Texto Infantil

Cerca de 86 texto Infantil

Amor é quando você acha que a pessoa com quem você se relacionava era egoísta, possessiva e infantilóide e isso não reduz em nada a sua saudade, não impede que a coisa que você mais gostaria neste instante é de estar tocando os cabelos daquela egoísta, possessiva e infantilóide. Amor é quando você sabe tintim por tintim as razões que impedem o seu relacionamento de dar certo, é quando você tem certeza de que seriam muito infelizes juntos, é quando você não tem a menor esperança de um milagre acontecer, e essa sensatez toda não impede de fazê-lo chorar escondido quando ouve uma música careta que lembra os seus 14 anos, quando você acreditava em milagres.

Martha Medeiros

Eu odeio ter que te olhar, e fingir que não te vi...
Odeio seu cabelo, e odeio seu orgulho infantil...
Eu deio ser ignorada, mas odeio mais ainda
você dizendo que não me ignora...
Odeio ter te conhecido,mas odeio mais ainda ter me apaixonado...
Odeio seu gosto e estilo, mas adoro seu perfume.
Odeio sua indecisão, mas odeio mais ainda ter ue te pressionar para que se decida...
Eu odeio perceber que os dias passam e eu não
tenho você aqui, mas odeio mais ainda
ter que fingir que voçê não me faz fata...
Enfim odeio não ser sua, mas odeio mais ainda
querer que você seja meu...

Fee Andrades

Louca? Extremista? Infantil? Impulsiva? Imatura? Mimada? Lunática? Quem são vocês para acharem isso de mim? Me rotularem dessa maneira tão...tão... simplista?

Às vezes tenho a impressão de que sou um conjunto de extremos. Tudo concentrado em mim, um ser que poderia facilmente ser confundido com uma bomba relógio.

O tipo que quer muito hoje, com toda intensidade, com alma, coração, mente, corpo…e que amanhã já não sabe se quer mais. O tipo que ama e odeia ao mesmo tempo, que quer abraçar e quer dar uns tapas em seguida. O tipo que se alimenta com arrepios, coração acelerado e frio na barriga; e que morre de fome com a rotina, o raso, o comum, o simplista…aliás, isso me enfraquece, quase me mata. O tipo que respira melhor quando algo tira o ar, que gosta de perder o fôlego. Que não tem vergonha de sentir, não tem vergonha de ser, de falar, mesmo pagando um alto preço por isso. O tipo que se entrega, que se joga e fatalmente algumas vezes se arrebenta, mas que depois levanta, com dor e tenta mais uma vez. Estranho, não? Será por que sou masoquista? Uma pessoa tonta? É, pode ser. Mas sobretudo sou assim porque eu acredito, porque quando eu quero - EU QUERO, porque meu maior medo não é sofrer tentando e sim perder a oportunidade de ser feliz por nem tentar... e viver na angústia eterna de um "Se...". O tipo que não tem medo de inimigos, porque sabe que nenhum deles é pior do que o meu maior: eu mesma.

Estou cheia, absurdamente cheia, extremamente cheia de mim.

Tainah Ferreira

O lado bom do ciúme

O ciúme é, na verdade, um sentimento
infantil de posse, mas, ao mesmo tempo
é a dimensão amorosa dessa posse que nos dá
a certeza de que somo amados.
Não é só o amor, é também o ciúme que nos
faz crescer.
O ciúme tem um lado egoísta quando quer ser
o centro das atenções, quando gera uma atitude
de posse egoísta é doentia, quando esmaga o
amor. Esses são aspectos que precisam ser trabalhados,
por que algum resquício da nossa
criança está-se escondendo aí.
Mas o ciúme é também o tempeiro do amor.
A regra do tempero nós, sabemos, muito bem:
Nem tanto, nem tão pouco. É o equilíbrio que
dá o sabor inesquecível.
O amor seria frustante se o amado nunca
manifestasse nenhum cuidado, nenhuma pre-
ocupação para com quem amá.

Terry Marquis Gomez

Perto de você eu me sinto como uma criança . Me sinto boba,e muitas vezes até infantil...Talvez seja assim que você me veja.Aí eu fico aqui,tentando me fazer de gente grande perto de você.Consigo ? Tenho certeza que não.
Olho nos seus olhos e minha tentativa logo se perde,me sinto como criança mais uma vez...não conseguindo expressar nem metade do que quero te dizer.Tento arranjar conversas de gente grande pra falar com você,mas minha tentativa é em vão...Quando vejo já estamos brincando...E aí minha tentativa se perde novamente.Quando me dou conta já estamos rindo como crianças,carregando um sentimento puro como crianças carregam...

