Salmos da Bíblia

Cerca de 317 frases e pensamentos: Salmos da Bíblia

Versículos do Salmo 121 do livro Salmos da Bíblia.

1 Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro?
2 O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra.
3 Ele não permitirá que você tropece; o seu protetor se manterá alerta,
4 sim, o protetor de Israel não dormirá; ele está sempre alerta!
5 O Senhor é o seu protetor; como sombra que o protege, ele está à sua direita.
6 De dia o sol não o ferirá; nem a lua, de noite.
7 O Senhor o protegerá de todo o mal, protegerá a sua vida.
8 O Senhor protegerá a sua saída e a sua chegada, desde agora e para sempre.
JESUS

Maria Izabel da Silva Thomáz

Salmo 90

Me ajuda a lembrar, Deus,
Que eu tenho que morrer,
Para ter coração sábio.

Sempre cuidas de mim
Geração vai, geração vem,
Quero ter coração sábio.

Antes de tudo existir
Só tu és Deus,
Dá-me coração sábio.

Mil anos são como um dia,
Nas horas da noite
Preciso de um coração sábio.

Sou breve como o sono,
Nasço ao amanhecer
Quando tenho coração sábio.

Consumida pela tua ira,
Revelada em tua presença,
Busco um coração sábio.

Meus dias passam,
Um breve pensamento,
Sem um coração sábio.

Os anos da minha vida
Menos de oitenta são
Com coração sábio.

São anos difíceis
Cheios de sofrimento,
Como ter coração sábio?

A vida passa depressa
Não paramos de voar,
Tempo de ter coração sábio.

Me ajuda a lembrar, Deus,
Que eu tenho que morrer,
Sim, eu vou morrer,
Para ter coração sábio.

Angela Natel

Salmo 73 – adaptação

Bom é o Senhor
Para Israel
Pureza onde eu for
Debaixo do véu.

Olho pros ímpios
Me despedaço
Vivem tranquilos
E eu caio no laço.

São ricos, são fartos,
Não ficam doentes.
São grandes, prosperam,
Germinam sementes.

Inundam maldades
Onde quer que eles vão,
E deixam saudade
Neste mundo cão.

Essa vida de justo
Me faz adoecer.
Tudo tem um custo.
É pedir prá morrer.

Pobreza, desgraça,
Perseguição atroz.
Invejei uma traça
Por ser mais veloz.

Batendo no peito,
Os olhos no chão,
Penso: não há jeito,
Só destruição.

Até que um dia eu entrei
No teu santuário, Senhor.
Percebi que nada sei
Ao encontrar teu amor.

Os ímpios, essa gente,
Não são tudo isso, não.
Findam de repente
Num mar de agitação.

Vida sem sofrimento
É pedir pouco demais.
Quero um fim sem arrependimento
E um meio com tua paz.

Quero meu sangue vertendo
E minhas lágrimas ao chão,
Vida, morte, escorrendo
Contigo nesta canção.

Angela Natel

A Bíblia sempre aberta. A Bíblia aberta na sala, fechada no coração. Aberta na sala, silente na mente. Visível ao visitante que chega, estranha ao que na casa habita todos os dias, por meses e anos... Empoeirada, amarelada, desbotada. Da rota página salta um número: 91. No canto superior da página, um nome: Salmo. Quando aprenderemos discernir fé de mágica?

Mônica Árêas

Descolei mantras de parede pra colar no coração. Assim como tirar a bíblia da estante e desgrudar as paginas amareladas do salmo 91. Igor Brito Leão

Igor Brito Leão Verde

Salmo 23

Slm 23:1 O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará.
Slm 23:2 Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso;
Slm 23:3 refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.
Slm 23:4 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.
Slm 23:5 Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda.
Slm 23:6 Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre.

