Texto Falando quem eu sou

Cerca de 425 texto Falando quem eu sou

Sinto Saudade

Sinto saudade de quando vc quando me via sorria
de quando ficavamos falando sobre tudo sobre nada
das risadas que demos juntos
dos sonhos que sonhavamos e acreditavamos

Sinto saudade da nossa amizade
era pura sincera verdadeira
confiavamos um no outro
sem mentiras

Sinto saudade de quando eu me sentia sua
por um momento eu achava que jamais acabaria
sentia vc perto de mim mesmo estando ausente
estar com vc era tudo que me alimentava

Sinto saudade de sentir seu coração
disparando quando tocava ao meu
suas maos tremulas suadas
de tanta emoçao de estar ao meu lado

Sinto saudade de lembrar
que tudo o que vivemos nem chega
perto do que poderiamos ter vivido

Mas o que realmente sinto saudade
e de saber que tudo aquilo que ontem
era eterno se perdeu no caminho
e hoje o que me resta e somente
sentir saudade de um momento lindo
que passou ......

Bruna Trenelly

Estou falando de amizade. Amizade de verdade. Mas será que amizade que acaba é de verdade? Mas será que a nossa amizade acabou? Será que o que tínhamos era amizade? Só sei que dói. Dá medo. Dá tanto medo que tenho mais medo do que escrevo do que da escuridão que me rodeia nesse exato momento. É triste. É muito triste perder um amigo, para qualquer circunstância. E quantas circunstâncias chegam e não levam um amigo. Então como uma circunstância boba pode ser tão forte a ponto de separar o inseparável?
Não tenho respostas. Nenhuma sequer. Nem procure por elas nesse texto. É tudo perguntas. Dúvidas. Pois não entendo. E dói.. dói...
(Losing a friend)

Alana Driziê

Todos os dias, todos os minutos, momentos, ouvimos e vemos pessoas falando de felicidade.
A felicidade hoje é imposta para nós em forma de carros, dinheiro, passeios, novelas, estereótipos, corpos ‘’perfeitos’’ somos obrigados a aceitar os gostos de outras pessoas, pessoas que nós usam como mão de obra, somos como um objeto para eles, e nós aceitamos isso quando queremos ,e, não só queremos, como compramos coisas das quais não precisamos, e compramos com o objetivo, de ter o que eles têm, ou ter a felicidade que eles demonstram ter, em carros que parecem mais espaço naves.
Porém eu me pergunto, será que é possível ser feliz, vendo que ao abrir nossa geladeira temos comida para dias e dias, enquanto quando abrimos a porta, vemos pessoas que não comem a dias? E como somos capazes de idolatrar os que tem tanto e não fazem nada ?
Como a crônica do macaco, que ao ver o peixe na água, e tirou ele de la, para o salvar, colocando-o na terra, fez que agora sim esse precisasse ser salvo! Nossa felicidade não é a mesma que a de outras pessoas, igualmente, a dos outros não é nossa !

Rafaela Ap Romano

FALANDO EM HOMENS E MULHERES

As mulheres mais velhas quando procuram homens mais novos, procuram o vigor que os homens da sua idade já não tem...
Os homens mais velhos quando procuram mulheres mais novas, procuram o viço que as mulheres da sua idade já não tem...
Em compensação...
Os homens mais novos chamam suas coroas de potrancas.
E as mulheres mais jovens chamam seus coroas de "tios".

Claudia Nunes da Silva

Vem a mim pedindo calma
falando que tua alma
necessita muito de mim
Depois me esqueçe, me larga
e mostra que tuas palavras
não são tão fortes assim

Finge que não houve nada
diz que sempre esteve errada
não sabe nem o que fez
Mas faço promessa sagrada
de não te querer nunca mais
deixar esse amor de vez

Espero que compreendas
e não venha arrependida
querendo se desculpar
Dizendo que em tua vida
jamais existiu alguém
que foi tão capaz assim
de loucamente te amar

Arthur Belarmino

Tantas decepções eu já testemunhei, porem não desato a fé na esperança.
Viva falando com o silêncio e não viva no silêncio, pois a peleja pode ser ardo, mas a vitoria virá com a Bonanza restaurada através da honra e dignidade.
Nenhuma resposta me satisfaz sem a tua sinceridade que me acalenta.
Suas promessas me dão ânimo de estar onde sempre desejei estar.

