmos prazer em viver, uma vez que é somente sobre os que procedem de modo justo que Deus faz os Seus olhos repousarem para atender às suas orações e abençoá-los (I Pe 3.9,12).
Este é um dos principais motivos de se exigir dos pastores que sejam exemplo dos fiéis na prática de todas as coisas ordenadas na Bíblia, para que os cristãos possam achar neles qual é o modo prático pelo qual importa que vivam para Deus (I Tim 4.12, Tito 2.7).

Silvio Dutra

O Amor Ágape Requer Santidade

Se alguém tem dúvida quanto ao caráter santo e justo de Deus, que ama o que pratica a santidade e a justiça, basta apenas ler o quarto capitulo de Oseias.
Quem pratica o mal odeia a si mesmo,
Deus não criou o homem para o ódio, mas para o amor.
Então, nos adverte insistentemente em toda a Sua Palavra revelada (Bíblia) para que deixemos a prática do pecado, porque este é a única causa que faz separação entre nós e Ele.
Mas o povo de Israel se recusava a ter o verdadeiro conhecimento de Deus, e seus sacerdotes não lhes ensinavam os caminhos do Senhor e a Sua verdadeira vontade, de maneira que lhes convinha ter um povo pecador, para que vivessem de falsas absolvições de pecados não perdoados por Deus, pela apresentação de sacrifícios sem qualquer valor diante dEle, que serviam somente para enriquecer os ministros do santuário, e ainda o pior de tudo, de um santuário profano, de falsos deuses.
Por isso Deus protestou contra eles através do profeta Oseias lhes dizendo o seguinte:
“6 O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.
7 Quanto mais estes se multiplicaram, tanto mais contra mim pecaram; eu mudarei a sua honra em vergonha.
8 Alimentam-se do pecado do meu povo e da maldade dele têm desejo ardente.
9 Por isso, como é o povo, assim é o sacerdote; castiga-lo-ei pelo seu procedimento e lhe darei o pago das suas obras.” (Os 4.6-9)
Quando falta este conhecimento da verdadeira santidade que é devida a Deus, e quando se aprova qualquer forma de comportamento a pretexto de que Deus é misericordioso, bondoso e sempre pronto a manifestar a Sua graça, independentemente da forma em que vivamos, o resultado sempre será o descrito no início de Oseais 4, porque as características das pessoas, mesmo as que pertençam ao povo do Senhor, como era o caso de Israel, serão as seguintes:
“1 Ouvi a palavra do SENHOR, vós, filhos de Israel, porque o SENHOR tem uma contenda com os habitantes da terra, porque nela não há verdade, nem amor, nem conhecimento de Deus.
2 O que só prevalece é perjurar, mentir, matar, furtar e adulterar, e há arrombamentos e homicídios sobre homicídios.”
Onde não prevalece um verdadeiro caminhar com Deus não pode estar presente o amor ágape, a verdade divina, e nem o conhecimento pessoal e experiencial de Deus e do Seu caráter e vontade, senão somente o perjurar, mentir, matar, furtar, adulterar, e homicídios sobre homicídios.
(o odiar alguém é ensinado por Jesus como sendo também homicídio, e era este o sentido interior do preceito “não matarás” nos dez mandamentos).
Isto deve ser analisado à luz do Sermão do Monte, onde Jesus define o adultério como o ato de olhar de modo impuro para uma mulher, e não meramente o ato consumado; bem como o homicídio como o ato de se encolerizar contra alguém sem motivo justificável; o mentir, pelo deixar de ser ter um falar do tipo sim, sim, não, não, porque era este o sentido interior destes preceitos nos dez mandamentos.
Tal foi o endurecimento do pecado a que Israel havia chegado nos dias dos profetas, que foi ordenado pelo Senhor que a nenhum deles se repreendesse, porque a repreensão não alcançaria o efeito desejado de produzir o arrependimento nos seus corações, o que ocorreria apenas com alguns, depois que fossem corrigidos com a ida para o cativeiro (Os 4.4).

