Salmos da Bíblia

Cerca de 325 frases e pensamentos: Salmos da Bíblia

SALMO 100

Este salmo não contém qualquer imprecação contra as nações, ao contrário convida-as a celebrarem com júbilo ao Senhor, no Seu santo templo.
Ele é típico do próprio convite do evangelho e da graça de Cristo aos pecadores em todas as nações para que se aproximem dEle e alcancem a salvação que lhes está oferecendo tão gentil e graciosamente, conforme vemos expressado nas palavras deste salmo.
A base da confiança da nossa aproximação do Senhor consiste no fato de que Ele é bom, e que a sua misericórdia e fidelidade, duram de geração a geração.

“Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.
Servi ao SENHOR com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico.
Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio.
Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome.
Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração, a sua fidelidade.”

Silvio Dutra

SALMO 102

Este salmo foi escrito provavelmente depois de Jerusalém ter sido assolada pelos babilônios, e o povo de Judá sido levado para o cativeiro.
O salmista lamenta pela condição de ruína a que foi deixada a cidade santa, mas ao mesmo tempo vislumbra o futuro, quanto à promessa de Deus de restaurar o Seu povo no próprio monte Sião, para reinarem juntamente com o Messias.
Os profetas haviam feito menção a isto e o salmista escreve confiado em tais promessas de restauração e consolação futuras para Israel.

“Ouve, SENHOR, a minha súplica, e cheguem a ti os meus clamores.
Não me ocultes o rosto no dia da minha angústia; inclina-me os ouvidos; no dia em que eu clamar, dá-te pressa em acudir-me.
Porque os meus dias, como fumaça, se desvanecem, e os meus ossos ardem como em fornalha.
Ferido como a erva, secou-se o meu coração; até me esqueço de comer o meu pão.
Os meus ossos já se apegam à pele, por causa do meu dolorido gemer.
Sou como o pelicano no deserto, como a coruja das ruínas.
Não durmo e sou como o passarinho solitário nos telhados.
Os meus inimigos me insultam a toda hora; furiosos contra mim, praguejam com o meu próprio nome.
Por pão tenho comido cinza e misturado com lágrimas a minha bebida, por causa da tua indignação e da tua ira, porque me elevaste e depois me abateste.
Como a sombra que declina, assim os meus dias, e eu me vou secando como a relva.
Tu, porém, SENHOR, permaneces para sempre, e a memória do teu nome, de geração em geração.
Levantar-te-ás e terás piedade de Sião; é tempo de te compadeceres dela, e já é vinda a sua hora; porque os teus servos amam até as pedras de Sião e se condoem do seu pó.
Todas as nações temerão o nome do SENHOR, e todos os reis da terra, a sua glória; porque o SENHOR edificou a Sião, apareceu na sua glória, atendeu à oração do desamparado e não lhe desdenhou as preces.
Ficará isto registrado para a geração futura, e um povo, que há de ser criado, louvará ao SENHOR; que o SENHOR, do alto do seu santuário, desde os céus, baixou vistas à terra, para ouvir o gemido dos cativos e libertar os condenados à morte, a fim de que seja anunciado em Sião o nome do SENHOR e o seu louvor, em Jerusalém, quando se reunirem os povos e os reinos, para servirem ao SENHOR.
Ele me abateu a força no caminho e me abreviou os dias.
Dizia eu: Deus meu, não me leves na metade de minha vida; tu, cujos anos se estendem por todas as gerações.
Em tempos remotos, lançaste os fundamentos da terra; e os céus são obra das tuas mãos.
Eles perecerão, mas tu permaneces; todos eles envelhecerão como uma veste, como roupa os mudarás, e serão mudados.
Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.
Os filhos dos teus servos habitarão seguros, e diante de ti se estabelecerá a sua descendência.”

Silvio Dutra

SALMO 103 – Salmo de Davi

Desde que Adão se escondeu atrás de uma árvore no Éden, com medo de Deus, e quando este veio ao Seu encontro para lhe oferecer redenção e perdão, também trouxe, por causa do pecado, maldições sobre a serpente, o homem, a mulher e a terra.
Esta seria a condição de se viver neste mundo desde então, como por exemplo a de o homem comer o seu pão como suor do rosto, apesar de se ter esta possibilidade de redenção do pecado, por causa do amor e misericórdia de Deus.
Davi era uma pessoa redimida e especial para o Senhor, mas teve que compartilhar muitas das misérias a que estão sujeitos todos os homens, por causa do pecado original.
Por isso nós o vemos neste Salmo bendizendo ao Senhor com todo o seu ser, e ordenando à própria alma que nunca se esquecesse de um só dos Seus benefícios.
Davi sabia que não eram suas boas obras e própria justiça que perdoavam as suas iniquidades, mas o próprio Deus.
Como também era Ele que sarava todas as usas enfermidades, e que livrava a sua vida da morte, e a coroava de graça e misericórdia, fartando de bens a sua velhice, de maneira que era renovado em mocidade tal como a águia.
É o Senhor que faz justiça e julga a todos os oprimidos, porque julga todas as suas causas e até mesmo atos de suas vidas, que na grande maioria, jamais serão julgados pelos magistrados da terra, e não é comum, que pessoas necessitadas sejam julgadas com justiça e misericórdia por muitos deles.
Todavia, não há verdadeiro e perfeito juiz humano, senão somente o Senhor.
Nós podemos contemplar a perfeição da Sua Lei, conforme a revelou a Moisés, para ser dada aos filhos de Israel.
Deus é cheio de misericórdia e longânimo, ou seja, tardio em se irar, e grandemente benigno.
Davi podia falar destas virtudes de Deus por tê-las experimentado abundantemente em sua própria vida.
Além disso, ele tivera a experiência de que o Senhor não repreende perpetuamente, e nem conserva para sempre a sua ira, porque se mostra perdoador e consolador para todo aquele que se arrepende.
Deus não trata conosco segundo os nossos pecados e nem nos retribui segundo as nossas iniquidades, caso contrário não nos deixaria viver tantos anos na terra, e logo executaria um juízo de condenação sobre nós, porque a Sua justiça não pode tolerar um só pecado, no entanto, Ele equilibra a justiça com a misericórdia e o Seu grande amor, bondade e longanimidade.
Especialmente aqueles que O têm são beneficiados por tal misericórdia que é elevada, tal o como o céu está acima da terra, porque é do alto que ela nos vem, do Seu trono de graça.
Por isso pode afastar as nossas transgressões de nós, tal como o Oriente está distante do Ocidente.
A compaixão que ele tem por nós é maior do que a de um pai por seus filhos, porque conhece perfeitamente a nossa estrutura, e sabe que somos pó.
Que não temos em nós mesmos o poder de vencer e resistir ao mal.
E que dependemos inteiramente dEle e da Sua graça para poder vencê-lo.
Somos responsabilizados portanto, por Ele, quanto ao pecado, por não buscarmos tal auxílio e socorro que estão disponíveis nEle para todo pecador.
Esta é portanto a base da condenação: a rejeição da Sua graça, o ato de se voltar as costas para Ele, e tentar se esconder atrás de alguma coisa, tal como Adão no passado, para não irmos a Jesus Cristo para termos vida, assim como os escribas e fariseus haviam feito nos dias do Seu ministério terreno, escondendo-se atrás da descendência de Abraão, e até mesmo das próprias Escrituras, afirmando que já conheciam a Deus porque conheciam os mandamentos, quando na verdade nunca estiveram de fato na Sua presença, porque sempre haviam rejeitado a Sua própria pessoa e graça, para serem perdoados e salvos, e continuavam confiando na própria justiça pessoal deles (Jo 5.40).
Eis porque a incredulidade, a rejeição da misericórdia e graça de Deus serão a grande base da condenação futura, porque Deus sabe que o homem não tem o poder de si mesmo para viver a vida celestial e divina para a qual ele foi criado.
Esta inabilidade e impotência do homem estão bem reveladas em estar Deus demonstrando qual tem sido a consequência do pecado, relativamente à morte.
Os anos de vida do homem na terra foram abreviados drasticamente.
E mesmo tendo permitido que se vivesse até cerca de 900 anos no mundo antigo, à medida que a iniquidade foi se multiplicando na terra o tempo de existência foi sendo progressivamente reduzido para ser um sinal para o homem de que ele é impotente por si mesmo para ter vida abundante, por causa do pecado, e ser-lhe-á possível recuperar tal vida somente pela via da redenção em Jesus Cristo.
Então se o homem alcança a misericórdia de Deus para a salvação, ele viverá eternamente porque a misericórdia divina dura de eternidade a eternidade, isto é, ela sempre será renovada garantindo a eternidade da nossa redenção e salvação.
Estas bênçãos espirituais e eternas nos são garantidas desde o céu, onde está estabelecido o trono do Senhor, e do qual manifesta o seu reino, que domina sobre tudo.
Motivo pelo qual devem Lhe bendizer os seus anjos valorosos em poder, e que executam as suas ordens e obedecem à Sua Palavra, a saber, os anjos eleitos.
Todos os exércitos do Senhor, tanto os celestiais, quanto os da terra, especialmente os seus ministros, que fazem a Sua vontade, devem bendizê-lo.
Na verdade, tudo o que foi criado deve bendizer ao Senhor, porque Ele tudo criou para o louvor da glória da Sua graça.


“Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome.
Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios.
Ele é quem perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia; quem farta de bens a tua velhice, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.
O SENHOR faz justiça e julga a todos os oprimidos. Manifestou os seus caminhos a Moisés e os seus feitos aos filhos de Israel.
O SENHOR é misericordioso e compassivo; longânimo e assaz benigno.
Não repreende perpetuamente, nem conserva para sempre a sua ira.
Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui consoante as nossas iniquidades.
Pois quanto o céu se alteia acima da terra, assim é grande a sua misericórdia para com os que o temem.
Quanto dista o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões.
Como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR se compadece dos que o temem.
Pois ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó.
Quanto ao homem, os seus dias são como a relva; como a flor do campo, assim ele floresce; pois, soprando nela o vento, desaparece; e não conhecerá, daí em diante, o seu lugar.
Mas a misericórdia do SENHOR é de eternidade a eternidade, sobre os que o temem, e a sua justiça, sobre os filhos dos filhos, para com os que guardam a sua aliança e para com os que se lembram dos seus preceitos e os cumprem.
Nos céus, estabeleceu o SENHOR o seu trono, e o seu reino domina sobre tudo.
Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que executais as suas ordens e lhe obedeceis à palavra.
Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que fazeis a sua vontade.
Bendizei ao SENHOR, vós, todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio.
Bendize, ó minha alma, ao SENHOR.”

Silvio Dutra

SALMO 104

Este salmo apesar de não trazer a indicação de ser da autoria de Davi, tem muitos pontos de semelhança com o salmo anterior que é da sua autoria.
O salmista bendiz ao Senhor pela Sua magnificência, glória e majestade, estando cheio de luz.
Ele faz dos anjos seus ministros que são velozes como vento e fervorosos como labaredas de fogo.
Foi o Senhor que fundou a terra de tal maneira que ela prossiga por muitos séculos sem que seja destruída.
A mesma terra que fora tomada da água no princípio, foi coberta pelas águas no dilúvio, por causa da voz da repreensão de Deus.
Foi Ele quem formou os montes e que pôs limites às águas dos mares para que não tornem a cobrir a terra.
Ele formou também as fontes de água para saciar a sede de todas as suas criaturas.
Ele faz chover desde o céu e rega a terra para que produza os seus frutos, e a relva para os animais, e as plantas para servirem ao homem, especialmente lhe dando o alimento que lhe sustém as forças.
Para cada criatura Ele preparou um habitat específico.
Formou o sol e a luz para também marcarem o tempo e as estações.
Para os animais de hábito noturno, preparou as trevas.
Ao homem dispõe que deixe o lar durante o dia para se dedicar ao seu trabalho.
O salmista se encantava em tal variedade das obras de Deus.
Feitas com sabedoria para encher toda a terra com as Suas riquezas.
Todos os seres, tanto da terra quanto do mar dependem do fôlego da vida que Deus lhes deu, para que vivam.
Se o Senhor lhes retira a respiração, logo morrem.
Mas o trabalho do Espírito Santo renova a criação de Deus na face da terra.
Por isso o salmista louvaria ao Senhor enquanto vivesse, e desejava que Lhe fosse agradável a sua meditação com a qual se alegrava no Senhor.
Como somente os justos podem dar o devido tributo de louvor ao Senhor, o salmista orou para que viesse o dia que já não houvesse mais perversos na terra.


“Bendize, ó minha alma, ao SENHOR!
SENHOR, Deus meu, como tu és magnificente: sobrevestido de glória e majestade, coberto de luz como de um manto.
Tu estendes o céu como uma cortina, pões nas águas o vigamento da tua morada, tomas as nuvens por teu carro e voas nas asas do vento.
Fazes a teus anjos ventos e a teus ministros, labaredas de fogo.
Lançaste os fundamentos da terra, para que ela não vacile em tempo nenhum.
Tomaste o abismo por vestuário e a cobriste; as águas ficaram acima das montanhas; à tua repreensão, fugiram, à voz do teu trovão, bateram em retirada.
Elevaram-se os montes, desceram os vales, até ao lugar que lhes havias preparado.
Puseste às águas divisa que não ultrapassarão, para que não tornem a cobrir a terra.
Tu fazes rebentar fontes no vale, cujas águas correm entre os montes; dão de beber a todos os animais do campo; os jumentos selvagens matam a sua sede.
Junto delas têm as aves do céu o seu pouso e, por entre a ramagem, desferem o seu canto.
Do alto de tua morada, regas os montes; a terra farta-se do fruto de tuas obras.
Fazes crescer a relva para os animais e as plantas, para o serviço do homem, de sorte que da terra tire o seu pão, o vinho, que alegra o coração do homem, o azeite, que lhe dá brilho ao rosto, e o alimento, que lhe sustém as forças.
Avigoram-se as árvores do SENHOR e os cedros do Líbano que ele plantou, em que as aves fazem seus ninhos; quanto à cegonha, a sua casa é nos ciprestes.
Os altos montes são das cabras montesinhas, e as rochas, o refúgio dos arganazes.
Fez a lua para marcar o tempo; o sol conhece a hora do seu ocaso.
Dispões as trevas, e vem a noite, na qual vagueiam os animais da selva.
Os leõezinhos rugem pela presa e buscam de Deus o sustento; em vindo o sol, eles se recolhem e se acomodam nos seus covis.
Sai o homem para o seu trabalho e para o seu encargo até à tarde.
Que variedade, SENHOR, nas tuas obras!
Todas com sabedoria as fizeste; cheia está a terra das tuas riquezas.
Eis o mar vasto, imenso, no qual se movem seres sem conta, animais pequenos e grandes.
Por ele transitam os navios e o monstro marinho que formaste para nele folgar.
Todos esperam de ti que lhes dês de comer a seu tempo.
Se lhes dás, eles o recolhem; se abres a mão, eles se fartam de bens.
Se ocultas o rosto, eles se perturbam; se lhes cortas a respiração, morrem e voltam ao seu pó.
Envias o teu Espírito, eles são criados, e, assim, renovas a face da terra.
A glória do SENHOR seja para sempre!
Exulte o SENHOR por suas obras!
Com só olhar para a terra, ele a faz tremer; toca as montanhas, e elas fumegam.
Cantarei ao SENHOR enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus durante a minha vida.
Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me alegrarei no SENHOR.
Desapareçam da terra os pecadores, e já não subsistam os perversos.
Bendize, ó minha alma, ao SENHOR! Aleluia!”

Silvio Dutra

SALMO 105

Este salmo passa em revista as bênçãos e maldições de Deus desde a formação das doze tribos de Israel através de Jacó, até a entrada deles em Canaã.
Ele passou em revista tais ações de Deus em relação a eles, para que se lembrassem que eram o povo da aliança, e que portanto lhes sobrevieram todas aquelas coisas, tanto para alegria, quanto para correção, e por este motivo deveriam render graças ao Senhor e invocar o Seu nome, tornando conhecidos entres os povos, todos os Seus feitos.
Estes que buscam o Senhor devem se gloriar no Seu santo nome, e terem o coração alegre.
Nunca o cristão deve deixar de buscar o poder e a presença do Senhor, seja qual for a circunstância em que estiver vivendo.
Para tanto, devem ser trazidas à lembrança todas as maravilhas que Ele fez, bem como dos Seus juízos, para que seja não somente admirado mas também temido.
Foi para tal propósito que o salmista passou a enumerar os feitos e os juízos de Deus que estão registrados no Pentateuco.


