Texto de Sexo

Cerca de 90 texto de Sexo

Muito prazer em te conhecer


Desaprendi o amor com você
no dia em que te conheci, experimentei
feito experimenta-se uma dose de cicuta
esse seu desamor sempre tão latente.
Hoje não amo mais ninguém
nem eu mesmo.
E agora que estamos em sintonia
e nos tornamos igualmente cruéis
frios e insensíveis
que tal recomeçarmos do início?
Oi... Muito prazer em (re)conhecê-la.

J.W.Papa

Como são longos os dias em Bogotá
Tempo bom. Vida mansa
Quando tudo fica ali, pra lá de Bagdá.
E a palavra inalcançável, um sonho de criança.
Mas essa névoa que se fixa
Ó Deus! Esta névoa que te imunda de malícia
Da infância o que ecoa, são frutos de uma mente prolixa.
Chuva que cai, pinga, incomoda. O que há é o suor e sua carícia.
Sou do tamanho daquilo que deixei para trás.

Darlex Machado

Já falei de você...

Já falei de você pro meu lençol, minha cama e cobertor.
Falei do seu corpo, teu sorriso e do seu cabelo.
Falei de sua boca, sua força e do seu cheiro.
Falei do quanto eu me sinto bobo perto de você.
Uma criança excitada pela pela primeira vez na vida.
Eles já sabem, te tanto eu contar
quantas loucuras eu faria com você.
Então eles me perguntam:
O que ela tem que te fascina tanto?
E eu não sei responder...

Chris Borges

Perpendicular paralela

Duas linhas não se cruzam por acaso.
Talvez as nossas formem uma perpendicular perfeita
produzindo um ângulo reto
que se encontra de modo exato no prumo.
Adjetivo de dois gêneros (masculino e feminino)
Erguendo-se e descendo em um movimento uniforme e contínuo.
Mas... também, pode ser que sejam linhas paralelas.
Linhas que se seguem lado a lado e que nunca se encontram.
Segmentos de reta, com os mesmos coeficientes angulares
mas que nunca se encontram e nem se tocam.

Chris Borges

Bebo porque tenho sede
Choro porque tenho vontade
Rir é uma contradição
Grito por não ter opção
Não sou uma cobaia de laboratório
Não me meça, comensure e nem me avalie
Me explore, violenta com vontade
Me coma e me vomite
Me consuma, me explore
Mas não me entenda
Não me explique

Chris Borges

O meu desejo nesta noite,
É teu beijo e o aroma que exala do teu corpo;
O calor contagiante das suas mãos a me tocar,
O arrepio ao te sentir na minha nuca a respirar
Despertando os meus sentidos
Aguçando a libido enlouquecendo-me
Com sussurros delirantes no ouvido
Os beijos e abraços apertados,
Em meio aos nossos corpos já despidos e suados,
A tua mão passeia e desvenda cada parte do meu ser
Com um misto de mordidas e carícias puxões e levantadas,
Viramos petecas sendo atiradas contra uma parede e outra
Deste quarto mal decorado;
Em fim a cama e encontrada nos atiramos
Então você despe-me do salto e retira-me a lingerie com a boca
Deixando-me mais louca Me tortura com tal ato.
Cobrindo com beijos o meu corpo
Após me amarrar junto às grades da cama,
Contorcendo de excitação
Com você transformando
O meu corpo no seu parque de diversão
E nesse brinquedo deixa nos perder
Fazendo nossa fonte de prazer,
Gemidos se confundem a essa altura
A sua mão levanta a minha cintura
Libertando-me das grades ao me beijar...
Agora eu te mosto,
O quão eu solta posso,
Contigo entre os meus braços, te conduzo pelo quarto,
Levo-te pra mesa no canto te sento beijo, lombo te ama...
Minha linda, agora te faço,
Morrer de prazer em meus braços, Seu corpo se treme e gela... Tão bela
O teu líquido é o alimento que preciso teu perfume o aroma que aguça
e os teus braços o cobertor que aquece o meu corpo nu.
Agora tu dormes no meu ombro,
Como num encanto, mulher que enfeitiça,
Ao despertar com um sorriso de me beija, balançando a cabeça,
Há essa noite o prazer nos cercara,
E o seu sono será apenas pausas amenas
Essa noite seremos só eu e você e morremos várias vezes de amor e prazer...