Sl 23:1-6 . Sob uma metáfora emprestada de cenas da vida pastoral, com as quais Davi estava familiarizado, ele descreve o cuidado providencial de Deus em prover refrigério, orientação, proteção e abundância, e assim proporcionando razões de confiança em Seu favor perpétuo.
1. A relação de Cristo com o Seu povo é muitas vezes representada pela figura de um pastor ( Jo 10:14 , Heb 13:20, 1 Pe 2:25; 5:4 ) e, portanto, a opinião de que Ele é o Senhor aqui assim descrito, e em Gên 48:15; Sl 80:1; Isa 40:11, não é sem uma boa razão.
2. pastos verdejantes - ou, "pastagens de capim macio," são mencionados, não no que diz respeito à alimentação, mas como lugares de agradável e refrigerante descanso.
as águas paradas - são, literalmente, "águas calmas", cujo fluxo tranquilo convida ao repouso. Elas são contrastadas com fluxos turbulentos, por um lado, e estagnados, poços ofensivos, por outro.
3. Restaurar a alma é renascer ou avivá-la (Sl 19:07), ou aliviá-la (Lam 1:11,19 ).
veredas de justiça – aquelas que são seguras, conforme dirigidas por Deus, e agradáveis a ele.
por amor do seu nome - ou, em referência às Suas perfeições, prometidas para o bem-estar do Seu povo.
4. Na mais sombria e tentadora hora Deus está próximo.
o vale da sombra da morte - é uma ravina coberta por altos penhascos íngremes, cheia de florestas densas, e bem calculadas para inspirar medo aos tímidos, e servir de refúgio para animais de rapina. Embora expressivo de qualquer grande perigo ou causa de terror, ele não exclui a maior de todas, a que é mais popularmente aplicada e que seus termos sugerem.
a tua vara e o teu cajado - são símbolos do ofício de um pastor. Através deles, ele guia suas ovelhas.
5, 6 - Outra figura expressiva, do cuidado de Deus.
uma mesa - ou, "comida", unção
óleo - o símbolo de alegria, e de transbordamento
cálice -representa abundância - estão preparados para o filho de Deus, que pode festejar, apesar de seus inimigos, confiante de que este favor sempre lhe atenderá. Este belo Salmo admiravelmente coloca diante de nós, na sua figura principal, a de um pastor, o gentil, amável, e certeiro cuidado estendido por Deus para o seu povo, que, como um pastor, lhes dirige e alimenta. O verso final mostra que as bênçãos mencionadas são espirituais.

Comentário do Salmo 23, em domínio público, de David Brown, traduzido pelo Pr Silvio Dutra.

David Brown

SALMO 115

O salmista exalta ao Senhor porque é o único Deus verdadeiro e vivo que abençoa o povo de Israel, e particularmente a casa de Arão, ou seja, os sacerdotes de Israel que foram separados por Ele para o serviço do santuário.
Como o Deus vivo é invisível, o salmista pede ao Senhor que desse glória ao Seu Nome, manifestando as Suas obras, para que calasse as nações idólatras que confiavam em ídolos de prata e ouro, feitos pelas próprias mãos dos homens, e que não falam, não veem e nem ouvem, e que deixam seus adoradores nas mesmas condições deles, ou seja, incapazes de ouvirem, verem e falarem com Deus.
Todavia Deus não somente se comunicava com Israel como é o amparo e escudo do Seu povo.
Ele nunca esqueceu o Seu povo e a Sua bênção no presente e no futuro, para o salmista, era uma certeza.
Uma bênção que não faz acepção de pessoas, porque é destinada a todos os que O temem, tanto pequenos como grandes.
É provável que este salmo tenha sido escrito por um dos sacerdotes porque ele impetra a bênção do Senhor sobre o Seu povo.


“Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua misericórdia e da tua fidelidade.
Por que diriam as nações: Onde está o Deus deles? No céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada.
Prata e ouro são os ídolos deles, obra das mãos de homens.
Têm boca e não falam; têm olhos e não veem; têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram. Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta.
Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e quantos neles confiam.
Israel confia no SENHOR; ele é o seu amparo e o seu escudo.
A casa de Arão confia no SENHOR; ele é o seu amparo e o seu escudo. Confiam no SENHOR os que temem o SENHOR; ele é o seu amparo e o seu escudo.
De nós se tem lembrado o SENHOR; ele nos abençoará; abençoará a casa de Israel, abençoará a casa de Arão.
Ele abençoa os que temem o SENHOR, tanto pequenos como grandes.
O SENHOR vos aumente bênçãos mais e mais, sobre vós e sobre vossos filhos.
Sede benditos do SENHOR, que fez os céus e a terra. Os céus são os céus do SENHOR, mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens.
Os mortos não louvam o SENHOR, nem os que descem à região do silêncio.
Nós, porém, bendiremos o SENHOR, desde agora e para sempre. Aleluia!”

Silvio Dutra

SALMO DO HOMEM QUE VÊ A REALIDADE E NÃO SE CALA
Ouve, Senhor, estes versos que te rezo
Ao contemplar a realidade em que vivo.
Maltido seja o sistema que não deixa sonhar os poetas
Nem permite dizer a verdade a quem pensa.
Serão seus dias de luto e de lamento,
Porque matou no Homem o mais digno.

Maldito o sistema que não pratica a justiça
E persegue e tortura e encarcera a quem anuncia.
Terá que justificar sua conduta ante a história
E não encontrará nenhuma palavra de defesa.

Maldito seja o sistema que só procura a aparência de grandeza
Quando estão morrendo de fome os homens nas suas fronteiras;
Do mesmo modo que progrediu cairá,
Porque construiu seus alicerces
Sobre corpos vivos e sangues inocentes.