“Rendei graças ao SENHOR, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos.
Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; narrai todas as suas maravilhas. Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração dos que buscam o SENHOR.
Buscai o SENHOR e o seu poder; buscai perpetuamente a sua presença.
Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos de seus lábios, vós, descendentes de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos.
Ele é o SENHOR, nosso Deus; os seus juízos permeiam toda a terra.
Lembra-se perpetuamente da sua aliança, da palavra que empenhou para mil gerações; da aliança que fez com Abraão e do juramento que fez a Isaque; o qual confirmou a Jacó por decreto e a Israel por aliança perpétua, dizendo: Dar-te-ei a terra de Canaã como quinhão da vossa herança.
Então, eram eles em pequeno número, pouquíssimos e forasteiros nela; andavam de nação em nação, de um reino para outro reino.
A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas.
Fez vir fome sobre a terra e cortou os meios de se obter pão.
Adiante deles enviou um homem, José, vendido como escravo; cujos pés apertaram com grilhões e a quem puseram em ferros, até cumprir-se a profecia a respeito dele, e tê-lo provado a palavra do SENHOR.
O rei mandou soltá-lo; o potentado dos povos o pôs em liberdade.
Constituiu-o senhor de sua casa e mordomo de tudo o que possuía, para, a seu talante, sujeitar os seus príncipes e aos seus anciãos ensinar a sabedoria.
Então, Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cam.
Deus fez sobremodo fecundo o seu povo e o tornou mais forte do que os seus opressores.
Mudou-lhes o coração para que odiassem o seu povo e usassem de astúcia para com os seus servos.
E lhes enviou Moisés, seu servo, e Arão, a quem escolhera, por meio dos quais fez, entre eles, os seus sinais e maravilhas na terra de Cam.
Enviou trevas, e tudo escureceu; e Moisés e Arão não foram rebeldes à sua palavra.
Transformou-lhes as águas em sangue e assim lhes fez morrer os peixes.
Sua terra produziu rãs em abundância, até nos aposentos dos reis.
Ele falou, e vieram nuvens de moscas e piolhos em todo o seu país. Por chuva deu-lhes saraiva e fogo chamejante, na sua terra.
Devastou-lhes os vinhedos e os figueirais e lhes quebrou as árvores dos seus limites.
Ele falou, e vieram gafanhotos e saltões sem conta, os quais devoraram toda a erva do país e comeram o fruto dos seus campos.
Também feriu de morte a todos os primogênitos da sua terra, as primícias do seu vigor.
Então, fez sair o seu povo, com prata e ouro, e entre as suas tribos não havia um só inválido. Alegrou-se o Egito quando eles saíram, porquanto lhe tinham infundido terror.
Ele estendeu uma nuvem que lhes servisse de toldo e um fogo para os alumiar de noite.
Pediram, e ele fez vir codornizes e os saciou com pão do céu.
Fendeu a rocha, e dela brotaram águas, que correram, qual torrente, pelo deserto.
Porque estava lembrado da sua santa palavra e de Abraão, seu servo.
E conduziu com alegria o seu povo e, com jubiloso canto, os seus escolhidos.
Deu-lhes as terras das nações, e eles se apossaram do trabalho dos povos, para que lhe guardassem os preceitos e lhe observassem as leis. Aleluia!

Silvio Dutra

SALMO 106

Este salmo segue o mesmo arranjo do salmo anterior, no qual o povo do Senhor é convocado a Lhe render graças por Sua bondade e misericórdia, que dura para sempre, bem como por todos os Seus feitos manifestados na história de Israel, dos quais o salmista vai destacar especialmente os havidos sob Moisés, e conforme estão registrados no Pentateuco.
O salmista reconhece que Israel havia pecado tal como seus ancestrais haviam feito no passado.
Foram rebeldes tanto quanto eles, mas de igual modo também estavam sendo alvo da salvação do Senhor por amor do Seu próprio nome, para manifestar o Seu poder.
O Senhor havia aberto o Mar Vermelho e subjugado os seus inimigos, mas eles logo se esqueceram desta grande obra e não guardaram o caminho do Senhor, por terem se entregado à cobiça no deserto.
Houve inveja entre eles, especialmente no caso de Datã, Coré e Abirão, que foram tragados vivos pela terra, que abriu sob os seus pés e o grupo que lhes seguia.
A tal ponto chegou a iniquidade deles, mesmo em face de todas as maravilhas do Senhor, que fizeram um ídolo para si, um bezerro de ouro, e o adoraram.
Trocando a glória de Deus pela figura de um novilho que come erva.
Deus os teria destruído se Moisés não tivesse intercedido por eles. Porém não se emendaram e se juntaram a Baal-Peor e comeram dos sacrifícios oferecidos a este falso deus pelos midianitas, aos quais haviam se misturado.
Por isso o Senhor matou a muitos israelitas pela peste e esta teria avançado se não fosse pelo zelo de Finéias, que executou o juízo do Senhor, transpassando com sua lança a um príncipe da tribo de Simeão, juntamente com uma princesa midianita, à qual havia se juntado.
Por causa da rebeldia de Israel na contenda das águas de Meribá, Moisés foi impedido de entrar na terra de Canaã, porque eles haviam sido rebeldes ao Espírito Santo, levando Moisés a falar irrefletidamente.
Eles se misturaram aos povos pagãos de Canaã, em vez de exterminá-los, conforme mandado do Senhor, e se contaminaram com eles dando culto aos seus ídolos, e praticando os seus costumes contrários aos mandamentos de Deus.
Até a seus próprios filhos ofereceram como sacrifícios aos demônios e aos ídolos de Canaã.
Isto fez com que a ira do Senhor se acendesse contra eles e lhes entregou ao poder das nações, como se vê especialmente no período dos juízes e dos reis de Israel.
Apesar de o Senhor tê-los libertado várias vezes, quando Lhe clamavam por socorro, no entanto, voltavam à prática das mesmas más obras.
Todavia, por causa da fidelidade da aliança que havia feito com eles, sempre se compadeceu segundo a multidão das Suas misericórdias, e fez com que lograssem receber compaixão dos povos que lhes haviam levado cativos.
Então, confiado nestas misericórdias divinas, o salmista orou para que o Senhor tornasse a congregar Israel, das nações para as quais lhe havia dispersado, para que dessem graças ao Seu santo nome e se gloriassem no Seu louvor.


“Aleluia! Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre.
Quem saberá contar os poderosos feitos do SENHOR ou anunciar os seus louvores?
Bem-aventurados os que guardam a retidão e o que pratica a justiça em todo tempo.
Lembra-te de mim, SENHOR, segundo a tua bondade para com o teu povo; visita-me com a tua salvação, para que eu veja a prosperidade dos teus escolhidos, e me alegre com a alegria do teu povo, e me regozije com a tua herança.
Pecamos, como nossos pais; cometemos iniquidade, procedemos mal.
Nossos pais, no Egito, não atentaram às tuas maravilhas; não se lembraram da multidão das tuas misericórdias e foram rebeldes junto ao mar, o mar Vermelho.
Mas ele os salvou por amor do seu nome, para lhes fazer notório o seu poder.
Repreendeu o mar Vermelho, e ele secou; e fê-los passar pelos abismos, como por um deserto. Salvou-os das mãos de quem os odiava e os remiu do poder do inimigo.
As águas cobriram os seus opressores; nem um deles escapou.
Então, creram nas suas palavras e lhe cantaram louvor.
Cedo, porém, se esqueceram das suas obras e não lhe aguardaram os desígnios; entregaram-se à cobiça, no deserto; e tentaram a Deus na solidão.
Concedeu-lhes o que pediram, mas fez definhar-lhes a alma.
Tiveram inveja de Moisés, no acampamento, e de Arão, o santo do SENHOR.
Abriu-se a terra, e tragou a Datã, e cobriu o grupo de Abirão.
Ateou-se um fogo contra o seu grupo; a chama abrasou os ímpios.
Em Horebe, fizeram um bezerro e adoraram o ídolo fundido.
E, assim, trocaram a glória de Deus pelo simulacro de um novilho que come erva.
Esqueceram-se de Deus, seu Salvador, que, no Egito, fizera coisas portentosas, maravilhas na terra de Cam, tremendos feitos no mar Vermelho.
Tê-los-ia exterminado, como dissera, se Moisés, seu escolhido, não se houvesse interposto, impedindo que sua cólera os destruísse.
Também desprezaram a terra aprazível e não deram crédito à sua palavra; antes, murmuraram em suas tendas e não acudiram à voz do SENHOR.
Então, lhes jurou, de mão erguida, que os havia de arrasar no deserto; e também derribaria entre as nações a sua descendência e os dispersaria por outras terras.
Também se juntaram a Baal-Peor e comeram os sacrifícios dos ídolos mortos.
Assim, com tais ações, o provocaram à ira; e grassou peste entre eles.
Então, se levantou Finéias e executou o juízo; e cessou a peste.
Isso lhe foi imputado por justiça, de geração em geração, para sempre.
Depois, o indignaram nas águas de Meribá, e, por causa deles, sucedeu mal a Moisés, pois foram rebeldes ao Espírito de Deus, e Moisés falou irrefletidamente.
Não exterminaram os povos, como o SENHOR lhes ordenara.
Antes, se mesclaram com as nações e lhes aprenderam as obras; deram culto a seus ídolos, os quais se lhes converteram em laço; pois imolaram seus filhos e suas filhas aos demônios e derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e filhas, que sacrificaram aos ídolos de Canaã; e a terra foi contaminada com sangue.
Assim se contaminaram com as suas obras e se prostituíram nos seus feitos.
Acendeu-se, por isso, a ira do SENHOR contra o seu povo, e ele abominou a sua própria herança e os entregou ao poder das nações; sobre eles dominaram os que os odiavam.
Também os oprimiram os seus inimigos, sob cujo poder foram subjugados.
Muitas vezes os libertou, mas eles o provocaram com os seus conselhos e, por sua iniquidade, foram abatidos.
Olhou-os, contudo, quando estavam angustiados e lhes ouviu o clamor; lembrou-se, a favor deles, de sua aliança e se compadeceu, segundo a multidão de suas misericórdias.
Fez também que lograssem compaixão de todos os que os levaram cativos.
Salva-nos, SENHOR, nosso Deus, e congrega-nos de entre as nações, para que demos graças ao teu santo nome e nos gloriemos no teu louvor.
Bendito seja o SENHOR, Deus de Israel, de eternidade a eternidade; e todo o povo diga: Amém! Aleluia!

