Recados para Amigos Íntimos

Cerca de 47 recados para Amigos Íntimos

Censura teus amigos na intimidade e elogia-os em público.

Ditado latino

Relíquia íntima

Ilustríssimo, caro e velho amigo,
Saberás que, por um motivo urgente,
Na quinta-feira, nove do corrente,
Preciso muito de falar contigo.

E aproveitando o portador te digo,
Que nessa ocasião terás presente,
A esperada gravura de patente
Em que o Dante regressa do Inimigo.

Manda-me pois dizer pelo bombeiro
Se às três e meia te acharás postado
Junto à porta do Garnier livreiro:

Senão, escolhe outro lugar azado;
Mas dá logo a resposta ao mensageiro,
E continua a crer no teu Machado.

Machado de Assis

O que eu gosto do sucesso é saber que tenho tantos amigos. Um monte de amigos intimos mesmo que conheci desde que entrei para o show business.

Elvis Presley

Quem sou eu?Nem eu,nem meus familiares,nem meus mais íntimos amigos sabem responder a isso.

Clarissa Guerra de Medeiros

O amigo é proximidade

É silêncio, palavra idealizada

É um toque de intimidade

Na liberdade que lhe é reservada


Amigo é ternura

É em verdade doce companhia

É parceiro na procura

Cúmplice na alegria...


Amigo é presença abençoada

Anjo que apóia e incentiva

O par ideal para a jornada

Que junto a nós, nos sensibiliza




Amigo é por fim, quase um irmão

Que jamais deixa de nos procurar

É responsável pelo pulsar do coração

Toda vez que ele busca aprender amar...

Willyanne Lucena

A Hora Íntima

Quem pagará o enterro e as flores
Se eu me morrer de amores?
Quem, dentre amigos, tão amigo
Para estar no caixão comigo?
Quem, em meio ao funeral
Dirá de mim: — Nunca fez mal...
Quem, bêbado, chorará em voz alta
De não me ter trazido nada?
Quem virá despetalar pétalas
No meu túmulo de poeta?
Quem jogará timidamente
Na terra um grão de semente?
Quem elevará o olhar covarde
Até a estrela da tarde?
Quem me dirá palavras mágicas
Capazes de empalidecer o mármore?
Quem, oculta em véus escuros
Se crucificará nos muros?
Quem, macerada de desgosto
Sorrirá: — Rei morto, rei posto...
Quantas, debruçadas sobre o báratro
Sentirão as dores do parto?
Qual a que, branca de receio
Tocará o botão do seio?
Quem, louca, se jogará de bruços
A soluçar tantos soluços
Que há de despertar receios?
Quantos, os maxilares contraídos
O sangue a pulsar nas cicatrizes
Dirão: — Foi um doido amigo...
Quem, criança, olhando a terra
Ao ver movimentar-se um verme
Observará um ar de critério?
Quem, em circunstância oficial
Há de propor meu pedestal?
Quais os que, vindos da montanha
Terão circunspecção tamanha
Que eu hei de rir branco de cal?
Qual a que, o rosto sulcado de vento
Lançara um punhado de sal
Na minha cova de cimento?
Quem cantará canções de amigo
No dia do meu funeral?
Qual a que não estará presente
Por motivo circunstancial?
Quem cravará no seio duro
Uma lâmina enferrujada?
Quem, em seu verbo inconsútil
Há de orar: — Deus o tenha em sua guarda.
Qual o amigo que a sós consigo
Pensará: — Não há de ser nada...
Quem será a estranha figura
A um tronco de árvore encostada
Com um olhar frio e um ar de dúvida?
Quem se abraçará comigo
Que terá de ser arrancada?
Quem vai pagar o enterro e as flores
Se eu me morrer de amores?

