Texto de reflexão

Cerca de 1588 texto reflexão Texto de reflexão

Título: Texto em vinil.

Quando eu andava em Ipanema,
escutava o soneto de Vinícius.
Quando o mar não mais chorou,
a chuva formou lascivo.

Dos raios de arpoador,
da arte em âmago.
Da composição do amor,
do pensamento a que pairando.

Eu vejo as pessoas abrindo mão da vida,
com essa tecnologia tola nos bares.
Falta idolatrar o viver,
falta desligar os celulares.

O amor pede auxílio,
o poema sempre e quando.
É imergir na boêmia,
e seguir sempre cantando.

O amor é um singular que forma o plural da felicidade,
por tudo o que se for,
para sempre eternidade.

danielmuzitano

Não é mais um texto sobre protesto, é sobre pessoas. E que tipo de pessoa você é?

Existe o tipo de pessoa que só fala e nada faz .Grita, bate, quebra " xinga", quer mudança...Mas é incapaz de apanhar o cocô do cachorro quando caminha no calçadão de ponta negra.
Fala bonito sobre corrupção, sabe o nome de todos os corruptos da história do Brasil, mas é só tomar umas caipirinhas no veraneio, que paga alguém pra dirigir seu carro do circo da folia " até depois da viatura da polícia " .
É o tipo de pessoa dourada do sol, que diz ter orgulho de ser potiguar, mas chega sábado, na praia com os amigos, " tomando uma de cana com uma banda de caju" e deixa o lixo ser levado pelo mar. Sem o mínimo de culpa, sem o mínimo de consciência pesada.Remorso.
Esse tipo de pessoa, que fala, fala e nada faz, é do tipo " marido reclamão" exige que a casa esteja limpa, mas na hora de passar a vassoura, xiiii, corre e varre todas as migalhas pra debaixo do tapete.
É do tipo pessoa "mudança" Mudança de pensamento, atitude e discurso!
É o tipo de pessoa que precisa sempre ouvir: Muda, que quando você muda ,tudo muda.

*Não é mais um texto sobre protesto. É sobre pessoas.

Vivian Galvão

Um texto definindo o hoje
“Não, eu não sou apaixonável. Não faço o modelo preferido dos outros, não sou a mais desejada e muito menos a escolhida da maioria. Não agrado a todos e também não costumo me esforçar para isso. Sou um ser estranho, desastrada ao extremo e dez vezes mais complicada. Admiro os poucos que se adaptam ao meu jeito. Não sou fácil, hora tô de bem, hora tô emburrada. Mas se você fizer uma forcinha vai conseguir tirar um sorriso, e até mesmo um cafuné meu.”

Natasha Roosevelt

Tenho me corrigido, diariamente, como um texto mal escrito. Poderia apenas corrigir. Poderia, além do mais , apenas ser mau e ser escrito – uma fábula sem moral, penso eu. Poderia ter sido um texto, daqueles que faltam acentos nas palavras e que não têm vírgulas, mas têm ponto final. Inclusive, esse texto foi escrito inicialmente sem pontos, como numa costura retalhada de pensamentos soltos e picotados.
Corriqueiramente, há suicídios gramaticais: há muito erro em mim. Em mim, há muito o que ser escrito, apagado e prolixo. A quem me escreve, peço que salte linhas pois, assim, terei mais espaços. Sou uma oração espaçosa. Ore por mim!
Perceba atentamente que há muitas vírgulas nesse texto que, por fim, sou eu. Num mito ortográfico, elas representam pausa. Na minha vida, elas são separações de fatos que não têm como separar. Não sei se deixar-me sem os pontos trará uma liberdade sem destino. Por instinto, sempre concedo-me limites às interrogações, porém a dança da vida segue em ritmo de et ceteras. Releia sem reparações.

Fabrício Hundou - um autor desconhecido.