Armanda Fernandes Barreto

POETA-MÚSICO DAS MANHÃS

Eu poderia ter me tornado um excelente músico,
Mas não segui os passos do meu pai. Poderia hoje
Ser um jovem e talentoso violinista, Mas não insisti
Para que ele me ensinasse, ou demonstrei - ao longo dos anos
Interesse em aprender a música, embora eu a aprecie demasiadamente.

Troquei o violino por cadernos e folhas de ofício,
Troquei o arco por canetas. Viés ao invés de pó de breu,
Minha mão se suja com tinta. Ao invés de notas, letras.
Acordes, palavras. Melodias, metáforas. Ritmo, rimas.
Claves, versos. Prelúdios, sonetos. Concertos, desconcertos.
Sinfonia, poemas... Opositivo ao que não fui.

Não me tornei um músico porque não queria ser apenas
Mais um músico de pouco talento entre tantos outros músicos talentosos.
Me tornei mais um poeta dentre tantos outros poetas no mundo... [Quanta diferença, não?]
Tento a todo custo, assim como o músico que um dia quer ter sua música tocada e gravada
Na história, tornar indelével em papel todos os meus sentimentos, todos os meus amores...

Todavia, mesmo que eu não tenha me tornado um músico
Nessa vil realidade vivente, me tornei maestro de toda ilusão crescente
No ser existencial inexistente, real e utópico do meu coração.
Regente decrescente, exponencialmente louco, loucamente apaixonado,
Verossímil - inabalável - à semelhança de Beethoven!

Minhas rapsódias não são somente húngaras, mas de todas as nacionalidades
Deidades puramente divinas. Divindades metaforicamente mortais.
Imortais, surreais, que percorrem o meu corpo em um lento agonizar.
São peças diminutas, hirsutas à moral, pausadamente longas - sem delongas.
Estendidas na cama, sobrepostas no mundo, expostas no meu peito.

Harpas, cellos e violas. Violinos e oboés. Corpos frágeis sustenidos
Unidos, dissolvidos na maré. Poeta velejante do naufrago, vou de vento em popa,
Estendo o mastro, iço as velas, me deito na proa e resvalo até os pés!
Danço, salto e rodopio, nado e remo sem cessar. São ondas de puro ardil
Violentas, turbulentas e incautas - exaustas - de febril insensatez.

Naus flamejantes sobre pávido poeta, músico e translúcido do próprio imaginar,
Balançam e ululam a canção demente, incoerente - gemem e tremem sem parar.
Deliram sereias de água doce, agridoces ao paladar. Grutas profundas e quentes:
Me ponho a mergulhar! Sou marinheiro de aguardente, verborragicamente virtuoso.
Eloquentemente auspicioso, amoroso? Venha experimentar!

Sou poeta-músico atípico, deixo que toquem meu instrumento
Grave: lento e solene. Andante: sem rumo. Prestíssimo: até jorrar!
Pizzicato flores com sutileza, leveza - dedilho - querem me amar!
Ondulo as ondas dos meus cachos, desperto - ancoro no cais.
Vibram as cordas vocais do desejo, ensejo, BOCEJO - idéias matinais.

Diego Evair

Notas de um moralista

Era de madrugada e eu acabara de dormir com uma garota jovem e bela que eu conheci a pouco num bar. Me levantei e enchi um copo do melhor uísque que o dinheiro pode comprar, acendi um charuto cubano e sentei na varanda da minha casa em frente ao mar, e lá pensei que pela manhã quando a garota acordasse e fosse embora eu continuaria ali sozinho. Deus eu era uma pobre alma, um homem que tinha tudo, mas não tinha nada.

