Texto de Nascimento de Criança

Cerca de 38 texto de Nascimento de Criança

O que quer uma mulher

Um bebê nasce. O médico anuncia: é uma menina! A mãe da criança,
então, se põe a sonhar com o dia em que a sua princesinha terá um
namorado de olhos verdes e casará com ele, vivendo feliz para sempre.
A garotinha ainda nem mamou e já está condenada a dilacerar corações.
Laçarotes, babados, contos de fadas: toda mulher carrega a síndrome de
Walt Disney.
Até as mais modernas e cosmopolitas têm o sonho secreto de encontrar
um príncipe encantado. Como não existe um Antonio Banderas para todas,
nos conformamos com analistas de sistemas, gerentes de marketing,
engenheiros mecânicos. Ou mecânicos de oficina mesmo, a situação não
anda fácil. Serão eles desprezíveis? Que nada. São gentis, nos ajudam
com as crianças, dão um duro danado no trabalho e têm o maior prazer
em nos levar para jantar. São príncipes à sua maneira, e nós,
cinderelas improvisadas, dizemos sim! sim! sim! diante do altar; mas,
lá no fundo, a carência existencial herdada no berço jamais será
preenchida.
Queremos ser resgatadas da torre do castelo. Queremos que o nosso
pretendente enfrente dragões, bruxas, lobos selvagens. Queremos que
ele sofra, que vare a noite atrás de nós, que faça tudo o que o José
Mayer, o Marcelo Novaes e o Rodrigo Santoro fazem nas novelas.
Queremos ouvir "eu te amo" só no último capítulo, de preferência num
saguão de aeroporto, quando ele chegará a tempo de nos impedir de
embarcar.
O amor na vida real, no entanto, é bem menos arrebatador. "Eu te amo"
virou uma frase tão romântica quanto "me passa o açúcar". Entre
casais, é mais fácil ouvir eu "te amo" ao encerrar uma ligação
telefônica do que ao vivo e a cores. E fazem isso depois de terem se
xingado por meia-hora. "Você vai chegar tarde de novo? Tenha a santa
paciência, o que é que você tanto faz nesse escritório? Ontem foi a
mesma coisa, que inferno! Eu é que não vou prepar o jantar para você
às dez da noite, te vira. Tchau, também te amo." E batem o telefone
possessos.
Sim, sabemos que a vida real não combina com cenas hollywoodianas.
Sabemos que há apenas meia dúzia de castelos no mundo, quase todos
abertos à visitação de turistas. Sabemos que os príncipes, hoje, andam
meio carecas, usam óculos e cultivam uma barriguinha de chope. Não são
heróicos nem usam capa e espada, mas ao menos são de carne e osso, e a
maioria tentaria nos resgatar de um prédio em chamas, caso a escada
magirus alcançasse o nosso andar. Não é nada, não é nada, mas já é
alguma coisa.
Dificilmente um homem consegue corresponder à expectativa de uma
mulher, mas vê-los tentar é comovente. Alguns mandam flores, reservam
quarto em hotéizinhos secretos, surpreendem com presentes, passagens
aéreas, convites inusitados. São inteligentes, charmosos, ousados,
corajosos, batalhadores.
Disputam nosso amor como se estivessem numa guerra, e pra quê? Tudo o
que recebem em troca é uma mulher que não pára de olhar pela janela,
suspirando por algo que nem ela sabe direito o que é. .........
Perdoem esse nosso desvio cultural, rapazes. Nenhuma mulher se sente
amada o suficiente.

Martha Medeiros

"Infância não é a partir do nascimento com certa idade para uma certa idade.
A criança se torna um adulto, e esquece das coisas infantis.
A infância é o reino onde ninguém morre.
– Edna St. Vincent Millay

PREFÁCIO

Eu já tive muito mais experiências de quase morte do que era necessário, isso não é exatamente uma coisa a qual você se acostuma.

No entanto, enfrentar a morte novamente parecia estranhamente inevitável. Como se eu realmente estivesse marcada pelo desastre. Eu escapei vez após outra, mas ela continuava vindo atrás de mim.