Silvio Dutra

- O choro pode durar uma noite , mais a alegria vem pela manhã ! SALMO 30:5 .

KerolaynneLins

Salmo 91


Quem clama ao Deus Altíssimo
e procura segurança,
descansará à sua sombra.
Com toda a confiança
e fé no Onipotente
surge luz em cada frente
e brilha a esperança.


Então direi ao Senhor:
"Sois a minha fortaleza.
o meu refúgio seguro.
Confio em ti com certeza!
Tu és o meu defensor,
meu querido protetor,
toda a bondade e beleza."


Da peste perniciosa
e do laço do inimigo
Deus também te livrará.
Nas suas mãos o abrigo!
Ali estarás seguro
confiante no futuro,
o Senhor está contigo.


Seja no terror da noite
ou em assaltos no dia
confie e não terás medo,
isto não te atingiria.
Ficas livre da crueldade
e também da mortandade
que assola ao meio dia.


Mil cairão ao teu lado
e dez mil à tua direita
mas não chegará a ti.
Se os maus ficarem na espreita
procurando te alcançar
para assim prejudicar,
não conseguirão colheita.


A recompensa dos ímpios
não demora a chegar
e logo contemplarás
quando Deus os castigar.
Ele é o teu protetor,
pai zeloso e defensor,
confiança em cada lar.


Por isso nenhum desastre
chegará em tua morada.
A violência não te enxerga,
fracassa na empreitada.
Passa longe da tua casa,
a família fica ilesa
e a fé é renovada.


Deus mandará os seus anjos
para assim te proteger
em qualquer lugar que vás.
Eles tem força e poder!
Em cada ocasião
guiarão a tua mão
para o Bem acontecer.


Também te segurarão
para o tropeço evitar
e as pedras não te ferirem.
Anjos querem te salvar!
São pelo Pai enviados,
bondosos e iluminados,
para o mal expulsar.


Seja o leão mais feroz
ou a venenosa serpente,
não conseguirão agir.
Estarás forte e valente!
suas cabeças pisando,
a maldade esmagando
e continuando em frente.


Ecoando no infinito
Deus diz:"Eu te salvarei!
Protejo os que me amam,
eu os reconhecerei!
Sendo filhos devotados
serão sempre abençoados,
depressa os atenderei.


Aí quando me chamarem
logo lhes responderei
com proteção e carinho.
Eu sempre os livrarei!
Sou o seu Deus e Senhor,
poderoso Salvador,
vigilante estarei.


E serão recompensados
com muitos anos de vida
pela grandeza da fé.
Se esta estiver mantida,
minha força mostrarei,
os seus passos guiarei
e a missão será cumprida."

Antonia Neusa de Oliveira (aneusapoesias)

PROCURE SER COMO DAVI:QUE O SEU CORAÇÃO SÓ TRANSBORDE COM PALAVRAS BOAS.

(Salmos 45:1) - O MEU coração ferve com palavras boas...

Missionário Celso Alexandre Cesma

Memorizavam silabicamente o que dizia o pastor, “decoravam-se” de salmos e provérbios…

Horácio Leal

MEU AUXÍLIO

Ouve, Senhor,
e tem piedade de mim, Senhor.
Sê o meu auxílio.
Salmos 30:10

Jesus.
O porto seguro para as tempestades.

Jesus.
A luz forte para os dias escuros.

Jesus.
A direção para os caminhos sinuosos.

Jesus.
O auxílio para os momentos de turbulência.

Jesus.
A bússola para quando estou perdido na vida.

Caio Góes
Pastor

Siga A PALAVRA DE DEUS

MEU GUARDIÃO

O Senhor te guardará de todo o mal.
Guardará a tua alma.
Salmos 121:7

Jesus.
A minha força para enfrentar os desafios da vida.

Jesus.
A minha segurança para os momentos de caos.

Jesus.
A minha fortaleza nas horas de angústia.

Jesus.
A minha rocha inabalável.

Jesus.
A minha esperança certa.

Caio Góes
Pastor

Siga A PALAVRA DE DEUS

FÉ VERDADEIRA
Parábola

Em Deus louvarei a sua palavra,
em Deus pus a minha confiança
Salmos 56:4

Um alpinista iniciou a escalada de uma montanha, uma das mais altas do mundo.
Ao final do segundo dia, a noite chegou junto com um forte vento, que anunciava nevasca para a madrugada.
Estava muito escuro e não era possível enxergar mais que 10 centímetros à frente.
No entanto, ele tentava galgar alguns metros para chegar a uma plataforma para acampar naquela noite.
Foi quando escorregou numa lâmina de gelo e caiu num abismo de trevas.
Caía a uma velocidade vertiginosa, sentindo a terrível sensação de ser sugado pela força da gravidade.
O alpinista continuava caindo e toda a sua vida, num filme rápido, passava em sua mente.
Foi quando sentiu um forte solavanco que quase partiu seu corpo ao meio.
Era a corda de segurança na sua cintura, presa a uma estaca cravada no gelo que todo alpinista utiliza para sua segurança.

Nesse momento, de profundo silêncio, suspenso nos ares, o alpinista fala baixinho:
- Deus, me ajude.
De repente, uma voz grave e profunda vinda de todos os lados respondeu:
- O que você quer de mim, meu filho?
- Salve-me! - respondeu o alpinista.
- Você realmente acredita que eu o possa salvar?
- Eu tenho certeza, meu Deus.
- Então corte a corda que o mantém pendurado.
Houve um momento de silêncio e o alpinista pensou:
Se eu cortar a corda vou cair e morrer.

Dias depois, o pessoal do resgate encontrou o corpo congelado e morto do alpinista, agarrado com as mãos duras à corda que o sustentava.
Ele estava a apenas meio metro do chão.

Ou seja
Sabe o que é a fé verdadeira?
É confiar em Deus.
Sempre.

Caio Góes
Pastor

Siga A PALAVRA DE DEUS

JESUS, MINHA ESPERANÇA
Louvor

É melhor confiar no Senhor
do que confiar no homem.
Salmos 118:8

Jesus.......................................É o Rei da Glória.
Jesus.......................................É o caminho, a verdade e a vida.
Jesus.......................................É o verdadeiro exemplo de amor.
Jesus.......................................É o príncipe da paz.
Jesus.......................................É a razão do meu viver.
Jesus.......................................É a minha esperança primeira.

Caio Góes
Pastor

Siga A PALAVRA DE DEUS

DEUS, MINHA CONVICÇÃO

Clamarei ao Deus altíssimo,
ao Deus que por mim tudo executa.
Salmos 57:2

Coloquei o meu coração:
Nas mãos de Deus.

Coloquei a minha alma:
Nas mãos de Deus.

Coloquei a minha vida:
Nas mãos de Deus

Coloquei a minha família:
Nas mãos de Deus.

Coloquei o meu lar:
Nas mãos de Deus.

Coloquei tudo o que tenho:
Nas mãos de Deus.

Caio Góes
Pastor

Siga A PALAVRA DE DEUS

Um Coração Quebrantado

Por Robert Murray Mccheyne

Nenhum outro salmo (Salmo 51.17) expressa tão plenamente a experiência pela qual passa a alma que tem sido guiada ao arrependimento: sua humilde confissão de pecado (v. 3, 4 e 5); seu desejo intenso de ser perdoado pelos méritos do sangue de Cristo (v. 7); sua ansiedade para que o Senhor lhe conceda um coração puro (v.10); sua vontade de oferecer algo a Deus por todos seus benefícios.

Diz o salmista que ele ensinará aos prevaricadores o caminho de Deus; diz que seus lábios, pela graça de Deus» se abrirão para proclamar os louvores a Deus; manifesta que oferecerá a Deus um espírito quebrantado e humilhado (vs. 16,17). Vem assim dizer que, do mesmo modo que tem oferecido (seguindo os ritos mosaicos) numerosos cordeiros imolados em ações de graça a Deus, também agora oferecerá a Ele, como um cordeiro imolado, seu coração quebrantado. Cada um que tem pedido o mesmo perdão de Deus e que chegou, no passado, à mesma resolução de oferecer a Deus um coração quebrantado, poderá receber de graça esta bênção hoje.

