Pra baixo

Cerca de 1125 frases e pensamentos: Pra baixo

Quando você estiver para baixo e com sérios problemas e necessitar de carinho ou alguns cuidados, e nada, nada estiver dando certo feche seus olhos e pense eu tenho amigos, tenho pessoas que se preocupam comigo e realmente gostam de mim e logo lá eu estarei
para iluminar sua noite ainda que ela esteja sombria, basta chamar pelo meu nome bem alto pois onde eu estiver eu virei em seu auxilio outra vez, seja nas dificuldades passageiras, seja na dor da perda de alguém, seja num simples desabafo, seja qual for a hora a razão e a circunstância em todos os momentos em que você precisar de um amigo é só chamar pelo meu nome e eu lá estarei, porque você tem um amigo e nunca te abandonarei porque sou JESUS o CRISTO que sempre estará presente em sua vida e nunca te esquecerei.

Elberfran Oliveira

O ritmo forte do baixo , Os solos agudos da guitarra , as batidas rápidas da bateria , as vezes só elas me fazem melhor , é a única maneira que eu tenho para não ter que pensar no mundo.

Geovany Ferreira

Quem nunca subiu pra cima não sabe o que é descer pra baixo.

Alex Guimarães

Você tem a maioria, mais quero saber se essa maioria é humilde, posso ta aqui em baixo e você La em cima, mais é melhor começar de baixo e construir á estrutura forte do que está La em cima e a estrutura desmoronar facilmente, saiba que ao ta La em cima, a queda é grande.

Airllan Lima

E por favar, por favor mesmo! não venha você me contaminar com seu mau humor e baixo astral. Aqui tudo é simples, mas é verdadeiro (inclusive minha grosseria), então... Mantenha distancia de mim, síndrome de coitadinho não me comove, me irrita!!!!!

Marina Ribeiro.

A vida é tipo roda gigante hoje você tá em sima,amanhã tá em baixo.Esse neu deus que mim guia é a melhor saida a humildade é a censa da vida.

Luana Cieme Eu

Canto livre, canto alto, canto triste, canto baixo.
Pássaro solitário no clarão, pássaro amigo do vão
Que de amor vive eternamente, esquecendo de seguir em frente.
Pássaro sem asa que vive sem motivo, descansado, não procura abrigo.

João Pedro Oliveira

É incrível o quanto as pessoas tão sempre tentando colocar as outras pra baixo

Ramyres Minaj

Pra baixo todo santo ajuda; pra cima só o Santo dos santos.

Helgir Girodo

Pessoas que tentam te colocar para baixo são em verdade infelizes com suas próprias vidas

Artur Eliziário

As pessoas acham que criando problemas, elas conseguem nos botar pra baixo ou acabar com o que temos. Coitadas, mal elas sabem que isso tudo só nos motiva mais ainda e nos torna mais fortes.

Porque a maior força do mundo, é o amor. Karina Landívar

“A vida tem seus altos e baixo mais nunca deixe de sorrir o desanimo pode te abalar mais nunca deixe de manter o sorriso no rosto pois ele vai ser sua motivação para seguir em frente"

Tarcisio Cordeiro Da Silva

Corrupção no Brasil deveria ser a troca de livros por baixo dos panos entre escritores que se preferem.

Marianna Kiss

E se o teu sorriso faltasse nada seria válido, jogaria tudo morro a baixo pra te ver sorrir de novo.

Lanna Okuma

É engraçado como você consegue me deixar para baixo , mas eu aprendi a ser forte e quando minha alma levantar , teu ego cairá . Dê o tempo necessário para eu me reconstruir e tuas pedras ao chão irão pois minha muralha será forte.

Pamela Klebis Nogueira

A vida vai te colocar pra baixo algumas vezes. Isso é para lhe ensinar a dar valor quando estiver lá em cima

Facebook

A saudade me bate me ferre me bota pra baixo me faz ver o que não é difícil de compreender, que sem você é difícil de viver.

Samuka jr

A religião olha sempre para baixo;
a salvação olha continuamente para cima.

