Quarenta anos

Cerca de 51 frases e pensamentos: Quarenta anos

O mestre disse: Quem chega aos quarenta anos sem ser estimado, não o será nunca mais.

Confúcio

Até aos quarenta anos o homem permanece louco; quando então começa a reconhecer a sua loucura, a vida já passou.

Martinho Lutero

Quem é casado há quarenta anos com dona Maria não entende de casamento, entende de dona Maria. De casamento entendo eu, que tive seis.

Chico Anysio

Os 40 anos são uma idade terrível. É a idade em que nos tornamos naquilo que somos.

Charles Péguy

" Os primeiros quarenta anos de vida nos dão o texto: os trinta
seguintes, o comentário "

Schopenhauer

Quarenta anos é velhice para a juventude, e cinqüenta anos é juventude para a velhice.

Victor Hugo

Um tolo aos quarenta anos é realmente um tolo.

Edward Young

Qualquer homem que, aos 40 anos, não é misantropo, nunca gostou dos homens.

Sébastien-Roch Chamfort

O extraterrestre pousou com sua nave no quintal de uma residência,
ao que um senhor de uns 40 anos abriu a porta da cozinha e ouviu o E.T a dizer:
- Terráqueo, leve-me a seu líder!
E aí o senhorzinho respondeu:
- Minha mulher não tá em casa, não, moço. Volte outra hora.

Augusto Branco

Não se pode ser uma pintura renascentista aos quarenta anos. É quase ser surrealista.

Jeocaz Lee-Meddi

MM... Um dia eu acordei e percebi que 40 anos haviam ficado pra trás. Tomei um susto, afinal, metade da minha vida havia virado passado. Depois de tanto pensar e lembrar de tudo que vivi, meu coração voltou a bater tranquilo. Quem viveu 40 anos mais felizes que eu? Poucos. Meus 40 são valiosos porque em tudo eu fiz questão de ser intenso. Um dia eu acordei e 40 anos haviam se passado. Que bom poder trazer comigo a certeza de que tudo valeu à pena e que não há nada do que eu deva me envergonhar!

Renée Venâncio

Quem aos vinte anos não é comunista, não tem coração. E quem assim permanece aos quarenta anos, não tem inteligência.

Willy Brandt

BRASIL – TRICAMPEÃO MUNDIAL – COPA 1970



DIA 21 DE JUNHO DE 1970


Quarenta anos vão se passando,
E a consagração mundial marcou,
O Brasil no berço do futebol Mundial.

A emoção que cobriu toda a nação,
E o planeta assistiu pela primeira vez,
O Brasil ser o tricampeão mundial.

Dia 21 de junho de 1970, bradou!
O povo brasileiro chorou de alegria,
Trazendo pra casa a Taça Jules Rimet

Foi ali no México onde os pés de ouro,
Fizeram o maior espetáculo da terra,
Na corrente pra frente que o Brasil deu a mão.

E no destaque brilhoso o Rei Pelé,
Marcou o memorável gol de cabeça,
Triunfando no gramado azteca a multidão.

Com um salto heróico e um forte soco no ar,
Pelé consagrou o Brasil no melhor futebol,
E todo o gigante plácido verde e amarelo.

E o escrete de ouro do Brasil continuou,
Com Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto – Capitão.
Enfileirando quatro gols na Itália.

Foi ali no México onde os pés de ouro,
Fizeram o maior espetáculo da terra,
Na corrente pra frente que o Brasil deu a mão.


Placar da final da Copa de 1970
Brasil 4×1 Itália


Gols: Pelé, aos 18, aos 37 minutos do primeiro tempo; Gérson, aos 20, Jairzinho, aos 27, e Carlos Alberto, aos 42 minutos do segundo tempo.

Brasil: Félix, Carlos Alberto, Brito, Piazza e Everaldo; Clodoaldo e Gérson; Jairzinho, Tostão, Pelé e Rivelino. Técnico: Zagallo

Hino: Pra frente Brasil

Composição: Miguel Gustavo

"Noventa milhões em ação
Pra frente Brasil
Do meu coração

Todos juntos vamos
Pra frente Brasil
Salve a Seleção!

De repente é aquela corrente pra frente
Parece que todo o Brasil deu a mão
Todos ligados na mesma emoção

Tudo é um só coração!
Todos juntos vamos
Pra frente Brasil, Brasil
Salve a Seleção!

Erasmo Shallkytton

Os primeiros quarenta anos de vida dão-nos o texto; os trinta seguintes o comentário

Artur Schopenhauer

Meus antepassados vagaram perdidos no deserto
por quarenta anos porque, mesmo nos tempos
bíblicos, os homens não paravam para
pedir informações.

Elayne Boosler.

Inesquecível mamãe.

