Te Incomodo

Cerca de 184 frases e pensamentos: Te Incomodo

O incômodo da realidade é na verdade por várias vezes, a ausência de sua visão..."

Ricardo Garcia

É chato, é incômodo, não passa nunca e é alto.
É insuportavelmente alto. Grita no meu ouvido e explode diante dos meus olhos.
Quanto vai me custar deixar de querer?
Eu pagaria. Eu juro.
E dói como o inferno. E arde e grita e explode.
Tento me acalmar pensando em quão inútil é sofrer pelo que vai sumir.
E imediatamente o medo vem.
O medo da persistência, o medo da permanência.
Meu Deus como faz tempo!
Sai daqui!

Sayonara T.

Engraçado, cada um dá valor a algumas coisas, eu por exemplo não me incomodo com celulites, acho até pontinhos charmosos, não me incomodo de ser gordinha, salvo na hora de comprar roupas, mas se tem uma coisa que me incomoda é ruga e mancha. Vou anualmente ao dermatologista para minimizar sardas, uso cremes diurnos e noturnos e fico incomodada com cada linha de expressão. Tem um creminho nívea que comprei (aliás comprei sem ler, apenas li até a parte que era antirrugas sem atentar que a idade sugerida para usar o creme era de 50 anos) que é um botox que sai na água, seu rosto fica engessado, com cara da Eliana até tomar banho, depois do banho você volta a ser a gata borralheira. Uma coisa! Formidável, Fantástico, Espetacular, tenho 35 mas serviu perfeitamente. Chega de rodeios, vim aqui falar de rugas, não posso fugir delas até porque não tenho dinheiro (ainda) para fazer plástica e minha prioridade é tirar meio metro de gengiva e zerar miopia de 9 graus. Se é pra ter rugas que seja por sorrir demais, se é pra ter rugas que seja por chorar de alegrias e emoções, se é pra ter rugas que seja por piscar com um olho só.

Arcise Câmara

SE...

Se incomodo alguém
É porque existo;

Se me elogiam
Sinto-me bem quisto;

Se falam de mim
Não choro por isto;

Eu sou imperfeito
Mas não anticristo.

Se me fecham a porta
Eu nunca desisto.

Se semeiam a guerra
Na paz eu persisto;

O ódio aproxima-se
Mas dele me disto!

Os tele-jornais
Eu sempre assisto.

As tele-novelas
Não tenho mais visto.

Os produtos da feira
Numa folha eu listo.

Somente me atraso
Quando há imprevisto.

Quem vê só os outros
Não vê que é mal visto!

Quem não ama ao próximo
Não ama a Cristo.

Os versos que faço
Releio e revisto.

Se não sou poeta
Que tendes com isto?

Na hora da fome
Um pão é um misto!

Antonio Costta

Então não me incomodo com nada...aprenda a ver o que é bom pra você...pois eu já sei o que é bom pra mim.

Rosângela Aparecida Ribeiro

Eu não me incomodo de ouvir um NÃO, apenas incomodo de ter de ouvir o SILÊNCIO !

Calebe Asaphe

O pensamento se esparrama
pelo leito utópico, vezes incomoda
incômodo eufórico, vezes árduo
sentimento bucólico, vezes tedioso
algo insólito, vezes tormenta
cheio de tópicos com muitas vezes
vezes nada, vezes algo, ócio.

Maykoll Donazzan

Por que sinto essa fraqueza no corpo e na alma ao lembrar de nós dois?
Por que esse incomodo que engata na garganta tentando sair e o que sai vem dos olhos?
Por que tudo isso?
Pensei que seria apenas “conversas”, mas tô vendo que mudou de nível.
É foda quando se percebe que está gostando e nem dá pra voltar atrás.
Odeio e detesto.
Odeio gostar.
Poderia ter controlado isso.
E quem controla?!
NINGUÉM!

MayaraBarros

Não me incomodo com a sinceridade, mesmo se ela não for gentil, pois seja qual for a verdade, sempre mostrará a realidade do que realmente as pessoas sentem, e nisso saberemos o quão de importância temos.

Sidney Costa

E então suporta-se várias pedras no caminho, mas desiste ao sentir o incômodo de uma ervilha embaixo do colchão.