Procurei uma frase para iniciar este texto e resolvi falar essa: "eu tenho a melhor namorada do mundo"

vou te falar um pouco dela.
Ela é linda, minha princesa.
É timida, e eu amo isso nela.
Ela é muito sensivel, o que me faz ama-la mais ainda.
Ela é romantica, o que a deixa mais linda ainda.
É muito modesta, toda linda e se acha feia.
Mas sei que no fundo ela se acha bonita.
(...) A menina mais linda (...) do mundo todo.
Sei que parece exagero, mas nao é.
Eu a amo muito, mais que tudo. Nunca trocarei ela por nada nem por ninguem.
Eu ja falei o quanto a voz dela é linda? (...)

Entao, eu falando tão bem dessa,menina linda, a melhor namorada do mundo, você pode perguntar: como uma mulher dessa pode te amar?
Quem nunca ouviu falar em milagre? Obra de Deus?

Cada dia que passo fico mais apaixonado por você, meu Amor. (...)

Ezequias Clarindo

O SEGREDO DESTE TEXTO
16 de outubro de 2011 às 10:09


Sem nenhum tropeço, posso escrever o que quiser sem ele, pois rico é o português e fértil em recursos diversos, tudo permitindo, mesmo o que de início, e somente de iníciO, se pode ter como impossível. Pode-se dizer tudo, com sentido completo, como se isto fosse mero ovo de Colombo.
Desde que se tente sem se pôr inibido, pode muito bem o leitor empreender este belo exercício, dentro do nosso fecundo e peregrino dizer português, puríssimo instrumento dos nossos melhores escritores e mestres do verso, instrumento que nos legou monumentos dignos de eterno e honroso reconhecimento.
Trechos difíceis se resolvem com sinônimos. Observe-se bem: é certo que, em se querendo, esgrime-se sem limites com este divertimento instrutivo. Brinque-se mesmo com tudo. É um belíssimo esporte do intelecto, pois escrevemos o que quisermos sem o "E" ou sem o "I" ou sem o "O" e, conforme meu exclusivo desejo, escolherei outro, discorrendo livremente, por exemplo, sem o "P", "R" ou "F", ou o que quiser escolher. Podemos, em estilo corrente, repetir sempre um som ou mesmo escrever sem verbos.
Com o concurso de termos escolhidos, isso pode ir longe, escrevendo-se todo um discurso, um conto ou um livro inteiro sobre o que o leitor melhor preferir. Porém mesmo sem o uso pernóstico dos termos difíceis, muito e muito se prossegue do mesmo modo, discorrendo sobre o objeto escolhido, sem impedimentos.
Deploro sempre ver moços deste século inconscientemente esquecerem e oprimirem nosSo português, hoje culto e belo, querendo substituí-lo pelo inglês. Por quê?
Cultivemos nosso polifônico e fecundo verbo, doce e melodioso, porém incisivo e forte, messe de luminosos estilos, voz de muitos povos, escrínio de belos versos e de imenso porte, ninho de cisnes e de condores.
Honremos o que é nosso, ó moços estudiosos, escritores e professores. Honremos o digníssimo modo de dizer que nos legou um povo humilde, porém viril e cheio de sentimentos estéticos, pugilo de heróis e de nobres descobridores de mundos novos.

Descobriu?


Veja a resposta abaixo













O texto não tem a letra A.

Desconhecido

ESCREVER...

Escrevo porque aqui, nessas linhas, posso ser eu. Escrevo porque o texto me compreende, muitas vezes melhor do que pessoas. Escrevo como se minha dor fosse embora junto com as palavras. Quando meu grito é abafado lá fora, venho e grito aqui dentro. Grito meus sonhos, meus amores, meus medos, meus anseios. Grito sem medo. O texto me explica, me lê. Extrai coisas de mim que eu nem sei, e acabo descobrindo aqui. Talvez uma parcela de gente nunca entenda quão prazeroso é escrever. Escrever vai além de riscar folhas. Escrever é ser você em um pedaço de papel. É poder contar suas histórias tristes e alegres sem ser interrompido. É ter um ombro também pra chorar quando não se acha ninguém por perto. Escrever sobre escrever parece redundante. Mas e daí? Escrever é ser livre. Livre pra ser exagerado. Livre pra ser sentimental. Livre pra amar. Livre até pra voar. Até quando eu ainda tiver coordenação motora nas mãos irei escrever. Até quando minhas mãos estiverem trêmulas irei escrever. Entenda ou me ache louca quem quer. Eu irei escrever também sobre o quão tolas são as pessoas que acham que não sabem escrever. Ora, escrever não é ser você? Então. Simplesmente seja você em linhas. Ah. Vá entender!