Bruna Cohen

"Que eu nunca deixe de ter essa pureza quase infantil que me faz admirar todas as coisas e querer conhecer e descobrir tudo aquilo que ainda não pude. Que essa pureza sempre me faça sentir tudo tão verdadeiramente ao ponto de sentir o amor andando pelo meu corpo e correndo pelas minhas veias."

http://osdiassemele.wordpress.com/

Florisbella

Teu sorriso infantil
Teus ouvidos ardentes de tristeza
Finge que não ouves...
Com a inocência incendiada,
Jogue as cinzas ao vento
O teu simples olhar
É símbolo do teu capricho
Sou tudo quanto te convém
O que importa?
Se agora bato... Agora também beijo
Ao menos tu’alma junto a minha
Fara esquecer por um minuto,
O pesadelo de viver
Por um momento de eternidade...
Peça-me tudo o que tenho,
Menos meus pensamentos...
Que há muito tempo ele já é teu.

Morgana Oliveira

23 de Novembro Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil.
Entre os principais objetivos que culminaram na criação dessa data estão estímulo a ações educativas e preventivas associadas à doença, promoção de debates e outros eventos sobre as políticas públicas de atenção integral às crianças com câncer, difusão dos avanços técnico-científicos relacionados com a doença e promoção de apoio para crianças e seus familiares.

ABRACC ASSOCIAÇÃO BRA. AJUDA CRIANÇA COM CÂNCER

Mundo infantil

Há poucos instantes
Estive conversando
Com um amigo meu
Ou melhor, teclando

Falávamos dando risadas
Sobre a nossa infância
Contávamos coisas engraçadas
De quando éramos crianças

Brigávamos sem parar
E logo, rapidamente
Voltávamos a enturmarmos
Só faltávamos abraçarmos

Minha mãe reclamava
Das minhas atitudes
Pois alguns me batiam
Depois ficávamos juntos

Mas o meu coração
Era bom e puro
Hoje o contrário
Maldoso e duro

Brincávamos de tudo
De bola, pião e gude
Vivíamos felizes
Naquele lindo mundo

Sidney Alves das Virgens

DE UM PÚBERE AMOR

Guardo daquele amor infantil, esperança
De ter-te ao meu lado quem sabe um dia...
Que, ao lembrar-me de ti, sentisse alegria
Qual ao sorriso mais pleno d’uma criança.

Só tenho à memória beijos de lembrança,
Que me deste quando aos lábios tremia...
Por tão juvenil idade, onde não se podia
Entre dois amores ter um anjo e uma lança.

Apesar deste passado de amor escondido
E, quando ao teu coração deste-me perdido,
Guardei-me no peito tamanha constância...

E por fazer-me lembrar daquele apeteço
Arde-me a alma, e por sonhar estremeço,
Em um dia encontrar-te nessa distância...