Paula Izidoro

Tenho medo que eu seja um incomodo ao coração alheio pelos meus constantes pensamentos poéticos e românticos;
Não quero ser tão inconveniente aos olhos de quem me espera algo maior do que eu possa alcançar;

Julio Aukay

Se felicidade incomoda me encontro num incômodo absoluto a sociedade, e só lembrando que não é a felicidade que se desloca é o incomodado que se retira.

Lanna Okuma

"Ou eu agrado ou incomodo as pessoas com meu jeito. É que meu jeito é bem diferente. Se eu gosto fica carimbado na minha cara. E se eu não gosto fica estampado no meu rosto e na minha cara de DESGOSTO. Não sei forçar uma cara boa."

Carlos Adriano

Loucura não é meu problema, eu me incomodo com a normalidade.

Amanda Rosa

Sinceramente não me incomodo com suas palavras ofensivas, mas peço muito a DEUS para não estar aqui para ver o dia que você pagará por suas tolices!

Michaells

Meu anti-socialismo interno é incômodo pra muita gente, mais acredito que nada no mundo agrada totalmente as pessoas!

Lu Moraes Xavier

Que haja vida !


Sabe aquele incomodo excruciante que lhe faz até estremecer ? Aquela sensação de frio na barriga só de pisar o pé em uma roda gigante, em plenas alturas ? Ou até mesmo aquela consciência pesada de comer uma bacia inteira repleta de brigadeiro quente ?

Se sabem, se já sentiram, se já tiveram a oportunidade de experimentar, ótimo.;
Peço agora que imaginem o inimaginável multiplicado por mil.
Dor por mil, angústias por mil, cautela por mil, cansaço por mil, solidão por mil.
Este último termo me assusta e me faz relembrar de momentos em que em plenas multidões se quer sentia um pingo de vontade de estar ali, ou bem estar por estar próximo de outras pessoas.
Uns dizem que é a paixão tomando conta da sua mente, outras dizem que é puro masoquismo e auto-exclusão;

Mas não sei, cada vez mais me levo a crer que não seria nenhum dos casos.
Estou me desacostumando de gente, de estar, de sentir, de tocar.
De afetos.
Não me falta companhias boas, confesso. Me faltam, talvez, vontade de compartilhá-las.
É um sentir de perder pessoas a cada quatro minutos que se passam, é um sentir de estar desperdiçando dias da minha vida em lamento, é estar jogando fora momentos vividos em êxtase com pessoas que hoje mal cumprimento, é estar esperando que a montanha se mova até mim, que o sol se apague , ou que a neve caia no Brasil.
É estar crendo no que , neste caso, só partiria de mim.
É como um processo secundário de socialização. Como se alguém estivesse recluso a meses e voltasse agora para a sociedade agitada destes dias.
Como um recomeço forjado.

Não houve decepções, não houve lágrimas por motivos, não houve perdas por erros próprios.
Houve desânimo.


Desânimo de correr atrás do que antes seria capaz de saltar de um arranha céus, desanimo de dedicar-me ao que não me traria frutos.
Desânimo de bajulação barata.

Penso que não cresci, não amadureci, estou no pé ainda.,
Penso que estagnei.

Sim.
Se não há repouso absoluto, ao menos haverá de existir um repouso passageiro, e que assim seja, eu imploro aos céus.
Repousei.
Não saio do lugar, nem por decreto.
Não envio novamente milhões de sms, não faço mais ligações eufóricas nas madrugadas e não dou mais importância por quem não faria nem metade, quem lhe vê apenas como mera segunda opção, isto é claro quando ainda não se é a terceira.

Chega um momento que a inocência cansa.
Se cansa de ser bonzinho, se cansa de ajudar, se revolta.
Chuta o balde. ( no entanto, sem ataques psicopatas, por favor !)
É um momento que merece uma auto reflexão.

Alguns que me lerem aqui talvez chegarão a imaginar que me ocorreu um surto de amor próprio, pois bem, no início imaginava isso também, caríssimos. Imaginava que a felicidade fosse só questão de ser, e que parar de se importar fosse sinônimo de sucesso.
Mas observando bem este momento, repito que se trata de estagnação, pois se realmente fosse um surto de amor próprio seria mais óbvio que estivesse realizando processos que me fizessem bem e que me trouxessem felicidade, não que não esteja, mas não é este o ponto culminante.
Como já disse, é um momento de reflexão, de pensamento, de rever as circunstâncias, e acertar os ponteiros para que assim possa dar um segundo passo.
Como se a vida fosse marcada de desenvolvimentos, paradas e novamente posteriores desenvolvimentos, isso levando em conta as situações normais das coisas e não o fato de muitos ao invés de progredirem serem antagônicos, voltarem aos erros e estagnarem de vez, em um para sempre muito e muito longo.