Amanda Drielly

Sonho Real

‘’Inicialmente, esclareço que qualquer identificação com esse texto, sem dúvida é uma coincidência, pois o mesmo se trata de uma mistura de sonho com uma pitada de realidade.

Vejamos...um dia,numa pequena e pacata cidade,avistei de longe uma bela figura feminina ,que aos poucos foi se aproximando,cabelos negros compridos,tão linda,tão simples,uma beleza sem maquiagem,literalmente,e eu fiquei absolutamente hipnotizado,encantado,e me dei a liberdade de desejá-la,de imaginá-la em meus braços.

Aproximando-se rapidamente, logo ela estava perto de mim, senti o cheiro,um cheiro de flor no campo,cheiro do mais belo perfume que se possa imaginar,e eu ali,ainda parado,ainda tentando entender quem era aquela bela moça:branca,pura,meiga,tímida,meio menina,meio mulher e isso foi tudo o que me saltou aos olhos naquele primeiro momento.

No passar dos dias, não conseguia tirá-la da cabeça, não conseguia mais pensar em outra coisa há não ser naquele sorriso encantador que aquela simpática moça me dera,no dia em que há vi pela primeira vez,e eu tinha que vê-la novamente,tinha que falar com ela,tinha que me aproximar dela.

No vai e vem dos dias, como num passe de mágica,tudo foi acontecendo conforme eu imaginava,após conversas e mais conversas,ouvi a sua voz pela primeira vez,foi como se tivesse escutado a mais bela canção,a mais linda melodia que meus ouvidos já escutaram e agora sim, estava há um passo de ter aquela moça em meus braços.

Anoitecendo, numa tarde de domingo em um verão qualquer, deu-se então o primeiro encontro, claro que tenso, pra não dizer tímido nos primeiros momentos,mais aos poucos o gelo foi derretendo e quando dei por mim,já estava beijando aqueles lábios que tanto desejei,estava tocando aquela pele lisa,branca como um algodão,que tanto minhas mãos queriam...Daí em diante,vieram bons momentos,vieram outros encontros,vieram beijos com sabor de chocolate,beijos com carinho,sinceridade,admiração,respeito,ela se tornara meu bem,talvez meu mal,na contramão disso,vieram algumas brigas,talvez desconfianças,talvez precipitações,antes disso,não poderia me esquecer dos beijos e carícias no escuro do cinema,vendo aquele filme que não tenho a menor idéia do nome,mas enfim,havia vivido tudo aquilo que imaginei desde o princípio ao lado daquela bela moça...

Amanheceu... e então, com o sol batendo em meu rosto,numa manhã quente,acordei e senti que me faltava um pedaço,me faltava algo,que alguma coisa havia acontecido e eu não sabia o que era,até que aos poucos comecei a me lembrar do sonho que havia tido na noite anterior,um sonho que me parecia real,mas que por algum motivo havia terminado...

Mas eu tenho certeza de que vivi tudo aquilo, de que aquela moça realmente existia e com o passar do tempo,descobri que ela realmente existia,existia em meus pensamentos, nos meus sonhos e se querem saber,ainda há encontro,ainda vejo aquela bela moça: pura,meiga,tímida,meio menina,meio mulher,ainda há vejo todos os dias,para isso fecho os olhos e começo a sonhar,fazendo com que ela apareça mais uma vez,com seu sorriso perfeito,suas curvas vistosas,seu olhar singelo,até me despertar numa manhã de um novo dia,não vendo a hora da noite novamente chegar,para me encontrar novamente com ela...

O meu sentimento por ela?É bem difícil de entender, mais complicado ainda de explicar, só posso dizer do que sinto, me sinto bem e feliz cada vez que sonho e penso nela,diante disso,posso imaginar que,se não entendo,não posso explicar e apenas sinto,é amor sim,pois só o amor consegue unir todas essas situações em torno dele.

Vale a pena sonhar...é o que posso concluir de todo esse surrealismo todo.