Baseado em Oseias 4

Silvio Dutra

Só os tolos e os sem caráter insistem em usar o passado como forma de atingir ou defender-se do inimigo.
Eles usam o passado como defesa, como a arma mais poderosa que pode existir.
Porque a maior arma, instrumento de defesa dos acusados e o Presente , que não há nada para se relembrar
Apenas para se orgulhar.

Legi4o

Bárbara Mendes

Religião não forma caráter de ninguém. Ela pode completar ou até mesmo transformar um cidadão desviado do caminho do bem. Mas o que forma um caráter é EDUCAÇÃO. Isso se aprende ao nascer e requer prática constante até o morrer. Educação gera respeito, que elimina qualquer preconceito e abre fronteiras.
Mente aberta para analisar, coração aberto para amar e boca... às vezes é preciso fechar.

Ket Antonio

EZEQUIEL 47

O início deste capitulo nos ajuda a entender melhor e a confirmar o caráter desta profecia de Ezequiel, que abrange os capítulos 40 a 48, como sendo uma mensagem de chamada à santificação do povo de Deus, e da reorganização da sua vida religiosa e espiritual, abrangendo tanto os judeus no período da Antiga Aliança que duraria ainda por cerca de 600 anos, quanto da Igreja de Cristo, pela revelação feita a Ezequiel destas realidades que sendo espirituais e celestiais, como é toda a Lei de Deus, da qual se diz em Romanos, ser boa, santa, espiritual e perfeita, podem ser vistas tanto no céu quanto na terra.
Havia e há um trabalho do Espírito Santo, tanto no Antigo, quanto no Novo Testamento. Evidentemente, muito mais abundante no Novo, tanto em extensão (em todas as nações), quanto em profundidade (pelo batismo do Espírito).
Então nós vemos neste capítulo a referência de águas vivas saindo por debaixo do limiar do templo, para o oriente, e que desciam pelo lado sul do templo.
Seria improdutivo, tentar abrir um debate se o templo aqui referido está no céu, ou na terra, porque Deus havia prometido em capítulos anteriores habitar no meio do Seu povo, e Ele afirmou que Ele próprio seria o santuário deles, e então, podemos concluir que a mensagem espiritual que o Senhor pretendia passar com esta passagem é a de que haveria este trabalho do Espírito Santo na terra, para dar vida ao que estava morto, conforme foi visto no capitulo 37 em relação ao vale de ossos secos, quando o Espírito deu vida àqueles ossos.
Por isso Jesus disse ainda na terra, o que ocorreria depois da Sua morte e ressurreição:

“37 Ora, no seu último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba.
38 Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva.
39 Ora, isto ele disse a respeito do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito ainda não fora dado, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado.” (Jo 7.37-39)

Nesta passagem do evangelho de João é bem provável que nosso Senhor tenha recorrido a este texto de Ezequiel 47, quando disse que “Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva.” (v. 38). E Ele estava se referindo ao Espírito Santo que seria derramado na terra a partir do dia de Pentecostes.
Com este ponto de partida da afirmação de nosso Senhor, podemos seguir adiante com o que foi mostrado em visão e dito por Deus a Ezequiel, na continuação deste capítulo, porque se afirma que um anjo lhe fez passar por estas águas vivas, e que no início elas lhe davam ao nível da altura dos artelhos dos pés, numa distância de mil côvados (cerca de 500 metros), e que nos mil côvados adiante, estas águas haviam aumentado de volume ao nível dos seus joelhos; e tendo o anjo medido mais mil côvados, as águas lhe davam agora na altura da cintura, e que por fim, depois de medidos mais mil côvados, elas se transformaram num rio que não se podia atravessar a pé, senão somente a nado (v. 3 a 5).
Ora isto se refere tanto ao trabalho do Espírito Santo, considerado individualmente numa pessoa aumentando cada vez mais o grau da sua santificação, por um enchimento progressivo do Espírito, como quem anda num rio de águas vivas desde a sua nascente até o ponto em que se torna um rio volumoso.
Assim, o Espírito Santo não somente restauraria a vida religiosa de Israel na Antiga Aliança, como, principalmente, faria um trabalho de avivamento em todas as nações da terra nos dias do Novo Testamento.
É preciso entender a mensagem espiritual da visão, em vez de tentar identificar as localidades da terra às quais elas se referem, especialmente quanto ao cumprimento do que é prometido, como por exemplo que as águas saem desde a sua nascente para o oriente, descendo pelo Arabá, e que entrando no Mar Morto, transformarão suas águas salgadas em águas saudáveis.
Sabemos que o Mar Morto se encontra encravado bem no centro de Israel, e que a noroeste e próximo do mesmo fica situada a cidade de Jerusalém, onde ocorreu o Pentecostes, mas seria temerário fazer uma afirmação final que a visão se limita a identificar somente tal evento histórico.
É dito também que na nascente do rio, de um e de outro lado de suas margens, há árvores em grande número (v. 7), significando isto que sua nascente não se situa numa região árida, mas num oásis cheio de vida. Deus é de vivos e não de mortos. Ele é a fonte de toda vida. É um manancial eterno cheio de vida, pronto para encher de vida a todos os que beberem das Suas águas vivas.
Deus não criou morte, mas vida. O autor da morte é o diabo e o pecado. Mas Jesus não é somente o autor da vida, mas a própria vida.
Por isso se diz ainda na visão de Ezequiel no verso 9 que:

