Sertao

Cerca de 112 frases e pensamentos: Sertao

Ave Musa incandescente
do deserto do Sertão!
Forje, no Sol do meu Sangue,
o Trono do meu clarão:
cante as Pedras encantadas
e a Catedral Soterrada,
Castelo deste meu Chão!

Nobres Damas e Senhores
ouçam meu Canto espantoso:
a doida Desaventura
de Sinésio, O Alumioso,
o Cetro e sua centelha
na Bandeira aurivermelha
do meu Sonho perigoso!

Ariano Suassuna

Poeta que canta a vida
e as magoas do coração,
canta também a saudade
do nosso lindo sertão.

Poeta a tua tristeza
é igual a outras demais,
é como os sonhos perdidos
que foram deixados para traz.

Poeta teus passos lentos
denunciam os traços do tempo,
mas tuas palavras permanecem
pela vida soltas no vento.

poeta a tua partida
deixou no nosso peito a tristeza,
teus versos ficaram na história
esta é unica certeza.

hoje, em outro estágio
Fazes versos pra Jesus,
não esqueças que tuas palavras
são sinônimos de luz.

Para Patativa do Assaré (in memorian).

Paulo Roberto Avelino de Oliveira

Aqui no sertão sente-se mais de perto o efeito do aquecimento global, temos um sol pra cada um.

Clácio Santos - Do site recanto das letras

SOZINHU I SEM CARINHU

Ficu aqui nu meu sertâo
Sozinhu i sem carinhu
I guanu a noiti veim
Eu chóru baxim
Soluçanu cum as solidão

A lua quânu si achêga
Derramânu sua luiz
Si dismancha tudinha
Ao vê minhas tristeza
Qui nas noite inté reluiz

To aqui sozinhu
Nessi mundão
Oianu ao longi essa imensidão
Ah! Solidão qui martrata
Tantu esse solitáru coração

Intão, sinhá Mariquinha
Óie pra essi seu Caipirinha
Que fica ancim tão sozinhu
Esperanu por essa doci minina

Vô ti mandá meu retrato
Pra se vê se tudo dá certo
I ocê intão se arresórve
Casá mais ieu di uma vêiz

Inté, intão!
E fique logo boazinha!
Mariquinha du coração!

Tânia Mara Camargo

REZA PRA SINHÁ MARIQUINHA

Nossa Sinhora du Sertão
Atendi minhas oração, Santinha!
Nois tudo tá cum sodade dela
Cure logo a sinhá Mariquinha

Santu Antônho
Padruêro das muié sortêra e incalhada
Trati di cunsertá logo a sinhá
Que só farta ela sará
Pra nois dois si casá

São Pedru e São Juão
Padruêro das festa junina e dus quentão
Vê se arruma logo a bichinha
Pra nois dançá quadrilha
E sortá balão

Nossa Sinhora dus Bom Zóios
Cuidi das vista da Mariquinha
Ela tem di ficá bão de logo
Pra modi as borbulêta pudê oiá
E pros iscrito do praneta cumentá

Ocês tudo, Santu e Santa!
Trati di iscurta meus pidido!
Oiá bem o que ocês faiz!
Quero se casá cum a Mariquinha
Tê duas minina
E treis rapaiz

Ocês tome tento! Vice!

Inté, intão!

Tânia Mara Camargo

Tenho orgulho do sertão, gosto do seu cheiro. Tenho orgulho dos meus risos, gosto dos seus ruídos. Tenho orgulho do meu olhar, gosto de suas palavras.

GraciMota

No sertão urbano
mais uma criança chora
de fome,
que já perdura
por uma semana.

A sociedade
segue indiferente.
Silêncio das
horas mais
agudas da noite.
A desigualdade
faz vítimas inocentes.

A periferia
alimenta
rostos sem formas,
gentes sem nome.
Mas outras crianças,
gulosas e
inconscientes
se empanturram
descontraidamente.

A alegria
burguesa
contrasta
com a tristeza
dos olhos cinzentos
e das bocas sem vozes
da vizinhança.