Julio Aukay

O Momento


Porque perder tempo falando do que não sabemos
As vezes é tão doce se esquecer que viver não é um sonho
E na escuridão olhar para céu e ver o manto de estrelas
Abrir seu coração, para ver coisas diferentes
Que sempre estiveram ao seu redor

Não dá para descrever a emoção, somente com palavras
um momento pode ser único ao fechar os olhos
E depois se torna um acaso do cotidiano, e ao acordar
A lembrança, traz a magia de volta aos seus pensamentos
Como se apenas um momento não bastasse

Pra que perder tempo tentando se descrever tudo, ao seu redor
O silencio por si já diz mais que mil palavras, e não termina
No meio da confusão, com um olhar você pode dizer tudo
O que no final não conseguiu expor num papel
Ou na melodia suave que entoa ao entardecer

Por que se falar de tudo que não se viveu
Buscando as desculpas por tudo que não fez
Viva somente o que estas a seu redor
E busque realizar seus sonhos, sem impor metas
O limite existe pra ser quebrado, nada dura pra sempre
A não ser que se esforce pra tudo ser eterno

27/08/2010 22:21 hrs.

Ivaan Rodrigues

Caminhando pela rua encontrei meu amor
Ouvindo pássaros cantando , me pus a sorrir
Falando sozinha sem mais nem porque
Tentando segui a vida sem você .
Chorando quieta , sofrendo porque ?
Sem perceber estava pensando em você
Me propus a te esquecer , não dava mais ja estava me apaixonando por você .
Compartilhando com vocês essa paixão platônica
Usando essa frases sem ao menos perceber , um poema fiz para você

GiovannaBP

"Pior coisa que o ser humano tem,é á burrice"
"Porque isso,falando de amor,você diz que senti,ou é apaixonado,mas no final ,vêêm á decepção,você se senti inferior as outras pessoas,pois isso foi á pior coisa que aconteçeu"
"Porquê nesse momento,você se sentir depressivo e triste,maguado,você disse tudo,pior tudo,no momento especial e hora especial e isso lhe derruba por dentro e por fora"

Gui F...

Na sala de aula, a professora falando sobre o Hino Nacional, pediu a Mariazinha que desenhasse no quadro alguma coisa sobre o assunto.
Ela foi e desenhou uma cama.
- O que significa isso? - perguntou a professora.
- Deitado em berço explêndido - explicou Mariazinha.
- Muito Bem! Joãozinho, agora é a sua vez!
O garoto não deixou por menos. Foi lá e desenhou um jumento com um pinto de todo tamanho. A professora indignada perguntou:
- Que safadeza é essa menino?
E o Joãozinho:
- Não é safadeza não, fessora! É gigante pela própria natureza

