Sociologia da Educação

Cerca de 98 frases e pensamentos: Sociologia da Educação

A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida.

John Dewey

Se a educação sozinha não pode tranformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.

Paulo Freire

Educar uma pessoa apenas no intelecto, mas não na moral, é criar uma ameaça à sociedade

Theodore Roosevelt

" A creditamos que a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.
Se a nossa opção é progressiva, se estamos a favor da vida e não da morte, da equidade e não da injustiça, do direito e não do arbítrio, da convivência com o diferente
e não de sua negação, não temos outro caminho se não viver a nossa opção.
Encarná-la, diminuindo, assim, a distância entre o que dizemos e o que fazemos"

Paulo Freire

Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade.

Paulo Freire

A educação é simplesmente a alma de uma sociedade a passar de uma geração para a outra.

Gilbert Chesterton

A Educação é o único veículo capaz de conduzir o ser humano à construção de uma sociedade, onde direitos e deveres sejam prioridades, e a palavra cidadão seja sinônimo de respeito e autenticidade.

Ana Fraga - Ivaiporã

O que a sociedade merece de mim?
A minha grosseria e a minha falta de educação

Mallu Moraes

A sociedade que nos critica é a mesma que nos educa

Desconhecido

A educação nos preparam para conhecer o mundo externo, mas
não para explorar o território do nosso "Eu".

Ivan Dionizio da Cruz; Filosofo e Mestre em Sociologia.

Homens e Mulheres mesmo em casas separadas e com filhos, precisam acima de tudo compartilhar a educação.A figura masculina exerce função primordial na formação de uma criança.

Bindes, Fá - social

A Racionalidade na Educação das crianças é um círculo que tem que ser VIRTUOSO, visível equilibrando negativo-positivo, para que não vire uma bola de fogo pelas ruas.

Bindes, Fá - social

Como em todas as classes ou grupos sociais encontraremos dificuldades na forma de nos relacionarmos uns com os outros, porém, isso não significa exatamente que tudo aquilo que diverge e converge não possa nos alçar a um novo patamar ou permitir que escrevamos uma nova história, de GARRA e não de GUERRA.

Humanidade Cultura de Paz Não-Violência Diálogo Educação

A educação é a maior ferramenta para á igualdade social entre os homens

Carla Emanuela

Educação e Respeito
Hoje fiquei a refletir em como certos valores estão mudados em nossa sociedade, em como já não mais se educa para o respeito. É o filho que não respeita e não deve obediência a seus pais, casais que não respeita o compromisso existente entre eles, empregado que não cumprem suas obrigações... (poderia citar vários exemplos).
Respeito sempre foi e sempre será o centro da moralidade. É muito complexo, pois, impulsiona todas as ações de relações entre os homens, todas “respeitosas”, mas em dimensões muito diferentes.
É comum associar respeito à ideia de submissão. Isso acontece quando se diz que alguma pessoa obedece incondicionalmente à outra. Não esqueçamos que tal submissão pode vir do medo.
Respeita-se o mais forte, o mais poderoso, não porque mereça, mas simplesmente porque detêm o poder.
Quem já não ouviu as seguintes expressões:
“Sabe com quem está falando?”
“Quem você pensa que é?”
“Eu sou mais que você, portanto, respeita-me.”

É claro que muitas vezes a dignidade humana é ferida porque não há reciprocidade. O ideal seria a igualdade. Se devo respeitá-lo, você também deve me respeitar; trata-se de respeito mútuo. Isso faz toda diferença!
A nossa sociedade ensina que “não devemos levar desaforo para casa”, ou ainda, “bateu levou”. E é assim que muitas pessoas agem. Há aqueles que esperam o momento certo para se vingar. Levam anos curtindo raiva, ódio e ressentimentos, gastando tempo e energia, buscando meios de destruir a vida de alguém. Que desperdício!
Há ainda aqueles que se destacam por divulgar a maldade. E, em tempos atuais isso se torna mais fácil, por intermédio das redes sociais. É de livre acesso esmiuçar a imagem alheia e fazer uso desta imagem para algo impróprio.
Há muitas inverdades e são tão bem colocadas, tão bem disfarçadas e por ser tão repetidas descaracteriza a verdade.
Devemos agir corretamente, sem ódio, sem vingança. Pagar o mal com o mal é desperdiçar o valioso tempo com “coisinhas” sem importância.
A maldade corrói a alma do maldoso. Quem comete injustiça e age com maldade já sofre pela ausência da bondade. Agem desta forma talvez por não ter sido educado adequadamente para o respeito.
Respeito! Como isso é importante. Respeitar o espaço do outro. Respeitar as ideias e a história de cada pessoa. Compreender que Deus nos fez único, e por isso somos completamente diferentes uns dos outros.
Precisamos nos reeducar no respeito. Com palavras, quando necessário; e com exemplos, isso sempre!
Pais precisam dar bons exemplos a seus filhos, caso contrário vão ensinando antivalores aos filhos (pais fofoqueiros ensina a criança fazer fofoca; pais mentirosos ensina a criança mentir).
Não se faz com que a pessoa respeite, maltratando-a. Não se ensina um filho com espancamentos e agressividade. Não se educa com berros e palavrões. Não se ama com agressões físicas e morais. A autoridade com simplicidade e respeito ganha muito mais significado.

