Texto de Duplo Sentido

Cerca de 1362 texto de Duplo Sentido

Mas afinal qual o sentido da vida? No fim de contas, o que nos fará pensar se seguimos o caminho correcto?
Para mim é sabermos que sentirão a nossa falta, que as ligações que criamos, fizeram diferença na vida dos que nos rodeiam. Sabermos que as nossas acções, os nossos sacrifícios, tiveram significado para aqueles que nos são mais próximos.
Afinal de contas viver é dar tudo pelo outro, por amor, por amizade ou por compaixão. Através da marca que deixamos nessas pessoas, deixamos também uma marca neste mundo que um dia abandonaremos.

Benjamim Marques

Vivo sem sentido,
e neste mundo ando perdido,
pois sinto-me culpado,
pelo amor me ter escapado.

Nunca esqueço o sentimento,
da tristeza daquele momento,
momento em que tudo acabou,
e a minha vida se desmoronou.

Vagueio no mundo desde então,
sem conseguir esquecer esta paixão,
fazendo por vezes uma lágrima escorrer,
por tanto eu desejar te rever.

Tento esconder me na recordação,
que tenho presente no coração,
como posso algo ignorar,
se nela penso dia e noite sem cessar?

Imagino o que seria,
se melhor mostrasse o que sentia,
mas agora está acabado,
e tudo faz parte do passado.

Tudo me lembra de ti,
e de como um dia me senti,
por dizer que me amavas,
muito mais do que esperavas.

Por vezes eu sorrio,
por vezes fico triste e frio,
nem tudo no namoro teve sentido,
mas o melhor foi ter acontecido.

Fingo estar a superar,
quando na verdade quero chorar,
por um amor ter perdido,
que jamais será esquecido.

Benjamim Marques

O sentido da palavra

Com uma simples palavra
se acabariam as guerras,
os poemas teriam mais emoções
o ciúmes seria mais suave
não se haveria lutas
nem tão pouco choraríamos
pois, tudo teria mais sentidos
o beijo teria outro sabor,
o abraço mais carinho,
o amor mais paixão.
Enfim tudo mudaria
se usássemos mais
a palavra PERDÃO

Claudenir Reis

Toda pontuação tem um sentido.
Minhas reticências são silenciosas,mais profundas,falam coisas que eu sou incapaz de descrever.
Cada virgula e ponto final,faz parte das batidas do meu coração.
Eu inicio e pontuo e quando penso que é o fim vem uma pergunta que fica sem resposta,continuo e acrescento virgulas, exclamo e por fim a quando penso que terminei a interrogação surge outra vez.

Rutyenne Márcia

Quase me perdi pelas dúvidas que viestes a mim sem nenhum sentido... Quase acreditei na púrpura da brisa que me roubastes um valor sentimental;
É a verdade que honra e a mentira que nos condena e em meu brasão um sopro a realidade sem nunca desistir...
Nunca me curvei a inimigo algum nem muito menos me rendi... Mesmo com o passar do tempo;

Julio Aukay

É em tarde como essas, que ponho-me a pensar...
Qual será o verdadeiro sentido da vida?!
Eis a questão, eu realmente não sei !
Não sei se a vida se resume em festas,dinheiro, paixões, amores!
Creio eu que, talvez a vida deva se resumir nos sorrisos inesperados,nas lágrimas de dor ou alegria, nos abraços que acolhem, nos olhares que envolve, nos mais simples momentos!... Não se é preciso muito para ser feliz!
Engana-se você, que pensa e vive de maneira “banal”... Hoje, podemos ter muita coisa! Sim, muita mesmo, porém, tudo tem um fim, exceto as lembranças! Essas, ficam ao nosso lado até o nosso ultimo sopro de vida!

Karla Fontes

Lhe tenho inspiração como em um canto qual quer no recanto que me faça sentido para despi-la e desvendar os teus mais doces desejos...
Foco em uma desfocada peça intima para dar-lhe plenitude e prazer em letras tocante que invada sua particularidade!
Ah... Teu perfume é a certeza de que quero navegar por cada detalhe de seu corpo, portanto deite-se e se permita...

Julio Aukay

Hoje em dia, às pessoas esqueceram o sentido do amor, e só pensam em dinheiro, eu particularmente penso em dinheiro.
Obviamente penso em amor, mas, isso é meio complicado, afinal, sempre me decepcionei com esse lance de "amor"
Veja bem, se eu ganhasse 1Milhão hoje, eu seria totalmente feliz, e com certeza amaria meu dinheiro, então sou um cara que pensa em dinheiro e amor junto. :)

Jonathas Folly

Nada é tudo e tampouco
Perto do sentido ardo
Que aquece o outro
Em dia de enfado

A grandeza do lógico
Se é eminente,
Suporta o trágico
Que à na mente?

Doce sentido da vida
Que somente DEUS entende
Só o amor nos da saída
Para os percalços da mente

O amor que á
Em tudo que vê
É aquele que se dá
Ainda que sem querer.