O choro desperta
o condomínio.
Nasceu mais um João
que ninguém esperava.
Mais um no meio
dessa multidão,
que calada,
ordinariamente
vive.
Mais um
sem esperança.

Douglas Rodrigues da Silva

A chuva que cai no sertão
Serve até de inspiração.

rafael ladeia

No meu sertão fora semeado uma semente, mesmo com as dificuldades como a falta de água, o calor excessivo, a não tão boa formação das arvores que geraram essa semente, a semente cresceu, transformou-se em arvore, uma arvore frondosa permissível a frutos e galhos a serem expostos, deu-se o nome FENELON, que já não mais cabia na pequena Uruás, essa arvore resolveu mostrar seus galhos, folhas na cidade grande resolveu então vim a Petrolina, nessa entre vários jardins frequentados, a maioria destes pra sua sobrevivência, encontrou uma arvore e resolveu com ela criar um vinculo, produzir sementes, afim que essa fossem arvores e pudessem trilhar o novo caminho.
Dessa união semeiam e nasce a primeira arvore, que recebe o nome Kátia, após essa veem as arvores de nome Kélia, Kennedy, Katherine, Karla, Kleber, Kristiane, Keyla. Não satisfeitos e percebendo que ainda podia e cabia mais arvores, O senhor da Terra (Deus) deu uma semente de luz, uma semente que não fora produzido pelas arvores pai e mãe, veio a arvore Karina (Carina).
Como arvores boas, dessas vieram outras arvores, vieram a arvore Ninho, a arvore Gilmar e algumas outras que geraram sementes e nasceram novas arvores, Kaíque Plinio, Arthur Soares, Kennedy Plinio, Gabriel França e a arvore pequenina Maria Clara . E com a arvore Kaique veio pra o convivio de todas as outras a Tati Angelim Só que o senhor, percebeu que a arvore de nome Kristiane, já tinha distribuído suas sementes, já tinha encerrado seu ciclo terreno, sendo ela chamada a ir pra outro plano, deixando aqui os outros afim de concluir a missão que fora dada a cada uma arvore do pomar.
A arvore pai, de nome Fenelon, teve na tarde da segunda feira o seu ciclo encerrado nesse plano, e esse ciclo fora encerrado no meio das aguas do Velho Chico, as arvores filhas, a arvore mãe, as arvores genros, as arvores sobrinhos, as arvores irmãos e claro as arvores que vieram se juntar a essas, as arvore amigas, as arvores camaradas, as arvores vizinhas, as arvores que foram sendo encontrada pela a arvore pai durante seus deslocamentos, poderiam questionar porque uma arvore estaria no meio de um rio, porem essa foi deslocada e chamada pra encerrar o seu ciclo ali, pra que ficasse mais fácil de distribuir as sementes de alegria, companheirismo, dedicação, experiência e da vontade de viver e o mais importante o orgulho de ter sido a arvore que foi.
O senhor escolheu levar a arvore pai, não por estar perto das 08 décadas, não por isso, mas por perceber que ela já tinha encerrado o seu ciclo, e que no ciclo dela exerceu o papel de maneira brilhante, semeando paz, amor, solidariedade e o que mais notório era na arvore a beleza de ser simples, pois não há algo mais próximo do que é ser bom humano do que a simplicidade.
Beijos, abraços minha arvore, que a suas sementes no seu novo plano sejam semeadas da forma que aqui foi.

Kleber Plinio

É assim no sertão.

Aonde a seca maltrata
o linho não é páreo pro couro
pão é mais caro que prata
água vale mais do que ouro
macambira é melhor do que nata
jumento é mais forte que touro.

Guibson Medeiros

Sou chuva na primavera, flores no sertão...da seresta sou a viola nas mãos do violeiro que rima versos e prosas, que fala em canção. No amor sou as cordas que faz vibrar o coração...sou lua nova em noite escura, sol no entardecer, frio da madrugada...lembrança de você.
Da festa sou a dança que rodopia no salão...do copo sou o vinho que embriaga a paixão. Sou do riso a gargalhada, do olhar num sei não !
Da rosa, sou o cheiro que perfuma a imensidão.
Da música sou o toque...toque, toque de desejo e sedução.