Vinicius de Moraes

Eu nunca fiz amigos tentando ser interessante. Todos os amigos mais íntimos que fiz foi porque me interessei verdadeiramente por eles. Me interessei pelo que doía, pelo que o fazia gargalhar, pela forma como banalizava histórias tristes, pelo jeito com que dramatizava fatos aparentemente banais...Todo mundo quando descobre certa receptividade no outro abre seu coração com tamanha generosidade, que fica difícil não fazer o mesmo. Porque a escolha é sempre nossa. A gente se abre, o outro percebe e se abre simultaneamente_ sempre nessa expectativa do encontro. E quando flui, tudo nos parece mágico.Mas depois vem o que fazemos com tanta informação, com aquela confissão, com aquele momento de entrega. É isso que vai solidificar o que quer que tenha começado. E quando isso não é um dom, é um exercício...

Marla de Queiroz

Nossa consciência

O seu amigo íntimo é a sua consciência.
O seu júri, é a sua consciência.
O espelho da sua alma, é a sua consciência.

Podemos representar qualquer papel na vida.
Para um ou para muitas pessoas.
Podemos ser o bonzinho, o feliz, o zangado,
o que não leva desaforos para casa,
o que não derrama lágrimas, o que não dá o braço a torcer.
Mas, na hora em que nos despimos de nós mesmos.
Quando deitamos a cabeça no travesseiro,
quando deixamos os pensamentos tomarem conta do nosso “eu”,
vem aquela verdade que nem sempre é dita.
A realidade que as vezes tentamos esconder…

E por vezes, há noites em que molhamos o travesseiro
com grossas lágrimas da nossa solidão.
Com mágoas reprimidas, desilusões mal digeridas,
separações que não aceitamos até hoje.
A ausência de um ente querido,
a falta de uma palavra de doçura dos pais,
um pequeno gesto de reconhecimento de quem tanto amamos.

Não porque vivemos esperando reconhecimentos,
não é porque buscamos aplausos, nada disso.
É pela simples troca de energias do amor.
Damos amor, queremos receber o amor…

Então, no nosso Tribunal interior,
as vezes nos massacramos, nos inferiorizamos,
e por isso, durante o dia, ficamos calados demais,
ou damos “patadas” a “torto e a direita”,
distribuímos o nosso mau-humor,
não fechamos com ninguém,
e assim, sofremos…

Mas, eis que a Boa Nova, a alegria,
vem trazendo pela mão um alento,
e vem em forma de doce pensamento.
É quando nos reconhecemos merecedores das conquistas que provocamos.
Quando nos lembramos do tanto que já trabalhamos.

Quando finalmente nos aceitamos do jeito que somos,
e percebemos que temos qualidades.
Que podemos amar tantas vezes quantas forem possíveis.
E que a vida é tão bonita, que podemos enxugar ás lágrimas,
secar o pranto e ficarmos prontos para a Felicidade,
que insiste em bater a nossa porta,
todos os dias.

Hoje não é mais tempo de chorar.
É tempo de amar!
De se descobrir e se revelar.
Tempo de ser mais você.

Paulo Roberto Gaefke

Velho amigo, porque você está tão íntimo assim?
Já te disse que não quero conversa,
Já provei que não sou de ter contato com o que me faz sofrer,mas ok, sei que você também precisa de um ombro,
então pode chorar no meu ombro.....Amigo AMOR!