Ainda assim, essa vez era tão diferente das outras.

Você pode correr de alguém que você teme, você pode tentar lutar com alguém que você odeia. Todas as minhas reações eram direcionadas a esses tipos de assassinos — os monstros, os inimigos.

Quando você ama a pessoa que está te matando, não te restam opções. Como você poderia correr, como você poderia lutar, quando fazer isso machucaria o seu amado? Se sua vida fosse tudo o que você tem a dar ao seu amado, como você seria capaz de não dá-la?

Se fosse alguém a quem você realmente ama?"

Stephenie Meyer - Breaking Dawn

As criaturas não nascem com desejos, a menos que exista satisfação para eles. Um bebê sente fome: bem, existe uma coisa chamada comida. Um patinho quer nadar: bem, existe uma coisa chamada água. (…) Se eu encontrar em mim mesmo um desejo que nenhuma experiência neste mundo pode satisfazer, a explicação mais provável é que fui feito para outro mundo.

C.S.Lewis

A mulher com sorriso de criança
um sorriso que me enche de esperança.
A mulher que confunde meu coração
faz a amizade beirar a paixão.

A mulher em que penso todo dia
que por ela minha vida mudaria.
A mulher que tem meu carinho
que faz eu não me sentir sozinho.

A mulher com uma voz linda de ouvir
que com suas palavras me faz sorrir.
A mulher que me traz felicidade
agindo com todo sua simplicidade.

A mulher que me encantou subitamente
que sempre me deixa contente.
A mulher com quem passos noites a sonhar
que me ensinou novamente a amar!

Leonardo B. Nascimento

" O nascimento do pensamento é igual ao nascimento de uma criança: tudo começa com um ato de amor. Uma semente há de ser depositada no ventre vazio. E a semente do pensamento é o sonho. Por isso os educadores, antes de serem especialistas em ferramentas do saber, deveriam ser especialistas em amor: intérpretes de sonhos."
( Rubem Alves )

Rubem Alves

Uma criança pronta pra nascer, travou o seguinte dialogo com Deus:
--Disseram-me que estarei sendo enviado à terra amanhã. Como vou lá, sendo que sou pequena e indefesa?
E Deus respondeu:
--Entre muitos anjos, escolhi um especial para você. Estará te esperando e tomará conta de ti.
E a criança respondeu:
Mas, me diga, aqui no céu eu não faço nada além de cantar e sorrir, o que suficiente pra eu ser feliz, serei feliz lá?
Deus:
Seu anjo cantara e sorrirá para vocêa cada dia, a todo instante, e você sentirá o amor do seu anjo e será muito feliz.
Criança:
Como poderei entender quando falarem comigo, se não conheço a lingua que as pessoas falam?
Deus:
Com muita paciência e carinho, seu anjo o ensinará a falar.
Criança:
E o que falarei quando sentir saudades e quiser falar com o Senhor?
Deus:
Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar.
Criança:
Eu ouvi que na terra existem homens maus, quem me protejerá?
Deus:
Seu anjo o defenderá, mesmo que arrisque sua própria vida.
Criança:
Mas eu serei sempre triste por que não te verei mais.
Deus:
Seu anjo falará sobre mim e lhe ensinará coisas sobre mim.
E nesse momento havia muita paz no céu, mas as vozes da terra já podiam ser ouvidas. A criança apressada, pediu novamente.
--Oh! Meu Deus, meu Senhor se eu estiver a ponto de ir agora diga-me, por favor o nome do meu anjo?
E Deus respondeu com a mais suaves das vozes:
--Você chamará seu anjo de MÃE!!!"

michele

Nasce a Florzinha "O nosso" bebê.
Linda menina, linda Renascida, estrelinha da sorte, que veio iluminar a vida do meu amor completando nossa família juntamente com a minha Luz Divina, minha vidinha, minha menina, a minha Coroada.
Agora nem minha, nem sua... Mas "NOSSAS"!!!
Nossas vidas, nossas estrelas, nossas florzinhas, nossas estrelinhas da sorte, nossos bebês.
Não importa o que passou, o que nos separou, mas sim o que nos completa mais uma vez que tão grande é este nosso amor.
Quero poder um dia dizer deste amor que tive e que tenho. Que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure. E que dure para todo o nosso sempre...
Porque te amo!!!
Assim como a minha filha sempre foi sua. A sua filha agora é minha.
Juntas são nossas!!!
Amo vocês três, minhas Vidas!!!