AndréRicardo

Trocando as Bolas – por Lene Campos

Opa ! Não é nada do que você pensou : trocando as bolas aqui tá falando de situações e não “daquelas” bolas… Rsrsrsrsrss

Vamos rir não é mesmo ! Faz bem e nos deixa mais jovens. Opa, a grana anda curta pra BOTOX.

Quero falar das grandes(bolas, ops) trocas e das pequenas também!!! Kkkkkkkkkkkkkk
Quero falar de trocar o Certo pelo Duvidoso.

Que delícia viver a vida com despreendimento. Que delícia arriscar .

Você trocar um cara meio certinho, pelo sacana que te joga na cama e te faz esquecer de tudo.

Você trocar um “namoro falido” por um affair que te faz um bem enorme.

Trocar aquele cara que talvez , pudesse até se tornar seu marido, mas que insisti em ressaltar seu defeitos por um amante delicioso e que sabe valorizar cada segundo ao seu lado.

Trocar o que te deixa pra baixo, por alguém que te coloca pra cima , por cima …

As nossas escolhas também podem ser meio malucas. As nossas escolhas podem não ser tão admiráveis, nem tão coerentes… ( minha amiga me disse que não tem culpa católica) e que vive intensamente.

E isso menina, vive ! Mas vive pra valer.
Vive o que vida tem te trazido de bom. Vive o que faz sua pele estremecer.
Vive o que faz seu coração vibrar.

E troque o Certo ou o Duvidoso , mas troque pelo que te faz sentir : mulher , querida , desejada, respeitada.

Prefira ser chamada de “gostosa” do que de chata.

Prefira ouvir sussuros do que gritos de homem estressado ou indeciso.
Que a única indecisão seja o lugar que vocês terão os próximos bons momentos.
Que se for pra chorar que seja de saudade , mas saudade com reciprocidade.

Não sei se você captou ,mas as melhores coisas das vida também devem acontecer só em off…

Lene Campos

Eu pensei em ser feliz ! E sou !
Eu pensei em viver ! E vivo !
Eu pensei em conhecer o mundo ! E conheço !
Eu pensei em amar ! E amo !
Eu pensei em ser rico ! E sou
Eu pensei em me apaixonar! E me apaixonei !
Eu pensei seriamente em mim e conclui :
Não me atrevo a pensar em nada que não me edifique.

Roger Freitas

"... tenta ao menos me amar
Só não me trate como uma qualquer
Só não me traia em algum destes cabarés
Se um adeus é a solução
Então, parta em paz
Adeus! Até nunca mais.."
___________________________________________
Insta: @william.calixto.barbosa
Face: pt-br.facebook.com/damadecabelosnegros

William Calixto

Muito do vazio que as pessoas sentem de vez em quando
acontece porque todos estão cada vez mais apressados.
Ninguém mais quer se conhecer direito.
A coisa mais difícil, atualmente, é encontrar alguém
que queira sair com você apenas para conversar.
A maioria já sai ao teu encontro pensando em te levar pra cama.
Não se conhecem mais. Não vivenciam um ao outro,
e seguem atropelando os passos,
esquecem de viver os detalhes.
E o melhor está nos detalhes.

Augusto Branco

Memorias de noites alucinantes que passamos juntos, uma melhor que a outra, criam em mim a espectativa que o biz seja ainda melhor.
Memorias de como é segurar forte seus cabelos te puxando pra dentro de nossa felicidade com desejo imenso de satisfaze la em tudo.
Memorias dos momentos em que te ataco violentamente como se precisasse vencer uma luta que nunca venço, mas acabo vencido por voce todas as vezes.
Memorias de uma mulher firme e decidida que me diz toda sorte de palavraa que almentam o meu deleite.
Memorias de seu olhar ainda me querendo depois do amor e desfalecidos deitados, com a cabeça em meu peito temos um momento mágico de felicidade.
Memorias, memorias, memorias, que criam em mim a espectativa que o biz seja ainda melhor.