Weykman

O maior, o melhor e o mais íntimo amigo: Deus.
O melhor exemplo para a Humanidade: Jesus.
O maior milagre: a Vida.
A realização mais bela: a Luz.
A melhor de todas as coisas: a Virtude.
A coisa mais bela de todas: o Amor.
A maior riqueza: a Sabedoria.
A maior glória: a eternidade.
A mais útil das ciências: a Moral.
A virtude mais bela: o Perdão.
A maior de todas as bênçãos: a evolução espiritual.
A maior força: o Bem.
O maior feito: a perfeição.
O mais valioso dos prêmios: a felicidade.
A atitude mais bela: a prática da caridade.
A mais bela polidez: a decência.
O melhor meio: a ordem.
A maior consagração: superar-se no exercício da virtude.
A atitude mais eficaz: o equilíbrio.
O cântico mais sublime: a alegria em servir.
A maior criação: a individualidade espiritual.
A maior vitória: o autodomínio.
O idioma mais belo: o bom pensamento.
A manifestação maior da vida: a imortalidade.
A mais poderosa das convicções: a Fé.
O título mais nobre: `Filho de Deus’.
A sensação mais agradável: a paz interior.
A coisa mais constante: a Esperança.
O pensamento mais belo: o pensamento positivo.
O que mais enobrece: a bondade.
O vínculo mais sagrado: a união com Deus.
A melhor definição para Deus: “Pai Nosso”.
A melhor penitência: a disciplina.
A atitude mais generosa: dar antes de ser solicitado.
O que se deve comemorar: a vitória do Bem.
As pessoas mais necessárias: os pais.
A melhor garantia: a honestidade.
O melhor dos instrumentos: a inteligência.
A pessoa mais venturosa: a benevolente.
A mais bela das distrações: o trabalho.
A virtude mais elegante: a simplicidade.
O que mais liberta: a Verdade.
O remédio mais eficaz: o otimismo.
O mais belo galardão: a indulgência.
A mais agradável de todas as coisas: o carinho.
A atitude mais vigilante: a prudência.
O que mais inspira: a boa-vontade.
O mais belo destino: a predestinação dos gênios, santos e heróis.
A atitude mais inabalável: a não-violência.
A religião mais necessária: o amor a Deus sobre todas as coisas.

Emídio Brasileiro

Um amigo íntimo é um dos meus ideais, um dos meus sonhos quotidianos, embora esteja certo de que nunca chegarei a ter um verdadeiro amigo íntimo.

Fernando Pessoa

Cuidado! O destino é amigo íntimo da irônia

Roger Stankewski

Não somos mais amigos, não somos mais conhecidos, muito menos, não somos íntimos. Somos dois estranhos, que se cruzaram por aí e que hoje, seguiram suas vidas. Na verdade, ele seguiu a vida dele, enquanto eu, fico parada na rua escura. Não conversamos mais. Não sei se ele passou no vestibular ou se quis entrar na academia. Não sei se ele está feliz como sempre quis, não sei se ele sente. Em silêncio, todas as noites, me pergunto. O que você está fazendo? O que a vida quer realmente de mim?

LaylaPeres

Fé Esperança e Amor

Fé pode lhe fazer voçê ser amigo intimo de Deus , pode conduzir voçê á adorar a Deus em espirito e em verdade . pode lhe fazer renuciar o mais saboroso pecado.

A Esperença é um âncora aonde nossa alma anela nossos sonhos .... ela lhe dar paciência para suporta o indesejado , pode lhe motiva e a viver um belo futuro e esquecer o mais terrivel passado .

O Amor é a essencia do agir de Deus , de sua itimidade e de sua benigidade , quando exercercido por nos pode nos fazer realmente imagem e semelhança daquele de quem fomos criado .

magnus de souza fernandes

A procura de Deus começa pelo mais íntimo do ser do interior nosso que somente abrimos ao amigo.

Santo Agostinho

Nada tem a temer, quem é amigo intímo da verdade!