“E por onde quer que entrar o rio viverá todo ser vivente que vive em enxames, e haverá muitíssimo peixe; porque lá chegarão estas águas, para que as águas do mar se tornem doces, e viverá tudo por onde quer que entrar este rio.” (v. 9).

O significado deste verso é que aquele em quem o Espírito Santo entrar para habitar nele, este viverá.
Como quem vive em rio é peixe, então a visão fala de enxame de peixes, mas a referência se aplica a homens e não a peixes, porque este rio certamente não é um rio literal, mas o próprio Espírito Santo, que não é pescador de peixes, mas de homens.
Por isso se diz que os pescadores (os pregadores, evangelistas, os ministros de Deus) estarão junto do rio, porque sem este rio de águas vivas não se pode pescar nenhum homem (v. 10).
É dito que tais pescadores estariam junto ao rio desde En-Gedi até En-Eglaim, e que seria grande a quantidade e a qualidade da espécie de peixes desta região seria feita, por causa deste rio de águas vivas, como o peixe do Mar Mediterrâneo, ou seja, peixes grandes e bons.
Ora, não há qualquer dúvida que isto é uma referência ao trabalho de regeneração e santificação do Espírito, transformando os pecadores em pessoas santas de Deus.
A visão é tão real na sua aplicação espiritual, das coisas relativas ao trabalho do Espírito nos corações, que se diz, que os charcos e os pântanos das localidades referidas não seriam sarados pelas águas do rio de Deus, mas seriam deixados para produzir sal.
Isto pode ser uma referência às vidas daqueles que decidem permanecer atolados no pecado, nos quais o Espírito não pode realizar o Seu trabalho de cura espiritual, porque é necessário arrependimento para que Ele possa habitar em nossos corações.
No verso 12 encontramos uma referência ao fruto do Espírito, que é variado (amor, paz, alegria, bondade, longanimidade, domínio próprio, fé etc), e que está representado na visão como as várias árvores que nascem às margens deste rio, porque suas raízes se alimentam de suas águas vivas, as quais na estação própria de cada uma destas árvores, produz tal fruto, que serve de alimento, e suas folhas de remédio.
O fruto do Espírito Santo é quem alimenta o nosso espírito, e estas árvores que são os cristãos produzirão também, pelo Espírito, folhas saudáveis que servirão para a cura da alma e do corpo.
Esta é a árvore plantada junto às águas, referida no Salmo primeiro, ou seja, o varão que é bem-aventurado.
E como os que são bem-aventurados herdarão a terra, é citado a partir do verso 13 até o final deste capítulo, e no próximo, qual seria a divisão da terra pelas doze tribos de Israel.
Isto teve o propósito de reanimar o povo que se encontrava no cativeiro em Babilônia, e que teria que aguardar ainda alguns anos para retornarem à sua própria terra, para se disporem a voltar para Israel, uma vez cumprido o tempo de 70 anos determinado para o seu cativeiro.
A descrição da repartição da terra pelas tribos foi feita nos mesmos moldes dos dias de Josué, quando Israel entrou na herança da terra que lhe havia sido dada pelo Senhor, para que eles soubessem que a partir do retorno de Babilônia, Deus lhes trataria tal como havia feito no princípio da história de Israel.
Ele queria lhes demonstrar que seria com eles para remover todo tipo de oposição para que pudessem entrar na posse definitiva da herança que lhes havia dado.
Por isso as duas partes que haviam sido dadas a José nas pessoas de seus filhos Efraim e Manassés, seria feita novamente, tal como no princípio, e assim sucessivamente.
Evidentemente, que na prática não seria mais como no passado, até porque as doze tribos do Norte estavam praticamente dissolvidas, mas havia ainda descendentes destas tribos espalhados pelo mundo, e a visão queria portanto encorajá-los a voltarem para Israel e para o Senhor, porque tinha feito uma aliança com todos eles desde Moisés, e havia prometido ser o Deus deles a Abraão, de quem haviam sido formados.
Esta visão se aplica também aos cristãos da Igreja de Cristo, que independentemente da sua nacionalidade são tidos por verdadeiros israelitas, pertencentes ao Israel de Deus, por terem sido enxertados na Oliveira Santa que é Jesus Cristo.
Então, eles também entrarão na posse definitiva da terra, depois de terem sido derrotados todos os inimigos de Deus, que se opõem a que eles entrem na posse da herança que lhes foi garantida pelo Senhor, por direito perpétuo.
Este capítulo descreve quais seriam os limites da terra que Israel receberia por herança, e no capítulo seguinte é descrita a forma pela qual a distribuição seria feita pelas tribo de Israel, capítulo este que não estaremos comentando.