Laanaa Kaariinee

Hoje ,assistindo o telejornal,vi uma reportagem falando de violência nas escolas,pensei durante todo dia nisso,e achei um absurdo o que o meu país está fazendo com o seu povo.Somos obrigados a ver tudo isso diáriamente,e constatemente dizemos que a culpa da indisciplina é da escola.Mas espera aí,quem disse que é da escola a obrigação de educar as crianças, antes da escola essas criaturas vem de um tipo de família,que e independente do formato que essa tenha,é dela a obrigação de ensinar ao menos respeito e educação ,dar um minimo nescessário de estrutura para que seus filhos possam ter e dar respeito aos que os cercam.Dai,vem o outro porém,a maioria desses jovens,vem ao mundo com problemas estruturais de moradia,alimentação,desemprego,falta aos pais desses ,condições de cuidar de sua prole que em geral é enorme,são em sua maioria pessoas que não tiveram também acesso a esses direitos ,portanto também não tem direitos ,mas, como todos estão cheios de deveres.
Pagamos impostos ,diga-se de passagem,os maiores do mundo,e tudo é tão precário.Somos governados por aproveitadores(em sua grande maioria),que nos representamde forma legal,mas que abusam desse direito e nos envergonham de nossas escolha.Como explicar a seu filho que é errado roubar,matar ,mentir, abusar da inocencia de alguém,quando vemos diariamente este tipo de conduta em nossos representantes.
Um país sério,que quer ser levado à sério precisa começar de novo,fazer um "recol",aprender novamente oque é ética,direito,dever,respeito ,cidadania,para poder exigir uma nova postura de seu povo,rever a legislação aprender que as criança e os adolescente precisão de limites, e esses tem que ser na medida certa,pois freios servem para nos manter seguros,e isso é o começo ,o primeiro passo para que eles aprendam que, desde que cumpram os seus deveres, cada um tem o direito de ter direitos

Rosália pinheiro

Vigilância para o Retorno do Senhor

Apesar de ter aplicação a pessoas individualmente falando, podemos observar que a profecia de Isaías é dirigida sobretudo às nações e principalmente aos governantes e grandes da terra.
Isto se explica porque o Messias, que é o centro da sua profecia, estava destinado para reger sobre todas as nações, e o faria em paz, benignidade e justiça.
Logo, a impiedade das nações continuará sendo repreendida e ameaçada pelos juízos de Deus, especialmente pelo grande juízo que virá sobre todos os habitantes da terra, por ocasião da vinda dAquele que estava destinado a ser o Salvador do Seu povo.
O Grande Rei que seria concebido no ventre de uma virgem e teria o governo de toda a terra sobre os Seus ombros, será manifestado mais adiante na profecia de Isaías já crescido em estatura e em graça diante de Deus e dos homens, realizando a Sua obra morrendo no lugar dos pecadores, carregando sobre Si os pecados das pessoas do Seu povo, para que pudessem ser reconciliadas com Deus.
Na profecia de Isaías 21 é mais uma vez predita a queda de Babilônia sob o poder dos medos.
Enquanto estivessem em Babilônia os judeus deveriam recordar esta profecia, para saberem que Babilônia não prevaleceria, e os persas (Elão) e os medos (v. 2), por meio de Ciro, conforme seria profetizado também por Isaías mais adiante, decretariam o retorno dos judeus para a sua própria terra e ordenariam também a reconstrução do templo de Jerusalém, que seria destruído pelos babilônios.
Importava que Judá fosse levada em cativeiro para Babilônia, para que pudesse ser trilhado o trigo pelas aflições, para que o grão bom fosse separado da palha.
Os ídolos de Babilônia seriam destruídos pelos medos e pelos persas, e os judeus que voltassem para a Palestina poderiam guardar com eles esta lição de que imagens de escultura não são deuses e não têm nenhum poder para livrar do mal, sendo eles próprios uma criação do Maligno, para manter os homens separados do Deus único e verdadeiro, que é invisível.
Se não podemos identificar com precisão quais são os personagens do oráculo de Duma, de Is 21. 11 e 12, uma coisa é certa, que devemos vigiar como sentinelas, e também perguntar àqueles que vigiam o rebanho do Senhor, sendo levantados por Ele como Seus profetas, tal como foi Isaías, a quem alguém perguntou a partir de Seir, chamando-o de sentinela (guarda), que horas eram da noite.
E tornou a lhe fazer a mesma pergunta, e recebeu como resposta que viria não somente a manhã, mas também a noite, e que poderiam voltar para perguntar quantas vezes quisessem.
Compete aos servos de Deus vigiarem e ouvirem seus guias, que vigiam por suas almas, indagando séria e constantemente a eles, quando o Senhor manifestará a glória da Sua presença, na aurora da manhã.
Mas é dever do sentinela avisar que o poder do Espírito virá enquanto houver tal vigilância, mas é necessário lembrar que estamos ainda num mundo de trevas, e quem pensa estar de pé deve vigiar para que não caia.
O dia da volta do Senhor também será assim.
Será o alvorecer de um novo dia para os que esperam nEle, mas será dia de densas trevas para os seus inimigos.
Então com a manifestação do Messias em sua segunda vinda, virá junto com Ele tanto luz como trevas.
Luz para os que O amam, e trevas eternas para os que O odeiam.
Há também neste capítulo uma profecia dirigida contra os árabes.
Eles farão uma coligação nos últimos dias para tentar destruir Israel, mas eles é que serão destruídos, conforme o Senhor tem prometido.
Esta profecia teve um primeiro cumprimento nos dias áureos da Assíria, quando foram dominados pelo exército assírio.