Talvez não seja este o meu caso de estagnação, até porque bons motivos mesmo para tal, não detenho. Nem sequer tenho infelicidades que me façam ir em um bar mais próximo e me inundar do primeiro “Orloff” que me oferecerem.
Tampouco me dou o direito a isso.

Um dia desses,se me permitirem o relato, estava conversando com uma amiga, acompanhas de jarras de sucos dos mais diversos e , perdoem-me a propaganda explícita, baldes e baldes de doritos.
Ela comentava meus textos, meus relatos pessoais e, por vezes, sufocantes.
Dizia que pelos escritos dava para se ter uma noção clara que tudo que escrevia remetia a uma jovem ansiosa.

Ansiosa para tudo.
Acontecimentos, sentimentos, ansiosa por maturidade, conhecimento, valorização, euforia.


Admito o que mais temia, sou ansiosa a ponto de querer tudo para ontem.
Ansiosa pelo simples fato de 24 horas não me bastarem e sempre achar que muito mais poderia ter sido feito e que acabei não fazendo;
Tenho ansiedade por tudo aquilo que atiça a curiosidade e que pode me fazer bem. Ansiedade nata.
Penso até que já nasci saltitando da barriga de minha mãe, não esperando a hora do cordão umbilical ser cortado de vez.
Ansiedade por felicidade e paz nesse coração pequenino, mas tão agitado.

As vezes, até me bate uma pontinha de felicidade e orgulho de tudo que eu já fiz, já aprendi, ou até mesmo, daqueles que me dizem que acabei ensinando.
Ando me propondo a limpar a gaveta do guarda roupa,
roupa velha para quê ? Ocupar o coração com quem não lhe interessa mais, qual o sentindo ?
Vamos deixar entrar, deixe.
Deixe entrar o que faz bem, o que te toca e o que ainda te arranca um sorriso torto dos lábios.
Vamos deixar de lado todas essas lágrimas só de ouvir uma música triste que lhe faz lembrar dos momentos que não mereciam ter sido vividos, ou aqueles que mereciam, terem acabado fora de hora.
Vamos deixar as angústias para depois, porque agora o armário tem roupa de sobra, e nem sequer se consegue fechar a porta.
Vamos facilitar e descomplicar o que é tão óbvio.
Sim, é na terceira pessoa do plural.
Estou me aconselhando, e peço que façam o mesmo.
Se aconselhe do que é bom.

Chorar tempo demais seca as córneas e estas lágrimas podem lhe faltar quando forem realmente necessárias.
Larga esse desespero tolo, que desespero algum já resolveu problema.

Então pronto.
Levanta logo dessa cama, que até o feriado e a primavera chegaram,
troca essa roupa, enxuga esse rosto, pensa que é só você que tem
problemas ? Não querido,
olhe bem para esta inútil escritora que lhe escreve, por exemplo.
Arruma este cabelo, carrega um bom livro à tiracolo e sai por aí como quem sabe viver a vida.

É.

Não há tempo para descanso nessa vida de inexatidão. Nem mesmo quando as dores ardem nas costas ou quando os joelhos já estão tão ralados de dar dó.
Não tem como.
O jeito é viver e não apenas sobreviver.
Pois embora muitos ainda respirem, poucos são capazes de perder o fôlego.
Por via das dúvidas, há de se dar vida aos dias, ou melhor, a cada segundo destes.

Portanto, que se viva e que seja doce.
“On a à vivre.”
Fazer o quê, né ?

Amanda Lemos

Essas suas frases amplas é o que me deixa inquieto, mas, agora será substituída essa dor/incômodo por prazeres meus. Que devia ter feito há meses.

SaulodeTarso

Eu incomodo sua liberdade, por que ela não existe, se você fosse livre, meus atos não lhe incomodaria.

Cello Vieira