1. O coração natural é um coração não ferido, não quebrantado.

A lei de Deus, suas misericórdias, as aflições que acontecem não quebrantam o coração natural. Ouve falar da Lei de Deus, de Suas misericórdias e continua impassível. É mais duro que uma pedra. Nada há no universo tão duro. "Ouvi-me, vós que sois de coração obstinado (duro), que estais longe da justiça" (Is. 46:12). "Nós já percorremos a terra, e eis que toda a terra está agora repousada e tranqüila" (Zc. 1:1 I.). "Naquele dia esquadrinharei a Jerusalém com lanternas, e castigarei os homens que estão apegados à borra do vinho ("assentados sobre as suas fezes" - outra versão), e dizem no seu coração: O Senhor não faz bem nem faz mal". (Sofonias 1:12). "... endureceram os seus rostos mais do que a rocha; não quiseram voltar (Jr. 5:3). "Levantai-vos, mulheres que viveis despreocupadamente, e ouvi a minha voz; vós, filhas, que estais confiantes..." (Is. 32:9-11).

Por quê? Por que é tão duro o coração natural?

Primeiro: Porque há um véu sobre ele. Porque o coração do homem natural se acha coberto por um espesso véu. Não crê na Bíblia, nem nos escritos da Lei, nem na ira que há de vir; um trágico véu cobre seus olhos.

Segundo: Porque Satanás ê dono do coração natural. Satanás leva-lhe a semente perniciosa tão prontamente como possa.

Terceiro: Porque o homem natural está morto em seus delitos e pecados. Os mortos não ouvem, não sentem; carecem de sentimentos e sensibilidade espiritual.

Quarto: Porque se tem construído uma barreira de despreocupação que lhe será mortal. O coração natural confia mais em qualquer refúgio falso, refúgio de mentira, como diz a Bíblia. Confia em rezas ou em esmolas.

Peça a Deus que o livre da maldição de um coração morto, não quebrantado, não contrito e humilhado. Primeiro, porque não passará muito tempo tranqüilo em sua falsa confiança; você se achará sobre lugares escorregadios e as ondas do oceano rugindo sob seus pés. Segundo, porque Deus lhe demonstrará a eternidade com todo o seu infortúnio. Se você se voltar agora, há esperança certa de perdão. Cristo está pronto a perdoar. Mas depois, na eternidade, Seu juízo cairá sobre você.

2. O coração despertado é um coração ferido, porém não quebrantado, não roto.

a. A lei inflige a primeira ferida. Quando Deus se dispõe a salvar uma alma a leva primeiramente a preocupar-se com seus pecados. "Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas neste livro da lei, para praticá-las" (Gl 3: 10). "Outrora, sem lei, eu vivia; mas sobrevindo o preceito, reviveu o pecado, e eu morri (Rm 6:21). A vida e o coração de cada um adquirem então tremendas cores.

b. A majestade de Deus produz a segunda ferida. O pecador recebe a sensibilidade que lhe faz sentir a grandeza e a santidade d Aquele contra quem tem pecado. "Pequei contra ti, contra ti somente" (v.4).

c. A terceira ferida procede de sua própria incapacidade para melhorar a si mesmo. Neste estado, todavia, o coração não tem sido quebrantado; o coração se levanta contra Deus. Primeiro, pelo rigor da Lei: "Se não fosse tão exigente... !". Segundo, porque a fé é o único caminho da salvação e ela é um dom de Deus: "Queria merecer a salvação e ganhá-la". Terceiro, porque Deus é soberano e pode, ou não, salvar segundo a Sua vontade. Isto é o que há num coração não quebrantado. Não existe outro estado e situação mais miserável.

Aprendamos que uma coisa é ser despertado, e outra muito diferente é ser salvo.

3. O coração do crente é um coração quebrantado em dois aspectos.

Tem sido quebrantado de sua própria justiça e de sua própria possibilidade de justificar-se. Quando o Espírito Santo leva uma alma à cruz, esta se desespera de justificar-se pelos seus próprios méritos e justiça. Todo o seu fardo, todas as suas próprias justiças e suas próprias opiniões se derramam como ura líquido que se perde ao romper-se o frasco que o contém.


Primeiro, porque a obra de Cristo se mostra tão perfeita tanto quanto a sabedoria e o poder de Deus. O pecador vê na obra da cruz a justiça de Deus. "Maravilho-me ao pensar que houve um tempo em que busquei outros caminhos de salvação. Pensando podê-los obter com minhas obras, certamente que com todas as minhas forças me lancei a eles. Maravilho-me ao pensar que o mundo não tem compreendido, nem tem aceitado que o único caminho da salvação é a justiça de Cristo" (David Brainerd).

Segundo. A graça de Cristo tem tanto esplendor! Quão maravilhoso é, que toda a justiça de Cristo, tão excelsa e divina, seja oferecida gratuitamente ao pecador! Maravilhoso ê que eu, que fui deliberadamente negligente, que menosprezei a Cristo, que odiei Sua obra, que coloquei obstáculos ao Seu chamado levantando entre Ele e mim verdadeiras montanhas, tenha sido objeto de Seu amor e, apesar de tudo, tenha Ele vindo a mim, passando sobre todas elas! "... para que te lembres, e te envergonhes, e nunca mais fale a tua boca soberbamente, por causa do teu opróbrio, quando eu te houver perdoado tudo quanto fizeste, diz o Senhor Deus" (Ez. 16:63). Você tem este coração quebrantado e contrito diante da visão da cruz de Cristo? Não será urna olhada ao seu próprio coração, ou ao coração do inferno, mas ao coração de Cristo, o que realmente quebrantará seu coração. Peça que Deus lhe dê um coração quebrantado assim! O orgulho e a jactância estão excluídos. A Ele seja a glória; digno é o Cordeiro! Todas as batalhas e os esforços da alma que busca sua própria justificação têm de ser tirados e desprezados.

O coração quebrantado tem visto desfeito seu amor para com o pecado - Quando um homem crê em Cristo, percebe que agora o pecado o aborrece. Primeiro, porque o separa de Deus, abrindo entre ele e Deus um grande abismo que arrasta o homem à condenação do inferno. Segundo, porque o pecado levou Cristo, o Senhor da glória, à cruz; foi um "grande fardo" que pesou sobre Sua alma, que O fez suar, sangrar e morrer. Terceiro, porque é o sofrimento do coração de Cristo agora, Toda a minha infelicidade se deve ao fato de ser ura pecador. Agora o crente se lamenta e chora por haver pecado contra quem tanto o ama: "Então recordarás teus caminhos e todas as coisas nas quais tens vivido impiamente e te aborrecerás de ti mesmo".


4. As vantagens de um coração quebrantado.

1. Guardar-se-á de te ofender-se por causa da pregação da cruz. O coração natural se ofende quando se lhe prega a cruz. Muitos a odeiam e a desprezam. Muitos, sem dúvida, se enfurecem freqüentemente no mais íntimo de seus corações ao ouvirem a pregação sobre aceitar a justiça de Cristo e deixar a sua própria justiça, se não quiser perecer, Muitos têm deixado a Igreja por causa desta pregação, não querendo seguir esse caminho. O escândalo e a ofensa da cruz não terminaram. Em troca, o coração quebrantado não pode ofender-se de tal pregação. Os pastores podem falar de forma simples e direta a verdade aos corações quebrantados. Um coração quebrantado sente-se alegre em ouvir acerca da justiça (justificação) sem obras.

Muitos se ofendem quando falamos claramente sobre o pecado; muitos se ofendem nos domingos ao ouvir a mensagem. Porém, o coração quebrantado e contrito não se ofende, porque odeia o pecado mais que os pastores, às vezes, podem fazê-lo. Há muitos como os adoradores de Baal: "Leva para fora o teu filho, para que morra (jz. 6:30). Do mesmo modo, quem não tem um coração quebrantado respira ameaças contra o pecador que destrói o ídolo do seu orgulho; porém um coração quebrantado deseja ver o ídolo destronado, derrotado e convertido em fragmentos.

2. O coração quebrantado descansa ao final O coração natural é como o mar tempestuoso. "Quem nos mostrará o bem?". E corre perguntando de pessoa em pessoa, procurando para seu próprio prazer, "o bem". Um coração apenas despertado não tem paz. Os temores da morte e do inferno ameaçam - assim descobrem desesperados sua alma desde que foram tirados bruscamente de sua condição de sono, de estado de repouso e falsa tranqüilidade.

Porém o coração contrito diz: "Volta à tua paz, oh alma minha!". A justiça de Cristo lança fora o medo, dissipa todos os temores. Inclusive a própria maldade e corrupção do coração não podem verdadeiramente abalá-lo, porque tem depositado todos seus fardos sobre Cristo.

3. Não pode acontecer nenhum mal ao coração quebrantado. Para os não convertidos quão trágico é o leito de morte, ou de enfermidade, agitado e inquieto como uma besta selvagem aprisionada na rede! Em contraste, o coração quebrantado se posta satisfeito e sereno em Cristo. Cristo lhe é suficiente; não ambiciona mais nada. Mesmo que tudo desapareça, seu amor, o amor a Cristo permanece. Está como um bebê de meses no regaço de sua mãe» confiante e seguro. Você conhece esse descanso tão seguro?