Baseado em Isaías 21

Silvio Dutra

Deus nos Carrega no Colo

Como no capitulo precedente, Deus continua falando neste 46º capítulo de Isaías, acerca da salvação eterna que estava oferecendo pela graça a Israel, conforme vemos especialmente no seu último verso:
“Faço chegar a minha justiça; e ela não está longe, e a minha salvação não tardará; mas estabelecerei a salvação em Sião, e em Israel a minha glória.” (v. 13).
E o convite à salvação é feito aos que são duros de coração e que estão longe da justiça (v.12).
Não é para justos e sadios na fé.
Mas para pecadores, que é a condição de todo homem perante Deus.
Quanto a esta salvação pela graça, que é mediante a justiça de Cristo que nos é atribuída na justificação, Deus disse que a levaria completamente a termo, porque Judá sairia do cativeiro em Babilônia, sendo livrados por Ciro, ao qual Ele chama neste capitulo de ave de rapina (v. 11), que vem do Oriente (Média), e assim o Seu conselho eterno subsistiria e seria feita toda a Sua vontade divina (v. 10), porque esta salvação foi planejada desde antes da fundação do mundo.
Por causa do que seria feito por Ciro é dito que Bel (Babilônia) seria encurvada e os seus ídolos seriam colocados sobre animais de carga, para serem levados para fora de Babilônia, e seriam um peso para estes animais assim como eram para os babilônios, e não somente não puderam lhes livrar, como também os conduziram àquela ruína.
Então assim como os animais se encurvariam com o peso daqueles ídolos que estariam carregando, de igual modo Babilônia seria encurvada. E os seus próprios deuses (ídolos) iriam para o cativeiro (v. 1, 2).
Mas quanto a Israel, em vez de ser uma carga para eles, Deus lhes vinha carregando no seu colo, desde que lhes havia formado no ventre, e até a sua velhice continuaria sendo o mesmo para eles, porque os levaria, carregaria e livraria, porque era um pai para o Seu povo (v. 3, 4).
A quem então poderia se comparar a Deus? Com os ídolos? Com estes que são uma carga para os homens, em vez de carrregá-los, para acharem alívio e paz?
Que não podem responder e livrar alguém da sua tribulação? (v. 7)
Os transgressores de Israel foram portanto convocados por Deus a considerarem esta verdade e trazê-la sempre à memória (v. 8).
A recordarem sempre as coisas passadas desde a antiguidade, trazendo à memória os grandes feitos do Senhor em relação a Israel, e certamente isto se referia ao que fizera com eles desde os patriarcas até os seus dias; para que reconhecessem que não há outro Deus, senão somente Ele, e que não há ninguém que possa ser comparado com Ele (v. 9).