Helgir Girodo

1 - Poema para Chico Mendes

Fala baixo Chico.
Não grites.
As seringueiras irão chorar lágrimas brancas.
Lágrimas grossas de saudade de Francisco.
O Mendes.
Aquele que as rasgavam com tanta mansidão
E poesia para retirar-lhes a seiva
Que mais parecia um rasgo de elogio.
Um rasgo de amor.
Uma carícia de irmão agradecido pelo sustento
Que viria dali.
Fica Chico.
Senão o seringal não vai chorar apenas,
Irá uivar o uivo doloroso do adeus ao amigo
E companheiro.
Irá gritar para o céu da Amazônia que a esperança morreu.
Que o apelo do ativista parou.
Tua boca calou para sempre.
E seus olhos dormiram o sono do nunca mais.
Ah, Francisco,
Fala baixo para os gananciosos não o ouvirem.
Eles não perdoam.
Depois como vais peregrinar pela selva
Com o coração de guerreiro?
Nunca mais Chico,
Andarás com essa alma de gigante
Por entre os altos arbustos amazônicos
E a floresta vai morrer um pouco.
Elas sentirão falta do seu abraço protegido.
Daqueles que distribuías para defendê-las
Com teu corpo nos empates.
Fica em silêncio Chico que teu hino
De amor está ferindo interesses de alguns.
Eles não têm piedade e vão determinar tua partida.
Eterna.
Sem retorno do Mendes.
Nunca mais ouvirás o canto melodioso da cotovia.
E o inhambu vai piar sem teus ouvidos para escutá-lo.
Ouve Francisco,
Deixa de bobagem e dorme mais um pouco.
Não te levantes cedo demais para ires ao sindicato
Bradar ao mundo que eles matam a mata.
Eles irão te perseguir e a pontaria deles é tão certeira!
Não erram.
Vão disparar até que caias sem chance de levantar-te
Para mais uma vez
Penetrares nos caminhos recheados de folhas verdes
E musgos.
Melhor, não entres jamais no sindicato.
Ele não precisa de Francisco.
Volta a colher a borracha,
Simplesmente,
Assim como um seringueiro despretensioso e feliz.
O mundo é assim mesmo companheiro.
Queres mudá-lo para quê?
Nem conseguirás ser eleito para o preito que pretendes.
Tivesses sido talvez fosse outra a tua história.
Seria?
O cargo político te daria amparo?
Se desse Chico seria interessante o povo eleger-te.
Bem que mereceste!
Levantaste a voz bem alta ao ponto de ferir ouvidos.
Inquietar consciências.
Incomodar pessoas.
E quantas!...
Espera Francisco, mais um pouco na cama,
Hoje ainda são vinte e dois,
Falta pouco para o Natal.
Não queres ver mais uma vez o menino
Que nasce da tua fala de valente?
Depois os sapatinhos das crianças ficarão vazios,
E sem os teus abraços, também os corações.
Janeiro chegará com Lótus
Se abrindo em adoração Divina.
Estamos Francisco em 1988,
Vem por aí a virada do milênio,
O céu ficará cheio de rastros dourados
E com tantas promessas de vitória que até acreditaremos.
Então esquece um pouco esse seu caso de amor
Com a natureza e sossega menino.
Teu menino ficará sem o colo amigo do paizão querido.
E a menina entrará sozinha pela igreja
Ao som da Ave Maria.
Cadê teu braço para apoiá-la companheiro?
A mulher vai lamentar derramando água dos olhos tristes,
O amor que lhe foi tudo,
E a solidão será do tamanho da Amazônia.
Não.
Não abras a porta agora.
Volta para a cama.
Descobre que tens dor, qualquer uma.
Permaneça quieto.
Lá fora está tão sombrio e perigoso!
Teu banho pode esperar.
Tua vida pode prosseguir valente guerreiro.
Só não saias agora pela porta.
Talvez ele desista, vá embora e deixa para depois.
Aí podes pegar a mulher e as crianças e fugires.
Para onde?
Depois que o mundo é tão pequeno!
Que pena Chico!
Então adeus meu camarada.
Vai com Deus.

