Texto Poético de Criança

Cerca de 1150 texto Poético de Criança

É preciso ser patetico, é preciso ser poetico, é preciso ser você, é preciso ser normal, é preciso ser banal, é preciso convencer.
vou embora para longe, vou embora para Manaus, vou embora te esquecer.
vem comigo pro meu mundo,vem comigo cá pra fundo, vem comigo enlouquecer.
se ganhar fosse normal,se cantar fosse tão facil, presidente eu ia ser.
vem comigo para Bélem, vem comigo ser refem, da minha gente quero ser.
vem comigo em Pernambuco vem ver quanto maluco Beleza, lutando para vencer.
vem comigo para São Paulo vem ver que eu não sou otário, que eu to querendo é crescer.
vem comigo para America vem parar é na novela, vem comigo se perder.
é preciso ser patético,é preciso ser poetico, é preciso convencer,vem comigo em Paulista vamos mostrar a progressão que esse povo pode ter.
vamos mostrar oque é ser Prefeito, presidente,deputado, governador,eleitorado, vereador de se vencer.
já tanta vergonha, é cueca, é façanha, e povo as vezes não vê.
vamos juntos mostrar orgulho de Brasileiro ser.
vamos prestar muita atenção para na hora da eleição não querer se vender.
vem comigo no jornal vem ver cada canal da informação que vou obter.
vem comigo trabalhar vamos juntos mostrar que o Brasil desenvolvido vai ficar com tanta gente a arrepiar o coração de se ver.
vamos juntos derrepente vitória obter.
vem comigo para America.

Glaucy Oliveira

(Um sonho poético)

Seu lamento meu tormento,sua ira meu prazer,sua raiva alegria de nunca mais poder te Ver,sorrir com vontades de querer algo que não pode Ter,nunca vai te devolver um sonho.

Não (desista) dos seus sonhos eles não desistiram de você,e te pergunto o que é envelhecer,tu me vem com uma resposta que não quero nem saber de sonho.

A rainha do meu universo,a dona do meu agora,todos os momentos ao seu lado foram únicos e mentirosos como a liberdade,Longe de você tudo já não era como o antes que não importa e no dia seguinte tenho mais um sonho poético de estar vivo e livre de mim mesmo.

Smith

Às vezes eu sou anormal
Mas, fico poético de mãos dadas
Às vezes eu sou burro
Há tempos, eu não sei o que é ler um livro
Mas eu quero ser um culto
Para despistar barreiras que nos cercam
Não precisamos de nada disso
Acredite, eu sei que você vai cuidar de mim

Eu dou um passeio e me acalmo
Em torno desta confusão social
Eu não sou salvo
Eu poderia ser satisfeito
Mas eu sei que não é suficiente
Para nós alcançarmos juntos

Vamos deixar essa bobagem de lado
Eu não olho para os teus bolsos
Só preciso que você se deite aqui comigo
E nós passaremos a noite contando as faíscas do céu
Acredite, eu não me importo
Você é a única coisa que me faz querer viver

Então, podemos ser só nós mesmos esta noite?
Leve o seu lado de amor e esquecer o dinheiro
Olhar longe do resto
E ir juntos as dimensões do céu
Eu quero ficar perto das estrelas
Apenas segurar sua mão
É a única coisa que importa
O resto vai estar lá, esperando diariamente
Mas, nós não precisamos nos preocupar
Apenas venha e traga seu coração e sua fé
Seremos só eu e você

Quando você me beija
Não há diferenças entre nós
E a estrela que brilha lá em cima
Torna-se uma
Com o amor que você deposita em mim
Eu vou te amar pra sempre
Se você apenas ser você mesmo
Apenas seja você mesmo

Eu poderia passar horas imaginando esse momento
Como eu já fiz milhares de vezes
E agora você me abraça por este brilho nos olhos
Guarde-os para mim
Não pode ser caro, mas nós não precisamos disso
Eu vou cuidar do seu coração
Enquanto você me deixar
Com o pouco que eu tenho
Eu sei que é o suficiente
Para você e eu

Nosso mundo é dividido
Eu vejo que eles olham para mim
Mas você é a razão para eu enfrentá-los
Eu não vou desistir
Eu não vou ouvir nada
Essas diferenças
Eu vou ignorar todas
Eu quero ficar perto da suas estrelas
Apenas segurar sua mão
Você é a única coisa que importa para mim
O resto eu não me importo

Confie em mim
Às vezes eu posso ser lerdo
Eu deveria ter me empenhado mais
Às vezes eu não posso ser o melhor que você deve ter
Mas sou eu, que faria qualquer coisa para manter esse sorriso em seu rosto

Você é tudo para mim, claramente
E eu nunca vou desistir desse amor
Você é a única coisa que importa para mim
O resto é apenas um pedaço de papel
Nós somos reais, somos invisíveis
E somos os melhores assim
Eu não me importo com o quanto você tem em seu bolso
Se eu sei que o seu coração é completo
Você é tudo pra mim
Nunca vou deixar ninguém dizer o contrario
Eu nunca vou desistir

Med Cherry

CONTO POÉTICO.

