Sobrinha Querida

Cerca de 628 frases e pensamentos: Sobrinha Querida

Se eu te chamar de fofa, lindinha, gracinha ou querida depois de te conhecer, é porque eu não gostei de você.

Ingrid Ellen

Querida amiga falsa, queria te dizer que sem você eu não seria a mesma. Obrigada pela propaganda que faz de mim pelas minhas costas. É um prazer surpreender cada pessoa que se aproxima pensando que sou uma, e depois descobre outra, totalmente diferente. Obrigada por me odiar tanto assim, despertar o ódio em uma pessoa tão falsa como você, pra mim é um prêmio, é a prova que estou fazendo tudo certo. Eu te amo e por favor, prometa que nunca deixará de me odiar. Beijos

Amanda Sanches

•Perfil de uma Garota•

-> Menina que te encanta
# Garota determinada
Querida & amada
Menina feliz em seu mundinho
Satisfeita com a vida…
Que agradece a DEUS todos os dias
Pela família e amigos que teem
Pois sem eles não seria nada
Amo vocês □

Excesso dee meel ’ a dosee certa dee saal
~/□ Naao troque a liberdade poor puraa ilusão
Use a cabeça e também o seu □

● Soou a solução dos seus problemas oou simplesmente a causa deles! 6’6

>> Você pode olhaar, maas não podee tocaar!
>Porque soou fria como fogo e quente como geloo.
Você já esteve no paraisoo?? eeu soou 10x melhor! ...
>> De mil maneiras que posso ser, sei que uma delas vai te agradar...

□ Sonhe com a vida, mais não perca a vida por um sonho... o sentido da vida não esta no que pensamos, mais sim no que fazemos. □

- Não tão complicada demais, mais nem tão simples assim!*

Caroline Castello

Querida inveja não importa de quem você vier , só quero te dizer meu caráter é muito maior , que você !

Marcela Carvalho

Que Deus te abençoe minha querida amiga, com paz, saúde e alegria; e, mesmo nos momentos mais difíceis e inevitáveis, você possa contar com ele que é o verdadeiro amigo de todas as horas, e se os degraus da vida tiverem difíceis de subir, segura na mão dele que com certeza, encontrarás forças necessárias para prosseguir.

Um FELIZ ANIVERSÁRIO para quem faz meus dias mais especiais com sua existência: Você!

Feliz aniversário, Amiga.

Ilana Medeiros

CARTA PARA LER E REFLETIR DE UMA MÃE PARA SUA FILHA

"Minha querida menina, no dia que você perceber que estou envelhecendo, peço a você para ser paciente, mas acima de tudo, tentar entender pelo o que estarei passando.
Se quando conversarmos, eu repetir a mesma coisa dezenas de vezes, não me interrompa dizendo: “Você disse a mesma coisa um minuto atrás”. Apenas ouça, por favor. Tente se lembrar das vezes quando você era uma criança e eu li a mesma história noite após noite até você dormir.
Quando eu não quiser tomar banho, não se zangue e não me encabule. Lembra-se de quando você era criança eu tinha que correr atrás de você dando desculpas e tentando colocar você no banho?
Quando você perceber que tenho dificuldades com novas tecnologias, me dê tempo para aprender e não me olhe daquele jeito... Lembre-se, querida, de como eu pacientemente ensinei a você muitas coisas, como comer direito, vestir-se, arrumar seu cabelo e lhe dar com os problemas da vida todos os dias... O dia que você ver que estou envelhecendo, eu lhe peço para ser paciente, mas acima de tudo, tentar entender pelo o que estarei passando.
Se eu ocasionalmente me perder em uma conversa, dê-me tempo para lembrar e se eu não conseguir, não fique nervosa, impaciente ou arrogante.
Apenas lembre-se, em seu coração, que a coisa mais importante para mim é estar com você.
E quando eu envelhecer e minhas pernas não me permitirem andar tão rápido quanto antes, me dê sua mão da mesma maneira que eu lhe ofereci a minha em seus primeiros passos.
Quando este dia chegar, não se sinta triste. Apenas fique comigo e me entenda, enquanto termino minha vida com amor. Eu vou adorar e agradecer pelo tempo e alegria que compartilhamos. Com um sorriso e o imenso amor que sempre tive por você, eu apenas quero dizer, "eu te amo minha querida filha”.

Magda Simas

Chegas-te de mansinho
Boa noite minha querida,
Disseste-me tu baixinho,
No meu ouvido e ...
Colas o teu corpo ao meu,
Da tua maneira disfarçada…
Perfumada com carinho.