Como disse no início, esse texto trata apenas de um sonho, somente isso, portanto,qualquer semelhança será uma mera coincidência.’’

Bia82

(Esse texto é pura expressão e interpretação. um grande amigo meu o fez, com seu coração. VALE a leitura. abraço)


E o amanhã? Ainda estaremos aqui? Consideramos bom ou ruim o que já foi vivido? O que mais vai pesar no dito "Carpe Diem" quando já estiver acabado? Tantas perguntas que, via de regra, são capazes de transformar de imediato todo e qualquer pensamento de um ser humano e até mesmo mudar sua forma de agir. Pessoas vivem por viver ou apenas sobreviver, suavizar a dor da rotina e do cotidiano, seja profissional, seja familiar. E ais que existe mais uma pergunta: Qual é a base fundamental para suportarmos e absorvermos a agonia de viver num âmbito transtornado? Tanto faz, o egoísmo toma conta do ser humano que em qualquer momento crítico, por instinto de sobrevivência, pensará somente em si e em tentar resolver a sua aflição. A natureza fez o homem assim, em querer se transformar, assim como no mundo animal, o mais forte. Contrapartida, o respeito é deixado de lado por motivos simples assim como as condições perfeitas para viver harmoniosamente já estão praticamente extintas. Mas e aí, e o amanhã? Mais uma vez, o que fizemos? Deixamos nosso "legado"? Nossa falta será sentida? O que é preciso pra parar essa firme constância de procurar a felicidade em vez de vivermos pra que ela surja de forma natural? Somos frágeis e por isso capazes de sermos alvos fáceis dos perigos do mundo. Nem todos temos pensamentos iguais e todos nos seus respectivos atos agem de forma única sem olhar em torno de si. Qual a diferença dos que deixam e dos que não deixam sua marca? Quem realmente vai estar conosco até mesmo quando não estamos junto ao mesmo? Realmente, o que vem a tona hoje é: E se eu morrer? Como será depois da minha morte? Não existe explicação. Não temos que isso não temos que aquilo, nossas ações não são por obrigação. Necessidade? Talvez, mas sim por conforto e alívio da dor duma alma sofrida. Todavia, qual é a intenção da guerra e dos inocentes que fazem parte? A guerra pode ser interpretada em vários ambientes, mas a mais cruel e obscura é a sociedade. Quem nós fazemos felizes até mesmo na guerra? Quando morremos nessa guerra, quem vai lembrar que lutou até o fim ao nosso lado? Deus criou o homem ou o homem criou Deus? "Ameno dori me", é o que uma alma suplicava ao soldado entrincheirado Austro-Húngaro na última batalha da Sérvia. Mas será que não é isso que pedimos hoje também na nossa guerra? "Ameno dori me", porque amanhã não será igual a hoje, podemos ou não continuar na guerra, podemos ou não ser atingidos pela metralhadora que existe na sociedade e em qualquer momento sermos baleados. O imortal é esta vida, este momento. Façamos então, valer a vida e de algum jeito tentar marcar, até mesmo por um segundo qualquer, o pensamento de quem está ao nosso lado, porque amanhã...quem sabe?

Tiago Rafael do Nascimento

Gustavo Gantes

(Achei esse texto na web, achei bem interessante. ai ta ele. abraço)




Por mais que se queira e se pense ser possível conhecer verdadeiramente o amor, na verdade isso não acontece. O amor surge entre duas pessoas, e para compreender o sentimento que essas duas pessoas podem nutrir era preciso conhecer em particular cada pessoa e todo o seu comportamento. O amor é aquele bicho de sete cabeças que nos aprisiona e nos mantêm reféns até não termos nem uma gota de amor no corpo.

O amor é sobre sacrifícios, é sobre aceitar as ideias da outra pessoa, compreende-las e lutar por essas mesmas ideias ou então apresentar as nossas. É sobre amar e mostrar que se ama. É apoiar e mostrar-se que existe alguém presente. No fundo amor é a menor distância mas também a mais ténue entre duas pessoas.