Um Pastor estava passando necessidade, já que doava tudo o que ganhava;
Sua esposa amada então reclamou.
- Nada temos para dar de comer aos nossos filhos, pois aos outros deste.
Ele assim respondeu.
- Não se preocupe, Deus há de prouver.
Ela retrucou.
- Deste tudo que de Cristo recebeste.
- Quando então Deus lhe dará o que lhe prometeu?
Ele ao ir se deitar então orou, e a Jesus clamou!
Deus Pai provedor conceda-me a graça de agora receber o que tenho por merecer;
Nos tempos vindouros quando à terra Jesus descer.
Durante o sono sonhou, que em bela sala se encontrava;
Encantado a tudo via e nela muitas mesas de ouro havia;
Enxergando sobre uma o nome dele;
Percebeu que todas tinham os nomes dos Profetas.
Era a sala da ceia dos erguidos, ele tinha sido um escolhido.
Espantado acordou em seu quarto, vendo cair do teto um pé de mesa de ouro maciço;
Assustado agradeceu o milagre, já pensando no tanto que faria, agora que era um ricaço.
Tranquilo foi deitar, logo voltando a sonhar.
Retornaste a mesma sala, estava na hora do jantar.
Convidado foi por Cristo a se sentar, alegre aceitou e preparou-se...
Mas quando a ceia chegou... Nada saboreou;
Sua comida ao chão parou, devido à mesa que não ficava correta no lugar.
Faltava-lhe um pé, como então poderia, do que lhe era servido, degustar?
Desesperado acordou, de baixo do travesseiro pegou, o pé de ouro lançou...
De volta ao seu lugar.

Lucio Sá

Desenvolvimento poético

Com papel e caneta na mão
e um bom tema
usando isso como inspiração
se nasce um poema

Um bom tema na mente
procurando descobrir,
passando oque agente sente
não é preciso mentir

Sempre mostrando a verdade
no que nós escrevemos,
pois nessa cruel realidade
é que nós vivemos

Tentando interpretar
oque se passa,
ensinando oque é amar
para toda essa massa

Wesley Allemao

Poética vida.

Vida. Significado poético onde
ficção e romance se misturam
em um so drama pelo resto da historia.
Finalmente estou procurando uma ação,
para quem gosta de mistérios, ela aje
de uma forma romântica, com amores
subpostos a te odiar para que
no final você possa descobrir
a quem te ama verdadeiramente.

Para aqueles que gostam de um
romance, ela aje injustamente,
com a mistura de ficção e ação
para manter o seu suspense.
No meio da historia, seus amores
aparecem sem que você perceba
e guarde todos eles na memoria
como os seus melhores amigos.

E aqueles que preferem drama,
sua vida estara repleta de fases,
que continuam a fazer de seus
lazeres um inferno, e de suas distrações
uma dor de cabeça. Mas, o seu
romance estara do lado certo, no momento
certo, no lugar certo do jeito perfeito,
sabendo que de qualquer forma,
a vida sempre acabara em poesia.

Vida. Significado poético onde
ficção e romance se misturam
em um so drama pelo resto da historia.

Tinhoow Santana

Espelho Poético

Como posso me achar,
Se não estou perdida?
...
Como pude me enganar
Com uma mentira?
...
Achei que era simples viver.
Mas hoje percebi,
Que não basta apenas seguir.
É preciso sentir.

Achei que seria feliz
Se simplesmente entendesse
O que o mundo me diz.

Mas agora percebi,
Que o que mais importa
É o que existe em mim.

Existe uma coisa
Que nunca pensei encontrar.
Existe uma poesia em mim,
Da qual nunca tinha
Se quer, tentado imaginar.

Hoje vivo um pouco mais consciente
Com essa perspectiva que me diz:
Siga em frente, nesse caminho,
Que o espelho só quer te ver feliz.