Sonia Souza

Educar é um ato de coragem e afeto

Desde as mais remotas civilizações, a convivência social foi um grande desafio. Mulheres e homens, crianças e velhos, cada um à sua maneira tentou ao longo dos tempos percorrer os caminhos da sabedoria para encontrar a tão sonhada felicidade. O ser humano é social, não vive sem o outro e, sem o outro, não consegue ser feliz. Nesse instigante espectro, podemos reconhecer a grandeza divina - somos mais de cinco bilhões de pessoas, e somos únicos. Não há duas pessoas iguais. Sonhos, medos, alegrias, desesperanças... Vida. Nesse mosaico fascinante é que se percebe a importância e a grandeza da arte de educar. Educar é um ato de cumplicidade, de troca, de amor. Educar é ato de vida, o caminho e o encontro da felicidade. Educar é arquitetar e construir o futuro, é o abnegado ofício de plantar e colher. O grande desafio da sociedade contemporânea está aí: educar! Garantir, pelo conhecimento, a liberdade e o desenvolvimento dos povos. O problema econômico mundial passa pela educação. Povo educado tem mais higiene, consequentemente mais saúde. Povo educado trabalha melhor, portanto tem mais produtividade. Ou seja, com bons níveis educacionais se gasta menos, se ganha mais. É comum termos contato com relevantes dados do mundo informacional, a revolução tecnológica, o progresso científico, os avanços da engenharia genética e outras espetaculares façanhas conquistadas pela mente humana. A máquina alcançou patamares impressionantes, é verdade. Entretanto, o ser humano chegou ao macro e ao microcosmos, mas, não chegou ao essencial. Se as viagens entre países e continentes ficaram mais rápidas e seguras, a viagem ao interior humano ainda é penosa, complexa e rara. Em pleno Século XXI ainda se fala em discriminação, preconceito, isolamento racial, social, econômico. Na vivência da era digital, ficção literária e cinematográfica, a violência não cedeu espaços à paz, a tão desejada paz entre mulheres e homens. Assim, podemos afirmar que a educação é um ato de coragem e afeto. Coragem, porque não será a máquina ou o computador que substituirão o maestro da orquestra, o regente do processo de saber, a essência da educação: o professor. Nesse contexto, a educação torna-se ainda mais importante. Afeto, porque educar é um ato de amor ao próximo e a si mesmo. Quem educa não apenas ensina como, permanentemente, aprende. Crescem ambos os que estão envolvidos nesse diálogo, o mestre e o aprendiz. Porque se confundem na mesma pessoa, na troca de conhecimento. Na evolução pelo saber. No equilíbrio do amar e ser amado, do dar e receber. No universo cada vez mais competitivo que ora vivemos, coube à escola também acumular a tarefa da educação como forma de preparar para a vida, como um todo. Construir homens e mulheres capazes de não apenas viver, mas, principalmente, entender a vida e participar dela de forma intensa. Gente que, pelo saber, exerça a liberdade com responsabilidade e saiba defender os seus direitos; verdadeiros cidadãos. Por tudo isso, o papel do professor tornou-se ainda mais importante. O ato de ensinar, de aprender e, junto com os alunos, descobrir novos e maiores horizontes passou a exigir ainda maior empenho e dedicação. No mundo globalizado, para que o professor consiga cumprir o seu compromisso de preparar de forma ampla para a vida cada um de seus alunos, é preciso ter em mente mais do que um bom projeto pedagógico, um bom aparato didático - é indispensável ter coragem e dar afeto. Nesse sentido, mais do que nunca, faz-se indispensável a valorização do professor. É primordial que, além da consistente formação acadêmica e prática, o professor possa ter acesso a constantes programas de atualização e desenvolvimento profissional, participe do projeto de educação do qual será o agente e, claro, seja remunerado com dignidade e tratado com respeito. O aprendizado transcende os muros da escola, ultrapassa os limites dos graus de formação, é necessidade constante de todos, professores e alunos, dentro e fora da instituição. Eis o grande desafio da sociedade e dos governos: desenvolver uma Educação substantiva. A escola deve ser um espaço sagrado, no qual a convivência seja prazerosa. É o sonho e a realidade que se misturam na nobre missão de construir uma sociedade iluminada. A revolução da Educação é a revolução da humanidade. Colheita de uma semeadura corajosa e competente. Luz que poderá fazer germinar uma geração sem preconceitos e discriminações; com menos violência e apatia. A revelação do melhor, a essência do bem, o encontro da felicidade.