Robert M. MacCheyne

Como Vencer o Abatimento de Alma

meditação no Salmo 130

Mesmo uma alma piedosa, depois de muita comunhão com Deus, pode, por causa do pecado, ser trazida a um estado de perplexidade como a que o salmista expressa no início deste salmo.
Mesmo na aliança da graça não há uma provisão de permanente consolação para qualquer pessoa debaixo da culpa de grandes pecados, nos quais elas caíram.
Assim, pelo que significam, tais pecados vêm terrificar a consciência, quebrar os ossos da alma, e colocá-la em trevas, e lançá-la em profundezas insondáveis, apesar do alívio que é provido pelo perdão do sangue de Cristo.
Mas a força de todo e qualquer pecado pode ser debilitada pela graça, contudo a raiz de nenhum pecado será completamente arrancada nesta vida.
Assim, não será algo estranho que em algumas vezes o próprio cristão fiel se encontre nestas profundezas de alma a que se refere o salmista.
A alma regenerada pelo Espírito possui um princípio de graça que opera e trabalha continuamente para preservá-la do pecado.
Então o próprio Espírito Santo que habita no cristão há de incitá-lo a buscar socorro na graça de Cristo, para ser arrancada deste abatimento de espírito.
Quando a presença de Cristo é perdida, pelos sinais visíveis de falta de paz no espírito, devemos nos esforçar com todo empenho para encontrá-lo, porque é nisto que está a cura da nossa angústia.
É preciso crer na sua bondade, graça e misericórdia, e manter o coração firme na fé, ainda que debaixo da fraqueza produzida pelo pecado, porque disto depende a nossa cura.
Este esforço para curar as feridas da alma deve ser empreendido, senão elas se ampliarão até a morte espiritual.
Os ferimentos do pecado devem ser tratados pelo Médico divino, mas Ele não operará se não for procurado.
E esta procura é espiritual em oração e entrega do espírito ao Senhor.
Davi conhecia bem este segredo, e nunca se permitiu ficar nas profundezas por motivo de indolência ou acomodação às enfermidades produzidas pelo pecado.
Ele partia em busca de alívio e de cura nAquele que é o único competente para tratar com os males da alma.
Uma recuperação das profundezas é como uma nova conversão. O Espírito Santo dá às almas um senso renovado para que se apliquem no propósito de buscar a Deus. O trabalho inteiro é dele., mas é nosso dever orar e crer.
Por isso é necessário ter um senso sincero do pecado. E nesta sinceridade devemos reconhecer a nossa culpa no que fazemos, deixamos de fazer ou pensamos, e sem este auto exame e julgamento em razão do pecado não podemos contar com uma confissão sincera que nos habilite ao perdão de Deus.
A condição para o nosso perdão é a confissão. Sem confissão não pode haver perdão. Sem a confissão ficaríamos insensíveis e faríamos pouco caso do pecado. Mas ao termos que declarar as nossas faltas e culpa reconhecemos que Deus é santo e exige santidade de nós. E tratamos o pecado com a devida seriedade com que deve ser tratado.
Devemos nos sujeitar debaixo da potente mão do Senhor, e receber de bom grado os juízos corretivos, por mais que estes nos doam, porque é assim que se acha graça em ocasião oportuna.
Quanto mais tentarmos justificar a nós próprios, maiores abismos se abrirão e engolirão ainda mais o nosso espírito em suas profundezas.
A mão poderosa do Senhor tem o controle de tudo e todos. Ele pode fazer a alma esperar pelo Seu perdão em profundezas pelo tempo que bem Lhe aprouver, de modo que se cumpra todo o Seu propósito.
A misericórdia e o perdão não vêm adiante de Deus como a luz do sol e as ondas do mar, que seguem um curso fixo e pré-determinado.
Isto é mais um fator para reforçar a necessidade do nosso temor e reverência diante dEle.
A andarmos humildemente na Sua presença enquanto aguardamos pelo Seu favor.
É por isso que o seu nome é Senhor.
Ele tem o governo de nossas vidas, e cabe a Ele e não a nós conduzir o nosso caminhar.
Todos os frutos da bondade e graça de Deus são mantidos exclusivamente pela sua própria vontade soberana.
Esta é a Sua grande glória.
Por isso Ele afirmou o que disse em Êx 33.19, quando Moisés lhe pediu que lhe mostrasse a Sua glória (Êx 33.18).
A glória do Senhor está em manifestar a Sua graça e bondade.
Não é de maneira indiscriminada que Ele concede o Seu perdão. Com isto dá grande valor à Sua graça. Ela não é barata porque é graça. Ela não é comum. E faríamos bem em atribuir a ela o mesmo valor que o Senhor lhe dá.
Ela é preciosa para nós, já que Deus tem misericórdia de quem quer ter misericórdia.
Quão grande e permanente gratidão devem demonstrar os cristãos por terem sido alvo de tão precioso favor. Glórias são dadas a Deus no céu e na terra quando Ele manifesta a Sua bondade e misericórdia ao pecador.
Por isso devemos ter paciência e fé, enquanto aguardamos pelo livramento do Senhor, em nos retirar das profundezas em que nos encontramos.
É no próprio Cristo, na comunhão com Ele, que seremos livrados.
Assim, o que o salmista busca é o próprio Deus, é o próprio Jeová que sua alma espera. Não é apenas a graça, a misericórdia ou o alívio considerados de modo absoluto, mas o Deus de toda a graça que devemos esperar com grande expectativa.
O salmista esperava em Deus, e esperava na Sua Palavra, especialmente nas promessas da Palavra e nas suas demonstrações da bondade, misericórdia, graça, generosidade e amor de Deus.
Quando as dificuldades surgem, e em nossos dilemas, tentações e desertos, devemos nos entreter com tais pensamentos sobre o caráter de Deus.
Isto removerá de a impaciência e a ansiedade.

“1 Das profundezas clamo a ti, ó Senhor.
2 Senhor, escuta a minha voz; estejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas.
3 Se tu, Senhor, observares as iniquidades, Senhor, quem subsistirá?
4 Mas contigo está o perdão, para que sejas temido.
5 Aguardo ao Senhor; a minha alma o aguarda, e espero na sua palavra.
6 A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pelo romper da manhã, sim, mais do que os guardas pela manhã.
7 Espera, ó Israel, no Senhor! pois com o Senhor há benignidade, e com ele há copiosa redenção;
8 e ele remirá a Israel de todas as suas iniquidades.”

