Significado da Palavra Adultério

Cerca de 36 frases e pensamentos: Significado da Palavra Adultério

O adultério e a aplicação dos princípios democráticos ao amor.

Henry Mencker

No adultério há pelo menos três pessoas que se enganam.

Carlos Drummond de Andrade

Há homens e mulheres que fazem do casamento uma oportunidade de adultério.

Carlos Drummond de Andrade

com pó e mistério
a mulher ao espelho
retoca o adultério

Millôr Fernandes

Adultério é isso que liga três pessoas sem uma saber.

Leon Eliachar

O adultério é a curiosidade do amor e dos prazeres ilícitos.

Plutarco

O adultério é a democracia aplicada ao amor.

Henry Mencken

A política, a guerra, o casamento, o crime, o adultério. Tudo o que existe no mundo tem algo a ver com dinheiro.

Graham Greene

"Em latim, adultério que dizer alteração, adulteração, colocar uma coisa em lugar de outra, crime de falsidade, uso de chaves falsas, contrato falso. Daí o nome adultério dado a quem profana o leito conjugal, como chave falsa introduzida em fechadura alheia."

Voltaire

Aprendestes o que foi dito aos antigos:Nao cometereis adultério.Mas eu vos digo que todo aquele que tiver olhado uma mulher com um mau desejo por ela,já cometeu adultério com ela,em seu coraçao .

Sao Matheus,cap.V, v. 27 e 28

O adultério é o verdadeiro, puro, singular sentimento de amor do ser humano frente à ganância, mesquinharia do capitalismo.

José Roberto

A Verdade Sobre o Significado do Adultério – Mateus 5.27-30

“27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás.
28 Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.
29 Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
30 E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que vá todo o teu corpo para o inferno.” (Mt 5.27-30)

Os escribas e fariseus haviam reduzido o mandamento que proíbe o adultério ao simples ato físico de adulterar; e pensavam que desde que não cometessem o ato propriamente dito, o mandamento estaria perfeitamente cumprido.
Os dez mandamentos não podem ser tomados separadamente. Por exemplo, o décimo diz que não se deve desejar a mulher do próximo, e isto, obviamente, deveria ser tomado com relação a este mandamento de não cometer adultério.
Os que pensam que podem adorar a Deus e conseguir a salvação com suas próprias ações nunca entendem o caminho cristão da salvação.
Nunca têm chegado a ver que esta, em última instância é uma questão do coração; senão que pensam que, enquanto não façam certas coisas e façam certas boas obras, estão justificados diante de Deus.
Assim, às pessoas que diziam, “contanto que alguém não cometa adultério já têm cumprido esta lei”, Jesus Cristo diz: “todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.”
Nosso Senhor tomou este mandamento da lei e o explicitou porque, apesar de não ter declarado no texto, a razão de tê-lo feito, foi porque havia esta mentalidade entre os israelitas, há muito tempo, de que o mandamento condenava apenas o ato sexual extraconjugal propriamente dito.
Ademais, o modo de se enfocar a lei deste modo legalista, sempre conduzirá a uma interpretação errônea do modo de vida que se espera de alguém que tenha nascido de novo do Espírito Santo, e que se tornou filho de Deus.
Porque isto exige pureza de coração, uma boa consciência, uma fé genuína, uma andar real no Espírito, produzindo o seu fruto espiritual, e crescendo nisto ao longo da vida.
Não se trata de uma questão de faça isto, não faça aquilo.
Mas de: seja isto, purifique o coração, e as ações e os pensamentos serão santos e bons.
De modo que, quando não se consegue crucificar as paixões da carne, ou seja, da natureza terrena decaída no pecado, o melhor a fazer, segundo nosso Senhor, é tomar a medida extrema de sofrer algum dano, alguma restrição, até mesmo de coisas que nos sejam vitais e importantes, para se obter nEle, tal triunfo sobre o viver impuro e pecaminoso.
Por isso, para revelar a extrema gravidade do caso, ilustrou a solução com o arrancar do braço e do olho, direitos, que são mais importantes para nós do que os esquerdos, e em si mesmos, necessários ao nosso viver, caso fossem eles, o que estivesse nos conduzindo inapelavelmente a uma vida sob o domínio do pecado, que por fim, nos levaria à morte e à condenação eternas.
Com esta passagem nosso Senhor marcou a necessidade absoluta da santificação, sem a qual ninguém verá a Deus, porque Deus é perfeitamente santo.
O conceito genuíno da mortificação do pecado se encontra em muitas passagens do Novo Testamento como Rom 8.13; 13.14 e I Cor 9.27, por exemplo.
Nestas passagens nós vemos que a natureza terrena (velho homem, carne, homem exterior) devem ser crucificados para que nos despojemos dela, de modo a podermos ser revestidos da nova natureza divina, em Cristo Jesus.
Nunca devemos fazer provisão para os desejos da carne (Rom 13.14).
Isto demonstra que há um sentido prático nesta mortificação na qual está incluído portanto o ato de repudiarmos tudo aquilo que possamos tocar, ou ver, ou fazer e que nos leve a contaminar o nosso coração.
Todo tipo de imagem virtual ou real que sejam sugestivas para o pecado devem ser repudiadas.
Tudo o que se ler, tudo que se ouvir, tudo o que se ver. Devemos evitar a todo custo. Ainda que isto nos traga o sentimento de estar cortando algum órgão nobre do nosso corpo.
A carne gosta destas coisas, portanto tenhamos cuidado e privemo-nos delas, contrariando a nossa vontade.
Estas coisas são fontes de tentação, e quando lhes dedicamos o nosso tempo, estamos fazendo provisão para os desejos da carne, que nos afastarão da comunhão com Deus.
Fazendo isto, estamos colocando combustível na chama do pecado que opera no nosso corpo, e ele se alastrará.