Maldito o sistema que tenta matar no homem a dimensão de transcendência
E coloca no seu lugar o “deus dinheiro” , o “deus sexo”, e “deus progresso”,
Destruir-se-á por dentro irremissivelmente,
Porque o coração do homem foi bem feito
E ninguém pode matar em nós
Esta sede de infinito que nos queima.

Feliz será, porém,
O homem que bebe água na fonte da praça junto ao povo,
Não terá motivos para se envergonhar de nada,
Nem terá que baixar seus olhos
Ante qualquer homem honesto.

Feliz o homem que a força de interiorizar
Se fez livre por dentro
E não se importa já com a denúncia dos fortes,
Serão seus dias como o trigo da terra.
Cheios de sol e esperança partilhada
E o seguirão os povos da terra.

Feliz o homem que não assiste a reuniões importantes
Nem acredita nos discursos do governo;
Feliz o homem que assim pensa,
Porque terá sempre tranqüila a sua consciência.
Mesmo que sofra a incompreensão e até o desprezo.

Ernesto Cardenal

O Patrão do céu te livra de toda arapuca; tchê!
Salmos 91:3

Pastor Gaúcho

O Patrão é a minha luz, salvação e força,
Tu acha que vou me mixar pra pouca coisa?
Salmos 27:1

Pastor Gaúcho

Você sempre pode se encontrar nos Salmos. Não importa com o que você está lidando. Você está sempre lá!

Pr. John Piper

Salmos 20: (Leia-o)
Que Chuvas de Bençãos sejam derramadas abundantemente sobre tí e tua Casa!
Que a Unção de Deus seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente
pela Glória de Deus!


Que Deus faça prósperar tudo aquilo
que vier até tuas mãos, e que de uma semente
cresçam milhares de árvores Frutíferas!
Que Todas as Promessas de Deus sejam uma Coroa de Vitória

e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu Deus, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre!
Que A Glória de Deus repouse sobre Ti!
E inunde todo o teu ser de Paz.

Luciana Magalhães

REUNINDO SALMOS
Guarda-me, ó Deus,
faze-me, Senhor, conhecer os teus caminhos,
alivia-me das tribulações do coração,
ensina-me tuas veredas,
não te distancies de mim.

Sei que os justos herdarão a terra,
porque a boca do justo profere sabedoria
e tu o fazes exultar de júbilo,
assim como me fazes ver caminhos de vida.


Mostra-me sempre, Senhor, mostre-me
maravilhas da tua bondade.
Tuas palavras são transparências,
como fortaleza de fé,
Luzes e cores da minha salvação.


Nas tuas mãos,
recebendo meus dias,
com a grandeza de tua bondade.
todos os dias te bendirei.
Senhor, em todo o tempo,
o louvor estará em meus lábios.
Procurarei a paz, buscá-la-ei
empenhado por alcançá-la.
Certificando-me sempre,
alegrando o coração,
exultando de espírito,
meu corpo repousará,
entoando-te hinos.
Entregarei meu caminhar,
salmodiando e cantando louvores.


É por isso,
que de manhã, todas as manhãs,
apresento-te a minha oração e fico esperando.

jorge COMUNIDADE LINDAS MANSAGENS

Do Senhor é a terra e a sua plenitude,o mundo e aqueles que nele habitam. salmos 24v1.

Davi

Depressão Espiritual nos Salmos

Por John Piper

Salmos 42 - Masquil para o músico-mor, entre os filhos de Coré.

"Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus? Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava.
Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. Ó meu Deus, dentro de mim a minha alma está abatida; por isso lembro-me de ti desde a terra do Jordão, e desde os hermonitas, desde o pequeno monte. Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim. Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida. Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo? Com ferida mortal em meus ossos me afrontam os meus adversários, quando todo dia me dizem: Onde está o teu Deus?
Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus."

Uma das condições emocionais proeminentes nos Salmos é a depressão espiritual. Martyn Lloyd-Jones escreveu o livro Depressão Espiritual e se baseou no Salmo 42. Este é o Salmo que nós iremos focalizar hoje - aquele que diz, “Por que te abates, ó minha alma, e por que te pertubas dentro de mim?”

Os Salmos: Canção e Instrução

O cabeçalho do Salmo nos lembra do que vimos semana passada. “Para o músico-mor. Um Maskil dos filhos de Coré.”

Os filhos de coré eram um grupo de sacerdotes que eram encarregados do ministério de canto. 2° Crônicas 20:19 descreve eles em ação: “E levantaram-se os levitas, dos filhos dos coatitas, e dos filhos dos coratitas, para louvarem ao SENHOR Deus de Israel, com voz muito alta.”