“1 Depois disso me fez voltar à entrada do templo; e eis que saíam umas águas por debaixo do limiar do templo, para o oriente; pois a frente do templo dava para o oriente; e as águas desciam pelo lado meridional do templo ao sul do altar.
2 Então me levou para fora pelo caminho da porta do norte, e me fez dar uma volta pelo caminho de fora até a porta exterior, pelo caminho da porta oriental; e eis que corriam umas águas pelo lado meridional.
3 Saindo o homem para o oriente, tendo na mão um cordel de medir, mediu mil côvados, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos artelhos.
4 De novo mediu mil, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos joelhos; outra vez mediu mil, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos lombos.
5 Ainda mediu mais mil, e era um rio, que eu não podia atravessar; pois as águas tinham crescido, águas para nelas nadar, um rio pelo qual não se podia passar a vau.
6 E me perguntou: Viste, filho do homem? Então me levou, e me fez voltar à margem do rio.
7 Tendo eu voltado, eis que à margem do rio havia árvores em grande número, de uma e de outra banda.
8 Então me disse: Estas águas saem para a região oriental e, descendo pela Arabá, entrarão no Mar Morto, e ao entrarem nas águas salgadas, estas se tornarão saudáveis.
9 E por onde quer que entrar o rio viverá todo ser vivente que vive em enxames, e haverá muitíssimo peixe; porque lá chegarão estas águas, para que as águas do mar se tornem doces, e viverá tudo por onde quer que entrar este rio.
10 Os pescadores estarão junto dele; desde En-Gedi até En-Eglaim, haverá lugar para estender as redes; o seu peixe será, segundo a sua espécie, como o peixe do Mar Grande, em multidão excessiva.
11 Mas os seus charcos e os seus pântanos não sararão; serão deixados para sal.
12 E junto do rio, à sua margem, de uma e de outra banda, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer. Não murchará a sua folha, nem faltará o seu fruto. Nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário. O seu fruto servirá de alimento e a sua folha de remédio.
13 Assim diz o Senhor Deus: Este será o termo conforme o qual repartireis a terra em herança, segundo as doze tribos de Israel. José terá duas partes.
14 E vós a herdareis, tanto um como o outro; pois sobre ela levantei a minha mão, jurando que a daria a vossos pais; assim esta terra vos cairá a vós em herança.
15 E este será o termo da terra: da banda do norte, desde o Mar Grande, pelo caminho de Hetlom, até a entrada de Zedade;
16 Hamate, Berota, Sibraim, que está entre o termo de Damasco e o termo de Hamate; Hazer-Haticom, que está junto ao termo de Haurã.
17 O termo irá do mar até Hazar-Enom, junto ao termo setentrional de Damasco, tendo ao norte o termo de Hamate. Essa será a fronteira do norte.
18 E a fronteira do oriente, entre Haurã, e Damasco, e Gileade, e a terra de Israel, será o Jordão; desde o termo do norte até o mar do oriente medireis. Essa será a fronteira do oriente.
19 E a fronteira meridional será desde Tamar até as águas de Meribote-Cades, ao longo do Ribeiro do Egito até o Mar Grande. Essa será a fronteira meridional.
20 E a fronteira do ocidente será o Mar Grande, desde o termo do sul até a entrada de Hamate. Essa será a fronteira do ocidente.
21 Repartireis, pois, esta terra entre vós, segundo as tribos de Israel.
22 Reparti-la-eis em herança por sortes entre vós e entre os estrangeiros que habitam no meio de vós e que têm gerado filhos no meio de vós; e vós os tereis como naturais entre os filhos de Israel; convosco terão herança, no meio das tribos de Israel.
23 E será que na tribo em que peregrinar o estrangeiro, ali lhe dareis a sua herança, diz o Senhor Deus.” (Ezequiel 47)

