Texto de reflexão

Cerca de 1302 texto reflexão Texto de reflexão

CANTATA 147 DE J.S.BACH
JESUS, ALEGRIA DOS HOMENS

TRADUÇÃO LIVRE DO TEXTO

Texto
A maior parte do texto usado na cantata 147 é de Salomão Franck, enquanto os textos originais do 6º e 10º movimento foram escritos por Martin Janus em 1661. O texto do 10º movimento é inspirado no versículo bíblico que cita:…no Teu nome e na Tua memória está o desejo da nossa alma.

(Cântico de confiança na proteção Divina)[3]
Coração e boca e atitude e vida

1. Coro
Coração e boca e ações e vida
Devem dar testemunho de Cristo
Sem medo nem hipocrisia,
Pois ele é Deus e Salvador.

2. Recitativo (tenor)
Bendita boca!
Maria dá a conhecer o íntimo de sua alma
Com gratidão e louvores;
Ela desata a falar, espontaneamente,
Das maravilhas que o Senhor operara
Por meio dela, sua serva.
Ó raça humana,
Escrava de Satanás e dos pecados,
Tu és livre — através da manifestação viva de Cristo,
Desse fardo e dessa subserviência.
Contudo, tua boca e tua índole rebelde
insistem em negar tal bondade.
Não te esqueças, pois, que, segundo as Escrituras,
Um terrível julgamento te espera.

3. Ária (contralto)
Não te envergonhes, ó Alma,
De confessar teu Salvador,
Para que ele possa chamar-te noiva
Perante a face do Pai!
Porquanto aquele que sobre a terra
Temerariamente o renega
Será por ele renegado,
Quando ele vier em glória.

4. Recitativo (baixo)
A obstinação cega os poderosos,
Até que do seu trono os lance a mão do Altíssimo.
Esta mão porém se erguerá,
Ainda que diante dela trema a esfera terrestre,
Em favor dos mansos e dos humildes,
Os quais serão salvos.
Ó cristãos bem-aventurados,
Ide, preparai-vos,
Pois é chegada a hora oportuna,
Pois é chegado o dia da redenção;
Vosso corpo e espírito,
O Salvador quer revesti-los com os dons da credulidade.
Ide, invocai-o com lúbrico desejo,
A fim de o acolherdes firmes na fé!

5. Ária (soprano)
Prepara, ó Jesus, ainda hoje, a tua vinda!
Cobre os recônditos do coração, da alma,
E contempla-me com os olhos da graça.

6. Coral
Bem-aventurado sou, porque tenho Jesus.
Oh, quão firmemente eu o seguro,
Para que traga refrigério ao meu coração,
quando estou triste e abatido.
Eu tenho Jesus, que me ama
e a si mesmo se entregou por mim.
Ah! Por isso não o deixarei,
Mesmo que meu coração se quebre.

7. Ária (tenor)
Ajuda-me, Senhor, ajuda-me a reconhecer-te
No bem e no mal, na alegria e no sofrimento,
E que eu possa chamar-te Salvador
Com fé e serenidade;
Que meu coração arda sempre de amor por ti.

8. Recitativo (contralto)
A mão forte do Altíssimo age
Até nos confins da terra.
João deve encher-se do Espírito:
Já no ventre de sua mãe
Envolvem-no os laços do amor,
E o fazem conhecer o seu Senhor,
Embora ainda não possa nomeá-lo;
Ele se agita, pula, salta,
Fazendo que Isabel confesse um milagre,
E que dos lábios de Maria brotem cânticos de alegria.
Ó Justos, se vós percebeis a fraqueza da carne,
E tendes vosso coração ardendo,
E contudo vossos lábios ainda não professam o Redentor,
Deus vos dará forças,
E alevantará o poder do espírito em vós,
Para que com júbilo e louvores o exalteis.

9. Ária (baixo)
Cantarei os prodígios de Jesus,
E levarei até ele a oferenda dos meus lábios.
A minha carne frágil,
Subjugará ele, pelo seu próprio amor,
E a minha voz mundana,
Mediante o seu fogo sagrado

10. Coral
Jesus continua sendo minha alegria,
o conforto e a seiva do meu coração
Jesus refreia a minha tristeza,
Ele é a força da minha vida
É o deleite e o sol dos meus olhos,
O tesouro e a grande felicidade da minha alma,
Por isso, eu não deixarei ir Jesus
do meu coração e da minha presença.

Salomão Frank e Martin Janus

Texto: tragédia em dezembro de 2012

O natal perde o sentido...sinto muito...
Fico entristecida diante de tragédias...ainda mais quando envolvem as crianças...
Meu coração chora... não consigo segurar as lágrimas...
São vinte as crianças que um jovem... a vida interrompeu...
Embora seja tão longe... um país distante de mim... de nós...
Sinto as dores na carne, porque convivo com crianças...
Pura são as crianças...jamais fariam o mesmo...
Existem seres humanos covardes, sem pena...sem alma.
Se apegar a Deus ...e pedir que encaminhe essas almas...
Que ampare as famílias... não me satisfaz...parece que falta algo e sangra ...
Meu espírito não aceita e dói...e remoê...e machuca...
Existem fatos que por mais que tente explicar...fica um vazio... e dói...e remoê...
As pessoas não vão evoluir ...enquanto não entenderem... que vidas não se compra...
As leis da vida andam muito duras... consumir é preciso...não necessário...
Dores... as dores da vida...
Uma criança... duas crianças...três crianças...quatro crianças...cinco crianças...
Seis criança... sete crianças...oito crianças...nove crianças...dez crianças...
Onze criança... doze crianças...treze crianças...quatorze crianças...quinze crianças...
Dezesseis criança... dezessete crianças...dezoito crianças...dezenove crianças...
Vinte...
Que tristeza... daí me compreensão para perdoar uma alma...uma outra alma...
Que um dia foi criança...
Por enquanto... estou de luto...