Então o cabeçalho implica que este salmo foi provavelmente usado em adoração púlblica e foi cantado. Isto é uma parte do que nós falamos na semana passada. Os Salmos são canções. Eles são poemas. Eles são escritos para despertar e expressar e moldar a vida emocional do povo de Deus. Poesias e canções existem porque Deus nos fez com emoções, não apenas raciocínio. Nossas emoções são maciçamente importante.

A segunda coisa a notar no cabeçalho é que o salmo é chamado um “maskil.” O significado desta palavra não é claro. Esta é a razão pela qual a maioria das versões não traduzem esta palavra. Ela vem de um verbo hebraico que significa fazer alguém sábio, ou instruir. Então quando aplicado nos salmos, pode significar uma canção que instrui, ou uma canção sabiamente trabalhada. Isso nos lembra da outra coisa que enfatizamos semana passada: Os Salmos têm a intenção de instruir. “Bem-Aventurado é o varão cujo o prazer está na Lei do Senhor, e na sua lei medita dia e noite.”

Então “Para o músico-mor. Um Maskil dos filhos de Coré” enfatiza ambos os pontos da última reunião: Os salmos são instrução, e os salmos são canções. E Jesus ensinou que eles foram inspirados por Deus. Eles têm a intenção de moldar o que a mente pensa, e eles têm a intenção de moldar o que o coração sente. Quando nós nos imergimos nele, nós estamos “pensando e sentindo com Deus.” Por isso eu oro para que essa série nos ajude nisso.

Uma visão geral do Salmo 42

A maneira pela qual eu gostaria de nos conduzir ao Salmo 42 é dar uma visão geral, e então mostrar 6 coisas que esse homem de Deus faz na sua depressão espiritual —6 coisas que eu penso que são destinadas a moldar a forma como nós lidamos com nossos próprios tempos sombrios.

Aqui está a visão geral. Externamente as circunstâncias em que ele se encontra são opressivas. O verso 3 diz que os seus inimigos “me dizem todos os dias, onde está o teu Deus? ” E o verso 10 diz a mesma coisa, só que descreve o efeito como uma ferida mortal: “Com ferida mortal em meus ossos me afrontam os meus adversários, quando todo dia me dizem: Onde está o teu Deus? " e a afronta “Onde está o teu Deus?” implica que alguma coisa a mais deu errado também, ou eles não diriam, “Onde está o teu Deus?” Para eles parece que ele foi abandonado.

A condição emocional interna do salmista é depressiva e cheia de turbulências. Nos versos 5 e 11, ele se descreve como “abatido” e “perturbado.” No verso 3 ele diz, “Minhas lágrimas têm sido meu alimento dia e noite.” Então ele está desanimado ao ponto de chorar dia e noite. No verso 7 ele diz que parece estar se afogando: “todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim.”

Lutando para ter esperança em Deus

Em meio a tudo isso, ele está lutando pela esperança. Verso 5: “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face.” Verso 11: “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus.” Ele não está se rendendo às emoções de desânimo. Ele está contra-atacando.

Eu não posso te dizer quantas centenas de vezes nos últimos 28 anos na (igreja) Bethlehem eu tenho contra-atacado o peso do desânimo com estas mesmas palavras “Espera em Deus, John. Espera em Deus. Você irá louvá-lo novamente. Essa emoção miserável irá passar. Esse tempo irá passar. Não fique abatido. Olhe para Jesus. A luz irá nascer.” Isto era tão central para nossa maneira de pensar e de falar no início dos anos 80 que nós colocamos um imenso “Espere em Deus” na parede externa do santuário antigo e nos tornamos conhecidos na vizinhança como a igreja “Espere em Deus”.

As circunstâncias externas dele são opressivas. Sua condição emocional interna é depressiva e cheia de perturbação. Mas ele está lutando pela esperança. E a coisa realmente marcante é que no fim do salmo, ele continua lutando mas ainda não onde ele quer estar. As últimas palavras do salmo—e as últimas palavras do próximo salmo—são “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus.” Ele nos deixa ainda lutando pela alegre experiência da esperança e da libertação da turbulência. Ele ainda não está louvando da maneira como ele queria.

Um final amargo e doce

Isto é um final feliz? Como quase tudo nessa vida, está misturado. Sua fé é realmente incrível, e sua luta é valorosa. Mas ele não está onde ele gostaria de estar, em esperança e paz e louvor.

Então eu assumo que este salmo está na bíblia pelo desígnio de Deus e que se nós escutarmos atentamente, se observarmos a luta deste salmista, se nós meditarmos nesta instrução dia e noite, nossos pensamentos sobre Deus e a vida, por um lado, e nossas emoções, por outro lado, serão moldadas por Deus. E nós nos tornaremos como uma árvore que dá frutos e cujas folhas não caem quando a seca da opressão e desânimo e perturbação vem.