Karinha

Fico patética que uma das primeiras coisas que comentam quando um bebê nasce é se o cabelo é “bom” ou “ruim”. Existem mesmo tais adjetivos para o cabelo? Que eu saiba, existem cabelos crespos, anelados, lisos, encaracolados etc. Mas, crescemos acreditando que cabelo bonito é o cabelo liso, se não é liso estamos por fora! Talvez a culpa seja da mídia, que para vender seus produtos colocaram isso na ‘nossa cabeça ‘. Não sou exceção nesse assunto, assim como várias mulheres experimentei várias porcarias em meu cabelo, dificilmente , ou daqui a anos ele volte a ser como era.
Admiro que cada vez mais as mulheres estão dando a carta de alforria ao seu cabelo. Bonito é sermos autênticos, bonito é sermos sempre nós mesmos !

Aliás, quando sua chapinha terá a aposentadoria?

Tatiara Costa

NASCIMENTO E A MORTE, E SUAS COINCIDÊNCIAS
No dia do nascimento, a face do bebê é que define quem ele é e como ele é.
No dia da nossa morte, é o nosso rosto que nos define também. Inerte, somente o nosso rosto fica à mostra, pálido ou com certa cor, triste ou com ar de tranquilidade... É tudo que se busca em nós, no dia da nossa morte, o nosso rosto.
Flores são bem-vindas no dia do nascimento, flores adornam o dia do fim.
Pessoas nos visitam, na chegada. Pessoas nos visitam no dia do adeus.
Nossos olhos estão fechados quando chegamos ao mundo, não é diferente quando vamos embora dele.
Os que nos amam choram no primeiro dia. Os que nos amam choram na partida.
E se dói, ao respirarmos pela primeira vez, dói mais no dia final. Quando percebemos o ar faltando nos pulmões, dói no corpo e dói na alma.
Começamos e terminamos a vida sendo carregados.
Quantas coincidências ainda poderíamos elencar aqui? Muitas, se insistirmos em relacioná-las. No entanto, duas destacam-se por serem assombrosamente interessantes. Então, vejamos a primeira: do pó viemos e ao pó retornaremos, trazendo à tona um conceito de insignificância no início e no fim.
Agora, analisemos com minúcia: o pó nos constrói e nos desconstrói. Fora de qualquer convenção, o pó nos deixa desconfortáveis pela sensação de temporariedade, de finitude, de prazo de validade.
Que impacto insuportável e destrutivo seria essa coincidência em nós, não fosse existir outra, ainda mais surpreendente, que a neutralizasse. Falo da alma. Se somos corpo perecível, também somos alma vivente. A existência da alma é segunda coincidência de que falava. A mais bela de todas, ouso dizer.
Se o corpo frágil está no começo e no fim, a alma vivente está no começo, no fim e ultrapassa o fim. A grandeza da alma está em ser transcendente, seguir livre eternidade adentro. Enquanto o corpo nos aprisiona, a alma nos desencarcera.
Curiosamente, o nosso corpo começa sem forma no ventre materno, e disforme se revolve no ventre da terra, até desaparecer plenamente. Quando pensamos no corpo nos vemos um verme destituído de graça. Mas se olhamos para a alma, pelo contrário, elevamo-nos à compreensão do amor incondicional de Deus. Se o corpo é um pó desprezível, a nossa alma é o artigo de luxo, de valor inestimável, cuja essência está no hálito do próprio Deus que a soprou em nós e a fez existir. Braços e pernas e órgãos e todo resto que se diz corpo vieram do barro e ao barro retornam. Já a alma habita no corpo e dele se vai carregada no colo de Deus. O corpo é um ponto final e alma são as reticências.
Quando criança, quem já adormeceu no sofá da sala, e acordou na cama do seu quarto, compreende bem o corpo e a alma; o início e o fim; e todas as suas coincidências. Porque é assim o dia do nascimento e o dia da morte: no sofá, dormimos desajeitadamente, com o corpo torto e encolhido, descoberto e com frio, mas nos parece bom estarmos ali. Até que nosso pai nos pega no colo e nos leva à cama. Ele nos apoia na cama macia, nos cobre e sussurra palavras de carinho. Fecha as cortinas da janela, cuidadosamente, e o quarto fica à meia luz. O sono tranquilo toma conta de nós e os bons sonhos o adornam. O fato é que nos apegamos ao sofá. Deixar o corpo é como deixar o sofá da sala, aparentemente penoso. Não sairíamos dele se dependesse de nós mesmos. Então, Deus o fez perecível, como uma casa que vai ruindo até os escombros estarem todos no chão. Só então há liberdade para alma seguir o caminho de volta, feliz como a borboleta que acha o vão da janela e voa em direção ao sol.
E as coincidências? Arrisco-me a pensar que elas foram minuciosamente arrumadas aqui e ali, para que o homem se desapegasse do sofá e percebesse o conforto aprazível da cama. Mas a percepção é uma porta que podemos fechar dentro de nós, infelizmente. E é por negligenciarmos as evidências, que seguimos sofrendo com a iminência do ponto final, como se não houvesse alma, como se não houvesse reticências.