Vera Medeiros

Sobre a Santificação Verdadeira – Parte 4

Lendo o texto de Col 3.12-14 vemos que Paulo está descrevendo o traje do cristão.
As vestes que ali são descritas devem ser usadas permanentemente.
Nenhuma delas deve ser deixada de lado.
Todas devem ser vestidas.
Não apenas no domingo, mas durante todos os dias da semana.
As primeiras vestes citadas são a misericórdia e a bondade.
Somos tão misericordiosos, benignos, ternos e compassivos com os nossos semelhantes como é o próprio Cristo?
Pela santificação, obtivemos este traje, e estamos com ele vestidos?
Esforçamo-nos para alcançá-lo?
Se não, a nossa alegada santidade está nua em parte.
Longe de nós a presunção da igreja de Laodiceia que lhe custou a reprimenda de Apo 3.17.
Em seguida são citadas como parte do vestuário de Cristo, a mansidão e a humildade.
Jesus não oprime nem tiraniza a ninguém.
Ele foi sempre humilde, manso e cheio de graça, sendo o Mestre de todos, e o Senhor dos senhores.
Somos arrogantes e duros de coração por natureza. É somente pelo trabalho de quebrantamento do Espírito Santo que deixamos de sê-lo.
Há também os vestidos da longanimidade e da paciência, no trato com os semelhantes.
Há cristãos que se não fazem tudo a seu gosto, logo se encolerizam.
São egoístas, obstinados, iracundos e suscetíveis.
Não se sujeitam à disciplina do Espírito Santo, e nem à autoridade da Palavra de Deus.
A verdade que servem é a própria, engendrada por sua imaginação e sentimentos carnais.
Estas vestes da velha natureza devem ser trocadas pelas vestes de Jesus, da longanimidade (tardio em se irar) e da paciência.
Devemos ser pacientes ainda quando tenhamos sido vítimas de grandes injustiças: mais vale sofrer do que devolver mal por mal (Rom 12.17-21; I Pe 2.19-23; 4.12-14).
O apóstolo segue dizendo:
“Perdoai-vos mutuamente...”.
Não é evidente que tal ensino não é da terra, mas que nos veio do céu? T
Tratemos pois de colocá-lo em ação.
Vesti-vos do Espírito de Cristo, e sua língua não soltará palavras tão amargas.
Vesti-vos do seu amor, e seu coração não abrigará sentimentos tão ásperos.
Que suas almas se encham de sua santidade, e de boa vontade perdoarão, não sete, mas setenta vezes sete.
Agora, o cinturão que mantém em seu lugar cada peça deste vestuário espiritual é:
“Acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.”.
Este cinturão é divino: o amor.
Tudo o que temos feito tem muito pouco valor se nossas animosidades não têm sido sepultadas com o velho homem.
Ainda que tenhamos muitos defeitos, que não nos falte o amor pelo Senhor e por nossos semelhantes.
E finalmente:
“a paz de Deus governe os seus corações e sejam agradecidos.”.
A gratidão deve ser achada entre os discípulos de Jesus.
Bem-aventurada a alma que está em plena possessão de si mesma, sempre tranquila e descansada.
Se desejamos ser semelhantes a Jesus devemos estar vestidos da Sua paz.

Silvio Dutra

Demorei a terminar o texto


Demorei a nascer. Como por maldição pelo sofrimento extra que causei a minha mãe, faço demoradamente tudo o quanto há. Eu como demoradamente o sanduíche e troçam de mim. Faço todo o tipo de provas demoradamente e acham que sou burro. Resolvo coisas simples demoradamente e aí têm a certeza de que sou burro. Somente na hora do orgasmo, demorado, é que consigo ter um pouco de respeito. Honro as calças que visto (ou que dispo) de tal maneira que nenhum outro, após conhecer os meus números, sequer tentaria desempenho semelhante. Abaixariam e me honrariam como a seu mestre.
É uma pena que eu não seja lá muito bonito e nem tenha jeito para galanteios. A última menina que frequentou a minha cama não batia bem da cabeça. Mas vá lá, pois bater bem é uma expressão de muitas interpretações e, tenho certeza, algumas se adequariam absolutamente ao perfil. O importante é que ela ainda possuía as cordas vocais bem saudáveis, ao contrário da minha vizinha prostituta, e eu poderia, então, fechar os olhos e imaginar algumas meninas das revistas que leio.
Lembro-me de quando era criança. Sempre atrasado para as aulas, os cursos e eventos de todo o tipo que a minha mãe me introduzia. Nunca estava realmente pronto, e, se me apressassem, não seria absurdo se eu aparecesse com o papel higiênico colado ao sapato ou com a blusa do avesso.
Demorava a entregar a flor àquela menina do recreio, sentadinha no banco do pátio. Calmamente ia de encontro à janelinha formada entre seus dentes, o vão ofuscado me extraviava as ideias. Tive paciência em amá-la, e essa paciência me ensinou a ser estropiado, sem jeito. Meus versos saltaram para o papel com retardamento, o mesmo que surgiu com a menina na minha cama. Se bem que lá ela implorava para continuar bem devagar.
Nunca fui afã. Carrego esse peso como peregrinação, pagando os pecados que cometi ao nascer. Até para falar tardo a pronúncia. Eu te amo até hoje se encontra em processo de concretização, custo a entender, mas acho que vai demorar a sair a frase inteira. Nunca me encontro em real prontidão, delongo o tempo o máximo possível para então, quando não restar tempo, começar a falar com a menina na festa. Estendo a conversa, aproveito o momento em apreciá-la. Quem sabe talvez não seja um carma em minha vida. Seja uma qualidade essa demora até para ter dignidade na cama. Quanto mais demora, mais proveito tiro do momento e, mais lembranças carrego nas costas.
Duvido que exista alguém que demore como eu. Que pegue nas mãos delas e sente o ápice do desejo. Compreendi por que nunca consegui uma namorada. A olhava com tanta demora que absorvia sua beleza. Demorava em pedi-la desculpa, pelo simples fato de deixar levar a compreensão solitária e madura do caso que legitimou a briga.
A coisa que menos demorei foi em esquecer os gritos daquela menina. Me doem os ouvidos até hoje.

alexandre morais

COMO E PORQUE SER ESPIRITUAL E NÃO CARNAL
– Parte 20

O texto de Ef 4.20-24 fala da crucificação e despojamento do velho homem (carne, natureza terrena), para o revestimento do novo homem (nova criatura, nova natureza espiritual).
“Efs 4:20 Mas não foi assim que aprendestes a Cristo,
Efs 4:21 se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus,
Efs 4:22 no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano,
Efs 4:23 e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,
Efs 4:24 e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.”
Somente a santificação pela aplicação deste fundamento que nos é ensinado pela Palavra nos tornará úteis na obra de Deus (II Tim 3.16,17).
Romanos 7:22 diz: "Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;".
Nosso homem interior (nova criatura) tem prazer na lei de Deus.
Então quando temos prazer em obedecer todos os mandamentos de Deus isto é sinal que temos sido despojados do velho homem, pelo trabalho progressivo de santificação do Espírito Santo, relativo à mortificação do pecado.
Efésios 3:16 também nos diz que sejamos fortalecidos com poder pelo Espírito no homem interior.
Paulo disse também em II Coríntios 4:16: "mas ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior, contudo, se renova de dia em dia.".
A nova criatura é pura, santa, celestial, espiritual e divina. Ela foi recebida do alto, porque somos feitos novas criaturas por um novo nascimento do Espírito, procedente das alturas.
Por isso nosso Senhor destacou nas bem-aventuranças, a pureza de coração como condição para se ver a Deus.
Esta pureza está justamente em não misturarmos as coisas relativas ao Espírito com as obras da carne, conforme mencionadas em Gálatas 5.
Quem ama a santidade odiará a impureza.
Não permitirá que a facilidade em se irar conviva ao lado da longanimidade; que indolência espiritual vença a diligência; e em tudo o mais, buscará o que é relativo à nova criatura, pela mortificação daquilo que pertence ao velho homem.