Como o salmista responde ao desânimo

Então aqui estão 6 formas pelas quais o salmista responde ao desânimo e a perturbação que vieram com as afrontas dos seus inimigos. Eu os colocarei em uma ordem na qual elas devem ter acontecido, embora elas certamente tenham acontecido concorrentemente e repetidas vezes.

1. Ele pergunta a Deus por quê?

Primeiro, ele responde às suas circunstâncias em um ponto perguntando a Deus Por quê? Verso 9: “Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo?” A palavra esqueceste é um exagero. E ele sabe disso. Ele havia acabado de falar no verso 8 , “Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida.”

O que ele quer dizer é que, parece que Deus se esqueceu dele. Ele se sente como se Deus tivesse esquecido dele. Se Deus não se esqueceu dele, por que esses inimigos não retornaram e foram consumidos? Seria bom se todos nós fossemos tão compostos e cuidadosos na expressão dos nossos desânimos que não viéssemos nunca a falar nada impróprio. Mas não é como nós somos. No meio do tumulto das emoções, nós não somos cuidadosos com nossas palavras.

Aqueles de nós que estavam conosco por volta de 1985 quando eu preguei sobre Jó devem se lembrar de como essa verdade veio sobre nós como igreja. Por anos mais tarde, nós iríamos nos referir às palavras de Jó 6:26 e falar sobre “palavras ao vento.” Jó fala para os seus amigos críticos, “Vocês acham que vocês podem reprovar as palavras, quando o discurso de um homem desesperado é o vento?” Em outras palavras, não vá em cima das palavras de um homem desesperado. Desconsidere. Haverá tempo suficiente para discernir as convicções mais profundas do coração. Deixe o vento soprá-las embora. Elas são palavras ao vento.

Então o salmista pergunta Por quê? Está é uma pergunta legítima. Ele pode não ter feito a pergunta com precisão teológica ou linguística, mas se ele prova a tempo que ele não queria dizer que Deus não o tinha esquecido, nós iremos deixar estas palavras serem palavras ao vento.

2. Ele afirma o soberano amor de Deus.

Segundo, em meio ao desânimo ele afirma o soberano amor de Deus por ele. Verso 8: “Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida.” Nos versos 5 e 11, ele chama Deus de “minha salvação e meu Deus.” E ainda que embora ele diga que parece que Deus se esqueceu dele, ele nunca pára de acreditar na absoluta soberania de Deus sobre todas as suas adversidades. Então no final do verso 7, ele fala, “todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim.” Tuas vagas e tuas ondas tem passado sobre mim.

Em outras palavras, todos as circunstâncias dele de conflitos, perturbações, opressões e desânimo são as ondas de Deus. Ele nunca perde essa compreensão sobre as grandes verdades sobre Deus. Elas são o lastro em seu pequeno barco da fé. Elas protegem ele de naufragar no tumulto das suas emoções. Quantos de vocês tem aprendido isso mais profundamente do que eu por causa das ondas que tem quebrado sobre suas vidas. Vocês têm aprendido profundamente que não é aliviante dizer que Deus não controla o vento e as ondas.

Então o salmista afirma o soberano amor de Deus por ele em meio a, e através de, todos os problemas.

3. Ele canta!

Terceiro, ele canta ao Senhor de noite, suplicando pela sua vida. Verso 8: “Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida." Esta não é uma canção de esperança jubilante. Ele não sente uma esperança jubilante. Ele está buscando uma esperança jubilante. Esta é uma oração em forma de cântico e um cântico suplicante –uma canção "ao Deus da minha vida." Isto é, uma canção suplicando pela vida dele.

Mas não é fantástico que ele esteja cantando sua oração? Meu palpite é que é de onde o Salmo 42 veio. Este mesmo salmo deve ter sido esta oração-canção noturna. Não são muitos de nós os que podem compor canções quando estamos desencorajados e chorando dia e noite. Esta é a razão pela qual é bom manter um saltério que possa ser cantado por perto –ou um hinário com todos os tipos de emoções. Por exemplo, Isaac Watts escreveu estes versos para serem cantados:

Por quanto tempo ocultarás Tu a Tua face?
Meu Deus, quanto tempo?
Quando sentirei eu aqueles raios celestiais
Que afugentam meus medos?

Por quanto tempo irá minha pobre fadigante alma
Se degladiar e se cansar em vão?
Tua palavra pode todos os meus inimigos controlar
E acalmar a minha furiosa dor.

O hinário de 1912 contém estes versos para serem cantados da forma que o salmista do salmo 42 cantou de noite:

Até quando esquecerás Tu de mim,
Oh Senhor, Tu, Deus da graça?
Até quando irão os temores me assaltar
enquanto as trevas escondem Tua face?
Até quando irão as tristezas me angustiar
e transformar meu dia em noite?
Até quando irão meus adversários me oprimir
E triunfar com suas forças?