Silvio Dutra

A Verdade Sobre o Significado do Adultério

“27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás.
28 Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.
29 Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
30 E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que vá todo o teu corpo para o inferno.” (Mt 5.27-30)

Os escribas e fariseus haviam reduzido o mandamento que proíbe o adultério ao simples ato físico de adulterar; e pensavam que desde que não cometessem o ato propriamente dito, o mandamento estaria perfeitamente cumprido.
Os dez mandamentos não podem ser tomados separadamente. Por exemplo, o décimo diz que não se deve desejar a mulher do próximo, e isto, obviamente, deveria ser tomado com relação a este mandamento de não cometer adultério.
Os que pensam que podem adorar a Deus e conseguir a salvação com suas próprias ações nunca entendem o caminho cristão da salvação.
Nunca têm chegado a ver que esta, em última instância é uma questão do coração; senão que pensam que, enquanto não façam certas coisas e façam certas boas obras, estão justificados diante de Deus.
Assim, às pessoas que diziam, “contanto que alguém não cometa adultério já têm cumprido esta lei”, Jesus Cristo diz: “todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.”
Nosso Senhor tomou este mandamento da lei e o explicitou porque, apesar de não ter declarado no texto, a razão de tê-lo feito, foi porque havia esta mentalidade entre os israelitas, há muito tempo, de que o mandamento condenava apenas o ato sexual extraconjugal propriamente dito.
Ademais, o modo de se enfocar a lei deste modo legalista, sempre conduzirá a uma interpretação errônea do modo de vida que se espera de alguém que tenha nascido de novo do Espírito Santo, e que se tornou filho de Deus.
Porque isto exige pureza de coração, uma boa consciência, uma fé genuína, uma andar real no Espírito, produzindo o seu fruto espiritual, e crescendo nisto ao longo da vida.
Não se trata de uma questão de faça isto, não faça aquilo.
Mas de: seja isto, purifique o coração, e as ações e os pensamentos serão santos e bons.
De modo que, quando não se consegue crucificar as paixões da carne, ou seja, da natureza terrena decaída no pecado, o melhor a fazer, segundo nosso Senhor, é tomar a medida extrema de sofrer algum dano, alguma restrição, até mesmo de coisas que nos sejam vitais e importantes, para se obter nEle, tal triunfo sobre o viver impuro e pecaminoso.
Por isso, para revelar a extrema gravidade do caso, ilustrou a solução com o arrancar do braço e do olho, direitos, que são mais importantes para nós do que os esquerdos, e em si mesmos, necessários ao nosso viver, caso fossem eles, o que estivesse nos conduzindo inapelavelmente a uma vida sob o domínio do pecado, que por fim, nos levaria à morte e à condenação eternas.
Com esta passagem nosso Senhor marcou a necessidade absoluta da santificação, sem a qual ninguém verá a Deus, porque Deus é perfeitamente santo.
O conceito genuíno da mortificação do pecado se encontra em muitas passagens do Novo Testamento como Rom 8.13; 13.14 e I Cor 9.27, por exemplo.
Nestas passagens nós vemos que a natureza terrena (velho homem, carne, homem exterior) devem ser crucificados para que nos despojemos dela, de modo a podermos ser revestidos da nova natureza divina, em Cristo Jesus.
Nunca devemos fazer provisão para os desejos da carne (Rom 13.14).
Isto demonstra que há um sentido prático nesta mortificação na qual está incluído portanto o ato de repudiarmos tudo aquilo que possamos tocar, ou ver, ou fazer e que nos leve a contaminar o nosso coração.
Todo tipo de imagem virtual ou real que sejam sugestivas para o pecado devem ser repudiadas.
Tudo o que se ler, tudo que se ouvir, tudo o que se ver. Devemos evitar a todo custo. Ainda que isto nos traga o sentimento de estar cortando algum órgão nobre do nosso corpo.
A carne gosta destas coisas, portanto tenhamos cuidado e privemo-nos delas, contrariando a nossa vontade.
Estas coisas são fontes de tentação, e quando lhes dedicamos o nosso tempo, estamos fazendo provisão para os desejos da carne, que nos afastarão da comunhão com Deus.
Fazendo isto, estamos colocando combustível na chama do pecado que opera no nosso corpo, e ele se alastrará.