Silvio Dutra

LINDO!!!!

VALE A PENA LER...


Texto de Regina Brett, 90 anos de idade

A vida não é justa, mas ainda é boa.
Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno .
Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.
Pague o total de seus cartões de crédito, nunca o mínimo.
Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
É bom ficar bravo com Deus, Ele pode suportar isso.
Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
Quanto a chocolate, é inútil resistir.
Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
Respire fundo. Isso acalma a mente.
Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre..
Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
Use os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
O órgão sexual mais importante é o cérebro.
Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você.
Enquadre todos os assim chamados “desastres” com estas palavras ‘Em cinco anos, isto importará?’
Sempre escolha a vida.
O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.
Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
Acredite em milagres.
Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
Envelhecer ganha da alternativa — morrer jovem.
Suas crianças têm apenas uma infância.
Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os dos outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
Acredite, o melhor ainda está por vir.
Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
Produza!
A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.

MGT

Uma vez eu li um texto sobre plantar uma arvore. Os pensamentos que vem em nossa cabeça, funcionam assim: Ahh!! e se não der frutos? e ficamos naquela duvida, em plantar ou não plantar. E a mesma coisa acontece quando queremos fazer algo....Ahh! eu faço ou não faço.. o texto que eu li dizia, mais ou menos assim:
Se não der frutos, valeu pela beleza das flores.
Se não der flores, valeu pela beleza das folhas.
Resumindo: e se não der nada?
SE NÃO DER NADA! O que vale é a intenção de SEMENTE!

Paulo Batista dos Santos

O amor é um texto sem correção. As lembranças compunham a mais rica tristeza, ao passo que o imbróglio não tinha seu fim. Eu queria que aquilo acabasse. Aquela frase me dilacerou, fez dos meus textos algo sem vida. Hoje, nada tem sentido. Nem mesmo eu. A voz do suicídio parece celebrar minha alma, posto que desse trauma, me faço de único solitário. Esse amiúde que me enlouquece, faz o sol nascer depressivo, todos os dias. A poesia da vida deve ser vista como a alma de um dia poder sair disso tudo.

A venustidade rara, é um quadro de pranto inimaginável.

danielmuzitano

Um texto de dor....
uma carta de dor com a caligrafia de amor
memórias, memórias das palavras soltas

Encantadas do drama afetivo mágico
do quotidiano enfadonho, entrincheirado
modelado no peito, desenhado nos olhos

Impaciente poema de pedra afiada no tempo
palavras de revolta, que ferem a alma gravada de sangue
a dor corria entre as pedras do rio, levando o sofrimento

Destroços do corpo putrificado na penumbra do abandono
desertos secos no crepúsculo do silêncio...
despenhado a nu.!!

MariaIsabelMoraisRF

Olá a todos!
São com lágrimas nos olhos que eu escrevo essa pequena passagem, um humilde texto, apenas uma forma do por as emoções e tudo o que está se passando dentro de mim.
Bom, a quase quatro anos atrás conheci uma pessoa que iria mudar minha vida por completo. Na época, apenas uma menina, uma garota.. que mais tarde viria se tornar a mulher da minha vida, a coisa mais maravilhosa que já aconteceu.
Tudo começou com aquele sentimento gostoso de estar gostando de alguém, aquele friozinho na barriga que todos nós sentimos quando estamos perto da pessoa, àquela sensação engraçada de sorrir ao ver sua paixão, de querer estar perto de qualquer maneira.
Pois é! Eu me apaixonei! Meu primeiro amor, meu primeiro beijo.. A primeira pessoa que me fez sentir de uma maneira diferente, de uma maneira especial, que me fez sentir único.
Rsrs, mal eu sabia que aquela pessoa seria o amor da minha vida ! Logo nos entregamos a esse amor, tudo parecia um pouco impossível más apenas com a nossa vontade e amor, rolou ! E como rolou.. Não sou uma pessoa de muita idade, tenho muitos anos pela frente ainda, más uma coisa eu sei e posso afirmar com a maior certeza: Serão as melhores lembranças da minha vida e não importa o quanto eu viva, não sentirei algo parecido.
Sabe aquela pessoa que te entende ? Que te completa, que cuida, que é sua companheira nas piores e melhores horas, que faz teu coração sorrir só de você a vê-la ?
É.. eu tive essa pessoa, tinha o sorriso mais lindo, olhos que brilhavam quando me via.. Não existia sensação melhor de ver aquele sorrisão e os olhos brilhantes quando me via e corria para me abraçar. Era uma sensação única.
O jeito doce e gentil, compreensiva, amiga, protetora.. E o melhor de tudo vocês não sabem, essa pessoa maravilhosa só pedia uma coisa em troca: amor.
Sim, sim ! é verdade ! Rsrs. Sua simplicidade de me amar era algo admirável e incrível ! Eu tinha o paraíso bem ali, em minhas mãos, tinha toda a felicidade e amor que alguém poderia querer.. Vocês devem estar se perguntando: “Poxa, que legal, cara ! parabéns, más o que aconteceu ? você dizendo faz parecer perfeito, o que houve de errado ?”
Bem, é ai que vem a parte triste da história.. Ela foi perfeita demais para mim e no final das contas.. eu deixei de dar a única coisa que ela queria, deixei de fazer o mínimo !
Todos os nossos sonhos e planos e acreditem, eram muitos ! posso fazer uma lista aqui, desde nome dos filhos à aonde seriam nossos túmulos e que tinham que ser um do lado do outro, parece loucura, más até nisso tínhamos pensado RS.
Enfim, se eu parar pra pensar nisso agora não termino esse depoimento, as emoções são muitas.
Enquanto ela estava ali pedindo um pouco de amor e carinho, eu estava sendo um tremendo estúpido, essa é a palavra que me define: Estúpido.
Qual era a minha ? Aonde eu estava com a cabeça ? Eu nunca deveria ter gritado, ter ignorado e ter deixado de lado.. LOGO QUEM ? Sim.. a mulher da minha vida.. aquela mesmo, que me fazia sentir único e especial, que tinha um sorriso maravilhoso, que me amava puramente.
Vocês irão se perguntar: “Ué, más foi só por isso ?”
Não, amigos.. Eu venho sendo assim durante um tempo, minha falta de compreensão e paciência me levaram a destruição.. De tudo o que eu mais amei em toda a minha vida.
Agora estou aqui, sentindo falta daquele sorriso doce, daqueles olhos, dos abraços e beijos com sorrisos, daquele cheiro, daquela voz suave dizendo “Eu te amo, bê”
Eu sempre irei amar o meu bê.
E o porque de eu estar escrevendo isso tudo ? Simples! Tem um ditado que diz exatamente assim: “Dê valor e ame o que você tem, antes que a vida te ensine a amar o que você tinha”
É.. Não cometam o mesmo erro que eu.
SE DECLAREM, GRITEM PARA O MUNDO OUVIR, DIGAM TODO DIA E SE FOR POSSÍVEL MAIS DE UMA VEZ O QUANTO VOCÊ AMA, O QUANTO ESSA PESSOA É IMPORTANTE EM SUA VIDA.
NÃO DEIXEM BRIGAS E BOBAGENS ATRAPALHAREM, ISSO É PERDA DE TEMPO. APENAS AMEM, AMEM COMO SE MAIS NADA EXISTISSE, DÊEM VALOR, CUIDEM E DE FORMA ALGUMA DESRESPEITE OU SEJAM ESTÚPIDOS COMO EU. RAGUEM COM AMOR A MULHER QUE ESTÁ DO SEU LADO, ELA IRÁ CRESCER LINDA E IRÁ BRILHAR JUNTO COM VOCÊ.
Acreditem, em um certo momento você irá achar que nada poderá tirar aquela pessoa de você, más meu amigo acredite em mim.. você é sua própria forca, então por favor cuidem !
Eu não sei se esse depoimento vai chegar no computador de alguém ou se alguém vai chegar a lê-lo. Más se chegar.. Parem o que estão fazendo agora, JÁ ! E vão até aquele pessoa que te faz sentir único e especial e digam o quanto a ama, o quanto ela é importante.. e faça de tudo pra vê-la sempre sorrindo.
Sou apenas um cara com um vazio, perdido.. Talvez eu não me encontre, na verdade nem sei se quero me encontrar, más posso compartilhar um pouco da minha experiência com vocês.
Leiam e guardem o que eu disse, acreditem.. A Dor da perda é infernal..
E piora quando você perde uma parte de você e sabe que si próprio foi quem causou.