Mônica Árêas

“A cada nascimento percebe-se no bebê a essência daquilo que Deus sempre esperou de sua criação, porem a cada ano que se passa, trilhando o caminho que trilhar, percebe-se uma distancia crescente Dele. Cabe somente a nós, no decorrer desta jornada, adquirirmos sabedoria suficiente para encontrarmos este caminho de volta.”

Ivan Teorilang

Sou flor nascida em meio à areia quente do deserto. Durante o dia, bebe em minhas pétalas, gotículas de orvalho, o sol. E tudo isso para durante a noite, o vento frio e seco ameaçar levá-las embora, areia afora. Meus dias são longos e silenciosos. De vez em quando vejo passar um caminhante. Nos seus passos sinto o barulho forte das ondas, ouço a gritaria violenta das nações. Muitos já se deitaram à minha sombram, segregando pecados, com medo da morte enquanto caravanas seguem seus destinos. Tivesse eu condições, com eles seguiria caminho, mas aqui dizem que é meu destino: Flor nascida em meio à areia quente do deserto. Na minha ignóbil posição, avisto os pontos mais distantes do mundo. Quando eu penso que desfaleço, emerge o sol, do ventre da terra ainda úmida. Quando o cansaço se apossa da minha alma, deito meu canto ao pôr-do-sol. Constantemente, visita-me o sopro da vida, apara-me as folhas caídas, o vento mais forte limpa as pétalas, tirando o pó dos caminhantes, vento ameno. Nos dias mais quentes, desfruto do calor do sertão para a noite, sentir a suavidade dos campos em colheitas. Contemplo as sementes trazidas, embora não finquem raízes em minhas terras. Sou flor nascida em meio à areia quente do deserto, mas rica é a minha raiz de esperanças. Sonho com a chuva que rega as plantações, com o perfume das flores nos campos verdes, com a brisa das montanhas. Que alguns de meus polens, despejados por aí, tenham alcançado o Oásis, deitados estejam em terras amolecidas pelos rios que nunca secam. Sou flor nascida em meio à areia quente do deserto. Mas sei que um dia, contemplarei os campos cheios de rebanhos, caminharei por vales onde brotam espigas de trigo e cevada. Finalmente, em qualquer dia desses, deitarei raízes em terra firme e fértil.

Mayara Expresiones

Naqueles casos de ausência altruísta onde não há amor entre famílias, o bebê nasce e a agonia dele não é dentro de uma barriga, mas em campo aberto deste mundo onde a própria mãe ou até família por completo não o ama. Trazer um filho ao mundo é colocá-lo em uma jaula com animais selvagens prontos para atacá-lo a qualquer instante.

