Sereias

Cerca de 22 frases e pensamentos: Sereias

As sereias, porém, possuem uma arma ainda mais terrível do que seu canto: seu silêncio.

Franz Kafka

Unicórnios, salamandras, harpias, hamadríades, sereias, e ogros. Talvez acredite em fadas também, orixás quem sabe ? Ou átomos, buracos negros, anãs brancas, quasars e protozoários. E diria com aquele ar 'levemente pedante':
- "Quem só acredita no visível tem um mundo muito pequeno "

Caio F de Abreu

Gosto de dizer. Direi melhor: gosto de palavrar. As palavras são para mim corpos tocáveis, sereias visíveis, sensualidades incorporadas. Talvez porque a sensualidade real não tem para mim interesse de nenhuma espécie - nem sequer mental ou de sonho -, transmudou-se-me o desejo para aquilo que em mim cria ritmos verbais, ou os escuta de outros. Estremeço se dizem bem. Tal página de Fialho, tal página de Chateaubriand, fazem formigar toda a minha vida em todas as veias, fazem-me raivar tremulamente quieto de um prazer inatingível que estou tendo. Tal página, até, de Vieira, na sua fria perfeição de engenharia sintáctica, me faz tremer como um ramo ao vento, num delírio passivo de coisa movida.

Como todos os grandes apaixonados, gosto da delícia da perda de mim, em que o gozo da entrega se sofre inteiramente. E, assim, muitas vezes, escrevo sem querer pensar, num devaneio externo, deixando que as palavras me façam festas, criança menina ao colo delas. São frases sem sentido, decorrendo mórbidas, numa fluidez de água sentida, esquecer-se de ribeiro em que as ondas se misturam e indefinem, tornando-se sempre outras, sucedendo a si mesmas. Assim as ideias, as imagens, trémulas de expressão, passam por mim em cortejos sonoros de sedas esbatidas, onde um luar de ideia bruxuleia, malhado e confuso.

Não choro por nada que a vida traga ou leve. Há porém páginas de prosa que me têm feito chorar. Lembro-me, como do que estou vendo, da noite em que, ainda criança, li pela primeira vez numa selecta o passo célebre de Vieira sobre o rei Salomão. «Fabricou Salomão um palácio...» E fui lendo, até ao fim, trémulo, confuso: depois rompi em lágrimas, felizes, como nenhuma felicidade real me fará chorar, como nenhuma tristeza da vida me fará imitar. Aquele movimento hierático da nossa clara língua majestosa, aquele exprimir das ideias nas palavras inevitáveis, correr de água porque há declive, aquele assombro vocálico em que os sons são cores ideais - tudo isso me toldou de instinto como uma grande emoção política. E, disse, chorei: hoje, relembrando, ainda choro. Não é - não - a saudade da infância de que não tenho saudades: é a saudade da emoção daquele momento, a mágoa de não poder já ler pela primeira vez aquela grande certeza sinfónica.

Não tenho sentimento nenhum político ou social. Tenho, porém, num sentido, um alto sentimento patriótico. Minha pátria é a língua portuguesa. Nada me pesaria que invadissem ou tomassem Portugal, desde que não me incomodassem pessoalmente. Mas odeio, com ódio verdadeiro, com o único ódio que sinto, não quem escreve mal português, não quem não sabe sintaxe, não quem escreve em ortografia simplificada, mas a página mal escrita, como pessoa própria, a sintaxe errada, como gente em que se bata, a ortografia sem ípsilon, como o escarro directo que me enoja independentemente de quem o cuspisse.

Sim, porque a ortografia também é gente. A palavra é completa vista e ouvida. E a gala da transliteração greco-romana veste-ma do seu vero manto régio, pelo qual é senhora e rainha.