Quando acharem que descobriram ou entenderam o amor, desistam porque o vosso amor não tem mais brilho. O amor não se compreende, é como uma surpresa diária em que tudo pode acontecer sem estar-mos preparados que aconteça. O amor é também sofrimento, pois nem sempre é possível fazer com que outro coração transmita o mesmo sentimento que o nosso. O amor por vezes é parvo pelo facto de duas pessoas se amarem e não viverem o que cada um tem para dar ao outro. Mas é o amor.

Entender o amor é crime, é como deixar de amar, porque o que se sente não se compreende, apenas se deixa mostrar. Por isso amem e sintam o mais forte que possam sentir, o sofrimento pode ser forte, mas é pior não ter sentido, na hora de partir.

Gustavo Gantes

Memorize O Pânico do Alto Astral;texto sinceramente sincero!!!

Quando uma pessoa te olha você sente frio na barriga,pois,qualquer sentimento guardado vira uma palavra frutífera do ser-humano.

Tem vezes que nós achamos que amamos uma pessoa.Mais, têm vezes que nós somos influenciados mesmo sem gostar da pessoa só que, quando você realmente encontra o seu verdadeiro amor nota que aquela primeira paixão foi apenas uma influência. (Baseado em fatos reais)

E SE VOCÊ AMA ALGUÉM FAÇA O TESTE PORQUE ÀS VEZES NÃO É A PESSOA QUE VOCÊ ACHA QUE É!!!

Fernanda Souza

Devo confessar que o motivo pelo qual redijo esse texto, é sem duvida um pouco cômico, pra falar a verdade, cômico demais. Era uma quinta-feira normal, quando eu decidi não me reunir com meus colegas, e não cantar o hino nacional na minha admirável escola. Por esse motivo tive como obrigação, escrever um texto de no mínimo 25 linhas com os seguintes temas: Patriotismo and Integração Social.
O resultado dessa pesquisa definitivamente arbitraria, compartilho com vocês agora.

Patriotismo é o sentimento de amor e devoção à pátria, aos seus símbolos (bandeira, hino, brasão). Através de atitudes de devoção para com a sua pátria, pode-se identificar um patriota.
Porém para ser um patriota o individuo deve se orgulhar de sua pátria, sua nacionalidade, e porque não se orgulhar do Brasil?
Um país de praias encantadoras, mulatas lindas e vida noturna tentadora. Um país onde todos os anos a grande maioria dos governantes roubam milhões dos cofres públicos e a taxa de violência cresce a cada dia. Então, você é realmente patriota?

Há grande maioria da população só é patriota quando o país esta sendo representado por atletas em uma copa do mundo, quando cantores ou atores nacionais fazem sucesso no exterior ou quando são selecionados para defenderem seu país em uma guerra.

Portanto é mais que necessário que o superficial, bonito, vulgo 'mais importante' de cada país seja deixado de lado, e que possamos parar o observar verdades que sempre estiveram diante de nossos olhos, tais como: miséria, carência na educação, péssima administração governamental.

Pois ser patriota não se restringe apenas a cantar o hino nacional em posição correta, ser patriota é admitir que seu país possui alguma deficiência e não só falar para os outros o que deve ser feito, é preciso agir, é preciso parar de querer mudar a ' casa do vizinho e começar a organizar nossa própria bagunça '.

Nosso País é rico, com certeza uma potencia mundial, o que esta faltando nele é uma sociedade integrada. Precisamos de uma sociedade que haja em conjunto, visando somente o beneficio e aprimoramento da mesma. Necessitamos de um país, em que as leis sejam as mesmas para todos, e principalmente que as penalidades impostas para quem descumpre essas leis também sejam as mesmas.

Todas as pessoas independentemente de sua classe social devem seguir normas e regras de uma sociedade ou de qualquer outro tipo de estabelecimento sem nenhum privilégio por sua condição financeira.
Portanto só haverá integração social e patriotismo quando um individuo se sentir como membro de um grupo social e nele puder expressar suas opiniões sem nenhum tipo de represália.

