Temas Evangelicos

Cerca de 216 frases e pensamentos: Temas Evangelicos

Não temas a morte - quanto mais cedo morreres, mais tempo serás imortal.

Benjamin Franklin

Temas de Esperança

Quem goste de pessimismo, e se queixe de solidão, observe se alguém estima repousar no espinheiro.

Pense que se não houvesses nascido para melhorar o ambiente em que vives, estarias decerto em Planos Superiores.

Com a lamentação é possível deprimir os que mais nos ajudam.

Se pretendes auxiliar a alguém, começa mostrando alegria.

A conversa triste com os tristes, deixam os tristes muito mais tristes.

Quem disser que Deus desanimou de amparar a Humanidade, medite na beleza do Sol, em cada alvorecer.

Se tiveres de chorar por algum motivo que consideres justo, chora trabalhando, para o bem, para que as lágrimas não se te façam inúteis.

Nos dias de provação, efetivamente, não seriam razoáveis quaisquer espetáculos de bom humor, entretanto, o bom ânimo e a esperança são luzes e bênçãos em qualquer lugar.

Guarda a lição do passado, mas não percas tempo lastimando aquilo que o tempo não pode restituir.

Quando estiveres à beira do desalento pergunta a ti mesmo se estás num mundo em construção ou se estás numa colônia de férias.

Deus permitiu a existência das quedas d’água para aprendermos quanta força de trabalho e renovação podemos extrair de nossas próprias quedas.

Não sofras pensando nos defeitos alheios; os outros são espíritos, quais nós mesmos, em preparação ou tratamento para a Vida Maior.

Se procuras a paz, não critiques e sim ajuda sempre.

Indica a pessoa que teria construido algo de bom, sem suor e sofrimento.

Toda irritação é um estorvo no trabalho.

Deixa um traço de alegria onde passes e a tua alegria será sempre acrescentada mais à frente.

Quem furta a esperança, cria a doença.

O sorriso é sempre uma luz em tua porta.

Xavier Francisco Cândido

DE ÂNIMO FIRME

Não temas as provas de hoje.
Supera o mal com o bem.
todos temos um amanhã.
No entanto, porque o futuro nos pertença
não menosprezes o momento de agora.
Se sofrestes desgostos
não lhes conserves os remanescentes no coração.
Esquece afrontas e ofenças.
O perdão desata quaisquer algemas
entre vítima e agressor.
Serve sempre.
Não cultive enfermidades imaginárias,
nem te amofines por aflições
que talvez não chegues a conhecer.

Emmanuel

Não temas nem desejes o teu último dia.

Marcial

Eu nunca penso em temas. Eu deixo a música criar-se por si mesma. Eu quero que seja um potpourri de todos os tipos de sons, de cores, algo para todo mundo, do fazendeiro na Irlanda para a mulher que limpa banheiros no Harlem.

MIchael Jackson

Os temas mais difíceis podem ser explicados para o homem de raciocínio mais lento, se ele ainda não formulou qualquer idéia sobre eles, mas a coisa mais simples não pode ser esclarecida para o homem mais inteligente, se ele está firmemente convencido de que ele já sabe, sem uma sombra de dúvida, o que é colocado diante dele.

Leon Tolstoi

Provas, lágrimas, problemas, aflições em frenesi? Não te assombres e nem temas, o céu cuidará de ti.

Meimei

"Não temas um homem que tem muito a perder... antes, tema àquele que já perdeu tudo"

Adaptaçao Geraldo Reis Monteiro

É evidente que muitos que se dizem evangélicos atualmente agem norteados por outros objetivos, e não por uma visão bíblica de mundo.

John MacArthur

Os Católicos Juntos são Belos pela sua União.

Os Evangélicos Juntos são Críticos em Sua Divisão.

Linartt Vieira

Evangélicos somos todos nós que lemos a Bíblia e guardamos os seus ensinamentos, ou melhor explicando, são todos aqueles que se congregam é uma igreja, seja qual for essa igreja, agora, o verdadeiro evangélico verdadeiramente é aquele de coração humilde e puro que o Senhor habita e conhece os seus propósitos.