Leônia Teixeira

“MAR DO SERTÃO”

Rio São Francisco - deslumbrante que chamamos carinhosamente de “Velho Chico” com suas águas cristalinas, onde a noite a lua observa lá do alto o seu leito através de uma lente própria soltando flash e deixando um lençol brilhoso flutuando em sua superfície.

Lá no “Velho Chico sertanejo”, existe a simplicidade diante de anos e anos de existência, fazendo parte de uma natureza aconchegante, onde almas saudosas se lavam nessas aguas claras por fios brilhosos vindo do alto dos céus. É lá onde o silencio perpetua harmonizando canções ocultas que só os anjos daquele lugar se beneficiam ao escutar.

Lá os pássaros que em cantoria rodopiam flutuando com toda liberdade sem medo de arriscar alguns voos rasantes. Onde passa um suave cheiro de perfume vindo de flores que florescem as margens e deixam transportar uma sensação refrescante.

É o mar dos sertanejos, onde algumas palavras de sabedoria já foram ditas e ouvidas por anjos sem maldades e malícias. Lá os peixes vivem como verdadeiros donos daquelas aguas calmas, que a lua tem como espelho e o vento baila sem tocar fazendo pequenas e suaves ondas.

No “velho Chico” sertanejo, tem um amanhecer com a presença do sol sem raios e nem calor, simplesmente uma bola amarela que de longe observa um manto verde/azulado de águas que deslizam sem pressa para o oceano.

(Maria Araújo)

(Esse cantinho do Velho Chico fica em Petrolândia-PE. Uma bela cidade serena e aconchegante onde abriga a Usina Hidrelétrica Luiz Gonzaga e é conhecida como sendo a Capital Pernambucana da Coconicultura).

Maria José de Araujo

ÁGUAS DO MEU SERTÃO

As doces águas do meu sertão
Tocadas qual boi na invernada
Lentamente se fazendo represada
Tornando em mar o ribeirão.

As águas doces do meu sertão
Revolvidas manipuladas pelo homem
Mata vida gera vida mata a fome
Produz luz pondo fim à escuridão.

Quantas vidas duramente massacradas
Fauna e flora simplesmente desgraçadas
Por um justo vil conforto social?

Desbravamos céus, terra e mar
Manipulamos águas, vales, serras e ar
Sustentando nosso sonho capital!

Kiko di Faria

CANTAROLANDO O SERTÃO

E essa minha canção
tem cheiro de terra molhada
atravessando a estrada
no meio do mato verde.

É uma cantiga faceira
que traz lembrança estradeira
e na fonte de água docinha
eu vou matar a minha sede.

Cantando eu sigo os caminhos
canta o galo e os passarinhos
a chuva que molha essa terra
e a semente que vou plantar.

A vida aqui no sertão
que alegra o meu coração
e a lua da cor de prata
me convida a enamorar.

E quando é de tardezinha
com aquela beleza todinha
as cores lá no poente
presente no mesmo prazer.

Mas quando chega o dia
o sol é quem irradia
seu brilho e a sua luz
que a natureza quer viver.

De Koló Farias Eduão Para o violeirocantador Noel Andrade.

A chuva no meu sertão é remédio que cura fome
e faz brota a esperança em dias melhores
e transforma o feio em maravilhoso e belo
de cores opacas em verde folhas azul anil
não existe lugar mais lindo que meu Brasil.

Andre sales

-Quem enfrenta as ferocidades do sertão, milita-se para fortes guerras.

Sivaldo Prates Ribeiro

Gosto de moda de viola e das coisas do sertão;
Gosto de pessoas simples que tenham educação;
Cuidar da natureza é a minha profissão e a minha paixão;
Gosto de mulher bonita que tenha simpatia e muita dedicação;
Gosto de falar de amor e das coisas do coração.

Sid Aguiar

Os canibais fazem a gente sentir vergonha do sertão, pois os canibais dizem que lá só tem seca e mizéria, desvie o pensamento dos canibais e você será um sabio

Valéritcho