Pronto, FALEI ;P

Kayque Meneguelli

Pra não dizer que não falei das flores
Sim. Você que resolveu ler esse texto não se confundiu. O título é cópia fiel e descarada do nome da música do Geraldo Vandré. Essas mal traçadas linhas, porém, não tem nada a ver com a canção que se tornou um hino de protesto na luta contra a ditadura militar. São apenas impressões despretensiosas.
Nove em cada dez pessoas já deve ter perguntado “o que fazer para uma relação dar certo?”. Se você, caro leitor, espera que eu responda a pergunta, pode parar de ler esse texto por aqui. Eu não tenho a resposta. Como eu disse ali em cima, tratam-se apenas de impressões despretensiosas, mas com algum conhecimento de causa, lembrando que o que sai da cabeça desse escriba jamais pode ser encarado como regra, talvez até exceção.
Ouvi inúmeras vezes da boca de um ex-governador um ditado valioso: “conversa franca faz bons amigos”. Se eu fosse apostar meu dinheiro na resposta para a pergunta seria nisso: diálogo. Já li em outros textos que, para a relação dar certo, não basta Amor, assim, com letra maiúscula. É preciso mais, dizem alguns. Não que eu discorde, mas pra mim Amor é boa parte da razão do sucesso, assim como a falta dele para o fracasso. Diálogo, porém, é fundamental.
Você, homem ou mulher que está a ler esse amontoado de palavras, acredite, nunca deixe de conversar com seu parceiro. Converse sobre tudo: a noite bem ou mal dormida, o sonho que teve, o dia de trabalho, as frustrações com o seu chefe, a lição dos seus filhos, o capítulo da novela, o resultado do futebol, as desavenças na casa daquela tia, as fofocas na casa daquele primo, os planos para o dia seguinte, os eventos do final de semana, as lembranças do passado, as histórias de faculdade, enfim, converse. Não apenas fale. Ouça, nunca é demais prestar atenção ao que seu parceiro tem a dizer.
Não confie na percepção do seu parceiro. Muitas vezes, uma relação começa a ruir porque você acredita que o companheiro, ou companheira, tem obrigação de saber o que está lhe incomodando. Isso só vai acontecer com muitos anos de convivência e cumplicidade. Se seu parceiro fez algo que não te agradou, reclame. Exponha diretamente e claramente o problema. Dê oportunidade ao diálogo. Não se feche. Para se pedir perdão é preciso saber onde se errou. É nessas horas que o Amor alcança seu peso maior. Na capacidade de perdoar.
Orgulho é algo que muitas vezes não entendo para que existe. Seguramente, num relacionamento, não vejo utilidade alguma. Pedir perdão é saudável. Só não pede aquele que não tem capacidade de admitir que errou. Errar é humano. A expressão já está inserida no nosso cotidiano há séculos. No mundo moderno, contudo, parece que aquele que erra não merece perdão. Relacionamentos terminam pela falta de capacidade de perdoar. Evidentemente, há erros imperdoáveis e que impedem a continuidade da relação. Há erros, porém, que são superestimados. Não somos donos da razão. Podemos, e até devemos, ficar magoados e entristecidos mas, quando amamos, não devemos negar ao parceiro o direito à defesa. Saber ouvir, desprovidos de pré julgamentos, é o segredo. Defendo que jamais devemos dormir magoados com a pessoa amada. Com uma boa conversa, tudo pode ser resolvido antes de se botar a cabeça no travesseiro. Mas vamos e venhamos, não há mal nenhum em uma noite no sofá, desde que a manhã reserve a solução para os problemas.
Não tenho, como já havia adiantado, a fórmula para o sucesso de uma relação. Mas acredito que o diálogo é um excelente caminho, assim como a dedicação. Só se aprende isso, porém, na prática, convivendo, caindo e levantando, ganhando e, infelizmente, também perdendo. O sucesso de um relacionamento depende de dois, jamais de um. Quem tem um não tem nenhum. Jamais gostei de números ímpares. Só se aprende errando. O segredo é consertar os erros antes que o relacionamento termine. Não repetir os erros é redundante falar. Entretanto, enquanto houver amor e o diálogo imperar, o relacionamento tem tudo para prosperar. Então meu amigo leitor, converse, sempre. Uma boa relação não se sustenta em adivinhações, em suposições, em imaginar que ele ou ela tem obrigação de saber o que lhe incomoda. Uma tia postiça me ensinou que quando se gosta, encara-se. “Por que você fez isso?” é um bom começo para resolver os problemas. “Não gostei da sua atitude”, “O que você falou me magoou”, enfim, teria inúmeros exemplos. O mais certo, sem dúvida, é conversar. Não deixe passar uma oportunidade para uma conversa franca, pois ela pode ser valiosa demais.