Publicado no Jornal A Tribuna - Santos

Gabriel Chalita

Analisando bem os educadores que têm grande importância nos meios político-sociais de um país, no sentido de seus compromissos com a igualdade e a fraternidade, ou mesmo a educação no seu sentido mais amplo, noto que eles, ou são naturalmente sensíveis(aqui insiro os auto-didatas) para as causas humanitárias, ou se fizeram em boas universidades públicas. Há muitas honrosas exceções relacionadas aos oriundos de boas escolas religiosas, mas que não fazem da religião sua úinica verdade para educar.

Cairbar Garcia Rodrigues

A educação não é somente um empenho social, mas a necessidade real da própria alma.

Valdeci Alves Nogueira

Educação
Do meu ponto de vista, a Educação é necessária para crescimento de uma sociedade. Atualmente tem sido um tema de reflexão para muitos pensadores e contribuidores da Educação como os Professores, mesmo com seus salários ainda baixos, procuram abranger o ensino para todos os grupos onde ainda não chegou e procurando ampliar onde já tem a Educação com melhor planejamento, mas depedendo das reformas de superiores para que esse ensino chegue a todos com qualidade e com lugar adequado.
O termo Educação é empregado de um modo em geral, não pode considerar a Educação só na escola ela vem desde os princípios básicos como a família e até a mais alta Educação.
Há uma grande preocupação, pois a Educação está ainda muito londe de ser modelo na sociedade, quando mais cresce a Educação tem que elevar o grau de qualidade e não de quantidade.
Investi na Educação seja ela qual for, torna um país com mais desenvolvimento, já pensou se a maioria da população não fossem educados desde pequenos pelos seus pais, ficassem só com a Educação de fora?
Mesmo sabendo de tudo isso, o patamar de Educação boa para um povo está só no papel, Educação é para todos, é “inevitável”, e dela dependemos para ter algo melhor como um bom emprego.
O Meio Ambiente por exemplo tem sido tema de discursão sobre Educação, temos que ser educado suficiente para conservar o Planeta limpo e sem provocar ações que prejudica o Ambiente de um modo geral, ter Educação é abrangente para todas as áreas, por isso precisa ser um tema especial e para todos da sociedade.
No Brasil deveria ter mais investimentos na Educação, o maior vilão de uma pessoa não conseguir produzir um bom texto ou ter preguiça de ler um bom livro é a falta de incentivo nas escolas. E para ter incentivo as escolas tem que está preparada com bons profissionais, os professores deveriam ter bons salários, não tem nada que encha os olhos dos estudantes para um bom crescimento escolar, vai para uma escola onde não tem lazer, não tem uma Biblioteca de bons livros e isso só vem desestimulando os estudantes, uma boa Educação no Brasil está ainda muito longe de acontecer, deve existir interesse político para acabar com o analfabetismo e o sem-analfabetismo no Brasil inteiro, nosso país tão rico, com pessoas carismática e carentes em uma sociedade desigual, muitos com grandes fortunas e outros lutando para a sobrevivência e a Educação faz parte de maior parte de qualidade de vida e desenvolvimento de um país.

Adaildes Alves Moreira

A periferia não é um cancer da sociedade, a periferia só quer educação, cultura, lazer, saúde, respeito, dignidade...

Kaab Al Qadir