Eleni Mariana de Menezes

1 - Poema para Chico Mendes

Fala baixo Chico.
Não grites.
As seringueiras irão chorar lágrimas brancas.
Lágrimas grossas de saudade de Francisco.
O Mendes.
Aquele que as rasgavam com tanta mansidão
E poesia para retirar-lhes a seiva
Que mais parecia um rasgo de elogio.
Um rasgo de amor.
Uma carícia de irmão agradecido pelo sustento
Que viria dali.
Fica Chico.
Senão o seringal não vai chorar apenas,
Irá uivar o uivo doloroso do adeus ao amigo
E companheiro.
Irá gritar para o céu da Amazônia que a esperança morreu.
Que o apelo do ativista parou.
Tua boca calou para sempre.
E seus olhos dormiram o sono do nunca mais.
Ah, Francisco,
Fala baixo para os gananciosos não o ouvirem.
Eles não perdoam.
Depois como vais peregrinar pela selva
Com o coração de guerreiro?
Nunca mais Chico,
Andarás com essa alma de gigante
Por entre os altos arbustos amazônicos
E a floresta vai morrer um pouco.
Elas sentirão falta do seu abraço protegido.
Daqueles que distribuías para defendê-las
Com teu corpo nos empates.
Fica em silêncio Chico que teu hino
De amor está ferindo interesses de alguns.
Eles não têm piedade e vão determinar tua partida.
Eterna.
Sem retorno do Mendes.
Nunca mais ouvirás o canto melodioso da cotovia.
E o inhambu vai piar sem teus ouvidos para escutá-lo.
Ouve Francisco,
Deixa de bobagem e dorme mais um pouco.
Não te levantes cedo demais para ires ao sindicato
Bradar ao mundo que eles matam a mata.
Eles irão te perseguir e a pontaria deles é tão certeira!
Não erram.
Vão disparar até que caias sem chance de levantar-te
Para mais uma vez
Penetrares nos caminhos recheados de folhas verdes
E musgos.
Melhor, não entres jamais no sindicato.
Ele não precisa de Francisco.
Volta a colher a borracha,
Simplesmente,
Assim como um seringueiro despretensioso e feliz.
O mundo é assim mesmo companheiro.
Queres mudá-lo para quê?
Nem conseguirás ser eleito para o preito que pretendes.
Tivesses sido talvez fosse outra a tua história.
Seria?
O cargo político te daria amparo?
Se desse Chico seria interessante o povo eleger-te.
Bem que mereceste!
Levantaste a voz bem alta ao ponto de ferir ouvidos.
Inquietar consciências.
Incomodar pessoas.
E quantas!...
Espera Francisco, mais um pouco na cama,
Hoje ainda são vinte e dois,
Falta pouco para o Natal.
Não queres ver mais uma vez o menino
Que nasce da tua fala de valente?
Depois os sapatinhos das crianças ficarão vazios,
E sem os teus abraços, também os corações.
Janeiro chegará com Lótus
Se abrindo em adoração Divina.
Estamos Francisco em 1988,
Vem por aí a virada do milênio,
O céu ficará cheio de rastros dourados
E com tantas promessas de vitória que até acreditaremos.
Então esquece um pouco esse seu caso de amor
Com a natureza e sossega menino.
Teu menino ficará sem o colo amigo do paizão querido.
E a menina entrará sozinha pela igreja
Ao som da Ave Maria.
Cadê teu braço para apoiá-la companheiro?
A mulher vai lamentar derramando água dos olhos tristes,
O amor que lhe foi tudo,
E a solidão será do tamanho da Amazônia.
Não.
Não abras a porta agora.
Volta para a cama.
Descobre que tens dor, qualquer uma.
Permaneça quieto.
Lá fora está tão sombrio e perigoso!
Teu banho pode esperar.
Tua vida pode prosseguir valente guerreiro.
Só não saias agora pela porta.
Talvez ele desista, vá embora e deixa para depois.
Aí podes pegar a mulher e as crianças e fugires.
Para onde?
Depois que o mundo é tão pequeno!
Que pena Chico!
Então adeus meu camarada.
Vai com Deus.

Eleni Mariana de Menezes