Baseado em Isaías 46

Silvio Dutra

Deus Nunca Esquecerá de Seus Filhos

Messias continua falando através de Isaías no 50º capitulo do seu livro, e agora afirma que não era procedente a reclamação de Israel de que havia sido esquecido por Ele.
Ele não lhes havia dado nenhuma carta de divórcio para que fizessem tal afirmação.
E também não lhes apresentou nenhum documento de débito pelo qual se comprovasse que lhes havia vendido para um outro, em troca de dinheiro.
Se algo lhes havia repudiado ou vendido, havia sido a própria maldade deles, mas não o fato de terem sido abandonados pelo Senhor (v. 1).
Foram eles que Lhe haviam rejeitado e não Ele a eles.
Até hoje ocorre o mesmo.
São os homens que apostatam de Deus e que Lhe viram as costas e não o Senhor a Eles.
São sempre os homens que tomam esta iniciativa, e nunca o Senhor.
Porque seria contraditório para o ministério de quem veio buscar e salvar quem havia se perdido, e para tornar amigos de Deus, aqueles que eram Seus inimigos.
Tão verdadeiro é o argumento que Jesus apresentou para responder a ingratidão de Israel, que Ele o reforçou no verso 2 com outras perguntas na forma de arrazoamento para nos convencer da verdade que somos sempre nós que o deixamos primeiro, quando interrompemos a nossa comunhão com Ele, por causa dos nossos pecados, ou por motivo de não desejarmos confessar nossas faltas e voltarmos para Ele, para obedecermos à Sua vontade.
Mesmo quando o Senhor fala pelo Espírito, diretamente, ou pela boca dos Seus ministros, convocando as pessoas a se reconciliarem com Deus, não raro, o Seu clamor não é atendido.
De quem é então a culpa pelo afastamento? Do Senhor?
Ele continua argumentando no verso 2 que tem prazer em salvar e que Seu braço nunca se recolherá para que não possa remir.
E nunca lhe faltará poder para livrar do mal.
Então a consequência de falta de atendimento à convocação à reconciliação, o resultado é principalmente morte espiritual, que é a condição de espírito resultante da falta de comunhão com Deus, e por isso o Senhor afirma no final do verso 2 e no verso 3 o seguinte:
“Eis que com a minha repreensão faço secar o mar, e torno os rios em deserto; cheiram mal os seus peixes, pois não há água, e morrem de sede: 3 Eu visto os céus de negridão, e lhes ponho pano de saco por sua cobertura.”.
Os que buscam o Senhor Jesus sempre receberão dEle palavras boas para instrução e para edificação e consolação porque não fala por Si mesmo, mas pelo Pai (v. 4).
E demonstrou isto fartamente em Seu ministério terreno.
O Pai Lhe sustentou na angústia, especialmente nos momentos que acompanharam a Sua morte, de modo que não recuou, ao contrário, se ofereceu voluntariamente para ser ferido em suas costas com as chibatadas que recebeu dos soldados romanos, e para que sua barba fosse arrancada e não se envergonhou e não deixou de contemplar corajosamente os rostos daqueles que lhe cuspiam na face (v. 6).
O Pai lhe amparou naquela hora difícil e por isso não se sentiu confundido, e pôde assim fazer o seu rosto como uma rocha inabalável, porque sabia que não seria envergonhado, antes glorificado e engrandecido pela Sua aflição e morte (v. 7).
Não foram os homens os seu juízes naquela hora, porque a Sua morte foi injusta da parte dos homens, mas justa aos olhos de Deus, não propriamente por ter cometido alguma transgressão, ou por ter algum pecado, mas porque carregou os nossos pecados sobre Si, e era a ofensa dos nossos pecados que estava sendo visitada pelo juízo de Deus naquela hora de terrível angústia e dor, que o Senhor suportou por nós e em nosso lugar.
Foi o Pai que fez com que Ele fosse feito pecado por nós, para que pudéssemos ser feitos justiça para Deus.
Quem quiser contestar esta justiça divina deve se apresentar ao próprio Cristo para que juntos sejam julgados por Deus.
Afinal foi justo o que o Pai fez por nós pelo Filho?
O Filho afirma que Ele foi justificado pelo Pai em tudo o que fez (v. 8).
Quem é então o homem para contender com Deus e para contestar tal obra, se apresentado como adversário de Cristo?
Se é o Pai que justifica o Filho, então aqueles que foram alvo da obra do Filho em Suas vidas, convertendo-se a Ele, são também justificados por Deus.
Assim quem intentará acusação contra eles?
Quem os condenará?
Os que ousarem fazer isto perecerão e envelhecerão como um vestido e serão consumidos pela traça do pecado, que destrói oculta, silenciosa e progressivamente (v. 9).
Então, aqueles que temem a Deus devem ouvir a voz do Messias.
Os que andam em trevas e que não têm luz devem simplesmente confiar no nome de Jesus e se firmarem, não em suas próprias convicções, mas no seu Deus (v. 10).
Agora, aqueles que não atenderem tal convocação e continuarem se cingindo com o fogo do inferno, permanecerão andando em tais labaredas de tormento e serão atormentados para sempre pelo Senhor na morte espiritual eterna (v. 11).
Porque o evangelho, é aroma de vida para a vida nos que se salvam, e cheiro de morte para a morte nos que se perdem, conforme dizer do apóstolo Paulo.