Oh Senhor meu Deus, atenta para mim
E ouve meus sinceros clamores;
para que o sono da morte não me envolva,
Ilumina Tu os olhos meus;
Para que agora meus adversários que me insultam,
Não se vangloriem em seu sucesso,
E os inimigos, exultantes,
Não se regozijem na minha aflição.

Estas não são canções jubilosas. Mas são canções de fé. E elas são escritas através do pensar e sentir com Deus nos Salmos.

4. Ele prega para sua própria alma.

Quarto, o salmista prega para sua própria alma. Verso 5: " Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. " Oh, como isto é crucial na luta da fé. Nós devemos aprender a pregar a verdade para nós mesmos. Veja Lloyd-Jones falar deste verso:

Você já notou que a maior parte da sua infelicidade na vida é devida ao fato de que você está ouvindo a si mesmo em vez de falar para si mesmo? Considere estes pensamentos que lhe vêm no momento em que você se levanta pela manhã. Você não os originou mas eles estão falando com você, eles trazem de volta os problemas de ontem, etc. Alguém está falando. Quem está falando com você? Seu eu está falando com você. E o tratamento deste homem [em Salmo 42] foi este: em vez de permitir seu eu de falar com ele, ele começa a falar para si mesmo. " Por que estás abatida, ó minha alma? " ele pergunta. Sua alma estava deprimindo ele, esmagando ele. Então ele se levanta e diz,: "Eu, escute por um momento, eu vou falar pra você." (Spiritual Depression, 20-21)

Deste lado da cruz, nós conhecemos o maior firmamento da nossa esperança: Jesus Cristo crucificado pelos nossos pecados e triunfante sobre a morte. Então a principal coisa que devemos aprender é pregar o evangelho para nós mesmos:

Escute, eu: Se Deus é por você, quem pode ser contra você? Ele que não poupou a seu próprio Filho mas por você O entregou, como não te dará também com Ele graciosamente todas as coisas? Quem poderá trazer qualquer acusação contra você como escolhido de Deus? É Deus quem justifica. Quem condenará? Cristo Jesus é quem morreu - mais do que isso, quem ressuscitou –quem está à destra de Deus, e quem de fato está intercedendo por você. Quem te separará do amor de Cristo? (Romanos 8:31-35 parafraseado)

Aprenda a pregar o evangelho a você mesmo. Se este salmista tivesse vivido depois de Cristo, é isto o que ele teria feito.

5. Ele relembra experiências passadas.

Quinto, o salmista relembra. Ele chama experiências passadas à mente. Ele relembra experiências de adoração com a congregação no passado. Verso 4: " Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava. "

Oh, o quanto poderia ser dito aqui sobre a importância da adoração com a congregação nas nossas vidas. Não considere estes momentos de união de qualquer forma. O que nós fazemos aqui é uma transação real com o Deus vivo. A intenção de Deus para estes encontros com Ele na adoração congregacional é preservar sua fé agora e de uma forma que você se lembre deles depois. Se a adoração congregacional não fosse uma obra sobrenatural de Deus, seria puro sentimentalismo o salmista lembrar suas experiências. Ele não está envolvendo nostalgia. Ele está confirmando sua fé no meio da perturbação e do desânimo lembrando-se o quanto real era Deus na adoração congregacional.

Oh, como deveríamos ser mais sérios sobre adoração congregacional. Peça ao Senhor para te mostrar o que está em jogo aqui.

6. Ele tem sede de Deus.

Finalmente, o salmista tem sede de Deus como uma corça brama pelas correntes de águas. Versos 1-2: " Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? " O que torna isto tão lindo, tão crucial para nós, é que a coisa principal que o deixa sedento não é o alívio de suas circunstâncias ameaçadoras. Ele não está sedento principalmente por escapar de seus inimigos ou pela destruição deles.

Não é errado querer alívio e orar por isso. Às vezes é correto orar pela derrota dos inimigos. Porém mais importante do que qualquer um destes motivos é Deus por Si próprio. Quando pensamos e sentimos com Deus nos Salmos, este é o resultado principal: Nós começamos a amar a Deus, e nós queremos ver Deus e estar com Deus e nos satisfazer na admiração e na exultação em Deus.

Esta é a minha esperança final e oração por estas semanas que estamos passando juntos nos Salmos. Que Deus seja revelado, e nós queiramos conhecê-lO como Ele é em Si mesmo e comungarmos com Ele.

Vendo a face de Deus no evangelho de Cristo

Uma provável tradução para o final do versículo 2 é: " quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus. " A resposta final para esta questão foi dada em João 14:9 e 2 Corinthians 4:4. Jesus disse, " quem me vê a mim, vê o Pai " (João 14:9). E Paulo disse que quando somos convertidos a Cristo nós vemos " a luz do Evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. " (2 Corinthians 4:4).