Pelo meu corpo de mansinho,
A tua mão tocou-me com carinho..
Sem vergonha, nem pudor,
Mostraste-me esse desejo...
De fazer amor comigo.

Sabes amor...
Esses minutos de prazer,
Iluminam-me o rosto e o corpo,
E não me deixam esquecer...
Que eu te amo e...
De quando tu me amas...
Não deixe que um dia alguém lhe diga,
Que amar assim é pecado!

isabelRibeiroFonseca

DATAS QUERIDAS!

“Parabéns pra você
Nesta data querida...”
Assim se ouve
Na singela cantiga
Que em poesia aprouve
Torná-la em eterna melodia!

Mas “querida” por quê
Se nunca quis nascer?!
Nem lembro-me desse dia
E nem de muitos outros que gostaria
Não que os rejeite
Ou que não os aceite
Ou que os tenha por insignificantes
Pois certamente foram importantes
Mas simplesmente não lembro
Ficaram no esquecimento
Ocultados em alguma sala no Tempo!

Mas algumas perguntas tenho a fazer:
“Quando realmente eu nasci?!”
Há alguém que possa responder?
Seria quando do ventre eu saí
Quando as palavras aprendi
Quando nas muitas vezes que caí
Ou quando a falta eu senti?
“Quando eu nasci?!”
Haveria apenas uma data
Para fazer a natalidade comemorada?

O Universo não sabe o dia do seu aniversário
Ou do seu primeiro nascimento
Talvez porque são vários
Os eventos que lhe trazem o surgimento!
E eu?! Também não sei o meu!
Pois ainda estou nascendo!
E ao mesmo tempo que nascendo
Prossigo envelhecendo
Lentamente morrendo!
E ao mesmo instante que apareço
Caminho ao desaparecimento!

Oh datas queridas!
Que fazem a Vida nascida
Ou seria desnascida?!
Seja como for
Esta é a Vida que nos foi concedida
Para ser vivida
Sentida
Aprendida
Sofrida
E tantas outras “idas”
Pois a VIDA
É um caminho só de ida!

E quem sabe, por isso
Aquela data
A qual chamam de início
Não se faz na memória lembrada
Não que o denominado princípio
Esteja na condição de frívolo
Mas em algum lugar fica esquecido!
Para nos lembrar que ao contrário de um livro
A Vida não tem um exato prefácio
É escrita como um diário
Podendo cada dia ser um aniversário!

Mas se nesta data específica
Na qual se canta a cantiga
Os convidados me perguntarem:
“Quantos anos você tem?”
Responderei:
“Anos de vida?
Não sei!
Pois os anos que passaram
Já não os tenho mais
Passaram pelo meu corpo
E não voltarão jamais!
Ah este dia que me presenteia Àgosto!
Dia em que lembro que morro
Pelas marcas no meu rosto
Mas que também creio, sinto e vejo
A Vida que me abraça com muito gosto
Conduzindo-me com extremo desejo
Aos anos que ainda não tenho no corpo!
E não sei se me terão
Pois é um caminho misterioso
Não me atrevo a tal afirmação
Apenas acredito
No que pode ser possível!”

Carlos Coléct

Ninguém pode tirar de você:

A graça de ser querida,
A fé no amor, mesmo em tempo de guerra,
A força para transformar sua vida,
A esperança de realizar sonhos,
A liberdade de mudar de idéia,
A humildade de ser imperfeita,
A vitória de ter resistido a uma tentação,
A coragem de ser simplesmente você,
A honestidade de assumir suas limitações,
A disposição de tentar mais uma vez,
A vontade de enfrentar desafios,
A capacidade de pedir ajuda,
A sensação do dever bem comprido,
A certeza de que a vida vale a pena!

Desconhecido

Minha Querida,
Será esta a última carta que te vou escrever. Torna-se necessário que o faça para ficares a saber o que tenho de novo para te dizer. Lembra-te que não me interessa saber se vais ou não dar importância, acho porém, que seria justo da minha parte dar conhecimento.

Conhecer-te foi algo maravilhoso e os momentos que vivemos juntos, considerei os mais fantásticos de sempre. Foste sem dúvida a pessoa mais importante da minha vida e não vou negar que serás inesquecível, dure dias ou anos. Assim serás por ter sofrido demais com este amor não correspondido e não penses que te condeno por isso, muito menos quero que fiques com a ideia que o meu amor por ti se transformou em ódio ou raiva. Não, claro que não, não transformei esse amor em sentimentos opostos, nem sinto mais amor por ti. Tu sabes perfeitamente o quanto eu sofria, sempre soubeste e por isso quero que te sintas bem com esta carta que te escrevo. Vives dentro de mim por tudo o que representaste de bem e de mau também, a revolta, tristezas ou desilusões que me causaste, só aconteceram por eu ter permitido que me fizesses mal ou melhor, eu é que me mal tratei e sei melhor que ninguém que nunca me quiseste magoar.