Silvio Dutra

PROVÉRBIOS 10

A partir deste capítulo até o vigésimo nono, nós temos citações de caráter essencialmente proverbiais, que sendo auto-explicativas, e à luz de tudo o que já foi dito anteriormente, poderão ser melhor entendidas pela simples leitura direta do texto de tais capítulos, motivo porque não estamos apresentando qualquer comentário relativo aos mesmos, com exceção a algumas citações que julgamos ser proveitoso submetê-las a uma rápida interpretação, como por exemplo a do verso 12 deste capítulo.

“O ódio excita contendas; mas o amor cobre todas as transgressões.”

A parte inicial deste verso nos ajuda a ter um melhor entendimento da afirmação do apóstolo Pedro de que o amor cobre uma multidão de pecados, porque tudo indica que ele a retirou deste provérbio.

“tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados;” (I Pe 4.8)

O texto de Provérbios afirma que “o ódio excita contendas”, comparando-o em oposição ao amor, que faz justamente o contrário disto.

O ensino é que onde houver ódio no coração haverá disputas, divisões, contendas. Mas onde o amor imperar, as ofensas serão perdoadas e suportadas; e não que serão escondidas, como alguns pensam que seja esta a interpretação do texto de I Pe 4.8.



“1 Provérbios de Salomão. Um filho sábio alegra a seu pai; mas um filho insensato é a tristeza de sua mãe.
2 Os tesouros da impiedade de nada aproveitam; mas a justiça livra da morte.
3 O Senhor não deixa o justo passar fome; mas o desejo dos ímpios ele rechaça.
4 O que trabalha com mão remissa empobrece; mas a mão do diligente enriquece.
5 O que ajunta no verão é filho prudente; mas o que dorme na sega é filho que envergonha.
6 Bênçãos caem sobre a cabeça do justo; porém a boca dos ímpios esconde a violência.
7 A memória do justo é abençoada; mas o nome dos ímpios apodrecerá.
8 O sábio de coração aceita os mandamentos; mas o insensato de lábios cairá.
9 Quem anda em integridade anda seguro; mas o que perverte os seus caminhos será conhecido.
10 O que acena com os olhos dá dores; e o insensato de lábios cairá.
11 A boca do justo é manancial de vida, porém a boca dos ímpios esconde a violência.
12 O ódio excita contendas; mas o amor cobre todas as transgressões.
13 Nos lábios do entendido se acha a sabedoria; mas a vara é para as costas do que é falto de entendimento.
14 Os sábios entesouram o conhecimento; porém a boca do insensato é uma destruição iminente.
15 Os bens do rico são a sua cidade forte; a ruína dos pobres é a sua pobreza.
16 O trabalho do justo conduz à vida; a renda do ímpio, para o pecado.
17 O que atende à instrução está na vereda da vida; mas o que rejeita a repreensão anda errado.
18 O que encobre o ódio tem lábios falsos; e o que espalha a calúnia é um insensato.
19 Na multidão de palavras não falta transgressão; mas o que refreia os seus lábios é prudente.
20 A língua do justo é prata escolhida; o coração dos ímpios é de pouco valor.
21 Os lábios do justo apascentam a muitos; mas os insensatos, por falta de entendimento, morrem.
22 A bênção do Senhor é que enriquece; e ele não a faz seguir de dor alguma.
23 E um divertimento para o insensato o praticar a iniquidade; mas a conduta sábia é o prazer do homem entendido.
24 O que o ímpio teme, isso virá sobre ele; mas aos justos se lhes concederá o seu desejo.
25 Como passa a tempestade, assim desaparece o ímpio; mas o justo tem fundamentos eternos.
26 Como vinagre para os dentes, como fumaça para os olhos, assim é o preguiçoso para aqueles que o mandam.
27 O temor do Senhor aumenta os dias; mas os anos os ímpios serão abreviados.