Quando vemos a face de Cristo, vemos a face de Deus. E nós vemos a glória da Sua face quando escutamos a história do evangelho de Sua morte e ressurreição. Isto é a " luz do Evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. "

Que Deus aumente sua fome e sua sede para ver a face de Deus. E que Ele conceda seu desejo através do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.

John Piper

SALMO 138 - Salmo de Davi

Davi rende graças ao Senhor de todo o seu coração por causa dos grandes livramentos que lhe havia dado diante de nações poderosas, que haviam se levantado contra ele, e que foram derrotadas pelo auxílio do Senhor, de modo que ele continuaria louvando ao Senhor na presença dos poderosos que Ele havia subjugado.
Ele se humilharia se prostrando diante de Deus no Seu santuário para louvar a Sua misericórdia e verdade, porque estava cumprindo fielmente cada uma das promessas que Lhe havia feito segundo a Sua palavra.
Sempre que Davi clamava ao Senhor Ele lhe acudia e alentava a força da sua alma atribulada pelas muitas adversidades que teve que enfrentar.
Davi ficava extasiado com a sublimidade de Deus, que apesar de ser excelso, glorioso, atentava para os humildes, e resistia aos soberbos.
Por isso se humilhava perante Ele, porque sabia que enquanto o fizesse Ele levaria a bom termo tudo o que concernisse a ele, especialmente refazendo a sua vida em meio às suas tribulações, porque estenderia a Sua mão poderosa contra a ira dos seus inimigos, e o livraria deles.
Deus faria isto para com ele porque a Sua misericórdia dura para sempre e não desampararia as obras que estavam sendo feitas pelas Suas próprias mãos através da instrumentalidade de Davi.


“Render-te-ei graças, SENHOR, de todo o meu coração; na presença dos poderosos te cantarei louvores.
Prostrar-me-ei para o teu santo templo e louvarei o teu nome, por causa da tua misericórdia e da tua verdade, pois magnificaste acima de tudo o teu nome e a tua palavra.
No dia em que eu clamei, tu me acudiste e alentaste a força de minha alma.
Render-te-ão graças, ó SENHOR, todos os reis da terra, quando ouvirem as palavras da tua boca, e cantarão os caminhos do SENHOR, pois grande é a glória do SENHOR.
O SENHOR é excelso, contudo, atenta para os humildes; os soberbos, ele os conhece de longe. Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida; estendes a mão contra a ira dos meus inimigos; a tua destra me salva.
O que a mim me concerne o SENHOR levará a bom termo; a tua misericórdia, ó SENHOR, dura para sempre; não desampares as obras das tuas mãos.”

Silvio Dutra

SALMO 136

Este salmo é praticamente o mesmo salmo precedente, sendo que é incluída no final de cada verso, a repetição da frase: “porque a sua misericórdia dura para sempre”.

“Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre. Rendei graças ao Deus dos deuses, porque a sua misericórdia dura para sempre. Rendei graças ao Senhor dos senhores, porque a sua misericórdia dura para sempre; ao único que opera grandes maravilhas, porque a sua misericórdia dura para sempre; àquele que com entendimento fez os céus, porque a sua misericórdia dura para sempre; àquele que estendeu a terra sobre as águas, porque a sua misericórdia dura para sempre; àquele que fez os grandes luminares, porque a sua misericórdia dura para sempre; o sol para presidir o dia, porque a sua misericórdia dura para sempre; a lua e as estrelas para presidirem a noite, porque a sua misericórdia dura para sempre; àquele que feriu o Egito nos seus primogênitos, porque a sua misericórdia dura para sempre; e tirou a Israel do meio deles, porque a sua misericórdia dura para sempre; com mão poderosa e braço estendido, porque a sua misericórdia dura para sempre; àquele que separou em duas partes o mar Vermelho, porque a sua misericórdia dura para sempre; e por entre elas fez passar a Israel, porque a sua misericórdia dura para sempre; mas precipitou no mar Vermelho a Faraó e ao seu exército, porque a sua misericórdia dura para sempre; àquele que conduziu o seu povo pelo deserto, porque a sua misericórdia dura para sempre; àquele que feriu grandes reis, porque a sua misericórdia dura para sempre; e tirou a vida a famosos reis, porque a sua misericórdia dura para sempre; a Seom, rei dos amorreus, porque a sua misericórdia dura para sempre; e a Ogue, rei de Basã, porque a sua misericórdia dura para sempre; cujas terras deu em herança, porque a sua misericórdia dura para sempre; em herança a Israel, seu servo, porque a sua misericórdia dura para sempre; a quem se lembrou de nós em nosso abatimento, porque a sua misericórdia dura para sempre; e nos libertou dos nossos adversários, porque a sua misericórdia dura para sempre; e dá alimento a toda carne, porque a sua misericórdia dura para sempre. Oh! Tributai louvores ao Deus dos céus, porque a sua misericórdia dura para sempre.”