Silvio Dutra

Declare a Glória Dele Entre as Nações

Salmos: Pensando e Sentindo Com Deus, Parte 6

Por John Piper

Nessa mensagem final da série "Salmos: Pensando e Sentindo com Deus" eu quero me dirigir a duas questões: canto e nações -musicas e missões- para glória de Deus. Estes são os que se destacam para mim no Salmo 96. Como nós deveríamos pensar e sentir com Deus sobre as nações e sobre cantar, e como eles estão associados nesse salmo e no tempo que há de vir? E como eles estão relacionados a Jesus?
Aqui está a forma na qual eu estou pensando sobre a sequência dessas mensagens. Depois da visão geral do Salmo 1 para estabelecer que os Salmos são as palavras de Deus e que os Salmos são canções, e por isso eles intentam moldar o nosso pensamento e o nosso sentimento, nós olhamos para a depressão espiritual e como ser desencorajado de forma boa (Salmo 42). Então nós olhamos para "culpa e arrependimento" e como ser quebrantado de forma boa (Salmo 51). Então, saindo desse desencorajamento e arrependimento, nós levantamos em gratidão e louvor bendizendo ao Senhor (Salmo 103).
Então, no último texto vimos que nós somos frequentemente combatidos de forma amarga amargamente e às vezes terrivelmente tratados e que o coração clama por justiça e pela punição dos nossos adversários (Salmo 69). E nós encontramos alívio para essa raiva na certeza de que os salmos imprecatórios serão cumpridos, e todos os maus serão devidamente punidos, na cruz de Cristo para aqueles que se arrependerem, ou no inferno para aqueles que não se arrependerem. Minha é a vingança, diz o Senhor. Quanto a você, ame o seu amigo. Deus irá cuidar daqueles que pecam contra você. Ninguém sai ileso acerca de qualquer coisa no universo.
Jesus Cristo tem sido a chave e objetivo de todos esses Salmos. Eles não são completos sem ele. Então assim será hoje.
Feito para Propósitos Globais
Então agora com a nossa raiva aliviada, e nosso senso de justiça sustentado, e nossos corações cheios de gratidão por que " Quanto está longe o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões" (Salmo 103:12), e nossas bocas e almas cheias de bençãos ao Senhor por toda a sua bondade, o que poderia estar faltando? Para onde os Salms nos levam finalmente? A resposta é que Deus te fez para propósitos globais. Deus fez você para algo muito grande.
A Questão de Atingir as Nações
Você pode pensar que, quando o desânimo é passado e a culpa é aliviada e a raiva é atenuada e sua boca é cheia bênçãos, a razão para sua existência foi atingida. De certa maneira, você pode estar certo. Não haverá nada maior do que bendizer ao Senhor com louvor e gratidão transbordantes.
Mas há algo faltando. Deus não fez os seus caminhos conhecidos ou revelou sua glória ou mostrou suas obras maravilhosas apenas para você, ou para o seu grupo étnico apenas. Ele fez isso tendo em vista as nações -todas as nações, não estados políticos, mas nações como a Nação Cherokee, a Nação dos Navaho, a Nação dos Waorani. "Povos” é como o Salmo os chama. Então a primeira questão que nós iremos atingir é a questão das nações.
Pelas as Nações
Acompanhe comigo o foco em nações neste Salmo. O salmista diz que o povo de Deus deveria fazer pelo menos três coisas pelas nações.
1. Declarar a Glória de Deus
Primeiro, declare a elas a verdade sobre a Glória de Deus e suas obras e sua salvação. Versos 2-3: "Cantai ao SENHOR, bendizei o seu nome; anunciai a sua salvação de dia em dia. Anunciai entre as nações a sua glória; entre todos os povos as suas maravilhas." Anunciai a sua salvação, anunciai a sua glória, anunciai as suas maravilhas. Faça isso "entre as nações." Faça isso "entre todos os povos." Todos eles. Não deixem nenhum de fora. Verso 10: Adicione à sua declaração a mensagem do reinado de Deus sobre as nações. "Anunciai entre as nações; “O Senhor reina!"
2. Convoque as Nações a se juntarem
Segundo: Convoque as nações a se unirem ao povo de Deus em atribuir glória a Deus e cantar louvores a ele. Verso 7: "Dai ao Senhor, ó famílias dos povos, dai ao Senhor glória e força.” Verso 1: “cantai ao Senhor, todos os moradores da terra.” (Salmos 96:1). Então, não apenas conte a terra os fatos sobre a grandiosidade e a glória de Deus; convide-os a juntarem-se a você em louvá-lo. Chame-os para a salvação deles. Todas as nações devem se dobrar diante do único e verdadeiro Deus de Israel, o qual conhecemos agora como Pai do nosso Senhor Jesus Cristo o Messias.
3. Avise-os do julgamento
Terceiro, não apenas declare sua glória a eles, e não apenas convoque eles a se juntarem em atribuir glória a ele, mas avise-os que a razão pela qual eles devem faazer isso é que eles estão confiando em falsos deuses e julgamento está chegando para todas as nações. Verso 5: “Porque todos os deuses dos povos são coisas vãs; mas o Senhor fez os céus.” Verso 10: “ Dizei entre as nações: O Senhor reina! O mundo também se firmará para que se não abale. Ele julgará os povos com retidão.” Verse 13: “porque vem, porque vem a julgar a terra; julgará o mundo com justiça e os povos, com a sua verdade.” (Salmos 96:13).
Em outras palavras, quando ele diz, “cantai ao Senhor, todos os moradores da terra,” e, “Anunciai … entre todos os povos, as suas maravilhas” e, “Porque grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, temível mais que todos os deuses,” e “ tremei diante dele todos os moradores da terra,” e, “Porque todos os deuses dos povos são coisas vãs,” ele realmente quer dizer todos. O Deus dos Salmos reinvindica a fidelidade de todos os povos. Todos eles—em todas a sua inimaginável diversidade de cultura e religiões.
Todas as Nações, Todos os Povos
Não deixe de fora, o salmo implca, nenhuma nação, nenhum povo, nenhuma família—todos eles devem ser convertidos ao Deus vivo e verdadeiro e abandonar todos os seus outros deuses. Não deixe que nenhuma tendência de multiculturalismo (elas não têm o amor de Deus) te faça retroceder do amável trabalho de convocar todos os povos de todas as outras religiões a se arrependerem e atribuir glória ao único e verdadeiro Deus vivo.
Preste atenção a isto (não do Salmo 96) e veja se você pode imaginar de onde vem:
"eu te louvarei entre os gentios (nações) e cantarei ao teu nome." E outra vez diz: "Alegrai-vos, gentios (nações), com o seu povo." E outra vez: "Louvai ao Senhor, todos os gentios, e celebrai-o todos os povos." E outra vez diz Isaías: "Uma raiz em Jessé haverá, e, naquele que se levantar para reger os gentios (nações), os gentios (nações) esperarão." (Romanos 15:9-12)
Estas são citações dos Salmos, Deuteronômio, e Isaías empilhadas pelo apóstolo Paulo para sustentar o que? A vinda de Jesus como o Messias para todas as nações. Aqui está o contexto (versos 8-9): “Digo, pois, que Jesus Cristo foi ministro da circuncisão [os Judeus], por causa da verdade de Deus, para que confirmasse as promessas feitas aos pais; e para que os gentios (as nações) glorifiquem a Deus pela sua misericórdia, como está escrito . . .” Então vem as promessas do Velho Testamento convocando todas as nações para louvar a Deus pela sua misericórdia, isto é, pela obra de Jesus Cristo na crus ao morrer por pecadores e tornando a misericórdia possível para rebeldes, gentios como nós.
Feitos para cantar sobre a Glória
Como você deveria se sentir sobre esta ênfase a todas as nações, e todos os povos no Salmo 96? E no Novo Testamento? Deus não nos está contando isto por propósitos de nos sentir exaustos, mas por propósitos de nos sentir extremamente animados. E eu quero dizer tanto missionários que vão quanto os que enviam missionários—todos nós que cremos no único Deus vivo, completamente no Deus-homem Jesus Cristo.
Por que eu digo isto? Veja o verso 1. Este impulso missionário por todas as nações está fluindo de cantar e chamar para o canto, “Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da terra.” Esta é uma missão com cânticos. Esta é a forma que você se sente quando seu time ganha o Campeonato de Boliche, ou a Copa do Mundo, ou o Campeonato estadual—só que mil vezes mais grandioso. “Anunciai entre as nações a sua glória; entre todos os povos, as suas maravilhas.” Nós estamos falando de glória. Nós estamos falando de obras maravilhosas, não obras entediantes. Nem obras ordinárias. Nós temos provado e visto que este Deus é mais grandioso do que todas as outras grandiosidades. “ grande é o Senhor e digno de louvor” (verse 4). Nós somos em extremo animados por conhecer ele e por cantar para ele e convocar o mundo para cantar conosco para ele.
Você foi feito para isso. Quero dizer todos vocês que dizem de coração, “Jesus Cristo é o Senhor.” Quando você confessa Jesus como o Senhor do Universo, você é inscrito para uma significância além dos seus sonhos. Quero dizer homens de negócios, donas de casa, estudantes. Pertencer a Jesus é abraçar nações pelas quais ele morreu e as quais ele irá reinar. Seu coração foi feito para isso, e sempre haverá uma séria ou suave doença em sua alma até você abraçar este chamado global.
A Maior Causa de Todas
Ouça J. Campbell White, o primeiro secretário do Movimento Missionário Layman nos primeiros anos após 1900. Este movimento nasceu entre homens de negócio que foram capturados por uma ambição santa de ficarem por trás do que Deus esatava fazendo no massivo Movimento Voluntário de Estudantes. Aqui está o que o líder principal entre laymen disse:
A maior parte dos homens não estão satisfeitos com os permanentes resultados de suas vidas. Nada pode satisfazer completamente a vida de Cristo dentro destes seguidores exceto a adoção do propósito de Cristo para com o mundo que Ele veio redimir. Fama, prazer e riquezas são nada mais do que cascas e cinzas em contraste com a alegria permanente e sem fronteiras de trabalhar com Deus pelo cumprimento de seus eternos planos. Os homens que estão pondo tudo debaixo do empreendimento de Cristo estão recebendo desta vida seus mais doces e inestimáveis recompensas. (J. Campbell White, “The Laymans Missionary Movement,” na Perspectives on the World Christian Movement: A Reader, 225)
Como poderíamos nos sentir sobre o propósito global de Cristo Jesus de ser glorificado entre todas as nações? Você deveria sentir que esta causa é a consumação da sua significância na vida. Muitos outras coisas são importantes na vida. Mas esta é a maior de todas as causas. Todo seguidor do Senhor dos Senhores e Rei dos Reis abraça este propósito e encontra a consumação da sua razão de viver em ser parte deste grande propósito de Deus de ser glorificado entre todas as nações.
Impressionantes Movimentos entre as Nações
E qual é a situação entre as nações hoje? Movimentos impressionantes estão tomando lugar enquanto Deus ajunta seus eleitos de todas as nações e envia sua Igreja para todas as nações. Europa e America não são mais o centro de gravidade no Cristianismo. O centro está mudando para o sul e para o leste. América Latina, África, e Ásia estão experimentando crescimentos fenomenais e estão se tornando as grandes igrejas dentre as que enviam. Leia sobre isso nos livros de Philip Jenkins, “The Next Christendom” e “The New Faces of Christianity".
Mas eu pleiteiaria que todos vocês se tornassem familiar com o Joshua Project e o People Groups. Ali você descobre quais nações, no sentido bíblico, realmente são estas e quantas são e o quanto elas são alcançadas ou não alcançadas pelo evangellho. Joshua Project diz que existem 1,569 grupos de pessoas não engajados (nenhum missionário ou igreja), e 6,747 grupos quase inalcançados (menos do que 2% de evangélicos). Como eu agradeço a Deus por haver pessoas fazendo este difícil trabalho de pesquisa para nos ajudar a conhecer a tarefa que ainda resta diante de nós. Vá a estes sites, e comece a aprender qual é a situação global. E então sonhe como sua vida pode ser mais completamente envolvida em declarar sua glória entre as nações, suas obras maravilhosas entre todos os povos, tanto no ato de ir e de enviar.
Como você deveria se sentir sobre as nações do mundo? Uma paixão pela salvação deles e uma vibração por Deus governar sobre todos eles e nos chamar para sermos seus emissários para todos eles com as melhor notícia do mundo, e que ele terá um povo próprio dele de todas as nações, cantando a ele e atribuindo glória e força a seu Filho. Você foi feito para este tipo de alegria. Todas as outras alegrias dos Salmos, todas as outras emoções dos Salmos, estão nos trazendo aqui: a glória de Deus celebrada e cantada por todos os povos da terra.
O que nos traz a nossa segunda questão a ser considerada nesta mensagem: o Cantar.
Considerando a Questão do Cantar
Os versos 1 e 2 tremulam como uma bandeira sobre toda a ênfase nas nações neste Salmo, e eles são completamente sobre o cantar. “Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da terra. Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome; anunciai a sua salvação de dia em dia.” Por que você iniciaria um salmo sobre o alcance global do reino de Deus e o dever de “anunciar a sua salvação de dia em dia” e de “Anunciar entre as nações a sua glória”—por que vvocê iniciaria tal salmo com o comando de cantar para o Senhor um cântico novo?
A resposta é simples: Você não pode convocar as nações para cantar se você não estiver cantando. E nós estamos convocando as nações a cantar. Verso 1: “Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da terra.” Verso 11 diz, “Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra.” Mesmo a natureza está sendo convocada para se alegrar. E cantar é a consumação desta alegria e deste deleitar-se. Este salmo está nos chamando para disseminar uma paixão pela supremacia de Deus em todas as coisas, para a alegria de todos os povos. E então para convocar eles a atribuir glória a Deus com cânticos. Este é o negócio mais difícil e mais feliz em todo o mundo.
E você não pode convocar as nações a cantar se vocẽ não estiver cantando. Então deixe-me sugerir por que neste contexto missionário global o salmo enfatizaria cantar novos cânticos. Note que estes novos cânticos são “para o Senhor.” Não apenas sobre o Senhor. Verso 1: “Cantai ao Senhor um cântico novo.” Não é errado cantar sobre o Senhor. Os Salmos fazem isso o tempo todo. Mas quando novos cânticos estão sendo compostos e cantados “para o Senhor,” algo está acontecendo na igreja. É um sinal de uma vibração e vida incomum. As pessoas não estão apenas vivendo dos insumos das gerações anteriores, mas eles estão lidando de forma vibrante com o Deus vivo e seus cânticos estão sendo cantados para ele. Ele é real. Ele é pessoal. Ele é conhecido. Ele é precioso. Ele é presente. Adoração é mais intensa e mais pessoal e mais envolvente.
Um Novo Cântico nos Nossos Dias
Este é o chamado que o salmo faz, e isto é o que tem acontecido durante toda a minha vida adulta. Ao redor do mundo há um novo cântico e uma nova vibração e um novo engajamento no cantar para o Senhor. E a coisa realmente surpreendente do nosso tempo é a forma que este despertar de cantar para o Senhor com novos cânticos seja um sabor global e missionário tão forte. Para o meu conhecimento cantar nunca esteve mais na dianteira das missões como o é hoje.
Deus está fazendo algo maravilhoso no cumprimento do Salmo 96. Isto é muito maior do que qualquer igreja, ou qualquer grupo étnico, ou qualquer região do mundo. A igreja global está cantando—cantando para o Senhor, cantando novos cânticos, e cantando sobre o senhorio de Deus sobre ass nações.
E eu simplesmente diria: Não deixe passar o que Deus está fazendo. Seja parte disso. Tome as nações em seu coração. Pense da forma correta acerca dos propósitos globais de Deus. Tenha sentimentos profundos sobre suas obras maravilhosas. Cante com todo seu coração para o Senhor. E se torne uma parte do convocar as nações a se juntarem a você
O Centro do Nosso Cantar
E que o centro do nosso cantar seja o mesmo centro do novo cântico que cantaremos na era porvir, ou seja, o cântico do cordeiro que foi morto.
E cantavam um novo cântico, dizendo: "Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação; e para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra." (Apocalipse 5:9-10)