André Joppert Lopes

PARTE 1 - texto: "Foi"

Nunca soube exatamente o que você significava pra mim.. até te perder. quando te perdi eu descobri a importância e a diferença que você fazia em minha vida. Depois de tanto tempo de convivência, acho que fica até dificil lidar com a perda, ainda mais da forma como foi a minha.. quando eu estava no meu auge de felicidade sem saber exatamente o porque, aconteceu o fim.. não derramei se quer uma lágrima na sua frente, pois ainda achava que você nem era tanto assim, para merece-las.. mas foi depois que cai na real e me toquei: "espera ai, eu perdi o cara que eu amava e ele tá logo ali, com outra.." foi ai que eu senti a dor da perda. O que senti não foi a dor de ser trocada, simplismente senti a dor de te perder, e ver e ter certeza que você não iria voltar, foi uma coisa orrivel.. o pior de tudo era ter que te ver todos os dias, olhar em teu rosto sorrir, fingir que não aconteceu nada e engolir seco o choro pra não parecer uma idiota. Bom, depois de tudo e tanto tempo, eu apenas queria poder ouvir tua voz e não tremer toda, queria poder te olhar mesmo por uma foto, e não sentir meu coração disparar, queria poder te tocar e não sentir meu corpo arrepiar inteiro e te querer de volta pra mim. Porque superar a perda essa etapa eu já conclui, mas como faço pra te esquecer? Não tenho em meu coração um tecla escrito DEL, que pena né? Seria bem mais fácil pra mim.. Sabe, as vezes eu choro, sim choro mesmo! Mas é pra lavar a alma do peso da sua falta, eu sinto falta de todos nosso momentos, sinto mais falta ainda de quando você me protegia, defendia e quando sorria pra mim. Mas você não me amava, você supostamente gostava de mim..

Jucilene Estevam Ramos

PARTE 2 - texto "Foi"

Isso que me dá mais raiva, eu fico feliz em lembrar dos sorrisos, beijos, abraços mas será que você pensava em mim enquanto me olhava em silêncio? Será que pensava em mim, quando me dava aqueles nossos abraços mais demorados? Será que você pensava em mim quando nós nos beijavamos parecendo que o mundo iria acabar? Será, será, será? Não sei, por isso que sinto raiva quando me lembro de você e saber que era bom, pois nunca sabia se você estava pensando em mim. E até porque você devia estar ali comigo porque não tinha nada melhor pra fazer não é mesmo? ;@
Não vou dizer que te esqueci, pois provavelmente não estaria escrevendo esse texto, também não digo que não te amo, porque na verdade acho que nunca te amei, mas acho que te amei sim, não acho que não.. Ah seilá, só sei que foi intenso por mais que eu tenha sofrido não quero te esquecer ! Acho que assim é a melhor forma de daqui uns tempos nem lembrar teu nome, porque eu não quero te esquecer e é quando agente não quer algo é quando ele acontece né? Então é assim que vou pensar.. Já é noite, e eu me lembro das nossas noites. A cada dia mais intensas. Acho que eram intensas só pra mim né, porque? Porque eu era uma boba, idiota.. não, porque eu tentava acreditar que você realmente gostava de mim.

