Texto Infantil

Cerca de 79 texto Infantil

Amor é quando você acha que a pessoa com quem você se relacionava era egoísta, possessiva e infantilóide e isso não reduz em nada a sua saudade, não impede que a coisa que você mais gostaria neste instante é de estar tocando os cabelos daquela egoísta, possessiva e infantilóide. Amor é quando você sabe tintim por tintim as razões que impedem o seu relacionamento de dar certo, é quando você tem certeza de que seriam muito infelizes juntos, é quando você não tem a menor esperança de um milagre acontecer, e essa sensatez toda não impede de fazê-lo chorar escondido quando ouve uma música careta que lembra os seus 14 anos, quando você acreditava em milagres.

Martha Medeiros

Eu odeio ter que te olhar, e fingir que não te vi...
Odeio seu cabelo, e odeio seu orgulho infantil...
Eu deio ser ignorada, mas odeio mais ainda
você dizendo que não me ignora...
Odeio ter te conhecido,mas odeio mais ainda ter me apaixonado...
Odeio seu gosto e estilo, mas adoro seu perfume.
Odeio sua indecisão, mas odeio mais ainda ter ue te pressionar para que se decida...
Eu odeio perceber que os dias passam e eu não
tenho você aqui, mas odeio mais ainda
ter que fingir que voçê não me faz fata...
Enfim odeio não ser sua, mas odeio mais ainda
querer que você seja meu...

Fee Andrades

Meu jeito de gostar é assim, infantil, exagerado e maluco. Gosto de ponta cabeça e do avesso. De cima da nuvem e debaixo da árvore. Mesmo que o sol esteja ardendo, queimando a pele. Mesmo que a chuva seja só de lágrimas. Não se assuste, então. Se o meu gostar correr pelos labirintos da alma e te florir em poesias banais. Em versos ridículos e sem qualquer sentido.

Camila Heloíse

Louca? Extremista? Infantil? Impulsiva? Imatura? Mimada? Lunática? Quem são vocês para acharem isso de mim? Me rotularem dessa maneira tão...tão... simplista?

Às vezes tenho a impressão de que sou um conjunto de extremos. Tudo concentrado em mim, um ser que poderia facilmente ser confundido com uma bomba relógio.

O tipo que quer muito hoje, com toda intensidade, com alma, coração, mente, corpo…e que amanhã já não sabe se quer mais. O tipo que ama e odeia ao mesmo tempo, que quer abraçar e quer dar uns tapas em seguida. O tipo que se alimenta com arrepios, coração acelerado e frio na barriga; e que morre de fome com a rotina, o raso, o comum, o simplista…aliás, isso me enfraquece, quase me mata. O tipo que respira melhor quando algo tira o ar, que gosta de perder o fôlego. Que não tem vergonha de sentir, não tem vergonha de ser, de falar, mesmo pagando um alto preço por isso. O tipo que se entrega, que se joga e fatalmente algumas vezes se arrebenta, mas que depois levanta, com dor e tenta mais uma vez. Estranho, não? Será por que sou masoquista? Uma pessoa tonta? É, pode ser. Mas sobretudo sou assim porque eu acredito, porque quando eu quero - EU QUERO, porque meu maior medo não é sofrer tentando e sim perder a oportunidade de ser feliz por nem tentar... e viver na angústia eterna de um "Se...". O tipo que não tem medo de inimigos, porque sabe que nenhum deles é pior do que o meu maior: eu mesma.

Estou cheia, absurdamente cheia, extremamente cheia de mim.

Tainah Ferreira

“Tudo aconteceu muito de repente. De alguma maneira eu odiava aquele jeito desastrado e infantil. Impliquei com o modo de andar e falar. Era como se eu não conseguisse não me incomodar com aquele sorriso lindo e aquele cabelo cor de jabutic
aba que passava por mim mais rápido do que as outras pessoas...
Eu sempre gostei de ser entendedora das pessoas, mas aquele tom de pele, aquela suavidade de movimentos me detinha a habilidade, me deixava confusa e sem chão. Era como se mesmo sem conhecer aquela alma profundamente, eu sabia que ela não era igual as outras, era uma alma diferente, uma alma compatível com a minha.
Se escondia atrás dos olhos verdes. Eu queria ficar longe mas alguma coisa me empurrava pra perto, me deixava com uma incerteza, uma fraqueza, uma vontade inexplicável.
Nunca senti algo tão forte antes. Era estranho sentir essa saudade inesgotável de uma pessoa que eu mal conhecia.
Depois de trocar as primeiras palavras, os primeiros sorrisos escancarados, o primeiro contato de corpos e almas, todo meu conceito mudou em um instante, eu não fazia ideia que existia alguém no mundo capaz de me deixar daquela maneira: "caçando detalhes por ai"...
Perdia o sono, perdia a voz, perdia a noção de certo e errado, tempo e espaço.
Eu tentava me afastar ou simplesmente parar de pensar naquela pessoa que parecia um vento, e passava por mim me afagando os cabelos, espalhando seu cheiro em volta de mim.
De alguma maneira eu não me imaginava mais sem aquilo. Mesmo conversando por horas falando de assuntos banais, anormais...
Em alguns dias eu já sabia: Aquilo era tudo que eu queria pra sempre.
E de repente, aquela pessoa que eu não gostava, aquele jeito que eu não admirava em ninguém se tornou minha maior fraqueza, minha fonte de força por demonstrar tanto carisma e pureza.
Me senti perdida. Como pude ser tão fraca em deixar alguém mudar a minha vida em menos de um mês ?
Eu não podia estar apaixonada, eu não devia estar apaixonada. Logo agora que havia me acostumado em espalhar pedaços do meu coração por ai, logo agora que aprendi a amar só a mim, logo agora.
Minhas forças e minhas tentativas de ficar longe não obtiveram sucesso. E isso foi uma das melhores coisas que aconteceu em minha vida (...)”