Henrique Junior da Silva

a dor é solitude no meu coração,
deixo meus sentimentos voarem,
nada faz sentido,
meus olhos doem quando olho para o céu,
a dor tem limites em um jogo de vaidades,
olho profundamente não sinto nada,
olho para céu não vejo mais nada,
o jogo faz minha sangrar,
meus pensamentos estão perdido,
no vento a dor é constante,
o sangue acabou e olho para céu,
não sinto mais nada,
só imagino a magica que faz o mundo girar,
no fundo do profundo é dilema olhar para o céu.
por celso roberto nadilo

Celso Roberto Nadilo

Estante
O poema “A Arte de Perder” de Elisabeth Bishop nunca fez sentido para mim, desde o primeiro dia em que o li. Sempre questionei. Talvez por puro egocentrismo ou falta de maturidade, eu não sei. Passei os últimos anos da minha vida acreditando que eu podia ter tudo, que nada podia fugir de mim, que o que eu tenho eu não deveria perder.

Busquei insistentemente não perder nada. Nenhum instante, nenhum minuto sequer, nenhuma chave de todas as portas que eu abri, nenhuma parte de todos os estilhaços que caíram ao meu lado. Se eu perdia, corria pra achar. Se quebrava, corria pra remontar. Quantas noites juntei cacos, pedacinho por pedacinho, colando, remendando. Olhava a estante de longe e pensava: pronto, já dá pra colocar no lugar de novo. Ninguém vai reparar que quebrou. E voltava pra minha vida.

A verdade é que chega uma hora que você olha para a estante com mais cuidado. Com outros olhos. E isso acontece tão raramente. As vezes dura segundos. Você olha, talvez com a intenção dócil de tirar o pó. Pra ver se ainda está ali aquele porta retrato que caiu e você arrumou, dar uma folheada naquele livro que uma vez você emprestou, ouvir o DVD daquela cantora que você amava, o molho de chaves daquela casa antiga que agora está alugada e todos os vasos que já caíram e você colou.

Uma vez – e não faz muito tempo – lembro que joguei tudo no chão. Tudo. Minha estante inteira no chão. Tudo quebrado. O que não quebrou, rasguei, cortei, amassei. E me senti péssima depois. Um dia, voltei na sala. Refiz a estante, arrumei o que tinha quebrado, costurei, colei, remendei. Coloquei tudo no lugar. E o tempo passou.

Mas olhando agora, para minha estante, comecei a ver que não preciso guardar nada disso. Que tem coisas que não servem mais. Que não fazem parte de que sou hoje. Os vasos não ficaram tão bonitos como eram antes. Sim, foram charmosos um dia, mas olhando pra eles agora, posso ver cada remendo. Ao me lembrar dos cortes que fiz para juntá-los, penso até que valeu a pena. Mas hoje, hoje são somente vasos remendados. O retrato não precisa ficar a mostra por que já amarelou com o tempo. O que foi bom, simplesmente foi. Não é mais. Como a canção que hoje já não faz sentido. Como a árvore no fundo daquela foto que hoje não existe mais.

Se eu entendi o poema? Não. Ou ainda não como deveria. Há uma caixa cheia de coisas novas na sala. Mas o medo do novo é destruidor, não é? O novo, por mais que seja cheio é vazio se pararmos pra pensar. O novo não tem passado. Não tem história. O novo acovarda até os mais corajosos. Somos, bem lá no fundo, guerreiros que relutam para aceitar uma nova espada. A gente sabe que a caixa está cheia de novidades, mas não tem força suficiente para ir até elas.

Mas hoje, exatamente hoje, dia dez de outubro de 2013, olhei para as caixas repletas de coisas novas na sala. E mesmo assustada, mesmo com minhas mãos se desviando, meu corpo contestando e meu coração aflito, comecei a abri-las. Sim. Passa pela minha cabeça começar a montar outra estante e deixar essa que já existe como está. Mas não posso, não é? Preciso aprender a perder. Entender “a arte de perder” talvez ou finalmente.

Então, sentadas, eu e Elisabeth Bishop, nessa minha sala, tomando um bom vinho, rimos juntas olhando para minha estante. Cheia de histórias, de lembranças, de vasos inteiros, outros remendados, de fotos amareladas, de cartas que nunca foram enviadas, de belas canções, de sapatos com solas bem gastas, de chaves de casas por onde não entro mais, de relógios com marcador parado.

Me pergunto, em silêncio: por que eu acho que não entendi o poema ainda? Por que eu acho que não faz sentido desfazer de tudo isso? Mas afinal, é meu? Ou tudo é passageiro o suficiente para não precisar de estante?