Jucilene Estevam Ramos

Escrevo um longo texto, nao, nao é proposital!
Acontece que quero me explicar, explicar o que sou... Sou obrigada a fazê-lo já que nao compreendem o meu jeito de ser.
Sou defenssora de mim mesma e isso basta para saberes que sou tambem egoista, mas nao sou tao mentirosa como achei que fosse, pois se fosse, nao me assumiria mentirosa aos quatro cantos do mundo. Mas digo, digo sem medo. Vês que eu nao sou medrosa? Nada me afronta, absolutamente nada... Desculpe, eu volto a mentir, tenho meus medos de ausensia e de presença, mas nao quero dizê-los, me envergonham, me maltratam.
O problema maior é que nao consigo me descrever, bem o problema maior é que tenho esta necessidade, queria ser-me de um jeito perfeito... Perfeitos olhos, perfeito toque, perfeito sorriso e perfeito humor.
Sim eu acredito em perfeiçao e quero conquista-la, todos nós queremos.
Eu quero deixar de ser nervosa, estressada, curiosa, teimosa, insistente, ansiosa e perfeccionista para alcançar a perfeiçao.
Mas é que se eu deixar de ser como sou, nao me seria... Sem me ser, pra quê perfeiçao?!
O bom seria se nascessemos com o poder de tornarmos-nos o que queremos, mas sei que isso seria chato demais... Sim seria chato, irritante, perfeiçao demais sufoca.
Ninguem inveja uma boneca, e ela é perfeita.
O que falta a uma boneca perfeita? Falta a perfeiçao da vida.
Chega, estou estressada de me dizer.
Sou inconstante, e isso falta me matar de ódio e de esquecimento.
Sou sozinha e estou cheia.
Complemento em outra vida.

Amanda Spanic Oliveira.

Me dá a melhor encarada
O melhor aperto
O melhor suspiro
O melhor texto
A melhor foda
O melhor futuro
A melhor esperança
O melhor choro
A melhor verdade
O melhor caráter
O melhor conselho
A melhor gargalhada
O melhor abraço
O melhor carinho
O melhor beijo
A melhor música
O melhor caminho
O melhor ciúme
A melhor briga
O melhor perdão
A melhor compreensão
O melhor ombro
O melhor jeito
A melhor volta
A melhor continuação
A melhor vida
O melhor sentido
O melhor sonho
A melhor felicidade
O melhor auto conhecimento
A melhor visão
A melhor inspiração
O melhor significado do amor em nossos melhores e piores momentos!



Meu amor por você é fomentado em todas essas coisas em conjunto. Esse é o nosso baile festivo, isso é nós dois dançando conforme a música do viver, porque sem essas coisas não poderíamos dizer que os sentimentos, incorporados no amor, nos envolveria de tal forma, em todas as suas vertentes intensificadas...

... a definição é minha, a mulher é minha e esse amor é MEU E DELA!



Jota Cê



-

Jota Cê - Néctar da Flor

Depois d um longo texto tentando convencer q um sedentario vive mais q um atleta... a conclusão!!!

Conclusão: Esteira, caminhada, aeróbica, musculação, academia?
Saia dessa enquanto você ainda tem saúde...!!!!!
E viva o sedentarismo ocioso!!!
Não fique chateado se você passar a vida inteira gordo.
Você terá toda eternidade para ser só osso!!!

Então: NÃO FAÇA MAIS DIETA!!

Afinal, a baleia bebe só água, só come peixe, faz natação o dia inteiro, e é GORDA!!!

Você tem pneus??? Lógico, todo avião tem!!!

Olavio

A Unidade e Deus

O texto sagrado indiano Upanishads usa uma bela imagem para se referir a unidade do homem com a Criação. Ele diz que somos fagulhas de uma grande fogueira cósmica, e cada fagulha contém em si a intensidade da Luz Divina. O filósofo britânico Martin James (1803 - 1882) completa o mesmo tipo de pensamento: "Não existe um reino de Deus e um reino da Natureza; o que chamamos de matéria é apenas a porção visível do espírito. Estamos o tempo todo no paraíso, e o paraíso está em nós". Imaginem, isso é só um pouquinho do que Deus nos deixa perceber... Qual é a verdade absoluta? Ela existe? Exercitemos a Liberdade de Pensamento!

Marco Antônio Borges Antônio Borges.

Há um texto bíblico que Diz:

Eclesiastes - 9:4
Ora, para aquele que está entre os vivos há esperança…

Seguindo dualidade da palavra, portanto, enquanto houver fôlego de vida:

Nunca é tarde para viver o novo. Nunca é tarde para irmos mais além de viver possível, para viver o impossível - o sobrenatural de Deus.

Ailton Nascimento