Baseado em Isaías 50

Silvio Dutra

O Vaso do Oleiro em Seu Contexto

Desde o início do ministério de Jeremias Deus estava falando sobre destruição, e Jeremias sobre livramento e misericórdia.
Então, à medida que lhe foi sendo revelada pelo Senhor qual era o caráter da sua nação, e como conspiravam contra a verdade, contra Deus e contra o próprio Jeremias, para lhe fazer mal e até matá-lo, apesar dele estar procurando somente o bem dos judeus, então ele passou a entrar em sintonia com a vontade de Deus, desde o capítulo anterior, falando também em destruição.
Ele não estava mais pedindo por livramento para os judeus, mas a destruição dos ímpios que havia no povo do Senhor.
Para muitos pastores, o exercício da disciplina ordenada por Cristo para ser realizada por eles na Igreja parece uma coisa estranha e muito dura por algum tempo, senão ao longo de todo o ministério deles.
Mas à medida que amadurecem no Senhor, e percebem o quanto é necessária a disciplina e a correção dos cristãos, através da admoestação, repreensão, e até mesmo da exclusão, então passam a sintonizar com a vontade do Senhor para o Seu povo, que não deve ser deixado entregue a si mesmo e às suas luxúrias.
A única condição para a reconciliação com o Senhor, para a obtenção do Seu favor, bênção e perdão é o arrependimento.
E isto vale não somente para Israel como para qualquer nação.
Porque se o Senhor anunciasse juízos contra uma nação só haveria um modo de escapar de tais juízos, a saber, pelo arrependimento, tal como haviam feito os ninivitas nos dias de Jonas.
Todavia como poderia se mostrar favorável para com Israel, que apesar de serem o povo da aliança, recusavam se arrepender de suas más obras, e não somente isto, a matarem os profetas que lhes eram enviados por Deus?
Porventura os assírios intentaram tirar a vida de Jonas, tal como os judeus estavam tencionando fazer com Jeremias?
Como poderiam então ser perdoados pelo Senhor?
Por isso Jeremias foi levado por ordem de Deus à casa do oleiro, e quando lá chegou viu um vaso que havia sido quebrado em suas mãos, ser refeito por ele.
Ora, se um oleiro podia refazer um vaso de barro que se quebrou, quanto mais o Senhor não é poderosos para restaurar os vasos de barro que somos nós?
Então se Judá não estava sendo restaurado não era por falta de vontade ou de poder da parte de Deus, mas porque eles próprios se recusavam a se arrepender, e diferentemente do barro que permaneceu submisso nas mãos do oleiro para ser refeito, eles fugiam da presença do grande Oleiro para não serem restaurados por Ele.