Josane Hodniki

Eu não sei o que você tem sentido
Parece tão perdido
E eu tenho me afastado
Mas tudo que eu quero
É me aproximar de você
É difícil perceber que eu sinto sua falta?
Eu sei que tem sido ruim pra você e para mim
Mas nós vamos conseguir

Ás vezes eu me sinto
Como se não pudesse suportar tudo o que me machuca
Então é como se você segurasse a minha mão
Toda vez que você diz alguma coisa para eu ficar bem
Quero fazer o mesmo por você

Quando você chegou em 2011
Você era como smile a canção
Eu costumava ouvir em um alto som
Mas aquilo era uma outra parte de mim
Essa é quem eu sou agora e você pode confiar em mim

Nunca pensei que pudesse contar com você
Depois de todo esse tempo, mas você esta aqui
Como se tivéssemos construindo essa ponte juntos
Iremos atravessa-la quando terminada
Passaremos para um momento melhor que este
Nós vamos conseguir

Eu não sei o que eu tenho feito pra você pensar que estou longe
Pareço tão distante esses dias
Foram dias longos e confusos para mim
Mas eu consegui afastar todo o mal
Porque você estava aqui
É difícil perceber que eu sinto sua falta?
Porque eu sinto

Sim, eu tenho me afastado
Mas tudo que eu quero
É me aproximar de você
Talvez eu esteja errada, talvez você também esteja
Eu sei que tem sido ruim pra você e para mim
Mas nós vamos conseguir

medcherry

Hoje, parei para observar o verdadeiro sentido da vida, sabe?
E comecei a entender que, o verdadeiro sentido não é só correr atrás de grandes sonhos, mas que também ver o que está ao meu redor. Meus pais, irmãos, primos, tios, amigos, sobrinhos, colegas. Que vão se afastando. E o motivo? Falta de tempo. Tempo esse que nunca tenho, para dar um bom dia, uma palavra amiga, um abraço, um carinho etc. Hoje vim aqui para pedir desculpas a todos vocês que fazem parte da minha vida, e que nunca tive tempo de reparar o verdadeiro valor que é de ter vocês em minha vida. Saibam que amo vocês, e que são muito importantes em minha vida

Anuara Juliet

Sou uma mulher, com alma de criança inquieta,
Sou o acaso das coisas, sou o "não ter sentido",
Sou ignorancia pura e inteligência viva, uma mistura incoerente de tudo e nada,
Sou a liberdade trancafiada em um corpo semi vivo que teima em desabrochar,
Porém meu eu é desbotado demais pra que eu possa despertar.

Tamires C. Aguiar

Em um abraço apertado e caloroso encontro o sentido de amar você... Com o clima que a perfeição dispôs a nós dois, surge um longo e adorável beijo gostoso que acalenta o nosso coração;
Pessoas normais fecham os olhos, mas nós abrimos a porta da alma para receber de bom grado os sentimentos possam iluminar os nossos caminhos...

Julio Aukay

Doce novembro?

Tenho me perguntado tanta coisa, tenho sentido tanta coisa… tenho lido alguns livros e dentro deles tenho me imaginado, como de costume… mas desta vez é como se fosse algo necessário, que eu esteja naquelas histórias, ali, vivenciando elas… e então descanso o livro em meu colo, olho para o nada e penso, penso, penso… Concluo que eu na verdade estou tentando fugir, criar um mundo paralelo a este e poder me esconder um pouquinho e agachado em um cantinho seguro dizer: _Calma, eu já volto, agora não dá, deixa eu ficar mais um pouco por aqui… mas eu prometo que volto.

Bruna V. Alencar (112012)

Eu nunca fui daqueles que fazem sentido
E o rumo de tudo isso não cabe a nós decidir!
É a solidão, deixa o coração vazio
É a deixa a alma à procura de algo
Que jamais terá algum sentido!
Tudo o que procuro não existe mais!
Tudo o que sempre quis, foi embora
É, agora?
Quero apenas paz
Não tenho mais nada pra oferecer e não tenho mais espaço para receber.
Ninguém vê que estou sofrendo!
É que minha dor não tem cura
Eu choro à procura de algo
E o que seria?

Renata Cavalheiro

Qual é o verdadeiro sentido da vida :
Quando a pessoa que você ama,já tem outra para amar ?
Quando o que você tem, se vai ?
Quando você passa a ser segunda opção ao invés de primeira ?
Quando o que você mais temia, aconteceu ?
Procurar o sentido da vida, em meio as dificuldades é o segredo que muitos buscam, mas que poucos lutam para conquistar.

Rainelle Oliveira

GUIA INSPIRITUAL

o mentor do poeta
deve ser uma raposa
arquiteta de caverna

o sentido sempre alerta
caça palavra-rato
sutil como mariposa
rima passo com passo
olho de gato
pelo que pousa
na ca[l]ma da neve que nos leve
por uma viagem outra

a gente de bobo
com garra de lobo
se agarra

[h]a rastros esparsos
por essa viagem toda

Dija Darkdija

Canto as minhas rosas negras com melodias inexplicáveis nas quais deem sentido a vida com o diferencial que se entrelacem com a simplicidade de um caminho...
E que as minhas escolhas sejam clássicas para que não estejam luxuosas, mas sim adequada ao modo de vivermos o momento;
A suavidade é mesmo a perfeição do amor que nos retribui pelos sentimentos tão dedicados por nós...

Julio Aukay