Andrezza Guedes

"E logo não será mais as mesmas coisas,
não verão mais o rosto pálido, nem a voz infantil
não saberão dos versos, nem dos risos singelos.
e a imagem se apagara da memoria, aos poucos,
não verá poemas da lua e seu fardo iluminado,
nem sobre dores e lembranças, tudo ficara perdido em algum lugar,
no silencio de uma era confusa, dentro do coração,
preso na alma, de onde nunca deveria ter saído."

Gerlany Simioni

Havia um tempo em que eu vivia
Um sentimento quase infantil
Havia o medo e a timidez
Todo um lado que você nunca viu

E agora eu vejo aquele beijo
Era mesmo o fim
Era o começo e o meu desejo
Se perdeu de mim

E agora eu ando correndo tanto
Procurando aquele novo lugar
Aquela festa, o que me resta é
Encontrar alguém legal pra ficar

Dailton Albuquerque

Sou apenas uma alma infantil em um corpo de um homem , com uma mente maldosa , mais com um olha doce e meigo , Com vários medos e incertezas , com vários objetivos e
com muitas ideias absurda , sempre com o pé no chão e com escolha firmes vou seguindo a vida da maneira que ela me leva , sem olhar para trás sem tentar me decepcionar mais ainda do que já estou , e se outrora eu cair ,já serei forte o suficiente para me reerguer , pois já vivi por muitas coisas que a vida me ofereceu no docorrer da minha vida , desde de quando eu nasci

KiimDaarc

O lado bom do ciúme

O ciúme é, na verdade, um sentimento
infantil de posse, mas, ao mesmo tempo
é a dimensão amorosa dessa posse que nos dá
a certeza de que somo amados.
Não é só o amor, é também o ciúme que nos
faz crescer.
O ciúme tem um lado egoísta quando quer ser
o centro das atenções, quando gera uma atitude
de posse egoísta é doentia, quando esmaga o
amor. Esses são aspectos que precisam ser trabalhados,
por que algum resquício da nossa
criança está-se escondendo aí.
Mas o ciúme é também o tempeiro do amor.
A regra do tempero nós, sabemos, muito bem:
Nem tanto, nem tão pouco. É o equilíbrio que
dá o sabor inesquecível.
O amor seria frustante se o amado nunca
manifestasse nenhum cuidado, nenhuma pre-
ocupação para com quem amá.

Terry Marquis Gomez

Perto de você eu me sinto como uma criança . Me sinto boba,e muitas vezes até infantil...Talvez seja assim que você me veja.Aí eu fico aqui,tentando me fazer de gente grande perto de você.Consigo ? Tenho certeza que não.
Olho nos seus olhos e minha tentativa logo se perde,me sinto como criança mais uma vez...não conseguindo expressar nem metade do que quero te dizer.Tento arranjar conversas de gente grande pra falar com você,mas minha tentativa é em vão...Quando vejo já estamos brincando...E aí minha tentativa se perde novamente.Quando me dou conta já estamos rindo como crianças,carregando um sentimento puro como crianças carregam...

Bruna Cohen

"Que eu nunca deixe de ter essa pureza quase infantil que me faz admirar todas as coisas e querer conhecer e descobrir tudo aquilo que ainda não pude. Que essa pureza sempre me faça sentir tudo tão verdadeiramente ao ponto de sentir o amor andando pelo meu corpo e correndo pelas minhas veias."

http://osdiassemele.wordpress.com/

Florisbella

Teu sorriso infantil
Teus ouvidos ardentes de tristeza
Finge que não ouves...
Com a inocência incendiada,
Jogue as cinzas ao vento
O teu simples olhar
É símbolo do teu capricho
Sou tudo quanto te convém
O que importa?
Se agora bato... Agora também beijo
Ao menos tu’alma junto a minha
Fara esquecer por um minuto,
O pesadelo de viver
Por um momento de eternidade...
Peça-me tudo o que tenho,
Menos meus pensamentos...
Que há muito tempo ele já é teu.