Adelmar marques marinho

Nós, evangélicos, nada temos contra gays e lésbicas.Quem somos nós para julgar os nossos semelhantes; somente Deus poderá julgarmos, apenas achamos que cada um deve ter os seus limites, sem atentar contra os princípios da moral e dos bons costumes.

Adelmar marques marinho

O que mais impressiona-me nos evangélicos não é a soberania do amor a Deus, mas a necessidade de ser castrado por a lei de um pai, para que seus desejos possam ser perdoados por si mesmos.

Leivânio Rodrigues

Mais de 20 milhões de evangélicos!! Um país que já poderia ter sido alvo de um avivamento, hoje vive um dos estados mais decadentes da sua religião. A infâmia do evangelho se desviou para caminhos mais largos. Não precisamos de milhões. Precisamos do que Wesley precisava; 100 homens que não temam nada além do pecado e seu Deus, aí sim, mudaremos a história deste país.

Tiago Belinha

Evangélicos, Kadercistas, Católicos, Budistas, Espíritas, Ateus, Atoas, Umbandistas, Candomblécistas e etc.......Tenham todos um final de semana maravilhoso!!!!Respeitar as diferenças já é um grande passo para o caminho do Céu......afinal de contas, somos todos filhos de Deus.

Orlando Salustiano Júnior (LANDINHO)

Com frequência, senão, pelo menos uma vez por ano, nos deparamos com a passeata dos evangélicos, dos católicos, das feministas, dos homossexuais, dos motoboys, dos maconheiros.. mas, onde estão os defensores do Brasil sem corrupção? Será que a corrupção se alastrou tanto que cada qual tem sua cota parte resguardada nos acordos dos corruptos e corruptores, e que por isso não pode sair às ruas para protestar contra aquilo de que também participa e tira proveito?

Gil Nunes

A Longanimidade e o Amor Evangélicos

“1 Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, restaurai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado.
2 Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo." (Gál 6.1,2).

A palavra grega paraptoma, usada por Paulo e traduzida por “ofensa” no verso 1, é a mesma palavra usada em várias passagens do Novo Testamento para se referir a pecados ou faltas, e usada por Jesus no Pai Nosso, onde se diz “perdoa as nossas ofensas”.
Então não significa apenas injúrias, mas todo tipo de falta que possa ser praticada contra o próximo.
Tiago faz o mesmo uso desta palavra quando diz que devemos confessar nossas ofensas uns aos outros.
Paulo não estava portanto se referindo aqui a erros doutrinais, mas a pecados que operam na carne e que sujam o coração do cristão. E ele expõe a maneira como isto deve ser tratado na Igreja: os que são fortes devem levantar o caído com espírito de mansidão.
Esta norma deveria ser seguida particularmente pelos ministros da Palavra.
Os pastores devem reprovar o caído, mas quando veem que o caído sente e se entristece pela sua condição, devem, confortá-lo e cobrirem a sua falta com o amor que cobre multidão de pecados.
Assim como o Espírito Santo é inflexível quanto ao assunto de manter a doutrina da fé e a verdade entre os cristãos, Ele é também muito misericordioso para com os pecados dos homens, contanto que os pecadores se arrependam - o arrependimento é essencial porque Ele não consola aquele que vive deliberadamente no pecado, apesar de ser um Consolador amoroso e fiel.
A palavra no original grego para o verbo restaurar do verso 1 é katartizo, que significa restaurar como quem liga de novo um osso que foi quebrado.
Deste modo, o dever do cristão espiritual não é o de condenar o cristão fraco, mas de restaurá-lo com a paciência e o cuidado com que um ortopedista cuida de uma fratura.
O espírito de mansidão é o modo correto determinado pelo apóstolo de fazê-lo.
Não com ira e paixão, como aqueles que triunfam sobre a queda de um irmão, mas como aqueles que choram por eles e lamentam a sua queda e perda, assim como nosso Senhor vai à procura da ovelha perdida para reconduzí-la ao aprisco.
Muitas reprovações necessárias perdem a sua eficácia quando são aplicadas em ira.
Ainda mais um cuidado é colocado pelo apóstolo para aqueles que estiverem empenhados no trabalho de restaurar os que estão caídos.
Eles devem olhar por si mesmos de maneira que não venham também a cair como eles.
Nós também podemos ser tentados e sermos vencidos pela tentação, e isto nos ajudará a ter em mente, enquanto ajudamos outros, que não somos melhores do que eles, porque como disse Agostinho, “não há nenhum pecado que uma pessoa cometa, que outra pessoa também não possa cometer”.
Nós andamos em lugares escorregadios neste mundo, e como diz Tiago, tropeçamos em muitas coisas.
Daí a advertência de I Cor 10.12:

“Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia.”.

E em razão da nossa fraqueza e debilidade comum, somos orientados a carregar os fardos uns dos outros (verso 2), porque é nisto que consiste principalmente a Lei de Cristo relativa ao novo mandamento que Ele deu ao povo de Deus, a saber, que nos amemos uns aos outros assim como Ele nos amou.
Jesus não esmagou a cana quebrada, e nos é imposto o dever de fazer o mesmo, porque foi por amor ao pecador e por ser paciente com a sua fragilidade que Ele procedeu de tal maneira.
Aqueles que se gloriam no seu conhecimento das coisas de Deus e que não vivem de acordo com esta regra, tal como era o caso dos falsos apóstolos, na verdade nada são, e estão enganando a si mesmos.
Eles se consideram mestres, e não o são; eles se consideram superiores aos demais pecadores e não o são.
Cada qual deve examinar as suas próprias obras segundo esta regra que foi exposta, e então terá motivo de se gloriar em si mesmo, e não naquilo que os outros estão fazendo debaixo das suas ordens.
Afinal, cada um dará contas de si mesmo a Deus, e não será considerado de modo algum no Juízo, como atenuante ou agravante, quanto fomos ajudados ou atrapalhados por outros.
Particularmente o trabalho do ministério deve ser auto examinado por esta regra, de modo que permaneçamos em dependência e humildade diante de Deus.
Não será pela quantidade de louvores que recebemos dos outros que seremos aprovados por Deus. Ao contrário, há um grande perigo nisto, e por isso fomos devidamente alertados pelo Senhor.
A carga que cada um levará respectivamente citada em Gál 6.5 se refere ao julgamento das nossas obras no Tribunal de Cristo, quando cada cristão dará contas de si mesmo a Deus.

"Porque cada qual levará a sua própria carga." (Gál 6.5)

E, se há um tal tempo terrível para ser esperado, quando Deus julgará a cada um conforme as suas obras, isto serve de uma boa razão para julgarmos a nós mesmos e qual tem sido afinal o nosso trabalho na presença de Deus.

Silvio Dutra

O Mistério da Iniquidade – São Todos os Evangélicos Exploradores?