Poeta Dolandmay

Sobre o Levantar Questões

Por Charles Haddon Spurgeon

Em nossos dias, uma fé simples, infantil, é muito rara; mas a coisa mais comum é não crer em nada, e questionar tudo. Dúvidas são tão comuns quanto jabuticabas em temporada, e todas as mãos e lábios estão cheias delas. A mim me parece muito estranho que os homens devam caçar dificuldades para sua própria salvação. Se eu estivesse condenado à morte, e tivesse uma chance de misericórdia, estou certo de que não ficaria procurando razões para que eu não fosse perdoado. Eu deixaria este trabalho para os meus inimigos: meu olhar estaria numa direção bem diferente. Se eu estivesse me afogando, eu iria pegar qualquer coisa que aparecesse, ao invés de lançar o salva-vidas para longe de mim. Raciocinar contra a própria vida é algum tipo de suicídio construtivo do qual somente um homem bêbado poderia ser culpado. Argumentar contra sua própria esperança é como um homem tolo sentado num tronco, e cortando-o de forma que ele mesmo caia. Quem a não ser um insensato faria isso? Ainda assim muitos parecem ser os promotores da própria ruína. Eles buscam na Bíblia textos ameaçadores; e quando estão fartos disso, eles se voltam à razão, e filosofia, e ceticismo, a fim de fecharem a porta em suas próprias caras. Certamente é um péssimo trabalho para um homem sensível.
Muitos hoje que não conseguem ficar sem pensar em religião, são capazes de repelir a pressão inconveniente da consciência ao fazer piada das grandes verdades da revelação. Grandes mistérios estão no Livro de Deus por necessidade; pois como pode o Deus infinito falar de forma que todos os Seus pensamentos possam ser percebidos pelo homem finito? Mas está à altura do tolo ficar discutindo estas coisas profundas, e deixar as claras e salvadoras verdades em pendência. Lembram dois filósofos que debatiam sobre comida, e deixaram a mesa sem tocar em nada. Enquanto que o homem do campo não fez nenhuma questão, mas usou sua faca e garfo com grande diligência, e se regozijou. Muitos estão hoje felizes no Senhor por receberem o evangelho como criancinhas; enquanto que outros, que sempre conseguem ver dificuldades, ou inventá-las, estão muito longe de qualquer esperança confortável de salvação.
Eu conheço muitas pessoas decentes que resolveram nunca vir a Cristo até que entendam como a doutrina da eleição pode ser coerente com os convites livres do evangelho. Eu talvez resolva também nunca comer um pedaço de pão novamente até que fique claro como Deus me mantém vivo, e ainda assim eu tenha de comer para viver. O fato é que, a maioria de nós sabe o suficiente, e a nossa real necessidade não é luz na mente, mas a verdade no coração; não ajuda criar dificuldades, mas ter graça para que odiemos o pecado e busquemos reconciliação.
Aqui deixe-me adicionar um aviso contra adulterar a Palavra de Deus. Nenhum hábito pode ser pior à alma. É impertinência, frieza desdenhosa se sentar e corrigir o seu Criador, o que tende a tornar o coração mais duro do que a pedra de moinho. Lembramos de alguém que usava um canivete em sua Bíblia, e não muito depois ele havia deixado todas as suas crenças. O espírito de reverência é saudável, mas a impertinência de criticar a Palavra inspirada é destrutiva de todos os sentimentos adequados para com Deus.
Se um homem sentir mesmo sua necessidade de um Salvador depois de tratar as Escrituras com um espírito orgulhoso e crítico, ele está bem apto a ver sua consciência no meio do caminho, e o impedindo a confortá-lo pela lembrança dos seus maus tratos à sacra Palavra. É difícil para ele achar consolação nas passagens da Bíblia que ele tratou com desprezo, ou mesmo anulou por completo, como indigna de consideração. Em sua aflição lhe parece que os textos sagrados riem de sua calamidade. Quando vierem os tempos de necessidade, as fontes que ele interrompeu com pedras não mais jorrarão água para sua sede. Cuidado, quando você despreza as Escrituras, para que não jogue fora o único amigo que pode lhe ajudar nos tempos de agonia.
Certo duque alemão estava acostumado a chamar seu servo para ler um capítulo da Bíblia para ele todas as manhãs. Sempre que algo não se adequava ao seu julgamento, ele simplesmente mandava, “Hans, tire isso fora”. Depois que Hans tinha lido já por muito tempo, ele apalpou o Livro, até que o seu mestre o chamou, “Hans, porque você não lê?” Então Hans respondeu, “Senhor, há muito pouca coisa sobrando. Está tudo dilacerado!” Um dia as objeções de seu mestre iam para um lado, e no outro dia viravam para outro, e outro grupo de passagens era apagado, até que não havia nada mais para instruí-lo ou confortá-lo. Que nós não destruamos nossas próprias misericórdias por criticismo caprichoso. Ainda havemos de precisar dessas promessas que parecem desnecessárias; e essas porções das Sagradas Letras que foram mais atacadas por céticos ainda se provarão essenciais às nossas próprias vidas: assim guardemos o tesouro inestimável da Bíblia, e nos resolvamos a não abandonar uma linha sequer do mesmo. Que temos nós que ver com questões misteriosas enquanto nossas almas estão em perigo? A forma de se escapar do pecado está bem clara. O homem objetivo, ainda que tolo, não falharia nisso. Deus não zombou de nós mandando uma salvação que não podemos entender. CREIA E VIVA é um mandamento que uma criança pode compreender e obedecer.