Nem sei como começar. Não tenho prática.
Nestes quarenta anos nunca te escrevi. A senhora sabe como é: correria, muito trabalho, compromissos diversos e afinal, ninguém é de ferro né mãe.
Mas hoje, parei de encontrar desculpas e resolvi te escrever. Talvez eu tenha algumas novidades pra te contar.
Saiba a senhora que já não sou mais aquele menino que tinha vergonha de te beijar, de te abraçar, que não sabia o quanto é maravilhoso dizer e ouvir um “eu te amo”. Cresci mãe, passei e passo meus momentos de dificuldades. Não só eu, os irmãos também.
Pena que não te abracei mais, que não te beijei mais, que não demonstrei mais o meu amor por você. Eu não sabia que você partiria tão rápido. Talvez se soubesse teria feito diferente ou morreria antes para não sofrer esta perda.
Mas estou sobrevivendo, lutando, buscando sempre acertar. Você sabe o quanto é difícil tocar em frente. Eu tento facilitar, pode acreditar, mas ás vezes desabo. Não vou negar que tenho minhas fraquezas e culpas, mas também vivo momentos ótimos, inesquecíveis e lindos.
Puxa!
Estou escrevendo e me dou conta que até meus cabelos estão parcialmente brancos.
Lembro como se fosse hoje o dia que você teve que ir. Nossa. Tanto tempo, mas a memória não se esquece de nada. Todos me deram uma especial atenção, tentaram me distrair. Eu era tão menino, tão inocente, mas sabia o que significava aquele momento.
Eu sabia que meu melhor pedaço de doce ficava ali. Por muitos anos não consegui falar em você sem chorar. Agora também estou em lágrimas. De saudades, de vontade de te ver, de saber que se você estivesse comigo poderia ser mais fácil. De saber que no caminho, por vezes, encontramos mais espinhos do que flores.
Naquele inicio de ano de setenta e dois, nos afastamos para nunca mais eu ver teu rosto. Não sei se, em algum momento, viste o meu.
Estou diferente agora. Perdi aquele sorriso, perdi parte do brilho dos olhos desde aquele dia e agora ainda mais.
Acho que pra aliviar um pouco comecei a escrever. Assim, despretensiosamente. Nos anos 80 fiz algumas crônicas para jornais. Depois fui escrevendo algumas poesias. Em 87 participei da primeira antologia. Hoje são várias participações.
Participo de um site literário, tenho recebido até elogios. Acredita mãe? Verdade. Pena que você não pode ver.
Este ano tenho um projeto mais ousado, conto com teu apoio materno para que dê tudo certo.
Confio no teu amor. Confio na tua intercessão.
A parte triste é que não poderei te enviar, sequer, esta cata.
Você promete me ajudar mesmo assim?
Saiba que eu escrevo com o coração, com a sensibilidade e a saudade de um filho que não te esquecerá jamais. Quem sabe você, com teus poderes de mãe consiga ler. Tomara. Tomara mesmo.
Se não for possível me deixa, ao menos, sonhar que lerá.
Por hoje era isso mãezinha. Beijos.
Ainda amo você muito mais do que a mim mesmo.
Feliz ano novo pra você.
Feliz ano novo para todos.


*Mamãe faleceu em 03/01/1972. Completaria 52 anos em 01/03/1972

Moacir LuÌs Araldi

Não desista dos seus sonhos.....
Quarenta anos atrás comecei num circo,
e Parque de diversões,
Vivendo de promessas e mentiras,
E nunca consegui nada,
a não ser o que comer,
E onde dormir,
Quarenta anos depois, estou conseguindo,
o que quero, sem promessas e mentiras,
Com a minha perseverança e persistência,
Sem pedir nada pra ninguém,
Por que Deus é maior, e eu acreditei...

Sérgio o Cancioneiro

"Quando os deuses desejam nos destruir,antes nos dão quarenta anos de prosperidade."

Antigo Ditado do Extremo Oriente

Sempre tive curiosidade de ver além das montanhas, mais de quarenta anos
da minha vida se passaram e ainda não descobri. Esta montanha é do outro
lado de um lago. Eu não sabia nadar: cresci, vivi muitos anos na curiosidade de conhecer o outro lado da grande montanha... Até que um dia morri. A arrogância, a falta de curiosidade de aprender algo novo, foram alguns dos fatores por não conseguir conhecer o outro lado... Hoje não tenho mais oportunidade de ir até lá... Mas deixo uma lição para aqueles que lerem esta pequena anotação de quem não voltará mais: use toda sua criatividade, toda sua curiosidade e procure descobrir conhecer aquilo que deseja aprender. Contando que seja bom para você e para aqueles que estiverem a sua volta.

Oeverson Dias Vieira

Quarenta anos é a velhice dos jovens; cinqüenta anos é a juventude dos velhos.

Renato