“1 A palavra que veio do Senhor a Jeremias, dizendo:
2 Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.
3 Desci, pois, à casa do oleiro, e eis que ele estava ocupado com a sua obra sobre as rodas.
4 Como o vaso, que ele fazia de barro, se estragou na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme pareceu bem aos seus olhos fazer.
5 Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
6 Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.
7 Se em qualquer tempo eu falar acerca duma nação, e acerca dum reino, para arrancar, para derribar e para destruir,
8 e se aquela nação, contra a qual falar, se converter da sua maldade, também eu me arrependerei do mal que intentava fazer-lhe.
9 E se em qualquer tempo eu falar acerca duma nação e acerca dum reino, para edificar e para plantar,
10 se ela fizer o mal diante dos meus olhos, não dando ouvidos à minha voz, então me arrependerei do bem que lhe intentava fazer.
11 Ora pois, fala agora aos homens de Judá, e aos moradores de Jerusalém, dizendo: Assim diz o senhor: Eis que estou forjando mal contra vós, e projeto um plano contra vós; convertei-vos pois agora cada um do seu mau caminho, e emendai os vossos caminhos e as vossas ações.
12 Mas eles dizem: Não há esperança; porque após os nossos projetos andaremos, e cada um fará segundo o propósito obstinado do seu mau coração.
13 Portanto assim diz o Senhor: Perguntai agora entre as nações quem ouviu tais coisas? coisa mui horrenda fez a virgem de Israel!
14 Acaso desaparece a neve do Líbano dos penhascos do Siriom? Serão esgotadas as águas frias que vêm dos montes?
15 Contudo o meu povo se tem esquecido de mim, queimando incenso a deuses falsos; fizeram-se tropeçar nos seus caminhos, e nas veredas antigas, para que andassem por atalhos não aplainados;
16 para fazerem da sua terra objeto de espanto e de perpétuos assobios; todo aquele que passa por ela se espanta, e meneia a cabeça.
17 Com vento oriental os espalharei diante do inimigo; mostrar-lhes-ei as costas e não o rosto, no dia da sua calamidade.
18 Então disseram: Vinde, e maquinemos projetos contra Jeremias; pois não perecerá a lei do sacerdote, nem o conselho do sábio, nem a palavra do profeta. Vinde, e ataquemo-lo com a língua, e não atendamos a nenhuma das suas palavras.
19 Atende-me, ó Senhor, e ouve a voz dos que contendem comigo.
20 Porventura pagar-se-á mal por bem? Contudo cavaram uma cova para a minha vida. Lembra-te de que eu compareci na tua presença, para falar a favor deles, para desviar deles a tua indignação.
21 Portanto entrega seus filhos à fome, e entrega-os ao poder da espada, e sejam suas mulheres roubadas dos filhos, e fiquem viúvas; e sejam seus maridos feridos de morte, e os seus jovens mortos à espada na peleja.
22 Seja ouvido o clamor que vem de suas casas, quando de repente trouxeres tropas sobre eles; porque cavaram uma cova para prender-me e armaram laços aos meus pés.
23 Mas tu, ó Senhor, sabes todo o seu conselho contra mim para matar-me. Não perdoes a sua iniquidade, nem apagues o seu pecado de diante da tua face; mas sejam transtornados diante de ti; trata-os assim no tempo da tua ira.”. (Jeremias 18.1-23)

Silvio Dutra

O Meu "Sonho"

Penso eu que não deveria estar falando isso para ninguém...