Sara Schneider

Parábola

Após quarenta dias no deserto em completo jejum poético, depois de vencer os seus demônios internos; volta o poeta a sua terra e prega para todos que tem os ouvidos abertos, recita seu versos nas ruas, cura a melancolia dos pobres de espírito, faz milagres com a palavra, multiplica as linhas para dar de comer aos famintos pela rima, ressuscita os sonetos decassílabos do mundo dos mortos e exorciza o tédio dos descontentes.
Expulsa do templo do saber os teóricos; escreve versos todos os dias, mesmo aos sábados e causa à inveja daqueles que se acham os verdadeiros sabedores do lirismo, foi traído, preso; condenado e executado... Mas deixou um legado; sua poesia, por isto ganhou a imortalidade, reside junto do verbo.

Andrius Vallantinie

Nós... Eu e tu e você sabe quem mais.

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!
Pensamento poético, Pensamento poético!
Não se afugente de mim!
Ei já pode voltar!... Por favor?...
Pensamento poético, pensamento poético...
Que serei eu sem tu?!

Não vires a costa para eu.
Ei Pare! Ei pare!
Ei! Pare aí mesmo que eu irei até tu!
Pensamento poético, pensamento poético.
Minha vida é tu, tu vive em mim!
Nós somos um!
Eu e você e você sabe mais quem.
Nós somos um!...

Nós... Eu e tu e você sabe quem mais.
Pensamento poético, pensamento poético...
Onde estás tu...?

Axi Reed

Mix Temático Poético

Numa noite fiz uma viagem...

Para uma terra distante...

Onde lindas moças sorridentes me fitavam debruçadas na janela...

Eu; Poeta respeitoso que sou...

Tomei a difícil e arriscada decisão...

Parei diante daquela linda moça debruçada na janela...

E em um gesto de carinho... Lhe ofereci uma flor...

Junto com a flor... Lhe dei a minha amizade...

E em troca da flor... Lhe pedi um sorriso...

A moça faceira...Retribuiu o gesto poético com um lindo sorriso...

E ao longe ouço o grito enciumado de seu namorado...

Pobre poeta sou...

Que trabalho o meu... Meu Deus...

De um gesto de carinho e amizade...

Tenho que sair correndo...

Dos namorados enciumados...

Poeta Urbano - 080412

Desconcerto
Eu insisto,
Permita-me mais uma vez,
Nesse meu tom poético,
Longe de um descortês.
Desagregando as palavras,
Desaguando o meu mar,
Desairando o desalento,
Que busca mim desalmar.
É que perdo os sentidos,
Nessa desarrumação,
Soam aos meus ouvidos,
Tanta pertubação,
É a inspiração de um dia,
O mecanismo do meu ser,
Que fluem tão derrepente,
Me rendo a proceder.

Ranielle Ferreira

TORPEDO POÉTICO

Só sei que de alguma coisa eu sei
*é sempre mais difícil ancorar um navio no espaço

Sem amarras
sem espias
sem cais
você corre
esconde a fala-resposta
apaga meus torpedos de desespero
desliga o celular

Fico sem ponto de atracação
sem cumplicidade
sem beijo

Roupa pendurada no varal da ventania
garrafa quebrada pela incompreensão
corpo vazio

Uma onda morde meu sonho
engole minha gravidez

Seus lábios tipo A
têm medo da minha boca tipo AB

* Ana Cristina Cesar

do meu livro Substantivo Desvairado-Sedutor

Júlio Corrêa

MONÓLOGO POÉTICO DE OUTONO

O outono frio sem amor, pode parecer com mergulhar na escuridão fria...

Um passo para adeus dos nossos verões, eu ouço as folhas secas sendo pisoteadas...
Com chocolate quente na caneca, com o coração cheio de saudades de você... E você com saudades de outro alguém, que por sua vez tem saudades de outro alguém ainda...Mas não é de você! O inverno também pode ser minha mente, uma torre de sucesso embalada por este monólogo.. Para quem? -Para eclodir no universo das letras e se tornar mais um texto poético e sem dor... Ontem foi o verão, folhas caem aqui . Este ruído misterioso soa como uma partida..Amo seus olhos verdes de beleza delicada, mas hoje eu estava doce como chocolate, e você preferiu contemplar a paisagem fria e parada na foto tirada de um trem que já passou há muito tempo... Você está sempre fugindo do verdadeiro amor.... Quanto tem nas mãos deixa escapar, quando perde lamenta em saudades... Melhor que eu aprecie poéticos textos, artesanais e meus como raio amarelo e macio de outono! Autora Cleide Regina Scarmelotto

Cleide Regina Scarmelotto (Poeta e escritora)

POESIA

A poesia que inspira o coração poético
Não limita-se apenas a escrita viva
Não é presa da linha simétrica contida
À métrica dos versos Alexandrinos, épicos

Revela-se do coração em sintonia à magia
Intrínseca na alma poética e sua razão
Dos sonhos pueris da criança sem pão
Na leveza das folhas de outono ao cair à guia

Que nos remete a pureza da alma infantil
Improvisada em prosa sem métrica, arredia
Pra falar da grandeza do sentimento infante

Que metrifica e glosa o coração juvenil
Embelezando sem regras a coeva poesia
Que meu intimo de emoção fremir neste instante.