Silvio Dutra

SALMO 135

Este salmo exalta o Senhor como o único Deus e Criador, sendo portanto o único digno de adoração e de ser louvado.
O texto do salmo relativo aos adoradores de ídolos é semelhante ao do Salmo 115.
O Senhor deve ser temido especialmente por causa dos Seus juízos, que havia demonstrado abundantemente no passado, quer na destruição das nações pagãs de Canaã, quer nos juízos que trouxe sobre os egípcios nos dias de Moisés.
Ele também julgava a Seu próprio povo Israel, no entanto se compadece daqueles que são Seus servos.


“Aleluia!
Louvai o nome do SENHOR; louvai-o, servos do SENHOR, vós que assistis na Casa do SENHOR, nos átrios da casa do nosso Deus.
Louvai ao SENHOR, porque o SENHOR é bom; cantai louvores ao seu nome, porque é agradável.
Pois o SENHOR escolheu para si a Jacó e a Israel, para sua possessão.
Com efeito, eu sei que o SENHOR é grande e que o nosso Deus está acima de todos os deuses.
Tudo quanto aprouve ao SENHOR, ele o fez, nos céus e na terra, no mar e em todos os abismos. Faz subir as nuvens dos confins da terra, faz os relâmpagos para a chuva, faz sair o vento dos seus reservatórios.
Foi ele quem feriu os primogênitos no Egito, tanto dos homens como das alimárias; quem, no meio de ti, ó Egito, operou sinais e prodígios contra Faraó e todos os seus servos; quem feriu muitas nações e tirou a vida a poderosos reis: a Seom, rei dos amorreus, e a Ogue, rei de Basã, e a todos os reinos de Canaã; cujas terras deu em herança, em herança a Israel, seu povo.
O teu nome, SENHOR, subsiste para sempre; a tua memória, SENHOR, passará de geração em geração. Pois o SENHOR julga ao seu povo e se compadece dos seus servos.
Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens.
Têm boca e não falam; têm olhos e não veem; têm ouvidos e não ouvem; pois não há alento de vida em sua boca.
Como eles se tornam os que os fazem, e todos os que neles confiam.
Casa de Israel, bendizei ao SENHOR; casa de Arão, bendizei ao SENHOR; casa de Levi, bendizei ao SENHOR; vós que temeis ao SENHOR, bendizei ao SENHOR.
Desde Sião bendito seja o SENHOR, que habita em Jerusalém! Aleluia!”

Silvio Dutra

SALMO 123

Quando este salmo foi escrito Israel estava debaixo de grande aflição sob a ameaça de povos inimigos que escarneciam deles e do Seu Deus.
Então elevavam os seu olhos espirituais para os céus, para clamarem pela misericórdia do Senhor, para que lhes desse livramento.

“A ti, que habitas nos céus, elevo os olhos!
Como os olhos dos servos estão fitos nas mãos dos seus senhores, e os olhos da serva, na mão de sua senhora, assim os nossos olhos estão fitos no SENHOR, nosso Deus, até que se compadeça de nós.
Tem misericórdia de nós, SENHOR, tem misericórdia; pois estamos sobremodo fartos de desprezo.
A nossa alma está farta da zombaria dos arrogantes e do desprezo dos soberbos.”

Silvio Dutra

SALMO 122 – Salmo de Davi

Quando este salmo foi escrito por Davi a arca já se encontrava em Jerusalém, e o culto ao Senhor havia sido restaurado no tabernáculo que ele mandara construir para abrigar a arca, e para que oficiassem nele os sacerdotes e levitas.
Nas datas das festas fixas o povo de todas as demais tribos de Israel vinham a Jerusalém, para adorar ao Senhor.
Davi se alegrava como rei em ver o povo do Senhor Lhe rendendo culto de adoração.
Por isso ele conclamava o povo a orar pela paz de Jerusalém, para que se desse continuidade ao culto de adoração que era devido a Deus, e conforme previsto na Lei de Moisés.

“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do SENHOR.
Pararam os nossos pés junto às tuas portas, ó Jerusalém! Jerusalém, que estás construída como cidade compacta, para onde sobem as tribos, as tribos do SENHOR, como convém a Israel, para renderem graças ao nome do SENHOR.
Lá estão os tronos de justiça, os tronos da casa de Davi.
Orai pela paz de Jerusalém! Sejam prósperos os que te amam.
Reine paz dentro de teus muros e prosperidade nos teus palácios.
Por amor dos meus irmãos e amigos, eu peço: haja paz em ti!
Por amor da Casa do SENHOR, nosso Deus, buscarei o teu bem.”

Silvio Dutra