“Não duvide mais, mas agora creia
Não questione, mas receba
Hábeis dúvidas e raciocínios vãos
Estão cravados com Jesus no madeiro.”

Ao invés de objetar caprichosamente as Escrituras, o homem que é dirigido pelo Espírito de Deus se aproximará do Senhor Jesus de uma vez. Visto que milhares de pessoas decentes e inteligentes – pessoas do melhor caráter também – estão confiando tudo a Jesus, ele fará o mesmo, e o fará sem demora. Então ele começa a viver uma vida que vale a pena, e ele o teria feito ainda que com medo. Ele deve adquirir aquela vida melhor e mais elevada, que nasce do amor por Jesus, o Salvador. Porque o leitor não o faria agora? Oh, que ele faça!
Um açougueiro de Newark, Nova Jersey, recebeu uma carta de sua antiga casa na Alemanha, notificando que ele, pela morte de um parente, se tornou herdeiro de uma considerável quantia em dinheiro. Ele estava cortando um porco no momento. Depois de ler a carta, ele imediatamente tirou seu avental sujo e não parou para terminar e cortar o porco em salsichas, mas deixou o açougue para se preparar para ir para sua casa na Alemanha. Você o culpa, ou você quereria que ele ficasse ainda em Newark com o porco e a faca? Veja aqui a operação da fé. O açougueiro creu no que lhe havia sido dito, e agiu a respeito disso de uma vez.
Deus enviou Sua mensagem aos homens, contando-lhes as boas novas da salvação. Quando um homem crê que as boas novas são verdade, ele aceita as bênçãos que lhe são anunciadas e se apressa a agarrá-las.
Se ele realmente crê, ele irá imediatamente receber a Cristo, e deixará seus maus caminhos, e se dirigirá à Cidade Celestial, onde há toda sorte de bênçãos para serem usufruídas. Se o homem pudesse ver o que realmente é o pecado, ele fugiria dele como de uma serpente mortal, e se regozijaria de ser livre dele por Cristo Jesus.
Charles Haddon Spurgeon

Charles Haddon Spurgeon

Amor de Juventude

Ontem, quando era criança
Te conheci, logo me apaixonei
Aquele amor infantil sem malícias
Só o puro amor inocente.

Mas por ironia do destino
Tu tiveste que ir embora.
Chorei várias noites sem
Querer acreditar que tu te foras.

Hoje sou jovem, mas nunca
Te esqueci. Pois guardo comigo
A certeza de te encontra
Só te amo e a ninguém mais.

Me alegrei, pois Deus tinha um plano
Na nossa vida, era ele...
De nós ficarmos juntos até morrer.
Te encontrei para nunca mais te perder.

Amanhã tenho certeza que
O meu amor de juventude
Se multiplicará entre ti
E os nossos filhos.

Já casados e com
O nosso sonho realizado.

Te amo, minha Evangeline!

Álvaro Carvalho

Me vê chorando?
"Forte, fraco, injusto, indiferente, imaturo, infantil, mentiroso, imperfeito, perigoso e complicado, assim é o amor que entendemos. Sobretudo, sei que quer me ver chorando... Porém, acredite! Choro todas as noites quando penso em nós dois, e é isso que faz minha alma respirar, meu coração pulsar. Enfim, mas por que só agora percebeu que também choro? E agora, me vê chorando? Se é assim, vou chorar quantas vezes for preciso para provar que te amo".
Fagner Carvalho:.

Fagner Carvalho

E lá, bem no fundo, eu sempre fui aquele medo infantil de errar, de perder as coisas por um descuido. E, talvez por ironia, eu sempre acabo perdendo mesmo, quem sabe por excesso de zelo. Olhando pra trás eu só consigo contemplar ruínas de sonhos gigantes, que nunca consegui tirar do meu sono e trazer pro mundo dos acordados.

O mais intrigante nisso tudo, é que aqueles destroços e cacos ainda brilham, como se pudessem voltar à vida em um simples estralar de dedos, e eu sorrio, um sorriso meio que triste, admito, mas sincero, e por instantes eu imagino como seria se tudo voltasse a se erguer, aí eu paro por um momento, e concluo que o que passou, passou.

Nada volta, por mais que ressuscite por alguns minutos, não pertence mais ao presente. Se passou tem que ficar no passado. Naquele cemitério lúdico de sonhos intermináveis, bonitos e felizes, mas que sempre serão sonhos, e nada mais.