Carlos Egberto Vital Pereira

(...)
Enquanto poeta Alvaro Giesta, a liberdade da palavra, no uso poético que lhe é dada, permite-lhe, em O Retorno ao Princípio, filosofar acerca da morte. A morte, que é a garantia da ordem no mundo dos homens, que é o que concede o diálogo, pois, no mundo humano adquire-se a vida através da morte. Só, assim, a vida tem sentido.

A linguagem poética, neste caso na enfatização da morte pela palavra, não procura uma finalidade, uma explicação, não procura atingir algo, atingir um fim - isto, é para as religiões e seitas. Na linguagem poética a palavra não morre. A palavra, se morre, é para dar vida à palavra nova porque "a palavra é a vida dessa morte", como nos diz o filósofo Maurice Blanchot e o poeta Alvaro Giesta, num dos poemas iniciais de O Retorno ao Princípio.

A linguagem poética, neste caso na enfatização da morte pela palavra, não procura uma finalidade, uma explicação, não procura atingir algo, atingir um fim - isto, é para as religiões e seitas. Na linguagem poética a palavra não morre. A palavra, se morre, é para dar vida à palavra nova porque "a palavra é a vida dessa morte", como nos diz o filósofo Maurice Blanchot e o poeta Alvaro Giesta, num dos poemas iniciais de O Retorno ao Princípio.

(...)"

do posfácio ao livro O Retorno ao Princípio, de Alvaro Giesta

Alvaro Giesta

Paradoxo Poético

A metáfora para o tolo
É como em discurso para o surdo
Não pode ser assimilado

Um poema sem simetria
È um tortuoso caminho sem destino
É um desperdício de tempo
Não á nada por lá, nem final nem infinito

Assim como o ferimento que não dói
E não nos ensina a viver
Não nos ajuda a se erguer
Só nos faz definhar

Arthur Xenofonte

O Bafafá da Nega: Conto Poético de um Bom Malandro...

Olha Nega,
vou te contar...
sobre aquele Bafafá


Daquele dia,
que a gente tava na janela
a se falá...

Ah! Nega
eu vo te contá...
Esse povo, não tem mais o que inventá,
pois mulher boa e honesta como você não há


Olha Nega,
já sei que você vai querer revidar...
porque nessa comunidade
você é a única mulher
que não se deixa calar...

Mas, olha só Nega..
Uma coisa eu não posso negar...

Você é a nega mais faceira
e que faz os homens delirar...

Olha Nega,
se um dia me quiseres
pode me ligar,
em casa ou no celular...

Ohh... Nega,
não me olha assim...
com esse olhar,
pois posso por você me apaixonar,
e contar a toda comunidade...
que quero contigo,
é mesmo me casar...

Asas Sobre o Mar

“Aprendi com os meus próprios erros que sofrer não torna mais poético, chorar não deixa mais aliviado e implorar não traz ninguém de volta. Aprendi também que por mais que você queria muito alguém, ninguém vale tanto a pena a ponto de você deixar de se querer. Eu que gritei para tantas pessoas ficarem, hoje só quero mesmo é que elas sumam de uma vez por todas. E em silêncio, que é pra ninguém ter porque se lamentar

http://www.youtube.com/watch?v=trl3IYHYYV4&feature=youtu.be
http://www.pequeninapoesias.com.br/livrosvirtuais/livrosvirtuais.htm

MSN sincero-_@hotmail.com
www.poemassinceros.com

http://www.facebook.com/Sincerounico

Alexandra Lima

olhe,se eu fosse poetico,escreveria-te a poesia mais linda do mundo
se eu tivesse assas leva-te a uma viagem dos ceus.
se eu fosse eginheiro costruia-a cabana mais segura de todas,
se fosse liguistica soltava-te as palavras mais carincias e carinhosas,
mas sou simples humano que so sei dizer que ti amo.bom dia.

alex zefanias

Desastre poético.

Se fosse possível, meu bem, eu diria.
Apenas uma pessoa, se isso fosse possível.
Certa existência poética me faltava nesta terça. Como sempre, me cobri de tudo que pude carregar.
Já conquistara outras vezes... Não me custa mais nada.
Como se palavras falsificadas pudessem me traduzir.
Mas deixei... Não poderia me deixar levar pela raiva dos mais velhos.

Lívia Samara