Fernando Pessoa

Navegadoras


Ela viajou pelos mares,
viu sereias que pareciam golfinhos.
Escreveu com Colombo
as maravilhas de um paraíso.
Criticou a Vespúcio
pela errônea descrição.
E nos esclareceu uma Utopia
condensada em pura emoção.
Voltou ao nosso meio
cheia de manias.
Ora engraçada,
ora um poço de ironia.
E agora translada em minha navegação.
Viaja em meu barco,
com cartas e relatos,
imaginação e desabafo.
Viaja agora no mar da poesia.
Um mar tenebroso,
de pura arisia.
E naufraga ,
se desequilibra.
Lhe falta a coordenação
de rimas e ironias.
Lhe falta a interpretação:
Textual, espiritual e corporal.
É Martinha, seu barco não é esse,
Seu barco é a La Pinta, La Niña y Santa María,
E não nas minhas caravelas:
Pinta & Borda, Ave Maria!

Maurivânia Medeiros

Luas perdidas, esquecidas
encantadas, sentidas
sereias transformadas
embaladas pelas ondas do mar

Deixo o vento por alguns instantes
levar as palavras escritas em sonhos
no meio de ilusões, pensamentos de amor..

Amo-te hoje e amanhã pois eu ...
vejo-me no teu reflexo e tu estás em mim
como o néctar das flores, onde as abelhas
procuram o pólen para o mel...

Luas que brilham na noite escura onde
se perderam e encontraram-se dois corações..!

IsabelMoraisRibeiro

Mergulhei em lindas cachoeiras procurando a mais bela das sereias e encontrei o mais belo dos diamantes.
"Não é por que não achamos exatamente o que procuramos que nossa viagem não valeu a pena."

Ricardo Teixeira.

Sete sereias
Tenho saudade do que nunca fui. Do meu olhar no rol da escada, do meu livro de histórias gregas, de uma fita de aniversário e dos meus sete anos. Tenho falta dos sete pedaços que um dia fui, de sete almas que um dia tive, de sete palmos da terra que nem sentiam meu cheiro. De viver sete dias na semana sem chorar sete vezes e sentir sete mundos e sofrer sete céus. E mais sete… e mais sete. Me cala o fio de esperança que não mora aqui, e a vida transpassada e alegre que as pessoas carregam no olhar. O meu é só vazio, é só desespero contido em um brilho ofuscado, é vontade de gritar e uma rouquidão só minha. Meu sorriso não abre alas, meu carnaval é em braile, quase ninguém saber ler. Minha festa é outra, minha festa é interna. Não tenho mais o sangue do mundo, não corto mais os pulsos. Não pulo as sete ondas, nem os sete mares, nem as sete vidas. Meu choro é calado e contínuo durando mais que sete dias, mais que sete anos, mais que as sete madrugadas de insônia. Ainda acabo, de tão imensa e desmesurada, roubando espaço dos outros, roubando sentimento dos outros. É que na verdade, sou ladra. Desde quando roubei um chapéu, desde quando matei o gato que diziam ter sete vidas. Sempre as sete vidas. Sou ladra porque saio catando todas essas loucuras e guardando em mim, e vivendo em mim. Canto e encanto com o som das sereias, e nem preciso remexer o cabelo. Nome eu não tenho, minha vida é por dentro, quase imperceptível, calada, roubada. Não vejo. Só sinto e sinto e me entrego em qualquer mar silencioso que me chame. No cheiro de maresia que entranha, mas eu nem me importo ao salpicar o corpo de areia, nem me importo em roubar todos os pecados e fazer virar estatua de sal. Pois quando canto, estonteio.

Bruna Barbosa

Sereias Existem

Num mundo gélido e fatídico eu rastejava
Sofria na alma a não calma
Lagrimas eram maiores que sangue jorrava
Putrefações dos corpos pós traumas

Não deixe minha essência fenecer
Amordaçar a minha fúria antes do amanhecer
Coração batendo 4/4 até doer
Sonos atormentados são assim: Dormimos sem nos mexer

Noites? Dia? Não sei discernir
Tento encaixar as palavras para sentir
Agradeço a todos por me agredir
Arranco meus olhos e enxergo melhor, assim eu não consigo fingir

Poderia este, ser um poema de amor, de dor ou de alegria
Mas nenhuma palavra representaria a melancolia
Explode em ondas minhas reminiscências
De pensamentos indubitáveis, totalidades de sombras e aparências

Os queixos tremulam e mãos petrificadas materializam a dor
Fluidos, pensamentos sugestivos e horror
Destituído da essência comum e sem pudor
Neste turbilhão de exageros retrato a nuance do olor

Eu me pergunto sereias existe?
Queria ludibria-me com um canto épico e sombrio
Jogar-me sem noção de dor atraído pelo doce sombrio assobio
Eu me pergunto sereias existe?