Grande abraço e não se esqueçam.. !

BrunoAugustoSP

Hoje é o Seu Dia Leitor

Muitas vezes me emociono quando vejo alguém usando um texto meu, que encantou a sua alma, para encantarem a alma de mais algumas pessoas.
Isso é super gratificante!
Tão gratificante, quanto pegar uma pessoa e ensiná-la a ler...
E depois vê-la lendo todos os sonhos, lendo a vida.
Hoje mais algumas pessoas leem fragmentos de mim, só porque sabem ler.
E têm a sensibilidade de apreciar, aquilo que minh'alma escreveu com tanto amor e ternura.
É você leitor, que engrandece os meus textos, elogiando, sugerindo e até mesmo criticando.
Mesmo que às vezes a crítica é “ destrutiva”...vejo como um alerta para mudar em algo que não saiu tão bem!
Sei que jamais iremos encantar os corações de todos...
Mas onde tiver um...que seja apenas um lendo os meus textos, eu estarei feliz e sorrindo.
E para aqueles, que leem a alma de quem escreve, os sonhos e leem a própria vida, desejo-lhes as melhores emoções e ensinamentos, afinal hoje é o do dia do LEITOR!.

Dayse Sene

TEXTO: DISTÂNCIA

Entro no ônibus e o peito já começa a doer. De todas as cenas que eu faço mentalmente antes de encontrá-la, essa sempre é a pior e a que eu sempre quero acelerar. Se pudesse, pularia toda despedida e o resto do tempo que vivo longe dela só pra ter um novo sorriso de chegada, uma nova recepção nos braços que tanto me faltam quando estou longe, mas não resta opção. Suportamos esse amor à distância justamente por escolha.

Por termos nos escolhido.

Amar, sob qualquer circunstância, não é difícil. Amar é um sentimento que nasce naturalmente nas pessoas e floresce se recíproco. Tudo bem que, em alguns casos, age à revelia do dono do coração. Só que, além de ser algo incontrolável e tão bonito, ele exige cuidados. E há quem não consiga carregá-lo, regá-lo e dar atenção e carinho. O que dá trabalho não é amar, é cuidar.

Enquanto colo a testa no vidro frio e vejo seus olhos num dos lances da escada da rodoviária, seguro o telefone sabendo que, daqui alguns minutos, uma mensagem vai chegar. E nunca há agradecimentos suficientes para os momentos que passamos juntos. Mesmo que esses poucos dias se alongassem de alguma maneira, ainda seríamos obrigados a dizer esse incômodo “até logo”.

A saudade vai rodando junto com os pneus da estrada. Talvez dê tempo para dormir, ouvir uma música, ler um livro. Fico imaginando se existe mais alguém aqui na mesma situação que nós dois. Várias histórias dormem lado a lado. Voo mais um pouco e logo penso em quantos ônibus, carros, aviões, levam de volta os apaixonados pelo mundo afora. Quantos quilômetros são necessários para separar dois corações e uma história?

Não se separam, eu respondo pra mim mesmo.

Há tempo q não damos mais ouvidos às críticas. Encontramos forças em nós mesmos e nos que sabem o quanto nos gostamos. Acredito que nenhuma forma de amor, sendo amor mesmo, merece ser julgada. Tantos por aí que se veem todo dia e não valorizam estarem perto um do outro. Talvez seja uma diferença boa de quem tenha a chata distância no meio. Não temos tempo a perder com briguinhas. Juntos, só queremos saber de amar e ser feliz.

É claro que ciúmes e alguns defeitos existem. Qual amor que não os tem?

Chego ao meu destino e me sinto renovado. É bem provável que, a essa hora, você já esteja de pé fazendo suas coisas. Fecho os olhos e, na telepatia que temos, tenho certeza que também lembra do gosto do beijo e se assusta, abrindo um sorriso. Prometo, pequena, que um dia essa agonia de ficar longe acaba.

Um dia te levo embora junto comigo.

Gustavo Lacombe

Você deve estar se perguntando agora se esse texto vai ser romântico ou vai lhe ensinar algo, mas esse texto é apenas tudo o que você precisa saber e o que não deveria esquecer.