Como se sentem os médicos que são profissionais corretos, probos, honestos, competentes, quando ouvem alguém dizer que todos os médicos são exploradores e maus?
De igual modo, como se sentem os pastores que são santos, fiéis, honestos, e em tudo irrepreensíveis, segundo a norma bíblica, quando ouvem muitos afirmando que todos os evangélicos são um bando de exploradores e insensatos?
Eu respondo, por este segundo grupo, que é algo triste e duro de ser ouvido, porque não corresponde à verdade de modo geral, ainda que deve ser admitido que tanto no caso de médicos, ou de quaisquer outros profissionais, e de pastores, que sempre houve e haverá o joio entre eles.
Todavia, isto deve ser encarado como um fato, uma realidade já conhecida e prevista nos conselhos de Deus, pois que Ele mesmo permite que haja o erro e os escândalos (tropeços à fé) por parte destes que não se encontram a seu serviço, mas a serviço de Satanás, para que a fé dos que são aprovados seja revelada em meio aos que vivem no erro, como afirma o apóstolo Paulo em I Cor 11.19.
Não é portanto, algo surpreendente, que os que ocupam a maior parte do espaço da mídia televisiva sejam exatamente estes que produzem escândalos, não somente em nosso país como em todo o mundo, especialmente nos EUA, com o assim chamado e falso evangelho da prosperidade material, e pelo tráfico de promessas de curas e toda sorte resolução de problemas associados não à graça dada liberalmente e à mera fé, senão a determinadas obrigações e sacrifícios a serem feitos pelos seus ouvintes e seguidores.
E quanto a isto cabe ressaltar que o propósito principal da fé é a salvação da alma, e não a resolução de problemas temporais, os quais a propósito serão resolvidos ou não segundo a sabedoria e soberania de Deus, que usa as tribulações para o aperfeiçoamento da fé, conforme está fartamente revelado na Bíblia.
Nosso Senhor Jesus Cristo disse que importava que viessem tais escândalos ao mundo, mas ai daqueles pelos quais eles viessem, porque estariam debaixo de um grande juízo de Deus, a ser revelado no tempo do fim.
E quanto aos seus seguidores, destes se afirma que os tais falsos ministros lhes são enviados porque insistiram em dar crédito à mentira e não à verdade. Então receberam o que queriam, e sobre eles também será manifestado o juízo divino no tempo oportuno. Não são portanto, em sua grande maioria, apenas vítimas que são exploradas financeiramente ou de qualquer outro modo por estes oportunistas interesseiros, mas têm neles o juízo divino manifestado em suas vidas por não amarem a Cristo e o evangelho verdadeiro.
Por outro lado, os que se opõem a todo este erro, que a Bíblia chama de mistério da iniquidade, e que no entanto, o fazem para justificar o ódio que sentem por Cristo, pelo seu Evangelho e pelos cristãos, estão também debaixo de um juízo, não simplesmente por generalizarem os seus julgamentos e assim serem injustos em relação aos que são fiéis e verdadeiros em sua piedade, mas, em razão da dureza de seus corações, que não lhes permite abraçarem a salvação que estaria também reservada para eles em Cristo Jesus, caso se arrependessem do pecado e cressem no Jesus da Bíblia, e não neste falso Jesus do qual muitos fazem ousadas asseverações, conforme o dizer do apóstolo Pedro em relação a eles em sua segunda epístola.
O valoroso e fiel servo do Deus vivo, Pr David Wilkerson, que partiu para a glória celestial recentemente, assim se expressou sobre este assunto em um de seus sermões:
“O apóstolo Paulo fala de duas coisas assustadoras que atingirão a Igreja um pouco antes da volta de Jesus. Em verdade, o Senhor não voltará até que estas duas coisas terríveis aconteçam. E eu desejo lhes mostrar, que ambas as coisas estão acontecendo agora mesmo - bem diante dos nossos olhos!
Primeiro, Paulo nos diz que nos últimos dias haverá uma grande apostasia. E segundo, ele previne que um maligno espírito anticristo alcançará muitos cristãos que estão mudando de lado (apostasia)! (II Tes 2.1-12).
Tão certo como é o fato de ter Cristo nos dado o Seu Espírito, há um espírito anticristo possuindo muitos cristãos apóstatas. E este espírito está em ação no mundo - preparando corações para a vinda do Homem da Iniquidade!
"...este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo" (I Jo 4:3).
João está dizendo aqui: "Vocês ouviram a respeito da vinda do Anticristo. Isto tem sido pregado e ensinado, e vocês esperam a sua chegada. Mas, amados, acordem - porque o espírito do Anticristo já está em ação!".
É preciso entender: o Anticristo não vai aparecer de súbito em cena, e dominar a humanidade.
Mas em vez disto, o seu espírito está trabalhando de maneira misteriosa neste momento, estabelecendo o seu reino em corações frios e que aceitam soluções conciliatórias.
E quando o Homem da Iniquidade finalmente aparecer, ele será publicamente revelado para um mundo que já estará preparado para ele - para corações que já são possuídos pelo seu espírito!”.
É a isto que Paulo se referiu quando disse que “o mistério da iniquidade já opera”, pois isto vem acontecendo desde os seus dias, preparando os corações para a recepção do Anticristo (v. 5).
Jesus alertou sobre os falsos profetas que se levantariam no tempo do fim, e também os apóstolos. Paulo disse que nos últimos dias falsos profetas iriam se infiltrar na Igreja, pregando um outro evangelho e um outro Jesus no verso 7.