Silvio Dutra

Nenhum homem merece ser traído, pois adultério é pecado e nenhum homem merece que uma mulher peque por ele.

jessica

Adultério. Como o ascendente foi a prole. Chaves... Para toda pessoa, como para toda fechadura, é preciso encontrar á certa.

Mirim Russo

O solicialismo e o adultério são as três faces de uma moeda.

José Roberto

Você pode até se curar após o adultério...
Mas a ferida deixará uma cicatriz para sempre!

Marcello Thadeu

Não é uma forma mais grave de adultério abandonar a pessoa amada por causa da salvação da própria alma? Não seria mais fácil para uma mulher aceitar que o homem a abandonasse para contrair matrimônio com outra ou trocá- la por outra amante? Mas na tua vida não havia outra mulher. Tu simplesmente amavas a salvação da tua alma mais do que me amavas a mim. Querias salvar a tua alma, Aurélio, essa alma que um dia encontrara amparo em mim.

Flória Emilia Sauda - Jostein Gaarder

"Vivo comigo mesmo um caso de amor.Não tem adultério, nem traições, nem despedidas.
Vivo um caso de amor com minha vaidade. Uso a roupa mais bonita pra mim mesmo. Coloco aquele colar de pérolas delicadas, o sapato mais gostoso de pisar.
Vivo comigo, comigo vivo.Um caso de amor sem repulsas, sem enganos, sem humilhações, sem paixões que acabam.
Vivo comigo este caso.
Não tem papel assinado, não tem testemunhas, não tem separações.
Meu caso de amor eu mesmo rego todos os dias, como se fosse o jardim mais lindo, onde as roseiras não tem espinhos.
Vivo um caso de amor eterno comigo mesmo.
Todos os dias quando levanto, olho pra mim e digo: Tô seguindo.
Não existem desconfianças, nem atropelos, nem decepções. Eu cuido de mim. Eu descobrí que casos de amor, são casos.E que amores a gente vive todos os dias.
Se nos amarmos, teremos vivido cada dia mais um caso de amor com a vida, com os sonhos, com as metas.
Se nos amarmos estaremos abrindo portas. E vivendo outros casos de amores.
Só é amado, quem se ama primeiro".

Denise Lessa

Adultério

O adultério acontece quando deixamos os limites da amizade para cair na passionalidade.

Richard Simonetti