Foi como hoje, um dia de tarde, normal, ela falou com ele. Estavam em um Restaurante famoso, e como visto apenas pessoas de classe alta frequentavam o Lugar. Ela estava lá, e ele também. Estava sentada em uma das mesas redondas, coberta com um pano vermelho, combinava com seu batom e seus olhos _ Verdes, Azuis, ou apenas claros _ Nos quais ele sempre se confundia, brilhavam intensamente. Ele é um garçom, servindo a mesa onde se encontram o amigo de trabalho mais sua namorada e o namorado dela. Ele não se sentia constrangido, porque ainda não a olhou nos olhos, e ela sabia que ele trabalhava ali. Após servi-los, ele pediu licença e foi direto para a porta dos fundos, tomar um ar e/ou apenas parar para observar o céu, já estava alaranjado, como se a noite estivesse chegando. De repente ela aparece ao lado dele, sem palavras, somente olhou para ela, e ela tomou iniciativa:

- Oi. Disse Ela com uma expressão nervosa.
- Olá, tudo bom?
- Sim, eu vi que tinha saído, então vim falar com você.
- Seu namorado pode sentir sua falta, não quero que ele pense algo de errado sobre mim e você.
- Eu sei, mas olha, eu não ligo.

Ele ficou com Mil duvidas após ela ter dito isso. E então se virou em sua direção e perguntou:

- Do que tem medo agora?
- Medo?
- Sim.
- Como assim?
- Você tem medo de gostar de mim novamente?
- Não é medo, eu só acho que não temos mais nada haver.
- E o que te levou a vir falar comigo?
- Eu queria saber como você estava!
- Se preocupa comigo?
- Sim, mas é isso, somente, não quero tentar de novo.
- Como está tão certa disso, você nem tentou, nem se quer ainda se encontrou comigo de novo.
- E nem quero tentar.

Ele franziu as sobrancelhas e disse:

- Deixa eu te mostrar, que eu posso fazer você sentir tudo aquilo outra vez.
- Mas já faz quatro anos, não tem mais nada haver nós dois!
- É eu sei, quatro anos, mas olha, eu namorei com duas mulheres ao longo desses anos e não tirei você da minha cabeça.
- Duas? Exclamou ela. Em sua face, uma expressão indignada.
- Foram mais que duas! Você tirou sim.
- Não, se eu tivesse tirado, eu não te procuraria sempre.
- Você só me procurava quando estava carente, de vez em quando e pra ser exata, de 3 em 3 meses.
- Sempre quando eu te procurava você me pedia para eu desistir, Sempre! Mas eu nunca desisti de nós dois!
- Não? Ela derramou uma lagrima de seus olhos verde-mel e ele inclinou a cabeça para baixo, como um condenado, e com uma voz trêmula ela Falou:

- Você não está comigo agora, você não estava comigo em minha casa, você não está na mesa comigo agora, você está sempre longe de mim!
- Eu sei. Disse ele silenciosamente.
E com o mesmo ar de arrependimento ele disse:
- Não vou desistir e você sabe disso.
- Não vai rolar.
- Eu espero!
- Nunca deu na verdade.
- Agora pode dar!
- Eu não sou mais uma garota, que acreditava em príncipe e conto de fadas.

Neste momento, ele olhou em seus olhos e disse balançando a cabeça:

- Eu posso não ser mais um príncipe no cavalo branco... Mas não há ninguém melhor para cuidar de você e te fazer feliz.

Eles ficaram se olhando por um bom tempo. Ele percebeu que já estava de noite quando olhou novamente para o céu e então ele disse:

- Vai! Você precisa ir.
- Eu sei... Eu vou.

E então ela estendeu a mão para ele, ele pegou em sua mão e a puxou para abraça-la, um acontecimento que ambos não iriam esquecer nunca, e sabiam disso; Ainda abraçados ele sussurrou no ouvido dela, "Me perdoa por ter te deixado.", ela o largou segurou em suas duas mãos e afirmou:

- Eu Já perdoei, mas não vou esquecer.
E de uma forma conformada ele disse:
- Eu sei disso.

Ela voltou para a mesa onde estava seu atual namorado e os amigos, e Ele continuou do lado de fora olhando para o céu e então o namorado dela pediu a conta, pagou tudo e foram para o carro do lado de fora. No momento em que ela ia embora, o avistou da janela do carro. Ele estava chorando, não tinha ideia de quando ia vê-la de novo, mas ele se lembrou do olhar dela, quando a viu embora pela primeira vez, eram apenas adolescentes e não podiam fazer nada para poderem se ver novamente, pois moravam longe, muito longe um do outro e isso não era uma barreira para o que eles sentiam. Um amor verdadeiro, que ao passar dos anos, insistiu em seus corações, porém, não teriam como ficar juntos e cada um seguiu sua vida. Mas ele sabe que ela o escolheu. Ele sabe que ela é o amor de sua vida e ela nunca deixou de pensar nele, porque nunca sentiu nada igual com outro homem e vice-versa. Um feito para o outro. Vivendo e apanhando do orgulho. Será que valia a pena? Será que por ela estar feliz ele se sentia conformado? Há mais respostas em atitudes que palavras. Eles podiam não mais se ver, mas não iam esquecer e não pensariam em outra coisa além de estarem juntos, porém, ele queria vê-la feliz, e pedia a Deus, todas as noites olhando para o céu, que ele fosse o motivo de sua felicidade.

Gabriel Vieira

TEXTO:

Sentir falta.

As vezes é inevitável sentir falta de alguém e muitas dessas vezes não vale a pena, é alguém que nos magoou, alguém que mentiu, que omitiu, que fez o que não era pra ser feito ou simplesmente não te amou como você merecia ser amado. Assim como é inevitável sentir falta, também é inevitável perder tempo com pensamentos que deveriam estar bem distantes, e aquela pergunta em querer saber até quando os pensamentos irão atormentar e tirar a tranquilidade de seguir em frente sem precisar desse sentimento, sentimento de sentir falta.

Sentir falta de quem nos faz bem já dói, imagina sentir falta de quem não merece receber nada, muito menos um sentimento tão bom como esse, de saudade. A saudade bate e você apanha até cansar, e quando a gente cansa de apanhar vem a cicatriz que é eficaz, enquanto não sara, dói. Dói chorar pelo tempo perdido, pela mágoa que criamos em quem realmente nos ama, e o arrependimento de ter cedido, de ter feito essas burrices. Eu tenho certeza que seria bem melhor se não tivesse conhecido certo tipo de pessoas, de não ter ido em certos lugares ou ter respondido alguns sorrisos. As pessoas sentem prazer em magoar, elas ferem seu coração sorrindo, te deixam chorando e vão embora numa rapidez que te faz pensar ser o último romântico, o último apaixonado.