João escreveu: Não ameis o mundo nem as cousas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo... Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos têm surgido; pelo que conhecemos que é a última hora" (I Jo 2:15-18).
O espírito anticristo se opõe a todos que andam junto a Deus. Ele procura os verdadeiros adoradores - porque deseja que a adoração destes seja para ele próprio!
Ele irá lhe atacar com o medo, com a dúvida, com a lascívia - com qualquer coisa que forneça a ele uma via de acesso para lhe impedir o louvor.
Os cristãos desinteressados, ociosos - aqueles que nunca abandonaram os seus pecados, que estão absorvendo as coisas do mundo - não serão capazes de se sustentar nestes últimos dias. Eles serão colhidos pelo mal!
É por este motivo que Paulo disse que não queria que os tessalonicenses fossem enganados quanto ao tempo da volta do Senhor (v. 3), mas também lhes alertou para que não se deixassem enganar pelo espírito do engano que está operando no mundo e que terá o seu clímax com a manifestação do Anticristo (v. 9).
Engano este que atinge completamente aqueles que perecem, porque não amaram a verdade para serem salvos ( v. 10), antes amaram a mentira.
Estas coisas são permitidas por Deus, isto é, que haja esta operação do erro, de maneira que sejam julgados todos aqueles que não creram na verdade, porque tiveram prazer na injustiça (v. 11, 12). Porque quando não se ama a verdade e não se vive na verdade, a consequência é a de ser enganado aceitando como verdade o que é falso, e é nisto que consiste o engano.
Os verdadeiros cristãos não serão contados nesta condenação porque eles foram escolhidos por Deus desde antes da fundação do mundo para a santificação dos seus espíritos e para terem fé na verdade, e não para viverem na impureza dando crédito à mentira e tendo prazer na injustiça (v. 13).
Ainda que sejam enganados por um período, não poderão permanecer nos enganos, porque o Espírito Santo não permite que os eleitos sejam enganados. Daí quanto a tal possibilidade, nosso Senhor afirmou que se possível fora, como a dizer, não é possível que os eleitos o sejam.
Por isso Paulo exortou os tessalonicenses a serem constantes na sua firmeza e conservarem tudo o que lhes havia ensinado, quer pessoalmente, quando estivera com eles, quer através de suas epístolas (v. 15).
O Pr David Wilkerson disse o seguinte:
“O espírito de permissividade torna-se mais e mais ousado, e a nossa sociedade está à beira de se tornar um inferno de violência. O espírito anticristo penetra agora em nossas escolas, nossos becos, nossas ruas, em nossos negócios, mesmo em nossos lares. E, tristemente, este mal está rapidamente se mudando para dentro da Igreja.
É exatamente sobre isto que a Bíblia previne - Igrejas com forma de piedade, mas sem poder.
O espírito anticristo passa a morar dentro do coração, quando a verdade de Deus deixa de ser amada ou de ser apropriada. "...não acolheram o amor da verdade..." (2 Tes 2:10).
1. O primeiro sinal de perda do amor pela verdade é quando você deixa de se congregar com os outros cristãos. Se ir à Igreja se torna algo que você faz forçado, então você perdeu o seu amor pela verdade de Deus (Hb 10:25).
Aonde estarão os filhos de Deus, se eles não estão na casa do Senhor? Estão nos restaurantes, nas festas, em eventos sociais, esportivos. Mais do que tudo, estão paralisados diante de suas TVs, assistindo programas com uma perniciosidade cada vez maior!
2. Um segundo sinal de perda do amor pela verdade é quando as mensagens de reprovação fazem você pensar no pecado de outra pessoa e não no seu.
3. Um terceiro sinal de perda de amor pela verdade é quando a reprovação lhe torna raivoso em vez de tornar-lhe humilde.
Deus declara que a raiva devida à reprimenda, revela abandono da vereda da santidade: "Disciplina rigorosa há para o que deixa a vereda, e o que odeia a repreensão morrerá" (Prov 15:10).
Talvez algumas vezes você se afaste de um sermão do tipo reprovador, dizendo:
"Esta palavra foi dura demais. E aquele pregador também é muito zangado! ".
Amado, todo pastor piedoso irá pregar com ira santa. E isto porque ele está irado com o diabo, com o espírito anticristo - irado contra qualquer coisa que desvie a sua alma da verdadeira adoração do Pai!
Em 2 Tes 2:12 Paulo está falando da "loucura do prazer."
Nos últimos tempos, aquelas pessoas que vivem em busca de prazeres, às quais ele se referiu, são encontradas dentro da própria Igreja!
Paulo avisa: "Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus" (2 Tim. 3:1-4).
Quando Paulo usa a frase: "...mais amigos dos prazeres que amigos de Deus..." ele está sugerindo que estas pessoas possuem certa medida de amor por Deus. Mas este amor é sobrepujado e contaminado por um amor pelos prazeres do mundo. Paulo está falando daqueles que vão no encalço dos prazeres de iniquidade!
Amado, se você conserva o seu coração aberto à verdade - se você continua a amar a Palavra de Deus - o Senhor o estabelecerá. E quando o maligno espírito deste mundo chegar como em torrentes, Satanás estará incapacitado para construir uma via de entrada para dentro de seu coração (Salmo 125:1-3).
Você não será abalado, porque estará firmemente estabelecido sobre a verdade da Palavra de Deus. Você será encontrado na casa de Deus, adorando com um coração puro. E a sua fé vencerá tudo aquilo que o inimigo trouxer contra você - porque Jesus está assentado sobre o trono do seu coração.”