Cleisson Pacheco

Hoje acordei com vontade de brincar com meu cachorro,
abraçar o mendigo,
Jogar bola com as crianças na rua,
Abraçar toda minha familia
e o mais importante de tudo gritar para o mundo que eu te amo .

Que você é tudo para mim.
Que você me faz feliz.
Que eu te quero como nunca quis ninguem.

Guilherme Felipe do Nascimento Reis

Eu preciso de explicações. Exatamente igual a uma criança de três anos eu preciso saber de todos os por quês. Não consigo deixar que as coisas apenas aconteçam. Afinal sempre há um motivo para que elas estejam acontecendo, sejam elas boas ou nem tão agradáveis assim. Na maior parte do tempo isso facilita muito a vida. No entanto, no restante do tempo essa necessidade me atormenta imensamente.
É assim mesmo, eu sempre preciso de justificativas. E precisam ser boas justificativas, pois até o momento em que elas não me convençam eu não sossego.
Essa minha particularidade chamo de praticidade. Assim como em um texto jornalístico, mais comumente em leads, é preciso que na minha vida os acontecimentos, as ações e os viveres tenham respostas para seis perguntinhas básicas. São elas: "O quê?", "Quem?", "Quando?", "Onde?", "Como?", e "Por quê?"
Essa ínfima necessidade nas atividades do dia a dia garante agilidade, resultados eficazes, menos estresse, evita retrabalho e principalmente confusões. E é claro, como uma aquariana nata – fria e calculista, como a maioria das pessoas gosta de nos caracterizar- para os relacionamentos a fórmula é mesma. Assim que preenchidas essas seis lacunas o convívio com as pessoas fica muito mais verdadeiro e com sentimentos recíprocos. E por falar em sentimento, quando o assunto é este, a regra também é totalmente aplicável. Sempre há respostas para todas essas questões. Entretanto, neste quesito somos todos sempre muito imaturos. Não tenho certeza se somos ou se é apenas uma imaturidade conveniente para ser feliz e até mesmo para sofrer. Sim, as respostas sempre estão ali, bem ao nosso alcance, mas insistimos em ignorá-las. Não queremos ser racionais nestas situações. Simplesmente porque queremos muito que as respostas sejam diferentes. Mas raramente serão. Então é só uma questão de tempo para se convencer de que aquelas são mesmo as respostas. É, a vida simples assim com todas as respostas sempre ao nosso alcance. Mas as queremos tão diferentes porque apesar de serem as respostas certas e válidas, para determinadas situações, estão tão erradas.

Ana Luisa do Nascimento

Ainda que o tempo passe...

Ame e seja feliz como se fosse criança
A gente nasce,cresce e cresce e cresce...
Mas... nossos corações continuam crianças
Pois continuamos com as mesmas vontades
Talvez escondias, talvez ainda tímidas
Mas num simples desleixo da timidez
Esta alegria se solta e se mostra
O verdadeiro e gostoso jeito de ser
Soltando de si uma criança que sempre esteve ali
A espera dos nossos próprios sorrisos.
Te amuuuuuuuuuuuu amigaaaaaa!!

Reff Carvalho

FUI CRIANÇA

Quando a gente nasce que felicidade
a família reunida, esquecendo a vaidade.
Então a gente fala e começa engatinhar,
Dali a pouco tempo começamos a andar.

Não perde a inocência, não tem consciência,
com o passar dos anos adquire experiência.
Seus pais te ensinam o caminho a seguir,
Ter educação, amar a Deus e não mentir.

Ser criança é um barato,
vamos fazer um trato,
te dou a juventude,
ser adulto é muito chato
Vamos ser criança,
e dominar o mundo,
eu sei que esse desejo,
todo mundo tem no fundo!

