Texto Poético

Cerca de 47 texto Poético

Aprendi com os meus próprios erros que sofrer não torna mais poético, chorar não deixa mais aliviado e implorar não traz ninguém de volta. Aprendi também que por mais que você queria muito alguém, ninguém vale tanto a pena a ponto de você deixar de se querer. Eu que gritei para tantas pessoas ficarem, hoje só quero mesmo é que elas sumam de uma vez por todas. E em silêncio, que é pra ninguém ter porque se lamentar.

Tati Bernardi

Fiquei até bem sorridente ... em ler esse texto de Cecília Meireles é realista e poético ... e muito siginificativo, mesmo ! ainda tou relendo rsrs
Acho que as nossas mensagens são reciprocas ... rsrs
Entre poesias que admiro ... gosto de outros autores mas encontrei nos sonetos de Bernardo Trancoso uma inspiração interessante. Pretendo te enviar uma poesia escrita por mim mesmo ...


Canto, porém canto

Canto sacia. Vou dizer o quanto.
Por que o espanto? Canto sem porquê.
Canto só por poesia, por encanto,
Quando, no entanto, o pranto ida se vê.

Canto por alegria. Por nem tanto,
Eu canto o desencanto e ninguém crê
Que esperanto do amor é mesmo o canto,
Enquanto o canto não me traz você.

Um santo, um dia, ouviu do passarinho
Cura para os quebrantos da paixão
E se encantou, portanto, fez canção.

Dela, levanto o manto, hoje, sozinho,
Prá que o meu canto caiba num cantinho
Deste recanto seu, seu coração.

Bernado Trancoso

EGO POÉTICO.

Enquanto todos dormem,
O poeta está acordado,
Faz os seus versos,
As suas canções,
Seu andar ritmado.

Como quem deixou o seu barco,
No mar ancorado,
Como quem já se encontrou,
O sonho de ter amado,
Como quem já se esqueceu,
Do seu passado assustado.

Como alguém que resgatou do mar,
Os que estavam afogados,
Como alguém que abrigou,
Aos que estavam desabrigados,
Como alguém que sarou as feridas,
Dos que sangravam machucados,
Como alguém que voltou para casa,
Depois de ter ficado ilhado,
Como alguém que já amou,
E por muito já foi amado.

(Extraído do livro:Noções do silêncio.

Elza Helena de Almeida.

Melancolias de um samba,
Tristeza em pleno carnaval
Um dilema em minha cama,
Viver ou fase terminal.

Filosofias de bar,
Ideologias fúteis de jornal.
Água levanta poeira do asfalto
O cheio me leva ao passado.

Banho de chuva,
Descalço na rua
Olhando o céu
Pensamentos aleatórios ao léu.

Mais ou Menos - Simy - Banda Vandalismo Poético

Sinto lhe arrancar as asas
Gostaria de compartilhar
A dor de tua queda,
É morte o que vem depois de vida
E fim o que vem depois de começo.

E a itinerária aliança que nos une
É o que corrompe meu coração,
Tragado me sinto no momento
Que em ti penetro,
A hemorragia se torna densa.

Confuso fico ao tentar expressar
Só posso dizer que te amo
Mas contigo não da para ficar

É obsessivo,
É obsceno,
É mórbido,
É imoral...

Romeu e Julieta - Simy - Vandalismo Poético

Pagar pra ter cultura, saúde e proteção,
Lutar para sobreviver cada dia é um dragão,
Da labuta a penúria a árdua vida da nação,
Tirar da mesa e por na igreja
Esperando salvação.

O choro preso na garganta que inflama,
O grito mudo trancafiado no pulmão,
Colhendo frutos que alimentam a esperança
Como alimentos garimpados no lixão...

Da labuta a penúria - Simy - Vandalismo Poético

Ele, um jogador
Que apostou tudo no amor,
Acabou em um sallon
Ao som de John Coltrane.
Ela, cartomante,
Com pinta de farsante,
Pede outra dose
E brinda a má sorte.

Enquanto ele embaralha
As cartas no balcão,
Ela faz leituras
De mãos no saguão.
Os dois nem imaginam
O que o futuro lhes reserva:

O mago, o enforcado, a morte e o ermitão.

O jogador e a cartomante - Simy - Vandalismo Poético

Luto poético

Escorre um sentimento de luto
Túmulos de poemas e poesias
Enterradas em esquecimentos
Papeis amarrotados e sem cor
Frases sem sentimento...
Uma eterna falta de amor
Sepulcro onde se enterram letras
Se chora por palavras em vão
Besteira que saiam do pensamento
Mas que no fundo...
Era o sentir do coração
Descanso da entrega poética
Um vazio, uma falta, uma solidão
jaz pensamentos de poetas mortos
Pensamentos que mesmo com tempo
Os que conheceram, jamais esquecerão.