Silvio Dutra

Precisamos tomar cuidado com o fanatismo. Assim como os católicos e os evangélicos acham que tudo que lhes acontece de ruim é coisa do diabo, nós, os espiritas, corremos o risco de achar que, quando acontece algo que nos desagrada, também, é coisa de espíritos ruins, perturbadores ou coisa mandada. Se tropeçamos em uma pedra, caímos ou sofremos qualquer tipo de acidente ou quando perdemos o emprego, ou um amor vai embora, vamos achar que é coisa de espíritos ruins ou perturbadores, se pensarmos assim, a nossa vida vai se tornar um caos. Precisamos nos lembrar de estamos vivendo aqui na Terra e de que tropeços em pedras acontecem, quedas também, amores vão embora, acidentes acontecem e outras coisas ruins também. Quando alguma coisa dessas acontecer, se pararmos para analisar, vamos ver que 99% é sempre nossa culpa. Falta de atenção, distração, correria da vida e que se alguém vai embora da nossa vida é por que foi o melhor que poderia ter acontecido e que um vai e outro vem. O mesmo acontece com um emprego. Os espíritos ruins ou perturbadores só conseguem se aproximar, quando, usando do nosso livre arbítrio, permitimos através das nossas ações e palavras. Se, em qualquer situação tivermos fé, não tivermos maus pensamentos para com as outras pessoas e procurarmos viver a nossa vida sem julgar e muito menos condenar, não há espirito algum que vai conseguir se aproximar para nos fazer mal. Precisamos tentar viver corretamente e tudo vai ser como tem de ser, sem interferência alguma a não ser quando seja necessário que nossos amigos espirituais se aproximem para nos ajudar.

Elisa Masselli

Os evangélicos modernos estão cheio da Nova Era: usam 10% da santidade e 90% de carnalidade.

Helgir Girodo