Acho que sempre tiveste medo quando falava desse amor por ti. Tiveste medo de confiar, acreditar ou apostar naquela relação que poderia vir a ser eterna. Na minha opinião isso revela uma tremenda insegurança da tua parte, demonstrada pelas vezes que dissemos um ao outro para cada um seguir o seu caminho e horas mais tarde estávamos de novo juntos. Insegurança essa mais que revelada na forma como decidiste sair da minha vida, ao não teres sido capaz de apresentar um motivo ou a coragem para dizer adeus. Não tenho dúvidas, que se o tivesses feito, tinha sido mais fácil esquecer-te, o que revela a meu ver seres muito imatura, dona de um mundo que se torna pequeno até mesmo para albergar a tua presença. Durante anos vivi apaixonado por ti. Primeiramente lutei com todas as minhas forças para te conquistar. Nesses momentos sonhava contigo de uma forma optimista. Ao final de alguns meses percebi que lutar não era tudo – decidi esperar por ti. Vivia uma mistura de amor com solidão e por fim, tinha chegado a altura de perceber que o nosso destino, aquele que nos juntou, era o mesmo que não iria querer que ficássemos juntos. Ainda acreditei que íamos ficar amigos, o que nem isso aconteceu.

Após a tua ida, atravessei diversas fases. Aceitar que já não estarias mais ao meu lado, aceitar que não irias voltar a chamar-me de “meu amor”, acordar com o teu bom dia ou adormecer ao sabor da tua voz romântica, levou-me ao desespero. Chorei rios de lágrimas, não tenho vergonha de admitir, chegando à conclusão que quem não nos quer ver a sofrer, não dá motivos para derramar uma única lágrima. As saudades doíam, mas isso é algo que vamos ainda sentir, não achas? Eram estas as cartas o meu refugio para diminuir a intensidade das saudades e consciente que enquanto pensava em ti, estava a dar-te espaço e tempo quando o que toda a gente me dizia não seres merecedora. Veio a fase do falso esquecimento, coração cicatrizado de profundas feridas, fingindo que amava outras mulheres na expectativa que elas iriam fazer-me esquecer-te. Mas acredita que é das piores coisas que podemos fazer, por não trazer bons resultados. Pensava em ti, em nós, aquilo que fomos e podíamos ter sido, se bem que hoje agradeço por tudo ter acontecido tal como aconteceu. Tu foste a minha grande aposta e a minha maior decepção. Eu quis tanto que me amasses, mesmo sabendo que não se pode querer isso dos outros.

Entre o querer esquecer-te e continuar a viver com uma dor mais amenizada, levou o seu tempo, o que também em nada ajudaste. Gostava que a tua vontade consistisse em que tudo fosse mais leve para mim. Se não me amavas, a dor da despedida podia ser menor caso fosse essa a tua intenção, mas acho que nem em mim mais pensaste quando arranjaste namorado, acabando por ficar sem espaço na tua vida. Não estou a incutir culpa e sobretudo para mim, porque já sofri tudo o que tinha a sofrer por ti. Eu não morri, mesmo que tenha visto a morte pela frente, passei a relativizar o que não se torna fundamental para a minha sobrevivência. A proximidade com a morte tem um lado profundamente libertador. Acredita que nós nunca morremos, apenas passamos para uma outra dimensão e eis que tinha chegado o momento certo para te esquecer e ver a vida com outros olhos. Foram estes mesmos olhos que viram de novo uma forma de vida bem mais feliz, pela ausência da tua existência. No teu lugar não existe mais ninguém, esse espaço simplesmente foi extinto dentro de mim, colocando uma simples placa a dizer: Tudo passa! Pois é minha Querida, é bem verdade que tudo passa na nossa vida, como tu passaste por mim e não ficaste. É preciso que queiramos muito para que tudo passe e eu quis muito. Hoje posso dizer com toda a certeza que te esqueci. Mas não é só isto que quero dizer para ti, aliais o motivo maior para estar a escrever uma última carta, serve para que saibas que hoje vivo imensamente feliz por ter vencido as lutas em teu nome e que iam destruindo a minha vida. Vivo de novo apaixonado por uma mulher, diria profundamente apaixonado e conhecedor dos meus sentimentos serem recíprocos. Ela faz-me sentir bem comigo mesmo, bem com ela, bem com a vida e bem com todos. Este amor pode não ser para sempre, mas é inesquecível a cada dia que passa. Sabes que Ela fez-me acreditar em coisas que eu mesmo desconhecia dentro de mim? Pois bem, às vezes somos um poço de preciosidades que desconhecemos ter, achamo-nos pobres, quando na verdade somos possuidores de uma infinita riqueza.