28 A esperança dos justos é alegria; mas a expectação dos ímpios perecerá.
29 O caminho do Senhor é fortaleza para os retos; mas é destruição para os que praticam a iniquidade.
30 O justo nunca será abalado; mas os ímpios não habitarão a terra.
31 A boca do justo produz sabedoria; porém a língua perversa será desarraigada.
32 Os lábios do justo sabem o que agrada; porém a boca dos ímpios fala perversidades.”

Silvio Dutra

Quer sofrer após um término? - Se envolva com um mau caráter
Quer ter um término tranquilo? - Se envolva com um homem de bem.

- O sentido é tão simples quanto a escrita, é preciso ter critérios antes de se envolver - talvez seja uma tarefa difícil, mas utilize de toda sua sensatez, intuição e estratégia...
Seja minuciosa na sua escolha - se identificou que o "cara" aparenta ser impiedoso, observe-o e tome providencias antes que seu coração a impeça de enxergar a realidade e então você se encontre em um grande sofrimento e arrependimento de um dia ter se deixado levar pelo encanto de um homem nocivo...

W.Ercya

MITOLOGIA POLÍTICA - "O caráter do Real"

Conheci um senhor de 86 anos que, mesmo sendo analfabeto, analizava e debatia com muita clareza assuntos de sua importância social. Certa vez em que parei para conversar por simples quinze minutos, minha mente transcedeu por uma viajem nunca feita em toda minha existência humana.
Saindo de uma conversa aparentemente simples, abri os olhos e vi o mundo em que vivo. Mas totalmente oposto de quinze minutos antes. Passei pela principal avenida da cidade e comecei a perceber o que tinha ouvido, mas na prática.
O tema "Real" é o que me faz pensar e repensar como o mesmo pode mudar a humanidade, até mesmo as pessoas. Com o "Real" opiniões são compradas, amores são conquistados, famílias miseráveis são conformadas, a saúde pública fica até com uma aparência de primeiro mundo.
Ultimamente muitas pessoas vem se manifestando com argumentos de conquistas de direitos. Mas em uma sociedade em que os direitos se alinham com os deveres, aí fica difícil. Difícil pelo fato de que, quem tem o direito de "decidir" automaticamente tem o dever de cobrar o que não estiver de acordo com o que está proposto. Mas isso na maioria das vezes não acontece. Só o que se vê, são manifestações de baixo nível de entendimento: acusações imcabíveis, ironias, palavras de baixo calão, xingamentos desnecessários. Uma sociedade dígna não se constrói assim.
Não se pode criticar um trabalho mau feito de uma empresa, onde você é o patrão que põe e paga os salários destes funciorários que você mesmo não está satisfeito. Se não tem produtividade, você como chefe tem que mudar essa equipe, antes que a mesma vá a falência.
Fica muito complicado quando o senhor "Real" entra em cena, e consegue calar a voz ou até mesmo mudar em questões de segundos a opinião de uma pessoa. Um ser humano que se vende por migalhas não tem o direito de cobrar ou argumentar o caráter do outro. Se ele mesmo se vendeu para tal situação que fará uma diferença enorme quando ele mesmo sentir o passo que deu para trás, onde sua própria vida e de sua família estará nas mãos de uma empresa chamada "Atraso de vida" que quando ele sentir na pele e sentir o peso da responsabilidade que teve, aí será tarde demais.
Temos que prestar muita atenção no que ouvimos e muito mais nas ações que desenvolvemos, pois elas refletem uma carga de coisas tanto para o bem quanto para o mau.
- Por mais que as condições (financeiras) estejam desfavoráveis a você, pare bem para analizar que as coisas podem ficar muito pior se você se entregar por migalhas ao senhor "Real".