Mas agora é tarde, tudo passou e graças a Deus restou o aprendizado. Erros são cometidos uma vez, na segunda é burrice e isso é uma lição, pois ninguém tem o direito de chegar e ter você sorrindo e depois ir embora te deixando a chorar, ninguém pode quebrar assim um coração que sempre lutou pra ficar inteiro, ninguém tem o direito de minimizar o seu sorriso. Siga sempre sorrindo, reze por quem tem fez chorar um dia, peça Deus piedade pra essa gente estúpida e lamentável, peça Deus que seu amor próprio transborde atingindo esse ''ser'' que não sabe o que é ter amor em si.

Tati Bernardi

TEXTO!

Garotos - Gustavo Lacombe

Tudo treme. Parece que é a primeira vez. Parece que sou um menino assustado que não sabe onde colocar as mãos. A testa sua, os olhos piscam mais que o normal e não consigo falar. A língua enrola e faz as palavras tropeçarem antes de saírem da boca. Ainda mais agora, que ela tira a blusa e monta em cima de mim. Pele, barriga, peitos e músculos retesados segurando meu cabelo com direito a poses. E posses.

Vai me levando aonde quiser.

Esqueço o antes. As posições inventadas com outras, os dentes cravados no pescoço, as unhas arranhando as costas, os orgasmos barulhentos ou silenciosos. Nada importa agora. O mistério é tudo que pesa sobre mim. Sinto a dobra do lençol amarrotado marcar meu corpo, mas logo ela me puxa e vai comandando as ações. O antes esquecido, sou como um papel em branco pronto para ser rabiscado pelo amor que ela quer fazer agora.

De repente, seus olhos param nos meus e parecem apresentar um convite. Não basta apenas sugerir o que acontecerá (ainda mais sabendo que, se ela quiser, para tudo no meio e me deixa na vontade), é preciso ter permissão para ir com ela. Desconfio. Não sei se aquilo é uma mão estendida para seguir rumo ao fecho do seu sutiã e jogá-lo no chão ou uma armadilha para me fazer querer mais. Ela é capaz de qualquer coisa, eu sei. Do imprevisível ao clichê. Tudo é dela.

Resistir?

Mastiga meu juízo e sentido com fome, mas sabendo que é preciso saborear o prato. A refeição, no caso, é temperada com o meu jeito de não saber o que fazer e a cara de bobo que a diverte. Hoje a noite é dela e eu sou seu palhaço. Tentação é mordê-la e comer o perfume com cabelo, beber nossas confusões de pernas e braços, não ter ideia do que é o “não”. Garotos (como eu), por mais espertos que sejam, só sabem dizer “sim” a certas mulheres. Mulheres como ela.

Não adianta apelar. Perto dela, sou só um garoto, preso e devorado, que não se importa mais com nada.

Apenas preocupado em segui-la aonde seus truques queiram me levar.

Gustavo Lacombe

TEXTO:

Se eu fosse você, continuaria me preservando. Sabe por quê? Porque se entregar ao amor é doloroso. A gente dá a cara pra bater e apanha, sendo recíproco ou não. Até mesmo quando correspondido, a outra pessoa desliza, comete um erro. Quem nunca erra? Me diz. Quem é tão perfeito assim que não provoca uma briga, não sente um ciúme? Acaba, num momento infeliz, falando ou fazendo uma besteira? Quem?

Fica na sua, procura outra pessoa. Esse que tá aí atrás de você? Esquece! Quem desperdiçou uma chance não merece a segunda. principalmente se você ainda sente alguma coisa. Porque ela sabe, e vai continuar agindo do mesmo modo. Quem acredita que o outro mudou é otário. Ninguém muda! Somos todos iguais na essência e nos mantemos os mesmos. Vide ele: egoísta, mau caráter e um bom mentiroso.

Nunca mudará.

Aproveita e apaga o que vocês já passaram. Até as lições. Tanta coisa pra você guardar e vai levar as burradas que foram feitas só pra, lá na frente, lembrar dele? É, porque se você se recordar da situação, vai acabar lembrando dele. Então, arranca tudo de vez. O que foi bom, o que foi ruim e o mais ou menos. Ninguém precisa de coisas mais ou menos ou mornas.

Agora, eu tô falando o que eu faria. Mas, você sabe, conselho se fosse bom, a gente venderia. E eu to falando isso tudo porque eu gosto de você e não quero te ver sofrendo. Continue, cara. Se preserve. Porque o amor – essa coisa nociva que faz a gente dar segundas chances a quem não presta – só serve pra nos fazer quebrar a cara. De novo, de novo e de novo.

Não insista. Preserve-se.

Gustavo Lacombe

TEXTO:

Não queria alguém que dependesse de mim.

Queria alguém que fosse independente, sabe? Mas – deixa ver se eu consigo explicar isso direito – pela primeira vez na vida, sinto como se alguém precisasse ter a certeza do meu amor pra poder sorrir, poder acordar. Alguém que se completa na reciprocidade que existe em mim. E (ainda que isso pareça exagerado), também pela primeira vez na vida, eu sinto o mesmo.

Há quem chame tudo isso de loucura. É. O que não é o amor se não uma loucura? Digo mais: mesmo que seja só um fogo, uma brasa. Pode ser apenas uma centelha que hoje arde sem pudor no meu peito e parece que será eterna.

Amar é bonito. De todos os caminhos, resolveu o nosso ser assim:

Crescido sem as expectativas de sempre.
Sendo surpreendente como nunca algo foi na minha vida.

Gustavo Lacombe

TEXTO:

Vou te complicar. No próximo abraço, pequena, vou te apertar mais que o costume e vou fazer tua boca encostar meu pescoço. Ali, duvido que teus lábios resistam à tentação que a eles se oferece. Do beijo premeditado, vou dizer alguma coisa no seu ouvido que vai ecoar pela sua cabeça e descer, lentamente, como uma mão atrevida passeando pela barriga até o pé. E depois eu troco de lado, sussurro outro segredo pra compensar o peso. Cada orelha leva uma mordida, uma confidência e um arrepio.

Vou dificultar as coisas pra ti, moça bonita. Assim que te pousar – no próximo abraço vou arrancar seus pés do chão – vou encarar seus olhinhos que já terão se aberto depois daquilo. Cronometrando os segundos em que mantemos contato, num passe de mágica vou sumir com o mundo ao redor. Não importa em que condições climáticas ou emocionais nos encontremos, só restará eu e você no ilusionismo da atração. Aos poucos, num redemoinho, tudo volta ao lugar. Meus braços, relaxando, começam a soltar o seu corpo.