Para terminar, não utilizarei mais a palavra “nós”, porque naquele dia D – dia do teu esquecimento, passámos a ser Eu e tu. Para ti desejo do fundo do coração que sejas imensamente feliz. Peço ainda que me perdoes todo o mal que possa ter causado, o que quanto a mim, perdoei-me e perdoei também os teus erros. Desejo que ames muito nesta vida, em primeiro lugar que ames a ti própria e só assim conseguirás amar os outros. Uma vida sem amor é como um rio sem peixes. Darei continuidade à minha vida com a mulher que eu agora encontrei e me faz desejar viver ao seu lado o resto da minha vida. Nunca pensei que amar fosse tão bom.

Se porventura um dia quiseres falar comigo, a minha porta continua aberta para uma visita tua. Espero que venhas por bem, caso contrário, o caminho que te traz até mim, será o mesmo que te leva de volta. Não te arrependas por não termos ficado juntos, acredita que me sinto bem mais feliz com Ela do que senti contigo. A vida é mesmo assim. Devolvo-te a chave de tudo o que aconteceu entre Eu e tu, não a quero mais comigo. Revive cada momento ou simplesmente atira-a sem destino e segue com a tua vida, assim como eu sigo com a minha com a certeza que no final da tempestade, um céu azul e um sol brilhante espera por mim e que jamais andaria sozinho, jamais. Caminhei, caminhei e encontrei quem sempre quis…até sempre.

Desconhecido

rovas de Amor

Esta menina querida
é meu pé, é minha mão
minha alegria na vida
meu arroz e meu feijão

ela é meu rio, meu lago
meu riacho, meu açude
ela é meu beijo e afago
não quero que ela mude

ela é meu dedo e anel
minha camisa de linho
minha garrafa de mel
meu consolo, meu carinho

se a carne mata a fome
o beijo mata a saudade
a tristeza me consome
eu quero é felicidade

me abraça bem abraçado
quero todo o teu carinho
sem teu abraço apertado
vou me perder no caminho

és água que mata a sede
és chuva no meu roçado
és punho na minha rede
és rima neste recado

essa menina adorada
essa menina querida
que alegria danada
ter ela na minha vida

Desconhecido

Oh! Mãe querida Nossa senhora Aparecida, Oh! Santa Rita de Cassia, Oh! meu Glorioso São Judas Tadeu. Protetor das causas impossiveis. Santo Expedito, O Santo da ultima hora e Santa Edwiges, a Santa dos Necessitados intercedei junto ao Pai por mim, pedir a graça (GANHAR NA MEGA SENA ACUMULADA) Eu vos glorifico e vos louvo sempre curvar-me-ei diante de Vós. Rezar; 1 Pai Nosso, e 3 Ave-Marias. Confio em Deus com toda as minhas forças e peço que ilumine o meu caminho e a minha vida. Amém. Atenção: Rezar e publicar por 3 dias. Observar o que acontecerá no 4° dia sua graça será alcançada por mais difícil que seja. Amém. - See more at: http://inforum.insite.com.br/124927/13289868.html#sthash.FBCxG7qp.dpuf

Desconhecido

Querida, adorável Elizabeth, quanto lhe devo!
Ensinou-me uma lição, muito dura, a princípio, mas muito vantajosa.
Por suas mãos recebi a humilhação que devia.
Aproximei-me de você sem duvidar de que seria aceito.
Sua recusa me mostrou como eram insuficientes minhas pretensões de agradar uma mulher digna de ser agradada"

Jane Austen

Ah, meu maior amigo, nunca mais
Na paisagem sepulta desta vida
Encontrarei uma alma tão querida
Às coisas que em meu ser são as reais.

Fernando Pessoa

Minha prima querida.
Garota do meu coração.
Engraçada, meio maluca
essa é minha flor do sertão.

Warley Tomáz

Querida sinceridade, você só não me faz mal, porque é a mais pura verdade.

Amanda Rosa

Querida, nosso amor nasceu em estado terminal...

Helom

4ª CARTA

Julho de 2012, Piracicaba/SP.