Bruno Batista

O bom mesmo é você vencer com dignidade, por mérito seu. E com caráter.
Sem interesses, sem ter que vender o seu corpo, sem vulgaridades, promiscuidades... Enfim: conquistando tudo com pessoas te respeitando e te admirando em sua volta. Tudo por conta da sua postura, aqueles que sabem se posicionar. E isso, meus amigos, não tem preço.
Eu sempre digo:
Só se compra o que tem preço. E valores, quando vem de berço, não há riqueza que pague.

Vivi Cortes

- São todos de bom caráter?
- Não me parece que tenha gente má. São todos interioranos.
- Por quê? Os interioranos não são maus?
Essa inquirição me deixou em apuros. Mas o professor não me deu espaço para pensar na resposta:
- Os interioranos são até piores do que os moradores da cidade. E você falou agora que entre os seus parentes não parece haver pessoas de índole má. Mas você acha que há só um tipo de pessoas más neste mundo? É claro que não existe um modelo de pessoas más. Normalmente são pessoas boas. Pelo menos, são todas pessoas normais. Mas, numa dada circunstância, tornam-se más, o que é apavorante. Por isso não podemos nos descuidar.

Natsume Soseki - Kokoro (Coração)

- Relatos de uma depressiva
Eu só queria crescer e ser feliz. Crescer no amor, na vida, no caráter, no modo de tratar as pessoas e crescer na felicidade. Mas hoje diante de uma profunda depressão me vejo como um lixo que alguém um dia produziu e que ainda não entrou em decomposição. Vida. Mas o que é a vida? Diante de tantas derrotas, angústias e lágrimas eu não sei o que é esse tal ”Viver Intensamente” que as pessoas falam por aí. Sonhos? todos eles já morreram dentro de mim e hoje eu acredito que estou em um estado vegetativo, e sim, eu sinto uma pontinha de inveja de quem é feliz. Felicidade; sentimento que eu gostaria de ter, de sentir, mas não sei o que é; apenas ouço falar. Eu queria voltar a rir, e a ter um pouco de felicidade e o melhor de tudo: sonhar novamente. Sonhar com um verdadeiro amor, com a alegria de ver o mar, com as estrelas ou qualquer outra coisa simples ou boba; eu queria sonhar como uma criança. Mas, tudo isso a depressão levou e eu espero que um dia volte. Eu tenho inimigos mais eu não desejo a nenhum deles uma depressão como a minha; é a pior coisa do mundo, porque por trás de um sorriso tem alguém que perdeu a vida, alguém que não sabe o que é viver, e que vive tomando remédios na esperança de ter a cura. Eu queria me Libertar e Viver. Apenas isso; queria ser feliz, e não ter que chorar mais, não ter que tomar mais remédios e viver triste e angustiada, mais sim ser feliz de novo, como na minha doce e feliz infância.