Felipe Pereira

Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus:
"Dizem-me que estarei sendo enviado a Terra amanhã...
Como eu vou viver lá, sendo assim pequeno e indefeso?"
E Deus disse: "Entre muitos anjos, eu escolhi um especial para você.
Estará lhe esperando e tomará conta de você".
Criança: "Mas diga-me, aqui no Céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?".
Deus: "Seu anjo cantará e sorrirá para você...
A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu anjo e será feliz".
Criança: "Como poderei entender quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas falam?".
Deus: "Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar".
Criança: "E o que farei quando eu quiser Te falar?".
Deus: "Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar".
Criança: "Eu ouvi que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?".
Deus: "Seu anjo lhe defenderá mesmo que signifique arriscar sua própria vida".
Criança: "Mas eu serei sempre triste porque eu não Te verei mais".
Deus: "Seu anjo sempre lhe falará sobre Mim, lhe ensinará a maneira de vir a Mim, e Eu estarei sempre dentro de você".
Nesse momento havia muita paz no Céu, mas as vozes da Terra já podiam ser ouvidas. A criança, apressada, pediu suavemente:
"Oh Deus, se eu estiver a ponto de ir agora, diga-me, por favor, o nome do meu anjo".
E Deus respondeu: "O seu anjo se chamará... MÃE !"
MSG pra minha mãe que amoooo mooooitooo: Iraci Goetten, mulher que me trouxe a esse mundo e sem ela eu não estaria e não seria quem sou.
Por mais que o tempo passeE as estações se movam,Ainda será minha estrela,A mais linda, a mais radiante...Será pra mim sempre bela,Sempre amiga.Podem todos me crucificar,Mas sei que saberás a verdadeE com todas suas forças irá me defenderComo ninguém me defenderia.Está presente em todos os felizes e tristes momentos.Está sempre forte para vencer mais um desafio.Por mais que eu cresça e amadureça,Sempre serei seu fruto,E orgulho total de minha raiz...Te amo de forma insubstituível,És robusto meu amorÉs sincero meu afeto.Trouxe-me ao mundo,Agüentou toda dorE sorriu ao me ver pela primeira vez.Com muito carinho estou a pensar em você,Pois de carinho me alimenta.Minha mãe queridaDa mesma forma que deseja a mim saúde e felicidade,Desejo-te também com toda certeza que tenho,Em nome do grande valor que tem pra mim,Te Amo Minha Mãe