Querida Clarissa,
entrei no curso como havia lhe escrito na última carta. Precisei escrever sobre isto, porque hoje, após duas semanas de curso, estava conversando com Willian – um colega – e enquanto marcávamos para assistir o jogo da quarta-feira me deu um branco, sabe? Aqueles momentos que a gente para e fica pensando, foge do lugar, voa longe... É que lembrei que estou conhecendo pessoas novas.
É um processo longo essa coisa de continuar a vida, não é? Acho que estou passando pelos últimos capítulos deste livro, logo chega a hora de começar um novo. Conheci pessoas totalmente diferentes de mim e acho que isso foi a melhor coisa que me aconteceu. Eu sei que é estranho, mas estou empolgado. E empolgação é algo que não combina comigo.
Troquei de emprego, resolvi ir atrás de fazer o que eu gosto. O curso é ótimo. Continuo com a faculdade, porque não é hora de desistir. “Desistir” é palavra desconhecida de meu dicionário daqui pra frente. Comecei a fumar, confesso. Mas tu me conheces, sabe o quanto sou ansioso, e o quanto preciso de algo para quebrar meus conflitos. O cigarro vem descarregando as energias e não pretendo parar tão cedo.
Ando conversando pouco com a família que deixei na velha cidade. Ainda não é tempo de amarrar os laços novamente. A casinha que aluguei está ficando do meu jeito e, por enquanto, não tenho vizinhos; o que é ótimo, porque posso colocar minhas músicas no meu volume durante a madrugada; e o que é ruim, porque pela primeira vez gostaria de ter vizinhos. Ah, claro, “durante a madrugada” não perdi a insônia. Nem sei se isso é algo que “se perde”, porém não irei continuar com os remédios para o sono.
Comecei a ler um livro maravilhoso segunda-feira, chama-se “As cinzas que se tornaram fogo”. Tenho certeza que gostaria de ler este livro. Fala sobre um rapaz que teve que re-começar a vida. Re-começar assim mesmo, com hífen separando porque ele na verdade nunca havia começado nada. Sei lá, o livro mudou minha ideia sobre o “começar”. A gente só começa aquilo que termina. Se não termina, não existiu. Pode descartar.
Bom, no momento não tenho muito a escrever. Peguei o papel com uma felicidade desigual e pensei: “Preciso contar à Clarissa o quanto minha vida está sendo vida.”. Porque, sim. Sim, Clarissa. Você estava certa. Eu não tivera vida antes. Eu brincara com ela.
E como você mesma me ensinou, a tristeza é o único sentimento que nos faz escrever palavras belas. A magia do amor, a alegria e a paz, não nos trazem a mesma reflexão. Talvez seja isto: Eu ando bem, meu amor. Eu ando tão bem que escrevo tão pouco.

Com amor,
Danillo.

Gabriella Beth Invitti

Dos poemas.

Eu disse a moça: “Apaixone-se por qualquer um, minha querida. Menos pelo poeta...”. A moça, toda delicada, riu-se por inteira e me perguntou o motivo. Foi quando lhe expliquei: “Os poetas são muito gentis. Amam como ninguém mais ama. Entregam-se para o amor. E nas palavras deles sempre estará o amor que eles sentem por tu... Cada detalhe, cada sentimento, dúvidas, alegrias, sonhos, planos... Tudo! Exatamente tudo que eles vivem, eles colocam nas palavras. E é tudo muito bonito. É tudo muito lindo e deleitoso de se ler. É muito romântico e faz o coração das moças baterem mais forte... Mas, os poetas, minha bela Julieta. Eles têm alma livre, possuem a liberdade de suas palavras e não se prendem a um só amor. Eles têm ânsia de aventuras e de amores novos para seus poemas... Após muito amor e maravilhosos momentos, eles buscam novas rimas. Buscam novas cores de olhos, novos cheiros, novos sabores de lábios e novos lugares para detalharem em palavras. Enfim, quando eles já não se interessam, começam a escrever o desinteresse. As palavras de amor tornam-se palavras dolorosas de se ler. E não é bom ler nas rimas de um poema, que teu amor não lhe quer mais... Não, isto não é nada bom! Por isso, se quer bons conselhos, minha dama. Eu só tenho um para lhe dar: não se apaixone pelos poetas. Eles são os mais interessantes e bons de amar, mas como cada poema deles, no fim eles nos fazem chorar.”

Gabriella Beth Invitti

Que tal fazermos um acordo querida sociedade? Sugiro que conheçam a história da minha vida, e depois disso, bem depois, venha me julgar, embora eu não esteja nem aí para o seu julgamento. Mas mesmo assim, vamos combinar?!

Rosângela Cunha