John Piper

“É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem". (Salmo 118.8)



Sem dúvida, o leitor tem sido tentado com a tentação de confiar nas coisas que se veem, em vez de descansar somente no Deus invisível. Os cristãos muitas vezes buscam no homem ajuda e conselho, e arruínam a nobre simplicidade de sua confiança em seu Deus.
Esta palavra é destinada ao filho de Deus que está preocupado com coisas temporais, e poderíamos argumentar com ele por algum tempo. Você confia em Jesus, e somente em Jesus, para sua salvação, então por que você está preocupado?
"Por causa da minha grande ansiedade."
Não está escrito: "Lança o teu fardo sobre o Senhor "? "Não estejais inquietos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplica, sejam conhecidas suas necessidades por Deus."
Você não pode confiar em Deus para as coisas temporais?
"Ah! Bem que eu queria."
Se você não pode confiar em Deus para as temporais, como você ousa confiar nele para as espirituais? Você pode confiar nele para o resgate da sua alma, e não confia nele para algumas misericórdias menores?
Deus não é o suficiente para as tuas necessidades, ou é a sua todo-suficiência estreita demais para elas? Tu precisas de um outro olho para que veja cada coisa secreta? É o teu coração fraco? Teu braço está cansado? Se assim for, procure Deus, que é infinito, onipotente, fiel, verdadeiro e onisciente. Por que procurarias outra confiança externa? Por que remexerias a terra para encontrar outro fundamento, quando este é forte o suficiente para suportar todo o peso que tu podes usar sempre para construir sobre ele?
Cristão, não misture o teu vinho com água, nem a tua liga de ouro da fé, com a escória da confiança humana. Espera somente em Deus. Não cobices a aboboreira de Jonas, mas o descanso de Jonas em Deus. Deixe que os alicerces da areia de confiança terrestre seja a escolha dos tolos, mas tu, como aquele que prevê a tempestade, construa para ti um lugar permanente sobre a Rocha Eterna.

Texto de Charles Haddon Spurgeon, em domínio público, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Charles Haddon Spurgeon

“Deus, o nosso Deus." (Salmo 67.6)



É estranho quão pouco uso fazemos das bênçãos espirituais que Deus nos dá, mas é mais estranho ainda o pouco uso que fazemos do próprio Deus.
Embora ele seja "o nosso Deus", nos relacionamos pouco com ele, e o buscamos pouco também.
Quão raramente procuramos conselho nas mãos do Senhor! Quão frequentemente nos ocupamos com nossos negócios, sem buscar a sua orientação!
Em nossos problemas quão constantemente nos esforçamos para carregarmos nós mesmos os nossos fardos, em vez de lançá-los sobre o Senhor, para que ele possa nos sustentar! Isto não sucede porque não o possamos fazer, porque o Senhor parece dizer: "Eu sou teu, venha fazer uso de mim como tu quiseres, tu podes suprir gratuitamente as tuas necessidades comigo, e quanto mais o fizeres mais bem-vindo serás."
É nossa culpa se ​​não adquirirmos gratuitamente as riquezas do nosso Deus.
Então, desde que tens um tal amigo, e ele te convida, procure-o diariamente. Nunca fiques em necessidade enquanto tens um Deus para recorrer; nunca temas ou desmaies enquanto tens a Deus para te ajudar; vá ao teu tesouro e pega tudo o que necessitas - tudo o que possas desejar.
Aprenda a arte divina de fazer de Deus tudo para ti. Ele pode te suprir de tudo, ou, melhor ainda, ele pode ser tudo para ti. Deixe-me então, rogar-te, para fazeres uso do teu Deus. Faça uso dele em oração. Vá a ele muitas vezes, porque ele é o teu Deus.
Oh, tu não utilizas tão grande privilégio? Corra para ele, e diga-lhe todas as tuas necessidades.
Use-o constantemente pela fé em todos os momentos. Se alguma provação tem te obscurecido, use o teu Deus como um “sol”; se algum forte inimigo te rodeia, encontre em Jeová um "escudo", pois ele é um sol e escudo para o seu povo.
Se perdeste teu caminho nos labirintos da vida, use-o como um "guia", pois ele irá te dirigir. O que quer que fores, e onde quer que fores, lembre-se que ele é tudo o que necessitas, e que pode suprir todas as tuas necessidades.

Texto de Charles Haddon Spurgeon, em domínio público, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Charles Haddon Spurgeon