Morgana Oliveira

Ah, não me importo com o que dizem de mim...
Não sou criança, não sou infantil...
Eu apenas sou feliz!
Se ser maduro é não sorrir não brincar com as coisas,
Não se divertir a todo momento... Então não quero ser esse maduro, não quero viver com o semblante triste me preocupando com besteiras, não sorrir nos momentos mais difíceis, viver com gritarias e discussões, não sou assim e não serei isso para ser maduro.
Felizes são as crianças, Felizes são os infantis, pois não encontraram em si a amargura de serem adultos amargos.

Michel Nery

Trabalho escravo infantil já é outro tema. tem dois fatores aí agora,

O fator de ter a capacidade de encontrar os responsáveis pelo crime, o que em 80 % dos casos não ocorre.

E o fator vida econômica, estas crianças normalmente são de famílias que passam fome e vivem em completa miséria, se elas forem ajudar o seu corpo a se manter alimentado e vivo, e esta é a opção do resto da família deles, eu estou pouco me lixando para as crianças. sinceramente.

Lázaro Alvarenga

Certa vez, a menina entrou em metamorfose. E, da inconsciência infantil, nasceu agressões à mente fraca e ao coração que, constantemente, passou a apertar-se.

Certa vez, a menina triste arrancou a própria carne, transfigurando-se em uma idealização que ela nunca alcançaria! E, da inocência, fumegou-se o sofrimento trazido pelas lágrimas, agora, diárias.

Certa vez, a menina furou a candura com seus ossos agigantados. E, ao invés da lição, ah, a garota agarrou-se ao errado que, de uma forma incrível!, dava-lhe prazer.

Mateus Guilherme

QUALIDADES
Alma de poeta
Sorriso infantil
Mente de atleta
Amor pueril
Extensão de mar
E curvas de rio.
Bela como a lua
Doce como o mel
firme como a rua
nobre como o céu
tem gestos de flor
e a pureza de véu.
Olhos de diamantes
Mãos de avelã
Rosto do instante
Boca de maçã
Linda interessante
Como a manhã.
É um dicionário
Cheio a verbear
O meu calendário
Pra me informar
Todo seu horario
É todo contrario
do meu desamar.

Ezhequiel Águia Queiróz

Não espere algo especial
Pois estou congelado
A única coisa que se mexe
É meu infantil coração apaixonado
Tão tímido e calmo
Mas perto de ti, desesperado

Raras pessoas o conhecem
Pois ele é muito precavido
Evitando a falsidade humana
Ele fica sempre escondido
Mas ele não sabe se esconder
Desse sorriso magnificamente lindo

Realmente eu tinha algo especial pra te falar
Mas com tão perto
Eu fico sem ar
Não sei o que fazer neste momento
Que estou à me enforcar
Com meu nobre sentimento

Realmente é ridículo como eu
Que não me acovardo diante da maldade
Não conseguir me mexer
Diante de tanta felicidade
O pior é que nenhuma de minhas armaduras
Serviu para esconder essa verdade

Só me resta então
Render-me a paixão
Confessar a você
Que você é a inspiração
Que traz vida a meu coração...

Alex Veloso

DERROTADO E FELIZ

Demétrio Sena, Magé - RJ.

Depois de ler para Júlia, um clássico infantil que narra a história do pai coelho e seu filho, que trocam declarações de amor mensurando medidas e distâncias*, romântica e descaradamente resolvo plagiar: Digo para minha filha, que o meu amor por ela é maior do que o mundo. Não; do que o mundo, não. Na verdade, maior do que a via láctea.
Como que a incorporar o coelhinho da história, ela me olha pensativa. Orgulhosa, nem me pergunta o que é via láctea. Tira sua cabeça do conforto de meu colo, senta, e com voz tão doce como desafiadora, mostra quem manda nessa questão.
- Olha, pai; eu te amo mais do que o céu! Não, do que o céu, não! Eu te amo mais do que tudo aquilo que os coelhos disseram, e mais do que tudo isso que você ia dizer depois de mim!
Derrotado e feliz; tão feliz quanto aquele coelho pai, não falei mais nada. De fato, a minha filha me ama muito... E também é muito competitiva.

* Referência à fábula ADIVINHA O QUANTO TE AMO, de Sam Mc Bratney

Demétrio Sena - Magé-RJ.

Que o medo de ser ridicula e infantil não invada minha ética, mesmo que eu já esteja calejada, que eu já não tenha cheiro de menina, ou que já tenha recebido cartas de má respostas, cartas que cobram, cartas de mentirinha, e até cartas devolvidas.

Texto Uma carta de amor para o destinatário certo

Srta Fê

Afundo(u)


Sem pretérito, sem pretexto. Deslembre a cólera infantil, o temor esperado, previsível da frase satisfeita.
Deslembre o modelo, a cartilha, a liberdade com um aviso prévio estampado em sua cara, o desagrado, a desvalor do afeto. 
Atente para a distância. Submeta-se ao tempo.
Floresça.
Compreenda a marcha, erga a bandeira, defenda o valor da ousadia. Sem mais não seja menos. 
E se não entender, persista, insista.
O navio sem capitão sempre vai à deriva.

Laís Xavier