Vou te decifrar mais a cada instante. Com medo que eu te descubra e te apresente a cura (apesar de não existir mal nenhum), você vai ensaiar um passo pra longe, uma repulsão instintiva de quem se sente caçado. Tua mãos, entretanto, ainda comigo em contato, vai ser puxada de volta num leve gesto de quem não quer te deixar ir embora. Agora de costas, ou meio de lado, meio torta, vai evitar me olhar. Nessa hora eu não prometo estar sem sorrir, menina. E quem foi que disse que eu deixaria tua presença feminina, que me desperta e contamina meu ar com um essência tão boa, rapidamente se afastar.

Vou te quebrar. Talvez você não entenda de onde surge a vontade onde só existia medo. Espera o pior de mim, e é bom mesmo que fique esperando. É que mudou alguma coisa, não em mim, mas em nós. E seria tão melhor se tivesse ficado como estava, né? Não. Seríamos cada metade da história vagando por aí, pequena, sem ao menos ter o vislumbre de imaginar para onde escoa esse sentimento.

Gustavo Lacombe

O Senhor Ressuscitou Verdadeiramente – Parte 2

Por Charles Haddon Spurgeon

II. Nosso texto fala expressamente das BUSCAS VÃS: “por que buscais entre os mortos ao que vive? Não está aqui, mas ressuscitou”.
Existem lugares onde os buscadores de Jesus não deveriam esperar encontrá-Lo, independente de quanto sejam diligentes sua busca e de que sincero seja seu desejo. Não se pode encontrar um homem onde ele não está, e existem certos lugares nos que Cristo não pode jamais ser achado. Nesse presente momento vejo muitos seres que buscam a Cristo entre os monumentos do cerimonialismo, ou no que Paulo chamou “os débeis e pobres rudimentos”, pois eles “guardam os dias, meses, tempos e anos”. Desde que nosso Senhor ressuscitou o judaísmo e toda forma de cerimônia simbólica não passam de nada mais que sepulcros, tipos foram ordenados pelo próprio Deus, mas que quando veio à substância mesma dessas coisas, se converteram em sepulcros vazios e nada mais. Desde então os homens inventaram outros símbolos que nem sequer tem a sanção da autoridade divina, e que só são tumbas de mortos. Nessa época presente o mundo foi loucamente atrás de seus ídolos, sendo enganado e iludido por aqueles que têm um zelo por Deus, mas não conforme a ciência. Certamente nunca houve um período, inclusive quando Roma era dominadora, em os homens se apegaram a cerimônias com tanta velocidade como que no presente dia; converteram o cristianismo em um julgo maior de servidão do que foi o próprio judaísmo; porem, uma alma sincera e desperta em vão esperará encontrar Jesus entre essas vãs representações. Elas podem deslizar-se de um dia santo a outro, e de um lugar santo a outro, e de palavras mágicas para outras, porem, não encontrarão ao Salvador em nada disso, pois Ele mesmo declarou assim: “Nem nesse monte nem em Jerusalém adorareis ao Pai… Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” (João 4:23). Jesus rasgou o véu e aboliu a adoração cerimonial, e, no entanto, os homens buscam revivê-las, edificando os sepulcros que o Senhor demoliu. Ele repete aos nossos ouvidos a advertência nesse dia: “Guardai, pois, com diligência as vossas almas, pois nenhuma figura vistes no dia em que o SENHOR, em Horebe, falou convosco do meio do fogo; para que não vos corrompais, e vos façais alguma imagem esculpida na forma de qualquer figura, semelhança de homem ou mulher;” (Deuteronômio 4:15-16). No entanto, certos homens entre nós estão dedicados a levantar os altares que nossos piedosos antepassados derrubaram, e a obra dos reformadores e dos protestantes tem que ser realizada de novo agora. Que Deus nos envie um Knox ou um Lutero com um maravilhoso martelo para fazer pedaços dos ídolos que dos sacerdotes de Baal que estão se levantando! Buscam o vivo entre os mortos. Jesus não está em suas missas nem em suas procissões. Ele ressuscitou muito além de tal adoração carnal. Se Ele fosse um Cristo morto, tal adoração poderia até ser, talvez, um apropriado desfile sobre Sua tumba, mas para um que vive para sempre, deve ser insultante apresentar um serviço tão materialista.
Mas, ai, existem muitas outras pessoas que estão buscando a Cristo como seu Salvador entre as tumbas da reforma moral! Nosso Senhor comparou os fariseus com sepulcros caiados; internamente estava cheios de ossos, mas exteriormente estavam formosamente adornados. Ó, de que forma os homens tratam de se branquearem quando se colocam intranquilos quanto as suas almas! Renunciam algum pecado grave, não de coração, mas somente em aparência, e cultivam certas virtudes, não de alma, mas somente por ato externo, e assim esperam ser salvos ainda que sigam sendo inimigos de Deus, amantes do pecado e avarentos buscadores da paga da injustiça. Esperam que o exterior limpo do vazo e do prato satisfaça o Altíssimo, e que Ele não seja tão severo para revisar o interior e provar seus corações.
Ó senhores, vocês buscam ao vivo entre os mortos? Muitos têm buscado paz para suas consciências por meio de suas reformas morais, mas se o Espírito Santo os convenceu verdadeiramente de pecado, logo eles descobrirão que estavam buscando um Cristo vivo entre as tumbas. Ele não está aqui, pois ressuscitou. Se Cristo estivesse morto, muito bem poderíamos dizer-lhes: “Vão e façam tudo que possam para serem seus próprios salvadores”; porem, entanto que Cristo está vivo, Ele não precisa de sua ajuda. Ele os salvará de princípio a fim, ou não o fará de forma alguma. Ele será o Alfa e o Ômega para vocês, mas se vocês colocarem suas mãos sobre Sua obra e pensarem que podem ajudar ao Senhor de alguma maneira, você já teriam desonrado Seu santo nome, e Ele não teria nada que ver com vocês. Não busquem uma salvação viva entre os sepulcros da formalidade externa.