próximo domingo é dia das mães, tempo oportuno para refletirmos um pouco sobre a maternidade em nossos dias.
O futuro da humanidade está, como sempre, nas mãos das mulheres. Engana-se quem pensa que os homens comandam ou comandaram os destinos da sociedade. Mesmo nos tempos em que coube aos homens, com exclusividade, o exercício do poder, esses homens foram filhos, e tiveram o seu modo de ser forjado no colo de suas mães, ou na ausência dele.
Esse relacionamento essencial entre mãe e filho, sobretudo nos primeiros anos de vida da criança, contudo, está se tornando escasso, dada a cada vez mais acentuada participação da mulher no mercado de trabalho.
Penso que o trabalho da mulher fora do lar seja algo muito bom para a sociedade. Elas galgaram postos com competência, inteligência e dedicação. Já são imprescindíveis nas funções que desempenham. Exemplo marcante disso é a nova Presidente do Supremo Tribunal Federal, magistrada justa, sábia e prudente, que faz jus ao exercício do cargo que ocupa.
Mas se a mulher está hoje inserida no mercado de trabalho e é insubstituível nesse espaço que conquistou, uma questão que se coloca é como harmonizar isso com a maternidade, função em que é ela mais essencial ainda. Como a mulher operária, funcionária pública, empresária, magistrada, consegue ser ao mesmo tempo e com a mesma dedicação, mãe?
A conciliação disso nem sempre é fácil. Quem nunca observou a aflição de uma colega de trabalho que deixou o filho com febre no berçário ou em casa?
Mas se é difícil conciliar trabalho profissional e as obrigações de mãe, não lhe falta a criatividade.
Afinal, o amor é sempre muito inventivo. Em algumas situações, quando o trabalho permite, busca-se fazer parte dele em casa. Então as antenas ficam ligadas e, de quando em quando, pode se dar uma escapada para cobrir de afagos o pequenino que brinca por perto. Por vezes, espremem-se os horários para que sobre tempo para estar com os filhos.
Aliás, se é comprovado o quão importante é a presença da mãe para a criança, sobretudo nos primeiros anos de vida, penso que a legislação trabalhista deveria ser mais flexível para com elas, dando condições de passar mais tempo ao lado dos filhos. E isso não seria nenhum exagero. Afinal, é da formação dos futuros cidadãos que se estaria cuidando.
Outro fator importante nessa difícil conciliação é a cooperação dos pais. Trocar fraldas, vestir, dar mamadeira de há muito deixou de ser tarefa exclusiva das mães. Mas mais que isso, a mãe precisa sentir-se amparada pelo marido. Trata-se de compreender o quão difícil é para ela dedicar-se ao trabalho profissional e, ao mesmo tempo, desempenhar aquelas tarefas que por natureza lhe cabe com exclusividade: ser mãe. E nesse intento, é muito bem vindo a ela que o marido ajude nas tarefas do lar, a auxilie no cuidado com os filhos, enfim, que lhe alivie as cargas que, no mais das vezes, pesam mais sobre elas.
Mas há também aquelas mães que, por libérrima escolha, optam por ser mãe por profissão, ou seja, não desempenhando trabalho fora do lar. Quanto a essas, penso que seja terrível injustiça uma certa manifestação que há de menosprezo, como se essa profissão fosse menos digna que a das demais.
A maternidade é a mais nobre função que a mulher pode exercer. Dela depende o futuro da humanidade. Com efeito, mães indiferentes, ausentes, desleixadas, geram filhos inseguros, deprimidos, egoístas. Ao contrário, mães dedicadas, presentes, zelosas, geram filhos felizes, responsáveis, seguros de si, que serão no futuro os construtores de uma sociedade mais humana.
É muito interessante e por vezes incompreensível para nós, pais, observar o mistério da maternidade. Um novo ser é concebido no ventre dela, desenvolve-se e, antes de nascer, já se observam laços de afetividade entre eles que nós contemplamos, mas não compreendemos. Depois ele nasce, ela o amamenta e continuamos sem entender muito bem o que se passa entre eles. Ele cresce, e já podemos vislumbrar em seus olhinhos uma dúvida fundamental: "mamãe, para que você me trouxe ao mundo?". E a resposta da mãe vem sem palavras, com afagos e mais beijos, e então ele compreende: "para amar, porque a mamãe me ama".
E nessa relação, caros pais, somos, quando muito, meros atores coadjuvantes, e não nos resta outra conclusão: mães, vocês são de fato insubstituíveis.

Edna Goetten

Depois de muita luta, nasceu a criança e o médico anuncia: é uma linda menina! Os País da criança,
se põem a sonhar com o toda a vida dela, criando um amor tão profundo quanto o seu primeiro olhar,
uma ligação tão sensível quanto seu primeiro tocar, e uma esperança tão forte como o seu primeiro choro.

Douglas Menezes

Lágrima

Ela nasceu...
Assim como nasce uma criança
Singela e inocente
De um lindo ato de amor

Mas nasceu
De uma forma diferente
Dolorida e bruscamente
De uma pequena grande dor

E viveu uma vida curta
Correndo sutilmente
E dançando suavemente
Uma linda dança sem cor

E morreu
Num curto espaço de tempo
Singela e docemente
Como se não sentisse dor

E sumiu assim
Em meus lábios rapidamente
Aquela pequena lágrima tão doce
Que tinha gosto de amor

Mariane Murase

Nos preparamos para o nascimento de uma criança, aprendemos a dar o cuidado necessário ao adolescente e respeitar o adulto. Aos idosos o que sobrou?
Em síntese não nos preparamos, cuidamos ou respeitamos como devia, como se o que ele viveu não fizesse nenhum sentido ou valor. Tratamos como um sapato velho que fez o seu papel na caminhada da vida e esquecemos os ensinamentos durante as suas caminhadas.

May Iakulo Targino