Reff Carvalho

As mulheres sabem perfeitamente que o amor, mesmo o mais elevado, o mais, poético — como nós dizemos — depende mais dos dotes físicos do que dos méritos. Perturba mais uma cabeça bem penteada, um vestido de bom corte, modelando bem as formas do que uma frase reveladora de excelsas qualidades morais.
(Sonata a Kreutzer)

Leon Tolstoi

O Eu-poético

Minha poesia é suja, medíocre, falsa
Me falta o altíssimo vocabulário dos literários
Me falta as belíssimas temáticas da antiguidade

Não gosto de falar de amor, nunca vivi nenhum
Gosto de falar de dor, isso em mim é comum

Minha temática é a vida, vivida, convivida
Meu vocabulário é baixo, baixíssimo

Grandes poetas enfatizam o amor
Eu o despreso, o desgasto, o desmoralizo, o piso
Grandes poetas não falam em dor
Eu a clamo, a chamo, a escrevo, a como, a bebo

O amor é chato, fácil, simples
A dor é intensa, imensa, profunda.

Allann Xavier

Presente Poético

Deus me deu a luz da criação...
Com ele eu invento histórias,
Crio versos, reviro do avesso,
Formo poesias e brinco com elas...

Deus me deu uma graça irreconhecível de ser feliz,
De viver a vida sorrindo
Mostrando que tudo é belo
Para que nessa beleza toda, vivamos felizes...

Deus me deu muito amor,
Para amar a todos,
Sem miséria e retraições
E por isso sou feliz,
Por ter amigos como paixões...

Deus me deu a fé,
Foi deus que me deu a vida...
Foi deus que me tudo,
Deus me deu até o que eu não queria,
Mas agradeço todo o dia
Por ele ter me dado de presente, esta poesia!

Wallace Neres

Parábola

Após quarenta dias no deserto em completo jejum poético, depois de vencer os seus demônios internos; volta o poeta a sua terra e prega para todos que tem os ouvidos abertos, recita seu versos nas ruas, cura a melancolia dos pobres de espírito, faz milagres com a palavra, multiplica as linhas para dar de comer aos famintos pela rima, ressuscita os sonetos decassílabos do mundo dos mortos e exorciza o tédio dos descontentes.
Expulsa do templo do saber os teóricos; escreve versos todos os dias, mesmo aos sábados e causa à inveja daqueles que se acham os verdadeiros sabedores do lirismo, foi traído, preso; condenado e executado... Mas deixou um legado; sua poesia, por isto ganhou a imortalidade, reside junto do verbo.

Andrius Vallantinie

É preciso ser patetico, é preciso ser poetico, é preciso ser você, é preciso ser normal, é preciso ser banal, é preciso convencer.
vou embora para longe, vou embora para Manaus, vou embora te esquecer.
vem comigo pro meu mundo,vem comigo cá pra fundo, vem comigo enlouquecer.
se ganhar fosse normal,se cantar fosse tão facil, presidente eu ia ser.
vem comigo para Bélem, vem comigo ser refem, da minha gente quero ser.
vem comigo em Pernambuco vem ver quanto maluco Beleza, lutando para vencer.
vem comigo para São Paulo vem ver que eu não sou otário, que eu to querendo é crescer.
vem comigo para America vem parar é na novela, vem comigo se perder.
é preciso ser patético,é preciso ser poetico, é preciso convencer,vem comigo em Paulista vamos mostrar a progressão que esse povo pode ter.
vamos mostrar oque é ser Prefeito, presidente,deputado, governador,eleitorado, vereador de se vencer.
já tanta vergonha, é cueca, é façanha, e povo as vezes não vê.
vamos juntos mostrar orgulho de Brasileiro ser.
vamos prestar muita atenção para na hora da eleição não querer se vender.
vem comigo no jornal vem ver cada canal da informação que vou obter.
vem comigo trabalhar vamos juntos mostrar que o Brasil desenvolvido vai ficar com tanta gente a arrepiar o coração de se ver.
vamos juntos derrepente vitória obter.
vem comigo para America.

Glaucy Oliveira

Espelho Poético

Como posso me achar,
Se não estou perdida?
...
Como pude me enganar
Com uma mentira?
...
Achei que era simples viver.
Mas hoje percebi,
Que não basta apenas seguir.
É preciso sentir.

Achei que seria feliz
Se simplesmente entendesse
O que o mundo me diz.

Mas agora percebi,
Que o que mais importa
É o que existe em mim.

Existe uma coisa
Que nunca pensei encontrar.
Existe uma poesia em mim,
Da qual nunca tinha
Se quer, tentado imaginar.

Hoje vivo um pouco mais consciente
Com essa perspectiva que me diz:
Siga em frente, nesse caminho,
Que o espelho só quer te ver feliz.

Sara Schneider

(Um sonho poético)

Seu lamento meu tormento,sua ira meu prazer,sua raiva alegria de nunca mais poder te Ver,sorrir com vontades de querer algo que não pode Ter,nunca vai te devolver um sonho.

Não (desista) dos seus sonhos eles não desistiram de você,e te pergunto o que é envelhecer,tu me vem com uma resposta que não quero nem saber de sonho.