Muitíssimas pessoas também estão esforçando-se para encontrar o Cristo vivo entre as sepulturas que se aglomeram aos pés do Sinai; elas olham para lei buscando vida, mas o ministério dela é morte. Os homens pensam que devem de ser salvos guardando os mandamentos de Deus, que devem fazer o melhor que podem, e concebem que seus esforços sinceros serão aceitos, e que assim se salvarão por eles mesmos. Essa ideia de justiça própria é diametralmente oposta ao espírito do Evangelho. O Evangelho não é para você que crê que pode se salvar a si mesmo, mas para os que estão perdidos. Se você pode salvar a si próprio, anda a faz isso, e não burle do Senhor com suas hipócritas orações. Anda e tropeça entre as tumbas do antigo Israel, e pereça como eles pereceram no deserto, pois nem Moisés nem a lei podem conduzi-los ao repouso. O Evangelho é para os pecadores que não podem guardar a lei, que a quebrantaram e que incorreram em seu castigo, e que sabem o que o fizeram e o confessam. Para tais pessoas veio um Salvador vivo que apaga suas transgressões. Não busquem a salvação pelas obras da lei, pois por elas nenhuma carne vivente será justificada. Pela lei vêm o conhecimento do pecado e nada mais; mas a justiça, paz, vida e a salvação vêm pela fé no Senhor Jesus Cristo vivo e não por outros meios. “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo”; mas se o seu propósito for estabelecer sua própria justiça, com toda certeza você perecerá, porque terá rejeitado a justiça de Cristo.
Existem outros que buscam ao Jesus vivo entre as tumbas tratando de identificar algo bom na natureza humana, em seus próprios corações e em sua disposição natural. Posso vê-los agora, pois o conheci desde muito tempo, e essa tem sido sempre sua insensatez: você irá ao ossuário de sua própria natureza e perguntará: “Jesus está aqui?”. Amado, você está triste e deprimido, e isso não me surpreende. Olhe aqueles ossos secos e esses esqueletos embranquecidos. Olhe esse monte de podridão, essa massa de corrupção, esse corpo de morte; você pode tolerar o espetáculo? “Ah” você responde – “eu verdadeiramente sou um homem desventurado, mas anelo achar algo bom em minha carne”. Ó amado, suspiras em vão, pois olhar em sua própria natureza carnal para encontrar consolação equivale a vasculhar o inferno para encontrar lá o céu. E aqui, nesse dia, Deus abandonou à velha natureza e a entregou à morte. Sob a antiga lei, a circuncisão significava remover a imundícia da carne, como se depois que essa imundícia desaparecesse a carne pudesse ser melhorada, mas agora, sob o novo pacto, temos um símbolo muito mais profundo, pois “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida”. (Romanos 6:3-4). O homem velho está enterrado como algo morto, de quem não pode sair nada de bom. “Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado” (Romanos 6:6). Deus não tenta renovar a velha mente carnal, mas faz de nós novas criaturas em Cristo Jesus. Se qualquer homem que pratica a introspecção com o alvo da consolação, bem poderia acumular blocos de gelo de Wenham com intenção de queimar uma cidade. Se vocês estão dando corda para seus corpos e sentimentos, para seus pensamentos e imaginações com o fim de descobrir consolo, é como se esperassem encontrar preciosos diamante varrendo as estradas. “Não está aqui”, diz a totalidade de nossa velha natureza. Não está aqui; ressuscitou; e para consolação, devem olhar unicamente para Ele, que está entronizado nos céus.
Ademais, muitas pessoas tentaram encontrar Cristo no meio das sombrias catacumbas da filosofia do mundo. Por exemplo, no Domingo lhes encanta receber um sermão saturado de pensamento, e o significado moderno de pensamento é algo que está mais além, se não é que oposto, ao simples ensino da Bíblia. Se um homem fala para sua congregação do que encontra nas Escrituras, é dito que ele “fala banalidades”; mas se um homem diverte sua congregação com seus próprios sonhos, sem importar quão opostos pudessem ser dos pensamentos de Deus, então é considerado “um pensador”, é um “pregador altamente intelectual”. Poderia até existir alguns que amem as divagações dos sonhadores e as durezas dos céticos acima de todas as coisas. Se eles podem ouvir o que um professo infiel diz contra a Inspiração, se podem ser entretidos com a mais recente blasfêmia, alguns destes ouvintes sentem que estão logrando avanços nessa cultura mais sofisticada, que é tão alardeada em nossos dias. Porem, creiam-me, as cavernas frequentadas pelos morcegos da falsa filosofia e da pretendida ciência foram exploradas uma e outra vez, mas a salvação não habita nelas. Nos dias de Paulo havia gnósticos que andavam por todos os serpeantes lugares de erudição vangloriosa, mas só descobriram “outro evangelho que não era outro”. O mundo não conheceu a Deus pela sabedoria. Depois de perambular em meio das sombrias catacumbas da filosofia, regressamos a respirar ao fresco ar fresco da Palavra vida, e no tocante aos labirintos da ciência, expressamos com voz entrecortada a frase: “o Senhor não está aqui”. A razão não O encontrou em suas mais profundas minas, nem a especulação O achou em seus mais elevados voos, ainda que de verdade, Ele não está longe de nenhum de nós. Atenas tem seu Deus desconhecido, mas, no simples Evangelho, Deus é conhecido na pessoa de Jesus. Sócrates e Platão sustentam suas velas, mas Jesus é o sol. Nossos pensadores modernos criticam, disputam e, no entanto, em nosso meio, um Cristo vivo converte os pecadores, anima aos santos e glorifica a Deus. Se o Senhor fosse um tema morto para debate, a filosofia poderia nos ajudar; mas como Ele é um poder vivente, um grão de fé Nele é melhor do que montanhas de filosofia.
Ó vocês que não conhecem a vida interior, nem o Espírito vivificador, o que vocês têm haver com o Senhor ressuscitado? Que vocês se convertessem nos árbitros da verdade concernentes a Jesus nosso Senhor equivaleria que o verme da corrupção se convertesse em um juiz de querubins.
Eu ansiosamente desejo, verdadeiramente, que vocês que estiveram buscando a salvação em qualquer dessas direções renunciem a essa desesperada tarefa e entendam que Cristo está perto de vocês, e se vocês creem Nele com o coração e com a boca o confessam, serão salvos. “Olhai para mim e seus salvos, todos os términos da terra, porque eu sou Deus e não há outro”: esse é o clamor Dele para vocês. “A fé é pelo ouvir, e o ouvir, pela palavra de Deus”. “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo”, Jesus ainda vive, e pode salvar perpetuamente. Tudo o que se tem que fazer é simplesmente voltar para Ele o olhar de sua fé: por essa fé, Ele se converte seu, e você é salvo, mas, ó, não busque entre os mortos Aquele que vive, pois Ele ressuscitou.

Charles Haddon Spurgeon

Título: Canção do último verso.

O texto era nublado,
o luzidio era obscuro.
E o soneto retumbava,
num lugar que taciturno.

De repente meu amor,
no súbito das cores em prosa.
O sofrimento era louvor,
naqueles olhos cor de rosa.

De repente fez da vida,
o que se fez cantando.
Da mansidão a que aflora,
numa lamúria a que em pranto.

Num amiúde de ópera,
num amor não descoberto.
Nas fotos de um amor passado,
canção do último verso.

danielmuzitano