Gregórian J.P

"De vez em quando é necessário mergulhar no mar do amor, pra ver se ninguém roubou suas sereias."

Andrepontesdj

Eu não gosto de sereias, todas elas me assustam. Inclusive você.

Andre Wade in Há uma sereia dentro de mim.

Luna Sedutora

Oh!!!

Luna sedutora...

Que tem canto parecido com o das sereias...

Por que me encantou luna???

Por que me encantaste com teu canto sedutor...

Se não me quer!!!

Oh Luna!!!

Meu coração bate forte quando sinto teu brilho no céu...
Minha boca fica seca a espera de um beijo teu...
Minhas mãos ficam suadas e geladas...
Meus olhos procuram os teus sempre perdidos dos meus...

Por que luna???

Por que me seduzistes com o teu canto...
Se soubestes como é triste o meu trilhar sem teu brilho...

Por que luna???

Todos meus versos são para ti
Mas, meus versos não têm o mesmo encanto que teu canto tem em mim...

Por que luna???

Por que Deus me fez poeta...

Queria ser cantor para te encantar luna...

Ah!!!

Como eu queria saber te encantar luna...

"Baby, let's cruise away from here
Don't be confused, the way is clear
And if you want it you got it forever"
...

Poeta Urbano - Julho de 2009

Neste mar de palavras sou lambari sendo engolfado por tubarões, Mobydiques, sereias e tempestades". Herança (romance, 1992)

Hilda Gomes Dutra Magalhães

Canto da Sereia?

Sem fantasias,
Até as sereias,
Jazem na areia.

Francismar Prestes Leal

Quando vc ama alguém só por ouvir sua voz é como se fosse o mavioso canto das sereias.

Thaty Freitas (Piracicaba)

Os poetas da costa sul
anônimos, inquietos
não estão mais em terra.
Esperaram tanto as sereias
nas pontas das dunas
à beira mar...
E a cada lestada
um poeta a maré levava
pra junto de sua amada.

Lupus Blanck

As Sereias cantavam seus segredos em conchas, todos ouviam, mas só os crédulos podiam entender…

Horácio Leal

Agora as sereias possuem uma arma ainda mais fatal do que seu canto, ou seja, seu silêncio... Talvez fosse possível escapar do seu canto: mas do seu silêncio, por certo, jamais.

Franz Kafka

Nem mesmo as flores.

Nem mesmo o perfume de todas as flores, nem mesmo o canto de outras sereias... o verdadeiro fascínio está no aroma que exala da companhia de quem se ama.

Guibson Medeiros

Sangue do meu Sangue

Escorres pelas minhas veias, És como cantos das sereias;
Força de uma família guerreira, vermelho muito vermelho...

Borbulhas e fazes bater meu coração, me dás toda a razão,
Me encorajas quando digo não, me dás forças nas minhas mãos, Vermelho muito vermelho...

Em comum com meus ancestrais, presentes no meu pai. Banda que mais se expande este é o Sangue do meu Sangue, Vermelho muito vermelho...

Davi Luís

Neste mar profundo...
Tu és a minha escuridão..
Igual aos cantos das sereias e...
a areia escaldante do sol.
Eu sou a luz da lua que ama-te na solidão.
Este frio da noite que inquieta-me a alma..
Com a brisa do mar ponho-me a chorar.!
Chorar de amor ou de saudade, faz bem ao coração.
Ver o riso das crianças, é sentir o perfume das flores!
Admiramos a beleza do mundo através de quem amamos!!

isabelRibeiroFonseca