TY Monteiro

Na idade das negações...
ficam as boas intensões!!!
de todos esses inconvenientes,
de todas tentativas inúteis,
apenas uma ambição sobrevive...
os resíduos da imaginação !
Essa performance não é admirável,
tão pouco é uma virtude consoladora.
Mas é o que temos pra hoje,
depois de certa idade a imaginação fica fértil.
"negar fogo"... nem pensar !!!

di matioli

Não complique,
Descomplique,
Duplique,
Triplique minha felicidade ou se retire.
Soma, divida, me ensina
Não me reprima.
Preenche, entende, me sente
Ou se ausente.
Me tenha, mas não retenha,
Me tome, mas não me torre.
Me consome na cama, não minha paciência, por favor
Me umedece entre as pernas, não meus olhos, meu amor
Sinta minha ausência,
Mas não cobre presença
Me ame, se apaixone
Não questione
Seja simples.

Pode Me Chamar de Lua

O amor é um fenômeno tão primário como o sexo. Normalmente, sexo é uma modalidade de expressão do amor. O sexo se justifica, e é até santificado, no momento em que for veículo do amor, porém apenas enquanto o for. Desta forma, o amor não é entendido como mero efeito colateral do sexo, mas o sexo é um meio de expressar a experiência daquela união última chamada de amor.

Viktor Frankl

Os seres humanos não são descartáveis, mas agem como se fossem. São alma e carne, mas agem como se fossem papéis e plásticos, e a “ficada” sem compromisso se torna uma espécie de crime passional, porque de uma forma unilateral, estamos forçando a alma o que o nosso instinto carnal solicita. Forçamos nossos corpos e alimentamos um desejo momentâneo de algo que não necessitamos. Usam uns aos outros e jogam fora, feito talheres de plástico que servem apenas como meios do alimento chegar até você e saciar seu apetite. Nada além disso. E até então repetir-se o ciclo vicioso novamente. É como mascar chicletes enganando o nosso cérebro que é um alimento para nosso sustento.

L.F. Magister

As pessoas desejam, reprimem, desejam mais, desejam ainda mais, até conseguirem realizar, se entregar, ter, me ter, te ter, amar; prazer. E quando o corpo esfria não é a satisfação que sentem, não é a plenitude ou qualquer outro tipo de contentamento, tão pouco continuam a desejar mais. Elas sentem o abismo, a escuridão, o completo vazio da alma, uma peculiar inexistência que irá se perpetuar a cada momento de fugaz satisfação. Nada me apetece.

Diego Evair

É simples do meu ponto de vista. Porque temos que reproduzir? Porque morremos, nos transformamos. Isso é uma técnica evolucionária que a própria vida inventou. Tudo se transforma e por isso temos que reproduzir. Essa essência é o que consideram "gene". Ditado: "Nem tu é teu". Realmente nem nós mesmos somos alguma coisa de posse própria, talvez a essência pura seja. Antes de surgimos fomos criados de genes e elementos para a nossa criação física gradativa que nunca foram nosso, ou seja, não é de se esperar que voltássemos a ser esses elementos só que transformados pelo processo da vida. Nascemos de determinados elementos e morreremos virando outros. Podemos considerar o processo de envelhecimento diretamente com uma força misteriosa assim como a gravidade era tempos atrás. Na vida tudo se transforma, o universo, as estrelas, até mesmo aquilo que vem a abranger o universo e de alguma forma caracteriza-lo em algo que nós nem se quer podemos imaginar. Somente através da imaginação é que podemos ver o passado, presente e futuro e assim construir ideias. Nosso mundo hoje é movido por ideias tanto é que empresas valorizam mais a ideia do que qualquer outra coisa. É da ideia e imaginação que acredito que tudo foi criado, não é atoa que a física quântica diz que tudo que nós vivemos provém de nossas mentes. Mente- Deus- Física quântica. Penso que é por ai o caminho para nossa evolução humana.

william andrey

Os religiosos dizem que a homossexualidade é algo abominado por Deus, mas alguns animais possuem práticas homossexuais. Se os animais seguem a vontade que Deus ordenou ao contrário dos humanos que podem escolher o que querem, então por que existe a homossexualidade entre animais se isto é pecado?

Mário Pereira Gomes