Significado da Palavra Professor

Cerca de 9 frases e pensamentos: Significado da Palavra Professor

Só porque alguém tropeça e se perde no caminho não significa que está perdido para sempre.

Professor Xavier

Amar não representa se ausentar das outras pessoas.
Não significa ter medo da concorrência.
Não significa confirmar nas 24 horas do dia o que se sente.
Amar é acreditar, confiar e buscar esperanças juntos.
Amar é ter sonhos diferentes que objetivam a mesma coisa.
Amar é ser livre para dizer um eu não acho de vez em quando.
Amar é ter a liberdade de viver com seu próprio eu.
Amar é enfim carregar para sempre seu próprio nome mesmo que misturado ao de quem se ama.

Professor Galvão

A vida esconde nos lugares mais simples sua grande beleza que revela qual o significado de porque persistimos em continuar vivendo. "Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiração, pois um dia você se decepciona. Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.

Professor Galvão

SIGNIFICADO DO NOIVADO!

*A maturidade de um relacionamento em que os dois estão prontos para formar uma nova família.
Então alguns casais do Face o que vocês acabaram de fazer foi só oficializar a sacanagem.
Respeite o significado, respeite um momento sublime de união entre duas almas.

Professor Glauco Marques

O SIGNIFICADO DA FELICIDADE.

Pesquisei sobre o que é felicidade.
Resposta encontrada:
A SOMA DE SUAS ATITUDES CONJUGADAS COM SUAS ESCOLHAS.

Professor Glauco Marques

Hoje finalmente descobri o significado de DRAMÁTICO!
Quer dizer:
Saudade;
Falta;
Gostar;
Respeitar;
Não querer ver partir;
Lamentar;
Amar;
E saber que nunca irá esquecer;
Enfim, agora entendi você...
Larissa Paz.

Professor Glauco Marques

A descendência de Cervantes


Professor. Uma palavra de traduções diversas que encerra significados tão numerosos quanto belos. Um termo apropriado àqueles que acreditam na grandiosidade da doação, do altruísmo e da capacidade de despertar outros seres humanos para a aventura ímpar do aprendizado e da transcendência. Neste dia 15 de outubro, é importante refletir sobre esse profissional, que dedica sua vida à propagação de saberes. Saberes que possibilitam aos aprendizes ultrapassar fronteiras, superar obstáculos e articular estratégias que os conduzem em direção à realização de seus sonhos. Cheios de uma poesia própria, ousam desafiar o renomado poeta Vinícius de Moraes, na medida em que vivem e preconizam um amor imortal - posto que não é chama, contrariando o famoso verso do "Soneto da Fidelidade". Quantos milhões de professores terão o Brasil e o mundo? O que seria da sociedade sem a participação efetiva e compromissada desses homens e mulheres? Educadores que, todos os dias, somam, multiplicam e dividem tudo o que têm de mais precioso com centenas de crianças e jovens. Discípulos que assimilam, às vezes sem se dar conta, a essência do verbo compartilhar. Nas salas de aula do mundo, mestres e aprendizes ensaiam um balé sincrônico e ritmado, embalados pela musicalidade do amor, do conhecimento, do afeto, do respeito, dos sorrisos e dos olhares de confiança mútua. Educandos devem nutrir por seus professores um sentimento de admiração que inspire o respeito. Nessa relação, não deve haver lugar para o autoritarismo e para o medo, coreografias incompatíveis com o espetáculo majestoso da vida. Educadores... Como recompensá-los por tudo que nos proporcionam? Como agradecer-lhes da forma que merecem? E, principalmente: como retribuir sua força e seu exemplo seguro e altivo nos momentos em que fraquejamos e pensamos em desistir de tudo? Como resgatar sua auto-estima, cada vez mais abalada por este mundo que privilegia os bens materiais em detrimento de valores como a ética, a fraternidade, a justiça e o amor ao próximo? Como devolver aos professores o seu lugar de destaque na sociedade? Sejamos sinceros: não temos todas as respostas e nem tampouco pretendemos posar de donos da verdade, mas esta homenagem tem o intuito de propiciar aos leitores uma reflexão sobre essas pessoas iluminadas que nos presentearam com as condições para obter o alimento do corpo e do espírito. Uma reflexão sobre os nossos mestres e o papel imprescindível que desempenham em nossas vidas. Seres raros que vivem sob os signos diversos, mas complementares, da paixão e da razão. Exemplos de vida que nos transmitem lições essenciais à construção de nossas histórias. É esse o perfil da grande maioria dos educadores - crianças crescidas que, tal qual Peter Pan, se recusam a deixar de sonhar. E prosseguem incansáveis, dia após dia, capacitando seus alunos rumo à descoberta de suas potencialidades e talentos. Dia após dia, contribuindo para formação de personalidades e de cidadãos que transitem apenas pelo caminho do bem. Espécies encantadas como foi um dos mestres que tive na vida: professor André Franco Montoro, um jovem eterno que, mesmo tendo completado 60 anos de magistério, entrava para dar aula com o entusiasmo de um iniciante. A paixão de Franco Montoro era conhecida por muitos. A maioria de nossos educadores é constituída por heróis anônimos que lutam, muitas vezes, empunhando apenas o giz e a boa vontade. Heróis que atravessam a seca, os igarapés ou mesmo o trânsito alucinante das metrópoles com o objetivo único de semear idéias, honestidade, honradez, boa vontade, oportunidades, ideais, criatividade e autoconfiança. Professores são descendentes diretos da linhagem onírica criada por Cervantes em seu Dom Quixote. Sonhadores e idealistas que pairam muito acima de ideologias políticas, filosóficas ou religiosas. Preferem se ocupar com questões maiores: levam a vida a professar a educação e tudo de positivo que ela representa. Que, nesta data comemorativa e sempre, saibamos reconhecer seu valor e devolver-lhe a dignidade luzidia de um passado recente, mas que já traz muitas saudades.


Publicado na Folha de S.Paulo

Gabriel Chalita

A profissão de Professor, e o profissional. Há de se diferenciar, a significância da Profissão e do profissional, porque exitem infinidades de Professores insignificantes.

Mauro Roberto

A vida do homem não é um mero passar pela vida. Ela é significativa quando, o homem, vencendo os desafios de seu mundo físico ou social, permite-se conviver com seus semelhantes.

Professor Edgardo da Silva