O seguinte:

Era mais ou menos 3h da tarde aqui em Castanhal. Sol forte. Minha mãe havia saído para algum lugar, mas não sabia aonde, e estávamos meu irmão e eu em casa. Fazia calor, mas nem tanto. De repente, a luz começou a baixar. Até que baixou a um ponto de se parecer como a noite. Depois disso, o céu ficou estrelado rapidamente. Fui lá fora, curioso para saber o que havia acontecido, e quando vi o céu estrelado, fiquei surpreso. Algum tempo depois, olhei, e eis que a luz solar estava a brilhar fora da direção da Terra, ou seja, não era diretamente focada na Terra a luz do Sol. Era como se tivesse sido impedida de chegar aqui. Tempos depois, olhei na direção Sul daqui, e vi uma luz com um tom amarelo-esverdeado. Alguns minutos depois, ao entrar novamente em casa, avisei meu irmão sobre o que poderia ser aquilo no céu. Quando tornei a sair, olhei na direção de onde a luz amarela-esverdeada brilhava, e foi aí que percebi que o seu tamanho havia aumentado bastante. Então, olhei para cima de mim, e vi os raios do Sol a brilhar forte, tanto que o espaço podia ser visto a olho nú. As estrelas estavam brilhando forte também. Logo em seguida a isso, ao perceber algo novo em meio àquilo no céu, eis que um ponto vermelho era visto no céu. No momento em que estava a observar aquilo em cima de mim, que deveria estar a milhões de quilômetros de distância da Terra, o ponto amarelo-esverdeado começava a ganhar a forma de um planeta. Estava perto demais da Terra. Então, corri ao encontro de meu irmão e lhe falei algumas coisas, que, a princípio, entrei em desespero para saber o que era que estava ocorrendo naquele momento. Saí de novo, e eis que o céu jáo não estava mais estrelado como dantes, porém, estava cheio de planetas diversos. Inclusive, o planeta amarelo-esverdeado já se aproximava da Terra, enquanto o vermelho, que eu vira por cima de mim, estava a aproximar-se relativamente, bastante mesmo. Tamanha 3h da tarde, como se estivesse de noite.

Depois disso, acordei. Assustadíssimo com o que havia sonhado nesta manhã. Minha cabeça já não estava mais tranquila. Fiquei pensando e pensando sobre isso...

Geovani Araújo

O medo se vai para se encontrar com a coragem de me declarar, falando de amor com o meu silêncio hesitando em dias que se perdem em chances desperdiçadas;
Nunca deixei de acreditar na minha capacidade de estar em felicidade e plenitude que me cerca;
Mas por não saber viver de forma plena e sim vivendo na dor o tempo não volta do início para tornar acontecer;

Julio Aukay

Falando com a lua

E hoje eu estou aqui,contando tudo para ela,pedindo uma opinião que nunca chega, esperando que ela ilumine melhor a pessoa que eu estou pedindo, e isso é o amor,que faz agente fazer coisas doidas,bobas e sem sentido,acreditar que ela vai estar me ouvindo. Mas o amor é uma magia,que nos rodeia,que esta sempre ao nosso lado nos deixando bem,nos fazendo ver o quando é bom viver e amar. Ah lua por favor, ilumine ele para,então, olhar para você,e perceber o quanto é brilhante e,se ele pensar isso e começar a conversar com você também,me conte para assim eu perceber que ele esta sentindo o mesmo que eu...

luana caroline

Meu medo se desfaz sem que eu olhe para traz, falando do que é verdade sem hesitações ou constrangimento do que se possa temer;
Hoje o descaso não mais incomoda para a preocupação de falar de amor para com o meu próximo;
Nunca perco a esperança que permanece em meu coração se mantendo de pé pela fé e pelo chamado do meu senhor;

Julio Aukay

Abro o meu coração falando com muita calma para que você possa entender todo o meu sentimento por ti;
Enquanto você ler o meu coração em palavras que tanto clama, fazendo tradução pelo que você representa a mim eu penso demais em nós dois;
Encontro-me em um segundo para me declarar em palavras não tão lúcidas a minha razão que tanto grita pelo o seu querer;

Julio Aukay