Paulo Genro Fh.

SER INFANTIL

O ser infantil;
Quando nascemos nem sabemos se devemos ficar calado, mas quem não chora não mama. Diga algo fora do momento e dirão com todos os olhares: o que mesmo você disse?
Como não ser infantil se amamos?
É chavão dizer que quem ama fica:
Cego bobo tolo perdulário (eu já fui um);
Mas para que viver se não for para amar?
O “duro” é amar quem não lhe ama ou deixou de lhe amar!
Isso sufoca a si mesmo e ao próprio ser que se deixa ser amado sem amar quem lhe ama.
Não é infantil ser amado e não mostrar que não está amando?

Lúcio Ernesto Caixeta

Certa vez, a menina entrou em metamorfose. E, da inconsciência infantil, nasceu agressões à mente fraca e ao coração que, constantemente, passou a apertar-se.

Certa vez, a menina triste arrancou a própria carne, transfigurando-se em uma idealização que ela nunca alcançaria! E, da inocência, fumegou-se o sofrimento trazido pelas lágrimas, agora, diárias.

Certa vez, a menina furou a candura com seus ossos agigantados. E, ao invés da lição, ah, a garota agarrou-se ao errado que, de uma forma incrível!, dava-lhe prazer.

Mateus Guilherme

QUALIDADES
Alma de poeta
Sorriso infantil
Mente de atleta
Amor pueril
Extensão de mar
E curvas de rio.
Bela como a lua
Doce como o mel
firme como a rua
nobre como o céu
tem gestos de flor
e a pureza de véu.
Olhos de diamantes
Mãos de avelã
Rosto do instante
Boca de maçã
Linda interessante
Como a manhã.
É um dicionário
Cheio a verbear
O meu calendário
Pra me informar
Todo seu horario
É todo contrario
do meu desamar.

Ezhequiel Águia Queiróz

Não espere algo especial
Pois estou congelado
A única coisa que se mexe
É meu infantil coração apaixonado
Tão tímido e calmo
Mas perto de ti, desesperado

Raras pessoas o conhecem
Pois ele é muito precavido
Evitando a falsidade humana
Ele fica sempre escondido
Mas ele não sabe se esconder
Desse sorriso magnificamente lindo

Realmente eu tinha algo especial pra te falar
Mas com tão perto
Eu fico sem ar
Não sei o que fazer neste momento
Que estou à me enforcar
Com meu nobre sentimento

Realmente é ridículo como eu
Que não me acovardo diante da maldade
Não conseguir me mexer
Diante de tanta felicidade
O pior é que nenhuma de minhas armaduras
Serviu para esconder essa verdade

Só me resta então
Render-me a paixão
Confessar a você
Que você é a inspiração
Que traz vida a meu coração...

Alex Veloso

DERROTADO E FELIZ

Demétrio Sena, Magé - RJ.

Depois de ler para Júlia, um clássico infantil que narra a história do pai coelho e seu filho, que trocam declarações de amor mensurando medidas e distâncias*, romântica e descaradamente resolvo plagiar: Digo para minha filha, que o meu amor por ela é maior do que o mundo. Não; do que o mundo, não. Na verdade, maior do que a via láctea.
Como que a incorporar o coelhinho da história, ela me olha pensativa. Orgulhosa, nem me pergunta o que é via láctea. Tira sua cabeça do conforto de meu colo, senta, e com voz tão doce como desafiadora, mostra quem manda nessa questão.
- Olha, pai; eu te amo mais do que o céu! Não, do que o céu, não! Eu te amo mais do que tudo aquilo que os coelhos disseram, e mais do que tudo isso que você ia dizer depois de mim!
Derrotado e feliz; tão feliz quanto aquele coelho pai, não falei mais nada. De fato, a minha filha me ama muito... E também é muito competitiva.

* Referência à fábula ADIVINHA O QUANTO TE AMO, de Sam Mc Bratney

Demétrio Sena - Magé-RJ.

Que o medo de ser ridicula e infantil não invada minha ética, mesmo que eu já esteja calejada, que eu já não tenha cheiro de menina, ou que já tenha recebido cartas de má respostas, cartas que cobram, cartas de mentirinha, e até cartas devolvidas.

Texto Uma carta de amor para o destinatário certo

Srta Fê