Mariana Batista

Se algum dia houver DÚVIDA quanto minha palavra, caso DESCONFIE qualquer coisa sobre meu caráter,
apenas afaste-se, sem adeus, sem justificativas, sem ARREPENDIMENTOS e sem desculpas. Apenas suma.
Já sofri muito com MENTIRAS, se acreditar que sou capaz de mentir e usar as pessoas, você realmente não me CONHECEU nem um pouco.

Matheus J. Shopek

CARÁTER!
Nunca esperem que as pessoas reconheçam sua virtudes e seu caráter, ao longo de minha vida aprendi que muitos nos valorizam pelo que temos e pela posição que ocupamos na sociedade. Isso nunca mudará! As vezes me pergunto: Porquê a honestidade incomoda tanto? Minha resposta vem através das poesias e pensamentos que escrevo, cada crítica que recebo me serve de inspiração! Enquanto há pessoas que insistem em nos ameaçar de forma truculenta,eu continuo a usar a inteligência e o dom que Deus me deu para semear o bem e o amor ao próximo. Pensem Nisso! Amo Vocês! Wallace Barbosa - O Poeta do Povo!

Wallace Barbosa

O CARÁTER NÃO ESCONDE PASSADO!

Quando nos lembramos do passado com saudade é porque não temos coragem de afirmar para o mundo que não fomos capazes de fazer felicidade. Pois se flexionamos o verbo no passado é porque estamos afirmando algo que não existirá mais.
Só um imbecil desprovido de caráter que afirma que nunca se arrependeu de alguma coisa que fez.
Não existe excitação maior que lamentar por uma jogada mal executada.

Professor Glauco Marques

Se o exencial é invisível aos olhos, isso quer dizer que beleza não define carater, riqueza não define quem você é e idade não define maturidade.
Se o exencial é invisível aos olhos, isso quer dizer que o mais importante são os sentimentos que uma pessoa carrega em seu coração.
Por tando, não julgue as pessoas pela sua aparencia, não fique com uma pessoa apenas pela sua beleza ou pelo dinheiro, existem coisas mais importantes como o brilho no olhar, a personalidade, o carater, o que a pessoa é por dento e não o que você vê por fora.
Mais nunca esqueça, como diz no livro "O Pequeno Principe", O exencial é invisível aos olhos.

Hemerson Luis

Um Amor de Caráter Espiritual e Vital



O amor que une o crente a Cristo não é de caráter meramente sentimental. Na verdade o sentimento de afeição é apenas uma das muitas formas de expressão do caráter desse amor que é de cunho eminentemente espiritual e vital.
Assim como uma pessoa ama os membros de seu corpo e deles cuida, não por sentimento, mas por serem parte essencial de sua própria vida, de igual modo, Cristo nos ama como membros de seu corpo, e nós também o amamos nesta relação vital por ser ele a nossa cabeça, que nos dirige e mantém vivos e operantes.
Daí se afirmar em Romanos 8 que nada pode nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, uma vez que estamos ligados vitalmente a ele.
Quem jamais deixou de amar os membros de seu corpo e de cuidar deles? Qual membro, que estando sadio, jamais deixou de servir à cabeça que o governa?
E tudo isto é feito de forma voluntária e prazerosa, e não como por obrigação.
Evidentemente que não se pode experimentar isto com a nossa velha natureza terrena, e por isso esta necessita ser crucificada, juntamente com Cristo, pela negação do ego carnal, para que possamos ser novas criaturas, com uma nova natureza espiritual e divina que recebemos do Alto, pela habitação do Espírito Santo em nós.
É a nova criatura que se deleita neste amor e relação vital com o seu Senhor, enquanto a carne (velho homem) continua se opondo à sua vontade, e portanto, necessitamos nos despojar dele mais e mais, para que sejamos revestidos do novo homem, pelo processo da santificação.
Por isso nosso Senhor apontou o ato de guardar os seus mandamentos como sendo a grande evidência e prova do nosso amor por ele, porque é impossível que seja assim, quando não se possui a nova natureza recebida do Espírito Santo, e não se anda segundo a mesma, porque somente esta tem prazer nos mandamentos de Deus, João 14.15,21.

Silvio Dutra