Pérola Neggra

Amigo não se escolhe
Em pouco tempo, já estava íntimo da solidão. Divertia-me contemplando a beleza despercebida da cidade, ouvindo as frases soltas declaradas com tanta efusão ou deixando minhas lágrimas correrem sem timidez no cinema. Para espairecer, brincava de decifrar a personalidade dos passantes pela disposição dos traços retos em seus rostos. Não sabia se acertava algo sobre eles, mas gostava da sensação de desvendar tudo o que era possível no novo ambiente.
Mas, de vez em quando, algum detalhe ativava uma lembrança. Alguém magro e com uma barba esquisita, por exemplo, era idêntico a um grande amigo de infância, outro com óculos de aro grosso e andar apressado me lembrava um amigo designer, já aquele com cara de John Lennon se parecia mais com um amigo professor do que com o próprio Beatle. Uma expressão ouvida por acaso, uma peça de roupa familiar, um corte de cabelo diferente, gestos, trejeitos, vozes, meros detalhes percebidos em desconhecidos e que possuíam sempre alguma característica em comum com gente que agora estava longe. E por mais entretido que eu estivesse com tantas novidades, esse pessoal estava me fazendo uma falta tremenda.
Então, passar despercebido tinha perdido a graça. As amizades recentes ainda eram superficiais demais e eu tinha pressa para me sentir em casa. Logo, decidi escrever para quem eu queria como amigo.
Selecionei pessoas com as quais gostava de conversar, quem eu considerava interessante e que eu desejaria encontrar mais vezes — ou alguma vez, no caso das conhecidas apenas pela internet — e fiz um e-mail para cada uma. Escrevi sobre o quanto suas companhias me agradavam, sobre locais que com certeza iriam gostar e procurei saber da disposição para ir a algum desses lugares e jogar conversa fora. Sabia do possível ridículo, mas tentei transpor em palavras a mesma sinceridade que eu esperaria de alguém que gosto. Porém, a única resposta que recebi ficou na promessa.
Desisti de insistir e voltei ao estado inicial. Não tinha sido a primeira das minhas frustrações e nem seria a última. Felizmente, já havia aprendido a lidar melhor com isso.
Até que, saindo de um mercado, vi um rosto familiar. Essa sensação não era novidade, porém, dessa vez era alguém conhecido de fato! Fiquei abismado não só pela raridade que era encontrar alguém conhecido na rua, como também pela simpatia com a qual fui tratado. Um “vamos marcar” concretizado depois me garantiu a amizade de um dos casais mais incríveis do Rio, além de minhas primeiras aulas de culinária.
E oportunidades como essa continuaram a surgir com os tipos mais diferentes de pessoas. Como uma mesa de poker na casa de um webdesigner incapaz de seguir regras e fonte inesgotável de frases geniais, aulas de desenho (que nunca levei adiante) com o ilustrador mais talentoso e mais gente boa que existe, partidas de basquete com um DJ-triatleta-programador incrivelmente inteligente e com quem tenho uma dívida eterna pelas inúmeras vezes que já me ajudou no Rio, sem contar os bares com o grupo de “imigrantes” com quem tenho uma afinidade óbvia e os papos eternos sobre assuntos tão interessantes quanto inúteis na hora do almoço com os colegas do trabalho.
O tempo passou, e as adversidades da mudança também. Se em outro momento forcei a barra escolhendo meus amigos, agora vejo que não era bem uma questão de escolha. Posso não saber a razão, se é que existe alguma, mas o fato é que nunca imaginei que parar de insistir iria me garantir justamente o que eu tanto queria.

rafael dourado

Eu E Meu Travesseiro Somos Amigos. Tanto Que Somos Confidentes.
Mas, Embora Íntimos E Fiéis, Resolvemos, Por Hora, Não Mais Conversar.
Fizemos Um Pacto De Silêncio: Dormimos Mudos, Acordamos Calados.
Ao Que Parece, Nosso Silêncio Tem Me Deixando À Margem De Certos Acontecimentos.
Mesmo Assim, Acho Que A Amiga De Meu Travesseiro, Chuva Da Madrugada, Virou Sua Amante. Só Pode Ser. Na Verdade, Tenho Quase Certeza.
É Que Todos Os Dias, Ao Me Levantar, Tenho Me Deparado Com Suas Marcas, Ainda Úmidas E Salgadas, Estampadas Nas Vestes Dele...
Katja Fuxreiter

Katja Fuxreiter

‘‘O amigo íntimo da morte e sono,,

Germano Ferreira Lumana

"O orgulho é irmão da saudade, e amigo intimo do arrependimento."

Andrepontesdj