A rainha do meu universo,a dona do meu agora,todos os momentos ao seu lado foram únicos e mentirosos como a liberdade,Longe de você tudo já não era como o antes que não importa e no dia seguinte tenho mais um sonho poético de estar vivo e livre de mim mesmo.

Smith

MONÓLOGO POÉTICO DE OUTONO

O outono frio sem amor, pode parecer com mergulhar na escuridão fria...

Um passo para adeus dos nossos verões, eu ouço as folhas secas sendo pisoteadas...
Com chocolate quente na caneca, com o coração cheio de saudades de você... E você com saudades de outro alguém, que por sua vez tem saudades de outro alguém ainda...Mas não é de você! O inverno também pode ser minha mente, uma torre de sucesso embalada por este monólogo.. Para quem? -Para eclodir no universo das letras e se tornar mais um texto poético e sem dor... Ontem foi o verão, folhas caem aqui . Este ruído misterioso soa como uma partida..Amo seus olhos verdes de beleza delicada, mas hoje eu estava doce como chocolate, e você preferiu contemplar a paisagem fria e parada na foto tirada de um trem que já passou há muito tempo... Você está sempre fugindo do verdadeiro amor.... Quanto tem nas mãos deixa escapar, quando perde lamenta em saudades... Melhor que eu aprecie poéticos textos, artesanais e meus como raio amarelo e macio de outono! Autora Cleide Regina Scarmelotto

Cleide Regina Scarmelotto (Poeta e escritora)

Desconcerto
Eu insisto,
Permita-me mais uma vez,
Nesse meu tom poético,
Longe de um descortês.
Desagregando as palavras,
Desaguando o meu mar,
Desairando o desalento,
Que busca mim desalmar.
É que perdo os sentidos,
Nessa desarrumação,
Soam aos meus ouvidos,
Tanta pertubação,
É a inspiração de um dia,
O mecanismo do meu ser,
Que fluem tão derrepente,
Me rendo a proceder.

Ranielle Ferreira

CONTO POÉTICO.

Um Pastor estava passando necessidade, já que doava tudo o que ganhava;
Sua esposa amada então reclamou.
- Nada temos para dar de comer aos nossos filhos, pois aos outros deste.
Ele assim respondeu.
- Não se preocupe, Deus há de prouver.
Ela retrucou.
- Deste tudo que de Cristo recebeste.
- Quando então Deus lhe dará o que lhe prometeu?
Ele ao ir se deitar então orou, e a Jesus clamou!
Deus Pai provedor conceda-me a graça de agora receber o que tenho por merecer;
Nos tempos vindouros quando à terra Jesus descer.
Durante o sono sonhou, que em bela sala se encontrava;
Encantado a tudo via e nela muitas mesas de ouro havia;
Enxergando sobre uma o nome dele;
Percebeu que todas tinham os nomes dos Profetas.
Era a sala da ceia dos erguidos, ele tinha sido um escolhido.
Espantado acordou em seu quarto, vendo cair do teto um pé de mesa de ouro maciço;
Assustado agradeceu o milagre, já pensando no tanto que faria, agora que era um ricaço.
Tranquilo foi deitar, logo voltando a sonhar.
Retornaste a mesma sala, estava na hora do jantar.
Convidado foi por Cristo a se sentar, alegre aceitou e preparou-se...
Mas quando a ceia chegou... Nada saboreou;
Sua comida ao chão parou, devido à mesa que não ficava correta no lugar.
Faltava-lhe um pé, como então poderia, do que lhe era servido, degustar?
Desesperado acordou, de baixo do travesseiro pegou, o pé de ouro lançou...
De volta ao seu lugar.

Lucio Sá

Paradoxo Poético

A metáfora para o tolo
É como em discurso para o surdo
Não pode ser assimilado

Um poema sem simetria
È um tortuoso caminho sem destino
É um desperdício de tempo
Não á nada por lá, nem final nem infinito

Assim como o ferimento que não dói
E não nos ensina a viver
Não nos ajuda a se erguer
Só nos faz definhar

Arthur Xenofonte

Poética vida.

Vida. Significado poético onde
ficção e romance se misturam
em um so drama pelo resto da historia.
Finalmente estou procurando uma ação,
para quem gosta de mistérios, ela aje
de uma forma romântica, com amores
subpostos a te odiar para que
no final você possa descobrir
a quem te ama verdadeiramente.

Para aqueles que gostam de um
romance, ela aje injustamente,
com a mistura de ficção e ação
para manter o seu suspense.
No meio da historia, seus amores
aparecem sem que você perceba
e guarde todos eles na memoria
como os seus melhores amigos.

E aqueles que preferem drama,
sua vida estara repleta de fases,
que continuam a fazer de seus
lazeres um inferno, e de suas distrações
uma dor de cabeça. Mas, o seu
romance estara do lado certo, no momento
certo, no lugar certo do jeito perfeito,
sabendo que de qualquer forma,
a vida sempre acabara em poesia.

Vida. Significado poético onde
ficção e romance se misturam
em um so drama pelo resto da historia.

Tinhoow Santana